• Nenhum resultado encontrado

Universidade Federal do Vale do São Francisco UNIVASF Pró-Reitoria de Integração aos Setores Comunitários e Produtivos - PROIN

N/A
N/A
Protected

Academic year: 2021

Share "Universidade Federal do Vale do São Francisco UNIVASF Pró-Reitoria de Integração aos Setores Comunitários e Produtivos - PROIN"

Copied!
7
0
0

Texto

(1)

Universidade Federal do Vale do São Francisco – UNIVASF

Pró-Reitoria de Integração aos Setores Comunitários e Produtivos - PROIN Programa Institucional de Bolsas de Integração – PIBIN 2012/2013

ANEXO II – Modelo de Proposta Título:

No palco, o diabetes é protagonista. Na plateia, a saúde é promovida!

Colegiado Proponente:

Colegiado de Ciências Farmacêuticas e Colegiado de Medicina.

Coordenador:

David Fernando de Morais Neri

Equipe

Nome Unidade Categoria Profissional Função no Projeto

Braz José do Nascimento Júnior CFARM Professor

Álvaro Daniel de Carvalho CMED Estudante Voluntário

Camilla Souza Fonseca CMED Estudante Voluntário

Ísis Cavalcante Amaral CFARM Estudante Voluntário

Juliana Fonseca Benevides CMED Estudante Voluntário

Kamila Tavares de Oliveira Alves CFARM Estudante Voluntário

CMED Marília Branco Freitas CMED Estudante Voluntário

Mayana Rufino Lima CMED Estudante Voluntário

Naiane Faria Widmer CMED Estudante Voluntário

Roanna Clícia Moreira Béda CMED Estudante Voluntário

Tássia Aires de Castro CMED Estudante Voluntário

Área temática: Saúde

Linha de Extensão: Saúde da família

Fundamentação Teórica Apresentação:

Nesse projeto, os jovens e adolescentes serão motivados a adotarem uma postura de agentes de transformação e conscientizados da responsabilidade da co-participação em sua própria saúde. Vasconcelos (2001)1 alega que é importante trabalhar pedagogicamente

(2)

o homem e os grupos envolvidos no processo de participação popular, fomentando formas coletivas de aprendizado e investigação de modo a promover o crescimento da capacidade de análise crítica sobre a realidade e o aperfeiçoamento das estratégias de luta e enfrentamento

Para que a educação em saúde seja eficiente é preciso incutir no educando a necessidade de autonomia, além do interesse pela promoção da saúde individual e coletiva que Segundo Arroyo (2001)2 pode ser vista sob dois prismas. No primeiro, enfatiza-se o

poder e a autonomia. No segundo, a formação de condutas. Aqueles que vinculam a educação em saúde à busca de autonomia e poder se voltam para a construção de processos de participação popular como uma prática social de organização da vida cotidiana, ampliando, por exemplo, a participação da população no acesso e gestão de bens e serviços públicos. Em se pensando nas técnicas educacionais que levam o educando ao aprendizado, a educação em saúde possui o recurso do teatro que pode ser visto como arte cénica e como método educativo em saúde, pois consegue estimular o lúdico, abrangendo a criatividade e o aprendizado pela descontração. Com esse pensamento, Antunes (1999)3

afirma que um dos possíveis mediadores do processo ensino-aprendizagem seria a atividade lúdica, figurando-se como método alternativo que auxilie esse processo. Nesse sentido, verifica-se que o lúdico contempla os critérios para uma aprendizagem efetiva, no

sentido de que chama a atenção para um determinado assunto

(intencionalidade/reciprocidade), seu significado pode ser discutido entre todos os participantes e o conhecimento gerado a partir da atividade lúdica pode ser transportado para o campo da realidade, caracterizando a transcendência.

O envolvimento e a interação como público devem ser de tal forma que minimizem os papeis de espectadores, atores e diretores, para tornar a história retratada menos teórica e mais coloquial, menos utópica e mais real, menos distante e mais próxima da vida de todos. Nesse sentido, o teatro para Vieira et al (1999)4 é uma arte dramática embasada nas representações de momentos, situações ou problemas, que engloba a criatividade e a aprendizagem por meio do lúdico, proporcionado ao público o uso da imaginação, ajudando a exercitar a linha de raciocínio.

Por todos os benefícios que o teatro pode proporcionar, uma linguagem que pode se aproximar da forma que as pessoas reais se comunicam e sua importância na educação em todos os campos de atuação, ele se torna numa ferramenta poderosa na educação popular em saúde. Por isso, Cavassin (2008)5 afirma que os princípios pedagógicos do Teatro traçam relações claras entre Teatro e educação, considerando essa arte como uma forma humana de expressão, a semiótica e a cultura. Daí a ênfase em aspectos cênicos, simbólicos, de linguagem e comunicação que vem características essencialmente humanas, pois a imaginação é a característica essencial que diferencia o homem dos primatas superiores, e, essa é essencialmente dramática.

(3)

Além das artes cênicas, a música educativa com a utilização de instrumentos musicais e o canto coral ou em grupo podem ser fortes aliados didáticos, pelo poder lúdico que auxilia na educação comunitária em saúde. O canto coral tem a vantagem de proporcionar a divisão de vozes masculinas e femininas (tenor, baixo, barítono, sobrano, contralto e meso sobrano) e de dispensar a execução ao vivo de um instrumento musical como acompanhamento, podendo se utilizar para acompanhar as vozes, play-back ou a técnica “a cappella”(canto vocal sem acompanhamento instrumental). Sobre canto coral, Fucci Amato (2007)6 afirma que é uma relevante manifestação educacional musical e em

uma significativa ferramenta de integração social.

Justificativa:

O Diabetes Mellitus configura-se hoje como uma epidemia mundial, traduzindo-se em grande desafio para os sistemas de saúde de todo o mundo. A adoção de estilos de vida pouco saudáveis, como sedentarismo, dieta inadequada e obesidade, são os grandes responsáveis pelo aumento da incidência e prevalência do diabetes em todo o mundo.

No Brasil, o Ministério da Saúde estima que existam 12,5 milhões de diabéticos - muitos deles sem diagnóstico. Além disso, calcula-se que, em 2025, esse número ultrapasse 17 milhões de pessoas. Em Petrolina, não é diferente, onde a média de acometidos é maior que a média nacional e da região nordeste, chegando a atingir mais de 90/100 mil habitantes e esse número só vem aumentando.

A doença gera grande impacto econômico para os sistemas de saúde e a sociedade, devido ao tratamento e às complicações desencadeadas, como a doença cardiovascular, diálise por insuficiência renal crônica e cirurgias para amputações de membros inferiores. Tudo pode ser evitado ou minorado com diagnóstico precoce, tratamento oportuno e adequado e educação para o autocuidado.

Neste último aspecto, as ações lúdicas entram como fator de grande importância, pois tendem a diminuir a ansiedade, aumentar a concentração, elevar o aprendizado, criar curiosidade e possibilitar um ambiente interessante para poder cuidar do corpo de forma criativa e divertida. A utilização do lúdico para promoção da saúde fundamenta-se como estratégia que objetiva reorientar o modelo assistencial, sendo pautada nos princípios da universalidade, integralidade e equidade, por meio de um trabalho interdisciplinar com vistas a incluir a família e ultrapassar o cuidado focalizado na doença.

Os indivíduos e as comunidades devem ter oportunidades de conhecer e controlar os fatores determinantes da sua saúde. Neste sentido, promover a saúde demanda atitude como cidadãos, como educadores e como membros de equipes de saúde, procurando assegurar o direito à informação em relação à prevenção, promoção e proteção da saúde. As ações educativas têm a capacidade de serem dirigidas às transformações de comportamento humano no contexto cultural, focando o seu estilo de vida, como também promover mudanças benéficas nesse assunto.

(4)

Iniciativas como o “Dia Mundial do Diabetes” têm chamado a atenção da população para a prevenção desta patologia, mas ainda não têm sido suficientes. Assim, diante do exposto, observa-se a importância da prevenção como fator contribuinte para a redução da incidência e da prevalência do diabetes, sendo o lúdico uma forma original e criativa para promover ações de promoção à saúde.

Objetivos:

Geral

Contribuir com a promoção e educação em saúde de forma lúdica, através das artes cênicas e de atividades musicais, a fim de levar orientações de cuidados com o Diabetes à cidade de Petrolina, reduzindo, assim, a incidência e prevalência dessa patologia na região.

Específicos

• Pesquisar os maiores problemas/dificuldades enfrentados pelos diabéticos na cidade de Petrolina;

• Criar a história que será apresentada no formato de peça teatral; • Determinar os personagens da peça;

• Confeccionar os vestuários dos personagens; • Ensaiar os textos que serão apresentados; • Produzir material impresso sobre o assunto;

• Compor a trilha sonora do projeto sobre o tema abordado; • Produzir e gravar um CD, em estúdio, da trilha sonora;

• Determinar a logística de visitas às escolas da cidade de Petrolina;

• Colaborar na formação dos estudantes e no desenvolvimento social da região do Vale do São Francisco;

• Orientar a população da região através de uma atuação preventiva, com orientações sobre os cuidados com a saúde;

• Aplicar um questionário de avaliação do trabalho apresentado;

• Ampliar as oportunidades educacionais de capacitação de recursos humanos; • Registrar em fotos e vídeos todas as etapas de realização do projeto;

• Desenvolver e manter atualizado um site de divulgação do projeto.

Metas:

• Distribuir CD com a peça gravada para os participantes;

• Entregar folders com informações de cuidado e prevenção nas escolas públicas; • Visitar 5 escolas públicas de ensino médio no Período de 5 meses;

(5)

Resultados Esperados:

Sabe-se que o ensino através de atividades lúdicas proporciona uma linguagem próxima com os espectadores, na qual a criatividade e a descontração estão presentes e, por isso, a comunicação se torna atrativa, transformando-se em uma ferramenta poderosa em educação e saúde. Como efeito, espera-se que as orientações sob a forma lúdica atinjam eficientemente o público alvo, dissociando-se continuamente pela comunidade. Assim, espera-se:

• Prevenir e reduzir os danos causados pelo diabetes, uma vez que as informações sobre

atitudes e habilidades mantenedoras de uma vida saudável serão transmitidas. Dessa forma, além dos atores, os espectadores também serão agentes de transformação social, possibilitando, assim, a difusão contínua do que foi encenado no palco para a comunidade;

• Consolidar o conhecimento adquirido pelos estudantes envolvidos no projeto nos três

pilares da Universidade (ensino, pesquisa e extensão) e ser um exemplo e incentivo às pessoas, estando elas na criação, atuação ou como espectadores, obtendo, então, recursos humanos capacitados a desenvolver novos projetos voltados à promoção e educação em saúde;

• Fazer do jovem detentor da informação um disseminador e, portanto, promotor da saúde;

• Obter um site onde estará disponível tanto o processo para execução do projeto –

visando incitar iniciativas semelhantes – como os resultados do projeto, assim como material produzido, a fim de garantir amplo acesso aos interessados e garantindo uma maior disseminação da informação a nível nacional;

• Descobrir outras possíveis demandas de conhecimento de educação em saúde da

comunidade no município, buscando atendê-las direta ou indiretamente.

Referência Bibliográfica:

[1] VASCONCELOS, E. M. Redefinindo as práticas de saúde a partir de experiências de educação popular nos serviços de saúde. Interface — Comunic., Saúde, Educ., v.5, n.8, p.121-6, 2001.

[2] ARROYO, M. G. A Prática Educativa como Projeto de Construção dos Sujeitos: Os Espaços, as Tensões entre as populações, a equipe profissional e os gestores. In: Seminário sobre a educação popular e saúde no contesto da promoção da saúde: seus sujeitos, espaços e abordagens e encontro nacional de educação popular e saúde, 2. Anais eletrônicos [S.I.], 2001. Disponível em:

http://www.redepopsaude.com.br/varal/concepcoesEPS/praticaeducativamiguelarroyo.pdf. Acesso em 24 de março de 2011.

(6)

[3] ANTUNES, C. Jogos para a estimulação das múltiplas inteligências. 2a ed. Petrópolis: Vozes; 1999.

[4] VIEIRA, P. M., LIZ, T. G., GESSER, V. L., BOEHS, A. E. O Teatro como Alternativa de se Educar em Saúde. Texto & contexto: Enfermagem, 1999; 8 (1): 372-83.

[5] CAVASSIN, J. Perspectivas para o Teatro na Educação como Conhecimento em Prática Pedagógica. R.cient./FAP, Curitiba, v.3, p.39-52 , jan./dez. 2008.

[6] FUCCI AMATO, R. O canto coral como prática sócio-cultural e educativo-musica. Opus, Goiânia, v. 13, n. 1, p. 75-96, jun. 2007.

Público-Alvo:

Procura-se beneficiar, diretamente, estudantes do Ensino Médio da cidade de Petrolina - PE. Pretende-se atender cinco escolas, cada uma com um número médio de 150 alunos, totalizando cerca de 750 estudantes. O público das escolas possui faixa etária entre 14-18 anos, ambos os sexos, sendo que a grande maioria possui uma baixa renda familiar e são carentes de informações relativas à prevenção e à promoção da saúde.

Indiretamente, o projeto visa um maior alcance social, pois a informação, passada de forma lúdica e complementada por palestras, pode ser repassada para outros membros da família e da comunidade. Espera-se alcançar uma faixa de pelo menos 1500 pessoas, de ambos os sexos, todas as idades, principalmente adultos de baixa escolaridade e com baixa renda, perfil que condiz com a realidade de grande parte do sertão nordestino, especificamente do Vale do São Francisco.

Nº de Pessoas

Beneficiadas 2250

Cronograma de Execução

Evento Período Observações

Pesquisa Bibliográfica Mar/2012 – Fev/2013

Criação do roteiro teatral Mar/2012 – Jul/2012

Composição musical Mai/2012 – Jul/2012

Confecção dos vestuários Mar/2012 – Jun/2012

Ensaio da peça Jun/2012 – Ago/2012

Produção de material educativo Mai/2012 – Ago/2012

(7)

Relatório Parcial Jul/2012 – Ago/2012

Apresentação teatral Ago/2012 – Jan/2013

Avaliação dos resultados Jan/2013 – Fev/2013

Registro com vídeos e fotos Mar/2012 – Fev/2013 Preparação e entrega do relatório Jan/2013 – Fev/2013

Acompanhamento e Avaliação Indicadores:

Através de questionário.

Sistemática:

Será entregue aos espectadores um questionário de avaliação da ação de extensão no começo das apresentações e recolhidos no final.

Observação: Mesmo o Programa financiando apenas as bolsas para os estudantes, é imprescindível a apresentação do orçamento.

Proposta Orçamentária

Rubrica Justificativa Valor (R$)

Custeio

Bolsa de Extensão

Será exigido um comprometimento maior da equipe de atores, os quais serão requisitados durante todo período do projeto, tendo que se deslocar para as escolas e, a fim de garantir o custeio com as despesas, alimentação e transporte, julga-se fundamental a obtenção desta ajuda.

4320,00

Material de Consumo -

Outros Serviços de

Terceiros – Pessoa Jurídica

Os custos com a reprografia serão para a preparação do material de divulgação e informação distribuídos nas escolas.

750,00

Total 5070,00

Co-Financiamento

(Informe se o Projeto terá outro financiamento além do PIBIN – 2012/2013) Agências de Fomento Quais:

Outros Quais: ______________________________________ Coordenador do Projeto (assinar e datar) ______________________________________ Coordenador do Colegiado (assinar e datar)

Referências

Documentos relacionados

A Companhia gerencia o risco de liquidez mantendo adequadas reservas, créditos aprovados para capta- ção de empréstimos que julgue adequados, através do monitoramento contínuo

Art. 3º O curso de Serviço Social investiga sobre a formação histórica e os processos sociais contemporâneos que contornam a sociedade brasileira, no sentido de

Pessoas (incluindo crianças) que não estejam habilitadas a usar a máquina com segurança devido às suas capacidades físicas, sensorias ou mentais, falta de experiência ou

[r]

Crisóstomo (2001) apresenta elementos que devem ser considerados em relação a esta decisão. Ao adquirir soluções externas, usualmente, a equipe da empresa ainda tem um árduo

expectativas do investidor. São métodos de avaliação de empresas: a) Método do Fluxo de Caixa Descontado. b) Taxa Interna de Retorno (TIR) e Valor Presente Líquido (VPL). c)

A democratização do acesso às tecnologias digitais permitiu uma significativa expansão na educação no Brasil, acontecimento decisivo no percurso de uma nação em

A ideia da pesquisa, de início, era montar um site para a 54ª região da Raça Rubro Negra (Paraíba), mas em conversa com o professor de Projeto de Pesquisa,