Análise do fluxo de materiais

Top PDF Análise do fluxo de materiais:

Potencialidades da análise de fluxo de materiais no processo produtivo de fibras ópticas poliméricas.

Potencialidades da análise de fluxo de materiais no processo produtivo de fibras ópticas poliméricas.

Resumo: O crescente uso de fibras ópticas em telecomunicação demanda também inúmeras pesquisas relacionadas aos processos produtivos deste meio de comunicação. Neste contexto, o presente artigo apresenta os sistemas atuais de produção de fibras ópticas poliméricas e uma análise comparativa das principais pesquisas voltadas para a melhoria da qualidade ou para a redução dos custos de produção. A metodologia Análise do Fluxo de Materiais (MFA) é aplicada, resultando em modelos conceituais qualitativos que permitem uma caracterização dos processos atuais e fácil adaptação para incorporar as modificações e novas tecnologias. Adicionalmente, é feita uma comparação dos fatores ambientais das pesquisas abordadas neste artigo. Como conclusão, fica ressaltada a importância de estudos de campo para a construção de MFA com dados quantitativos, permitindo explorar todo o potencial da metodologia.
Mostrar mais

8 Ler mais

Análise da gestão do fluxo de materiais no ambiente de produção da indústria da construção civil :: um estudo de caso aplicado ao processo estrutural /

Análise da gestão do fluxo de materiais no ambiente de produção da indústria da construção civil :: um estudo de caso aplicado ao processo estrutural /

A análise dos resultados da aplicação do modelo mostrou ineficiência na gestão do fluxo de materiais nas empresas pesquisadas. Esta ineficiência inicia ainda na entrada do modelo, pois verificou-se que a gerência ainda não dá a devida importância à questões de fluxos de materiais nas obras. Assim, muitos dos problemas operacionais verificados no estudo de caso ocorreram devido à falhas gerenciais, como

125 Ler mais

DETERMINAÇÃO POTENCIOMÉTRICA DE ÍONS CLORETO UTILIZANDO ANÁLISE POR INJEÇÃO EM FLUXO COM MATERIAIS DE BAIXO CUSTO

DETERMINAÇÃO POTENCIOMÉTRICA DE ÍONS CLORETO UTILIZANDO ANÁLISE POR INJEÇÃO EM FLUXO COM MATERIAIS DE BAIXO CUSTO

Este trabalho descreve a aplicação de um sistema de análise por injeção em fluxo (FIA) composto por materiais alternativos e de baixo custo, empregando como técnica eletroanalítica a potenciometria. Investiga-se ainda, a viabilidade de sua inserção como experimento didático na disciplina de Análise Instrumental I do curso de Graduação em Química da FACIP-UFU. A metodologia empregada e a técnica utilizada fazem parte da ementa da disciplina, entretanto o custo para a aplicação tradicional da mesma é elevado, impossibilitando o estudo da mesma em atividades práticas. Assim, houve a necessidade de adaptar o método para que se tornasse viável a aplicação do mesmo como ferramenta didática. A vantagem dos métodos envolvendo técnicas eletroanalíticas é que eles se encaixam nos conceitos adotados pela química verde, uma vez que, devido à alta sensibilidade, permitem trabalhar em concentrações baixas, o que implica em um menor consumo de reagente e, consequentemente, em menor geração de resíduos. Devido à facilidade de adaptação na configuração dos sistemas, a metodologia FIA se mostra eficaz para o sistema em estudo, tornando-se ainda mais relevante para a inovação proposta por este trabalho quando aliada à possibilidade de substituição da bomba peristáltica por um frasco hospitalar para nutrição enteral com capacidade para 300 mL, pois utiliza apenas a força da gravidade para que se torne um bom propulsor de fluídos. Após o controle de todos os parâmetros, como vazão e alça de amostragem, o método mostrou-se eficiente na determinação da concentração de íons cloreto para os padrões preparados, em amostras comerciais novos testes devem ser feitos para validar o método.
Mostrar mais

36 Ler mais

Análise da aplicação da ferramenta de mapeamento do fluxo de valor estendido (EVSM) na identificação de melhorias na cadeia de suprimentos: o caso de uma indústria de materiais elétricos.

Análise da aplicação da ferramenta de mapeamento do fluxo de valor estendido (EVSM) na identificação de melhorias na cadeia de suprimentos: o caso de uma indústria de materiais elétricos.

A cadeia de suprimentos tem sido percebida, na última década, como área estratégica nas organizações industriais brasileiras, o que tem provocado um impulso enorme na busca por métodos e ferramentas que impactem na redução dos desperdícios, no aumento da eficiência, na redução dos custos e, principalmente, no atendimento ao nível de serviço requerido pelos clientes. Para atingir esse patamar de desempenho logístico, muitas empresas tem recorrido às ferramentas lean apresentadas no ocidente e desenvolvidas a partir de observações dos métodos de produção utilizados na Toyota Motor Company. No entanto, a implementação dessa abordagem enxuta na cadeia de suprimentos exige uma complexa rede de informações e vastas conexões entre os participantes da cadeia. Para enxergar tal complexidade são necessárias estratégias e ferramentas capazes de analisar as relações dentro das plantas dos integrantes da cadeia bem como suas relações entre firmas; o mapa de fluxo de valor estendido (E-VSM) é uma ferramenta com a capacidade requerida. O presente trabalho se propõe, através de um estudo de caso, a analisar a aplicação da ferramenta E-VSM na identificação de desperdícios na cadeia de suprimento de uma indústria de materiais elétricos, localizada no município de Maracanaú, no Ceará. A empresa é familiar, multiprodutora e não possui experiência no uso das ferramentas da abordagem lean. Sua estrutura organizacional não é bem definida, com funções gerenciais mal delimitadas e confusas. A área industrial é bem dividida em setores, mas abundam fluxos de informações divergentes e paralelos. Não possui sistema informatizado de controle centralizado, sendo dois bancos de dados individuais com informações duplicadas em alguns casos. Para a consecução do estudo foi proposto um método de coleta e análise de dados, além de entrevistas não estruturadas. Por fim, o estudo mostrou que o E-VSM foi capaz de identificar desperdícios na cadeia de suprimentos da empresa mesmo sendo esta inexperiente no uso filosofia lean. Como se entende que a cadeia de suprimentos enxuta é uma filosofia complexa e dependente de ações sistêmicas, foram corroborados alguns resultados apresentados na literatura. Em função da baixa relação de confiança entre as firmas, a implantação de cenários de melhorias nos clientes e fornecedores não foi percebida nos resultados, o que limitou algumas conclusões.
Mostrar mais

108 Ler mais

Análise do mapeamento do fluxo de informações e de materiais na cadeia de suprimentos das indústrias automobilísticas

Análise do mapeamento do fluxo de informações e de materiais na cadeia de suprimentos das indústrias automobilísticas

As mudanças econômicas ocorridas na segunda metade do século vinte têm redesenhado as bases da competitividade industrial no mundo. Na indústria automotiva verifica-se que este processo de reestruturação possui como forte inspiração uma filosofia de produção diferenciada. Em virtude deste reconhecimento neste trabalho traçou-se como objetivo fundamental mapear o fluxo de informações e materiais na cadeia de suprimentos automobilística a fim de detectar padrões no relacionamento entre os principais elos da cadeia, montadoras e fornecedores, à luz das novas mudanças no processo produtivo, dinamismo do mercado, fluxo de informações e materiais. Para isto realizou-se primeiramente um levantamento bibliográfico para procurar referências destes aspectos em transição em estudos já publicados e confrontar esses resultados com os de uma pesquisa realizada junto a empresas do mesmo setor. Nas amostras estudadas foram incluídas empresas localizadas na região sul/sudeste do país e, seguindo uma estratégia de pesquisa quali-quantitativa, foi possível captar a informação necessária para cumprir os objetivos previstos. Como resultados destacam-se: o diagnóstico da situação e a análise de propostas de melhorias para os fluxos de materiais e de informação em empresas automobilísticas que utilizam acordos de relacionamento diferentes, destacando-se a importância da ferramenta Mapeamento do Fluxo do Valor. Outros resultados interessantes referem-se à caracterização dos padrões de relacionamento existentes hoje nesses tipos de empresas que, ainda, estão distantes de uma uniformidade.
Mostrar mais

134 Ler mais

Análise e proposta de melhoria do fluxo de materiais: caso de estudo

Análise e proposta de melhoria do fluxo de materiais: caso de estudo

2 Actualmente, o conceito de logística é uma parte integrante e importante do negócio de uma empresa dividindo-se em 5 funções inter-relacionadas: 1) estabelecimento de contactos, 2) informação, 3) transporte, 4) inventário e 5) armazenamento, manuseamento de material e embalagem (Bowersox & Closs, 1996). Nesta última função identificada, o armazenamento resulta directamente da existência de stocks, os quais são uma realidade em qualquer empresa, mesmo naquelas que mais defendem o Just-in-Time. Por outro lado, o armazenamento implica actividades de carga e descarga, de movimentação e de “aviamento” de encomendas, globalmente designadas por manuseamento. Dentro do armazém, o manuseamento de materiais é uma actividade importante onde os produtos devem ser recebidos, movimentados, alocados, classificados e montados de forma a satisfazer as exigências dos clientes. A mão-de-obra e o capital directamente investido em equipamentos de manuseamento de materiais são elementos significativos do custo logístico total. Quando mal desempenhado, o manuseamento de materiais pode resultar em danos substanciais nos produtos pelo que quanto menos o produto é manuseado, menor é o potencial de danificar o produto, e a eficiência total do local de armazenamento aumenta (Cooper, et al., 2009).
Mostrar mais

77 Ler mais

Análise e otimização dos processos de logística interna relacionados com o fluxo de materiais

Análise e otimização dos processos de logística interna relacionados com o fluxo de materiais

desenvolvimento de um sistema contínuo, onde tudo o que não fosse a mínima quantidade de recursos (materiais e humanos) essenciais para a produção, era apenas mais uma forma de aumentar custos e teria, então, de ser eliminado. A segunda regra baseava-se no total aproveitamento das capacidades dos trabalhadores, que mereciam ser tratados com a maior consideração possível e ter condições para mostrar todas as suas capacidades por eles próprios (Sugimori et al., 1977). Nenhum trabalhador estaria motivado a eliminar desperdício se não fosse parte do sistema e da tomada de decisão que o acompanha. A cultura Toyota pode, então, ser descrita como uma compreensão mútua entre as pessoas e o trabalho que elas desempenham (Marksberry, 2011).
Mostrar mais

104 Ler mais

Proposta de melhoria para a gestão de fluxo de materiais: estudo de caso em um laboratório de análises químicas

Proposta de melhoria para a gestão de fluxo de materiais: estudo de caso em um laboratório de análises químicas

O Capítulo 3 apresenta a empresa e o processo de produção. Em seguida, é realizado um diagnóstico identificando as causas para interrupção na análise, a partir do diagrama de causa e efeito. É descrita a gestão atual e são identificados os desperdícios. Mensuradas as perdas devido aos dois tipos de superprodução, são propostas sugestões de melhoria para o fluxo, a ser iniciada pelo cronograma de operações em função do tempo, que gera transparência através da gestão visual. Com esse tipo de gestão, o fluxo pode ter uma melhor programação entre os seus participantes e uma confiabilidade que promova a redução dos estoques em processo, gerando eficiência e aumento na disponibilidade de reagentes.Essa proposta inclui o acompanhamento dos custos por análise, como comparativo entre os laboratórios, e o acompanhamento da matéria-prima, a ser utilizado na tomada de decisão por parte da gerência com relação à realização de análises não planejadas.
Mostrar mais

60 Ler mais

Análise das propriedades de fluxo de diferentes tipos de açúcar

Análise das propriedades de fluxo de diferentes tipos de açúcar

Diversos processos nas indústrias de alimentos, farmacêutica e química utilizam materiais particulados em alguma etapa do processo. Durante o processamento ou armazenagem, forças interparticulares podem se intensificar e gerar graves problemas como obstrução em equipamentos ou bloqueio na saída de silos. É necessário um melhor entendimento sobre a fluidez dos sólidos particulados, através de caracterização físico-química e morfológica, associadas à análise de parâmetros de fluxo desses materiais. O objetivo deste trabalho foi avaliar a propriedades de escoamento de quatro tipos de açúcar: o açúcar de confeiteiro “glaçúcar” da União® (IS), cristal da marca Colombo® (GS), tipo exportação ou ‘very high polarization’ - VHP, da usina São Martinho® (VS) e o refinado da União® (RS). A fluidez foi avaliada por testes clássicos (ângulos de repouso e índices de Hausner) e dinâmicos, em reômetro de sólidos. Para a caracterização, realizaram-se análises de peneiramento e microscopia eletrônica para morfologia. Os tipos GS e VS foram similares morfologicamente, com arestas bem definidas e elevada granulometria dos cristais. Já RS e IS apresentaram maior quantidade de finos e formato irregular, com aglomerados mais evidentes em IS. Forças coesivas foram mais pronunciadas no açúcar IS, devido sua baixa granulometria. Este apresentou maior resistência ao escoamento, com índice de Hausner de 1,33 (boa fluidez está entre 1.12-1.18) e ângulo de repouso estático de 40°, maior entre os açúcares testados. Testes dinâmicos de cisalhamento no reômetro de pós FT-4 da Freeman™ mostraram que este equipamento foi adequado para caracterizar a fluidez dos açúcares RS e IS, mas os resultados para os açucares de maior granulometria (GS e VS) não foram consistentes. Já a compressibilidade mostrou-se sempre maior quando aplicadas condições dinâmicas e apesar de maiores semelhanças físicas de GS com VS, as curvas de compressibilidade de GS e RS foram mais similares. No geral, afirma-se que o açúcar IS é o material de pior fluidez e que RS, devido à presença de finos é classificado como o segundo pior entre os materiais. VS e GS são classificados como materiais de fácil escoamento pelos testes clássicos, e independe da tensão de consolidação aplicada. Testes em reômetro de sólidos mostraram que essa técnica é limitada para materiais de granulometria próximas a 1 mm, mas alguns resultados para amostras de menor granulometria (RS e IS) apresentaram similaridade, assim como nos testes clássicos.
Mostrar mais

119 Ler mais

FLUXO DE MATERIAIS ODONTO-MÉDICO-HOSPITALARES DURANTE O SEU PROCESSAMENTO EM UNIDADES BÁSICAS DE SAÚDE

FLUXO DE MATERIAIS ODONTO-MÉDICO-HOSPITALARES DURANTE O SEU PROCESSAMENTO EM UNIDADES BÁSICAS DE SAÚDE

Através da análise dos resultados obtidos neste estudo foi constatado que a grande maioria das Unidades Básicas de Saúde visitadas, apenas as UBS 01, 20 e 23 apresentavam o fluxo correto como o preconizado pela literatura. Porém mesmo com esse fluxo correto estas três UBS apresentaram irregularidade não estando 100% dentro dos padrões desejados, pois as UBS 01 e 23 não fazem o reprocessamento do material dos consultórios odontológicos na CME e sim no próprio consultório odontológico. Já a unidade 20, embora haja o fluxo correto, armazena materiais não pertencentes à CME na mesma.
Mostrar mais

16 Ler mais

Estudo do layout do armazém e organização do fluxo de materiais na General Electric

Estudo do layout do armazém e organização do fluxo de materiais na General Electric

No século XIX, Vilfredo Pareto, ao estudar a distribuição de riqueza na sociedade Milaneza verificou que 80% da riqueza era controlada por apenas 20% da população (Chase, Jacobs, & Aquilano, 2004). Este princípio pode ser adaptado de diferentes formas à gestão da produção. Mantendo o conceito que para combater um problema é preciso estabelecer prioridades sendo apenas necessário actuar sobre alguns parâmetros individualmente e não sobre todos em simultâneo. A sua aplicação verifica-se geralmente no controlo de stocks. Assim, se se pretende reduzir o valor de stock de determinado armazém, realizando uma análise ABC, verifica-se que apenas alguns artigos são responsáveis pela quase totalidade do valor do stock em armazém. Controlando rigorosamente os 20% de artigos com mais valor no armazém consegue-se ter uma eficiente gestão de stock.
Mostrar mais

68 Ler mais

O tripé da sustentabilidade na proposição de melhorias ao fluxo de valor de uma cooperativa de catadores de materiais recicláveis de Florianópolis

O tripé da sustentabilidade na proposição de melhorias ao fluxo de valor de uma cooperativa de catadores de materiais recicláveis de Florianópolis

De maneira mais abrangente, um MFV sustentável, além da identificação tradicional do fluxo de valor, atua como um meio de envolver os trabalhadores ao torná-los cientes dos impactos ambientais dos processos produtivos, além de poder ser utilizado como uma ferramenta de suporte à análise de ciclo de vida, e de promover melhorias à rotina dos colaboradores, relacionadas à ergonomia, saúde do trabalhador e segurança (GAIKWAD; SUNNAPWAR, 2020). Ademais, o MFV sofre modificações para que seja possível compilar informações relacionadas a capacidade, tempo, material, energia, água, nível de estoque e fatores de custo (TASDEMIR; GAZO; QUESADA, 2019).
Mostrar mais

111 Ler mais

Estudo de um fluxo interno de materiais baseado na filosofia Lean Manufacturing.

Estudo de um fluxo interno de materiais baseado na filosofia Lean Manufacturing.

Atualmente as atividades logísticas são consideradas imprescindíveis para a determinação do nível de competitividade de uma empresa, mudando substancialmente as condicionantes dela quando de entregas atrasadas e na ausência de acurácia no controle dos materiais dos próximos processos. Em contrapartida, existem diversas formas empíricas de mudança que podem ser aplicadas para otimizar esse tipo de sistema, geralmente relacionadas a ações individuais promovidas pela força operária mas que, infelizmente, não disponibilizam aos envolvidos os recursos técnicos necessários para realizar-se a correta análise da situação encontrada e dos modos nos quais os itens estão sendo estocados, além da falta de consistência dos dados utilizados na busca da real causa-raiz dos problemas detectados (Jones & Womack, 2003; Worley & Doolen, 2006; Slack et al., 2008; Nasab et al., 2012; Neuenfeldt Júnior et al., 2014).
Mostrar mais

10 Ler mais

Desenvolvimento de um fluxo de materiais puxado num sistema produtivo em Job Shop

Desenvolvimento de um fluxo de materiais puxado num sistema produtivo em Job Shop

Aliando-se uma análise crítica inicial do problema a uma revisão de literatura incidente na temática a desenvolver, foram definidos os principais planos de ação. Tendo este projeto um carácter transversal e integrado a todas as fases do processo da secção Mecânica, desde a sua conceção até à entrega, adotou- se uma estratégia de atuação de jusante para montante do processo onde primeiramente se criou um sistema informático de gestão do armazém de saída de produtos onde se integraram indicadores de desempenho para controlo da performance de entrega tais como o On time in Full e a percentagem de referências em atraso. Posteriormente, de forma a abordar a gestão do fluxo produtivo, foi desenvolvido um sistema produtivo puxado adaptado ao processo praticado na Mecânica, onde se integraram conceitos de fracionamento de lotes e se definiram novos métodos de dimensionamento do lote inicial. Os resultados do trabalho desenvolvido ao longo do projeto mostraram essencialmente uma melhoria sobre os indicadores cumprimento de entrega ao cliente (OTIF) de 30% para 70% e de capacidade de criação de stock intermédio sobre a amostra experimentada de 10% para 60%. Com esta nova abordagem não só se criaram métodos de controlo e normalização da produção, anteriormente inexistentes, como se aumentou o nível de desempenho de entrega de produtos ao cliente ao criarem-se buffers de entrega e segurança no armazém de produto acabado.
Mostrar mais

147 Ler mais

Implementação de um sistema Kanban e melhoria do fluxo de materiais da logística interna na 4Lean

Implementação de um sistema Kanban e melhoria do fluxo de materiais da logística interna na 4Lean

Nesta fase procedeu-se às implementações. Uma vez que, com a análise das vendas médias mensais tendo sido realizada e chegado ao número de kanbans para cada componente produzida, primeiramente foi possível começar pela a organização do supermercado, que continha estas componentes produzidas, esta organização consistiu na alocação das componentes com mais consumo num nível mais ergonómico do supermercado e as restantes em cima e em baixo, para facilitar o processo de picking. De seguida foi feita a criação dos kanbans para cada componente, como podemos ver na figura 17. Para a criação dos kanbans, foram necessários pequenos bocados de pvc e da etiqueta, emitida através do sistema ERP da empresa, com as características das componentes produzidas, bem como a quantidade a produzir.
Mostrar mais

75 Ler mais

Otimização do fluxo de materiais através da manufatura celular.

Otimização do fluxo de materiais através da manufatura celular.

Na Tabela 4, pode-se observar que 32 peças das 52 produzidas (indicadas com asterisco) correspondem a 62% do total e são cobertas por 25% dos NFPs. Os NFP marcados com asteriscos não necessariamente represen- tam os NFPs mais freqüentes. Entretanto, é importante uma análise desses NFPs em conjunto com os dados da curva ABC, pois existe a possibilidade de um NFP ter freqüência alta, porém pertencer a produtos pouco fabri- cados. De modo análogo, pode existir um NFP pouco freqüente, mas que é parte de um dos produtos com maior freqüência. Essa é uma forma de garantir que os NFPs mais freqüentes correspondem aos produtos com maior volume de venda. Do ponto de vista metodológico, há ainda a possibilidade de verificar a relação entre os produtos com maior volume de venda e a margem de contribuição. Na empresa em questão, o cálculo da mar- gem de contribuição dos produtos evidenciou que vários produtos tinham um lucro elevado, entretanto eles não tinham boa margem de contribuição, demonstrando as- sim a pertinência de estabelecer uma análise crítica entre os produtos fabricados, o número de fluxo de processos, a curva ABC e a margem de contribuição. Após essa
Mostrar mais

16 Ler mais

Análise do fluxo d’água em revestimentos asfálticos com diferentes

Análise do fluxo d’água em revestimentos asfálticos com diferentes

Para realizar o procedimento de saturação sem prejudicar o processo de impermeabilização realizado anteriormente, a base e a lateral do CP foram envolvidas com papel filme de PVC (Figura 45a) antes da imersão do mesmo no recipiente com água (Figura 45b). Dessa forma, para se obter o parâmetro J, de acordo com a Equação 31, o parâmetro B representa a massa da amostra saturada somando as massas dos materiais utilizados na impermeabilização (manta impermeabilizante, Neutrol e CAP). Já o parâmetro A refere-se ao peso da amostra impermeabilizada lateralmente e seca, isto é, sem água no interior da mistura asfáltica. É importante salientar que, para verificar se o processo de impermeabilização lateral influenciou o processo de saturação, foram determinados os valores do S antes do processo de impermeabilização da lateral da amostra e depois desse processo. Dessa forma, observou-se que os valores de S foram os mesmos, isto é, a quantidade de água absorvida pela amostra se manteve constante. Esse procedimento de saturação utilizando a bomba de vácuo e com a impermeabilização lateral da amostra foi realizado com o intuito de agilizar o processo de saturação, pois sem a realização do mesmo, seriam necessários vários dias/semanas para que a amostra saturasse. Além disso, apesar do resultado do ensaio ser considerado como obtido a partir da amostra saturada, como não há controle de saturação durante o ensaio, a única informação a respeito da quantidade de água que realmente está presente no interior dos vazios da amostra é o valor de S obtido antes do início do ensaio.
Mostrar mais

132 Ler mais

Fluxo de informação e materiais

Fluxo de informação e materiais

Na secção da Pintura são fabricadas as frentes dos aparelhos, colocadas numa linha automática de pintura e fornecidas aos clientes internos para posterior montagem nas linhas finais. Partindo da utilização de ferramentas Lean como o Value Stream Mapping, Diagram Spaghetti e por observação direta dos processos no chão de fábrica foi possivel estudar o fluxo da cadeia de valor na secção. Com o intuito de reduzir o desperdício associado a atividades sem valor acrescentado, do ponto de vista do cliente, estudou-se a possibilidade de aumentar a ocupação dos operadores diretamente ligados à linha de pintura, por redistribuição de tarefas nos postos, criação de trabalho standard e alteração ao layout fabril. A implementação do projeto permitiu a libertação de um operador logístico para outras áreas da empresa que, aliado a outras alterações a nível organizacional, conduziu a um aumento de 0,1% na eficiência global da fábrica, correspondendo à poupança de 33.300 euros anualmente. A secção das Prensas é responsável pelo fabrico de grande parte dos componentes metálicos estampados para as pré-montagens e montagens finais (exceto peças em cobre). A sinalizaçãos da produção destes componentes é efetuada por meio de um sistema de kanbans permanentes. O desafio passa pela redução de área ocupada com stock, de forma a garantir espaço para a introdução de um novo projeto da empresa. Para tal procede-se a uma análise de estruturas de armazenamento logístico com o objetivo de substituir as estruturas de arrumação utilizadas. Partindo de uma análise dos produtos na secção, pesquisa em catálogos de estruturas, análise das condições iniciais para o operador a nível de ergonomia e das estruturas vigentes na fábrica, introduziu-se um sistema de carrinhos metálicos guiados unilateralmente no solo. Tal possibilitou a redução de 33 m 2 de área de stocks e melhorou a ergonomia de arrumação dos produtos, com uma redução de mais de 5 segundos no tempo de arrumação de cada caixa de produto, em comparação com os dois tipos de estruturas anteriormente utilizadas. Com a aplicação da ferramenta 5S’s algumas alterações foram efetuadas de modo a tornar mais simples a localização e identificação dos produtos.
Mostrar mais

102 Ler mais

Otimização do fluxo de descargas de materiais

Otimização do fluxo de descargas de materiais

Este projeto tem por base uma metodologia na qual primeiramente é analisada a situação para identificação dos problemas bem como o registo dos resultados antes da implementação da melhoria. De seguida, é realizado um tratamento dos dados observados e recolhidos para posterior análise e investigação das melhores metodologias e soluções para resolver ou pelo menos minimizar os problemas identificados. Por fim, após a apresentação das soluções, as mesmas serão implementadas e monitorizadas para verificar se os resultados obtidos são os esperados ou se é necessário optar por outra solução.
Mostrar mais

95 Ler mais

Nivelamento do Fluxo de Materiais e Redefinição do Fluxo da Informação numa Unidade Produtiva

Nivelamento do Fluxo de Materiais e Redefinição do Fluxo da Informação numa Unidade Produtiva

No capítulo 3 foi realizada uma análise pormenorizada à atual forma de sequenciamento das ordens de fabrico, tanto na secção do Tratamento como na secção da Embalagem, e às restrições existentes que influenciam esse sequenciamento. Tendo por base essa análise pensa-se que o desenvolvimento da ferramenta de apoio ao sequenciamento traria melhorias ao nível da minimização dos atrasos no prazo de entrega do produto final. O sequenciamento das ordens de fabrico deve ser realizado diariamente e tendo como base as ordens de fabrico a produzir e as matérias-primas disponíveis. Partindo do sequenciamento definido para as ordens de fabrico no gargalo da produção é que deverá ser feito o sequenciamento nas secções a montante. Deve ser tido em conta que existem famílias de rolhas que necessitam de um dia de estabilização entre a secção da Marcação e a secção do Tratamento.
Mostrar mais

83 Ler mais

Show all 10000 documents...