• Nenhum resultado encontrado

A GLÓRIA É DE DEUS ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL -1º TRIMESTRE / REVISTA CPAD - ADOLESCENTES

N/A
N/A
Protected

Academic year: 2021

Share "A GLÓRIA É DE DEUS ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL -1º TRIMESTRE / REVISTA CPAD - ADOLESCENTES"

Copied!
5
0
0

Texto

(1)

A GLÓRIA É DE DEUS

Acesse: www.proflucasneto.wordpress.com

1

ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL -1º TRIMESTRE / 2017- REVISTA CPAD - ADOLESCENTES LIÇÕES BÍBLICAS - CREMOS

LIÇÃO 2 – EM DEUS, O NOSSO PAI

INTRODUÇÃO

A Bíblia Sagrada é a melhor fonte para o conhecimento de Deus, porque na pessoa de Jesus Cristo,

Deus se revelou ao homem, para nos mostrar quem Ele é e qual é a sua vontade na relação do divino com a criação. Nesta lição estudaremos sobre a revelação de Deus ao Homem, os nomes de Deus revelados na Bíblia, seus atributos morais e naturais, e como devemos nos relacionar com Ele.

I – COMO DEUS APARECE NA BÍBLIA - A QUESTÃO DOS NOMES 1. A EXISTÊNCIA DE DEUS

A Santa Bíblia não denota qualquer construção teológica para provar que Deus existe, porém, afirma de

forma clara que existe um ser supremo e que é o criador do Universo e de tudo o que está contido nele, inclusive o homem, e que também tudo pertence a Deus. (Gn 1:1; Sl 24:1-2)

O livro de Gênesis não é uma teoria e sim uma realidade que em seu primeiro capítulo e primeiro

versículo assevera que "No princípio criou Deus os céus e a terra", sendo este ato uma declaração afirmativa, que não está posta para averiguações, discussões, e muito menos para confirmação da veracidade ou não dos fatos narrados através de estudos de metodologia científica humanística. Esta realidade da criação só pode ser crida pela fé. (Hb 11:3)

Esta declaração é soberana e aprouve a Deus registrar para os homens de todas as épocas que existe

um Deus transcendente, ou seja, está muito acima da criação em sua santidade e bondade, e ao mesmo tempo, imanente que está presente e ativo no ambiente das coisas criadas por Ele e se relaciona com toda a criação com ações de escolher, abençoar, ver, disciplinar, orientar, etc.(Is 40:12-26)

Nenhuma teoria humana pode refutar a declaração de que Deus criou tudo e a todos, porque foi o

próprio Deus absoluto, soberano, poderoso, incomparável quem declarou isto. (Is 45:8-12)

2. DEUS SE REVELA AO HOMEM 2.1. DEFINIÇÃO DE REVELAÇÃO DIVINA

Definimos revelação divina como sendo a forma materializada que Deus nos faz conhecer sobre fatos,

pensamentos, vontades, mensagens que dizem respeito ao próprio Deus e de forma muito especial a revelação de seu caráter, consolidados em seus atributos naturais e morais, com o objetivo de manter um relacionamento com o homem tornando este último a imagem e semelhança de Deus.

3. NATUREZA DA REVELAÇÃO DIVINA

O homem é um ser limitado e por maior que seja o nível de inteligência que ele possua, o homem jamais poderá conhecer a Deus em sua totalidade, porém, podemos ter um real e significativo conhecimento de Deus devido a sua vontade de revelar-se ao homem para com ele manter uma plenitude de comunhão. Deus tem se revelado genericamente de duas formas aos homens, a saber:

3.1. A REVELAÇÃO UNIVERSAL

Esta revelação é manifestada por Deus de forma generalizada a todos os homens de todos os tempos e de todas as regiões geográficas assumindo um caráter de automanifestação do Senhor para termos a possibilidade de construir solidamente o conhecimento deste Deus em todos os seus atributos. Neste contexto da revelação universal de Deus para os homens, podemos mencionar os seguintes modos de revelação:

REVELAÇÃO GERAL SIGNIFICADO DA REVELAÇÃO

3.1.1 Pela Natureza A natureza criada se encontra num estado de equilíbrio com leis físicas, químicas e biológicas bem definidas e de extremada inteligência que prontificam que existe um Deus todo poderoso que se revela aos homens através das coisas criadas. (Sl 19:1-6; Rm 1:19-20) 3.1.2 Pela história humana Deus intervém na história do homem, pois, é por causa de Deus que

(2)

A GLÓRIA É DE DEUS

Acesse: www.proflucasneto.wordpress.com

2

Um dos exemplos mais notáveis desta intervenção divina na história humana é a preservação da nação de Israel (At 17:24-28; 1 Cr 29:10-13)

3.1.3 Pela criação do homem

Ao olharmos para a suprema criação de Deus que é o homem, vemos nele a imagem e semelhança de Deus no que concerne aos atributos morais (amor, justiça,bondade, santidade) sendo que é vontade do Senhor que tenhamos estes predicados, entretanto, quando olhamos para o homem vemos em sua estrutura física e orgânica a perfeição da mão de Deus na criação. (Gn 1:26-27)

3.1.4 Pela crença em uma deidade

Todos os homens invariavelmente possui em sua consciência uma inclinação mística em crer num ser supremo a ele com superioridade espiritual e de poder, ainda que creiam ou elejam objetos ou seres imaginários que são falsos deuses, pois, só existe um só Deus e este se chama Jesus Cristo. (At 14:8-18)

3.2. A REVELAÇÃO ESPECIAL

A revelação especial trata-se de uma revelação pessoal de Deus a uma pessoa ou grupos de pessoas com o objetivo de formatar uma comunhão mais particular com Ele, para promover no homem a redenção dos pecados, a reconciliação com Deus, a salvação, o crescimento espiritual, a adoração e o serviço ao reino de Deus. Consideremos algumas formas da revelação particular para os homens, a saber:

REVELAÇÃO

PARTICULAR

SIGNIFICADO DA REVELAÇÃO

3.2.1 Pessoal Neste tipo de revelação o homem tem uma experiência pessoal e indescritível com o Senhor. Deus se revela pessoalmente ao homem em linguagem humana(sonhos, profecias,etc) para lhe comunicar ou desvendar a sua vontade para uma determinada situação. Homens como Abraão, Noé, Isaque, Jacó, Moisés, Josué, Daniel e outros tiveram este tipo de revelação. (Gn 12:1-3)

3.2.2 Pelos seus atos Deus não é um ser inerte e por isso ele age através de sinais, prodígios e maravilhas para revelar ao homem que Deus existe e quer ter com o homem um permanente relacionamento de adoração e comunhão. (Êx 15:1-11; At 5:12-16)

3.2.3 Pela Palavra de Deus (A Bíblia Sagrada)

A Bíblia Sagrada é a maior fonte de revelações para o conhecimento de Deus. Não se concebe que um cristão não tenha lido a Bíblia Sagrada pelo menos uma vez; Deus se revela em sua Palavra de forma renovada a cada dia, isto é, um mesmo versículo traz em seu bojo várias revelações a cada dia diferente. É nossa obrigação ler a Bíblia porque trata-se da própria boca de Deus falando para nós. É ordenança imperativa do Senhor lermos a Bíblia Sagrada. (Ez 2:8-10; 3:1-13; Sl 119:9-11;105; )

3.2.4 Pela encarnação do Senhor Jesus

A revelação mais especial de Deus para o homem foi através da sua encarnação, onde, o Senhor Jesus veio na forma de homem a este mundo para salvar a humanidade. (Jo 1:1-14; Hb 1:1-4)

II - OS NOMES DE DEUS

1. NOMES DE DEUS SEGUNDO SUAS AÇÕES NA HISTÓRIA

No Antigo Testamento quando Deus realizava sinais, prodígios e maravilhas numa intervenção direta para benefício de um homem, de uma comunidade, ou mesmo de um povo, normalmente se dava um nome que representasse fielmente o que Deus fez naquele momento. A Bíblia traz em seu bojo uma série de nomes que tipificam as ações de Deus em um determinado acontecimento não sendo estes os nomes pessoais de Deus, mas tão somente, nomes que representam as suas ações materializadas em benefícios dos homens.

Estes nomes normalmente são combinados ao nome Jeová que foi um nome criado artificialmente para

Deus em virtude dos hebreus temerem pronunciar o nome hebraico pessoal de Deus YAHWEH (oriundo do tetragrama YHWH), sendo o nome Jeová fruto da combinação das vogais do termo Adonai (outro nome de Deus que significa "meu Senhor") com o tetragrama "YHWH". Vejamos alguns nomes de Deus, denominados nomes derivados e seus respectivos significados combinados com o nome Jeová.

(3)

A GLÓRIA É DE DEUS

Acesse: www.proflucasneto.wordpress.com

3

NOME SIGNIFICADO DO NOME

1.1 Jeová-Jireh O Senhor proverá (Gn 22:14)

1.2 Jeová -Rafá O Senhor é um Deus que cura. (Êx15:26)

1.3 Jeová-Nissi. O Senhor é a minha Bandeira (Êx 17:8-15)

1.4 Jeová- Shalom O Senhor é Paz (Jz 6:24)

1.5 Jeová-Roí O Senhor é o meu Pastor (Sl 23:1)

1.6 Jeová-Tsidkenú O Senhor é a nossa justiça. (Jr 23:6).

1.7 Jeová-Shammá O Senhor está aqui (Ez 48:35)

1.8 Jeová-Sabaoth O Senhor dos exércitos (1 Sm 1:3)

1.9 Jeová-Makadesh O Senhor que santifica, torna santo. (Lv 20:8; Ez 37:28)

1.10 Jeová-Elohim O Senhor dos senhores - Senhor Deus (Sl 59:5)

2. NOMES DE DEUS SEGUNDO SEUS ATRIBUTOS

O nome "EL" considerado um nome genérico que significa ser primeiro, ser senhor, ser poderoso foi utilizado para designar falsos deuses das religiões pagãs e por esta causa a Bíblia traz esta palavra combinada com palavras hebraicas para distinguir o Deus verdadeiro destes deuses que não são deuses. Dentre estes nomes temos:

NOME SIGNIFICADO DO NOME

2.1 El Shaddai Deus todo poderoso (Êx 6:3)

2.2 El Elyon Deus Altíssimo. (Gn 14:18-24)

2.3 El Roi Deus que vê (Êx 17:8-15)

2.4 EL Olam Deus eterno (Sl 90:2)

2.5 El Gibor Deus forte (Is 9:6; Ap 19:15)

3. OUTROS NOMES DE DEUS

"Elohim" é o primeiro nome em que Deus é apresentado na Bíblia Sagrada, cujo significado é "Deus

criador e poderoso", sendo este nome o plural de Eloah (Deus forte e poderoso). Alguns estudiosos da Bíblia apregoam que Elohim ratifica a doutrina da Trindade (Deus Pai, Deus Filho, Deus Espírito Santo), outros porém, defendem que Elohim é um superlativo, ou seja, uma ênfase na declaração do poder de Deus representado em Eloah.

III - AS QUALIDADES DE DEUS

A Bíblia Sagrada revela em suas páginas os denominados atributos de Deus, sendo estes subdivididos em atributos naturais, inerentes a Deus, ou seja, só Deus possui estes atributos e os atributos morais que são qualidades do caráter de Deus que o homem pode desenvolver em seu ser, sendo então, a imagem e semelhança de Deus.

1. ATRIBUTOS NATURAIS

NOME SIGNIFICADO DO NOME

1.1 Onisciência Deus sabe e conhece todas as coisas com perfeição (Sl 139:23)

1.2 Onipresença Deus estar em todos os lugares de forma pessoal, ou seja, o universo e todas as

coisas criadas estão contidas em Deus. (1 Rs 8:27; Jr 23:23-24)

1.3 Onipotência Deus pode realizar todas as coisas. O Senhor tem poder para realizar e controlar

todas as coisas, sendo este poder exercido de forma soberana e absoluta. (Mt 19:26)

2. ATRIBUTOS MORAIS

O Caráter de uma pessoa se torna a imagem e semelhança do caráter de Deus quando esta pessoa exerce a ética e o comportamento moral na base das qualidades do Fruto do Espírito.

2.1. DEVEMOS VIVER EM ESPÍRITO

Ter uma vida no Espírito não pode ser consolidado somente pela vontade humana, é preciso que

sejamos cheios do Espírito Santo que analogicamente, é como uma jangada que tem sua vela hasteada e o vento ao soprar de encontro a vela configura o seu caminho serpenteando o mar. O cristão deve ter a sua vida comandada, dirigida, presidida pelo Espírito Santo. O apóstolo Paulo confirma que na natureza humana existe um conflito entre os desejos carnais e o viver no Espírito

(4)

A GLÓRIA É DE DEUS

Acesse: www.proflucasneto.wordpress.com

4

A Bíblia Sagrada apresenta virtudes ou qualidades inerentes a uma pessoa que vive em Espírito,

classificando-as como pessoas que podem se relacionar com o seu próximo e com Deus. Estas 9 virtudes estão tipificadas no chamado fruto do Espírito. (Gl 5:22-23)

QUALIDADES SIGNIFICADO

2.1.1 Amor É o amor incondicional capaz de amar até mesmo os próprios inimigos. (Mt 5:46-48)

2.1.2 Alegria É a alegria que independe das circunstâncias, sejam boas ou ruins que vivemos, sendo esta alegria de caráter permanente por ter sido alcançado pela graça da salvação em Jesus Cristo (2 Co 7.4; At 13. 48-52)

2.1.3 Paz É a paz caracterizada de forma tridimensional, na dimensão vertical, paz com Deus, na horizontal, paz com o próximo e em profundidade, paz consigo mesmo. (Rm 5:1; Rm 12:18; Fp 4:7)

2.1.4 Paciência A paciência se reflete na capacidade de suportar as perseguições, incompreensões dos outros.(Ef 4:2)

2.1.5 Benignidade A benignidade é a capacidade de ser gentil para com os outros, ou seja, demonstrar delicadeza em todas as ações com relação ao próximo.(Tt 3:12-15) 2.1.6 Bondade É a capacidade de praticar o bem a todos sem qualquer interesse particular ou

recompensa (Rm 15:14)

2.1.7 Fidelidade É a virtude que através de atos e práticas o cristão demonstra ser fiel a Deus e ao próximo independente das circunstâncias. (1 Pd 1:6-7)

2.1.8 Mansidão É a virtude que em meio a verdadeiras situações desagradáveis e de perturbação a pessoa se mantém serena e pacifica (1 Pe 2.20-23)

2.1.9 Domínio Próprio

É a virtude de controlar as paixões da carne ou evitar palavras e atos que não corroboram com a vontade de Deus (1 Co 10:13)

Deus é santo (separado do pecado), justo (só faz o que é certo), fiel (plena confiança) e misericordioso

(tem compaixão), mas sobretudo, Deus é amor. Sejamos iguais a Deus! (1 Jo 3:1; 1 Jo 4:9-10)

IV - O RELACIONAMENTO COM DEUS

Neste ponto da lição não nos reportaremos as regras ritualísticas ou de analogia espirituais para ilustrar o que deve ser o relacionar-se com Deus. Temos registrados na Palavra de Deus exemplos pragmáticos de homens que se relacionavam intimamente com Deus e que a partir destes exemplos devemos aprender com eles a forma de se relacionar com o nosso Senhor.

Optamos por resgatar na Bíblia, na história de Jó, o exemplo de como devemos nos comportar ou ser num relacionamento saudável com o Senhor. Podemos citar dentre as atitudes de Jó em sua história com Deus, as seguintes virtudes:

ATITUDE OU VIRTUDE DESCRIÇÃO DO ACONTECIMENTO

1 Jó era um homem reto, íntegro e

temente a Deus

Para termos comunhão com o Senhor devemos ter um caráter ilibado de retidão e amor as coisas de Deus, como Jó, homem sincero, honesto e temente a Deus (Jó 1:1)

2. Jó era um homem de oração que

preservava os valores da família.

Jó continuamente orava pelos seus filhos para que Deus tivesse misericórdia de seus familiares (Jó 1:2-5)

3 Jó não murmurava e nem pecava

contra Deus

Apesar de ter ocorrido uma tragédia na vida de Jó onde ele perdeu todos os seus bens materiais e seus filhos, Jó não murmurou e nem pecou contra Deus.. (Jó 1:20-22)

4 Jó era um homem fiel e que

amava e adorava Deus.

Jó teve a sua saúde abalada por Satanás e mergulhou em grande sofrimento de dores físicas e psicológicas, e ainda que instigado pela sua mulher a amaldiçoar a Deus, não o fez, provando o seu amor e fidelidade a Deus. (Jó 2:7-10)

5 Jó demonstrou uma instabilidade

em sua fé

Em meio aos sofrimentos, Jó amaldiçoou o dia em que nasceu, demonstrou o desejo de não ter nascido e se questionou sobre porque os infelizes continuavam vivendo, porém , o ponto vulnerável de sua fé foi porque mesmo antes destes nefastos acontecimentos ele tinha medo de que estes fatos viessem a acontecer em sua vida. (Jó 3:24-26).

6 Jó reconheceu que Deus se

importava com ele

Jó sofrendo as amarguras de sua grande dor, de ter sido acusado por Elifaz, seu amigo, em sua primeira fala de que estava sofrendo por causa de seus próprios pecados, em ato desesperado pede a morte física, entretanto reconhece que Deus se importava com ele e que cuidava dele em

(5)

A GLÓRIA É DE DEUS

Acesse: www.proflucasneto.wordpress.com

5

todos os dias de sua vida. (Jó 7:17-21)

7 Jó reconheceu a soberania e o

poder do Senhor

Jó foi interpelado pelo seu amigo Bildade em sua primeira fala dizendo que ele deveria se voltar para o Todo-poderoso, pois, estava distante e ainda que os filhos de Jó tinham pecado contra Deus,porém, Jó em uma pronta resposta reconhece o poder e a soberania de Deus sobre tudo e sobre todos. (Jó 9:1-13)

8 Jó reconheceu a insignificância

do homem diante de Deus

Jó ouviu de Zofar, seu amigo, que ele estava sendo castigado por Deus menos do que ele merecia em sua primeira fala, porém, Jó respondeu que tinha a convicção de sua inocência e também reconhecia a insignificância do homem diante de Deus. (Jó14:1-12)

9 Jó um homem de Deus Jó era um homem trabalhador, não era adúltero, era justo,

caridoso, generoso, não estava apegado aos seus bens materiais, não era vingativo, nem sovina e nem hipócrita. (Jó 31:1-40)

10 reconhece que seus

pensamentos não podem ser comparados aos pensamentos de Deus

Depois de Deus ter falado a Jó sobre a criação, sobre de onde vem a luz e a escuridão, sobre quem faz a neve e as chuvas de pedra ? Quem faz a chuva, o orvalho, a geada e o gelo? Quem criou as leis que governam o mundo? Quem dá de comer as aves e os animais? Quem pode enfrentar e vencer a tudo, os grandes e mais ferozes animais da terra e a todos? Quem é capaz de dizer que Deus é culpado ou injusto?. Jó diante destas questões formuladas pelo Senhor reconhece que não sabe de nada e que diante de Deus deveria ficar calado. (Jó 40:1-5; Jó 42:1-6)

Homens justos, retos, íntegros, fiéis e tementes a Deus que mantém com o Senhor relacionamento permanente de honra, glorificação e adoração a Deus, são abençoados pelo Senhor em tudo como Jó foi apesar das aflições, tribulações e adversidades que não o desviou de sua fé em Deus. (Jó 42:7-17)

V - CONCLUSÃO

Um pleno relacionamento com Deus na realidade é como ser a manjedoura que acolheu o menino

Jesus em seu nascimento, devemos nascer de novo transformando o nosso coração em uma manjedoura para acolher Jesus, realizando a sua vontade em tudo na nossa vida.

Referências

Documentos relacionados

Marras (2000) observa que a questão de ser classificado X ou Y depende do ponto de vista do gestor. Isso significa que o ângulo de análise do indivíduo pode causar

RESUMO - O autor estudou distúrbios de memória em pacientes epilépticos com crises parciais complexas (CPC), com os objetivos de: 1) identificar estes distúrbios; e 2) comparar

Faria (2006) analisou trabalhos já realizados no Brasil, e em outros países, no que se refere às atitudes em relação à Matemática e concluiu que existem pontos em comum entre

Em um estudo com casuística de 24 pacientes, portadores de epilepsia com crises parciais complexas, investigou-se a clínica de pacientes com e sem lesão no lobo temporal

Responsável por 2 a 17% das mortes de pessoas com epilepsia, a maioria dos casos de morte súbita inexplicada é relacionada às crises, em geral não testemunhadas, que ocorrem

(2001) acrescentam que a Neuropsicologia, para além de ser a ciência que estuda as relações entre as estruturas do cérebro, as funções nervosas superiores e o comportamento,

• Entre as alterações de linguagem que podem estar presentes na epilepsia cita-se a disfasia do desenvolvimento, afasia aguda com alteração transitória da

Para preparar-se para esta prova o aluno deve, seguindo o cronograma apresentado, ler o livro recomendado para a sua série e responder às questões propostas em cada capítulo.