As Ondas

Top PDF As Ondas:

A tradução cinematográfica de As Ondas

A tradução cinematográfica de As Ondas

O romance As Ondas representa o expoente máximo do caráter experimental da escrita de Virginia Woolf. A sua narrativa se estabelece por meio de elementos metafóricos que delimitam o processo de existência dos personagens. Ou seja, a descrição dos momentos de vida dos personagens é feita como se houvesse uma representação de suas vidas desde a sua infância até a maturidade. Há, ao longo da narrativa, um movimento constante em que situações, sensações e experiências são mostradas, não como substratos de uma realidade externa, mas como manifestações individuais de reflexões profundas sobre a existência humana.
Mostrar mais

6 Ler mais

Medidas comportamentais e eletrofisiológicas do processamento auditivo em traumatismo craniencefálico após treinamento auditivo acusticamente controlado: estudo de longo prazo.

Medidas comportamentais e eletrofisiológicas do processamento auditivo em traumatismo craniencefálico após treinamento auditivo acusticamente controlado: estudo de longo prazo.

A captação dos potenciais evocados auditivos (PEA) foi iniciada pelo potencial evocado auditivo de longa latência (P3), com estímulos auditivos binaurais tipo tone burst com frequências de 1.000Hz para o estímulo frequente, e 2.000Hz para o estímulo raro, com inten- sidade de 80dBNA. Foram apresentados 300 estímulos, sendo 240 frequentes e 60 raros, numa proporção de 80% para 20%, respectivamente. A cada varredura, fo- ram gravadas duas ondas, uma para o estímulo frequente e outra para o raro. Ao final, as ondas foram subtraídas para obtenção do P300. Para a análise desse potencial, foi considerado o valor de latência da onda P3. (6)
Mostrar mais

6 Ler mais

SENSIBILIDADE DE ESPECTROS DE ONDAS OCEÂNICAS RECUPERADOS POR RADAR DE ABERTURA SINTÉTICA.

SENSIBILIDADE DE ESPECTROS DE ONDAS OCEÂNICAS RECUPERADOS POR RADAR DE ABERTURA SINTÉTICA.

Para o estado de mar considerado, constata-se que a direção média das ondas do espectro de ondas recuperado é muito influenciada pela direção principal do espectro de ondas inicial. Diferentemente, a direção principal das ondas do espectro de ondas recuperado mostra-se bastante estável, desde que a direção do espectro de ondas inicial seja escolhida em uma das vizinhanças da direção do espectro de imagem SAR. Observa-se grande instabilidade deste parâmetro se a direção principal do espectro de ondas inicial é aproximadamente ortogonal à direção do espectro de imagem SAR. Isto não chega, entretanto, a ser uma surpresa, uma vez que um espectro de ondas inicial nestas condições não resolve a ambiguidade direcional. O período de pico (assim como o período médio) não apresenta um comportamento bem definido nas simulações realizadas. Entretanto, este desvio mostrou-se limitado a, no máximo, 8%. Isto corresponde a, aproximadamente, 1 segundo de defasagem em relação período do espectro de ondas de referência. Os resultados sobre os desvios da altura significativa não revelam, a princípio, um comportamento muito bem definido. Indicam, porém, que o desvio médio deste parâmetro é maior para ondas que se propagam na direção azimutal ( ≅ . % , decrescendo gradativamente à medida as ondas se propagam na direção de range ( ≅ % . O mais importante resultado deste trabalho diz respeito à energia espectral. A energia do espectro de ondas recuperado correspondente a determinado estado de mar varia em função da direção principal do espectro de ondas inicial e da direção de propagação das ondas do sistema de ondas considerado. Especificamente, constatou-se que os maiores valores da densidade de energia do espectro de ondas recuperado são detectados quando a direção principal do espectro de ondas inicial tende a alinhar-se à direção do espectro de imagem SAR observado. De fato, os maiores valores da densidade de energia são verificados para sistemas de ondas que se deslocam paralelamente à direção de voo do satélite (azimutal), enquanto que para ondas que se propagam nas outras direções consideradas, estes valores são menos intensos. Isto indica como propor modificações acerca da energia do espectro de ondas inicial de forma a recuperar espectros de ondas com parâmetros de onda mais acurados e com maior correlação com o espectro de ondas de referência. Esta discussão sobre a energia espectral revela que a altura significativa é bastante sensível à variação da direção principal do espectro de ondas inicial, assim como é bem determinado o seu comportamento.
Mostrar mais

23 Ler mais

Braz. j. .  vol.83 número3

Braz. j. . vol.83 número3

tros de PEATE com clique e CE-chirp ® em adultos ouvintes. As pesquisadoras analisaram presenc ¸a/ausência das ondas I, III e V a 80 dBnNA e concluíram que as ondas I e III tenderam a desaparecer com o uso do estímulo CE-chirp ® . No estudo de Lewis & Rodrigues, não foi usado o estímulo LS CE-chirp ® . Quando comparados os valores para as latências absolutas entre os estímulos, observamos valores mais curtos para o estímulo CE-chirp ® em relac ¸ão ao estímulo clique.

5 Ler mais

Ondas superficiais de gravidade.

Ondas superficiais de gravidade.

e, da mesma maneira que para o raio, para a profun- didade z = −λ/2 seu valor cai a 4 por cento do valor na superf´ıcie. Assim, um detector colocado no fundo de um lago n˜ao poder´a detectar varia¸c˜ oes na press˜ao devido `as ondas superficiais de gravidade cujos compri- mentos de onda sejam muito menores que o dobro da profundidade do lago.

6 Ler mais

Estudo da estrutura subsuperficial da província Borborema com correlação de ruído sísmico

Estudo da estrutura subsuperficial da província Borborema com correlação de ruído sísmico

A maioria dos estudos de microssismos tem focado em energia de grandes períodos se propagando (ondas de superfície) e provavelmente gerados em águas rasas (por exemplo, Bromirski, 2001; 2009; Kedar and Webb, 2005; Stehly et al., 2006), mas no espectro do microssismo existe também energia que se propaga como ondas de corpo (ondas P). Além de gerar ondas de superfície, uma parte do pulso de pressão do microssismo secundário (DF) produzido por tempestades distantes é convertida no fundo do oceano em ondas P que podem ser observadas por arranjos sísmicos em terra, permitindo assim determinar a localização de tempestades (por exemplo, Gerstoft et al. 2008). Gerstoft et al. (2008) usando análises de arranjo em estações no sul da Califórnia mostra que estas ondas de corpo são geradas no oceano a partir de tempestades distantes e se propagam nas profundidades da Terra como fases de P, PP e PKP. Em comparação com os microssismos de ondas de superfície, a região fonte é diferente em que a maioria dos microssismos de ondas de superfície são gerados em águas rasas. Neste trabalho Gerstoft et al. (2008), comparam dados hindcasts de ondas do oceano (dados de alturas de ondas significantes) com retroprojeções do espectro de energia de microssismos que identificam regiões de fontes (atividades de tempestades) distintas nos hemisférios Norte e Sul. Estes registros sugerem que as ondas de corpo originadas de tempestades em águas profundas surgem principalmente na banda de períodos menores do microssismo secundário.
Mostrar mais

126 Ler mais

Decomposição e análise dos potenciais evocados auditivos de tronco encefálico.

Decomposição e análise dos potenciais evocados auditivos de tronco encefálico.

As ondas seguintes são geradas nos centros auditivos e recebem contribuições de outras regiões. A onda III é formada por neurônios de segunda ordem no núcleo coclear, mais precisamente na porção caudal da ponte. Os neurônios de terceira ordem formam a onda IV que é gerada no complexo olivar superior e recebe inluência de múltiplos geradores. A onda V relete a atividade gerada na região do leminisco lateral e a sua porção negativa está relacionada aos potenciais dos dendritos do colículo inferior (Hall, 2006b; Palmer, 2007). As ondas VI e VII são atribuídas ao colículo inferior (Wilkinson e Jiang, 2006).
Mostrar mais

10 Ler mais

MODELAÇÃO NUMÉRICA DE UM DISPOSITIVO PONTUAL DE APROVEITAMENTO DE ENERGIA DAS ONDAS

MODELAÇÃO NUMÉRICA DE UM DISPOSITIVO PONTUAL DE APROVEITAMENTO DE ENERGIA DAS ONDAS

Os movimentos verticais e horizontais (curvas b e c) devem gerar uma onda com metade da amplitude da onda incidente (curva a). Escolhendo as fases de forma conveniente consegue-se deixar a onda incidente inalterada e absorver por completo a onda transmitida. Assim, as ondas radiadas (para o lado esquerdo) pelos dois modos de oscilação têm de estar em oposição de fase, para que se anulem não tendo assim nenhum efeito sobre a agitação incidente. Além disso no sentido oposto, estas ondas têm de estar na mesma fase, para que a sua soma anule a agitação.
Mostrar mais

84 Ler mais

Evaluation of mechanical damage in concrete subjected to uniaxial compression and tensile by diametrical compression with longitudinal and transverse ultrasonic waves Avaliação do dano mecânico em concreto submetido à compressão uniaxial e à tração por co

Evaluation of mechanical damage in concrete subjected to uniaxial compression and tensile by diametrical compression with longitudinal and transverse ultrasonic waves Avaliação do dano mecânico em concreto submetido à compressão uniaxial e à tração por co

Muitas pesquisas inovadoras têm sido desenvolvidas, em nível nacional e internacional, para caracterizar os materiais avaliando de forma de maneira qualitativa as propriedades do concreto es- trutural mediante o uso do ensaio de ondas ultrassônicas [1]. Pesquisadores têm buscado correlacionar as propriedades de re- sistência e deformação do concreto com ensaios não destrutivos (END), visando analisar o material em situações reais de utiliza- ção, porém diversos fatores influenciam nessa correlação, tais como: relação água/cimento, tipo de agregado, adensamento. O processo de fissuração e degradação das propriedades elás- ticas do concreto submetido a ensaios de compressão simples mediante emissão de ondas ultrassônicas longitudinais e trans- versais levou a um decréscimo da amplitude com o incremento do nível de carga ao qual o elemento de concreto encontra-se submetido [2]. Esta constatação pode se constituir numa valiosa ferramenta para se avaliar o grau de dano no elemento inves- tigado. Uma importante observação da pesquisa foi que houve algum incremento na amplitude medida para baixos níveis de tensão de compressão para ondas longitudinais. Para as ondas transversais, foi observado uma queda consistente nesta ampli- tude para todos os níveis de tensão estudados. Na avaliação da alteração de velocidade do pulso ultrassônico como uma medi- da do dano em concretos estruturais submetidos à compressão simples, foi observada uma queda na velocidade de pulso de maneira repentina a partir de um nível de tensão equivalente a 85% da tensão de ruptura. Em outra pesquisa, os autores utilizaram a técnica para estimar, de maneira eficiente, a aber- tura de fissuras em níveis distintos de tensão [3]. Além disso, o ensaio de ultrassom também pode ser utilizado para avaliar o perfil de dano térmico em estruturas de concreto expostas a altas temperaturas [4] [5].
Mostrar mais

9 Ler mais

Dinâmica e interação oceano-atmosfera de ondas de instabilidade tropical e ondas...

Dinâmica e interação oceano-atmosfera de ondas de instabilidade tropical e ondas...

A metodologia ora adotada, baseada na transformada de Radon dos diagramas Hovmöller fornece o período e o comprimento de onda médios das feições propagantes com as amplitudes mais significativas. Para cada latitude, a identificação teórica das ondas foi feita representando-se o número de onda e a frequência derivados da transformada de Radon no diagrama de dispersão, como mostram as Figuras 22, 23 e 24. A linha preta re- presenta a relação de dispersão para as ondas de Rossby-gravidade (equação 3) e as linhas cinzas progressivamente menos espessas representam as soluções para ondas de Rossby (equação 5) para n = 1, n = 2 e n = 3. A relação de dispersão para as ondas de Rossby modificadas pela presença de um fluxo zonal (equação 6) está representada pelas linhas tracejadas nos mesmos valores do modo meridional n. Condizentemente aos padrões inclinados nos diagramas zonais-temporais, a identificação dinâmica das oscilações no diagrama de dispersão com valores negativos de ω revela que OITs e ORCs nos dados de TSM e η propagam fase para oeste. As OITs em todas as latitudes das Figuras 22, 23 e 24 (quadrados e círculos vermelhos) possuem |k| > 1 e, portanto, velocidade de grupo para leste. As ORCs (quadrados e círculos azuis) estão mais próximas ao limite entre ondas longas e curtas e podem ter velocidade de grupo para leste ou oeste dependendo da latitude.
Mostrar mais

141 Ler mais

Análise de técnicas de ensaios não destrutivos para avaliação da integridade de ativos

Análise de técnicas de ensaios não destrutivos para avaliação da integridade de ativos

A equipa de desenvolvimento da EQS pretende desenvolver o protótipo de uma sonda para medição de espessura, capaz de monitorizar a variação de espessura ao longo do tempo, para isso é necessário que a sonda permaneça acoplada ao equipamento durante longos períodos de tempo e que fosse resistente a temperaturas elevadas (para certos equipamentos). O primeiro obstáculo encontrado para as sondas piezoelétricas foi o problema do acoplante, pois este perde propriedades ao longo do tempo e não pode ser aplicado em materiais a temperaturas elevadas. Por isso foi feito um estudo sobre o tipo de sondas disponíveis no mercado para medição de espessura, para ser decidido o tipo de sonda a desenvolver. Existem dois tipos de sondas principais diferenciados pela forma como geram as ondas de ultrassons, as sondas piezoelétricas e as sondas EMAT (eletromagnetic acoustic transducer). Neste capítulo é apresentado o modo de funcionamento das sondas de ultrassons aplicáveis na medição de espessura.
Mostrar mais

69 Ler mais

A evolução da teoria ondulatória da luz e os livros didáticos.

A evolução da teoria ondulatória da luz e os livros didáticos.

At´e ent˜ao, as explica¸c˜oes correntes supunham a luz como um tipo de onda an´ alogo ao som no ar, em que a vibra¸c˜ao ocorre na mesma dire¸c˜ao de propaga¸c˜ao, ou seja, ondas longitudinais. As ondas na superf´ıcie do mar s˜ao transversais, mas isso era creditado ao fato de estarem confinadas `a superf´ıcie, impedindo que fossem tomadas como exemplo. Observe-se que ele expˆos a pos- sibilidade das ondas transversais como uma id´eia nova e um caso particular. Sabe-se que os s´olidos propagam o som com os dois tipos de ondas, longitudinais e trans- versais. Entretanto, os fluidos, como o ar, n˜ ao tˆem essa capacidade, por n˜ ao serem suscept´ıveis a for¸cas de ci- salhamento. Admitir que o ´eter, um fluido ainda mais sutil que o ar, possa propagar uma onda transversal ´e certamente uma hip´otese muito ousada. Talvez por isso ele tenha tido tantos cuidados ao expor sua hip´ otese.
Mostrar mais

11 Ler mais

Quando a escritura se quebra nas ondas

Quando a escritura se quebra nas ondas

O termo comparativo tem como efeito desmanchar o tecido da vida real e trazer à tona sua substância virtual. A vida se escoando na torrente de palavras, na profusão de metáforas e comparações, nunca ela mesma, mas a sua fragrância, não os seres em si mesmos, mas a sua franja espumante, trabalho do tempo e da memória que só se torna possível no interior das conotações produzidas pelo poético. Retirando a vida de sua grade de acontecimentos, As ondas recupera toda sua complexidade; tirando-lhe a casca, seu caroço surge na substância da escritura desenraizada, resistente às grandes verdades e às frases ordenadas segundo um referencial inquestionável.
Mostrar mais

13 Ler mais

Efeitos de descontinuidades na propagação de ondas em estruturas unidimensionais

Efeitos de descontinuidades na propagação de ondas em estruturas unidimensionais

Com materiais piezelétricos, as ondas de Lamb são formadas quando o atuador excita a superfície, com um pulso, depois de receber um sinal. Depois que a estrutura é excitada, outra cerâmica piezelétrica é, agora, utilizada como sensor para receber os sinais que vêm de descontinuidades na estrutura, tais como áreas que contenham falhas e limites da estrutura. Se os limites da estrutura e a velocidade das ondas para uma dada frequência são conhecidos, os sinais do limite da superfície podem ser detectados e os sinais provenientes dos defeitos (falhas) aparecem com clareza. Com esses sinais, as falhas são localizadas. Com as várias características do sinal recebido, tais como atraso no tempo de trajeto, frequência, amplitude e, com o uso de certas técnicas de processamento de sinais, tais como redes neurais artificiais, informações sobre a falha podem ser obtidas. O método das ondas de Lamb é complexo devido à dispersividade dessas ondas.
Mostrar mais

118 Ler mais

CONTROLE DE QUALIDADE POSICIONAL EM DADOS ESPACIAIS UTILIZANDO FEIÇÕES LINEARES.

CONTROLE DE QUALIDADE POSICIONAL EM DADOS ESPACIAIS UTILIZANDO FEIÇÕES LINEARES.

Para o estado de mar considerado, constata-se que a direção média das ondas do espectro de ondas recuperado é muito influenciada pela direção principal do espectro de ondas inicial. Diferentemente, a direção principal das ondas do espectro de ondas recuperado mostra-se bastante estável, desde que a direção do espectro de ondas inicial seja escolhida em uma das vizinhanças da direção do espectro de imagem SAR. Observa-se grande instabilidade deste parâmetro se a direção principal do espectro de ondas inicial é aproximadamente ortogonal à direção do espectro de imagem SAR. Isto não chega, entretanto, a ser uma surpresa, uma vez que um espectro de ondas inicial nestas condições não resolve a ambiguidade direcional. O período de pico (assim como o período médio) não apresenta um comportamento bem definido nas simulações realizadas. Entretanto, este desvio mostrou-se limitado a, no máximo, 8%. Isto corresponde a, aproximadamente, 1 segundo de defasagem em relação período do espectro de ondas de referência. Os resultados sobre os desvios da altura significativa não revelam, a princípio, um comportamento muito bem definido. Indicam, porém, que o desvio médio deste parâmetro é maior para ondas que se propagam na direção azimutal ( ≅ . % , decrescendo gradativamente à medida as ondas se propagam na direção de range ( ≅ % . O mais importante resultado deste trabalho diz respeito à energia espectral. A energia do espectro de ondas recuperado correspondente a determinado estado de mar varia em função da direção principal do espectro de ondas inicial e da direção de propagação das ondas do sistema de ondas considerado. Especificamente, constatou-se que os maiores valores da densidade de energia do espectro de ondas recuperado são detectados quando a direção principal do espectro de ondas inicial tende a alinhar-se à direção do espectro de imagem SAR observado. De fato, os maiores valores da densidade de energia são verificados para sistemas de ondas que se deslocam paralelamente à direção de voo do satélite (azimutal), enquanto que para ondas que se propagam nas outras direções consideradas, estes valores são menos intensos. Isto indica como propor modificações acerca da energia do espectro de ondas inicial de forma a recuperar espectros de ondas com parâmetros de onda mais acurados e com maior correlação com o espectro de ondas de referência. Esta discussão sobre a energia espectral revela que a altura significativa é bastante sensível à variação da direção principal do espectro de ondas inicial, assim como é bem determinado o seu comportamento.
Mostrar mais

211 Ler mais

ESTUDO DA SECAGEM DE RESÍDUOS DE ACEROLA EM TAMBOR ROTATIVO ACOPLADO A MICRO-ONDAS Lina Ramadan

ESTUDO DA SECAGEM DE RESÍDUOS DE ACEROLA EM TAMBOR ROTATIVO ACOPLADO A MICRO-ONDAS Lina Ramadan

A Figura 2.2 corresponde a um esquema de um forno de micro-ondas convencional. Seu funcionamento básico se inicia com a conversão de energia elétrica em térmica, em que micro-ondas são geradas por uma válvula denominada “magnetron”, que consiste em um dispositivo sob vácuo, que converte energia elétrica em micro-ondas. Uma diferença de potencial constante é aplicada entre o ânodo e o cátodo. Os elétrons são acelerados do cátodo para o ânodo, mas a presença de um forte campo magnético, produzido por um eletro-ímã disposto entre os dois polos, faz com que os elétrons descrevam uma trajetória curva e sigam um caminho em espiral, produzindo radiofrequência. Através de uma antena colocada diretamente sobre o ânodo, ocorre a emissão de ondas eletromagnéticas. As ondas produzidas são direcionadas até a cavidade contendo o material a ser aquecido. As paredes metálicas do forno absorvem muito pouco da energia, sendo que a maior parte é refletida e dissipada em um dispositivo, que evita que as micro-ondas danifiquem a válvula (ZLOTORZYNSKI, 1995).
Mostrar mais

105 Ler mais

Climatologia e variabilidade sazonal do número de ondas de calor e de frio no Rio Grande do Sul associadas ao ENOS.

Climatologia e variabilidade sazonal do número de ondas de calor e de frio no Rio Grande do Sul associadas ao ENOS.

Em relação à variabilidade interanual associada ao ENOS, da análise de compostos, notou-se que, para a maioria dos meses, ocorrem mais ondas de frio nos casos de La Niña e menos nos de El Niño; e, da mesma forma, mais ondas de calor ocorrem em anos de El Niño. O teste de Fisher, para as relações entre a ocorrência de ondas de frio e La Niña e ondas de calor e El Niño, revelou que, na maioria das localidades, o mês de julho é aquele em que as relações entre a ocorrência de ondas de calor e os eventos El Niño são mais signiicativas, mês que se destaca com relação aos demais pelo maior número de ocorrência de ondas de calor e que corresponde ao inverno. As únicas localidades onde isso não foi observado foram aquelas correspondentes a regiões litorâneas, localidades estas que também têm menores ocorrências de ondas de calor, quando comparadas com as demais. A maior parte das localidades apresentou nível de coniança acima de 90% para o mês de julho. Em Bom Jesus, localidade com maior número de ondas de calor, a persistência das relações entre o número de ondas de calor e El Niño foi maior. Quanto às relações entre os eventos La Niña e as Ondas de Frio, os resultados foram diferentes. O
Mostrar mais

12 Ler mais

MHS e ONDAS II

MHS e ONDAS II

Considere duas fontes sonoras puntiformes, F 1 e F , 2 que estão separadas por uma pequena distância d, conforme mostra a figura acima. As fontes estão inicialmente em fase e produzem ondas de comprimento de onda λ . As ondas provenientes das fontes F 1 e F 2 percorrem, respectivamente, os caminhos L 1 e L 2 até o ponto afastado P, onde há superposição das ondas. Sabendo que   L L 1  L 2 é a diferença de caminho entre as fontes e o ponto P, o gráfico que pode representar a variação da intensidade da onda resultante das duas fontes, I, em função da diferença de caminho  L é
Mostrar mais

36 Ler mais

Sistema remoto para análise automática de ECGs nos padrões HL7 AECG e DICOMECG

Sistema remoto para análise automática de ECGs nos padrões HL7 AECG e DICOMECG

Isolation, Durability (ACID) para bancos de dados relacionais demandam um certo tempo até registrar o dado no sistema de arquivos. Exames de ECG, por menor que sejam, possuem um elevado número de sinais que o compõem temporalmente. Dessa forma, entre o tempo de extração dos sinais de um determinado exame até sua inserção no banco de dados demandou-se um tempo elevado. A fim de solucionar o problema, realizou-se uma prova de conceito utilizando uma abordagem de armazenar os dados tanto num banco de dados relacional quanto em um banco não relacional (NoSQL). No banco NoSQL, foram armazenados os dados relevantes aos exames e que possuem elevada carga de informações. Portanto, armazenam-se neste banco os sinais dos exames e seus principais componentes identificados (complexo QRS, ondas P e T) e mantém-se as demais informações armazenadas em um banco de dados relacional. Com esta mudança de abordagem, obteve-se uma melhora significativa no desempenho da aplicação. Com o uso exclusivo de banco de dados Relacional, o MITDB de 30 minutos demora em torno de 22 minutos para ser inserido no sistema. Usando um banco NoSQL, chega-se a um tempo máximo de 2 minutos, representando ganho considerável de tempo.
Mostrar mais

79 Ler mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL-REI

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL-REI

 A principal função dos circuitos osciladores é a geração de formas de onda , como foi possível verificar através das ondas geradas pelos diversos tipos de multivibradores, como ondas q[r]

47 Ler mais

Show all 1074 documents...