Ativo Imobilizado

Top PDF Ativo Imobilizado:

ATIVO IMOBILIZADO E DEPRECIAÇÃO 1

ATIVO IMOBILIZADO E DEPRECIAÇÃO 1

A maior parte do Ativo Imobilizado (exceção feita praticamente a Terrenos e Obra de Arte) tem vida útil limitada, ou seja, serão úteis à empresa por um período finito, a medida que os períodos forem decorrendo, dar-se o desgaste dos bens, que representa o custo a ser registrado. Essa despesa do período contábil em que o Ativo é utilizado pela empresa, é convertida gradativamente pelo Ativo

4 Ler mais

OLGA FABIANE DIAS ANÁLISE E APLICAÇÃO DO CPC 27 EM VEÍCULOS DA FROTA DO ATIVO IMOBILIZADO EM EMPRESA DO RAMO ALIMENTÍCIO EM EUSÉBIO-CE

OLGA FABIANE DIAS ANÁLISE E APLICAÇÃO DO CPC 27 EM VEÍCULOS DA FROTA DO ATIVO IMOBILIZADO EM EMPRESA DO RAMO ALIMENTÍCIO EM EUSÉBIO-CE

Na incorporação de itens do Ativo Imobilizado, é necessário que a empresa mantenha a organização do Ativo Permanente em grupos e subgrupos, de acordo com as orientações e determinações legais. As contas do imobilizado classificadas como ‘bens em operação’ contém os itens da empresa que são utilizados em suas operações. Destaca-se entre as contas mais comuns deste grupo: edificações, instalações, terrenos, móveis e utensílios, computadores e periféricos, máquinas e equipamentos, ferramentas, veículos, direito de uso, programas e softwares, benfeitorias em bens de terceiro e florestamento e reflorestamento, entre outras.
Mostrar mais

19 Ler mais

INFLUÊNCIA DO NÍVEL DE GOVERNANÇA CORPORATIVA NA EVIDENCIAÇÃO DO ATIVO IMOBILIZADO DAS EMPRESAS DO SETOR DE BENS INDUSTRIAIS DA BM&FBOVESPA

INFLUÊNCIA DO NÍVEL DE GOVERNANÇA CORPORATIVA NA EVIDENCIAÇÃO DO ATIVO IMOBILIZADO DAS EMPRESAS DO SETOR DE BENS INDUSTRIAIS DA BM&FBOVESPA

Dessa forma, o presente estudo busca responder a seguinte questão problema: : qual a influência do nível de governança corporativa na evidenciação contábil do ativo imobilizado? Nesse sentido, este estudo tem como objetivo verificar a influência do nível de governança corporativa na evidenciação contábil do ativo imobilizado. O estudo se justifica considerando que o processo de conversão contábil às normas IFRS refletiu em diversas mudanças na forma de proceder ao reconhecimento, tratamento dos elementos patrimoniais e dos resultados das empresas, bem como a sua evidenciação (CUNHA et al., 2011). O controle do ativo imobilizado é essencial, pois em muitas empresas os investimentos nesses ativos afetam a estrutura organizacional e refletem em valores expressivos de custos e despesas (PEREIRA; ARAÚJO, 2006). Além disso, a GC é um tema que tem tido notável destaque, tanto no meio acadêmico quanto no meio empresarial (JORDÃO et al., 2009).
Mostrar mais

24 Ler mais

Motivações para a adoção ou não da depreciação para bens do ativo imobilizado na gestão pública / Motivations for the adoption or not of the depreciation for the permanent assets in the public management

Motivações para a adoção ou não da depreciação para bens do ativo imobilizado na gestão pública / Motivations for the adoption or not of the depreciation for the permanent assets in the public management

Esta pesquisa teve como objetivo investigar e compreender os motivos que levaram os gestores de uma universidade pública, responsáveis pela gestão do seu patrimônio, a não adotarem a técnica da depreciação para os bens do ativo imobilizado, evidenciando qual o efeito que esse processo traz na demonstração do resultado da instituição. Constatou-se durante o estudo que as Normas Internacionais estão cada vez mais presentes nas instituições públicas de ensino superior, isso permite que as universidades tenham mecanismos mais sólidos e padronizados para ser trabalhado.
Mostrar mais

17 Ler mais

Adoção do valor justo como custo atribuído do ativo imobilizado

Adoção do valor justo como custo atribuído do ativo imobilizado

Evidenciou-se que das 8 companhias que avaliaram e adotaram o custo atribuído do seu ativo imobilizado, 5 companhias (62,50%) são do setor elétrico. Salienta-se que foram visitados o site da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) e não se encontrou evidências de uma detenninação expressa desse órgão para que as empresas do setor elétrico adotem a prática do custo atribuído. Apenas há o Despacho nO 4.722, de 1 8 de dezembro de 2009, que aprova e toma obrigatório para todas as concessionárias, pennissionárias e autorizadas de serviços e instalações de energia elétrica, assim como, no que for aplicável, ao Operador Nacional do Sistema Elétrico - ONS, os seguintes .ronunciamentos Técnicos emitidos pelo Comitê de .ronunciamentos Contábeis - C.C: C.C 1 1 ; C.C 1 5 a 17; C.C 20 a 28; e C.C 30 a 33. Um outro ponto relevante a ser considerado no caso das empresas do setor elétrico é que com a adoção do Deemed Cost, a vida útil remanescente dos ativos e o seu valor residual previsto serão fundamentais para a definição do novo valor depreciável e da nova taxa de depreciação. Esses itens são custos fundamentais para a fonnação de preço da indústria elétrica.
Mostrar mais

47 Ler mais

UFRN UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA – UnB UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA – UFPB UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE – UFRN PROGRAMA MULTI-INSTITUCIONAL E INTER-REGIONAL DE PÓS- GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS

UFRN UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA – UnB UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA – UFPB UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE – UFRN PROGRAMA MULTI-INSTITUCIONAL E INTER-REGIONAL DE PÓS- GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS

amparada pela TRI indica, através do índice de dificuldade que os itens relacionados a Reconhecimento de Receitas de Contratos de Construção, Reconhecimento de receita de vendas e Compreensão do conceito de PME segundo a IFRS foram considerados os itens mais difíceis do teste, demandando maior habilidade (compreensão) dos respondentes. Com relação ao índice de discriminação os itens que mais discriminaram o indivíduo habilidoso do indivíduo não habilidoso foram os itens relativos a Reconhecimento de arrendamento mercantil, Mensuração subsequente de ativo imobilizado e perda por irrecuperabilidade e Mensuração subsequente de estoques. O teste qui-quadrado apresenta bom ajustamento do modelo utilizado. Analisando os escores obtidos no teste verifica-se que o conhecimento a respeito da norma não está satisfatório ao demandado pela IFRS, visto que obteve uma compreensão menor que a estabelecida pelos itens que contemplaram um escore de (-4 a +4). Além disso, quase a totalidade dos respondentes, 90%, só conseguiu atingir uma compreensão ( 1,0085) em um escore que poderia atingir compreensão +4. Quanto às métricas a serem utilizadas nas pesquisas brasileiras, sobretudo, aquelas que buscam investigar traços latentes (não observáveis) como: compreensão, percepção, aderência, adequação, entre outros, a TRI surge como fator contribuinte para que pesquisas futuras possam ser desenvolvidas na contabilidade. De certa forma, os resultados encontram-se dentro do esperado, considerando que, a harmonização é o fim de um processo, não o começo.
Mostrar mais

118 Ler mais

O reflexo da adoção do teste de impairment dentro das organizações brasileiras: um estudo de casos múltiplos

O reflexo da adoção do teste de impairment dentro das organizações brasileiras: um estudo de casos múltiplos

Outra contribuição que a adoção do CPC 01 trouxe, no ponto de vista prático, foi o aprimoramento dos processos relacionados ao controle do ativo imobilizado, porque como essa prática exige uma análise constante da capacidade de geração de caixa do ativo, a companhia consegue identificar o problema antes que ele comece a gerar perdas, ou seja, a avaliação constante permite que a administração tome, antecipadamente, as medidas necessárias para que esse ativo não prejudique o desempenho das operações. Por exemplo, ao verificar as evidências de que um determinado ativo possa não estar gerando caixa, a entidade consegue identificar que aquele ativo está tendo algum problema. Com isso, pode-se verificar o motivo pelo qual ele está perdendo sua capacidade de gerar caixa e, então, decidir o que é melhor fazer com ele: se vale a pena modernizá-lo para recuperar sua capacidade de produção ou se é melhor se desfazer dele e buscar um mercado para vendê-lo e gerar algum caixa. Além disso, possibilita a identificação de ativos que podem estar parados e que poderiam ser utilizados em outras plantas, e continuar gerando caixa.
Mostrar mais

136 Ler mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO, ATUÁRIA E CONTABILIDADE - FEAAC DEPARTAMENTO DE CONTABILIDADE CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS MARIA PARENTE DIAS DE AZEVEDO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO, ATUÁRIA E CONTABILIDADE - FEAAC DEPARTAMENTO DE CONTABILIDADE CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS MARIA PARENTE DIAS DE AZEVEDO

Reis e Nogueira (2012) analisaram, nas empresas do Novo Mercado listadas na B3, a evidenciação das informações sobre seus ativos imobilizado nas demonstrações contábeis após a implantação do CPC 27. O estudo em uma amostra de 82 empresas integrantes do Novo Mercado, utilizou o mês de março de 2010, analisando nas suas notas explicativas se as empresas da amostra aderiram antecipadamente ou não a adoção do CPC 27, evidenciando o critério de mensuração utilizado para determinar o valor contábil bruto, bem como a vida útil do bem ou taxa de depreciação, a conciliação do valor contábil no início e final do período e a divulgação da parte da depreciação dividida em custo e despesa. Após análise do critério de depreciação, notou-se a predominância do critério de depreciação linear aos itens do ativo imobilizado. Já em relação a divulgação da taxa de depreciação ou vida útil dos bens, somente três empresas da amostra não apresentaram em notas explicativas o percentual utilizado de taxa de depreciação ou a vida útil dos itens de imobilizado.
Mostrar mais

15 Ler mais

Rev. adm. empres.  vol.10 número3

Rev. adm. empres. vol.10 número3

No primeiro ano (1970) do segundo caso de aplicação no ativo imobilizado, a chamada de capital necessitou uma retaguarda de capital de giro antes do lançamento de novas ações. Em todos o[r]

13 Ler mais

MESTRADO EM CIENCIAS CONTÁBEIS E ATUARIAIS SÃO PAULO 2011 PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO

MESTRADO EM CIENCIAS CONTÁBEIS E ATUARIAIS SÃO PAULO 2011 PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO

A cada uma das variáveis quantitativas, índices de rentabilidade, no caso desta pesquisa que representam os incentivos ao gerenciamento podem ser associadas mais de uma medida, por exemplo, entre as medidas de rentabilidade, incluem-se retorno sobre o ativo, rentabilidade operacional, depreciação sobre ativo imobilizado e CAPEX sobre ativo imobilizado. Conforme HEALY (1985) emprega-se mais variáveis em modelos como uma tentativa de representar mais facetas de um conceito. De acordo com eles ao fazer isso se complica a interpretação de resultados por causa da redundância dos itens associados ao à dimensão avaliada. Por representarem um mesmo conceito, pode haver um grau elevado de inter-relação entre essas variáveis, causando problemas de multicolinearidade nos modelos multivariados, adotados na análise de dados.
Mostrar mais

112 Ler mais

Avaliação da empresa para o acionista: aplicação prática da abordagem teórica a uma empresa de bens de capital com embasamento na legislação comercial (Lei no. 6404/76) e fiscal (Decreto-Lei no. 1598/77)

Avaliação da empresa para o acionista: aplicação prática da abordagem teórica a uma empresa de bens de capital com embasamento na legislação comercial (Lei no. 6404/76) e fiscal (Decreto-Lei no. 1598/77)

- Direitos não classificáveis no a- tivo circulante e que não se des- tinem ã manutenção da atividade da companhia.. Ativo Imobilizado.[r]

166 Ler mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO, ATUÁRIA, CONTABILIDADE E SECRETARIADO DEPARTAMENTO DE CONTABILIDADE CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS MARCOS HONÓRIO DE SOUSA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO, ATUÁRIA, CONTABILIDADE E SECRETARIADO DEPARTAMENTO DE CONTABILIDADE CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS MARCOS HONÓRIO DE SOUSA

A contabilidade brasileira vem passando nos últimos anos por um processo de convergência aos padrões internacionais. A partir de 2010 foi exigida a adoção total das normas internacionais, traduzidas e publicadas pelo CPC. Dentre as mudanças trazidas por esse processo, destaca-se o novo tratamento dado a depreciação do ativo imobilizado no que tange as taxas utilizadas pelas entidades. Observando que o período de vigência dessas normas é relativamente curto, é importante verificar como está o andamento dessas mudanças de fato, pois isso passa por uma modificação das práticas dos profissionais. Tem-se, então, que o objetivo dessa pesquisa é analisar o nível de utilização pelas sociedades de capital aberto listadas na BM&FBovespa de taxas de depreciação distintas das admitidas pelo fisco. Foi analisada uma amostra final com 41 sociedades de capital aberto dentre as 50 com os maiores valores em imobilizado. Constatou-se um percentual elevado de taxas distintas das fiscais, apesar da moda nas amostras coincidir com a taxa fiscal. Também que a maioria das empresas revisa a vida útil e valor residual, mas poucas são claras quanto aos resultados. Palavras chave: Convergência. Normas internacionais. Taxa de depreciação.
Mostrar mais

17 Ler mais

Depreciação no serviço público: reconhecimento e evidenciação nas demonstrações contábeis dos estados e municípios brasileiros

Depreciação no serviço público: reconhecimento e evidenciação nas demonstrações contábeis dos estados e municípios brasileiros

As referências até aqui apresentadas evidenciam a necessidade de as entidades identificarem, reconhecerem, mensurarem e registrarem como despesas de depreciação os desgastes nos bens do ativo imobilizado, causados pela perda de suas utilidades. Não obstante, a lei 6.404/76 estabelece em seu artigo 183, parágrafo segundo, que a diminuição do valor do ativo imobilizado, “quando corresponder à perda do valor dos direitos que têm por objeto bens físicos sujeitos a desgaste ou perda de utilidade por uso, ação da natureza ou obsolescência”, deve ser registrada nas contas de depreciação.
Mostrar mais

10 Ler mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA

Dada a aquisição dos bens ou serviços pela empresa habilitada ao REIDI, essa terá um prazo de dois (2) anos para incorporar os itens adquiridos ao ativo imobilizado, isso se dá pelo fato de ser um empreendimento de construção que demanda tempo para constituir suas estruturas físicas. Ao incorporar os bens ou serviços, a empresa concretiza a utilização do beneficio, e conforme o art. 14, a suspensão é alterada para uma alíquota zero. Ficando, assim, desobrigada do recolhimento dos valores suspensos do PIS e da COFINS.

81 Ler mais

Do imobilizado corpóreo aos activos fixos tangíveis: um caso real do processo de transição

Do imobilizado corpóreo aos activos fixos tangíveis: um caso real do processo de transição

Relativamente aos activos fixos tangíveis argumenta que as diversas classes não devem sofrer avaliações ao justo valor, pois os bens, em regra, destinam-se a persistir na empresa em continuidade da sua função e não a ser vendidos. Assim, a utilização do justo valor só deveria ser aplicada a imobilizado com grau de autonomia na geração de custos e proveitos. Por outro lado não é viável nas empresas de certa dimensão, que podem ter milhares de parcelas de imobilizado, proceder a avaliações ao justo valor todos os anos. Reconhece que apesar de ser útil conhecer o valor actual dos bens, esta informação pode ser vertida em informações fora do balanço, designadas extra contabilísticas.
Mostrar mais

82 Ler mais

Cad. estud.  número20

Cad. estud. número20

Caderno de Estudos, São Paulo, FIPECAFI, nº20 – Janeiro a Abril/ 1999 8 Estados Unidos. Há alguns anos, em função da alta taxa de juros que estava em vigor, as cadernetas de poupança de á precisam pagar taxas equivalentes ás do mercado para as novas captações e também para manter as captações que se venciam, enquanto une as aplicações, de longo prazo, tinham contratualmente taxas de juros menores. Mas o fluxo liquido ce caixa estava muito positivo, já que em função exatamente da alta taxa de juro oferecida, as captações aumentavam enormemente. Só que, contabilmente, os resultados, e claro, começaram a diminuir porque cresciam as despesas financeiras apropriadas enquanto que as receitas financeiras praticamente se mantinham com muito pouco reflexo das novas taxas nas novas aplicações, já que o prazo médio de rotação do Ativo e muitíssimo maior que o do Passivo. Não demorou muito para que entrassem em prejuízo, mesmo com disponibilidades enormes e com fluxos financeiros superavitários. O que ocorreu recentemente? Quebraram! Bilhões de Dolores foram injetados pelo governo para que não falissem definitivamente. Quem havia rapidamente mostrado o sinal vermelho alertando para o perigo? É óbvia a resposta: o resultado contábil, com o seu velho e tão importante Regime de Competência, enquanto que o Fluxo de Caixa apenas mostrava uma verdade de curtíssimo prazo sem evidenciar os reflexos de mais longo prazo das operações.
Mostrar mais

10 Ler mais

Estudo e desenvolvimento de fonte de fósforo-32 imobilizado em matriz polimérica...

Estudo e desenvolvimento de fonte de fósforo-32 imobilizado em matriz polimérica...

De acordo com os resultados obtidos, a produção destas placas com resina epoxídica é possível e atende às normas internacionais de segurança contra vazamento de material rad[r]

26 Ler mais

Desenvolvimento de membranas de quitosana com fotossensibilizadores incorporados...

Desenvolvimento de membranas de quitosana com fotossensibilizadores incorporados...

Os testes de fotoinativação empregando fotossensibilizador livre (sem estar imobilizado em suporte polimérico) foram feitos para verificar a citotoxicidade do fotossensibilizador em solução na concentração incorporada na membrana de quitosana. Em uma placa de poliestireno com 24 poços (Costar Corning) foram colocadas 1,2 mL de solução do fotossensibilizador em dimetilsulfóxido (4 µmol L -1 ) e 1,2 mL de suspensão bacteriana de concentração conhecida (1x10 7 células mL -1 ). Após 5 minutos de incubação a 37° C no agitador orbital (MA 410 Marconi, Piracicaba, Brasil) a 100 rpm, a placa foi exposta à irradiação até se obter inativação completa das bactérias. Alíquotas de 0,1 mL da suspensão foram retiradas em intervalos adequados para a determinação das UFC mL -1 . Experimentos controle foram realizados sem sensibilizador e irradiação e com fotossensibilizador no escuro. Todos os testes foram feitos em triplicata.
Mostrar mais

65 Ler mais

ativo e saudável Apresentação

ativo e saudável Apresentação

2- Estar informado e atento para as patologias sistémicas comuns em indivíduos idosos e suas consequências orais,.. 3- Planear uma ação multidisciplinar sempre que a atuação terapeut[r]

28 Ler mais

ativo e saudável ArtigoAtas

ativo e saudável ArtigoAtas

Segundo o conceito adotado pela Organização Mundial de Saude (OMS), envelhecimento ativo “ é um processo de otimização das oportunidades de saúde, participação e segurança com o objetivo de melhorar a qualidade de vida à medida que as pessoas ficam mais velhas (WHO, 2002)

6 Ler mais

Show all 1161 documents...