ACTA DA REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DE ARRONCHES REALIZADA NO DIA 10 DE SETEMBRO DE 2002: No dia dez de Setembro de

Texto

(1)

ACTA DA REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DE ARRONCHES REALIZADA NO DIA 10 DE SETEMBRO DE 2002:--- ---No dia dez de Setembro de dois mil e dois, nesta vila de Arronches e sala das sessões do edifício dos Paços do Município, realizou-se, pelas quinze horas, a reunião ordinária da Câmara Municipal. Compareceram os Excelentíssimos Senhores, Gil da Conceição Palmeiro Romão, Maria Emília Martins Redondo Correia da Costa, Amílcar Francisco Trindade Belchior, Engª. Fermelinda de Jesus Pombo Carvalho e João Francisco Velez Galão, respectivamente, Presidente, Vice-Presidente e Vereadores efectivos deste órgão autárquico.--- ---Verificada a presença de todos os membros, o Senhor Presidente declarou aberta a reunião.--- ---ASSUNTOS NÃO INCLUÍDOS NA ORDEM DO DIA:--- ---Nos termos do disposto no artigo 19º. do Decreto-Lei nº. 442/91, de 15/11, na sua actual redacção, a Câmara deliberou, por unanimidade, reconhecer a urgência de deliberação sobre os seguintes assuntos:--- ---EXPEDIENTE:--- ---A CÂMARA TOMOU CONHECIMENTO DA SEGUINTE LEGISLAÇÃO:--- ---Lei Orgânica nº. 2/2002, publicada no Diário da República nº. 198/2002, I Série-A, de 28/8 - Lei da estabilidade orçamental.--- ---DEPOIS FOI APRECIADO O SEGUINTE EXPEDIENTE:--- ---Ofício nº. 34, de 10 do mês em curso, do Centro de Bem-Estar Social de Arronches, solicitando a atribuição de um subsídio que lhe permita minorar as despesas com a ampliação das sua instalações:- A Câmara deliberou, por unanimidade e ao abrigo do disposto na alínea a) do nº. 4 do artigo 64º. da Lei nº. 169/99, de 18/9, atribuir para o efeito o subsídio de € 50.000 (cinquenta mil euros).--- ---OUTROS ASSUNTOS E DELIBERAÇÕES:--- ---1ª. REVISÃO AO ORÇAMENTO MUNICIPAL PARA 2002:--- ---Por proposta do Senhor Presidente, a Câmara deliberou, por unanimidade, efectuar a primeira revisão ao Orçamento Municipal do corrente ano, documento que aqui se considera como transcrito e fica arquivado na pasta anexa ao presente livro de actas, sob o nº. 99, a fim de o ajustar às novas realidades que entretanto surgiram e cujo montante, tanto na receita como na despesa, se eleva a € 450.000 (quatrocentos e cinquenta mil euros). Foi igualmente deliberado submeter o referido documento à aprovação da Assembleia Municipal, nos termos da legislação em vigor.---

(2)

---1ª. REVISÃO AO PLANO PLURIANUAL DE INVESTIMENTOS PARA O QUADRIÉNIO DE 2002/2005:--- ---Considerando que, por deliberação de 9/7/2002, foi aprovada a proposta da primeira revisão ao Plano Plurianual de Investimentos para o quadriénio de 2002/2005; considerando que, por deliberação de 27/8/2002, foi aprovada uma segunda proposta de revisão;

considerando que a Assembleia Municipal ainda não reuniu para apreciar a primeira proposta; a Câmara deliberou, por unanimidade, revogar as aludidas deliberações e aprovar a primeira revisão ao Plano Plurianual de Investimentos para o quadriénio de 2002/2005, reunindo numa só as duas propostas, documento que aqui se considera como transcrito e fica arquivado na pasta anexa ao presente livro de actas, sob o nº. 100.--- ---5ª. ALTERAÇÃO AO ORÇAMENTO MUNICIPAL DE 2002:--- ---Nos termos do disposto na alínea d) do nº. 2 do artigo 64º. da Lei nº. 169/99, de 18/9, na sua actual redacção, a Câmara deliberou, por unanimidade, efectuar a quinta alteração ao Orçamento Municipal do corrente ano, documento que aqui se considera como transcrito e fica arquivado na pasta anexa ao presente livro de actas, sob o nº. 101, cujo montante, tanto nas deduções como nos reforços, se eleva a € 171.000 (cento e setenta e um mil euros).--- ---3ª. ALTERAÇÃO AO PLANO PLURIANUAL DE INVESTIMENTOS E ACTIVIDADES MAIS RELEVANTES PARA O QUADRIÉNIO DE 2002/2005:--- ---Nos termos do disposto na alínea d) do nº. 2 do artigo 64º. da Lei nº. 169/99, de 18/9, na sua actual redacção, a Câmara deliberou, por unanimidade, efectuar a terceira alteração ao Plano Plurianual de Investimentos e Actividades mais Relevantes para o quadriénio de 2002/2005, documento que aqui se considera como transcrito e fica arquivado na pasta anexa ao presente livro de actas, sob o nº. 102, a fim de o ajustar às novas realidades que entretanto surgiram.--- ---ALIENAÇÃO DE 6 LOTES DE TERRENO PARA HABITAÇÃO NO BAIRRO NOVO DE ESPERANÇA:--- ---Considerando que, por deliberação camarária de 22 de Outubro do ano transacto, foram alienados seis lotes de terreno para habitação no Bairro Novo de Esperança;

considerando também que dificuldades surgidas na Conservatória do Registo Predial obrigaram à aprovação, por deliberação camarária de 11 de Junho do ano em curso, de um novo loteamento para a Zona, o qual alterou a numeração dos lotes em causa;

considerando ainda que por estas razões os lotes ainda não foram objecto das necessárias escrituras de compra e venda; a Câmara deliberou, por unanimidade, confirmar as alienações decorrentes da hasta pública efectuada na mencionada reunião de 22 de

(3)

Outubro, sendo a nova numeração dos lotes alienados, os respectivos adquirentes e as importâncias correspondentes (com as rectificações provocadas pela introdução do euro entretanto ocorrida), os seguintes: lote 7 (anterior lote 44), com a área de 190 m2, arrematado por Jorge Miguel Caldeira Vaz pela importância de € 18,46 (dezoito euros e quarenta e seis cêntimos) por m2, no valor total de € 3.524,01 (três mil quinhentos e vinte e quatro euros e um cêntimo); lote 8 (anterior lote 45), com a área de 190,9 m2, arrematado por João Manuel Salgueiro Mouquinho pela importância de € 14,96 (catorze euros e noventa e seis cêntimos) por m2, no valor total de € 2.855,86 (dois mil oitocentos e cinquenta e cinco euros e oitenta e seis cêntimos); lote 9 (anterior lote 46), com a área de 190,9 m2, arrematado por Vera dos Anjos Pereira Marques pela importância de € 17,46 (dezassete euros e quarenta e seis cêntimos) por m2, no valor total de € 3.333,11 (três mil trezentos e trinta e três euros e onze cêntimos); lote 10 (anterior lote 47), com a área de 190,9 m2, arrematado por Santos Maria Figueira Crespo pela importância de € 14,96 (catorze euros e noventa e seis cêntimos) por m2, no valor total de € 2.855,86 (dois mil oitocentos e cinquenta e cinco euros e oitenta e seis cêntimos); lote 11 (anterior lote 48), com a área de 190,9 m2, arrematado por José Manuel Salsa Velez pela importância de € 14,96 (catorze euros e noventa e seis cêntimos) por m2, no valor total de € 2.855,86 (dois mil oitocentos e cinquenta e cinco euros e oitenta e seis cêntimos); lote 12 (anterior lote 49), com a área de 190,9 m2, arrematado por Carlos Manuel Figueira Castanho pela importância de € 25,44 (vinte e cinco euros e quarenta e quatro cêntimos) por m2 no valor total de € 4.856,50 (quatro mil oitocentos e cinquenta e seis euros e cinquenta cêntimos).-- ---PRIMEIRA ALTERAÇÃO AO LOTEAMENTO DA NOVA ZONA DE EXPANSÃO HABITACIONAL DE BARULHO:--- ---A Câmara deliberou, por unanimidade e nos termos do disposto no nº. 2 do artigo 27º.

do Decreto-Lei nº. 555/99, de 16/12, na sua actual redacção, submeter a discussão pública, de harmonia com o nº. 3 do artigo 22º. do mesmo diploma legal, a primeira alteração ao loteamento municipal da Nova Zona de Expansão Habitacional de Barulho, elaborado pela Divisão de Obras e Serviços Urbanos, documento que aqui se considera como transcrito e fica arquivado na pasta anexa ao presente livro de actas, sob o nº. 103, sito no prédio rústico denominado Santo Bento, freguesia de Mosteiros, concelho de Arronches, descrito na Conservatória do Registo Predial de Arronches sob o número 00159, de 15/09/95, cuja aprovação inicial foi efectuada por deliberação camarária de 13/11/96, passando o loteamento a sofrer as alterações do documento ora aprovado, a saber: 1 – É alterado o índice de construção, que passa a ser de 1; 2 - É alterado o uso do lote nº. 19, que passa a ser de habitação e comércio; 3 - São alterados os polígonos de implantação dos anexos.----

(4)

---PROPOSTA APRESENTADA PELA SENHORA VICE-PRESIDENTE NO SENTIDO DE SEREM ATRIBUÍDOS SUBSÍDIOS E DESLOCAÇÕES GRATUITAS NAS VIATURAS MUNICIPAIS ÀS ASSOCIAÇÕES CULTURAIS DO CONCELHO E AO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS E JARDINS DE INFÂNCIA DO CONCELHO:--- ---A Senhora Vice-Presidente enviou para a mesa uma proposta sobre o assunto em epígrafe, cujo teor a seguir se transcreve: "Proposta- Considerando os planos de actividades das associações culturais do concelho, proponho a atribuição de subsídios e quilómetros gratuitos em deslocações nas viaturas municipais às entidades abaixo referidas, onde se inclui também o Agrupamento de Escolas e Jardins de Infância do Concelho de Arronches, tendo como princípio o conhecimento do respectivo regulamento, sendo de privilegiar as deslocações a efectuar no concelho e na região e de não contemplar deslocações ao estrangeiro. Mais proponho que apenas seja cedido um transporte por dia a cada entidade.- Agrupamento de Escolas e Jardins de Infância do Concelho de Arronches: 1º. Ciclo e Pré- Primária - 2.000 km; 2º. e 3º. Ciclos - 2.000 km;- Rancho Folclórico de Arronches: 6.000 km e subsídio de € 3.250 (três mil duzentos e cinquenta euros);- Associação Escola de Música de Arronches: 1.500 km, subsídio de € 2.500 (dois mil e quinhentos euros) e subsídio mensal de € 500 (quinhentos euros) para pagamento ao professor;- Quercus - A.N.C.N. (Delegação de Arronches): subsídio de € 500 (quinhentos euros);- Associação dos Bombeiros Voluntários de Arronches: subsídio de € 2.500 (dois mil e quinhentos euros);- Associação Cultural de Arronches Amigos da Festa Brava: subsídio de € 1.000 (mil euros).- Paços do Município de Arronches, 5 de Setembro de 2002.- A Vice-Presidente da Câmara- (a) Maria Emília Costa".- Apreciada a proposta, a Câmara deliberou, por unanimidade, aprová-la e atribuir os subsídios e os quilómetros dela constantes, ao abrigo do disposto na alínea a) do nº. 4 do artigo 64º. da Lei nº. 169/99, de 18/9.--- ---PROPOSTA APRESENTADA PELO SENHOR VEREADOR AMÍLCAR BELCHIOR NO SENTIDO DE SEREM ATRIBUÍDOS SUBSÍDIOS E DESLOCAÇÕES GRATUITAS NAS VIATURAS MUNICIPAIS ÀS ASSOCIAÇÕES DESPORTIVAS DO CONCELHO:--- ---O Senhor Vereador Amílcar Francisco Trindade Belchior enviou para a mesa uma proposta sobre o assunto em epígrafe, cujo teor a seguir se transcreve: "Proposta- Com o aproximar da época desportiva 2002/2003 e sabendo-se das enormes dificuldades económicas sentidas pelas diferentes associações desportivas do concelho, urge, no sentido de minorar essas dificuldades e a exemplo de anos anteriores, proceder à atribuição de subsídios, bem como à disponibilização de meios de transporte para as suas deslocações no âmbito das respectivas actividades.- A exemplo de outros anos, não se propõe a atribuição de qualquer subsídio às entidades que não enviaram o seu plano de actividades para a

(5)

referida época desportiva, já que o mesmo, conforme foi referido, se destina única e simplesmente a minorar as dificuldades pelo exercício de uma actividade, que se reconhece de enorme mérito, sobretudo para os jovens, que assim encontram um espaço saudável para os seus momentos de lazer.- Para a referida época desportiva de 2002/2003, propõe- se a atribuição dos seguintes subsídios:- Centro Republicano Arronchense - Lamentavelmente, constata-se que o plano de actividades não prevê, ao contrário do que sucedeu em anos anteriores, a manutenção da equipa de andebol juvenil, que tantos e bons resultados desportivo alcançou, para além de representar uma saudável ocupação de tempos livres dos jovens que a integravam. Mantém-se, porém, em actividade a secção de pesca desportiva, que prevê a participação em diversos campeonatos federados, bem como a organização do 2º. convívio de pesca infantil (dia mundial da criança) e 3º.

convívio/concurso internacional de pesca desportiva (S. João). Dado que estes convívios, quer pela finalidade do 1º., quer pela ocasião em que realiza o segundo, serão certamente objecto de atribuição individualizada de subsídio, somente se propõe a atribuição de subsídio destinado ao desenvolvimento da restante actividade, em montante idêntico ao do ano transacto, ou seja, € 1.000 (mil euros). Desconhecendo-se o momento da definição do regime da responsabilidade técnica pelas instalações desportivas abertas ao público e actividades aí desenvolvidas, criado pelo Decreto-Lei nº. 385/99, de 28/9, importa que as mesmas sejam rentabilizadas. Nesses sentido e para custear as despesas com o programa de desenvolvimento desportivo nas áreas de ginástica de manutenção e iniciação à natação, bem como a monitoragem das diversas modalidades desportivas, propõe-se a manutenção do subsídio mensal de € 500 (quinhentos euros);- Clube Columbófilo Arronchense - Subsídio de € 750 (setecentos e cinquenta euros), de modo a que, no desenvolvimento da sua actividade estatutária, bem como na eventual participação e/ou organização de torneios de futebol de salão, sejam minimizados os respectivos custos;- Atlético Clube de Arronches - No ano anterior verificou-se com agrado a participação no campeonato distrital de futebol sénior (2ª. divisão), modalidade bastante apreciada e que desde a alguns anos não era praticada na sede do concelho. Da referida participação resultou a subida à 1ª. divisão, facto que nunca é demais realçar, até porque foi conseguida num único ano. É evidente que a participação na época desportiva 2002/2003 se tornará substancialmente mais onerosa.

Porém, o ACA pretende participar no campeonato que se avizinha, bem como manter a secção de cicloturismo e BTT, para além de, louvavelmente, apostar nas camadas jovens, no escalão infantil na variante de futebol de 7. Pretende ainda desenvolver actividades lúdicas na sua sede social e participar nos 2ºs. Jogos do Norte Alentejano, se estes se vierem a realizar. Obviamente que a realização de todas estas actividades envolvem custos

(6)

algo elevados. Assim, no sentido de que estes sejam minorados, propõe-se a atribuição de um subsídio no montante de € 11.000 (onze mil euros), sendo € 10.000 (dez mil euros) destinados à participação na área do futebol e € 1.000 (mil euros) para as restantes actividades, bem como a cedência de transportes para deslocações em cerca de 2.000 km;

Associação Desportiva e Cultural de Esperança - O plano de actividades desta associação não difere muito do apresentado pelo Atlético Clube de Arronches, tendo inclusivé igualmente ascendido à 1ª. divisão distrital, após ter sido campeã da 2ª. divisão. Dadas as já referidas semelhanças do plano de actividades, propõe-se a atribuição de idêntico subsídio, ou seja, € 11.000 (onze mil euros), sendo € 10.000 (dez mil euros) destinados à prática do futebol e € 1.000 (mil euros) para as restantes actividades. Relativamente à cedência de transportes, considerando que as deslocações para a ADCE serão mais extensas, propõe-se a cedência de transporte para deslocações em cerca de 2.500 km.- São reconhecidas as dificuldades financeiras de participação nos campeonatos distritais de futebol, as quais se acentuam no início das respectivas participações. Assim, caso a presente proposta venha a merecer aprovação, propõe-se ainda que, relativamente ao Atlético Clube de Arronches e Associação Desportiva e Cultural de Esperança, os subsídios monetários a atribuir sejam de imediato postos à disposição das referidas colectividades.- Arronches, 10 de Setembro de 2002.- O Vereador do Desporto- (a) Amílcar Francisco Trindade Belchior".- Apreciada a proposta, a Câmara deliberou, por unanimidade, aprová-la e atribuir os subsídios e os quilómetros dela constantes, ao abrigo do disposto na alínea a) do nº. 4 do artigo 64º. da Lei nº. 169/99, de 18/9.--- ---INTERVENÇÃO DA SENHORA VEREADORA FERMELINDA CARVALHO SOBRE A 10ª.

FEIRA DE ARTESANATO E GASTRONOMIA:--- ---A Senhora Vereadora Fermelinda Carvalho suscitou a questão da apresentação das contas do certame em epígrafe, tendo a Senhora Vice-Presidente referido que à Câmara Municipal apenas couberam as despesas com os grupos musicais e a atribuição de subsídio à Região de Turismo de S. Mamede, sendo as restantes contas da responsabilidade daquela entidade.--- ---ORDEM DO DIA:--- ---FINANÇAS MUNICIPAIS:--- ---Presente o balancete da Tesouraria Municipal, com data de 4 do mês em curso, verificou-se que o mesmo apresenta um saldo de operações orçamentais de 2.587.585,16 (dois milhões quinhentos e oitenta e sete mil quinhentos e oitenta e cinco euros e dezasseis cêntimos).--- ---REQUERIMENTOS:---

(7)

---a) - DIVERSOS:--- ---Da firma "A Funerária Santos, Lda.", de Portalegre, solicitando, nos termos do respectivo regulamento, a emissão de horário de funcionamento para o seu estabelecimento de "agência funerária", sito na Rua de Tavares, nº. 9, nesta vila, de acordo com a discriminação apresentada:- Deferido.--- ---De Maria Dulce dos Reis Bigares, residente nesta vila, requerendo a construção do ramal de ligação ao abastecimento domiciliário de água para obras no lote nº. 27 do Bairro de Santo António:- Deferido.--- ---APROVAÇÃO EM MINUTA:--- ---Por unanimidade e ao abrigo do disposto no nº. 3 do artigo 92º. da Lei nº. 169/99, de 18/9, foi deliberado aprovar a presente acta em minuta, a fim das deliberações respectivas produzirem efeitos imediatos. Elaborada a minuta e depois de lida, foi a mesma achada conforme e por todos assinada.--- ---ENCERRAMENTO:--- ---A presente acta vai ser assinada pelo Senhor Presidente, pela Senhora Vice-Presidente, pelos Senhores Vereadores e pelo chefe da Divisão Administrativa e Financeira e não vai ser lida, em virtude de a todos os membros ter sido entregue fotocópia da mesma, nos termos do disposto no artigo 4º. do Decreto-Lei nº. 45.362, de 21/11/63. Imediatamente a seguir o Senhor Presidente declarou encerrada a reunião, eram dezassete horas.---

Imagem

Referências

temas relacionados :