1995-2010

Top PDF 1995-2010:

A inclusão financeira e bancarização das classes menos favorecidas no Brasil: 1995-2010

A inclusão financeira e bancarização das classes menos favorecidas no Brasil: 1995-2010

ANDRADE, Daniel João de. A Inclusão Financeira e Bancarização das Classes menos favorecidas no Brasil: 1995-2010. 52 fl. Florianópolis: CNM/UFSC, 2017. Monografia. Esta pesquisa analisou o impacto da bancarização com a inclusão das classes menos favorecidas no sistema financeiro brasileiro no período de 1995 a 2010. Destaca a origem do sistema bancário brasileiro até a formação de grandes grupos financeiros, e o comportamento do sistema bancário no Brasil neste período, marcado pela instabilidade macroeconômica. A década de 1980 foi tratada como a década perdida cujas características se deram pela forte estagnação do crescimento econômico e pela hiperinflação, período em que os bancos realizavam grandes lucros através das receitas de floating. Aborda-se as dificuldades apresentadas pelas classes menos favorecidas, principalmente em função, da concentração da renda, da falta de educação financeira aliados à falta de políticas de crédito nos bancos, o que afastou essas classes do sistema financeiro brasileiro durante décadas. Destaca-se, as políticas públicas realizadas pelo Estado que propiciou o acesso ao crédito como uma forma de combate à pobreza e ascensão das classes menos favorecidas. Conclui-se que a criação das contas simplificadas serviu como facilitador do acesso ao sistema financeiro e a ramificação do sistema financeiro através dos correspondentes bancários.
Show more

53 Read more

Análise comparativa dos investimentos públicos destinados a Educação Superior Brasileira no período de 1995-2010.

Análise comparativa dos investimentos públicos destinados a Educação Superior Brasileira no período de 1995-2010.

The article comparatively evaluates public educational expenditures during the governments of former presidents Fernando Henrique Cardoso (1995-2002) and Luiz Inácio Lula da Silva (2003-2010). Within this context, the main objective is to evaluate the public investment trajectory for public and private higher education institutions during the four mandates referring to the government periods of the Brazilian Social Democracy Party (PSDB) and the Workers' Party (PT). The study is based on data from the study of Brazilian higher education in the period 1995-2010, carried out by Professors Gilvan Dias de Lima Filho of the Federal University of Campina Grande (UFCG) and Nicolino Trompieri Filho of the Federal University of Ceará (UFC). The results are divided into three axes: the number of HEIs, the number of students enrolled and the expenditures made in each period (1995-2002 and 2003- 2010) and segment (public and private). As a result, it can be said that the two governments used the two strands, evaluation and financing, sometimes strongly coupling them, as a strategy to reach their objectives. In both periods, it was sought to promote an expansion in the number of students enrolled in higher education, with a proportional reduction of the public sector. Significant increase in private sector participation in Brazilian higher education; Significant expansion of public investments in higher education in the Lula government. With regard to the annual per capita expenditures at the end (2002) of the Fernando Henrique Cardoso government were R$ 14,902.35, while the per capita annual expenditures at the end (2010) of the Luiz Inácio Lula da Silva government were R$ 18,141, 89. This represents a growth of 21.74%. In comparison with the previous governments both the governments of FHC and Lula have had good performances in education, despite the results even lower.
Show more

33 Read more

Sindicalismo rural e neocorporativismo no sistema agroindustrial leiteiro do Rio Grande do Sul – 1995-2010

Sindicalismo rural e neocorporativismo no sistema agroindustrial leiteiro do Rio Grande do Sul – 1995-2010

As ações desenvolvidas pela Farsul evidenciam um tom mais moderado na apresentação das reivindicações, já que não foi possível identificar a estratégia de mobilizações sendo efetivamente utilizada pela Federação nos moldes praticados pela Fetag-RS, no âmbito do sistema agroindus- trial leiteiro, no período de 1995-2010. Boa parte disso se deve ao fato de a Federação representar, principalmente, os interesses de produtores de leite com escalas maiores de produção individual que, no período em questão, foram beneficiados pela política de remuneração diferenciada implantada pelas agroindústrias de laticínios. Tal política acaba pagan- do um preço acima da média aos produtores com maiores volumes de produção de leite. Apesar disso, em diversos momentos, a Farsul emitiu posicionamentos políticos públicos de cobrança aos governos e às agroindústrias de laticínios. Nesse contexto, em termos de ações, foram mais comuns as reuniões, as audiências públicas e o envio de documen- tos. A interface nacional com a CNA no encaminhamento da maior parte de suas reivindicações transferiu àquela o peso e a responsabilidade da cobrança e retorno aos pleitos feitos pelas instâncias locais.
Show more

38 Read more

A disputa pela defesa dos direitos e os movimentos das políticas públicas para Quilombo no Brasil (1995-2010)

A disputa pela defesa dos direitos e os movimentos das políticas públicas para Quilombo no Brasil (1995-2010)

Desta maneira, no decorrer dos governos FHC, ainda foram criados o Programa Brasil Gênero e Raça pelo Ministério do Trabalho. Além disso, foram criados os Ministérios da Jus- tiça e do Desenvolvimento Agrário, como também o Conselho Nacional de Combate à Dis- criminação, tendo como função propor políticas afirmativas e o Programa Diversidade na Universidade e das Relações Exteriores, o qual instituiu ações afirmativas em suas pastas. E mesmo com essas ações, “ainda na agenda do governo FHC, envolvendo diversos órgãos governamentais, a temática racial encontrava-se vinculada à agenda da Secretaria dos Direitos Humanos e nenhum programa específico para a população quilombola havia sido desenhado” (MARINHO, 2014, p. 11). Para Márcia Lima (2010), as ações afirmativas que ocorreram na gestão FHC foram tímidas e posteriores a Durban 7 tiveram certo enfoque e houve um esforço
Show more

17 Read more

As tecnologias da informação no Brasil: um ensaio sobre processos tecnológicos no período de 1995-2010

As tecnologias da informação no Brasil: um ensaio sobre processos tecnológicos no período de 1995-2010

criação de condições ressalta outras diferenças sociais, assim como tecnológicas, na distribuição desigual de capitais nos territórios nacionais. A ideia de que a interne[r]

33 Read more

A escola como objeto de estudo: o conhecimento produzido em periódicos publicados pelo INEP (1995-2010)

A escola como objeto de estudo: o conhecimento produzido em periódicos publicados pelo INEP (1995-2010)

Considerando a trajetória do conhecimento em Administração da educação, os resultados de pesquisa anterior intitulada “A Escola como objeto de estudo da Ciência da educação no Brasil (1990-2005)” e, atualmente, integrando o projeto “Indicadores de desempenho, gestão e qualidade da escola básica” (Edital n. 38/2010 Capes/Inep), esta pesquisa realizou levantamento e análise da produção de conhecimento sobre a escola tomando como subsídio teórico a sociologia das organizações escolares (COSTA, 2003; LIMA, 2008). A pesquisa trabalhou com dois periódicos de grande circulação nacional que são publicados pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira - INEP: Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos (RBEP) e Em Aberto, entre 1995 e 2010, período escolhido por focalizar dois governos: Fernando Henrique Cardoso (1995-2002) e Luis Inácio Lula da Silva (2003-2010). A intenção foi a de evidenciar a contribuição desses estudos para a produção do conhecimento em Administração escolar no Brasil. A dissertação está estruturada em três capítulos. No Capítulo 1, primeiramente, são apresentados o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira – INEP e os periódicos: Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos (RBEP) e Em Aberto; em seguida, analisam-se alguns aspectos da Política Educacional da década de 1990 em diante, destacando suas continuidades e rupturas nos governos presidenciais, Fernando Henrique Cardoso (1995-2002) e Luiz Inácio Lula da Silva (2003-2010), explicitando o contexto em que foram publicados os artigos nos periódicos que se constituem objeto do estudo. O Capítulo 2 contempla o referencial teórico para análise dos artigos, versando sobre as seis imagens organizacionais da escola apresentadas por Costa (2003) e os quatro modelos teóricos para o estudo da escola enquanto organização educativa propostos por Lima (2008), os quais possibilitaram a análise dos artigos levantados. O Capítulo 3 realiza análise do conjunto da produção, evidenciando: quantidade, títulos e autores por período (1995-2002; 2003-2010); referencial teórico e metodológico; principais temáticas contempladas; e análise dos artigos com o subsídio teórico proposto no Capítulo 2. Quanto aos resultados, de modo geral, foi possível analisar 33 artigos sendo que a maioria perspectivou a escola enquanto democracia.
Show more

105 Read more

ENTRE O BEM E O MAL: REPRESENTAÇÕES DO MST SOBRE OS PRESIDENTES FHC E LULA (1995-2010)

ENTRE O BEM E O MAL: REPRESENTAÇÕES DO MST SOBRE OS PRESIDENTES FHC E LULA (1995-2010)

O Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), ao longo dos seus 30 anos, constituiu sólida organização em prol da reforma agrária, com atuação em diversas frentes de luta, tais como: organização de acampamentos e assentamentos, criação de cooperativas, escolas, articulações com outros movimentos sociais. O MST é um Movimento em movimento, em construção, e analisá-lo significa olhar o seu devir, suas contradições, e sua contribuição histórica para os trabalhadores rurais no Brasil. Em suas três décadas de existência, tornou-se objeto de pesquisa nos mais variados campos do saber, o que evidencia sua riqueza e amplitude de ações face à sociedade. Nessa perspectiva, a tese objetiva analisar as representações do MST sobre os presidentes FHC e Lula, publicadas no Jornal Sem Terra, entre os anos de 1995 e 2010. Nelas são destacados momentos de tensão resultantes da relação do MST com esses presidentes e seus respectivos governos. Para escrita do trabalho, além de referências bibliográficas, utilizou-se como fonte principal o Jornal Sem Terra, em especial, seus editoriais. Outras fontes também foram analisadas como entrevistas com os editores do jornal e materiais produzidos pela organização do MST. Por ser a fonte principal da pesquisa, o Jornal Sem Terra também foi objeto de reflexão. Discutiu-se que o periódico se configurou como um importante instrumento político de luta, utilizado pela Direção Nacional do MST para construir representações sobre as diversas relações que envolviam sua organização e seus integrantes. Historicamente, os presidentes brasileiros foram alvos das representações do Movimento por meio do Jornal Sem Terra; essas representações carregam uma carga ideológica sobre a leitura e as visões de mundo face aos presidentes. Embora a ênfase da análise esteja relacionada aos presidentes FHC e Lula, na tese reflete-se também o modo de elaboração de representações sobre os presidentes José Sarney, Fernando Collor de Mello e Itamar Franco, destacando-se que havia uma perspectiva continuísta nos discursos do jornal. Avaliou-se que o MST, em sua trajetória histórica, elaborou representações sobre FHC e Lula a partir de uma visão maniqueísta, em que os presidentes foram personificados como a tradução do bem e do mal. Nesse processo de construção de representações, houve dificuldade de o Movimento compreender o Estado e as complexas e dinâmicas relações que envolviam os governos no jogo político brasileiro. A personificação dos presidentes FHC e Lula nas representações do MST sinalizam para uma visão romântica e idealizada da política, não se considerando avanços, recuos e limites das ações dos referidos presidentes e das de seus governos.
Show more

440 Read more

Geopolítica do Brasil – A consolidação de uma Potência Regional e o despontar de uma Superpotência Emergente (1995 – 2010)

Geopolítica do Brasil – A consolidação de uma Potência Regional e o despontar de uma Superpotência Emergente (1995 – 2010)

Mackinder para classificar uma vasta região situada no “coração da Eurásia”, a maior massa terrestre continental do planeta, a que aquele designaria de “Ilha-Mundo”. O conceito de heartland foi originalmente concebido por Mackinder como um vasto território com enorme potencial para a prática da agricultura e pecuária, devido à sua disponibilidade de terras férteis e abundantes recursos hídricos, da actividade de extracção de matérias-primas, dadas a enormes jazidas de minerais e recursos energéticos, e para assentamento de grupos humanos, apesar de subpovoada. Além de representar uma região rica em recursos naturais, a sua delimitação original, apresentava-a como uma região cercada por extensos acidentes geográficos como cadeias de montanhas, rios de grande dimensão, planaltos, desertos e extensas áreas permanentemente congeladas, constituindo-se assim numa fortaleza natural inexpugnável e impossível de conquistar por uma potência naval exterior à vasta massa terrestre da Eurásia. Posteriormente, este conceito desenvolvido para a Eurásia, passaria a ser aplicado à América do Sul por Golbery do Couto e Silva sob a expressão de “área de soldadura” continental, querendo com ela referir-se à região central do subcontinente Sul-Americano formada pelas regiões do Centro-Noroeste do Brasil, Norte da Argentina e a totalidade dos territórios do Paraguai e da Bolívia, por a considerar possuir algumas das características identificadas por Mackinder na Eurásia, nomeadamente por identificar aquela região central da América do Sul como o coração geográfico do subcontinente. Com efeito, apesar do conceito original de heartland poder apresentar limitações quando aplicado a outros continentes que não a massa continental euroasiática, a sua aplicação ao espaço geopolítico do subcontinente Sul-Americano, apresenta uma mais-valia explicativa para o entendimento da estratégia brasileira de integração Sul-Americana, especialmente se se considerar a importância dos projectos de infra-estruturas de transporte, comunicações e de energia pensados para cruzar esta região central do subcontinente, assim como para uma melhor compreensão da estratégia de Segurança e Defesa do Brasil no plano regional. Sobre esta questão do alcance, limites e pertinência do conceito de heartland aplicado ao subcontinente à luz dos actuais desafios geopolíticos de integração Sul-Americana e seu valor estratégico, ver: Cfr. OLIVEIRA, Lucas K. e GARCIA, Tatiana S. L. (2010), “O Conceito de Heartland na Geopolítica Clássica: Funcionalidade e Limites para a análise da Região Central da América do Sul”, disponível em: http://www.anppas.org.br./encontros5/cd/artigos/GT17-598-977-20100904053012.pdf.. Acesso a: 07/Jan./2013; 15:13.
Show more

287 Read more

MATO GROSSO E SUAS AÇÕES NO CENÁRIO INTERNACIONAL (1995-2010) DOUTORADO EM CIÊNCIAS SOCIAIS

MATO GROSSO E SUAS AÇÕES NO CENÁRIO INTERNACIONAL (1995-2010) DOUTORADO EM CIÊNCIAS SOCIAIS

Sobre a criação da ARF Barreto (2001), citando o decreto 2246/97, que a institui, lembra que ela tem o objetivo de fazer a relação do Ministério das Relações Exteriores “c[r]

239 Read more

O processo seletivo dos diplomatas brasileiros (1995-2010)

O processo seletivo dos diplomatas brasileiros (1995-2010)

O Rio de Janeiro, que num primeiro momento reunia a maior parte da produção industrial, acaba por ceder esse lugar a São Paulo, onde uma atividade fabril mais d[r]

439 Read more

Os multi-suportes a pleno vapor. O caso da empresa canadense Québecor, 1995-2010

Os multi-suportes a pleno vapor. O caso da empresa canadense Québecor, 1995-2010

em um primeiro momento, o artigo situa o grupo Québecor no contexto da indústria midiática canadense, e mais precisamente no que concerne à produção do jornalismo francófono. Retomando os anos recentes da história do conglomerado, vamos nos centrar em vários episódios do seu desenvolvimento. Também será enfatizada a adaptação da empresa à Internet, dentro da lógica de tentativa e erro que acontece no início dos anos 2000, após o efeito devastador resultante da queda generalizada do preço das ações das empresas de tecnologia. Nossa investigação continua até o ano 2010, quando o grupo parece apostar suas fichas na implementação da agência de notícias doméstica QMI (Québecor Media, Inc.). Faremos uma análise do sucesso da convergência jornalística no coração deste império (Cauchon, 2009a). As operações centrais da agência, baseada na cidade de Montreal, assumem uma função crucial nesse processo. QMI também parece estar destinado a desempenhar um papel estratégico no fornecimento do conteúdo a telefones celulares, tablets e outros dispositivos móveis.
Show more

24 Read more

Mundo virtual e espaço urbano: os impactos do avanço da internet em Uberlândia – (1995-2010)

Mundo virtual e espaço urbano: os impactos do avanço da internet em Uberlândia – (1995-2010)

No primeiro capítulo abordarei alguns conceitos que surgiram com o avanço da tecnologia como cibercidades, ciberespaços e ciberculturas e cidades em rede, problematizando se realmente a Internet em especifico é a mais nova e atual forma de exclusão social. Analisarei também alguns dados sobre a exclusão digital no país. No segundo capítulo, através de um dos principais meios de informação da cidade de Uberlândia, o jornal “Correio”, e através de questionários realizados em escolas públicas e municipais de Uberlândia irei demonstrar como a sociedade uberlandense, a partir da década de 1995, reagiu ou tem reagido às transformações ou aos impactos gerados por essa nova forma de sociabilidade, que é a Internet e como estas escolas estão se adaptando aos projetos de Inclusão Digital. Foram realizadas visitas em escolas na zona urbana de Uberlândia sendo elas: EM Afrânio Rodrigues da Cunha ; EM Prof. Ladário Teixeira; EM Prof. Otávio
Show more

61 Read more

O poder no Executivo: uma análise do papel da Presidência e dos Ministérios no presidencialismo de coalizão brasileiro (1995-2010).

O poder no Executivo: uma análise do papel da Presidência e dos Ministérios no presidencialismo de coalizão brasileiro (1995-2010).

Com base em uma abordagem transacional sobre a relação entre o Presidente e os ministros, busca-se, a partir da identificação da autoria das iniciativas legislati[r]

25 Read more

A política econômica dos ex-presidentes FHC e Lula nas charges do jornal O Globo (1995-2010)

A política econômica dos ex-presidentes FHC e Lula nas charges do jornal O Globo (1995-2010)

FHC na charge da figura 58 é o comandante da embarcação, analogamente o Brasil. Usando roupas e acessórios de pirata/capitão, leva no ombro esquerdo um tucano, identificado como o economista Pérsio Arida, filiado ao PSDB também, como nariz ampliado para parecer-se com a ave símbolo do partido e associado ao neoliberalismo e às privatizações. Arida, ex- presidente do Banco Central, já havia deixado o governo federal nesta época por suspeitas de ter encontros com banqueiros antes de tomar grandes medidas econômicas e cambiais. Na época da privatização da Vale do Rio Doce 21 atuava em um fundo de investimentos privado e foi consultor no processo movido por FHC. A venda da companhia até hoje recebe críticas e poucas charges mencionaram o assunto no jornal do O Globo, ao longo dos dois mandatos do governo tucano, o que pode ser explicado, em parte, pelo apoio que o jornal se inclinava a oferecer aos governantes, ou mesmo pela posição alinhada à direita que defendia as privatizações. A referência no texto da charge também supõe um posicionamento político, pois direita é a linha de atuação de FHC, dentro de um projeto de neoliberalismo que defende que o Estado tenha responsabilidades mínimas na administração pública, entregando muitos serviços para exploração da iniciativa privada, sempre alegando que investidores externos têm melhores condições de alavancar os setores. E, neste caso, foi o que foi feito com a exploração de minérios da companhia Vale do Rio Doce. Quando uma empresa estrangeira se habilitava à compra das estatais podia acessar crédito do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) para pagar as aquisições. Diversos relatos indicam que houve subvalorização da companhia. Relatórios indicam que em maio de 1995 a Vale informou à Securities and Exchange Comission, entidade que fiscaliza o mercado acionário dos Estados Unidos, que as reservas de minério de ferro em Minas Gerais eram de 7,918 bilhões de toneladas, mas, dois anos depois, o
Show more

191 Read more

A pesquisa na pós-graduação das ciências agrárias (1995-2010): uma história de expansão e controle capitalista

A pesquisa na pós-graduação das ciências agrárias (1995-2010): uma história de expansão e controle capitalista

Esta pesquisa objetiva investigar as tendências de interesse científico nas Ciências Agrárias, especificamente na pós-graduação das universidades brasileiras, expressa nas teses e dissertações disponíveis no Banco de Teses da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior – CAPES, durantes os octênios dos Governos dos Presidentes Fernando Henrique Cardoso (FHC) e Luís Inácio Lula da Silva (LULA), que correspondem ao período de (1995 a 2010). O interesse nas tendências teóricas das Ciências Agrárias e nos projetos de desenvolvimento do setor agrário brasileiro se deu desde o mestrado, na elaboração da Dissertação que abordou as relações entre a formação dos profissionais das Ciências Agrárias e o processo de subordinação ao capital, no que tange a sua forma “agrária” que é conhecida como Agronegócio. A dissertação “Residência Agrária: um projeto camponês e universitário” foi um estudo de caso de uma política nacional de formação e qualificação de profissionais das Ciências Agrárias para atuarem na especificidade da reforma agrária na Universidade de Brasília – UNB. Durante o doutorado continuei estudando faces da influência do agronegócio, agora pesquisando os temas nas teses e dissertações dos programas de pós-graduação reconhecidos pelo Ministério da Educação (MEC). As Ciências Agrárias, objeto desta pesquisa, produzem e explicitam, numericamente, a tragédia do desenvolvimento desigual do campo brasileiro. Portanto, este trabalho se nutre das reflexões candentes dos teóricos da questão agrária Oliveira (1997, 2004, 2005, 2006), Shanin (2005), Marques (2002), Bombardi (2016), Fernandes (2001, 2002).
Show more

224 Read more

Coprodução cinematográfica internacional e política audiovisual brasileira (1995-2010)

Coprodução cinematográfica internacional e política audiovisual brasileira (1995-2010)

Cada caso é diferente, cada caso tem uma história. Em "Call Girl", quem tinha o direito de exibição aqui era a Lagoa (Cultural), o Bruno Sroppiana não conseguiu fechar com a distribuidora, ele me contou uma vez. O caso do Jean Charles é um caso que eu conheço melhor, foi lançado no Brasil e acho que ele não foi lançado na Inglaterra porque o coprodutor inglês era o UK Film Council, e ele foi extinto. Acho que isso prejudicou o lançamento do filme na Inglaterra. Nessa mudança, algumas coproduções que o UK Film Council fez ficaram perdidas lá, essa foi uma explicação que o próprio pessoal do UK Film Council me deu. Não dá pra dar uma explicação única, há casos e casos. Há também casos em que o filme sai, mas não fica muito bom, é lançado no país de origem, mas o resultado deixa a desejar. Às vezes, é lançado no outro país e não é lançado no país de origem, por desinteresse do distribuidor. Lançar um filme é uma coisa posterior, para você lançar um filme precisa de uma série de coisas: depende primeiro de o filme ter ficado bom. O fato é que tem muito filme ruim. Não é que eu ou você ache ruim, é que os distribuidores acham ruim, o circuito exibidor acha ruim. Filme na prateleira é um problema no mundo inteiro. Quantos filmes dos EUA vão direto pra DVD ou nem vão pra DVD? Os argentinos em 2010 produziram 130 longas-metragens e não conseguiram lançar isso tudo. Tem muita gente que escreve um livro e não consegue publicar. Vai parar de escrever por causa disso?
Show more

228 Read more

Representações humorísticas de FHC e de Lula no jornal O Globo (1995-2010)

Representações humorísticas de FHC e de Lula no jornal O Globo (1995-2010)

ABSTRACT: The aim of this text is to propose a reflection on the mechanisms of graphic humor present in the representations of the former presidents of Brazil, Fernando Henrique Cardoso (FHC) and Luiz Inácio Lula da Silva (Lula), published in the newspaper O Globo (The Globe) between 1995 and 2010, gathered from its digital archive. The repercussions of these two governments are to this day visible in the country and the historical narrative of their mandates can also be read through political cartoons that caricatured both of them. We consider the political cartoon as an enunciate, that is, the materiality of a communicative situation that depends on the historical moment in which it was produced and it transforms itself at each reading. In the discursive strategies created by Aroeira and, especially, by Chico Caruso, we perceive a dialogue between the caricature of the politicians and the language of the political cartoons, the use of visual metaphors, parodies, intertextuality and citations, and even sequenced comic narratives. In the interpretation and critique of the events of Brazilian
Show more

26 Read more

POLÍTICAS DE EXPANSÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR NO BRASIL 1995-2010.

POLÍTICAS DE EXPANSÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR NO BRASIL 1995-2010.

Outro problema que merece consideração no EaD é o trabalho do docente. Ele é substancialmente desenvolvido por tutores que não desfrutam do mesmo reconhecimento e tratamento legal dado aos professores em geral, não dispondo sequer de vínculo empregatício, muito embora desenvolvam atividades tipicamente docentes. A resolução n. 8, de 30 de abril de 2010, do MEC, é exemplar nesse aspecto, ao destacar que os tutores devem trabalhar mediante o recebimento de bolsas, um tipo de contratação que evita a criação de vínculo empregatício e a ga- rantia de benefícios e direitos comuns aos trabalhadores, como carreira docente, décimo terceiro salário, férias, bem como a contagem de tempo para a composição da base de cálculo da aposentadoria. Na expressão de Segenreich (2009, p. 219), criou-se “uma subclasse docente, apesar da importância do tutor no processo ensino-aprendizagem dessa modalidade de ensino”. Conigura-se, assim, um pro- cesso de precarização e lexibilização das relações de trabalho, no caso da UAB, dentro da própria universidade pública. Paralelamente, as empresas privadas que atuam no mercado educacional desse setor passam a dispor de signiicativas opor- tunidades adicionais para continuarem a fazer da educação um negócio lucrativo, barateando o custo da mão de obra por meio do uso abusivo da prestação de serviços (Mancebo; Martins, 2012).
Show more

20 Read more

Agronegócio: evolução da estrutura fundiária brasileira no período 1995-2010

Agronegócio: evolução da estrutura fundiária brasileira no período 1995-2010

Imóvel Rural (Incra) - Imóvel Rural, para os fins de cadastro do Incra, é o prédio rústico, de área contínua, formado de uma ou mais parcelas de terra, pertencente a um mesmo dono, que [r]

58 Read more

A divulgação da avaliação da educação na imprensa escrita: 1995-2010.

A divulgação da avaliação da educação na imprensa escrita: 1995-2010.

A imprensa foi um ator relevante na história recente da avaliação da edu- cação básica e superior, pois a divulgação dos resultados teve e tem eco na imprensa, que segue duas tendências no tratamento da temática: a primeira, sensacionalista, destaca os aspectos negativos; a segunda, ranqueadora. Es- sas tendências colaboram, nos governos Fernando Henrique Cardoso (FHC) (1995-2002), para a implantação da política para a educação superior ,que tinha como norte a regulação das instituições pelo mercado. Nessa nova política, a avaliação e, especialmente, o Provão, inaugurou uma relação privilegiada com a mídia, em sua divulgação massiva, que gradativamente foi se expandido para a avaliação da educação básica.
Show more

22 Read more

Show all 4946 documents...