Análise de usabilidade

Top PDF Análise de usabilidade:

Adoção de Técnicas Fuzzy para Análise de Usabilidade de Software

Adoção de Técnicas Fuzzy para Análise de Usabilidade de Software

aplicação de técnica de inteligência computacional, mais especificamente Lógica Fuzzy. Para isso, será utilizado uma metodologia baseada em coleta de requisitos e Lógica Fuzzy para análise de usabilidade de software. O uso de questionários aplicados é uma técnica prospectiva que envolve a opinião do usuário e a avaliação entre ele e o sistema. Esses são utilizados para coletar as opiniões e requisitos primários, fazendo ao final uma avaliação tanto qualitativa quanto quantitativa do produto avaliado. Já a Lógica Fuzzy será empregada na avaliação e classificação dos requisitos do sistema, uma vez que ela permite inferir conclusões e obter respostas de informações vagas, ambíguas e imprecisas que podem estar presentes nos dados coletados pelo processo de aplicação dos questionários.
Mostrar mais

13 Ler mais

Análise de Usabilidade de um Sistema de EaD Baseada em Modelos Markovianos e em Taxonomia

Análise de Usabilidade de um Sistema de EaD Baseada em Modelos Markovianos e em Taxonomia

Resumo A eficácia da Educação à Distância reside, principalmente, na interatividade entre alu- no/interface/professor. Entender como o usuário se comporta, quando está conectado ao siste- ma, cria oportunidades para melhorias em diversas áreas, entre elas a da usabilidade. Este trabalho propõe que a análise de usabilidade de sistemas web seja feita usando a inspeção baseada em modelos Markovianos em conjunto com a inspeção baseada em taxonomia. A utili- zação de dois métodos permite uma avaliação mais completa da usabilidade, tendo em vista que os modelos Markovianos permitem uma avaliação quantitativa que é complementado com a avaliação qualitativa fornecida pela inspeção de taxonomia. Para verificar a viabilidade da proposta é apresentado um estudo de caso de um sistema de ensino à distância (EaD) em uso há mais de 5 anos e com mais de 60 mil alunos.
Mostrar mais

13 Ler mais

Análise de Usabilidade do Geogebra para a aprendizagem de Geometria Espacial no Ensino Médio

Análise de Usabilidade do Geogebra para a aprendizagem de Geometria Espacial no Ensino Médio

A Geometria Espacial é a parte da geometria que estuda o espaço, ou seja, que estuda formas e objetos em três dimensões. Visto principalmente no ensino médio, a Geometria Espacial auxilia os alunos no desenvolvimento cognitivo por estudar o conteúdo matemático que mais se aproxima do mundo real. Existem muitos softwares que auxiliam na aprendizagem de alunos e, na Geometria, um mundialmente conhecido é o Geogebra, um software que tem como objetivo a aprendizagem de matemática para diferentes níveis de ensino, do básico ao universitário. Porém, para que um software possa ser utilizado com de forma eficiente e eficaz, segundo a ISO/IEC 9241-11, o sistema precisa compor características de usabilidade. Este trabalho propõe uma análise de usabilidade do software Geogebra no ensino de Geometria Espacial utilizando Teste de Usabilidade com a participação de dois grupos de aluno de ensino médio, o primeiro de alunos que já utilizaram o Geogebra e o segundo de aluno que nunca utilizaram a ferramenta. Foram feitas comparações dos resultados dos testes utilizando o tempo de conclusão de cada tarefa proposta e o questionário pós-teste, baseado no SUS (​System Usability Scale​). Com os dados coletados, observou-se que o Geogebra possui problemas de interface e/ou interação com o usuário, apresentando erros que levaram a uma baixa pontuação. Além disso, foram incluídas algumas sugestões de melhorias para a ferramenta, a partir dos problemas identificados.
Mostrar mais

75 Ler mais

Análise de usabilidade e satisfação entre sistemas operacionais proprietários e livres

Análise de usabilidade e satisfação entre sistemas operacionais proprietários e livres

FALOPM QQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQ R2KC.[r]

19 Ler mais

Método com abordagem participativa para análise de usabilidade do site SENAI EAD

Método com abordagem participativa para análise de usabilidade do site SENAI EAD

Nesse sentido, o artigo apresenta método adaptado para avaliação de usabili- dade, a partir de abordagem participativa, do portal SENAI EAD, em particular, a etapa de cadastro e o primeiro acesso a um curso oferecido neste ambiente. A investigação maior compreende o estudo e as articulações entre conceitos e fundamentos sobre Design Instrucional, Educação a Distância, Design de Interação, Design Centrado no Usuário, métodos e processos de avaliação de usabilidade, abordagens participativas, princípios da linguagem visual. A partir do estudo e da análise dos materiais e dos pro- cessos levantados, foi adaptado e aplicado método de avaliação de usabilidade, basea- do em ferramentas adotadas em abordagens participativas, que incluem os usuários no processo. Este trabalho apresenta a aplicação do método proposto para avaliação, os resultados desta etapa da pesquisa e a análise dos dados. O processo permitiu elaborar recomendações para a melhoria do primeiro acesso ao AVA estudado.
Mostrar mais

17 Ler mais

Análise de Usabilidade do Módulo Laboratório Virtual de Programação do Moodle

Análise de Usabilidade do Módulo Laboratório Virtual de Programação do Moodle

A busca em torno da elaboração de interfaces homem-máquina cada vez mais adaptáveis aos usuários tem sido alvo de preocupação de diversos pesquisadores. Os critérios ergonômicos para a avaliação de interfaces homem-máquina apresentados por Bastien e Scapin (1993) formam um leque de preocupações que devem ser levadas em consideração na criação de interfaces. Eles propuseram, em 1993, o sistema de qualidades composto por oito critérios ergonômicos principais que são subdivididos em 18 subcritérios e critérios elementares. O objetivo de tal é compreender, identificar e solucionar possíveis equívocos das qualidades e dos problemas ergonômicos presentes no sistema de Interface Humano- Computador (IHC). Quando usado este sistema de avaliação os pesquisadores perceberam um aumento significativo na organização dos resultados das avaliações de usabilidade da interface em questão (BASTIEN & SCAPIN, 1993), assim facilitando a compreensão dos resultados obtidos com a avaliação. Mesmo assim, o contexto que o sistema é utilizado deve ser considerado, pois nem todos os critérios são aplicados em qualquer ambiente. Alguns devem ter maior foco e outros podem ser ignorados, dependendo do contexto do uso. Os 8 critérios e os 18 subcritérios ergonômicos são mostrados na Figura 25.
Mostrar mais

144 Ler mais

Análise de usabilidade de mapas interativos nas atividades de ensino superior

Análise de usabilidade de mapas interativos nas atividades de ensino superior

Em decorrência da evolução tecnológica ocorrida a partir da década de 1970 foram vistos avanços significativos no ramo da Cartografia, onde destaca-se a passagem dos mapas analógicos para mapas digitais. Posteriormente, surgem termos relacionados aos mapas na web, com destaque para a classificação em mapas estáticos e interativos, com diferentes níveis de interação com o usuário. Neste contexto, ressalta-se a importância em obter uma maior eficácia na comunicação cartográfica, permitindo a interação entre o usuário e o conteúdo do mapa, fato que evitaria possíveis problemas no processo da comunicação que pudessem levar o usuário à desistir de utilizar uma interface. Para que interfaces sejam elaboradas de maneira eficaz, podem ser levadas em consideração diferentes abordagens. Uma delas diz respeito aos conceitos de Usabilidade que engloba, principalmente, as características que permitem que o usuário alcance seus objetivos e satisfaça suas necessidades, dentro de um contexto de utilização determinado. O objetivo deste trabalho é fornecer subsídios metodológicos para a análise da usabilidade de mapas interativos no acesso aos dados e informações geoespaciais no contexto de uso da comunidade acadêmica. De forma a alcançar este objetivo, foram realizadas entrevistas com docentes, parte integrante do público alvo da pesquisa, com o objetivo de compreender como ocorre o acesso aos dados geoespaciais na academia, suas experiências com o uso de mapas interativos e as ferramentas mais utilizadas pelos mesmos. As ferramentas consideradas mais utilizadas pelos docentes e mais relevantes, segundo a revisão bibliográfica, foram analisadas numa amostra de 16 mapas interativos disponíveis, facilmente, na web. Esta análise permitiu a seleção de 2 mapas interativos (Geobahia e Geopolis), os mais utilizados pelos docentes entrevistados
Mostrar mais

187 Ler mais

Análise de usabilidade com integração de sinais electroencefalográficos

Análise de usabilidade com integração de sinais electroencefalográficos

A usabilidade é influenciada quer pelas características visuais e funcionais da interface, quer por aspetos não negligenciáveis relacionados com a condição física, percetiva e psíquica dos próprios utilizadores e o ambiente que os rodeia. No caso dos utilizadores, por exemplo, o tempo de resposta a um estímulo visual, a identificação de um objeto num dado contexto ou a resposta em relação às várias cores, entre outros aspetos, podem variar de indivíduo para indivíduo, devido à existência de vários níveis de competências percetivas (Shneiderman, 1997). Os próprios processos cognitivos que estão envolvidos na interação, como é o caso da atenção e procura, podem ser influenciados pela fadiga, a carga percetiva, a privação de sono, a ansiedade, o medo, a idade, os ritmos circadianos, o isolamento, o conhecimento dos resultados, a monotonia e o aborrecimento (Shneiderman, 1997). As condições do próprio ambiente aonde se processa a interação podem afetar o desempenho e taxa de erro dos utilizadores, nomeadamente quando se verifica barulho de fundo, desconforto ou luz deficiente. A disposição da sala pode encorajar ou limitar a interação social, e coadjuvar ou prejudicar a realização de uma dada tarefa (Shneiderman, 1997).
Mostrar mais

266 Ler mais

Análise de usabilidade de um curso online de língua inglesa

Análise de usabilidade de um curso online de língua inglesa

A Secretaria de Estado da Educação de São Paulo lançou em 2012 o curso de “Inglês On-line”, criado pela Escola Virtual de Programas Educacionais do Estado de São Paulo (Evesp) e disponibilizado para os estudantes do ensino médio das esco- las públicas estaduais. Após três anos, a percepção da Coordenação Pedagógica para Língua Estrangeira Moderna na cidade de Bauru (Brasil) é do aumento da taxa de abandono de alunos e da diminuição dos inscritos na plataforma virtual. Para investigar as causas, o artigo propôs-se a verificar quais os impactos da usabilida- de do site, a partir da experiência do usuário principal (Cybis, Bettiol, Holtz, 2007) com voluntários do primeiro ano do ensino médio na cidade de Bauru. A pesquisa sinaliza que não há uma grande rejeição dos estudantes à interface virtual “Inglês On-line”. O que leva a considerar que a redução do número de inscritos e a evasão não podem ser diretamente relacionadas com a usabilidade.
Mostrar mais

6 Ler mais

Plataforma salas imersivas – análise de usabilidade

Plataforma salas imersivas – análise de usabilidade

Como já foi dito anteriormente, perguntas como para quem, o quê, onde e quando são muito importantes para a criação de uma solução para o problema. Assim, quando se pensa em design UX é necessário um leque de ferramentas e intervenientes. Por exemplo, para construir uma app, tem de se perceber qual é o prolema que esta vem resolver. Para isso é feito uma pesquisa de utilizadores registando perguntas e as respostas de diversos utilizadores, estudando assim os vários comportamentos e registando padrões. O ser humano tem tendência a padronizar todas as suas atividades numa sequência, quero com isto dizer que são criadas rotinas. Através da análise destes comportamentos é dado início o design de interação criando os diversos wireframes e evoluindo até ao protótipo funcional. Este protótipo vai ser testado e analisado por diversos utilizadores (quantidades de passos dados para chegar ao objetivo, um click ser o click certo, tempo, localização dos diversos conteúdos) registando a interação feita e verificando o que a app deve ou não conter, fazendo então as alterações até se alcançar a perfeição. Não chega existir uma app funcional. Esta também tem de ser atraente, é aqui que entra o design visual criando o ambiente e estilo desta. Aqui o foco é o logótipo, tipos de letra, o layout, esquemas de cores para que se tenha para além de uma solução, uma solução atraente.
Mostrar mais

73 Ler mais

Modelo para análise de usabilidade de periódico eletrônico

Modelo para análise de usabilidade de periódico eletrônico

Tabela 1 - Análise comparativa das revistas RAE-eletrônica e REAd Tabela 2 - Demonstrativo dos avaliadores: por faixa etária Tabela 3 - Demonstrativo dos avaliadores: por gênero Tabela 4[r]

203 Ler mais

Análise da usabilidade do sistema eletrônico de informações no setor público

Análise da usabilidade do sistema eletrônico de informações no setor público

Portanto, as tecnologias de informação e comunicação surgiram como novas fontes de sustentabilidade e de relações mais colaborativas para com o usuário. Por isso é percebido a alta qualificação do subcritério “impacto no meio ambiente”. Para Cybis (2007), a usabilidade é uma medida de qualidade a partir do uso do sistema. Quando é proposta uma relação eficaz entre a interface do sistema e o usuário, a satisfação e consequentemente os objetivos são alcançados, por isso o critério “satisfação do usuário” é de grande importância para uma boa avaliação do sistema. A alta representatividade do subcritério “impacto no meio ambiente” fez com que o resultado geral do critério “socioambiental” tenha sido relativamente alto. As percepções dos usuários nesse aspecto foi uma das mais bem avaliadas com um valor equivalente a 110 de pontuação, conforme mostra a Figura 4.4.
Mostrar mais

84 Ler mais

Análise da usabilidade dos serviços presentes no curso de Administração da UnB

Análise da usabilidade dos serviços presentes no curso de Administração da UnB

O Departamento de Administração conta com usabilidade razoável de seus serviços, segundo a percepção dos alunos respondentes essa organização possui muitos critérios a melhorar, ainda mais que de forma geral sua usabilidade contou com avaliação “pouco boa”. Por fim a entidade que se encontra em pior situação quanto a utilização dos seus serviços, o CAADM necessita de uma reestruturação total, pois seus índices ficaram bem próximos da avaliação neutra na percepção dos alunos. Na maioria das entidades estudadas o critério de Interação não apresentou bons resultados, o que leva a acreditar que dentro do curso a falta de uso maximizado nos serviços oferecidos por conta da indisposição dos alunos, independendo da organização ofertadora do serviço.
Mostrar mais

102 Ler mais

Análise da usabilidade do serviço de bagagem nas empresas aéreas brasileiras

Análise da usabilidade do serviço de bagagem nas empresas aéreas brasileiras

Com a ajuda da metodologia de Análise de Multicritério, foi possível encontrar pontos de qualidade máximos e mínimos, facilitando a interpretação dos dados e apontar falhas no serviço onde deve-se ter maior atenção. O item agilidade obteve a maior pontuação entre os 4 critérios, mostrando que o usuário está satisfeito com o que tem visto ao utilizar o serviço, enquanto o custo obteve a menor pontuação, deixando os gestores em alerta para melhorar este fator.

54 Ler mais

Mediação da informação e usabilidade : uma análise da interface do Catálogo Pergamum

Mediação da informação e usabilidade : uma análise da interface do Catálogo Pergamum

Após a aplicação dessas heurísticas para a análise da Usabilidade do Catálogo Pergamum do Sistema de Bibliotecas da UFS, ter-se-á como resultado a mensuração da qualidade da interface-usuário do catálogo com foco no desempenho do usuário para a realização das tarefas, buscando compreender suas necessidades para se ter uma melhor interação, relacionado com o processo de Mediação da Informação proposto por Almeida Júnior (2009), que consiste no método essencial para obtenção de uma comunicação efetiva. Nesse sentido, e partindo de Almeida Júnior (2009, p. 92) será enfatizada nesse estudo a mediação implícita, a qual “ocorre nos espaços dos equipamentos informacionais em que as ações são desenvolvidas sem presença física e imediata dos usuários”, a exemplo das informações realizadas a partir das redes digitais no ciberespaço.
Mostrar mais

82 Ler mais

Mapeamento e análise de normas de usabilidade para interface homem computador

Mapeamento e análise de normas de usabilidade para interface homem computador

Objetivo: A ABNT NBR ISO 9241-12 fornece recomendações ergonômicas para a apresentação da informação e propriedades específicas de informações apresentadas em interfaces gráficas e textuais usadas para tarefas de escritório. Ela fornece recomendações para o projeto e avaliação da apresentação visual da informação incluindo técnicas de codificação. Estas recomendações podem ser utilizadas em todo o processo de projeto (por exemplo, como orientação para os projetistas durante o projeto, como uma base para a avaliação heurística e como orientação para teste de usabilidade). A cobertura de cor está limitada às recomendações ergonômicas para uso de cor para destacar e categorizar informação (ver ISO 9241-8 para recomendações adicionais para o uso de cor). Motivo: Esta norma é necessária para a aplicação da norma ABNT NBR ISO 9241- 110:2012. Além de ser uma norma traduzida pelo idioma português ela é relevante para outras normas.
Mostrar mais

156 Ler mais

Avaliação de usabilidade em e-commerce: análise sob a ótica de um usuário convencional

Avaliação de usabilidade em e-commerce: análise sob a ótica de um usuário convencional

Conforme a Figura 19, pode se notar que houve empate entre dois fatores, na usabilidade e fidelidade. Os participantes mencionaram que o E-commerce da Saraiva é muito intuitivo e fácil de utilizar, possui bastante conteúdo de fácil acesso e com uma localização estratégica na página para que o usuário não necessite utilizar a barra de rolagem ou navegar em várias páginas para encontrar tal produto ou informação. A Saraiva por ter um nome conhecido no mercado físico e eletrônico, tem uma confiança maior em relação ao Mercado Livre pois sempre foi uma empresa com estoque próprio e lojas próprias.
Mostrar mais

67 Ler mais

Análise da usabilidade do serviço de táxi no Distrito Federal : na percepção dos usuários

Análise da usabilidade do serviço de táxi no Distrito Federal : na percepção dos usuários

Documentos oficiais têm apontado que os gestores do serviço de táxi no Distrito Federal (DF) apresentaram problemas para manter a regularidade do serviço na cidade. Isto tem gerado questionamentos acerca da qualidade desse serviço prestado na capital. Nesse trabalho encontra-se uma investigação acerca da usabilidade do serviço de táxi no DF, na percepção dos usuários. A pesquisa teve como referencial teórico: Gestão de Transportes, Mobilidade Urbana, Usabilidade e Serviço de Táxi. Como método de análise, este estudo utilizou o a Análise Multicritério de Apoio a Decisão Construtivista (MCDA-C). Este método permite que dados qualitativos sejam quantificados, desta maneira pôde-se analisar os resultados subjetivos e também os dados oriundos de cálculo matemático. Este método contou com um brainstorm com especialistas na área de transporte público a fim de definir os seguintes critérios para análise da percepção da usabilidade do serviço de táxi: veículo, sistemas de apoio, ação profissional e origem-destino. Os dados quantitativos foram originados através do lançamento dos dados coletados na ferramenta MAMADecisão, esta é capaz de calcular e gerar índices que puderam ser analisados à luz da teoria. Os índices de usabilidade com base nos critérios mostraram-se altos e significativos na percepção dos usuários. Os resultados desse estudo mostraram-se contrastantes em relação à crise em que se encontra o referido serviço no DF.
Mostrar mais

96 Ler mais

Análise e obtenção de boas práticas de  usabilidade em Ambientes Virtuais de Ensino

Análise e obtenção de boas práticas de usabilidade em Ambientes Virtuais de Ensino

Pelos resultados da análise acima, percebe-se que as Heurísticas de Nielsen têm como principais objetivos a avaliação de quão familiar são os termos utilizados no ambiente, de quão bem posicionados e padronizados estão os botões, de quão claras e sugestivas são as mensagens de erro, bem como analisar se há, ou não, a presença de opções para desfazer ou refazer ações, para sair de uma tela ou voltar para uma anterior. Em resumo, botões, menus, opções de navegação, caixas de diálogo, mensagens de erro e campos de entrada de dados são claramente o foco de análise.
Mostrar mais

104 Ler mais

Uma análise sobre a usabilidade de dispositivos móveis entre nativos e imigrantes digitais

Uma análise sobre a usabilidade de dispositivos móveis entre nativos e imigrantes digitais

Para fazer a pesquisa se utilizou critérios para avaliar o grau de dificuldade dos participantes no uso das ferramentas dos dispositivos. Conforme recomenda Nielsen (1993), estudioso renomado em usabilidade, a forma mais comum de se avaliar a usabilidade de um software é observando a sua interação com o usuário, podendo essa observação ser feita em laboratório, com uma quantidade representativa de usuários entrevistados para o qual o sistema foi desenvolvido ou no próprio ambiente de trabalho onde o sistema será implantado. Para o estudo em questão, foram divididos em cinco grupos de faixas de idade distintas que serão detalhados posteriormente.
Mostrar mais

14 Ler mais

Show all 10000 documents...