EXAME DE ACESSO AO ENSINO SUPERIOR PARA MAIORES DE 23 ANOS PROVA DE INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA COMUNICAÇÃO

Texto

(1)

EXAME DE ACESSO AO ENSINO SUPERIOR

PARA MAIORES DE 23 ANOS

PROVA DE INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA

COMUNICAÇÃO

7 de Julho de 2020 Sala 4 11h30 – 13h30 Duração: 120 minutos

(2)

Faculdade de Artes e Humanidades

EXAME DE ACESSO AO ENSINO SUPERIOR PARA MAIORES DE 23 ANOS

PROVA DE INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA COMUNICAÇÃO

7 de Julho de 2020

Duração: 120 minutos

O examinando deve escrever no mínimo 3 páginas e no máximo 8 páginas.

Questionário

Grupo I

1. Tendo em conta o modelo básico de comunicação, defina o conceito de

comunicação e exemplifique.

A Comunicação é um campo de estudo multidisciplinar que aborda a emissão e interpretação de processos simbólicos através dos quais significamos a realidade. A definição dada por John Fiske, em Introdução ao Estudo da Comunicação, coloca a comunicação como um fenómeno caracterizado pela “interacção social através de mensagens” o que reitera a ideia contida no modelo básico em que a comunicação é o processo de geração de significado através do envio e recebimento de símbolos (verbais e não-verbais) num determinado contexto. Emissor, Mensagem, Canal e Receptor constituem os principais elementos deste modelo básico o qual pode ser aplicado a uma diversidade de situações sociais, como por exemplo, uma ordem de stop dada por um agente da divisão de trânsito da Polícia de Segurança Pública. Neste exemplo, consideramos o agente como o emissor de uma ordem de estacionamento (a mensagem) por parte do condutor do automóvel que é dada simultaneamente através de suporte escrito (sinal de trânsito STOP) e gestual, os quais formam o canal. O condutor do veículo é o receptor desta iniciativa comunicativa. Ele interpreta os actos do polícia como intencionais e significativos.

(3)

2. Uma das grandes preocupações do estudo da comunicação passa pelo

processo de significação. Dê um exemplo de um signo linguístico e

justifique.

O signo linguístico é um signo convencional e arbitrário que estabelece uma relação entre um significado e um significante, os quais formam uma unidade inseparável através da significação. Ele configura-se de acordo com um sistema de signos convencionais usado pelos membros de uma determinada comunidade. Assim, a palavra “vermelho” qualifica-se como um signo linguístico. Ela integra uma língua fazendo parte do vocabulário da língua portuguesa. As letras “v-e-r-m-e-l-h-o” formam o significante “vermelho”, o qual denota um certo tipo de cor, o significado. Neste exemplo, a arbitrariedade do signo linguístico está patente no facto de diferentes línguas possuírem diferentes significantes para o significado “vermelho”. Assim, em Inglês, o signo linguístico será “red” e em Francês, “rouge”.

3.

Confronte a comunicação verbal e a comunicação não-verbal exemplificando e argumentando as suas vantagens.

Provavelmente a primeira associação que fazemos com a comunicação tem a ver com o uso de linguagem. Trata-se da comunicação verbal a qual pode ser exemplificada pela escrita.

Todavia, o ser humano utiliza, também, um largo espectro de comunicações não-verbais como os gestos, o som, o movimento ou a linguagem corporal, exemplificados pela mímica, música ou dança.

A maior vantagem da comunicação verbal é o rigor com que descreve pensamentos, ideias, planos ou reflexões. A comunicação não-verbal é mais polissémica e difícil de ser compreendida num quadro interpretativo rígido. Porém, compensa essa característica com uma maior capacidade de transmitir mensagens interpessoais e emocionais. Aquilo que se descreve através de dezenas de palavras pode ser condensado numa expressão facial, como por exemplo o espanto. O levantar das sobrancelhas e o abrir dos olhos transmite instantemente uma mensagem e forte carga emotiva sendo imediatamente apreendida sem ajuda de linguagem.

(4)

4.

A comunicação serve para promover o progresso. Com o desenvolvimento prodigioso das tecnologias electrónicas e informáticas, a «comunicação» tornou-se, «o» progresso (…).

Armand Mattelart, A Comunicação-mundo – história das

ideias e das estratégias, Oeiras, Edições Piaget, 1997, p.9

Comente esta afirmação a partir de uma perspectiva histórica dos meios de comunicação e da noção de “sociedade de informação”.

Ao longo da história, o desenvolvimento das tecnologias de comunicação provocou alterações fundamentais na sociedade permitindo disseminar a informação em horizontes espaciais e temporais muito mais alargados e cada vez mais rapidamente, desde o livro impresso, passando pelo telégrafo, a rádio ou mesmo a internet.

Os meios de comunicação de massa são vistos como ferramentas ao serviço do desenvolvimento económico, político e cultural das sociedades que tornaram as sociedades mais democráticas e livres. Isto é demonstrado pela ideia, criada nos anos 1980, de “Sociedade de Informação” como sendo um novo paradigma técnico e económico das chamadas sociedades pós-industriais. A informação é a matéria prima desta nova fase de desenvolvimento tecnológico, a qual assenta nos princípios de flexibilidade, lógica reticular e progressiva convergência tecnológica. Um exemplo disso mesmo é o smartphone que permite ao cidadão telefonar, redigir documentos, consultar informação e partilhá-la instantaneamente, bem como exercer os seus direitos e deveres de cidadania como por exemplo o pagamento de impostos. Acredita-se, assim, que a sociedade de informação corresponde ao culminar de um desenvolvimento das tecnologias de comunicação ao serviço da emancipação e do desenvolvimento humano.

Grupo II

5. “Qualquer observador mais ou menos atento às grandes transformações

sociais, facilmente identifica a comunicação com um dos símbolos mais

fortes do séc. XX (…). O seu objectivo de aproximar os homens, os

(5)

valores e as culturas está no âmago do modelo democrático e impõe-se

através de técnicas cada vez mais eficazes e sedutoras”.

Vaz Freixo, Manuel João, “Teorias e Modelos de Comunicação”, Lisboa, Edições Piaget, 2012, p. 12

Comente esta afirmação, redigindo um texto argumentativo (dotado de introdução, desenvolvimento e conclusão) em que discuta o papel dos dispositivos tecnológicos de mediação simbólica (Media) enquanto vectores de integração, instrução e desenvolvimento social.

Os contextos institucionais da comunicação (como a publicidade, por exemplo) não estão isentos da possibilidade de assumirem discursos de ordem sedutora que podem, nalguns casos, ser confundidos com manipulação ou logro. São essas “técnicas cada vez mais eficazes e sedutoras”, como Vaz Freixo afirma, que poderão contradizer as ambições de emancipação, liberdade e democracia que associamos à comunicação. Daí, a “literacia para os media” adquirir um papel preponderante na educação de cidadãos esclarecidos que saibam interpretar as mensagens dos Media, bem como colocá-los ao serviço dos “homens, dos valores e das culturas”.

Após o seu comentário, o examinando deverá apresentar uma reflexão crítica, aprofundada e bem fundamentada em termos teóricos, que reflicta os seguintes tópicos:

 A comunicação como processo central das sociedades humanas e fomento da solidariedade, comunhão e valores e identidade colectiva

 As funções sociais dos Media: os meios de comunicação como veículos de informação, entretenimento e educação

 A criação e distribuição igualitária do conhecimento

 A centralidade dos Media na consolidação da democracia e exercício da cidadania  A comunicação como um processo de expressão da liberdade de pensamento (ilustrada,

por exemplo, pela Liberdade de Imprensa)

 A importância dos meios de comunicação no séc. XX, nomeadamente, o seu papel no desenvolvimento tecnológico (ex: as auto-estradas da informação), económico (ex: a Globalização, ou a Economia Digital ligada aos Novos Media e aos Media Sociais) e político (ex: o uso dos Media Sociais como formas de resistência política tal como ilustrado na onda revolucionária da Primavera Árabe, no dealbar do séc. XXI)

 Os efeitos das “indústrias culturais” na promoção dos valores culturais de uma sociedade

(6)

COTAÇÕES Grupo I (total: 130 pontos)

1. (30 pontos) [Conteúdo (20); Organização e exposição das ideias (10)

]

2. (30 pontos) [Conteúdo (20); Organização e exposição das ideias (10)

]

3. (30 pontos) [Conteúdo (20); Organização e exposição das ideias (10)

]

4. (40 pontos) [Conteúdo (30); Organização e exposição das ideias (10)

]

Grupo II (total: 70 pontos)

5. (70 pontos) [Conteúdo (50); Organização e exposição das ideias (20)]

Imagem

Referências