A casa e a vida dele segue um código cavalheiresco de vassalagem medieval, sendo que os criados juram lealdade eterna a seu senhor.

Texto

(1)

O GUARANI

 Ano 1604.

 D. Antônio Mariz, pai da heroína Ceci (Cecília), um

fidalgo português que participou da fundação da cidade do Rio de Janeiro, em 1567.

 Decidiu permanecer no Brasil, ele se fixa no Rio de

Janeiro em terras que foram oferecidas por Mem de Sá como retribuição a serviços prestados à Coroa.

 A casa de D. Antônio é construída tendo-se como

(2)

 A casa e a vida dele segue um código cavalheiresco

de vassalagem medieval, sendo que os criados

juram lealdade eterna a seu senhor. Assim, o clima na propriedade é de um espírito patriótico e leal à Portugal. Lá habitavam, além da família, cavaleiros, aventureiros, fidalgos e até mercenários em busca de ouro e prata.

 Esses eram liderados pelo ex-frei Ângelo di Lucca,

que agora atendia pelo nome de Loredano. Ele era um homem desalmado que abusava da

cordialidade de D. Antônio e planejava destruir a família desse e raptar sua filha Cecília.

(3)

 O filho de D. Antônio mata uma índia da tribo aimoré por acidente durante uma caçada, o que deixa a tribo enfurecida e com sede de vingança. Então, dois índios aimorés vigiam Ceci enquanto a moça se banhava e se preparam para matá-la quando são mortos pelas

flechadas certeiras de Peri. Uma índia aimoré que viu todo o ocorrido relata os fatos para sua tribo e isso

acaba desencadeando uma guerra entre a família de D. Antônio e os aimoré.

 Álvaro é um jovem nobre apaixonado por Ceci, mas

cujo amor não é retribuído. Ele irá se envolver com Isabel, filha bastarda de D. Antônio e apresentada oficialmente como sendo prima de Ceci.

 A guerra com os aimoré torna-se mais tensa e Peri

resolve entregar-se a um ato heroico de sacrifício. Peri toma veneno e vai lutar na própria aldeia aimoré. Assim, após Peri morrer em combate, os índios iriam devorar

(4)

 Esta seria a única solução para a guerra, mas

Álvaro o salva. Diante o desespero de Ceci ao saber de tudo, Peri resolve tomar um antídoto e sobrevive. Álvaro falece em combate e Isabel se suicida.

 O cerco dos aimoré chega a um nível muito

perigoso para a família do fidalgo e D. Antônio pede a Peri para que ele se converta ao

cristianismo e fuja com Ceci. Assim, os dois jovens fogem em uma canoa pelo Rio Paquequer e

(5)

 Ceci, que estava entorpecida com um

vinho dado por seu pai, acorda e Peri relata a ela todo o ocorrido. Ela fica

atormentada e resolve viver com Peri no meio da mata. A forte tempestade que estava caindo faz a água dos rios

(6)

Teatro Romântico

 Era proveniente da Europa

 Principal objetivo agradar às elites brasileiras

 A dramaturgia brasileira era baseada na europeias,

ainda não havia uma discussão sobre o perfil do teatro brasileiro.

 Martins Pena passou a refletir as cenas e as problemáticas da realidade brasileira.

(7)

Martins Pena

 Suas obras estão classificadas no gênero "comédia

de costumes“

 Retrato de situações cômicas da realidade

brasileira compondo uma espécie de sátira social.

 Criou tipos característicos e situações peculiares tanto no ambiente urbano quanto no ambiente rural.

 O malandro, o estrangeiro e a mulher (responsável

(8)

Sátira dos costumes da classe média

carioca do século XIX, principalmente, com

relação aos relacionamentos amorosos e a

busca pela ascenção social.

Escreveu, durante sua curta vida, cerca de

28 peças tendo 19 delas sido encenadas na

época.

Suas peças mais famosas são: O juiz de paz

na roça (1842), Casadas solteiras (1845)

(9)

Juiz de paz na roça

 Ambiente : a roça  Época : século XIX

 Enredo: um juiz de paz, que é um pequeno

corrupto, usa a autoridade e inteligência para lidar (e suportar) com a absurda inocência dos roceiros, que lhe trazem os mais cômicos casos. O escrivão aparece como servo mais próximo do juiz e viabiliza suas ordens; no entanto, não é intencionalmente

corrupto e chega a surpreender-se com algumas

decisões de seu superior. Manoel João e sua família formam o núcleo mais importante da peça. Os

(10)

Os dois ou o inglês

maquinista

 Ambiente: na sala de estar de Clemência.  Peça em um ato

 Na cena inicial estão presentes as moças da

família, Negreiro e Felício, que conversam sobre os acontecimentos que leem no Jornal.

 Felício e Mariquinha estão apaixonados.

 Há outros pretendentes: Negreiros (traficante de

(11)

 Felício traça um plano: fala ao Inglês que Negreiros o

havia chamado de especulador, depois, vai até Negreiros e o convence que o Sr. Gainer vai denunciá-lo às

autoridades inglesas. Com a briga dos dois descobre-se que na realidade Clemência queria ela mesma se casar com o inglês e não dar a mão da filha. Ela resolve então escrever uma carta ao Sr. Gainer para propor casamento a ele.

 No momento em que realiza o pedido, no entanto, volta

seu marido, que todos acreditavam estar morto.

 Escondido em um canto, o marido ouve toda a conversa

entre o inglês e a esposa, assim como a troca de

confidências entre Mariquinha e Felício. O desfecho da história acontece quando Alberto sai de seu esconderijo e proíbe a mulher de se casar novamente, ao mesmo

Imagem

Referências

temas relacionados :