Sumário. 1. Introdução Considerações gerais Dúvidas sobre SICONFI e SIAFIC Definições básicas sobre o SIAFIC...

11 

Loading.... (view fulltext now)

Loading....

Loading....

Loading....

Loading....

Texto

(1)
(2)

Sumário

1. Introdução………. 03

2. Considerações gerais…………...……….………….………... 04

3. Dúvidas sobre SICONFI e SIAFIC……….. 06

4. Definições básicas sobre o SIAFIC…………...………. 07

5. Padrão mínimo de qualidade………..………. 09

6. Prazos………. 10

(3)

1. INTRODUÇÃO

O Guia Orientações essenciais sobre o SIAFIC na esfera municipal, conforme Decreto Federal 10.540/2020 tem por finalidade levar conhecimentos básicos sobre o Sistema Único e Integrado de Execução Orçamentária, Administração Financeira e Controle – SIAFIC, no setor público municipal, esclarecendo apenas as questões consideradas como essenciais, constantes do Decreto Federal nº 10.540/2020.

O SIAFIC e este Guia possuem fundamentação legal nas seguintes leis e decretos:

● Lei Complementar nº 101, de 4 de maio de 2000 (Lei de Responsabilidade Fiscal);

● Lei Complementar nº 131, de 27 de maio de 2009 (Lei da Transparência);

● Lei Federal nº 12.527, de 18 de novembro de 2011 (Lei de Acesso à Informação);

● Decreto Federal nº 10.540, de 5 de novembro de 2020 (Padrão mínimo de qualidade do SIAFIC).

(4)

2. CONSIDERAÇÕES GERAIS

Antes de listar os requisitos mínimos de qualidade e outros dispositivos relevantes, é essencial esclarecer alguns aspectos gerais sobre o SIAFIC:

● O SIAFIC é uma solução de tecnologia da informação (software) mantida e gerenciada pelo Poder Executivo, em que são incluídos os módulos complementares (Sistemas Estruturantes), as ferramentas e as informações dela derivados, utilizada por todos os poderes e órgãos da Administração Pública, resguardada a autonomia.

● O termo “resguardada a autonomia”, para fins do SIAFIC, entende-se como sendo a liberdade e independência dos Poderes e demais órgãos da Entidade, no que se refere aos atos de gestão administrativa, financeira, e de controle, não havendo interferência nos atos das respectivas Unidades Gestoras.

Conforme informação do TCE-MS, “A Câmara Municipal não possui personalidade jurídica própria, ela representa uma unidade orçamentária no contexto municipal, cabendo ao Prefeito Municipal, na qualidade de representante legal do Município e Chefe do Poder Executivo a responsabilidade pela execução orçamentária e a contabilidade do Município, entretanto, a utilização de sistema único de execução orçamentária e financeira não interfere na autonomia dos Poderes, sendo preservada a independência administrativa e financeira do Legislativo.” ● Para fins de implantação do SIAFIC, ficará o Chefe do Poder Executivo

Municipal responsável pela contratação, manutenção e gerenciamento do Sistema de Contabilidade Único, além das definições das regras contábeis e

(5)

das políticas de acesso e segurança da informação, aplicáveis aos Poderes Executivo e legislativo, e todos os órgãos da Administração Direta e Indireta, sendo facultado o rateio das despesas.

● Caso o Município já possua um Sistema de Contabilidade (SIAFIC), não será necessária a implementação de nova versão, decorrente de novo desenvolvimento, mas tão somente a renovação ou revisão contratual com o mesmo fornecedor, conforme a legislação aplicável de contratação pública. Isto garante a migração integral e tempestiva dos dados e das informações existentes no período em que será implantado o SIAFIC, como também proporciona a continuidade da geração de informações contábeis, orçamentárias, financeiras e fiscais, de forma que as informações de transparência sejam mantidas integralmente, sem prejuízo dos períodos anteriores.

● O Sistema de Contabilidade – Siafic, será único para os Poderes Executivo e Legislativo Municipal e para todas as Unidades Gestoras da Administração Direta e Indireta do Município, e permitirá, ainda, a integração com outros sistemas estruturantes (ex.: Sistemas integrados de folha de pagamento, tributário, controle de patrimônio, almoxarifado, licitações e contratos, etc.), conforme previsão constante do Decreto Federal nº 10.540/2020.

Portanto, é vedada a existência de mais de um Siafic (Sistema de Contabilidade) na mesma esfera Municipal, mesmo que estes permitam a comunicação, entre si, por intermédio de transmissão de dados. Dessa forma, não será permitido o uso de sistemas diferentes entre órgãos, mesmo que estes consigam exportar/importar informações contábeis.

(6)

3. DÚVIDAS SOBRE SICONFI E SIAFIC

Para a devida aplicação do SIAFIC, torna-se necessário distinguirmos algumas diferenças entre o SICONFI – Sistema de informações Contábeis e Fiscais do Setor Público e o SIAFIC – Sistema Único e Integrado de Execução Orçamentária, Administração Financeira e Controle.

SICONFI SIAFIC

Sistema desenvolvido como um instrumento para, dentre outros objetivos: facilitar a produção e a análise de informações contábeis e fiscais, padronizar os mecanismos de consolidação e aumentar a qualidade e confiabilidade das informações contábeis, financeiras e de estatísticas fiscais recebidas dos municípios, estados, Distrito Federal e União.

Solução de tecnologia da informação mantida e gerenciada pelo Poder Executivo (sistema contábil), que tem como finalidade registrar os atos e fatos relacionados à administração orçamentária, financeira, patrimonial e de controles.

BASE LEGAL (Art. 48, da LRF) § 2º. A União, os Estados, o Distrito

Federal e os Municípios disponibilizarão suas informações e dados contábeis, orçamentários e fiscais conforme periodicidade, formato e sistema estabelecidos pelo órgão central de contabilidade da União, os quais deverão ser divulgados em meio eletrônico de amplo acesso público. (Incluído pela Lei Complementar nº 156, de 2016).

§ 6º. Todos os Poderes e órgãos referidos no art. 20, incluídos autarquias, fundações públicas, empresas estatais dependentes e fundos, do ente da Federação devem utilizar sistemas únicos de execução orçamentária e financeira, mantidos e gerenciados pelo Poder Executivo, resguardada a autonomia. (Incluído pela Lei Complementar nº 156, de 2016).

(7)

Com essas premissas, vale destacar:

● SIAFIC não veio para substituir o SICONFI;

● O SICONFI é uma ferramenta que tem por finalidade receber e analisar as informações contábeis, orçamentárias e fiscais, geradas pelo SIAFIC.

4. DEFINIÇÕES BÁSICAS SOBRE O SIAFIC

Sistema Único - sistema informatizado cuja base de dados é compartilhada entre os seus usuários, observadas as normas e os procedimentos de acesso. Ele permite a atualização, a consulta e a extração de dados e de informações de maneira centralizada (banco de dados único).

Sistema Integrado - sistema informatizado que permite a integração ou a comunicação com outros sistemas estruturantes (ex.: Sistemas de folha de pagamento, tributário e nota fiscal, controle patrimonial, almoxarifado, portal da transparência, licitações e contratos, etc.), cujos dados possam afetar as informações orçamentárias, contábeis e fiscais, tais como controle patrimonial, arrecadação, contratações públicas, dentre outras.

Base de Dados - conjunto de dados inter relacionados, organizados de forma a permitir a recuperação da informação de maneira centralizada, mediante o uso de um sistema único.

Disponibilização de informações em tempo real - a disponibilização das informações até o primeiro dia útil subsequente à data do registro contábil no SIAFIC, sem prejuízo do desempenho e da preservação das rotinas de segurança operacional necessários ao seu pleno funcionamento.

(8)

Meio eletrônico de amplo acesso público - São os sistemas, painéis de visualização de dados e sítios eletrônicos que não exijam cadastramento de usuário ou utilização de senha para acesso.

Unidade gestora - É a unidade orçamentária ou administrativa que realiza atos de gestão orçamentária, financeira ou patrimonial, cujo titular está sujeito à prestação de contas anual.

Padrão mínimo de qualidade - É o conjunto de características ou requisitos gerais, contábeis, de transparência da informação e tecnológicos a serem atendidos pelo SIAFIC.

Documento de suporte - documento, físico ou eletrônico, gerado ou não pelo SIAFIC, que comprova a transação na entidade do setor público, utilizado para a sustentação do registro contábil, tais como notas fiscais, contratos e recibos.

Documento contábil - documento gerado pelo SIAFIC que origina lançamentos contábeis, tais como notas de empenho, notas de autorização de despesas, notas de lançamento, notas de dotação, notas de movimentação de crédito, dentre outros.

Sistema estruturante - sistema com suporte de tecnologia da informação fundamental e imprescindível para o planejamento, coordenação, execução, descentralização, delegação de competência e controle das ações municipais, além de outras atividades auxiliares, comum a dois ou mais órgãos da administração pública e que necessite de coordenação central, tais como: Sistemas de folha de pagamento, tributário e nota Fiscal, controle patrimonial, almoxarifado, portal da transparência, licitações e contratos, etc., cujos dados

(9)

possam afetar as informações orçamentárias, contábeis, fiscais e de controle das Unidades Gestoras do Município.

5. PADRÃO MÍNIMO DE QUALIDADE

Este tópico contém os seguintes requisitos: ● Requisitos dos procedimentos contábeis; ● Requisitos de Transparência da Informação; e ● Requisitos tecnológicos.

Sobre os tópicos acima, o Decreto Federal veio detalhar, em níveis mais abrangentes, vários requisitos já atendidos pelos sistemas de contabilidade atuais dos municípios, acrescendo apenas alguns outros controles que deverão ser ajustados até o final de 2022, para início em 1º de janeiro de 2023, quando entrará em vigor o SIAFIC, com todos os requisitos previstos pelo Decreto Federal nº 10.540/2020.

Dessa forma, em atendimento ao Decreto do Governo Federal mencionado anteriormente (art. 18, parágrafo único) os Entes Federativos deverão estabelecer no prazo de 180 dias um Plano de Adequação ao referido dispositivo, contados da data de publicação do citado decreto (5 de novembro de 2020).

Para contribuir com as Gestões Municipais, já apresentamos todos os requisitos necessários, juntamente com o Plano de Adequação, conforme comunicado enviado aos nossos clientes e usuários dos Sistemas Aspec, contendo um modelo sugestivo de Decreto Municipal para atender ao prazo legal.

No referido modelo, já estão inclusos os requisitos relacionados aos procedimentos contábeis, transparência da informação e as condições tecnológicas, assim como também, alguns requisitos gerais, os quais podem sofrer

(10)

aos padrões mínimos exigidos em relação ao SIAFIC, motivo pelo qual não serão descritos neste pequeno resumo sobre o Decreto Federal nº 10.540/2020, por já se encontrarem no modelo enviado aos clientes da Aspec.

6. PRAZOS

Até o dia 5 de maio de 2021 – Definição do Plano de Adequação voltado para implementação dos requisitos mínimos de qualidade do SIAFIC.

A partir de 1º de janeiro de 2023 – Entrada em vigor do SIAFIC.

7. CONCLUSÃO

Embora o tema já esteja sendo discutido por diversas Entidades Governamentais, Associações e Confederações de Municípios, incluídos órgãos de Controle externo e entidades privadas, achamos oportuno dar a nossa contribuição para nossos clientes e usuários dos Sistemas Aspec, através do presente resumo sobre o SIAFIC.

Aos que ainda não elaboraram o Termo de Adequação, nosso modelo sugestivo encontra-se disponível através deste link. Caso tenha dificuldade em acessar, o documento poderá ser requisitado junto ao nosso setor de Atendimento: Ceará -atendimento@aspec.com.br;

Pará - para@aspec.com.br;

Maranhão -maranhao@aspec.com.br;

Rio Grande do Norte -riograndedonorte@aspec.com.br. Fontes: STN, SERPRO, TCE-MS, CNM

(11)

Imagem

temas relacionados :