CONDIÇÕES PARA USO DO CREDENCIAMENTO POR LABORATÓRIOS DE CALIBRAÇÃO E DE ENSAIO

11 

Loading.... (view fulltext now)

Loading....

Loading....

Loading....

Loading....

Texto

(1)

SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Campo de Aplicação 3 Responsabilidade 4 Siglas 5 Definições 6 Condições Gerais

7 Formato e Uso do Logo do Inmetro 8 Formato das Marcas de Credenciamento

9 Regras para Uso da Marca e de Referência ao Credenciamento 10 Registro de Alterações e Prazo para Implementação

1 OBJETIVO

Esta Norma estabelece os requisitos para confecção e uso da marca de credenciamento pela Cgcre/Inmetro e de referências ao credenciamento pelos laboratórios credenciados.

2 CAMPO DE APLICAÇÃO

Esta Norma aplica-se à Dicla/Cgcre, particularmente aos laboratórios de ensaio e calibração credenciados, postulantes ao credenciamento e aos avaliadores e especialistas que atuam nos processos de credenciamento.

3 RESPONSABILIDADE

A responsabilidade pela revisão desta Norma é da Dicla/Cgcre.

4 SIGLAS

CLA Laboratório de Ensaios em Agrotóxicos CLC Laboratório Clínico Credenciado

CLF Laboratório de Ensaio Credenciado de Fabricante CPP Provedor de Ensaios de Proficiência

CRL Laboratório de Ensaio Independente

Dicla Divisão de Credenciamento de Laboratórios e Provedores de Ensaio de Proficiência EA European Co-operation for Accreditation

ILAC International Laboratory Accreditation Cooperation

(2)

5 DEFINIÇÕES

Para fins desta Norma são adotadas as definições de 5.1 a 5.3, complementadas pelas contidas no ABNT ISO/IEC Guia 2.

5.1 Logo do Inmetro

Símbolo estilizado, utilizado para identificação inequívoca do Inmetro e para auxiliar na identificação de que uma organização possui algum tipo de credenciamento pelo Inmetro.

5.2 Logo da Organização

Símbolo estilizado, utilizado para identificação inequívoca de uma Organização.

5.3 Marca do Credenciamento

Símbolo estilizado, utilizado para identificação inequívoca da atividade credenciada.

6. CONDIÇÕES GERAIS

6.1 O uso da Marca do Credenciamento ou de referência ao credenciamento não transfere qualquer

responsabilidade civil ou criminal para o Inmetro ou para seus colaboradores, resultante das atividades das organizações credenciadas no âmbito do escopo de seu credenciamento.

6.2 Para poder usar a Marca do Credenciamento ou de referências ao credenciamento, o laboratório

deve:

a) estar credenciado, ou seja, com o seu credenciamento válido;

b) estar em conformidade com as regras pertinentes estabelecidas neste documento. 7. FORMATO E USO DO LOGO DO INMETRO

7.1 O logo do Inmetro e as dimensões relativas estão definidos na Figura 1.

7.2 A sigla “Inmetro” deve ser escrita utilizando-se o tipo de letra “Switzerland bold itálica”, caixa

alta com espaçamento uniforme, quando for Macintosh, ocupando toda a extensão do logo.

7.3 A sigla “Inmetro” deve ser escrita utilizando-se o tipo de letra “Switzerland bold itálico”, caixa

alta, quando for PC ou IBM compatível, ocupando toda a extensão do logo.

7.4 A cor do logo do Inmetro deve ser preta ou azul.

7.4.1 O padrão de azul, para todas as aplicações gráficas e serigráficas, é o 541d, da escala

Pantone Letra Set, e o 541c, da escala Pantone Super Cor.

7.4.2 Nas aplicações limitadas a uma só cor que não o azul do Inmetro, deve ser utilizado o logo

vazado em branco sobre fundos escuros e na cor da impressão sobre fundos claros.

7.5 O logo do Inmetro está legalmente protegido e somente pode ser utilizado de forma isolada pelo

(3)

7.6 O logo do Inmetro pode ser utilizado pelo laboratório credenciado na formação da Marca do

Credenciamento.

FIGURA 1 – Logo do Inmetro

8. FORMATO DAS MARCAS DO CREDENCIAMENTO 8.1 Marca para laboratórios de ensaio

8.1.1 A identificação de laboratórios de ensaio credenciados pela Cgcre/Inmetro deve ser feita por

(4)

FIGURA 2 - Marca do Credenciamento para laboratórios de ensaio

8.1.2 As dimensões (largura e altura) da logo da organização credenciada não devem exceder as

previstas para o logo do Inmetro.

8.1.3 A Marca do Credenciamento e o logo da organização não necessitam estar justapostos, porém

ambos devem estar na mesma face e o logo do Inmetro deve ter o mesmo destaque do logo da organização. Em qualquer caso, o número do credenciamento do laboratório deve estar próximo à Marca do Credenciamento

8.1.4 Caso a organização credenciada não disponha ou não se utilize de um logo ela deve preencher

o campo referente a seu logo com uma das opções:

a) Razão social ou nome de fantasia;

b) Designação da Unidade Credenciada e atividade credenciada. 8.2 Marca do Credenciamento para laboratórios de calibração

8.2.1 A identificação de laboratórios de calibração credenciados deve ser feita por meio da Marca

do Credenciamento apresentada nas figuras 3 e 4.

Nota: Podem ser utilizadas dimensões diferentes desde que sejam mantidas as proporções

estabelecidas.

8.2.2 Preferencialmente, devem ser utilizadas as cores definidas na figura 4, da seguinte maneira:

• azul (Notação Supercor 06.0535 ou similar) para o fundo onde aparece a sigla “RBC”, para o fundo do símbolo do Inmetro e para os dizeres “Rede Brasileira de Calibração”.

• amarelo (Notação Supercor 06.0332 ou similar) para a sigla “RBC”, para o símbolo do Inmetro e para o fundo dos dizeres "Rede Brasileira de Calibração".

8.2.3 Podem, também, ser utilizadas:

a) as cores preta e branca, que devem estar assim dispostas:

• preta para o fundo onde aparece a sigla “RBC”, para o fundo do símbolo do Inmetro e para os dizeres “Rede Brasileira de Calibração”.

Logo do

Laboratório

credenciado

ou como definido em

8.1.4

Número do Credenciamento do Laboratório

(5)

• branca para a sigla “RBC”, para o símbolo do Inmetro e para o fundo dos dizeres "Rede Brasileira de Calibração".

b) a cor predominante da empresa combinada com a cor branca, que devem estar assim dispostas:

• cor predominante da empresa para o fundo onde aparece a sigla “RBC”, para o fundo do símbolo do Inmetro e para os dizeres “Rede Brasileira de Calibração”.

• branca para a sigla “RBC”, para o símbolo do Inmetro e para o fundo dos dizeres "Rede Brasileira de Calibração".

(6)

FIGURA 4 - Marca do Credenciamento para laboratórios de calibração - Cores

9 REGRAS PARA USO DA MARCA E DE REFERÊNCIA AO CREDENCIAMENTO 9.1 Regras Gerais

9.1.1 Não é permitido o uso da Marca do Credenciamento ou de referência ao credenciamento,

declarando, inferindo ou sugerindo que a Cgcre/Inmetro assume qualquer responsabilidade pela exatidão dos resultados de ensaios ou calibrações, nem por opiniões ou interpretações decorrentes destes resultados, ou ainda, que a Cgcre/Inmetro aprova um instrumento ou padrão calibrado, um produto, ou a qualificação de um indivíduo.

9.1.2 Não é permitido o uso da Marca do Credenciamento ou de referência ao credenciamento

antes da assinatura do contrato de credenciamento.

9.1.3 A Marca do Credenciamento não pode ser afixada em um produto nem usado de modo a

induzir que este produto foi certificado.

9.1.4 O laboratório somente pode fazer referência à sua condição de credenciado para os serviços

para os quais foi concedido o credenciamento. A Marca do Credenciamento ou referência ao credenciamento não pode ser utilizada de forma a induzir que o laboratório é credenciado para serviços que não estão inclusos em seu escopo do credenciamento.

9.1.5 No caso de suspensão total ou cancelamento do credenciamento, o laboratório deve

interromper, imediatamente, o uso de todo o material que contenha a Marca do Credenciamento ou referência ao credenciamento.

9.1.6 No caso de suspensão parcial ou redução do credenciamento, o laboratório ou provedor deve

interromper, imediatamente, o uso de todo o material que contenha a Marca do Credenciamento ou referência ao credenciamento, que diga respeito ao escopo do credenciamento suspenso ou reduzido.

(7)

9.1.7 O uso da Marca do Credenciamento em condições diferentes daquelas definidas neste

documento acarretará em penalidades, conforme estabelecido no Regulamento do Credenciamento de Laboratórios.

9.2 Em Certificados e Relatórios

9.2.1 A Marca do Credenciamento somente pode ser utilizada pelos laboratórios credenciados nos

certificados e relatórios que correspondam exclusivamente aos serviços credenciados, respeitadas as grandezas, as faixas, as melhores capacidades de medição, os ensaios, métodos, normas e tipos de produtos especificados para cada serviço credenciado.

9.2.2 A identificação das atividades credenciadas deve ser feita por meio da colocação da Marca

do Credenciamento, no topo da primeira página do certificado e/ou relatório, acompanhada de um dos textos abaixo identificando o tipo de credenciamento. Este texto deve se repetir em todas as páginas. Na primeira página este texto deve ser colocado próximo da Marca do Credenciamento.

a) Para laboratório de ensaio independente credenciado de acordo com a NBR ISO/IEC 17025:

“Laboratório de Ensaio Credenciado pela Cgcre/Inmetro de acordo com a NBR ISO/IEC 17025 sob o número CRL XXX”.

b) Para laboratório de ensaio de fábrica credenciado de acordo com a NBR ISO/IEC 17025:

“Laboratório de Ensaio Credenciado pela Cgcre/Inmetro de acordo com a NBR ISO/IEC 17025 sob o número CLF XXX”.

c) Para Laboratório Clínico credenciado de acordo com documentos específicos do Inmetro:

“Laboratório Clínico credenciado pela Cgcre/Inmetro sob o número CLC XXX”.

d) Para laboratório de ensaio em agrotóxicos cujo sistema seja baseado em documentos específicos

do Inmetro: “Laboratório de Ensaio em Agrotóxicos Credenciado pela Cgcre/Inmetro sob o número CLA XXX”.

e) Para laboratório de calibração: “Laboratório de calibração credenciado pela Cgcre/Inmetro sob

o número XXX”.

NOTA: O laboratório de calibração credenciado pode fazer referência ao seu credenciamento de

acordo com a NBR ISO/IEC 17025, conforme estabelecido no certificado de credenciamento do laboratório, na forma “Laboratório de calibração credenciado pela Cgcre/Inmetro de acordo com a NBR ISO/IEC 17025 sob o número XXX.”

9.2.3 Os laboratórios de calibração e ensaio que sejam credenciados de acordo com a norma NBR

ISO/IEC 17025, podem incluir em seus certificados e relatórios referência aos acordos de reconhecimento mútuo mantidos pela Cgcre/Inmetro para estes tipos de credenciamento. Podem ser incluídas as seguintes frases:

a) “O Inmetro é signatário do Acordo de Reconhecimento Mútuo da ILAC” e/ou “Inmetro is

signatory of the ILAC Mutual Recognition Arrangement” (Pode ser incluído o nome completo da ILAC - International Laboratory Accreditation Cooperation.)

b) “O Inmetro é signatário de acordo bilateral de reconhecimento mútuo com a EA.” e/ou “Inmetro

is signatory of a bilateral agreement with EA..” (Pode ser incluído o nome completo da EA – European Co-operation for Accreditation.)

(8)

9.2.4 O certificado ou relatório deve conter o nome e o endereço do laboratório, conforme

estabelecido em seu certificado de credenciamento, e o nome e/ou o logotipo da entidade à qual o laboratório pertence.

9.2.5 Para utilização da Marca do Credenciamento nos certificados e relatórios estes devem conter

resultados de calibrações ou ensaios credenciados e realizados pelo próprio laboratório.

9.2.6 Para utilização da Marca do Credenciamento nos certificados e relatórios, estes devem ser

emitidos por signatários autorizados pelo laboratório e aprovados pela Cgcre/Inmetro para os ensaios, calibrações ou ensaios de proficiência credenciados neles inclusos.

9.2.7 Os certificados e relatórios somente podem conter qualquer referência ao credenciamento

quando contiverem a Marca do Credenciamento, conforme disposto neste documento.

9.2.8 O certificado ou relatório que não contenha a Marca do Credenciamento não pode ser

utilizado ou interpretado como tendo sido emitido por um laboratório credenciado, mesmo que este seja credenciado para a calibração ou ensaio constante no certificado/relatório.

9.2.9 Num certificado ou relatório que contenha a Marca de Credenciamento não pode ser

incluído nenhum outro logo ou marca exceto aquele da própria organização credenciada.

9.2.10 Caso sejam incluídas opiniões e interpretações no certificado ou relatório, com base nos

resultados das calibrações ou ensaios realizados, o laboratório deve colocá-las após todos os resultados precedidas da frase: “As opiniões e interpretações expressas abaixo não fazem parte do escopo do credenciamento deste laboratório.”

9.2.11 Quando o instrumento para calibração for ajustado ou reparado e for feita referência a este

ajuste ou reparo no certificado de calibração, deve ser incluída uma declaração de que o ajuste ou reparo não faz parte do escopo do credenciamento do laboratório.

9.2.12 No caso de calibração de instrumentos regulamentados, o laboratório pode incluir no

certificado de calibração a seguinte frase “Esta calibração não isenta o instrumento do controle metrológico estabelecido na regulamentação metrológica.”

9.2.13 O laboratório pode incluir em seus certificados e relatórios declarações sobre o atendimento

aos requisitos do credenciamento pela Cgcre/Inmetro tais como:

a) “Este relatório (certificado) atende aos requisitos de credenciamento pela Cgcre/Inmetro, o qual

avaliou a competência do laboratório.”

b) “Este certificado atende ao requisitos de credenciamento pela Cgcre/Inmetro, o qual avaliou a

competência do laboratório e comprovou sua rastreabilidade a padrões nacionais de medida (ou ao Sistema Internacional de Unidades – SI).”

9.2.14 Quando parte da calibração de um instrumento ou padrão ou dos ensaios de um produto for

subcontratado, o laboratório contratante pode incluir o resultado obtido pelo subcontratado em seu próprio certificado ou relatório desde que:

a) o subcontratado seja credenciado para a calibração ou ensaio subcontratado. b) o laboratório subcontratado seja mencionado no certificado ou relatório.

c) cada resultado de calibração ou ensaio subcontratado seja claramente identificado como tendo

sido fornecido pelo subcontratado. Qualquer que seja a forma de identificação escolhida pelo laboratório, esta não pode induzir ou gerar qualquer dúvida ao cliente ou usuários do certificado/relatório de que um resultado obtido de um subcontratado seja interpretado ou entendido como sendo originário de uma calibração ou ensaio realizado pelo próprio laboratório contratante.

(9)

Nota: Dependendo da forma de identificação escolhida pelo laboratório, esta pode ser colocada ao

lado de cada resultado, ou imediatamente antes e depois de um conjunto de resultados.

9.3 Em Documentos de Trabalho

9.3.1 Cartas que ostentem a Marca do Credenciamento ou referência ao credenciamento e que

acompanhem relatórios ou certificados que contenham resultados de calibrações ou ensaios não credenciados devem incluir uma ressalva sobre este fato, declarando, por exemplo: “Os certificados e/ou relatórios números XXX, anexos, contém resultados de calibrações (ou ensaios) não credenciados.”

9.3.2 Para utilização da Marca do Credenciamento ou de referência ao credenciamento em

formulários e registros, estes devem conter exclusivamente resultados de calibrações ou ensaios credenciados.

9.4 Em Orçamentos

9.4.1 Os orçamentos que contenham a Marca do Credenciamento ou referência ao credenciamento

e que incluírem serviços não credenciados devem indicar com clareza quais os serviços não são credenciados e para os quais não serão emitidos certificados ou relatórios com a Marca do Credenciamento.

9.4.2 Se o orçamento diz respeito exclusivamente a serviços não credenciados não pode ser

utilizada a Marca do Credenciamento ou referência ao credenciamento.

9.5 Em Material Publicitário

9.5.1 A Marca do Credenciamento ou referência ao credenciamento pode ser utilizada em material

publicitário, em publicações, folhetos informativos, cartazes, papéis de carta, e outros tipos de impresso, desde que:

a) a Marca do Credenciamento seja apresentada de acordo com a forma e modelo indicados neste

documento;

b) imediatamente abaixo da Marca do Credenciamento ou referência ao credenciamento, seja

incluído o texto: “Credenciado sob o n° ...”

9.5.2 Se o material publicitário diz respeito exclusivamente a serviços não credenciados, não pode

ser utilizada a Marca do Credenciamento ou referência ao credenciamento.

9.6 Em Documentos de Identificação Pessoal

9.6.1 O uso da Marca do Credenciamento ou de referência ao credenciamento em documentos de

identificação pessoal, tais como crachás e cartões de visita é permitido desde que esteja claro que o credenciamento aplica-se exclusivamente ao laboratório e que não seja de qualquer forma induzida a certificação do pessoal.

(10)

Nota: Caso o certificado se refira a mais de um item calibrado, devem ser emitidas tantas etiquetas

quantas forem necessárias.

9.7.2 A etiqueta deve ser fixada no instrumento ou padrão calibrado, pelo laboratório que realizou

a calibração, de forma que possa ser vista facilmente. O material e o método de fixação não devem afetar o desempenho do instrumento ou padrão.

9.7.3 Quanto não for possível fixar a etiqueta no instrumento ou padrão, por motivo de tamanho

ou utilização, esta deve ser fixada no estojo ou caixa,. A etiqueta pode ainda ser entregue ao cliente para que ele possa fixá-la no local mais adequado.

9.7.4 A etiqueta deve ser confeccionada de tal modo que, por ocasião da recalibração do

instrumento, possa ser removida e substituída por uma nova etiqueta.

9.7.5 Em instrumentos que se mantém calibrados por longo tempo (ex.: vidrarias), a etiqueta de

calibração pode ser substituída por uma gravação ou pintura da Marca do Credenciamento nos instrumentos, desde que isto não altere suas características e que seja aprovado pela Cgcre/Inmetro.

9.7.6 Os laboratórios não devem, de maneira alguma, utilizar a etiqueta de calibração de forma

que possa induzir o cliente a idéia de que elas significam aprovação, qualidade ou permanência da calibração.

9.7.7 A forma e as dimensões recomendadas para a confecção da etiqueta de calibração são

apresentadas na figura 5. O laboratório pode utilizar dimensões diferentes das recomendadas desde que sejam mantidas as proporções.

9.7.8 As seguintes informações devem ser inscritas de forma indelével na etiqueta: a) Marca do Credenciamento conforme item 8.2 deste documento;

b) nome e/ou logotipo do laboratório;

c) número do certificado de calibração correspondente; d) data da calibração.

Nota 1) Podem ser incluídas outras informações relacionadas à calibração realizada, tais como, data

da próxima calibração, identificação do instrumento ou padrão, marca de identificação de calibração parcial.

2) A definição da data da próxima calibração é de responsabilidade do cliente que utiliza o

instrumento. Ela pode ser inscrita pelo laboratório apenas quando isto tiver sido acordado com o cliente. A data da recalibração não deve exceder ao prazo estabelecido pela Norma segundo a qual a calibração foi realizada (ver NBR ISO/IEC 17025 item 5.10.4.4).

(11)

40 mm a 70 mm

27 mm a 40 mm

Figura 5 - Etiquetas de Calibração 9.8 Outros Casos Não Previstos nos Itens Anteriores

9.8.1 Desde que atenda as condições estabelecidas neste documento, não está impedido o uso da

Marca do Credenciamento ou de referência ao credenciamento em outros itens que não os citados neste documento. Neste caso o laboratório credenciado deve garantir a análise da utilização perante os requisitos estabelecidos neste documento antes de qualquer liberação para uso.

10. REGISTRO DE ALTERAÇÕES E PRAZO PARA IMPLEMENTAÇÃO

- retiradas as referências à provedores de ensaio de proficiência;

- substituído “credenciado pelo Inmetro” por “credenciado pela Cgcre/Inmetro;

- substituída referência ao ABNT ISO/IEC Guia 25 pela Norma NBR ISO/IEC 17025; - excluídos os itens 9.2.2.a, 9.2.2.b. e a nota 1 do item 9.2.2.

Devido ao fato das modificações efetuadas não acrescentarem novos requisitos ou obrigações para o laboratório, este documento entra em vigor imediatamente após a sua publicação.

Imagem

Referências

temas relacionados :