Carga dinâmica

Top PDF Carga dinâmica:

Monitoração, por GPS, de deslocamentos em estruturas com carga dinâmica

Monitoração, por GPS, de deslocamentos em estruturas com carga dinâmica

O sistema Anchieta Imigrantes compõe um sistema viário de 176 km que interliga a metrópole de São Paulo à Região Litorânea denominada Baixada Santista, que dá acesso ao porto de Santos, o maior do País e a uma das mais belas partes do litoral do Estado, características que geram forte fluxo de tráfego. Deste sistema faz parte a rodovia dos Imigrantes SP 160, inaugurada em meados da década de 1970. Com freqüência semanal trafegam também cargas especiais que chegam a pesar mais de 500 t. A pista ascendente vence um desnível de mais de 700m na Serra de Paranapiacaba, sendo composta por viadutos construídos sobre pilares de concreto armado, com os tabuleiros apoiados em viga Gerber com 35 metros de comprimento, figura 5.27. Este cenário com cargas especiais chamou a atenção como um potencial candidato à realização dos experimentos deste trabalho. Os engenheiros Roberto Alves e Mario Mori da Empresa Figueiredo Ferraz, em reunião de 31-01-01, nos informaram que a flecha do viaduto, com a passagem de uma carga especial, seria aproximadamente de 0,02 m (carga de 350 t).
Mostrar mais

229 Ler mais

CARGA DINÂMICA DA PROVA E O DIREITO DE ÇÃO  Gilberto Schäfer, José Eduardo Aidikaitis Previdelli

CARGA DINÂMICA DA PROVA E O DIREITO DE ÇÃO Gilberto Schäfer, José Eduardo Aidikaitis Previdelli

O ônus da prova representa relevante ponto de estudo no direito processual civil, pois visa atender pautas em que se entende que determinadas afirmações de fato não foram devidamente provadas e distribuir a carga entre os agentes processuais. O que se propõe aqui em primeiro lugar é compreender a diferença entre uma distribuição estática para uma distribuição dinâmica para resolver, com mais justiça, os conflitos postos a exame e seus reflexos no direito de antidiscriminação.

21 Ler mais

Análise de provas de carga dinâmica e estática em estacas hélice contínua monitoradas em solo residual jovem de Gnaisse

Análise de provas de carga dinâmica e estática em estacas hélice contínua monitoradas em solo residual jovem de Gnaisse

O PDA®,é o responsável em obter os sinais de campo. Este por sua vez, realiza o cálculo da capacidade de carga utilizando o algorítmo do Método CASE®. Para os cálculos, o algoritmo, para resolver a equação diferencial da onda, recorre à valores de contorno, pois trata-se de uma solução numérica que considera como hipóteses a homogeneidade e uniformidade da estaca. Posteriormente, estes dados são descarregados outro software para uma análise numérica mais refinada. O software é o CAPWAP®, que realiza um processo iterativo para refino e tratamento dos dados através de outro algoritmo de maior acurácia. Assim, uma curva parametrizada, dada pelo CAPWAP® é ajustada à curva de força medida em campo, o que permiti o refino dos dados de campo (PDI, 2013).
Mostrar mais

121 Ler mais

Provas de carga dinâmica em estacas escavadas de pequeno diâmetro com ponta modi...

Provas de carga dinâmica em estacas escavadas de pequeno diâmetro com ponta modi...

Houve aumento da resistência total média para todos os tipos de estacas com ponta modificada em relação às de referência, indicando que as intervenções pesquisadas podem ser utilizadas p[r]

217 Ler mais

rmat 22 suppl e11922

rmat 22 suppl e11922

Solos colapsíveis são solos não saturados que experimentam um rearranjo radical de partículas e grande redução de volume quando inundados, com ou sem aplicação carga adicional. Esses solos apresentam sérios problemas para a Engenharia Geotécnica quando há mudança da umidade, causando deformações adicionais aos solos. A análise do seu comportamento passa a ser uma etapa essencial para o sucesso do projeto de engenharia. Ensaios edométricos simples e duplos, com sucção controlada e a utilização do Expansocolapsômetro têm sido bastante utilizadas para analisar a variação de volume dos solos colapsíveis devido à mudança de umidade, pois permitem avaliar o comportamento dos solos colapsíveis de modo que simulem as condições a que o solo será submetido. O artigo tem por objetivo avaliar o módulo de elasticidade em campo de um solo colapsível de um conjunto Residencial em Petrolina-PE, com e sem a inundação prévia. Foi utilizado em campo o Light Weight Deflectometer – LWD que se trata de um equipamento moderno que aplicação carga dinâmica em uma placa ao solo e permite medir as deflexões e quantifica o módulo de elasticidade. A caracterização física do solo foi realizada em laboratório. O resultado apresentou um solo preponderantemente arenoso, com um módulo de elasticidade que varia de 46,3 a 79,2 MPa e a inundação causa uma redução de 88%. Além disso, verificou-se que o aumento da umidade associada à aplicação da carga dinâmica causa uma redução de sua rigidez, ocorrendo uma diminuição do módulo de elasticidade e, consequentemente, um aumento da deflexão. A partir dos resultados do LWD, estabeleceu-se um critério de identificação de solo colapsível através do coeficiente K LWD , atestando que o
Mostrar mais

10 Ler mais

Proposta para estimar curva carga-recalque e capacidade de carga em estacas de madeira.

Proposta para estimar curva carga-recalque e capacidade de carga em estacas de madeira.

O ensaio consistiu na aplicação de uma série de, no mínimo, sete golpes do martelo na estaca, com energias crescentes, isto é, iniciando-se com altura de queda de 20 cm para o primeiro golpe e acrescentando 20 cm para os próximos golpes, até 140 cm para o último. Tal procedimento de execução é denominado ECD de energia crescente ou prova de carga dinâmica. As curvas carga- recalque obtidas por meio desse método experimental, que correspondem à resistência mobilizada versus o deslocamento dinâmico devido ao impacto de energia crescente em cada estaca de madeira estão incluídas na Figura 5.
Mostrar mais

12 Ler mais

Metodologia de execução e determinação da capacidade de carga de estacas de pequeno diâmetro cravadas e injetadas

Metodologia de execução e determinação da capacidade de carga de estacas de pequeno diâmetro cravadas e injetadas

É fato também que a estaca E02 apresenta valor de ruptura muito além de todos os valores calculados nas previsões, considerando os coeficientes propostos pelos métodos e os valores ajustados conforme descritos anteriormente. Esta estaca foi intencionalmente executada com um comprimento menor que as demais, e a priori, pois pensava-se que esta estaca apresentaria uma pequena resistência de ponta e funcionaria como uma estaca flutuante. Tal comportamento está de acordo com a experiência relatada na literatura em que se enfatiza a pequena contribuição da resistência de ponta para este tipo de estaca. Para uma melhor definição das parcelas de resistência lateral e resistência faz-se necessário a realização de provas de carga com estacas instrumentadas para se determinar o diagrama de transferência de cargas ao longo do fuste da estaca.
Mostrar mais

93 Ler mais

Estudo de carga lateral e de ponta em estacas moldadas in loco via metodologia alternativa de prova de carga

Estudo de carga lateral e de ponta em estacas moldadas in loco via metodologia alternativa de prova de carga

Decourt (2008) comenta quanto ao número de estágios durante os ensaio de Prova de Carga, discordando com a prescrição de um número na ordem de 20% da carga admissível prevista, defende um numero superior em função ao perfil geotécnico testado estar composta por diversos trechos diferentes, como cimentações, pré-adensamentos e, ou, pré carregamentos, transferências basicamente por atrito-lateral, transferência basicamente por ponta e etc., o que leva a um contra-senso principalmente pelo objetivo de se obter a determinação da curva carga-recalque como um todo, o que leva nitidamente a um número insuficiente.
Mostrar mais

206 Ler mais

Polímeros  vol.23 número2

Polímeros vol.23 número2

Pelos resultados observa-se que a baixas deformações (Figura 6) os nanocompósitos de NBR/MMTorg apresentam o módulo elástico (G’) crescente com o aumento do teor de MMTorg. Este aumento é causado pela formação das interações carga-carga, cuja distância entre os interagregados torna-se cada vez menor com o conteúdo da carga. Por outro lado, segundo a mesma teoria, em altas deformações (Figura 7), onde há o rompimento das interações dos interagregados, o efeito predominante é de interações polímero-carga.

6 Ler mais

Perda de carga localizada em emissores não coaxiais integrados a tubos de polietileno.

Perda de carga localizada em emissores não coaxiais integrados a tubos de polietileno.

A perda de carga total é estimada pela soma da perda de carga contínua, ao longo das seções uniformes de tubo entre os gotejadores consecutivos, com a perda de carga localizada nos gotejadores “in-line” ou nas conexões dos gotejadores “on-line”. Essas perdas de carga possuem ordens de grandeza semelhantes (HOWELL & BARINAS, 1980; AL-AMOUD, 1995). Enquanto a determinação das perdas de carga contínuas já é bem definida pelos modelos hidráulicos existentes, os projetistas geralmente falham na estimativa das perdas localizadas por serem mais complexas.
Mostrar mais

12 Ler mais

Análise do comportamento e da resistência de um sistema de lajes com fôrma de aço incorporada

Análise do comportamento e da resistência de um sistema de lajes com fôrma de aço incorporada

A equação 6.1 foi estabelecida para o esquema de carregamento consistindo de duas cargas concentradas eqüidistantes dos apoios. Por outro lado, os projetos de lajes são geralmente feitos considerando-se cargas uniformemente distribuídas em toda a área da laje. Assim sendo, torna-se necessário modificar ambas as equações. A modificação mais usual e inclusive recomendada pelo próprio EUROCODE 4 (2004) e pelo CSSBI (2002), como uma aproximação conservadora e para criar uma condição de carga uniforme equivalente, é a alteração no valor do vão de cisalhamento L’. O vão de cisalhamento L’ é igual a L/4 no caso de cargas uniformemente distribuídas. Esse valor tem sido adotado por todas as especificações internacionais pesquisadas neste trabalho.
Mostrar mais

160 Ler mais

Avaliação da eficácia de avisos de segurança em diferentes níveis de carga cognitiva num simulador em realidade virtual

Avaliação da eficácia de avisos de segurança em diferentes níveis de carga cognitiva num simulador em realidade virtual

Este trabalho teve como objetivo principal a avaliação da consonância comportamental com avisos de segurança em diferentes níveis de carga cognitiva. Muitos estudos têm demonstrado, com o paradigma da dupla tarefa, que o incremento da carga cognitiva em uma das tarefas interfere no desempenho de tarefas concorrentes e compromete a capacidade das pessoas em processar informações. O paradigma da dupla tarefa tem sido explorado, sobretudo, em situações dinâmicas de condução de automóveis e de controlo de tráfego aéreo. São ainda poucos os estudos que avaliem a relação da carga cognitiva decorrente de tarefas de trabalho menos dinâmicas com a consonância comportamental com avisos de segurança. Estudar a consonância comportamental com avisos de segurança em situação real é uma questão difícil. A Realidade Virtual (RV) pode ser assumida como a metodologia mais adequada para usar neste contexto, pois supera as limitações metodológicas, financeiras e éticas. Assim, um segundo objetivo deste trabalho foi desenvolver um simulador em RV para avaliar a consonância com avisos de segurança (estáticos e dinâmicos) em diferentes níveis de carga cognitiva (elevada, baixa e neutra), numa situação de trabalho em armazéns. Os resultados obtidos indicam que os avisos estáticos não estimulam o comportamento de consonância, independente do nível da carga cognitiva. Os avisos dinâmicos, por sua vez, provocam a consonância quando o nível de carga cognitiva é baixo ou neutro, mas não conseguem influenciar o comportamento do indivíduo em carga cognitiva elevada. Relativamente ao simulador, a RV mostrou ser eficaz para avaliar a consonância comportamental com avisos de segurança, apresentando resultados idênticos a estudos efetuados em condições laboratoriais. Como conclusão, espera-se que este trabalho venha a contribuir para o design de avisos que levem em consideração o contexto de trabalho, nomeadamente as situações de dupla tarefa que podem aumentar a carga cognitiva.
Mostrar mais

188 Ler mais

OBJETIVOS DA PROPAGANDA GLOBAL

OBJETIVOS DA PROPAGANDA GLOBAL

Unidades que permitem fácil Unidades que permitem fácil estiva de carga acima da altura estiva de carga acima da altura coberta com uma lona bem coberta com uma lona bem esticada. É também projetado esticada. É também projetado para cargas que precisam ser para cargas que precisam ser

23 Ler mais

Correlações comportamentais, fisiológicas e morfológicas da carga parasitária em Rhinella icterica (Anura: Bufonidae)

Correlações comportamentais, fisiológicas e morfológicas da carga parasitária em Rhinella icterica (Anura: Bufonidae)

parasitas. Desta maneira, indivíduos de alta qualidade conseguem alocar mais recursos energéticos no desenvolvimento de caracteres sexuais secundários exacerbados. Complementando essa hipótese, Fostad and Karter (1992), propuseram que a testosterona é responsável por modular essa qualidade. Segundo esses autores, embora altas concentrações plasmáticas de testosterona confiram o beneficio de desenvolver características sexuais secundárias exageradas, aumentando potencialmente o sucesso reprodutivo do indivíduo, este hormônio apresenta um efeito imunossupressor. A imunossupressão testosterona-dependente representaria um alto custo para o indivíduo e, desta forma, a sinalização de viabilidade difundida pelo caractere sexual se enquadraria nos critérios de indicador honesto (Zahavi 1977). Sendo assim, os perfis de testosterona e/ou responsividade a esta e, conseqüentemente, seus efeitos - imunossupressão e expressão das características sexuais dos machos - devem ser auto- regulados em resposta à carga parasitária. Deve-se levar em conta, pela hipótese do obstáculo imunocompetente, que a eficiência da regulação parasita-dependente apresentaria um componente genético.
Mostrar mais

78 Ler mais

Carga Mental e Ergonomia

Carga Mental e Ergonomia

Do ponto de vista da fundamentação teórica, vemos algumas vantagens na adoção do conceito de Carga de Trabalho que não devem ser desprezadas. Imaginamos que com os métodos de acesso à Carga que existem hoje, se possa fazer uma gestão da Carga, tanto física como mental, nos locais de trabalho. Como já havíamos mencionado, Hart (1999) propõe um programa de Gerenciamento da Carga Mental em trabalhadores da aviação civil e militar. Esta possibilidade torna-se muito difícil no modelo ergonômico tradicional, pois não existiria uma maneira prática do ergonomista acompanhar a evolução ou retrocesso do assunto.
Mostrar mais

6 Ler mais

MA NU AL E SP EC IA L

MA NU AL E SP EC IA L

Pode ser necessário o uso de parafuso especial ou cavilha para assegurar a fixação do isolador ao equipamento de ensaio. A carga de flexão deve ser aplicada ao isolador à posição de condutor, perpendicular à direção do condutor, e perpendicular ao núcleo do isolador.

16 Ler mais

ELABORAÇÃO DE ETAPA INICIAL DE UM PLANO DE NEGÓCIOS (CASO FICTÍCIO)

ELABORAÇÃO DE ETAPA INICIAL DE UM PLANO DE NEGÓCIOS (CASO FICTÍCIO)

diversidade de cursos de capacitação e pós-graduação latu sensu; ampla carga horária nos cursos de pós-graduação; opção de material didático impresso ou virtual; vídeo-aulas das disciplinas de núcleo comum; preços acessíveis; atendimento qualificado; credenciamento dos cursos pela ABED (capacitação) e MEC (pós-graduação); descontos para servidores públicos e professores; curso de capacitação de 240 horas gratuito para alunos matriculados na pós- graduação; possibilidade do futuro aluno experimentar o método de ensino, cursando até três cursos de capacitação com carga horária de 80 horas, de forma gratuita.
Mostrar mais

24 Ler mais

FILTRO ATIVO DE POTÊNCIA TRIFÁSICO PARALELO COMANDADO PARA VÁRIAS FUNÇÕES – ASPECTOS TEÓRICOS E PRÁTICOS E REATOR ELETRÔNICO ALTO FP: CONTRIBUIÇÕES A OTIMIZAÇÃO DA QUALIDADE DE ENERGIA

FILTRO ATIVO DE POTÊNCIA TRIFÁSICO PARALELO COMANDADO PARA VÁRIAS FUNÇÕES – ASPECTOS TEÓRICOS E PRÁTICOS E REATOR ELETRÔNICO ALTO FP: CONTRIBUIÇÕES A OTIMIZAÇÃO DA QUALIDADE DE ENERGIA

Um outro fato interessante constatado é que a simples presença de uma malha de controle da tensão no barramento CC de um filtro ativo paralelo, devidamente integrada à sua malha de controle de corrente, garante total controle do fluxo de potência ativa em ambas as direções CA/CC e CC/CA em regime permanente, o que pode permitir em termos operacionais a combinação de mais de uma função para o mesmo circuito de potência. Para tanto, não há necessidade de qualquer alteração em seu circuito de controle, exceto que a amplitude máxima da ação de controle da malha de tensão, esteja devidamente ajustada para a condição de máximo fluxo de potência ativa a ser processado pelo conversor. Isto permite garantir a sua estabilidade no nível de tensão previamente estabelecido para o elo CC, independente das suas condições de carga.
Mostrar mais

226 Ler mais

Perda carga e  reservatorio

Perda carga e reservatorio

O fator de atrito ou coeficiente de resistência de Darcy-Weisbach, é um parâmetro adimensional que é utilizado para calcular a perda de carga em uma tubulação. Seu valor pode variar com a rugosidade relativa da tubulação e o número de Reynolds. Quando o escoamento é laminar, seu valor depende apenas do número de Reynolds.

15 Ler mais

Show all 7033 documents...