Procura-se! Carlinhos Coelho, o Ladrão e Livros

Texto

(1)

Procura-se!

Carlinhos Coelho, o Ladrão e Livros

Texto

Emily Mackenzie

Ilustrações Emily Mackenzie

Sinopse

O coelho Carlinhos era um pouco diferente dos outros coelhos. Apaixonado por livros, não conseguia mais pensar em outra coisa, tanto que começou a entrar sorrateiramente no quarto das pessoas para ler os livros delas enquanto dormiam...

Fio condutor da narrativa Amor pela leitura.

(2)

 Ética  Respeito Filosofia  Vida  Identidade Diversidade  Pluralidade Cultural  Inclusão Sugestão de utilização 1o e 2o anos

Matriz Temática projeto Janelas para o Mundo

O livro PROCURA-SE! CARLINHOS COLELHO, O LADRÃO DE LIVROS é um livro divertido, lindamente ilustrado, ideal para fomentar o amor pelos livros e pela leitura, mas também um excelente instrumento para apresentação dos valores fundamentais, assim como da filosofia e muito mais.

Sabemos que os fins não justificam os meios, e por este motivo precisamos mostrar às crianças a importância das escolhas que fazemos na vida.

1) Trabalhar filosofia

O indivíduo

(3)

musicais, depois pelas plantas e animais, até chegar aos seres humanos e sua individualidade, mostrando como as “diferenças” são importantes.

 O que é igual?  O que é diferente?

 Usar a música como exemplo, onde notas musicais diferentes e iguais compõem uma melodia.

 Outras sugestões: caixa de lápis de cor, doces de uma festa, flores em um jardim, animais em uma floresta, alunos em uma escola, pessoas em um país.

Entretanto é importante mostrar às crianças que, apesar de Carlinhos ser diferente, ele é exatamente igual aos outros coelhos: tem duas orelhas, dois olhos, um nariz, dentes grandes, pelo macio, é fofinho...

 Mas então, por que Carlinhos é diferente?

Esta é a porta de entrada para começarmos a apresentar a individualidade e a importância de preservá-la.

. O Rendado Maori

Os Maoris são o povo nativo da Nova Zelândia, com uma cultura ancestral que incentiva e valoriza a individualidade. E para demostrar de maneira clara e inquestionável que cada um é único, realizam, com a utilização de grandes folhas de árvores, um exercício simples, interessante e surpreendente.

(4)

Deixe disponíveis para as crianças tesouras sem ponta, que podem ser usados caso alguém sinta dificuldade em furar ou cortar o papel quando solicitado.

Você também deve participar da atividade. Além de encorajar os alunos e servir de exemplo, seu “rendado” fará parte dos resultados.

Explique para os alunos que esta atividade não possui resposta certa ou errada, e que ninguém deve olhar para o que o colega está fazendo. Vale explicar que o melhor é apenas ouvir o que será dito e seguir as instruções.

Para obter as instruções da atividade proposta, acesse o link abaixo para um vídeo tutorial. Decidimos por lhes mostrar a atividade a descrevê-la, e você vai entender o porquê.

Uma vez finalizada, peça para que todos os alunos abram os seus rendados, suas dobraduras, e levantem-nas para que todos possam vê-las.

O resultado é surpreendente, pois não haverá um único rendado igual.

Mostre o seu rendado aos alunos, e orgulhosa, diga a eles que o trabalho que você está apresentando é o que podemos chamar de INDIVIDUALIDADE.

Cada um dos trabalhos é único e especial, e mostra que, mesmo você tendo dado instruções para os alunos, o entendimento de cada um quanto às instruções é diferente e único.

(5)

2) Trabalhar a importância da leitura

O Varal da Individualidade estará na classe para lembrar que pessoas diferentes pensam diferente, sentem diferente, entendem diferente, gostam de coisas diferentes...

Assim, dando sequência ao entendimento da individualidade, peça agora que cada uma das crianças faça um desenho que representando aquilo que elas mais gostam de fazer.

Converse com as crianças sobre as escolhas, enaltecendo-as. Fale da importância da prática de esportes, das brincadeiras, e procure citar todas as opções apresentadas.

Usando a própria classe como exemplo, mostre que, apesar de ser a turma toda formada por crianças, nem todas as escolhas foram iguais.

Assim como Carlinhos, que apesar de ser um coelho, aparentemente igual aos outros, é diferente.

 E é diferente por que?

Porque Carlinhos gosta de muito de ler e pensa em livros o tempo todo.

Neste momento, peça para que as crianças que escolheram a leitura como atividade preferida levantem às mãos. Estatisticamente elas devem estar em menor número do que as que escolheram os esportes e as brincadeiras. Talvez nem haja crianças que escolheram a leitura. É exatamente este o momento para se explicar o motivo de ser Carlinhos, diferente.

(6)

Geralmente os coelhinhos, assim como as crianças, preferem brincar, jogar bola, estar com os amigos, e viajar a ler... e não há problema nenhum nisso. O importante é gostar de ler!

Se algumas crianças escolheram a leitura como sua atividade preferida, parabenize-as, e pergunte a elas:

 Por que vocês gostam de ler?

Entretanto, se a leitura não foi escolhida por nenhum aluno, simplesmente peça para que todos que gostem de ler levantem as mãos e, da mesma maneira, parabenize-os.

Diga que a leitura é um dos principais hábitos que uma criança pode e deve adquirir, e pergunte se eles sabem explicar o porquê. Todas as respostas devem ser válidas, mas dentre elas, não se pode esquecer que:

 A leitura exercita a nossa imaginação;

 A leitura nos possibilita viajar por mundos incríveis (e o melhor, sem que precisemos sair do lugar);

 A leitura nos ensina novas palavras, seu significado e como são escritas;  A leitura nos faz companhia sempre que queremos;

 A leitura nos apresenta amigos (personagens) incríveis;

 A leitura nos ensina a expor melhor nossas ideias, com começo, meio e fim;  A leitura nos ajuda a compreender melhor o significado de tudo, desde textos

até problemas de matemática – nos ensina a ler a vida!

Sessão MAIS:

(7)

Carlinhos gosta tanto de ler que faz listas de muitos livros como por exemplo, dos livros que já leu, dos livros favoritos, dos que ele quer ler em breve, etc.

Aproveite a oportunidade para ler com as crianças as divertidas listas de Carlinhos (apresentadas nas páginas 4 e 5), e tente descobrir se elas reconhecem alguns dos livros ao qual o protagonista faz menção.

 Alice no país das cenourinhas.  Reinações de coelhinho.  Volta ao campo em 80 dias.  O senhor dos alfaces.  A alface sem fim.

 Vocês sabem quais os nomes verdadeiros desses livros?

Apresente ao menos um dos livros originais às crianças e converse um pouco com elas sobre ele.

. As listas das crianças

Como tarefa, peça que as crianças tragam de casa o livro preferido de cada uma delas e faça uma linda lista.

Da mesma forma que Carlinhos amava mergulhar nas histórias e fazer de conta que era um personagem, ou que estava viajando para algum lugar distante, peça para que cada mergulhe em sua história predileta e depois, apresente-a aos seus colegas.

3) Trabalhar valores

(8)

Apesar de Carlinhos estar orgulhoso com ele mesmo, este hábito deixava Arthur, que também amava a leitura e os livros, muito chateado.

Surge aqui uma ótima oportunidade para trazer à pauta os valores fundamentais.

Explique que todo ser humano é dotado de consciência e liberdade de decisão, e por este motivo, cada um de nós possuiu um conjunto de atitudes, maneiras de agir, que consideramos importantes e que definem o nosso jeito de ser. Chamamos estas regras de valores fundamentais do ser humano.

Converse com as crianças sobre o assunto, pontuando:

 Autoestima (capacidade de gostar de si)  Coragem

 Verdade  Honestidade  Confiança  Amizade

Pergunte às crianças se elas compreendem o significado de cada um destes valores e ao final, caso necessário, esclareça as dúvidas.

Solicite que, de acordo com a história de Carlinhos e de Arthur, sejam dados exemplos de cada um dos valores citados.

EXEMPLOS:

 Carlinhos demonstrou autoestima/ orgulho de sim mesmo quando...  Arthur foi corajoso quando...

(9)

 Carlinhos foi honesto/ verdadeiro quando...

Vale notar que neste caso, apesar de Carlinhos não estar se comportando da melhor maneira (pois roubava livros), ele foi honesto, corajoso e falou a verdade quando o policial Pomposo finalmente o pegou.

Falando de valores, peça para que cada classe escolha um ou mais valores apresentados no livro. Sugira a criação de histórias com os valores escolhidos, ou oportunize a apresentação de experiências pessoais nas quais os mesmos possam ser identificados.

Sessão MAIS:

. Visita à biblioteca

Ao perceber que Carlinhos amava tanto os livros como ele próprio, Arthur resolveu levá-lo a um lugar onde havia muitos e muitos livros que poderiam ser emprestados: a biblioteca.

Caso a escola possua uma biblioteca, organize uma visita com todos os alunos. A ideia é que a bibliotecária apresente a eles o espaço como um todo, cadastrando cada um dos alunos e explicado como funciona o empréstimo dos livros, inclusive, deixando claro que a devolução no prazo certo é importante, para que todos tenham oportunidade de ler o livro e se divertir com história.

. Parede dos Valores

(10)

Imagem

Referências

temas relacionados :