Baixo Jaguaribe-CE.

Top PDF Baixo Jaguaribe-CE.:

O gosto amargo das frutas nas terras do senhor: a ção da produção capitalista e as disputas territoriais entre o agronegócio e o campesinato na região do Baixo Jaguaribe (CE) tese slaraújo

O gosto amargo das frutas nas terras do senhor: a ção da produção capitalista e as disputas territoriais entre o agronegócio e o campesinato na região do Baixo Jaguaribe (CE) tese slaraújo

Na presente Tese, analisamos como se dá espacialmente a territorialização da produção capitalista e as disputas territoriais entre o agronegócio e o campesinato na Região do Baixo Jaguaribe (CE) diante do processo de modernização do campo. Nos apoiando, dentro da tradição marxista e no conceito de uso da noção de desenvolvimento desigual combinado do capitalismo (OLIVEIRA, 1988, 1996, 1999), tentamos compreender como se engendra disputa territorial entre o agronegócio e o campesinato através das tramas da lógica da acumulação por espoliação que por sua vez tem trazido os camponeses desta região para o centro dos conflitos de luta e resistência contra as diferentes formas de expropriação – de terra, água, soberania alimentar, saberes, dentre outras. As transformações que acontecem na área pesquisada são interpretadas como consequência de um processo que se dá na escala global e que tem seu rebatimento fenomenicamente na região pela imposição de uma racionalidade técnica, trazendo no seu bojo processos como a migração campo-cidade, a modificação das atividades econômicas, mudanças nas relações de trabalho, a aparição de diversas classes sociais, frações de classe, na luta pela terra e água, nas novas sociabilidades, nas conflitualidades e modos de vida. A metodologia foi estruturada em torno de três eixos de operacionalização: a organização de uma pesquisa bibliográfica sobre pesquisas na região Nordeste, a construção de um banco de dados estatísticos e a realização de trabalhos de campo.
Mostrar mais

248 Ler mais

O Comportamento empreendedor dos proprietáriosgerentes das micro e pequenas empresas do setor de  de frutos e laticínios na região do Baixo Jaguaribe  CE

O Comportamento empreendedor dos proprietáriosgerentes das micro e pequenas empresas do setor de de frutos e laticínios na região do Baixo Jaguaribe CE

Na micro e pequena empresa, é do proprietário que partem todas as diretrizes para o funcionamento do lugar. É a partir de suas ideias que o negócio se desenvolve, e, por isso, ele tem um papel-chave no sucesso ou fracasso da empresa. Suas características naturalmente influem na atuação do empreendimento, e seus aspectos comportamentais são um fator preponderante para o sucesso da empresa. Dessa forma, esse estudo tem por objetivo principal analisar as características comportamentais empreendedoras dos proprietários/dirigentes das micro e pequenas empresas do setor industrial de beneficiamento de frutos e laticínios na região do Baixo JaguaribeCE. Este estudo é caracterizado como quantitativo e foi realizado com o auxílio de um questionário que buscou identificar aspectos socioeconômicos, empresariais e características comportamentais empreendedoras seguindo a proposta de McClelland et al (1987) e da UNCTAD (2009), investigadas através de análise descritiva e fatorial. Os resultados apontaram que esses empreendedores têm perfil socioeconômico diferente do brasileiro, por serem mais velhos, mais escolarizados e com renda menor do que os nacionais. Essas empresas estão estabelecidas no mercado há mais de 10 anos, com um pequeno número de funcionários, e realizam alguns dos controles administrativos básicos ais como financeiro e de compras. Assim, os indivíduos pesquisados podem ser considerados empreendedores, porque apresentam um alto grau de necessidade de Realização e um baixo grau de necessidade de Poder. Os resultados sugerem que as características comportamentais empreendedoras podem ter um ciclo de vida, manifestando-se em maior ou menor intensidade de acordo com a idade e o tempo da empresa.
Mostrar mais

108 Ler mais

Avaliação do potencial de contaminação de águas superficiais e subterrâneas por pesticidas aplicados na agricultura do Baixo Jaguaribe, CE.

Avaliação do potencial de contaminação de águas superficiais e subterrâneas por pesticidas aplicados na agricultura do Baixo Jaguaribe, CE.

Desenvolvimento Regional do Baixo Jaguaribe, a fruticultura corres- ponde à atividade que mais cresce na região, devido à instalação de um agropolo e a incentivos financeiros promovidos pelo governo do Estado. Alguns municípios se destacam pela grande produção agrí- cola e diversidade de culturas, a exemplo de Limoeiro do Norte, com cultivos de banana, arroz, limão, milho, mamão e sorgo granífero, além de Quixeré, segundo maior produtor de melão do Brasil.

10 Ler mais

Repositório Institucional UFC: "A criação do conflito foi que mostrou pra sociedade o quê que estava acontecendo ali": agronegócio, vida e trabalho no baixo Jaguaribe, CE

Repositório Institucional UFC: "A criação do conflito foi que mostrou pra sociedade o quê que estava acontecendo ali": agronegócio, vida e trabalho no baixo Jaguaribe, CE

A gente fica indignado, né, lutar por uma cesta básica, por ter onde comer […] Então nessa hora a principal pauta tem que ser mesmo isso, lógico, a cesta básica e um refeitório pra comer, um lugar onde sentar na hora do almoço. […] Então isso é um processo que leva a esse processo maior. Esse próprio processo em si da luta leva ao entendimento dos trabalhadores que o problema vai além disso, porque nunca esse modelo, que é gerado pra ter lucro, pra sugar o trabalho das pessoas, se ele é baseado no lucro, ele nunca vai ser humano, não vamos esperar nem acreditar que ele consiga ser humano. […] A necessidade imediata, a partir dela, partindo para denúncias mais aprofundadas sobre o modelo e críticas mais contundentes às empresas. Então o processo em si, ele vai criando essas condições, ele trabalha as duas coisas juntas, uma não separa da outra porque aos poucos, a partir do processo de luta, os trabalhadores vão buscando outras coisas. (Militante do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra, MST-CE)
Mostrar mais

138 Ler mais

DESAFIOS DA GESTÃO INTEGRADA: CASO DAS EÓLICAS NA BACIA DO BAIXO JAGUARIBE/CE. (Páginas 105 a 124) Deborah De Andrade Aragão Linhares, Emanuela Guimarães Barbosa Costa

DESAFIOS DA GESTÃO INTEGRADA: CASO DAS EÓLICAS NA BACIA DO BAIXO JAGUARIBE/CE. (Páginas 105 a 124) Deborah De Andrade Aragão Linhares, Emanuela Guimarães Barbosa Costa

O município de Aracati localiza-se no litoral leste do Ceará é banhado pelo Rio Jaguaribe (CE) que deságua no Atlântico equatorial, situa-se numa região caracterizada por praias arenosas com grandes campos de dunas que são movimentadas por ventos constantes (LIMA et al, 2000). Em todo o seu curso, o rio percorre uma extensão de 633 km, drenando uma área de 72.043 Km² até desaguar no oceano. Possui uma grande rede de drenagem, da qual fazem parte os rios Banabuiú e Salgado, a cidade se localiza a cerca de 17 km da foz do rio, a média máxima para os anos de 1912 a 1985 foi de 237,8 mm de chuva no mês de março, enquanto que entre junho e dezembro as médias mensais para o período foram iguais ou inferiores a 47,7 mm, com média mínima de 2,4 mm de chuva para o mês de setembro (VERÍSSIMO et al., 1996).
Mostrar mais

27 Ler mais

REGISTROS DO HOLOCENO MÉDIO E TARDIO NO NORDESTE DO BRASIL - ANÁLISE DE UM PERFIL SEDIMENTAR EM UM LAGO NO BAIXO JAGUARIBE (CE) A PARTIR DE INDICADORES BIOGEOQUÍMICOS

REGISTROS DO HOLOCENO MÉDIO E TARDIO NO NORDESTE DO BRASIL - ANÁLISE DE UM PERFIL SEDIMENTAR EM UM LAGO NO BAIXO JAGUARIBE (CE) A PARTIR DE INDICADORES BIOGEOQUÍMICOS

O testemunho CE1308 é um registro de mudanças paleoambientais na região do Baixo Jaguaribe que podem ter ocorrido devido à forçantes paleoclimáticas atuantes no Nordeste do Brasil durante o Holoceno Médio e Tardio. A datação por radiocarbono registrou dois períodos distintos, o mais antigo entre 6.100 e 5.637 anos atrás, entre 263 cm e 90 cm, e o mais recente entre 3.575 e 2.925 anos atrás, entre 88 cm e 12 cm. A análise dos indicadores biogeoquímicos (matéria orgânica, razões isotópicas δ13C, δ15N, metais-traço e argilominerais), indicou que o período no Holoceno Médio possuía características estuarinas, com um ambiente sub-óxido e elevado aporte de matéria orgânica de plantas vasculares e de argilominerais originados nas bacias afluentes, através de transporte fluvial. O período no Holoceno Tardio possuía características lacustres, com um ambiente óxido, produção primária algal e uma composição de argilas originadas em planícies costeiras e carreadas por processos eólicos. A análise sugere uma alteração morfodinâmica no rio Jaguaribe, que poderia se estender até a região do Baixo Jaguaribe durante o Holoceno Médio devido à maior pluviometria, seguido pela formação de um ambiente lacustre com certo grau de salinidade durante o período mais seco do Holoceno Tardio.
Mostrar mais

38 Ler mais

Avaliação ambiental e forma de transporte de agrotóxicos  no Rio Jaguaribe  CE

Avaliação ambiental e forma de transporte de agrotóxicos no Rio Jaguaribe CE

45 As maiores concentrações dos OCs monitorados neste estudo foram encontradas em ambiente de domínio estuarino da sub-bacia do baixo Jaguaribe-CE. Alves (2005) relata a importância dos sedimentos como agente deposicional de OCs em estuários. A natureza hidrofóbica dos OCs acarreta uma grande afinidade físico-química pela matéria orgânica presente no sedimento. A presença de OCs em sedimento é atribuída a fenômenos de “sorção competitiva” do OCs (adsorbato) e pelos sítios ativos do sedimento (adsorvente) que é influenciada por parâmetros como estrutura e tamanho dos poros, polaridade, bem como a presença de grupos funcionais no material adsorvente. Bayen (2012) ressalta a importância da salinidade em zonas estuarinas exercendo influência, juntamente com as propriedades físico-químicas, na biodisponibilidade de contaminantes orgânicos para o meio. Turner et al. (2001) relatam um aumento da sorção de contaminantes orgânicos em sedimento estuarinos associado ao aumento da salinidade do meio. Diante do exposto, os estuários atuam como reservatórios de contaminantes orgânicos (OCs) transportados ao longo da sub-bacia do baixo Jaguaribe vindo a causar desequilíbrios no ambiente.
Mostrar mais

102 Ler mais

Reconfiguração socioambiental na região do baixo Jaguaribe- Ceará / ENVIRONMENTAL UPGRADE IN THE REGION OF LOW JAGUARIBE - CEARÁ

Reconfiguração socioambiental na região do baixo Jaguaribe- Ceará / ENVIRONMENTAL UPGRADE IN THE REGION OF LOW JAGUARIBE - CEARÁ

O presente trabalho tem como objetivo mostrar o desenvolvimento da criação de camarão em cativeiro (carcinicultura) na região do Baixo Jaguaribe-Ce, bem como os principais impactos socioambientais advindos do crescimento dessa atividade econômica. A região Nordeste é responsável por 92% dessa produção, sendo os principais estados produtores, pela ordem: Rio Grande do Norte, Ceará, Bahia, Pernambuco, Paraíba e Piauí. Um dos grandes destaques do setor é o Ceará, que possui uma área cultivada de aproximadamente 6.000ha, respondendo por 30% da produção nacional. Ocupa atualmente a segunda posição entre os maiores produtores do país, sendo que a região do Baixo Jaguaribe se consolidou como o ponto nodal dessa atividade. Apesar dos inquestionáveis dividendos para a balança comercial do Estado, o cultivo do camarão em cativeiro trouxe, no seu bojo, mudanças nessa porção territorial do Ceará, promovendo significativas alterações nas relações sociais de produção e, conseqüentemente, uma nova (re)configuração socioespacial. A falta de uma política pública rígida de reoordenamento espacial das áreas que estão sendo ocupadas pela carcinicultura vem ocasionando incomensuráveis impactos socioambientais, mudanças abruptas nas relações de trabalho, proletarização dos pequenos agricultores de subsistência, expulsão de catadores de caranguejo e marisqueiras e uma crescente concentração fundiária. Não resta dúvida de que observamos que a região do Baixo Jaguaribe vem sendo alvo de um intenso processo de territorialização do capital no espaço agrário, onde o território compreendido como valor de uso está sendo apropriado, usado e corporatificado pelas empresas e instituições para a realização de uma atividade econômica que tem sua marca mais proeminente o esgarçamento do tecido social.
Mostrar mais

16 Ler mais

Impactos ambientais do lançamento de efluentes da carcinicultura em águas interiores.

Impactos ambientais do lançamento de efluentes da carcinicultura em águas interiores.

A bacia do Baixo Jaguaribe-CE depara-se com a instalação pro- gressiva de fazendas de camarão às margens do rio Jaguaribe onde não há interferência de água salina. Esse trabalho tem como principal objetivo avaliar as características físicas, químicas e bac- teriológicas dos efluentes contínuos e da despesca de fazendas de camarão, refletindo sobre os possíveis impactos do lançamento desses efluentes e formas de atenuação desses impactos. Foram analisadas amostras da água de captação e dos efluentes de dois viveiros de duas diferentes fazendas. Os parâmetros analisados para os efluentes contínuos foram: pH, turbidez, nitrato, amô- nia total, condutividade elétrica, DBO 5 , fósforo total, fósforo solúvel, alcalinidade total, sólidos totais, sólidos totais dissolvi- dos, sólidos suspensos, coliformes termotolerantes e clorofila a. Para os efluentes da despesca foram acrescentados OD e a fração de sólidos sedimentáveis. Os resultados mostraram que, embora os efluentes contínuos se apresentem dentro dos padrões estabe- lecidos pela legislação, na despesca os valores obtidos para pH, amônia total, sólidos suspensos e sedimentáveis estão acima dos valores permitidos contribuindo para a deterioração progressiva da qualidade da água dos corpos hídricos da região.
Mostrar mais

8 Ler mais

Análise logística multiregional para a distribuição e comercialização de melão produzido no Agropólo Baixo JaguaribeCeará

Análise logística multiregional para a distribuição e comercialização de melão produzido no Agropólo Baixo JaguaribeCeará

Resumo: O objetivo deste trabalho foi de verificar através da análise logística multiregional de transportes a distribuição ótima da produção de melão do Agropólo Baixo Jaguaribe-CE, entre os principais centros de consumo do Brasil. A análise multiregional. A principal característica deste modelo é o foco no lucro obtido com a comercialização do melão entre as regiões produtoras e os centros de consumo de acordo com a sazonalidade de preços e da produção. Os resultados mostraram que há realmente uma distribuição da produção diferente para cada mês do ano. Por intermédio dessa análise o produtor pode amenizar o problema de instabilidade em sua renda, pois os preços recebidos pelo seu produto flutuam mais do que os preços pagos pelos insumos, além de reduzir a saturação do mercado local no médio prazo. Sendo, portanto uma opção para o tomador de decisão direcionar a venda de sua produção em função das relações de equilíbrio entre as forças de demanda e oferta do mercado.
Mostrar mais

19 Ler mais

Repositório Institucional UFC: Evolução do uso e ocupação dos sistemas ambientais de municípios costeiros do baixo Jaguaribe-Ceará (1984 -2016): aplicação de geotecnologias para subsidiar o ordenamento territorial

Repositório Institucional UFC: Evolução do uso e ocupação dos sistemas ambientais de municípios costeiros do baixo Jaguaribe-Ceará (1984 -2016): aplicação de geotecnologias para subsidiar o ordenamento territorial

O Sistema Ambiental Tabuleiro Pré-Litorâneo do Baixo Jaguaribe corresponde a uma faixa com feições tabuliformes de sedimentos Cenozóicos em superfície rampeada com caimento topográfico suave na direção da linha de costa, com declive inferior a 5 %, compondo um glacís de acumulação (SOUZA, op. cit.), FIGURAS 24 e 25. Estão dispostos de modo paralelo à linha da costa à retaguarda dos depósitos eólicos, marinhos e fluviomarinhos que compõem a planície litorânea. Apresenta-se com largura variável chegando a cerca 30 km, praticamente contínua, ao longo do litoral, sendo interrompida pelo estuário do rio Jaguaribe, contactando para o interior com a depressão sertaneja com rochas do embasamento cristalino. A altitude média varia entre 70 a 100 m. Apresenta-se litoestratigraficamente, constituído por sedimentos Cenozoicos do Grupo Barreiras, representados por materiais areno-argilosos ou argilo-arenosos, de cores creme amarelada a vermelha, com estratificação indistinta. É entalhado pela rede de drenagem, com dissecações em interflúvios tabuliformes ainda que de modo incipiente, pelos rios.
Mostrar mais

136 Ler mais

Estrutura e  do arranjo produtivo local do leite nos municípios de Morada Nova e Ibicuitinga  Ceará: Um estudo de caso

Estrutura e do arranjo produtivo local do leite nos municípios de Morada Nova e Ibicuitinga Ceará: Um estudo de caso

O presente trabalho propõe-se analisar a política de Estruturação e Fortalecimento do APL de leite dos municípios de Morada Nova e Ibicuitinga situados na região do Baixo Jaguaribe no Estado do Ceará. Esses municípios que se encontram localizados na segunda maior bacia leiteira do Estado, mas que até então nunca tiveram uma política pública orientada ao condicionamento e comercialização do seu principal produto (leite). Dessa forma, procurou-se estudar cada um dos aspectos estruturantes para o fortalecimento do respectivo arranjo como: territorialidade, inovação, aprendizado, capital social e governança. Dentre os municípios contemplados pelos tanques de resfriamento na região do Baixo Jaguaribe, escolhemos Morada Nova e Ibicuitinga para o nosso estudo de caso, em razão de ambos serem os municípios de maior e menor produtividade, respectivamente, dentre os contemplados. Além das peculiaridades estruturantes como renda, sistema de produção e outros, que diferem os produtores de cada município. Os primeiros em sua grande maioria são fazendeiros e os últimos são assentados. Os dados utilizados neste trabalho são de origem primária obtidos por meio do questionário adaptado da REDESIST, aos condicionantes da atividade da pecuária leiteira, na qual foram aplicados ao todo 29 questionários, sendo 17 em Morada Nova e 12 em Ibicuitinga nas respectivas unidades de produção leiteira. O que se pôde observar em nosso estudo foi que os fatores estruturantes acima mencionados ao APL são bem mais presentes na atividade diária das unidades de produção de Morada Nova do que o observado entre as unidades produtivas de Ibicuitinga, o que resulta como um dos fatores da disparidade da produtividade média diária dos dois municípios pesquisados.
Mostrar mais

137 Ler mais

Quantificação de víbrios, de coliformes totais e termotolerantes em ostra nativa Crassostrea rhizophorae, e na água do estuário do Rio Jaguaribe, Fortim CE

Quantificação de víbrios, de coliformes totais e termotolerantes em ostra nativa Crassostrea rhizophorae, e na água do estuário do Rio Jaguaribe, Fortim CE

Durante o período de setembro de 2005 a setembro de 2006 foram coletadas 15 amostras da ostra nativa Crassostrea rhizophorae no estuário do Rio Jaguaribe, no Município de Fortim – CE (Figura 1). Cada coleta, feita durante a maré vazante, foi de trinta ostras adultas, totalizando 450 indivíduos analisados. Simultaneamente, foram coletadas amostras de água em frasco âmbar de 1 litro. Após as coletas, as amostras foram acondicionadas em caixas isotérmicas e transportadas ao Laboratório de Microbiologia do Pescado e Ambiental, do Instituto de Ciências do Mar – LABOMAR/UFC, onde foram realizadas as análises microbiológicas.
Mostrar mais

13 Ler mais

Conflitos pela água em tempos de seca no Baixo Jaguaribe, Estado do Ceará.

Conflitos pela água em tempos de seca no Baixo Jaguaribe, Estado do Ceará.

A variação climática tem efeitos diretos na agricultura de sequeiro e pode ser verificado na variação da produção da lavoura temporária, conforme o Gráfico 3 . Houve aumento nos anos que teve chuva acima da média ( 720 mm) e cai a partir de 2009 , mantendo-se baixa até 2012 . Apesar da queda da produção, a área colhida em 2009 e 2011 foi maior que em 2008 , indicando queda de pro- dutividade. Considerando que os dois perímetros irrigados do Baixo Jaguaribe aumentaram a produção mesmo com a seca, pode-se inferir que a queda de pro- dução refere-se à agricultura familiar. Os dados mostram que o acesso desigual à água gera situações completamente distintas entre os produtores que estão instalados nos perímetros irrigados e os pequenos agricultores sem acesso à ir- rigação. Enquanto a produção do Perímetro Irrigado de Tabuleiros de Russas triplicou nos últimos cinco anos, a agricultura familiar teve queda de 70% por causa da maior seca dos últimos cinquenta anos.
Mostrar mais

24 Ler mais

Análise sistêmica das relações entre os atores da cadeia produtiva do melão na região do Agropólo Baixo Jaguaribe  Ceará sob a ótica dos custos de transações: em busca de novas oportunidades de inclusão social

Análise sistêmica das relações entre os atores da cadeia produtiva do melão na região do Agropólo Baixo Jaguaribe Ceará sob a ótica dos custos de transações: em busca de novas oportunidades de inclusão social

O referencial teórico empregado neta análise foi o da Economia dos Custos de Transação. A utilização deste referencial teórico se deu a partir dos pressupostos comportamentais e dos aspectos das transações. Então, a proposição fundamental da abordagem é que características diferenciadas das transações levam a arranjos organizacionais também diferenciados, com a finalidade de economizar custos de transação (Williamson, 1985). As transações podem realizar- se no mercado, ou podem ser internalizadas na firma ou, ainda, podem ser viabilizadas mediante contratos entre as partes, formando arranjos híbridos, como os de parceria, franquia e os contratos de terceirização. Através de entrevistas para levantamento dos dados primários de campo foi verificado o comportamento dos atores sociais da cadeia produtiva do melão no Agropólo Baixo Jaguaribe, relativo aos pressupostos comportamentais e aos seguintes aspectos das transações, concernentes à: racionalidade, oportunismo, freqüência, incerteza e a especificidade dos ativos. Este trabalho abordou também a questão do empenho realizado pelas empresas ancoras no sentido de reduzir o impacto de ações oportunistas de seus integrados sobre a instabilidade de oferta de melão no mercado. Portanto, foi elaborado um roteiro para as entrevistas estruturado para captar estas relações.
Mostrar mais

10 Ler mais

Análise da viabilidade sócioambiental da fruticultura irrigada no Baixo Jaguaribe, Ceará

Análise da viabilidade sócioambiental da fruticultura irrigada no Baixo Jaguaribe, Ceará

Outro fator relevante é que, apesar de a irrigação ter sido introduzida em diversas áreas do Nordeste, o dinamismo econômico não se deu do mesmo modo em todas elas. Segundo Damiani (2003), as áreas do Norte de Minas Gerais, Baixo São Francisco e Petrolina-Juazeiro foram todas beneficiadas com projetos de irrigação instalados pela CODEVASF. Entretanto, somente em Petrolina-Juazeiro um significativo dinamismo econômico foi gerado. Segundo o autor, isso se deve às diferentes formas como as instituições públicas atuaram e interagiram com os agentes locais. Assim, ele concluiu que, para gerar resultados significativos, é preciso que a irrigação seja acompanhada de medidas estratégicas capazes de estimular o desenvolvimento. Entre estas medidas estão: seleção cuidadosa das empresas a se instalarem nos perímetros e cobrança de desempenho em troca de subsídios, necessidade da presença de empresas agrícolas como agentes de introdução de novos cultivos e tecnologias, necessidade de esforço conjunto das instituições públicas com as associações de produtores e importância da promoção da modernização agrícola entre os pequenos produtores.
Mostrar mais

88 Ler mais

A capacidade de pagamentos dos usuários de água bruta da bacia do baixo jaguaribe

A capacidade de pagamentos dos usuários de água bruta da bacia do baixo jaguaribe

A economia da Bacia do Jaguaribe é caracterizada pela indústria e a agricultura irrigada. Onde 72 (setenta e dois) municípios possuem algum tipo de indústria e, aproximadamente, 90% dos 49 mil hectares irrigados são utilizados para o cultivo de feijão, arroz e milho, sendo o restante ocupado por fruteiras e pastos para a produção leiteira. A irrigação como atividade econômica deve ser considerada não só sob a ótica dos seus efeitos diretos em termos de produção de alimentos e de matérias-primas para a indústria, como também sob o ponto de vista dos seus efeitos indiretos, em termos de geração de empregos no setor industrial e de serviços, arrecadação tributária, capitalização dos parques industriais regionais e na atração de investimentos públicos e privados para a região (CALEGAR, 1988).
Mostrar mais

59 Ler mais

Análise da viabilidade sócio  ambiental da fruticultura irrigada no Baixo Jaguaribe, Ceará

Análise da viabilidade sócio ambiental da fruticultura irrigada no Baixo Jaguaribe, Ceará

RESUMO: A fruticultura irrigada é uma atividade que vem crescendo no Estado do Ceará, sobretudo em certas regiões favoráveis do Estado. Entre estas regiões encontra- se o Baixo Jaguaribe, onde diversas empresas exploram a fruticultura irrigada e procurou-se, nesta pesquisa, avaliar os aspectos sociais e ambientais da atividade. Os aspectos sociais foram avaliados através de entrevistas com funcionários das empresas produtoras de frutas na região e estas abrangeram aspectos como: serviços de educação e saúde nos municípios de residência, habitação, aspectos sanitários, posse de bens duráveis e emprego. Os aspectos e cuidados ambientais das empresas foram avaliados com base em entrevistas com os técnicos responsáveis das empresas por este setor. Foram abordados nas entrevistas itens como: utilização de práticas de conservação do solo, existência de reserva legal na propriedade, controle de pragas e doenças, uso de fogo em atividade agropecuária, sistema de irrigação utilizado, entre outros. A partir das informações obtidas foram calculados dois sub-índices: um de qualidade de vida dos funcionários e outro de viabilidade ambiental. A partir desses dois sub-índices foi obtido um índice de viabilidade sócio-ambiental da fruticultura irrigada nas empresas, ambos apresentaram bons resultados. Verificou-se que as condições de vida dos funcionários são adequadas e que, em geral, são tomados nas propriedades os principais cuidados ambientais necessários. Assim, a fruticultura irrigada vem sendo desenvolvida por empresas e estas tomam os cuidados ambientais necessários, com responsabilidade social.
Mostrar mais

17 Ler mais

Mudanças na sedimentação no estuário do rio Jaguaribe (CE) devido a mudanças nos usos do solo

Mudanças na sedimentação no estuário do rio Jaguaribe (CE) devido a mudanças nos usos do solo

O rio Jaguaribe é o rio com a maior bacia hidrográfica do Ceará, possui uma bacia hidrográfica de 75 mil Km² que ocupa mais de 50% do estado, no entanto, alterações de uso do solo que ocorreram dentro da bacia hidrográfica desse rio e alterações climáticas globais podem estar causando a diminuição da profundidade do estuário o que dificulta a navegabilidade nessa região e prejudica a fauna aquática. O foco desse estudo é os sedimentos depositados em ilhas dentro do baixo estuário e possíveis áreas no entorno que foram consideradas como possíveis fontes de sedimento para essas ilhas. O plano amostral consistiu em 6 pontos dentro do estuário do rio Jaguaribe onde foram retirados testemunho de sedimento e mais 8 pontos onde foram retirados sedimento superficiais no fundo do rio, nas áreas da margem e no campo de dunas. As áreas foram escolhidas a partir do mapeamento do estuário, esse mapeamento utilizou imagens dos satélites Landsat 5, Quickbird II e Kompsat 2 e cobrem o período entre os anos de 1988 e 2008. O mapeamento mostrou que as ilhas existentes no estuário sofreram grandes mudanças no período de estudo, ao todo ocorreu um aumento de 31,5 hectares na área ocupada por vegetação de manguezal nas ilhas do estuário. O período de maior crescimento foi o período entre 1992 e 2003 onde ocorreu um aumento de 6 hectares com uma velocidade de 2,1 hectare por ano. Além do mapeamento foi realizada uma estimativa de carga de sedimento dos diversos usos do solo na bacia hidrográfica do baixo estuário, essa estimativa mostrou que as principais atividades que contribuem com sedimento para o estuário é a agricultura (282.322 t/ano), sendo os principais contribuintes as plantações de feijão, de mandioca e as de milho. Seguem-se as áreas urbanas (115.076 t/ano), as fazendas de camarão (13.475 t/ano) e a pecuária (1.374 t/ano). Ao contrário de todas as outras atividades encontradas na área de estudo, o cultivo de camarão é a única atividade em que a carga de sedimento é lançada diretamente no estuário. A granulometria dos testemunhos mostrou um predomínio de areias sobre as outras classes, além disso, mostrou que em um mesmo testemunho podem existir diversos tipos de sedimento, havendo camadas com grande quantidade de silte e argila e camadas formadas basicamente de grãos mais grosseiros, a aparência semelhante com os sedimentos retirados das margens aponta as diversas áreas de erosão encontradas espalhadas pelas margens do rio como uma possível fonte de grande importância dentro desse contexto.
Mostrar mais

131 Ler mais

Show all 6356 documents...