Betume modificado com borracha (BMB)

Top PDF Betume modificado com borracha (BMB):

Análise da Aplicação do Betume Modificado com Borracha em Portugal

Análise da Aplicação do Betume Modificado com Borracha em Portugal

A Cepsa produz betumes modificados nas suas refinarias, ou seja, utiliza médias e baixas percentagens de borracha, proveniente, esta do método mecânico. Com a produção em refinarias os betumes obtidos são mais homogéneos do que os produzidos in situ. Segundo as fichas técnicas da empresa (Cepsa, 2010) os betumes modificados usados são de dois tipos, o primeiro designado de BMB-2 que tem como principais aplicações as misturas de módulo elevado para reforços, misturas convencionais e drenantes em zonas com elevada temperatura e em pavimentos cujo objectivo é não formação de rodeiras. O segundo tipo de betume modificado é designado por BMB-3b que tem como principais aplicações as misturas convencionais, drenantes e misturas descontínuas para camadas de desgaste com categoria de tráfego pesado T0 a T2. Ambos os betumes modificados apresentam um comportamento semelhante ao correspondente betume modificado com polímeros e as suas características são similares, apresentando maior viscosidade.
Mostrar mais

131 Ler mais

Estudo do comportamento do betume modificado com borracha produzido a temperaturas temperadas

Estudo do comportamento do betume modificado com borracha produzido a temperaturas temperadas

No caso em estudo optou-se pela utilização de um betume da classe 50/70 segundo a EN 12591. O betume a aplicar nas misturas em estudo foi modificado com 19% de granulado de borracha ou seja, é um betume com alta percentagem de borracha. Para além da quantidade, a principal característica da borracha que influencia as propriedades do betume modificado com borracha é a sua granulometria. A borracha utilizada neste estudo tem dimensões compreendidas entre 0.18 e 0.6 mm e provém da empresa Recipneu em Sines. Para a modificação dos betumes foram utilizados dois aditivos orgânicos (Sasobit e Leadcap) e dois aditivos químicos (Rediset e Iterlow). De forma a avaliar a influência do aditivo produziram-se betumes modificados com diferentes quantidades de aditivo. Os betumes aditivados com Sasobit e Leadcap foram produzidos com 2, 3 e 4% do peso do ligante. Os betumes aditivados com Rediset e Iterlow incluíram percentagens de 0,2; 0,3 e 0,4 % de aditivo em relação ao peso de ligante. A escolha dos aditivos a utilizar neste trabalho baseou- se na experiência de utilização existente internacionalmente.
Mostrar mais

112 Ler mais

Misturas betuminosas modificadas com borracha a temperatura moderada

Misturas betuminosas modificadas com borracha a temperatura moderada

A necessidade de otimizar o desempenho das misturas deu-se, devido não só ao aumento do volume de tráfego, mas também devido ao aumento da sua agressividade. Outro motivo para o desenvolvimento desta técnica é o ambiental, pois com o crescente número de veículos a circular nas estradas começaram a acumular-se milhões de pneus em fim de vida (end of life tyres, ELTs). Estes pneus estavam assim entre as maiores e mais problemáticas fontes de desperdício, e visto a maior parte dos países dependerem de aterros para os depositar, o risco para a saúde humana e ambiental era real. Começaram, assim, a aparecer técnicas de fabrico de betume modificado com borracha (BMB). Estas tinham em vista melhorar as características do betume, das misturas betuminosas produzidas com este, e também evitar a degradação do meio ambiente devido ao recurso de aterros.
Mostrar mais

83 Ler mais

Estudo do efeito da temperatura no ruído pneu-pavimento e nos parâmetros acústicos das camadas superficiais

Estudo do efeito da temperatura no ruído pneu-pavimento e nos parâmetros acústicos das camadas superficiais

O trabalho desenvolvido nesta dissertação tem por objetivo estudar o efeito da temperatura no ruído da interação do pneu com o pavimento e nos parâmetros acústicos das camadas superficiais, com o recurso a vários métodos de ensaio. Para a aquisição do ruído pneu-pavimento utilizou-se o método de proximidade imediata, o método CPX. Por sua vez, para a avaliação do amortecimento do pavimento, foi utilizado o método da impedância mecânica e para a absorção do pavimento o método da impedância acústica. Este trabalho apresenta, para três tipos de pavimento diferentes, Betão Betuminoso Clássico, Betão Betuminoso Drenante e Mistura betuminosa com betume modificado com borracha, a sua caracterização acústica através de dois indicadores acústicos (LAmax e LAeq) em função da velocidade de circulação, da temperatura do pavimento e das características acústicas das camadas superficiais do pavimento em estudo (amortecimento e absorção sonora).
Mostrar mais

102 Ler mais

Avaliação mecânica e ambiental da aplicação de resíduos em misturas betuminosas

Avaliação mecânica e ambiental da aplicação de resíduos em misturas betuminosas

Como anteriormente se constatou, um dos resíduos que se pode introduzir nos betumes são os plásticos (Costa et al., 2013). Estes permitem melhorar o desempenho das misturas betuminosas, nomeadamente, a suscetibilidade térmica, a resistência à fadiga, à deformação permanente e ainda ao envelhecimento. No estudo realizado por Costa et al. (2013) foram realizadas misturas (granulometria descontínua e granulometria aberta) com betume modificado com polímeros e com borracha, que foram posteriormente comparadas com duas misturas com betume modificado com SBS, que é um dos polímeros mais frequentemente utilizados na modificação de betumes (Costa et al., 2013). A caraterização mecânica destas misturas foi realizada tendo em conta ensaios laboratoriais, nomeadamente o ensaio de flexão de 4 pontos (medir deformabilidade) e ensaios de fadiga por flexão em 4 pontos (avaliar resistência a fadiga). Conclui-se que as misturas abertas com betume modificado com borracha possuem uma melhor resistência à fadiga, comparativamente às misturas modificadas com SBS.
Mostrar mais

76 Ler mais

Produção de Misturas Betuminosas com Betumes Modificados: Compactabilidade e Comportamento Mecânico

Produção de Misturas Betuminosas com Betumes Modificados: Compactabilidade e Comportamento Mecânico

 Durabilidade - É determinada pela capacidade de uma mistura betuminosa resistir ao desgas- te causado pelo tráfego e de pelas acções climáticas (temperatura e água). De uma forma geral, a durabilidade aumenta com o incremento da quantidade de betume. Este confere mai- or resistência à desintegração da mistura e diminui o volume de vazios, dificultando assim o acesso da água ao seu interior. No entanto, uma percentagem de betume excessiva pode re- duzir a estabilidade da mistura. Por esse motivo é importante que no processo de formulação se determine a quantidade de betume adequada. A utilização de uma curva granulometria contínua também melhora a durabilidade da mistura por torna-la mais impermeável.
Mostrar mais

125 Ler mais

Estudo de misturas betuminosas recicladas com incorporação de resíduos plásticos

Estudo de misturas betuminosas recicladas com incorporação de resíduos plásticos

A primeira fase diz respeito à “lavagem” dos agregados grossos, através do uso de tolueno. Para tal, cerca de sete quilogramas de mistura são colocados numa centrifugadora, onde é adicionado um litro de tolueno, deixando-se repousar durante meia hora, tendo o cuidado de verificar que todo o material fica submerso no solvente (Figura 3.11). Em seguida é feito um processo com seis ciclos, sendo o tempo do ciclo o necessário para extrair o tolueno do interior da centrifugadora. Em seguida, o tolueno (com alguns resíduos de betume) é colocado novamente dentro da centrifugadora e dá-se início a um novo ciclo. Após terminado este primeiro processo de lavagem é colocado meio litro de tolueno novo, e realizado um segundo processo com igual número de ciclos. Deste processo obtém-se uma mistura entre tolueno, ligante (betume) e alguns finos.
Mostrar mais

108 Ler mais

Compósitos de borracha natural com polianilina

Compósitos de borracha natural com polianilina

Compósitos foram obtidos por polimerização em emulsão da anilina na presença de borracha natural e do ácido dodecil- benzeno sulfônico. Condutividade elétrica de aproximadamente 14 ordens de grandeza maior do que a borracha foi obtida para o compósito. Verificou-se que houve formação da polianilina do- pada com DBSA nos compósitos, sendo ela a responsável pelo alto valor de condutividade. Não houve variação na transição vítrea do compósito em função do conteúdo de PANI-DBSA, indicando a imiscibilidade dos polímeros.Verificou-se também que a borracha não altera significantemente a fase cristalina da PANI-DBSA no compósito.
Mostrar mais

5 Ler mais

Desempenho de clones de copa e painel de seringueira no sudoeste do Estado do Mato Grosso.

Desempenho de clones de copa e painel de seringueira no sudoeste do Estado do Mato Grosso.

O clone MDF 180, possivelmente por apresentar folhas decíduas durante o período mais seco do ano e posterior refolhamento (Pires et al., 2002), teve a menor percentagem de plantas com incremento do perímetro do caule (62,3±4,2%) sobre os três clones de painel avaliados (PB 311, RRIM 600 e PB 314). Quando comparados, os clones de painel apresentaram, na média, a seguinte sequência quanto à quantidade de plantas aptas para sangria: IAN 6158 > F 4512 > IAN 6543 > MDF 180. Semelhantemente ao observado por Gonçalves et al. (2011), o número de plantas aptas à sangria, com perímetro do tronco (x) ≤ 45 cm, não está necessariamente associado a altas produtividades de borracha seca (ŷ), como foi veriicado na equação de correlação entre essas duas variáveis: ŷ = 106,45 ‑ 24,669x, r = 0,79 (p≤0,05).
Mostrar mais

8 Ler mais

Matéria (Rio J.)  vol.17 número4

Matéria (Rio J.) vol.17 número4

A Figura 6 exibe a imagem de microscopia eletrônica de varredura no modo de elétrons retroespalhados com ampliação de 3000x da interface matriz-partícula. A amostra analisada foi apenas cortada transversalmente utilizando uma máquina cortadeira de precisão, evitando o polimento, e assim a extração da partícula de borracha na matriz polimérica. Cabe ressaltar que diferentemente dos resultados reportados por Scaffaro et al. [10] e Carné [12] envolvendo resíduos de borracha e matriz termoplástica, a porosidade aparente dos compósitos investigados exibiu valores inferiores. Este comportamento pode ser atribuído à molhabilidade da matriz epóxi sobre as partículas de borracha, evitando a formação de poros na interface e por sua vez favorecendo uma boa adesão matriz-particulado. A ausência de microporos na interface matriz-partícula é fundamental para evitar fratura prematura do material, propagação de trincas e penetração de umidade. A absorção de umidade está diretamente relacionada com a durabilidade dos compósitos comprometendo a adesão entre a fase matriz e dispersa.
Mostrar mais

8 Ler mais

Para a chuva não beber o leite. Soldados da borracha: imigração, trabalho e justiças...

Para a chuva não beber o leite. Soldados da borracha: imigração, trabalho e justiças...

SERINGUEIRO! Um quilo de borracha é o pedaço de um avião de bombardeio!; SERINGUEIRO! Emquanto descanças, há batalhas, em todos os céus, entre as forças do mal e as do bem. O produto do teu trabalho é elemento vital para os povos que se rebelaram contra os governos despóticos; SERINGUEIRO! O Amazonas, notadamente, poderia duplicar a sua produção sem aumentar um braço nos seus seringais, bastando, para isso, que todo o seringueiro trabalhasse CINCO DIAS na semana! Esta é que é a verdade; SERINGUEIRO! Deixa as caçadas e as festas para os dias de domingo. A tua semana deve ser de trabalho constante, pois, só assim, corresponderás ao apêlo da Pátria!; SERINGUEIRO! Trabalha cinco dias por semana e terás concorrido eficientemente para a Vitória da causa do Brasil; SERINGUEIRO! Trabalho normal é tributo que deves ao direito de existir. Só elevando ao máximo o nível de tua produção, terás respondido ao apêlo da Pátria; SERINGUEIRO! Eleva, ao máximo, a tua capacidade de produção. Lembra-te que tôda a borracha que produzires será convertida em elementos de combate para a vitória da causa do Brasil e seus aliados; SERINGUEIRO! Só o aumento da tua produção far-te-á um brasileiro cumpridor de uma tarefa patriótica em hora oportuna; SERINGUEIRO! E’s tão digno quanto os que lutam nas trincheiras! O Brasil confia no patriotismo de seus filhos! Trabalha muito. Eleva ao máximo a produção de guerra, que disso depende a VITÓRIA DE TEU PAÍS! 113
Mostrar mais

279 Ler mais

Polímeros  vol.18 número1

Polímeros vol.18 número1

características distintas. Vários parâmetros relacionados à fase borracha têm sido identificados como modificadores da tenacidade deste sistema, como: fração volumétrica da fase borracha (este parâmetro é influenciado pelo conteúdo de borracha, pelo número e tamanho das oclusões e pelo grau de graftização), densidade de ligação cruzada (o grau de entre- cruzamento determina a cavitação da borracha), morfologia da partícula, nível de adesão com a matriz, tipo de borracha (na maioria dos casos o tipo de borracha é o polibutadieno (alto e baixo cis), porém outros tipos de borracha ocasional- mente utilizados são o poli(butadieno-co-estireno) (SBR) e o poli(etileno-co-propileno-co-dieno) (EPDM)) e, os mais im- portantes, tamanho e distribuição de partículas de borracha, pois definem algumas características de acabamento superfi- cial e transparência destes materiais, além de ser crítico para as propriedades mecânicas [9] .
Mostrar mais

8 Ler mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE ESTOMATOLOGIA CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM ODONTOPEDIATRIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE ESTOMATOLOGIA CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM ODONTOPEDIATRIA

Alvares (1990) descreveu como isolar uma dente com dique de borracha da seguinte maneira: fixa-se o lençol de borracha no arco de Ostby, devendo ser por trás deste, já que assim for[r]

61 Ler mais

Superfícies protetoras na diminuição de danos mecânicos em tomate de mesa.

Superfícies protetoras na diminuição de danos mecânicos em tomate de mesa.

Na terceira etapa, frutos de tomate “Débora”, no estádio de maturação verde-maduro, adquiridos na CEASA Campinas, foram submetidos à queda por meio do equipamento de sucção. Para este ensaio, utilizaram- se três alturas de quedas (10, 20 e 30cm) e três superfícies, determinadas através dos resultados obtidos com a esfera instrumentada, que apresentaram valores de aceleração média: baixos = borracha esponjosa 9,5mm, intermediários = EVA. 3mm e altos = aço carbono 5mm. Em cada uma das superfícies, foi aplicado pó de giz para que o fruto ficasse marcado na hora da queda, possibilitando determinar onde ocorreu o dano. Após o ensaio, os frutos foram armazenados em temperatura ambiente (24ºC) juntamente com os frutos referência. Passados sete dias de armazenamento, avaliou-se a presença de danos internos de impacto. Para isso, cada tomate foi cortado transversalmente à marcação e avaliado usando a seguinte escala: 1=nenhum dano físico; 2=mínima descoloração do tecido locular; 3=descoloração do pericarpo e deformação do tecido locular; 4=tecido locular separado dos demais (SARGENT et al., 1992).
Mostrar mais

4 Ler mais

Desenvolvimento de betumes inovadores modificados com resíduos

Desenvolvimento de betumes inovadores modificados com resíduos

Para além da definição anteriormente referida, o betume pode ser considerado um sistema coloidal, onde os componentes com maior peso molecular, os asfaltenos, estão dispersos nos componentes com baixo peso molecular, os maltenos (Fuentes-Audén et al., 2008, Widyatmoko e Elliott, 2008). Por sua vez, os maltenos podem ser divididos em saturados (constituem cerca de 5 % a 15 % do peso do betume e apresenta-se como um líquido incolor ou levemente colorido e solúvel em heptano normal), aromáticos (fração mais abundante dos constituintes do betume e define-se como um líquido viscoso cuja cor varia de amarela a vermelha à temperatura ambiente) e resinas (à temperatura ambiente tratam-se de um sólido de cor preta polarizado bastante importante na estabilidade do betume, uma vez que funciona como estabilizador dos asfaltenos) (Lesueur, 2009). Para além disso é importante salientar que o betume é um material viscoelástico, ou seja, parte do seu comportamento é elástico e outra parte é viscoso. Como tal, após aplicação da carga, se a deformação é recuperada este apresenta comportamento elástico. Por sua vez, se após o carregamento a deformação não é recuperável, e como tal torna-se numa deformação permanente, o betume assume um comportamento viscoso (Interactive, 2011).
Mostrar mais

125 Ler mais

Avaliação mercadológico da borracha natural no Brasil

Avaliação mercadológico da borracha natural no Brasil

A importância econômica e industrial da borracha natural fazia da seringueira uma árvore estratégica, sendo que sementes foram levadas pelos ingleses para serem plantadas em suas colônias na Ásia. Naqueles países a seringueira foi cultivada como uma espécie comercial, diferentemente do Brasil, onde estava em seu habitat natural. Portanto, enquanto o sistema de produção brasileiro era o extrativismo, o asiático se baseava na exploração comercial. Esse foi o principal fator de sucesso da produção de borracha na Ásia. Além desse aspecto agronômico, na Ásia não existia o fungo causador do mal- das-folhas (Microcyclus ulei), que é uma das doenças mais comuns dos seringais - sobretudo na Amazônia (Borracha Natural, 2011).
Mostrar mais

6 Ler mais

Orientador: Luís Quaresma, Professor Auxiliar Convidado, FCT- UNL Coorientadora: Doutora Ana Cristina Freire, Investigadora Auxiliar, Departamento de Transportes do LNEC

Orientador: Luís Quaresma, Professor Auxiliar Convidado, FCT- UNL Coorientadora: Doutora Ana Cristina Freire, Investigadora Auxiliar, Departamento de Transportes do LNEC

O comportamento deficiente de um pavimento devido à ligação fíler-betume e consequentemente do mastique por este formado poderá resultar de diversos fatores. Sendo de destacar a composição química, em especial a presença de sílica e a acidez do material, teoria que é defendida por diversos autores, mas que no entanto suscita dúvidas. O índice de vazios do fíler seco compactado ou índice de vazios de Rigden uma vez que o betume, ao ser adicionado ao fíler, apresenta a tendência para preencher os vazios presentes no fíler, tornando assim este um fator a considerar no estudo. Outro parâmetro trata-se da superfície específica do fíler visto que esta propriedade influencia o fenómeno de adsorção do betume, sendo que um material com maior superfície específica possui uma maior facilidade na adsorção do betume. A forma e a textura das partículas tratam-se de outros aspetos que podem levar a que exista uma maior facilidade na adsorção do betume e uma consequente melhoria das características físicas e mecânicas do mastique. É possível prever que uma partícula com uma superfície rugosa e uma forma angulosa tenha uma maior facilidade em fixar o betume não deixando que este se solte facilmente da sua superfície. A finura das partículas é outra característica a estudar uma vez que quando mais finas forem as partículas maior é o número de partículas num mesmo volume de fíler, assim considerando que cada partícula adsorve uma certa quantidade e betume, quando maior o número de partículas maior será a quantidade de betume adsorvido. A atividade das partículas poderá também influenciar o comportamento do mastique.
Mostrar mais

188 Ler mais

Estudo da influência da radiação ionizante na tração diametral de cimentos de ionômero de vidro

Estudo da influência da radiação ionizante na tração diametral de cimentos de ionômero de vidro

modificado por liga de prata (n=12), em uma matriz bipartida de PTFE, cilíndrica de 6mm de diâmetro X3 mm de altura, técnica indicada pelo fabricante, após confecção, armazenadas em recipiente plástico, protegidos por 24h à 37°C em estufa de cultura. Os grupos, divididos em controle e irradiado, com dose usual de tratamento de neoplasias de cabeça e pescoço fracionada em 35 aplicações de 2Gy (200cGy) ao dia, totalizando dose de 70Gy (7000cGy) em acelerador linear, para evitar subdosagem, utilizamos Bólus de 2mm simulando tecidos moles circundantes. A tração diametral foi realizada com velocidade de 1mm/min, até fratura do corpo-de- prova. RESULTADOS: Observadas diferenças significativas (p<0,001) entre os três grupos de cimento de ionômero de vidro (convencional, modificado por resina e modificado por liga de prata). Grupos de mesma classificação, submetidos ou não á radiação, não houve diferença significante, o grupo Riva Light Cure controle, média 31,83 e grupo irradiado 24,82. O grupo Riva Silver controle, média 12,06 e o grupo irradiado 17,29. O grupo Riva Self Cure controle, média de 14,05 enquanto o grupo irradiado 26,04. CONCLUSÃO: Dentro das limitações do estudo, conclui-se que a radioterapia aplicada como protocolo no tratamento de pacientes com câncer de cabeça e pescoço não influi negativamente na tração diametral dos três diferentes cimentos de ionômero de vidro pesquisados
Mostrar mais

61 Ler mais

Comportamento acústico de blocos de terra compactada ativados alcalinamente

Comportamento acústico de blocos de terra compactada ativados alcalinamente

Assim, o mecanismo exato que traduz a reação dos aglomerantes obtidos por ativação alcalina ainda não está completamente compreendido, embora a maioria dos autores concorde que esta consiste num processo de três etapas distintas e contínuas, designadamente a dissolução, a orientação e o endurecimento (Torgal et al., 2007). O hidróxido de sódio utilizado foi adquirido no estado sólido (Figura 3.4) com cerca de 98% de pureza, ou seja, em forma de flocos brancos cristalizados, conhecidos como soda cáustica. Este produto foi dissolvido em água de forma a obter uma concentração de 12,5 mol para os BTC. E necessário ter alguns cuidados aquando o uso deste produto, através do uso de máscara e de luvas de borracha, uma vez que se trata de um produto corrosivo e que pressupõe uma reação exotérmica e com libertação de vapores quando em contacto com a água.
Mostrar mais

116 Ler mais

CONCRETO COM BORRACHA DE PNEUS APLICADO EM CICLOVIA

CONCRETO COM BORRACHA DE PNEUS APLICADO EM CICLOVIA

Os pneus automotivos apresentam tempo indeterminado de decomposição na natureza representando grande preocupação quanto aos impactos ambientais. Os pneus descartados de forma inadequada podem causar muitos problemas ao acumular água e potencializar a proliferação de vetores de doenças. Quando direcionados aos aterros podem causar instabilidade no maciço devido aos vazios gerados entre eles. No caso da incineração geram material particulado e gases tóxicos tornando-se um risco à saúde. Como parte da constituição dos pneus, a borracha, o nylon e o aço podem se constituir em matéria-prima para outras utilizações. Dessa forma, a destinação final e reutilização ambientalmente corretas, adequadas e seguras são desafios a serem vencidos em todos os segmentos. A construção civil impacta o meio ambiente, mas pode se constituir em sorvedouro de resíduos com a devida comprovação técnica. Para a utilização de resíduos na construção civil encontram-se barreiras, tanto tecnológicas como políticas, tornando incipiente ainda essa prática. Este trabalho é um relato de uma experiência conjunta entre prefeitura municipal, empresa de construção civil e instituição de ensino, para a aplicação de borracha originada do picotamento de pneus automotivos em uma ciclovia. Utilizou-se um concreto com adição de borracha de pneu, em substituição ao agregado miúdo, para a execução de uma ciclovia e verificou-se ser possível sua aplicação em substituição ao concreto convencional. Este equipamento urbano oferece opção de locomoção, fomenta hábitos de vida mais saudáveis e lazer para a população atendida, e pode contribuir para a sustentabilidade.
Mostrar mais

13 Ler mais

Show all 1159 documents...