Analógico/Digital

Top PDF Analógico/Digital:

Conversor analógico digital de 10 bits utilizando arquitetura pipeline e tecnologia CMOS

Conversor analógico digital de 10 bits utilizando arquitetura pipeline e tecnologia CMOS

Sendo assim, o objetivo deste trabalho é projetar um conversor analógico digital com alta velocidade, alta taxa de transferência de dados e com baixo consumo de potência. Para este projeto serão utilizados a tecnologia CMOS 0,35 , e a arquitetura pipeline. Para melhoria de seu desempenho serão buscadas técnicas que permitam redução do consumo de potência, minimização dos efeitos das tensões de offset dos comparadores, e, alterações no projeto do amplificador operacional para aumento de seu ganho com o objetivo de reduzir o erro de ganho do amplificador operacional.
Mostrar mais

64 Ler mais

Projeto de um conversor analógico-digital para um receptor Bluetooth em tecnologia...

Projeto de um conversor analógico-digital para um receptor Bluetooth em tecnologia...

A arquitetura usada no ADC deste trabalho ´e conhecida na literatura como time- interleaved pipeline. A porta de acesso dessa arquitetura constitui a primeira se¸c˜ao do cap´ıtulo 3: o bloco de amostragem e reten¸c˜ao (S&H ). A descri¸c˜ao e especifica¸c˜ao s˜ao desenvolvidas de forma progressiva, visando elucidar a ideia b´asica do funcionamento dos circuitos com capacitores chaveados (SC ). Esses ´ ultimos, al´em de serem fundamentais para implementa¸c˜ao do S&H, fornecem o princ´ıpio de opera¸c˜ao prim´ario para quase toda a arquitetura do ADC, assim como para muitas outras aplica¸c˜oes que est˜ao al´em do escopo desta disserta¸c˜ao. A segunda se¸c˜ao do cap´ıtulo 3 exp˜oe a composi¸c˜ao da cadeia de convers˜ao pipeline. Os t´opicos tratados em ela s˜ao a corre¸c˜ao digital atrav´es de um bit de redundˆancia e as topologias selecionadas para implementa¸c˜ao dos grandes blocos que est˜ao dentro do est´agio b´asico: o sub-ADC e o MDAC. Al´em desses t´opicos, explora- se a interdependˆencia que existe entre estes blocos, ressaltando o impacto que tˆem as estrat´egias e decis˜oes sobre os mesmos.
Mostrar mais

122 Ler mais

Projeto de um conversor analógico/digital por aproximações sucessivas de 12 bits

Projeto de um conversor analógico/digital por aproximações sucessivas de 12 bits

às transições do clock (linha 64). O clk_lp_in corresponde ao sinal de clock que alimenta o módulo, conforme verificado na instanciação no módulo SAR (listagem 6.1, linha 28). Assim, ao término de cada seleção (case) o próximo estágio é selecionado, e assim sucessivamente. A primeira seleção (case: Start_up) verifica se o sinal de início de conversão foi dado (ativo em nível alto) e ao mesmo tempo se não há uma conversão em curso, ou seja, se o sinal EOC (EOC_lp_in) está em nível alto ou baixo (linha 25). Satisfeitas as duas condições, o próximo estágio é selecionado (case: Offset_cancel) para que ocorra o cancelamento da tensão de compensação do comparador. As saídas de controle digital são então definidas conforme o processo usual, ou seja, s0 e s14 em nível lógico “1” (true) e s1 a s13 em nível lógico “0” (false).
Mostrar mais

120 Ler mais

Indicador de inconformidades em instalações elétricas de baixa tensão

Indicador de inconformidades em instalações elétricas de baixa tensão

Os equipamentos de monitoramento de energia elétrica, na sua maioria, são dispositivos microprocessados, com leitura de tensões e correntes através de conversão analógico-digital. As amostras dos sinais são processadas e cálculos são executados tendo como dados de entradas os valores binários de cada amostra. Utilizam sensores de corrente e tensão para a adequação do nível do sinal às portas dos conversores AD dos chips de processamento. Os transdutores de corrente geralmente são TCs, resistores shunt ou sensores de efeito hall. Os transdutores de tensão normalmente são divisores
Mostrar mais

131 Ler mais

A televisão na era da convergência digital das mídias. Uma reflexão sobre a comunicação...

A televisão na era da convergência digital das mídias. Uma reflexão sobre a comunicação...

das suas emissoras televisivas para com as novas modalidades de transmissão de conteúdos nas plataformas digitais. Para isso, além buscar fontes bibliográficas, entrevistei pesquisadores e profissionais da área de radiodifusão e telecomunicações que participaram diretamente do processo de transição analógico-digital da TV. Na tese, também faço o relato de uma pesquisa de campo realizada na zona leste de São Paulo, desenvolvida em conjunto com educadores e educandos do Intermídia Cidadã, um coletivo pertencente ao Núcleo de Comunicação Comunitária da Fundação Tide Setubal. A experiência, realizada com base na Produção Partilhada do Conhecimento, serviu para divulgar a chegada da televisão digital e do apagão analógico, refletir sobre os conteúdos da TV aberta brasileira e observar as possibilidades trazidas pela TV digital para o exercício da comunicação comunitária. A pesquisa, de cunho qualitativo e quantitativo, empregou os métodos de procedimento experimental e comparativo e levantou dados através de questionário, entrevistas em áudio e vídeo, oficinas, debates e consultas bibliográficas. Dentre os autores citados, posso destacar: Mikhail Bakhtin, Lúcia Santaella, Sérgio Bairon, Arlindo Machado, Jesús Martín-Barbero, Gérman Rey, Nicholas Negroponte, Arlindo Machado, Eugênio Bucci, Manuel Castells, Clay Shriky, Henry Jenkins, Alberto Marinelli, Néstor García Canclini, Almir Almas, Jay David Bolter, Richard Grusin, Walter Benjamin, Rafael Ruiz e Márcia Tiburi.
Mostrar mais

374 Ler mais

Anotações no contexto da comunicação científica: análise de uma linguagem para a transmissão e produção do conhecimento

Anotações no contexto da comunicação científica: análise de uma linguagem para a transmissão e produção do conhecimento

Em relação ao foco do presente estudo, no que diz respeito à procura de soluções que permitam incrementar o factor interpretativo da revista científica junto dos leitores, valida-se a hipótese colocada, i. e., recorrendo à dupla sintaxe (analógica + digital) da revista científica, através da asso- ciação das qualidades de um formato às vantagens do outro, introduzindo as anotações enquanto sistema de leitura crítica aumentada (Imagem 7). Uma revista científica, editada num formato híbrido, e assente na exploração das capacidades de cada meio (1+1=3: analógico + digital + analógico & digital), compreende comportamentos analógicos de acções relacionadas com o pro- cesso de estudo e de investigação, como por exemplo sublinhar, introduzir notas gráficas setas, hífens, pontos, associar notas, desenhar círculos ou outros diagramas e estabelecer ligações por associação a palavras-chave, entre outros. A adaptação digital destas acções, que são tradicio- nalmente produzidas por instrumentos de escrita (caneta, lápis, marcador, …) sobre a edição em papel, permitirá, através do seu avatar digital, gerar, disponibilizar e divulgar novos contributos do leitor, dotando-o de uma evidente capacidade autoral e editorial.
Mostrar mais

8 Ler mais

Aulas  Liberato  Do professor Irineu ckts softstarter

Aulas Liberato Do professor Irineu ckts softstarter

Tente separar as partes por blocos, como já foi estudado em aula... Esquema elétrico de um Softstarter analógico-digital.[r]

2 Ler mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE ENGENHARIA ELÉTRICA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA ELÉTRICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE ENGENHARIA ELÉTRICA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA ELÉTRICA

Na tela de apresentação do programa responsável pela conversão dos arquivos (Figura 7), é possível visualizar todas as informações necessárias para utilização do software dispostas através de botões, tais como: Abrir, Converter, Salvar e Sair; além de informações, como a frequência de amostragem, o intervalo entre as amostras e a faixa de entrada do conversor analógico/digital (A/D), que gerou o sinal inicialmente.

118 Ler mais

Telepatologia/patologia digital – Normas de Orientação Clínica

Telepatologia/patologia digital – Normas de Orientação Clínica

B. A prática da telepatologia/patologia digital pode implicar, para além de uma instituição requerente e de uma instituição fornecedora de serviços de diagnóstico em anatomia patológica (laboratório), um serviço de apoio logístico que providencie o equipamento e a interface informática necessários e adequados a esta atividade.

9 Ler mais

Notícia de Nascimento Digital – Normas de Orientação Clínica

Notícia de Nascimento Digital – Normas de Orientação Clínica

Pretende-se que estes instrumentos se mantenham como facilitadores da comunicação após o parto, entre os Hospitais e os Cuidados de Saúde Primários otimizando os sistemas informáticos. Entende-se, por isso, estabelecer regras de utilização da Notícia de Nascimento em formato digital, constantes desta norma.

7 Ler mais

Alfa, rev. linguíst. (São José Rio Preto)  vol.61 número1

Alfa, rev. linguíst. (São José Rio Preto) vol.61 número1

Para ilustrar essa coniguração, segue o verbete vestuário do léxico do vestuário, formado, por exemplo, pelos lexemas traje, roupa, veste, vestuário, entre outros. A categoria vestuário forma a família. O conjunto de semelhanças entre os diferentes entes de uma mesma família é chamado de ar de família, que consiste nos traços semânticos comuns entre os membros da mesma família. As palavras denotam uma série de objetos, de modo que é necessário e suiciente que cada membro da categoria possua ao menos uma propriedade em comum com outro membro da categoria. Isso signiica que calça compartilha com blusa pelo menos uma característica; blusa compartilha uma propriedade com casaco, casaco compartilha uma propriedade com saia e assim por diante. A seguir, há a representação do verbete vestuário do dicionário analógico com aplicação da Versão Ampliada da Teoria dos Protótipos.
Mostrar mais

27 Ler mais

Do analógico ao digital: como a digitalização afecta a produção, distribuição e consumo de informação, conhecimento e cultura na Sociedade em Rede

Do analógico ao digital: como a digitalização afecta a produção, distribuição e consumo de informação, conhecimento e cultura na Sociedade em Rede

A linguagem digital envolve duas dimensões essenciais que estão na base das razões funcionais que as tornaram predominantes na nossa forma de produzir, gerir, transmitir e arquivar informação. Em primeiro lugar é numérica, de onde resulta a própria designação “digital”. Em segundo lugar - e ainda mais importante - é binária. Ou seja, é composta pela conjugação complexa de apenas dois sinais: o “0” e o “1”. O que isto significa é toda a linguagem digital se expressa numa relação lógica “on-off”, “true-false” ou “yes-no”. Um determinado circuito está aberto ou fechado. Não existe meio-termo na linguagem binária e é por esse facto que ela se adequa ao funcionamento das máquinas de calcular sofisticadas que hoje conhecemos pelo nome de computadores. Independentemente do interface que usemos para comunicar com “ele” (e o interface é uma forma de traduzir a nossa linguagem, qualquer que ela seja, para a linguagem “dele”), dentro de um computador a linguagem utilizada usa somente combinações de “0” e “1” em cadeias (“strings”) de oito, 16, 32, 64, 128 bits, etc. As primeiras calculadoras de cartões perfurados já usavam um sistema digital - com dígitos - para efectuar os cálculos e mesmo o código de Morse (que deu origem às telecomunicações electrónicas) pode ser visto como uma das primeiras utilizações do código binário para codificar e transmitir texto, a partir da oposição binária “com sinal-sem sinal”.
Mostrar mais

17 Ler mais

Sistema integrado de monitoramento da saúde da criança na escola

Sistema integrado de monitoramento da saúde da criança na escola

FIGURA 4.12 Modelo entidade relacionamento para o equipamento de triagem visual analógico modelo Adulto.... 72.[r]

120 Ler mais

Análise numérica e experimental dos efeitos da não-uniformidade da espessura em cascas...

Análise numérica e experimental dos efeitos da não-uniformidade da espessura em cascas...

Para a realização das medições de ovalização das cascas cilíndricas, foram utilizados seis sensores de movimento do tipo indutivo analógico, dispostos ao longo do comprimento do cilindro, horizontalmente, sendo um no centro e um em cada extremidade, conforme mostrado na figura 3.5. As medições foram realizadas em uma balanceadeira da marca Schenk, na qual a rotação é realizada por meio de um sistema motor-redutor que se acopla a ponta de eixo do cilindro por meio de um eixo cardan. As pontas de eixo se encontram simplesmente apoiadas em roletes, permitindo que haja na extremidade oposta ao cardan o movimento axial do equipamento, conforme figura 3.4.
Mostrar mais

105 Ler mais

FACULDADE DE MEDICINA VETERINÁRIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS VETERINÁRIAS

FACULDADE DE MEDICINA VETERINÁRIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS VETERINÁRIAS

The species Tapirus terrestris , known as Brazilian tapir , is a mammal of the Perissodactyla order, the only which occurs with an endemic form in Brazil and is considered the one of the largest Brazilian mammals . There are few studies related to the tapir morphology , so to provide more anatomical data about this species, the present study aimed to describe the bones and muscles of the leg and foot in Tapirus terrestris . We used four specimens of T. terrestris (Linnaeus , 1978), fixed in formaldehyde 10% . For osteological description the anatomical specimens were radiographed and the bones macerated, cleaned, dried , identified and described . To muscular description , the muscles were dissected according to the usual techniques in gross anatomy , identified and described . The skeleton of Tapirus terrestris leg consists in tibia and fibula bones, the foot consists of three parts, they are the tarsus , metatarsus and phalanges. The muscles that form the leg and foot are the gastrocnemius, soleus, superficial digital flexor, digital flexor, cranial tibial, fibular third, long digital extensor, lateral digital extensor, popliteal, interosseous and lumbricais. The leg and foot of Tapirus terrestris have osteological and muscular characteristics similar to equines, however, some morfological differences are evident .
Mostrar mais

74 Ler mais

TECNOLOGIAS ASSISTIVAS E DEFICIÊNCIA: ALGUMAS CONSIDERAÇÕES

TECNOLOGIAS ASSISTIVAS E DEFICIÊNCIA: ALGUMAS CONSIDERAÇÕES

Não podemos mais conviver sem as TIC, o mundo virtual é necessário ao nosso cotidiano, a vida moderna delas depende, e o domínio sobre elas é urgente. A geração digital, do instantâneo, do agora, do on-line é que comanda a sociedade atual. Não estar em consonância com o uso das TIC, determina o excluído do século XXI. Nesse contexto, presenciamos a mobilização em torno da inclusão digital dos cidadãos, para que possam fazer parte do mundo virtual. Governos, instituições, ONGs, projetos, ações, sociedade – todos buscam caminhos que levem à inclusão digital.
Mostrar mais

15 Ler mais

Survey of Digital Materials for Teaching Less Commonly Taught Languages

Survey of Digital Materials for Teaching Less Commonly Taught Languages

Table 3 shows the number of digital reference materials – Dictionaries and Grammars -- for each of our focus languages. We have yet to discover any formal bilingual dictionaries of the sort where entries include a headword with part-of-speech information, several equivalent words in the other language, and sample phrases. Digital technology lends itself to formal dictionaries, as in the superb online Oxford English Dictionary, but such an undertaking is immense. The Kamusi Project’s Internet Living Swahili Dictionary (http://kamusi.org/) offers a promising model for building a scholarly dictionary with crowd-sourced content.
Mostrar mais

17 Ler mais

Influência do threshold® na capacidade funcional, respiratória e qualidade de vida nos idosos submetidos à cirurgia de revascularização do miocárdio

Influência do threshold® na capacidade funcional, respiratória e qualidade de vida nos idosos submetidos à cirurgia de revascularização do miocárdio

Para a avaliação da capacidade respiratória do grupo de intervenção, o manovacuómetro analógico da marca Indumed ® foi utilizado para a medição das pressões respiratórias máximas que [r]

94 Ler mais

A recriação dos gêneros eletrônicos analógico-digitais : radionovela, telenovela e webnovela

A recriação dos gêneros eletrônicos analógico-digitais : radionovela, telenovela e webnovela

Descobertas tecnológicas, afinamentos técnicos e novas concepções estéticas ajudam na elaboração de telenovelas cada vez mais verossímeis. Todavia, pairam ainda muitas dúvidas sobre o futuro do gênero na TV digital. Nesse sentido, faz-se necessário algumas reflexões. A portabilidade, a mobilidade, enfim, a convergência tecnológica, que integra as telecomunicações, a computação, a captura e difusão de dados, informações, podem determinar mudanças na produção, no formato e na maneira de ver telenovelas. Portanto, é de se perguntar se vai haver mudanças no número e na duração dos capítulos para que o gênero possa ser assistido, por exemplo, em celular, carro e metrô. A linguagem deve ser ainda mais redundante para atender esses telespectadores em trânsito? O roteiro vai ser feito de tal forma que se possa assistir a obra de forma não-linear? Os canais interativos vão possibilitar ao público construir a telenovela? De que forma? É possível elaborar uma telenovela coletiva com uma audiência tão heterogênea como a brasileira? Respostas para essas e outras perguntas não podem ser antecipadas, entretanto devem ser confirmadas ou não quando o telespectador se apropriar das narrativas, isso caso elas ainda sejam viáveis no meio digital. No Brasil, a resposta vai ser dada apenas a partir de 29 de junho de 2016, o último dia estabelecido pelo governo para o fim das
Mostrar mais

255 Ler mais

Show all 4460 documents...

temas relacionados