Texto

(1)

1

GT 2 B – Tecnologias na sala de aula

“REFLEXÕES SOBRE A FORMAÇÃO CONTINUADA DE

PROFESSORES NA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA”.

Jacks Richard de Paulo – UFOP Professor Assistente jacks@cead.ufop.br Maria Antonia Tavares de Oliveira Endo Professor Assistente mariantonia@cead.ufop.br

RESUMO

A formação continuada de professores, na modalidade à distância, tem como proposta possibilitar aos docentes uma reflexão sobre sua prática pedagógica com vistas a redimensioná-la frente ao contexto atual caracterizado por intensas transformações. Procurou-se nesta reflexão destacar a importância da mediação pedagógica por meio das Tecnologias da Informação e Comunicação (TICs), na sala de aula, como forma de superar os desafios de uma sociedade em contínua mudança e que apresenta novas exigências.

Palavras-chave: formação continuada, prática pedagógica, TIC.

ABSTRACT

The continuous education of teachers, in the distance learning modality, aims at providing instructors with the opportunity to reflect upon their pedagogical practices, reviewing such practices in light of the current modern context, characterized by intense transformation. As part of this reflection, we stress the importance of the use of Information and Communication Technology, in the classroom, as a way to overcome the challenges of a society undergoing continuous change and that presents new demands.

(2)

2 INTRODUÇÃO

A população mundial, a partir do século XX, vive um período caracterizado por intensas mudanças de ordem econômica, política, social, educacional, entre outras. Neste cenário de mudanças dos mais diversos segmentos profissionais, torna-se fundamental a busca de informações constantes que satisfaçam as necessidades básicas em relação ao desempenho das atividades profissionais.

Neste contexto atual de mudanças, as pesquisas têm demonstrado a necessidade de aprimoramento profissional, sobretudo na área educacional, cujas novas tecnologias aliadas aos meios de comunicação possibilitam aos alunos, de forma rápida e simultânea, o acesso a diversas informações. Desta forma, os profissionais da educação, principalmente os professores, buscam constantemente por informações e por formas de intervenções inovadoras que possibilitem melhorias no processo de ensino aprendizagem, não se atendo apenas a utilização do livro didático.

Atualmente, em meio a essas transformações, destaca-se o ensino a distância, que tem como objetivo principal eliminar as barreiras geográficas e promover o acesso à educação de qualidade. Dessa forma, vivenciamos a experiência dos ambientes virtuais de aprendizagem que tornam possível a formação continuada de grande parte da população.

(3)

3

No curso em questão, o uso das TICs possibilitou aos alunos, de forma dinâmica, uma melhor interação de informações e, sobretudo, estabelecer reflexões sobre as diferentes concepções metodológicas e suas repercussões no processo de ensino e aprendizagem. Nesta ótica, adotou-se uma perspectiva sociointeracionista de aprendizagem e na dinâmica de formação foram contempladas estratégias coletivas e individuais de estudo, pautadas no tripé ação-reflexão-ação. Ou seja, foram propostas atividades em que os professores fossem levados a teorizar a própria prática e a ela retornar para levantar hipóteses e construir os saberes docentes necessários à ação pedagógica cotidiana.

A cuidadosa elaboração dos conteúdos e o desenho do curso, apropriado para o ambiente virtual no ensino a distância, não representam apenas uma mudança nos meios, mas sim a possibilidade de exercitar um novo paradigma educacional, pautado na reflexão sobre a respectiva prática docente.

FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA

Ao longo da história da humanidade o homem vem aprimorando técnicas em sua relação com a natureza, tendo em vista a obtenção de alimentos, abrigo, enfim, sua própria sobrevivência. A partir dessas buscas constantes, surgem as TICs. Conforme Moran (2007), em meio às novas tecnologias, destaca-se o intenso uso do computador, que com a internet, permite comunicação interativa em tempo real. Nessa compreensão, as nossas vidas são influenciadas pelas tecnologias, o que no contexto escolar também não é diferente.

(4)

4

Segundo Belloni (1999), é oportuno que os professores tentem se apropriar das tecnologias como subsídios para sua prática pedagógica, considerando que não há condições de negar as intensas mudanças que estas vêm proporcionando e, assim, não há como permanecerem alheios a todo esse movimento em curso.

Almeida (2008) aponta que com o desenvolvimento das TICs, as sofisticadas redes de transmissão e comunicação vêm sendo apropriadas pela Educação a Distância, pois além de facilitarem o acesso à escolaridade por pessoas radicadas em áreas mais distantes, o uso das tecnologias, nesta modalidade de ensino, também chega à sala de aula da educação básica através da capacitação. Dessa maneira, o professor da educação básica tem refletido sobre as contribuições sobre a utilização desses recursos, além de repensar sobre a sua prática, pois requer um novo conceito de aula, um novo conceito de mediação e até a avaliação do processo tem de ser diferente. Portanto, ela permeia o currículo para atender a essas novas expectativas (VALENTE, 2003).

A partir dessas perspectivas, o ensino a distância tem contribuído para o redimensionamento das práticas de ensino a partir de cursos de formação continuada. Em tais cursos, o ambiente virtual de aprendizagem (AVA) tem viabilizado a interação entre os alunos, tutores e professores (TORRES& IRALA, 2007). Para tal, o ambiente virtual de aprendizagem é desenhado sob o propósito da necessidade de oferecer aos alunos um espaço virtual, cujo contexto seja compartilhado. Nessa perspectiva, é preciso que haja compartilhamento de ferramentas de comunicação e de gerenciamento de informações que atuem como canais de mediação digital, permitindo que os estudantes do curso interajam para uma produção coletiva.

Segundo Belloni (1999), a aprendizagem colaborativa e o compartilhamento de informações e de metodologias de interação possibilitam uma prática mais inovadora e, principalmente, reflexiva e mais autônoma, que vão em direção aos propósitos e objetivos desenvolvidos no âmbito da educação a distância.

(5)

5

sobre o aluno como uma via de mão única. Refletindo sobre essa perspectiva, Freire (2007) diz: "o ensinar inexiste sem aprender e vice-versa", e nessa dinâmica o educando tem a possibilidade de refletir sobre sua atuação contínua para a construção de saberes. Portanto, "ensinar não é transferir conhecimentos, mas criar as possibilidades para sua produção ou a sua construção" ao longo de toda a vida.

Dessa forma, o homem sempre busca e tenta conhecer a si próprio e suas relações de liberdade na sociedade. Essa liberdade depende da forma como agimos em relação ao outro, pois vivemos em grupo e, para tal, necessitamos compartilhar idéias e pensamentos. Portanto, o homem necessita ser crítico e conhecedor das tecnologias para ter liberdade na sua relação com o outro (SANCHO & HÉRNANDEZ, 2006). Por conseguinte, compreende-se a educação como um instrumento de libertação, pois os sujeitos no ato de produzir saberes, de compreender e de transformar a realidade se libertam. Só que esse saber tem de fazer parte da vida como um processo contínuo.

Nesse contexto, a formação continuada e/ou permanente do docente torna o educando um sujeito aprendente e com isso mais livre para criar, refletir e conquistar o seu espaço (MARCELO, 1998). Verifica-se na literatura um consenso sobre as novas tecnologias de informação, pois as mesmas fazem intensa diferença hoje, nesse cenário de transformações tão rápidas em muitos aspectos da vida cotidiana (ASSMANN, 2001).

O professor, ao longo da história da educação, direcionou sua ação para o cuidado e para a assistência aos alunos sob sua responsabilidade. Atualmente, a escola ganha outra amplitude e sentido, revelando sua nova função, que é a transformação cultural dos objetos de conhecimento. Tal perspectiva faz com que o professor se capacite cotidianamente e reflita sobre sua prática, como diz Paulo Freire (2007), “A prática de pensar a prática é a melhor maneira de pensar certo”.

(6)

6

atual o professor necessita de uma prática capaz de envolver alunos, colegas e comunidade para a construção do conhecimento.

METODOLOGIA

Atualmente, o ensino a distância tem sido compreendido pela sociedade, de uma maneira geral, como uma possibilidade de formação inicial e continuada de professores em diferentes regiões do Brasil, consideradas como áreas de difícil acesso à escolarização, sobretudo pelo distanciamento geográfico dos grandes centros e de instituições de ensino superior.

Dessa forma, nesse trabalho pretende-se refletir sobre os relatos de alunos que ingressaram em um curso de formação continuada na modalidade de ensino a distância, ofertado pelo CEAD/UFOP. Para tal, foi enviado um questionário para cada aluno ingressante no referido curso, visando compreender as expectativas e as possíveis contribuições dessa formação continuada para os professores que atuam na educação básica.

Antes do envio do questionário ao aluno, realizou-se uma pesquisa exploratória acerca da produção a respeito do ensino a distância e da formação continuada de professores. Após o recebimento dos questionários foi possível estabelecer o agrupamento de informações e levantar as informações necessárias para reflexão.

ANÁLISE DE RESULTADOS

(7)

7

Os alunos descrevem que o curso possibilita aos professores um novo olhar sobre o ensino e aprendizagem a partir do uso das TICs, seja na sala de aula, seja na própria escola, pois com o acesso à internet as pessoas chegam constantemente com novas informações, e que em alguns casos o professor não faz uso do computador, como exemplifica a fala desta aluna: “As pessoas mais velhas têm dificuldades na hora do intervalo nas escolas, pois muitos assuntos têm apenas que ouvir e não opinar. Lembro-me sobre os comentários da utilização do computador em sala de aula, tinha até medo que alguém me perguntasse alguma coisa. Agora, além de utilizar o computador sem medo, sou capaz de pesquisar e mudar constantemente minhas aulas”.

Nas instituições de ensino os profissionais participam de diversos projetos. Nesses, a maioria das vezes, necessitam de conhecimentos de informática. Além disso, as escolas, recentemente e aos poucos, estão sendo equipadas com computadores. Outra situação refere-se à informatização da secretaria e administração da escola, tornando-se fundamental o conhecimento deste e de outros recursos tecnológicos. As discussões fomentadas no curso de formação continuada propiciam melhorias nas aulas e respectivamente na aprendizagem dos alunos, conforme a descrição da aluna: “Os saberes docentes são dinâmicos, pois são carregados de informações adquiridas durante a formação inicial e ao longo da vida. Estes possibilitam inúmeras atividades inovadoras que, se trabalhados de forma significativa aos alunos, permitem melhores resultados no processo de ensino-aprendizagem”.

(8)

8

Muitos alunos relatam que compartilhar informações com os colegas é extremamente importante para o desenvolvimento de atividades, a partir das experiências desenvolvidas em outras instituições, conforme diz a aluna: “com a proposta desta formação em um ambiente de interação virtual, posso compartilhar diferentes experiências com profissionais que estão a mais tempo na docência assim como com os iniciantes, estabelecendo um elo de trocas de conhecimento muito importante”.

Hoje, os ambientes escolares que fazem uso do ensino a distância representam uma nova realidade no processo de ensino e aprendizagem, capaz de potencializar o acesso à informação e à produção do conhecimento, o que de certa forma contribui para o rompimento de um quadro de desigualdades que se consolidou por vários séculos em nosso país.

CONCLUSÕES

As concepções sobre as práticas docentes não se formam a partir do momento em que os alunos e professores entram em contato com as teorias pedagógicas, mas encontram-se enraizadas em contextos e histórias individuais que antecedem, até mesmo, a entrada deles na escola, estendendo-se a partir daí por todo o percurso de vida escolar e profissional.

Dessa forma, a possibilidade de os professores repensarem a trajetória de sua profissionalização, trabalharem com significações e refletirem sobre sua prática e ao mesmo tempo reconstruí-las, legitima seu trabalho para uma formação mais democrática de construção do conhecimento.

(9)

9

uma busca constante por uma prática diferenciada que contemple os novos recursos inseridos no processo de ensino e aprendizagem.

O acesso à formação continuada contribui para o ensino e aprendizagem na educação básica, além de capacitar os professores para o uso das tecnologias e das diferentes metodologias de ensino que representam uma realidade cotidiana no contexto atual em que vivemos. Assim, o aluno tem a possibilidade de desenvolver os seus estudos em diferentes áreas do conhecimento e com aplicação prática da realidade que o cerca.

REFERÊNCIAS

ALMEIDA, M. E.B. Tecnologias na Educação: Os caminhos trilhados aos atuais desafios. Rio Claro: Bolema, vol.1, p.99-129, 2008.

ASSMANN, H. 2001 A metamorfose do aprender na sociedade da informação. Ci. Inf. v.29 n.2 Brasília maio/ago. 2000

http://www.scielo.br/pdf/ci/v29n2/a02v29n2.pdf

BELLONI, M. L. Educação a Distância. Campinas: Autores Associados. 1999. BELLONI, M. L. Tecnologia e Formação de Professores: Rumo a uma Tecnologia pós-moderna? Edu.soc.vol. 19, n.65. Campinas. 1998.

FONTANA, R. A. C. Mediação Pedagógica na sala de aula. 3ª Ed. Campinas: Autores Associados. 2000.

FREIRE, P. Pedagogia da Autonomia. 36ª Ed. São Paulo: Editora Paz e Terra. 2007.

MARCELO, C. Pesquisa sobre a formação de professores – o conhecimento sobre aprender a ensinar. Revista Brasileira de Educação. ANPED. Nº 9, 1998. MORAN, J. M. Os novos espaços de atuação do professor com as tecnologias. Anais do XII ENDIPE. Curitiba. 2007.

SANCHO, J. M. HÉRNANDEZ, F. De tecnologias da informação e comunicação a recursos didáticos. Tecnologias para transformar a educação. Porto Alegre: Artmed, 2006.

(10)

10

Imagem

temas relacionados :