Avestruz - Doenças

Top PDF Avestruz - Doenças:

Aspergilose em avestruz (Struthio camelus) no Brasil.

Aspergilose em avestruz (Struthio camelus) no Brasil.

A criação comercial de avestruz (Struthio camelus) no Brasil tem se expandido muito recentemente. Como o avestruz é uma ave exótica e sua criação é uma atividade relativamente nova no país, pouco se sabe a respeito das doenças que acometem esses animais que possam ter importância econômica em nosso meio.

4 Ler mais

Composição Centesimal e Perfil de Minerais da Carne de Avestruz (Struthio Camellus ).

Composição Centesimal e Perfil de Minerais da Carne de Avestruz (Struthio Camellus ).

Os alimentos não devem ser mais vistos como capa- zes apenas de saciar a fome, prevenir doenças carenciais ou fornecer energia. Devem e precisam ser consumidos como promotores da saúde e do bem-estar, para modu- lar uma ou mais funções do corpo que são relevantes à saúde, e como fatores de prevenção de doenças crôni- co-degenerativas, como câncer, obesidade, hipertensão e hipercolesterolemia 1 .

7 Ler mais

Caracterização química da farinha de vísceras de avestruz e seu valor nutritivo para tilápia-do-Nilo

Caracterização química da farinha de vísceras de avestruz e seu valor nutritivo para tilápia-do-Nilo

Houve no país um crescente interesse por essa criação devido ao grande aproveitamento do animal, podendo ser explorada a comercialização de carne, couro, óleo e plumas (GIANONNI, 2001). Quanto aos consumidores de carne, estes estão se tornando cada vez mais interessados sobre a composição da gordura na dieta humana que pode refletir em doenças cardiovasculares, pois uma dieta rica em gorduras saturadas, colesterol e sal são fatores de risco para essas doenças (HOFFMAN et al., 2005; LIMA et al., 2000).

55 Ler mais

Impacto do óleo de avestruz sobre a memória da prole de ratas Wistar suplementadas durante o período de gestação e lactação.

Impacto do óleo de avestruz sobre a memória da prole de ratas Wistar suplementadas durante o período de gestação e lactação.

Segundo Gomez-Pinilla (2008) dietas que são ricas em AG ômega-3 tem ganhando destaque por apoiar os processos cognitivos em humanos e na regulação de genes que são importantes para a manutenção da função sináptica e plasticidade em roedores, enquanto que dietas que são ricas em gordura saturada estão se tornando notórias por reduzir substratos moleculares que dão suporte no processamento cognitivo e aumentando o risco de disfunção neurológica tanto em seres humanos quanto em animais, como por exemplo, prejuízo no aprendizado e memória em roedores com deficiência de AG ômega-3 (BOURRE et al., 1989; MORIGUCHI et al., 2000) e associado com aumento do risco de várias doenças mentais, incluindo transtorno de déficit de atenção, dislexia, demência, depressão, transtorno bipolar e esquizofrenia em humanos (GOMEZ-PINILLA, 2008).
Mostrar mais

52 Ler mais

Doenças

Doenças

- Com o progresso da doença, a metáfise se torna mais radiopaca que o normal e se perde o padrão trabecular ; e o colar de neoformação óssea que circunda a metáfise se ume com o osso dei[r]

25 Ler mais

Características físico-químicas de embutido curado fermentado com adição de carne de avestruz associada à de suíno.

Características físico-químicas de embutido curado fermentado com adição de carne de avestruz associada à de suíno.

Os salames são produtos cárneos que apresentam elevado teor de gordura após a elaboração e podem aumentar até 40% esse valor durante a primeira semana, como resultado da desidratação e 40 a 50% após quatro semanas da fabricação (WIRTH, 1988). Os resultados obtidos (Tabela 3) foram estatisticamente diferentes (P<0,05) entre o tratamento controle e o tratamento 1 e revelaram médias entre 34,14 e 36,72%. Esses valores não se enquadram na legislação, que permite, no máximo, teor de 32% de gordura (BRASIL, 2000). Assim como no trabalho de TONETO (2007), em que foram observados valores entre 19,67 e 23,53%, a quantidade de gordura final nos produtos elaborados com carne de ratitas diminuiu à medida que a proporção de carne dessas aves aumentava na receita. COELHO (1999), avaliando a utilização de couro suíno no salame tipo italiano, encontrou teores de gordura finais entre 24,82 e 24,98%, considerados baixos, que foram atribuídos à quantidade reduzida de toucinho utilizado na fabricação dos produtos. Como alternativa para a redução do teor de gordura final dos embutidos utilizando carne de avestruz, sugere-se a redução do teor de toucinho na formulação para 15 ou 10%, com a finalidade de enquadrar esses produtos na legislação. A análise das médias de cinzas (Tabela 3) evidencia que estatisticamente não houve diferenças significativas, e os resultados variaram entre 5,38 e 5,57%, e a maior quantidade foi encontrada no tratamento com maior teor de carne de avestruz. TONETO (2007) também encontrou o maior teor final de cinzas nos embutidos com maior quantidade de carne de ema. Os valores encontrados por aquele autor (entre 5,91 e 6,37%) e por CAMPAGNOL et al. (2007) (6,70%) são semelhantes aos obtidos neste trabalho.
Mostrar mais

6 Ler mais

Instituições psicanalíticas: uma política de avestruz?.

Instituições psicanalíticas: uma política de avestruz?.

Tom am os conhecim ento de situações dolorosas com o essa de Helena Vianna que, por m ais de 20 anos tenta restabelecer aquilo em que acreditou quando iniciou sua inserção na instituiçã[r]

11 Ler mais

Origem e principais ramificações das artérias mesentéricas cranial e caudal em avestruz (Struthio camelus Linnaeus, 1758).

Origem e principais ramificações das artérias mesentéricas cranial e caudal em avestruz (Struthio camelus Linnaeus, 1758).

ABSTRACT.- Neira R.H., Estruc T.M., Nascimento R.M., Santos-Sousa C.A., Souza-Junior P. & Abidu-Figueiredo M. 2016. [ Origin and main ramifications of the cranial and caudal mes- enteric arteries in ostrich (Struthio camelus Linnaeus, 1758).] Origem e principais rami- ficações das artérias mesentéricas cranial e caudal em avestruz (Struthio camelus Linnaeus, 1758). Pesquisa Veterinária Brasileira 36(9):912-918. Departamento de Anatomia, Instituto de Ciências Biológicas e da Saúde, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Rodovia BR-465 Km7, Seropédica, RJ 23890-000, Brazil. E-mail: marceloabidu@gmail.com
Mostrar mais

7 Ler mais

Origem e distribuição dos nervos do plexo lombosacral da pelve e coxa em avestruz (Struthio camelus)

Origem e distribuição dos nervos do plexo lombosacral da pelve e coxa em avestruz (Struthio camelus)

O nome Struthio camelus provém de duas importantes características do avestruz, correr em zigue-zague para escapar de predadores (Struthio) e ser tolerante à falta de água (camelus) (CEPLAC, 2008). O termo ratita, na qual se classifica o avestruz, vem do latim ratis, significa ave desprovida de carena, ou seja, ausência de crista lamelar mediana no osso esterno (ou quilha) e ausência de musculatura peitoral adaptada ao voo (FOWLER, 1991). A conformação plana do esterno também funciona como escudo protetor e auxilia na absorção dos impactos. O interesse comercial desta ave é bem antigo, visando à utilização de suas plumas de características puramente ornamentais e se começou se intensificou com o passar dos anos (CARRER et al., 2004).
Mostrar mais

48 Ler mais

Avaliação centesimal e sensorial do macarrão massa fresca tipo espaguete elaborado com ovo desidratado de avestruz

Avaliação centesimal e sensorial do macarrão massa fresca tipo espaguete elaborado com ovo desidratado de avestruz

O objetivo deste trabalho foi avaliar a composição centesimal e a aceitação sensorial de massa fresca tipo espague- te, elaborada com diferentes concentrações de ovo integral desidratado de avestruz. O macarrão sem ovo, com 4,76% de ovo e com 9,52% de ovo de avestruz foi submetido à análise de umidade, resíduo mineral fixo, proteínas, lipídios e carboidratos. O teste de aceitação sensorial foi realizado com 91 provadores não-treinados, utilizando a escala hedônica de sete pontos. Os resultados obtidos mostraram que ocorreu diferença significativa (p<0,05) entre as médias da composição centesimal do macarrão sem ovo, com 4,76% de ovo e com 9,52% de ovo de avestruz para as análises de proteína, resíduo mineral fixo e lipídios. Com relação à determinação de umidade, todas as amostras de macarrão analisadas encontram-se dentro do parâmetro máximo de 35% permitido em massas frescas. As médias dos escores atribuídos pelos provadores do macarrão sem ovo, com 4,76% de ovo e com 9,52% de ovo de avestruz foram, respec- tivamente, 4,7, 4,75 e 5,0, não tendo sido verificada diferença entre as médias (p > 0,05). Portanto, a adição de ovo de avestruz na formulação de macarrão melhora as características nutricionais, principalmente em termos de proteínas, além de resultar em produto final com boa aceitação sensorial.
Mostrar mais

6 Ler mais

AVALIAÇÃO BIOLÓGICA E FÍSICO-QUÍMICA DA CARNE DE
AVESTRUZ (Struthio camelus) E SEU EFEITO NOS PARAMÊTROS BIOQUÍMICOS EM RATOS

AVALIAÇÃO BIOLÓGICA E FÍSICO-QUÍMICA DA CARNE DE AVESTRUZ (Struthio camelus) E SEU EFEITO NOS PARAMÊTROS BIOQUÍMICOS EM RATOS

A carne de avestruz está sendo introduzida no mercado das carnes como uma alternativa mais saudável quando comparada com outras carnes, pois tem baixo teor de lipídios totais, de ácidos graxos saturados e calorias. Apesar desses benefícios relatados na literatura científica sobre a carne de avestruz, existem poucos trabalhos, em relação à qualidade protéica e o efeito do consumo desta carne sobre o metabolismo de humanos e animais. Este trabalho tem como objetivo a avaliação biológica e físico-química da carne de avestruz, seu efeito nos parâmetros bioquímicos em ratos e comparar com outras carnes mais consumidas. Foram realizadas análises da composição centesimal, perfil de ácidos graxos, colesterol e minerais das carnes de avestruz, bovina, suína e frango. Para o ensaio biológico, foram elaboradas dietas experimentais, com caseína (controle) e dietas onde a caseína foi substituída por carne de avestruz, carne bovina, carne de frango e carne suína. A composição centesimal das carnes, em relação à umidade, proteína e cinzas, foi bastante semelhante, porém a carne de avestruz apresentou um percentual de lipídio mais baixo (0,58%). Além disso, apresentou uma boa relação de ácidos graxos poliinsaturados/saturados (0,99), razão n6/n3 (8,32) e maior quantidade de ferro (4,17 mg/100g). Através do ensaio biológico verificou-se que assim como a carne bovina, suína e frango, a carne de avestruz possui uma excelente qualidade protéica e apresentou resultados positivos nos parâmetros bioquímicos de ratos alimentados com esta carne, principalmente em relação ao colesterol sérico dos animais que apresentaram menor concentração.
Mostrar mais

112 Ler mais

Desenvolvimento e validação de método para determinação de cádmio e chumbo em carnes de caprinos, ovinos e avestruz

Desenvolvimento e validação de método para determinação de cádmio e chumbo em carnes de caprinos, ovinos e avestruz

Amostras de rim de ovino e avestruz foram empregadas no desenvolvimento do método. Para a validação, empregaram-se amostras de rim de ave (frango) com baixo teor de cádmio e chumbo (amostras brancas) e para a avaliação da exatidão utilizou-se material de referência (MR) de fígado bovino (Programme of the Community Reference Laboratory for Chemical Elements in Food of Animal Origin at the Istituto Superiore di Sanità – CRL-ISS, Roma, Itália). Amostras de rim e de fígado de caprino, ovino e avestruz foram utilizadas para estender a aplicabilidade do método proposto. Previamente ao tratamento, todas as amostras de carne foram cortadas em pequenos pedaços, removendo revestimentos e partes gordurosas, e então homogeneizadas, em liquidificador tipo Blender, até obtenção de uma pasta.
Mostrar mais

91 Ler mais

Caracterização da carne de avestruz (Struthio camelus) e desenvolvimento de embutido emulsificado defumado (mortadela)

Caracterização da carne de avestruz (Struthio camelus) e desenvolvimento de embutido emulsificado defumado (mortadela)

Santos et al., (2006), avaliou especificamente o processo de abate de avestruzes e as características físicas e químicas da carne, especificamente dos músculos Gastrocnemius internus e Fibulares longus e encontraram pH de 5,97 e 6,14 depois do abate, semelhante aos nossos resultados, principalmente para o músculo Gastrocnemius internus. Sales; Mellett (1996) encontraram no músculo Gastrocnemius internus um pH de 6,05. Já Lambooij et al., (1999), 18 horas depois do abate registraram valores de pH igual a 6,19. Observa-se que o pH encontrado em neste trabalho esta acima dos encontrados nos estudos supracitados. Isso pode ser explicado devido a carne utilizada neste experimento ter sido congelada e mantida armazenada, o que pode ter levado ao aumento discreto do pH. No entanto, Dunster; Scudamore-Smith (1992), avaliando o pH de carne de avestruz encontraram valores variando de 5,88 a 6,87, muito próximos aos encontrados nesta pesquisa.
Mostrar mais

106 Ler mais

Desenvolvimento de reestruturado empanado de carne de avestruz e colágeno em fibra como substituto de gordura

Desenvolvimento de reestruturado empanado de carne de avestruz e colágeno em fibra como substituto de gordura

Dentre os produtos cárneos que podem ser elaborados a partir da carne de avestruz, destacam-se os reestruturados empanados. Tendo em vista que os produtos cárneos empanados convencionais apresentam um alto conteúdo de gordura, a elaboração de um empanado contendo carne de avestruz e utilizando colágeno em fibra como substituto de gordura é uma oportunidade para oferecer ao consumidor um produto empanado com menor conteúdo lipídico. Dessa forma, esta pesquisa objetivou desenvolver e avaliar as características sensoriais, físicas e físico-químicas de um produto cárneo reestruturado empanado, elaborado a partir do aproveitamento de cortes de menor valor comercial de carne de avestruz (Struthio camelus), utilizando colágeno em fibra como substituto de gordura. O estudo foi dividido em dois experimentos. O primeiro experimento consistiu no desenvolvimento do produto reestruturado empanado, através da determinação das melhores formulações por planejamento experimental (Metodologia de Superfície de Resposta), combinando níveis das variáveis independentes: carne de avestruz e colágeno em fibra, considerando como variáveis dependentes os parâmetros de aceitação sensorial e dureza instrumental (força de cisalhamento). O segundo experimento consistiu na avaliação das características sensoriais (dureza sensorial, aceitação, intenção de compra, preferência e expectativa do consumidor), física (dureza instrumental) e físico- químicas (composição química e análise das interações moleculares por espectroscopia de infravermelho) das formulações selecionadas no primeiro experimento. A formulação elaborada com 78,00% de carne de avestruz e 3,43% de colágeno em fibra apresentou menor dureza sensorial, boa aceitação, intenção de compra positiva e alta expectativa dos consumidores, além de valores desejáveis de dureza instrumental, maior conteúdo de proteína e menor conteúdo de gordura, sendo um indicativo de que poderá ser uma boa alternativa de consumo para a carne de avestruz.
Mostrar mais

17 Ler mais

Qualidade interna do ovo de avestruz após estocagem em temperatura ambiente e refrigerada.

Qualidade interna do ovo de avestruz após estocagem em temperatura ambiente e refrigerada.

O ovo de avestruz corresponde, em média, a 25 ovos de galinha. Em geral, ele mede de 12 a 18cm de altura e de 10 a 15cm de largura, seu peso varia de 1,0kg a 2,0kg, e os ovos inférteis servem para o consumo humano e para indústria de alimentos (CARRER et al., 2004). No entanto, não existe ainda. Legislação sobre o ovo de avestruz. Portanto, são necessárias pesquisas para garantir o consumo com segurança.

5 Ler mais

Efeito do óleo de avestruz sobre os parâmetros de ansiedade na prole de ratas tratadas durante a gestação e lactação.

Efeito do óleo de avestruz sobre os parâmetros de ansiedade na prole de ratas tratadas durante a gestação e lactação.

A nutrição é de grande importância nos diversos ciclos da vida, sua valorização é indispensável na fase crítica do desenvolvimento do sistema nervoso central. Durante a gestação e lactação, as necessidades por ácidos graxos essenciais estão aumentadas e à carência deste nutriente pode predispor a alterações metabólicas indesejáveis. Dentre as fontes de AGE, destaca-se o óleo de avestruz, que também apresenta em sua composição elevado teor de ácido oleico (w-9). Desta forma, objetivou-se com esta pesquisa analisar alterações nos parâmetros de ansiedade na prole de ratas que receberam óleo de avestruz durante a gestação e lactação. Foram utilizadas ratas primíparas para obtenção da prole. Confirmado a prenhez, as ratas foram divididas em dois grupos. Grupo Controle (GC), que recebeu dieta padrão, tendo como fonte lipídica 7% de óleo de soja e o Grupo Experimental (GE), que recebeu a dieta contendo fonte lipídica 7% de óleo de avestruz. As dietas foram ofertadas durante toda a gestação e lactação. Para análise dos parâmetros de ansiedade foram analisados o desempenho dos animais no Campo Aberto e o Labirinto em Cruz Elevado. Ao completar 22 dias de idade, cada animal foi colocado na arena de campo aberto durante dez minutos para avaliação da ambulação, rearing (levantar), grooming (auto limpeza) e defecação. No labirinto em cruz elevado, os animais foram colocados individualmente quando completaram 42 dias de vida, para avaliação do tempo de permanência nos braços abertos, fechados e na área central, número de entradas nos braços abertos e fechados e dos mergulhos de cabeça. Os valores obtidos foram expressos em média (±), erro padrão da média (E.P.M.) e analisados estatisticamente utilizando o teste-T de Student não pareado, sendo considerado resultado significativo quando apresentaram (P< 0,05). Foi possível verificar que os animais do grupo experimental apresentaram efeito ansiolítico, demonstrado por meio da maior ambulação, menor tempo realizando o grooming, maior tempo de permanência na área central do labirinto e menor tempo gasto no interior dos braços fechados. Baseado nos dados, conclui-se que o consumo materno de óleo de avestruz nesta fase da vida reduz parâmetros de ansiedade na prole.
Mostrar mais

48 Ler mais

Ocorrência de doenças autoimunes tireoidianas em pacientes com doenças reumáticas.

Ocorrência de doenças autoimunes tireoidianas em pacientes com doenças reumáticas.

Quando se avalia a função tireoidiana nos pacientes com LES, devemos lembrar alguns fatores de interferência, como idade do paciente, uso de imunossupressores e atividade da doença. Doenças sistêmicas agudas e crônicas estão associadas a uma diminuição signifi cativa do T3 total e livre, situação conhecida por síndrome do T3 baixo (low-T3

8 Ler mais

Doenças neurológicas

Doenças neurológicas

A restrição financeira e emocional de fornecer uma terapia de emergência recorrente pode ser esmagadora para o proprietário e pode resultar na eutanásia do animal. É importan[r]

162 Ler mais

Efeitos comportamentais na prole de ratas alimentadas com dieta hiperlipídica à base de óleo de avestruz durante gestação e lactação.

Efeitos comportamentais na prole de ratas alimentadas com dieta hiperlipídica à base de óleo de avestruz durante gestação e lactação.

No presente estudo, as análises do teste do labirinto em cruz elevado mostraram que a suplementação com o óleo de avestruz induziu a um aumento do número de entradas nos braços fechados, mostrando um efeito ansiogênico do óleo de avestruz sobre os filhotes. Porém, apesar de aumentar o NEBF, o grupo suplementado permaneceu menos tempo nos braços fechados (TBF) do que o grupo CT, podendo isso ser interpretado como uma maior exploração do ambiente pelo animal, sendo esta uma característica ansiolítica, podendo também ser corroborado pelo aumento da ambulação no teste do campo aberto. Em relação aos parâmetros de número de entradas nos braços abertos (NEBA) e tempo gasto nos braços abertos (TBA) não houve diferença significativa entre os grupos CT e AV. E em relação aos dados de permanência na área central, constatou-se que o grupo AV permaneceu mais tempo na área central (TC) do Labirinto em Cruz Elevado, quando comparado ao grupo CT, característica essa ansiolítica.
Mostrar mais

56 Ler mais

Deposição de gordura e parâmetros bioquímicos de ratas Wistar tratadas com óleo de avestruz durante a fase de gestação e lactação.

Deposição de gordura e parâmetros bioquímicos de ratas Wistar tratadas com óleo de avestruz durante a fase de gestação e lactação.

Pesquisa realizada por Samuelsson et al., (2008) avaliaram o efeito de uma dieta hiperlipídica obesogênica contendo banha de animais durante a gestação e lactação de ratas e verificaram que a dieta composta por uma maior quantidade de gorduras saturadas, promoveu ganho de peso nessas fases. Já Siemelink (2002) constatou redução de peso nas fêmeas que consumiram dietas hiperlipídicas constituída por óleo de peixe sendo esta composta por uma gordura com elevado teor de ácidos graxos insaturados, esse ultimo resultado corrobora com esta pesquisa que usou de uma fonte lipídica com componentes semelhantes. As dietas experimentais com óleo de avestruz podem ter induzido a redução de peso nas ratas em decorrência de alguns fatores inerentes ao consumo, composição da dieta e modificações inerentes ao período da lactação.
Mostrar mais

45 Ler mais

Show all 3754 documents...