Encuentro anual Galp Energia España: Compartiendo Energía Positiva 3

Texto

(1)

Destaque

Encuentro anual Galp Energia España: Compartiendo Energía Positiva 3

El evento finalizó con acciones de Responsabilidad Social Corporativa

Por tercer año consecutivo, Galp Energia España ha celebrado a finales de Febrero su reunión de resultados y objetivos anual en la que las distintas áreas y negocios expusieron a casi 400 compañeros un resumen de cómo ha sido 2014 y adelantaron nuevas iniciativas y proyectos para el resto de 2015. Han sido dos días en los que hemos fomentado el conocimiento de todos los compañeros a la vez que impulsábamos el trabajo en equipo y la responsabilidad social de la compañía.

Durante la misma Nuno Moreira da Cruz, Country Manager del grupo en España, incidió en la importancia de conseguir los resultados del presupuesto de 2015, 43 millones de EBITDA, involucrando a los distintos departamentos para que trabajemos juntos. Contamos también con la presencia y las palabras de Luis Palha, Administrador de Galp Energia; y Rui Reis, Director General Comercial.

05-03-2015 N.º 145

(2)

Cooperamos en un taller de carpintería, una actividad artística de pintura, una acción deportivo-inclusiva y una visita educativa a una reserva de burros. El objetivo de estas acciones ha sido acercar el mundo de la empresa a las personas con discapacidad, potenciando sus habilidades sociales y de comunicación, de cara a su futura integración laboral. Nuestros invitados fueron la Fundación Aldaba, el Grupo 5, la Fundación Ande, el Centro Ocupacional Valenzana y el Grupo Amás.

Nuno Moreira da Cruz, director general de Galp Energía comentó que: “la involucración directa de nuestros empleados en estas actividades demuestra que aplicamos toda nuestra energía positiva en la construcción de una sociedad más integradora y refleja el alto nivel de compromiso y solidaridad que existe en nuestra organización".

(3)

Institucional

Arranque da segunda edição do Mestrado em Engenharia do Petróleo

Promovido pelo Instituto do Petróleo e Gás (ISPG) e a Heriot-Watt University

No passado dia 2 de março a Galp Energia recebeu os alunos da segunda edição do Mestrado em Engenharia do Petróleo (MScEP), promovido pelo Instituto do Petróleo e Gás (ISPG) em parceria com a Heriot-Watt University.

O primeiro dia da semana de acolhimento arrancou com breves apresentações sobre a Empresa, dando a conhecer o seu enquadramento atual, a sua Cultura, os respetivos Valores e a Estratégia de Capital Humano. Estas sessões foram intervaladas com diversas atividades de team building, que permitiram aos alunos desenvolverem desde já relações facilitadoras do trabalho em equipa.

05-03-2015 N.º 145

(4)

Os restantes dias da semana de acolhimento estão a ser assegurados pela equipa de Exploração & Produção da Galp Energia, permitindo aos alunos o contacto com a realidade desta unidade de negócio, bem como o alinhamento de conhecimentos e linguagem específica, mesmo antes do arranque do MScEP.

Na quarta-feira os alunos tiveram ainda a oportunidade de receber a visita do Presidente Executivo da Galp Energia, Manuel Ferreira De Oliveira, o qual enalteceu e felicitou o entusiasmo com que aceitaram o desafio da Galp Energia.

(5)

A semana de acolhimento visa construir bases sólidas para que os 21 alunos da segunda edição do MScEP, entre eles 17 portugueses e 4 brasileiros, sustentem e potenciem as suas aprendizagens durante todo o Mestrado. O grupo tem mostrado grande curiosidade e interesse em conhecer as equipas da área de Exploração & Produção e a dinâmica do setor de Oil & Gas.

O arranque formal das aulas será já no próximo dia 9 de março.

05/03/2015

Transparência na comunicação com Instituições Europeias

Todos os contactos da empresa com a UE passam a ser registados e de acesso público

A Galp Energia passou a estar inscrita no registo de transparência da União Europeia (UE) segundo a nova versão adotada pela Comissão e pelo Parlamento Europeu com o objetivo de reforçar a transparência dentro da UE. Lançada no final do mês de janeiro, esta tem por objetivo identificar os interesses que estão a ser promovidos, por quem e com que fundos.

O registo cobre todas as atividades levadas a cabo com o objetivo de influenciar direta ou indiretamente a elaboração e a execução de políticas e o processo decisório das instituições europeias, independentemente do local onde são realizadas e do canal ou meio de comunicação utilizado.

Em todas as comunicações com as instituições europeias, bem como sempre que solicitado o acesso à Comissão Europeia ou ao Parlamento Europeu para reunir com interolocutores destas entidades, todas as organizações e trabalhadores independentes devem indicar o seu número de Registo de Transparência, pelo que devem efetuar previamente o respetivo registo.

05-03-2015 N.º 145

(6)

Para mais informações consulte a equipa do Gabinete da Presidência e Representação Institucional.

05/03/2015

União Europeia promove União

Energética

Publicada a comunicação da Comissão Europeia sobre o tema

O sistema energético europeu debate-se com a necessidade cada vez mais premente de garantir energia segura, sustentável, a preço acessível e competitiva a todos os cidadãos. Como tal, no passado dia 28 de fevereiro foi publicada a comunicação da Comissão Europeia sobre a União Energética.

A excessiva dependência em relação a um pequeno número de fontes de aprovisionamento, nomeadamente no que respeita ao gás natural, torna os países vulneráveis a perturbações do aprovisionamento. Por outro lado, a União Europeia mantém os objetivos de redução da dependência em relação aos combustíveis fósseis e das emissões de gases com efeito de estufa. A acessibilidade dos preços da energia e a sua competitividade são também uma preocupação crescente.

(7)

Os obstáculos persistentes a uma verdadeira integração do mercado, a falta de coordenação das políticas nacionais e a ausência de uma posição comum em relação aos países terceiros entravam os progressos neste domínio, pelo que é considerado que a resposta eficaz a estes desafios consiste num conjunto mais coerente de medidas em vários domínios de intervenção e a nível nacional e da UE. Como empresa do setor energético e em particular como empresa portuguesa, a Galp Energia considera essencial o equilíbrio entre os três objetivos de alto nível da UE: segurança do abastecimento, competitividade e sustentabilidade. Para tal propósito, alguns princípios deverão ser salvaguardados:

 Uma indústria de refinação nacional competitiva, com acesso sem restrições à sua matéria-prima e um único mercado europeu para produtos petrolíferos são condições necessárias para a superação e a competitividade da economia da UE;

 Os recursos de petróleo e gás domésticos podem proporcionar uma importante contribuição para a segurança do abastecimento da UE, pelo que não deverão ser esquecidos;

 A criação de condições para a redução dos preços da energia – que severamente prejudicam a competitividade internacional da indústria da UE e sobrecarregam os consumidores – deverá ser uma prioridade;

 A transição para uma economia de baixo carbono deve ser gerida tendo por base pressupostos realistas, economicamente fiáveis e sustentáveis;

A existência de um level playing field entre as diversas fontes de energia alternativas, com um mercado a funcionar com base nos méritos ambientais e tecnológicos das diferentes fontes.

Para mais informações sobre o tema, consulte o site da Comissão Europeia aqui. Para consultar o

press release da FuelsEurope clique aqui.

05/03/2015

05-03-2015 N.º 145

(8)

Apesar das melhorias ambientais, nas últimas décadas, os desafios que a Europa enfrenta nesta matéria são consideráveis. O capital natural Europeu tem vindo a ser degradado pelas atividades socioecónomicas, tais como a agricultura, pescas, transporte, indústria, turismo e expansão urbana.

Algumas das conclusões obtidas neste relatório são que "os europeus têm atualmente ar e água mais limpos; são depositados menos resíduos em aterro; e são reciclados mais recursos".

A perda de biodiversidade e as alterações climáticas "continuam a ser as mais importantes ameaças", para os próximos 20 anos, a que se juntam a degradação da qualidade dos solos e as emissões de gases com efeito de estufa, aspeto relacionado com o consumo de energia, a utilização de combustíveis fósseis e a continuação do aumento da utilização dos transportes.

Consulte a síntese do SOER 2015 aqui para saber mais pormenores sobre o relatório.

Imagem

temas relacionados :