Centro de Belo Horizonte

Top PDF Centro de Belo Horizonte:

Design e atividade humana nos espaços de sociabilidade urbana: interações no Baixo Centro de Belo Horizonte

Design e atividade humana nos espaços de sociabilidade urbana: interações no Baixo Centro de Belo Horizonte

O presente artigo constrói uma interlocução entre design e atividade humana dentro dos espaços de sociabilidade urbana e tem como estudo de caso as relações estabelecidas no chamado Baixo Centro da cidade de Belo Horizonte. Visando compreender o ser social em possibilidades, escolhas e contextos, fez-se a revisão dos conceitos sob a ótica de alguns autores, cruzamento de dados e pesquisa de campo. Ao observar o processo de inclusão sócio-territorial na área estudada e investigar a sua ressignificação e apropriação por distintos grupos sociais, foi possível pensar o papel do design como agente transformador de um lugar e perceber as dificuldades que aparecem quando são confrontadas as vocações de uso dos locais públicos e os interesses diversos de planejamento. Observou-se ainda, que nos espaços transformados em lugares sociais, também pelo design, parece lógico que muito das efetivações e pertencimentos, se dêem a partir das escolhas corretas nas decisões projetuais.
Mostrar mais

14 Ler mais

Reocupação do centro de Belo Horizonte: as possibilidades de uma nova circulação viária

Reocupação do centro de Belo Horizonte: as possibilidades de uma nova circulação viária

Para tentar responder a essas perguntas, foram analisadas as Pesquisas Origem e Destino (ODs) de 1992 e 2002 realizadas pela Fundação João Pinheiro, as quais permitem identificar, dentro do espaço urbano, o perfil dos moradores das diversas áreas da Região Metropolitana de Belo Horizonte, oferecendo dados socioeconômicos e de mobilidade espacial dos vários segmentos sociais. Especificamente, para o estudo do Centro foram analisadas as características e relações de 7 (sete) Áreas Homogêneas 13 (FIG. 7), uma vez que apresentam características semelhantes, permitindo indicar, através de sua avaliação, tendências para o Centro como um todo. Optou-se por excluir duas Áreas Homogêneas, 1001 e 1004, respectivamente, devido à maior relação e identificação com os bairros adjacentes. Caso fossem utilizadas, poderiam deturpar os dados analisados, pois amenizariam ou incrementariam certas características, impossibilitando que se indicasse a realidade do Centro. Enquanto a Área Homogênea 1001 relaciona-se mais diretamente ao bairro dos Funcionários, a Área Homogênea 1004 relaciona-se com o bairro de Lourdes.
Mostrar mais

139 Ler mais

Análise da densidade do fluxo de veículos no centro de Belo Horizonte, Minas Gerais

Análise da densidade do fluxo de veículos no centro de Belo Horizonte, Minas Gerais

Todavia, o contínuo aumento do fluxo de veículos no centro da cidade 2 que foi verificado nas décadas seguintes até a atualidade, demonstrou que ele continuou sendo, disparado, o maior congregador de serviços e outras atividades econômicas em Belo Horizonte e, portanto, grande atrator de pessoas. Uma forma de constatar a manutenção de sua prevalência é através dos mapas a seguir. A figura 4, o mapa de densidade construtiva, que se refere à quantidade de edificações por lote, independente do tipo de atividade. A região centro-sul é a mais densa e, portanto, recebe o maior fluxo de pessoas ao longo do dia, especialmente em horário comercial, horário em que as lojas, escritórios, consultórios médicos e outros tipos de estabelecimentos funcionam. A figura 5, a verificação deste fenômeno; o mapa mostra através de uma simbologia de cores, as quais vermelho representa maior fluxo e verde menor fluxo, que a área central da cidade possui um trânsito bem mais intenso de veículos para o horário de início das atividades comerciais (oito horas da manhã) que nas demais regiões usadas com exemplo. Também pode-se deduzir presença trânsito intenso nas vias que direcionam o fluxo para o centro, como a Av. Cristiano Machado e Av. Dom Pedro II.
Mostrar mais

51 Ler mais

Estudo da aplicabilidade da estratégia de grupo operativo de idosos em um Centro de Saúde de Belo Horizonte

Estudo da aplicabilidade da estratégia de grupo operativo de idosos em um Centro de Saúde de Belo Horizonte

O objetivo deste estudo foi avaliar a aplicabilidade da estratégia de grupo operativo junto a idosos de um Centro de Saúde de Belo Horizonte para obter um maior engajamento e integração no meio social pelo reforço das capacidades de auto-estima, auto-confiança e senso de governabilidade. Para tanto foi estruturado um grupo operativo para idosos com reuniões mensais. Avaliou-se a adesão, assiduidade e satisfação dos idosos em 7 grupos operativos realizados. Contou-se com um número médio de 23 participantes por grupo operativo e obteve-se uma assiduidade total de 76,6% dos participantes. Estas reuniões foram desenvolvidas com atividades lúdicas, musicais e culturais, buscando elevar a auto-estima do grupo, utilizando o espaço para integração dos participantes, divulgação de cuidados de saúde e conhecimentos úteis na prevenção e promoção de saúde. Os resultados foram considerados satisfatórios, observando que os objetivos foram alcançados. Por meio deste projeto foi possível concluir que existe espaço para a realização de grupos operativos com idosos utilizando estratégias lúdicas naquele Centro de Saúde de Belo Horizonte.
Mostrar mais

30 Ler mais

Prevalência de quedas em idosos cadastrados em um Centro de Saúde de Belo Horizonte-MG.

Prevalência de quedas em idosos cadastrados em um Centro de Saúde de Belo Horizonte-MG.

La caída se utiliza como indicador de la calidad de los servicios especializados en el cuidado de los ancianos, y también se considera un indicador importante de la calidad de vida de las personas mayores en todos los ambientes. Se realizó un estudio transversal con 108 ancianos inscritos en el Programa Salud de la Familia de un Centro de Salud, en Belo Horizonte, Minas Gerais, con el fi n de determinar la incidencia de caídas en esta clientela, vinculándolas a algunas variables. Los datos se obtuvieron de los registros médicos y visitas a domicilio mediante entrevista estructurada, con uso de un instrumento específi co. Se observó que 64 (59,3%) de los ancianos ya había sufrido caídas, y una relación estadísticamente signifi cativa (p = 0,01) entre la capacidad cognitiva de los ancianos y las caídas. Se recomienda la identifi cación temprana de las personas mayores más propensas a sufrir caídas, especialmente aquellas que, además del riesgo de caídas, tienen un mayor riesgo de sufrir lesiones graves derivados de las mismas.
Mostrar mais

7 Ler mais

Organização e gestão do Centro Cirúrgico de um Hospital Universitário de Belo Horizonte - Minas Gerais

Organização e gestão do Centro Cirúrgico de um Hospital Universitário de Belo Horizonte - Minas Gerais

O entendimento por parte dos entrevistados é de que bons resultados conferem mérito, e, portanto, é um direito natural das clínicas com maior produtividade terem melhores condições de trabalho. No HC-UFMG operam mais as clínicas cuja demanda cirúrgica pela comunidade junto à SMSA é maior. Cirurgias mais complexas são realizadas no HC, tendo em vista o fato de ser referência para casos de alta complexidade no município de Belo Horizonte. As clínicas cirúrgicas, cuja procura é menor, sob esta lógica, não poderão aspirar recursos similares às clinicas de maior desempenho. Nesse entendimento, o princípio da “meritocracia”, como afirmam os entrevistados, privilegia algumas clínicas em detrimento a outras, no sentido de que as maiores se apropriam do espaço físico, equipamentos e material a despeito das necessidades institucionais. A apropriação de espaço físico simboliza o poder que os serviços têm, legitimando-o. Por outro lado, as clínicas e serviços reforçarão a resistência já revelada no processo de planejamento e organização do Centro Cirúrgico com a insistência em manter os tradicionais “feudos” do passado.
Mostrar mais

122 Ler mais

Telessaúde na atenção primária: uma experiência do distrito sanitário Centro-Sul de Belo Horizonte

Telessaúde na atenção primária: uma experiência do distrito sanitário Centro-Sul de Belo Horizonte

Esta tese foi elaborada em conformidade com as normas de Vancouver. Os três primeiros artigos constituem a revisão de literatura. O primeiro artigo corresponde a uma revisão da literatura referente às reflexões éticas sobre confidencialidade e consentimento quando do uso da telessaúde. O segundo também é uma revisão da literatura e descreve algumas características referentes às vantagens, possíveis benefícios, limitações e experiências da telessaúde. O terceiro artigo intitulado “Ética e telessaúde: reflexões para uma prática segura” , escrito por mim e por membros do Núcleo de Telessaúde da Faculdade de Medicina da UFMG, foi enviado para publicação em abril de 2009, aceito em agosto de 2009 e publicado em julho de 2010 pela Revista Panamericana de Saúde Pública. O quarto e o quinto artigos constituem os resultados desta tese encontrados no trabalho de campo sobre incorporação de recursos da telessaúde nas Unidades Básicas de Saúde do Distrito Sanitário Centro-Sul do município de Belo Horizonte – Minas Gerais – Brasil. O quarto artigo descreve as principais características dos atendimentos que incorporaram os recursos da telessaúde, e o quinto busca tecer algumas considerações sobre o consentimento esclarecido no atendimento por meio da telessaúde.
Mostrar mais

98 Ler mais

Padrões de adiposidade em mulheres atendidas em um Centro Municipal de Saúde de Belo Horizonte, 2000.

Padrões de adiposidade em mulheres atendidas em um Centro Municipal de Saúde de Belo Horizonte, 2000.

O objetivo do estudo consiste em definir padrões de adiposidade em mulheres. O estudo foi realizado em um Centro Munici- pal de Saúde de Belo Horizonte, Minas Ge- rais, com 827 mulheres entre 12 e 65 anos. As participantes realizaram diversas medi- das antropométricas e responderam a um questionário sobre condições socioeco- nômicas, demográficas, história obstétrica, estilo de vida. A técnica de análise fatorial de componentes principais (ACP) foi utili- zada para identificar conglomerados e in- dependência de variáveis antropométricas na definição de padrões de adiposidade em mulheres. Os três primeiros componentes principais independentes explicaram 85,97% da variância. O primeiro foi repre- sentado pelas pregas cutâneas, o segundo pelo Índice de Massa Corporal (IMC) e pela circunferência do braço (CB) e o terceiro pela razão cintura/quadril (RCQ). Os fato- res explicaram 38,42%, 29,03% e 18,52% da inércia, respectivamente. Evidenciou-se associação positiva entre todas as variáveis. Observou-se associação de maior intensi- dade, justificado pela alta correlação, entre as pregas da coxa, peitoral, bicipital, subescapular e supra-ilíaca (Fator 1) e a CB e o IMC (Fator 2). A variável RCQ foi identificada como principal representante do terceiro fator. Conclui-se que a análise fatorial de componentes principais identi- ficou adequadamente três padrões de adiposidade em mulheres: periférica, glo- bal e central. A forte associação entre o IMC e CB demonstra que essa última medida poderia substituir com vantagens o IMC no rastreamento populacional da obesidade. Os critérios diagnósticos para a obesidade em mulheres seriam mais precisos se con- siderassem simultaneamente a CB, a RCQ e a prega da coxa.
Mostrar mais

8 Ler mais

Ativismo juvenil e políticas públicas: o caso do Centro de Referência da Juventude de Belo Horizonte

Ativismo juvenil e políticas públicas: o caso do Centro de Referência da Juventude de Belo Horizonte

Da escrita do diário de reminiscências vieram as ideias e os possíveis caminhos por onde esta pesquisa poderia andar. Ainda antes do início do campo, recolhi informações, conversei com pessoas, atuei informalmente como pesquisador. Minha proposta era buscar insumos para alimentar a trajetória que eu buscava seguir. Dirigi-me ao futuro campo de estudos de maneira informal, apenas observando e registrando de leve as coisas que lá ocorriam. No ano que acessei a pós-graduação, os enfrentamentos pela defesa do Centro de Referência por parte dos/as jovens se acirraram, pois em 2016 o espaço foi tomado por uma ocupação que, como descrevo mais adiante, foi a gota d‟água nos processos de enfrentamento entre o poder público e a coletividade juvenil. Resumidamente, a ocupação aconteceu porque os/as jovens envolvidos/as na questão do CRJ perceberam certa má vontade da Prefeitura em realizar um diálogo para que o Centro, recém-construído, mas subutilizado, pudesse receber atividades promovidas pela/para/com a juventude no espaço. Tendo em vista a falta de disponibilidade do poder público em construir coletivamente com os/as jovens a gestão do espaço (Câmara Municipal de Belo Horizonte, 2015), em maio de 2016 um coletivo de 42 jovens, vinculados a grupos juvenis diversos e também autônomos/as, decidiram ocupar o prédio querendo que ele fosse de fato aberto aos jovens com uma proposta de gestão participativa, que incluísse os/as jovens na administração do lugar. A ocupação gerou reverberações no campo político juvenil e no campo da institucionalidade: o Ministério Público de Minas Gerais interviu na questão ao promover uma audiência pública com vistas a encaminhar a questão da gestão do local; como premissa para que a ocupação cessasse, a Prefeitura foi instada a realizar um seminário que se propusesse a discutir a administração do espaço; nesse processo, foi proposto um comitê gestor paritário, com participação direta da juventude (houve uma proposta de comitê, feita pelo Governo de Minas em 2013, que determinava como representantes juvenis apenas os representantes dos conselhos estadual e municipal de juventude – falo disso mais adiante). Isso de alguma maneira influenciou os rumos que minha pesquisa iria seguir. Segui dentro do que aconselha Cecilia Minayo: ir ao campo sem pretensões formalizadas e promover o desenho e o redesenho de hipóteses a partir da análise da realidade (Minayo, 2012).
Mostrar mais

119 Ler mais

A bicicleta como meio de transporte: mapeamento temático de rotasusadas na Região Centro-Sul de Belo Horizonte

A bicicleta como meio de transporte: mapeamento temático de rotasusadas na Região Centro-Sul de Belo Horizonte

O Município de Belo Horizonte é subdividido em nove regiões de administração regional. Seus limites foram instituídos pelo poder público em 1985 pela Lei Municipal 4.158 e atualizados em 2011 através da Lei Municipal 10.231. A Regional Centro-Sul foi selecionada como recorte espacial para esta pesquisa, em especial por concentrar muitas das rotas e das ciclovias existentes em Belo Horizonte. A região está localizada entre a divisa do Município de Nova Lima e as Regionais Oeste, Noroeste, Nordeste e Leste de Belo Horizonte.
Mostrar mais

60 Ler mais

Análise econômica e ambiental da implantação de um esquema de centro de distribuição urbano para Belo Horizonte

Análise econômica e ambiental da implantação de um esquema de centro de distribuição urbano para Belo Horizonte

O transporte urbano de cargas é uma atividade fundamental para o desenvolvimento das grandes cidades, sendo importante para a sustentação do estilo de vida da população e para o aperfeiçoamento das atividades industriais e comerciais. Apesar desta importância, o transporte urbano também traz efeitos adversos ao meio ambiente, como o elevado consumo energético, geração de ruídos, intrusão visual e emissão de poluentes. No Brasil, os estudos envolvendo a distribuição urbana de mercadorias têm aumentado sua relevância em virtude do acelerado processo de urbanização e crescimento populacional, que vêm impactando diretamente a demanda e a complexidade deste setor. Este trabalho apresenta uma metodologia para avaliar os impactos econômicos e ambientais de um esquema de centro de distribuição urbano de mercadorias (CDU) com apoio de ferramentas de localização de instalações e roteirização de veículos com aplicação no município de Belo Horizonte (MG). Adicionalmente, foi avaliada a adesão dos varejistas em relação ao CDU e propostos cenários que refletiram a atual estrutura de distribuição de cargas no município e as possíveis configurações decorrentes da implementação da iniciativa estudada. As avaliações econômicas e ambientais foram realizadas de acordo com parâmetros previamente definidos, que possibilitaram verificar o potencial impacto do CDU em relação à mitigação das externalidades negativas do transporte urbano de cargas e aos custos de distribuição para a cadeia de suprimentos. Neste trabalho, foi utilizado o software TRANSCAD para a realização dos estudos de localização e roteirização e dados georeferenciados da rede viária da cidade. Os resultados deste trabalho apontaram que o esquema desenvolvido pode trazer uma substancial melhoria para os agentes envolvidos na distribuição de mercadorias, como a sociedade, transportadores e varejistas, diminuindo a emissão de poluentes e o consumo de combustíveis além de reduzir os custos de distribuição para as empresas. Este trabalho contribuiu para mostrar os resultados potenciais do CDU como uma alternativa para otimizar os processos logísticos na cidade analisada.
Mostrar mais

154 Ler mais

Estado nutricional e anemia em crianças de creches públicas da regional centro-sul de Belo Horizonte

Estado nutricional e anemia em crianças de creches públicas da regional centro-sul de Belo Horizonte

Objetivo: Determinar o estado nutricional das crianças freqüentadoras de creches da regional Centro-Sul de Belo Horizonte – MG e possíveis fatores de risco associados. Métodos: Trata- se de estudo descritivo de corte transversal envolvendo crianças de seis a 72 meses_ matriculadas em período integral pertencentes a 18 creches da referida regional, com amostra constituída por processo de estratificação. Na avaliação nutricional foram obtidos peso e altura para confecção dos índices Peso/Idade, Estatura/Idade e IMC/Idade, conforme recomendado pela OMS 2006/2007. Para diagnóstico de anemia utilizou-se de hemoglobina (Hb) digital por meio de punção capilar, adotando-se pontos de corte de Hb < 11,0g/dL para crianças de seis a 60 meses e Hb < 11,5g/dL para aquelas com idade superior, de acordo com a OMS. Foram também aplicados questionários aos pais para investigação de dados clínicos e socioeconômicos da criança. A análise estatística foi realizada através do programa Epi Info Versão 3.5.3, sendo adotados intervalo de confiança de 95% e nível de significância de 5%. Resultados: Foram investigadas 373 crianças, sendo 202 (54,2%) do sexo feminino, com média de idade de 38,1 ± 16,2 meses. A mediana da idade materna foi de 27 anos, sendo que 36,7% delas não concluíram o Ensino Fundamental e 59,6% compunham famílias com renda inferior a meio salário mínimo. Com relação ao índice Peso/Idade apenas 2,7% das crianças mostraram-se abaixo de -2 Escore Z e 9,0% acima de +2 Escore Z. De acordo com o índice IMC/Idade, apenas 1,1% das crianças apresentaram magreza, contrastando com 18,5% classificadas como risco de sobrepeso e 8,0% sobrepeso/obesidade. A média de Hb foi de 11,3 ± 1,5g/dL e prevalência de anemia de 38,3%. Observou-se associação significante do peso ao nascimento e da idade das crianças com o estado nutricional. Conclusão: Os resultados desse estudo mostraram baixa prevalência nos indicadores relacionados à desnutrição, em contraposição ao excesso de peso, refletindo a condição de transição nutricional presente na população avaliada.
Mostrar mais

90 Ler mais

Fatores associados à qualidade de vida de Idosos de um Centro de Referência, em Belo Horizonte, Minas Gerais

Fatores associados à qualidade de vida de Idosos de um Centro de Referência, em Belo Horizonte, Minas Gerais

INTRODUÇÃO: O envelhecimento populacional é um fenômeno mundial. Contudo, a longevidade propicia a vivência de uma situação ambígua, que é o desejo de viver cada vez mais e, ao mesmo tempo, o temor de viver em meio à incapacidade. Com isso, surgem desafios relacionados à promoção da qualidade de vida dos idosos e aos fatores que colaboram para a manutenção do envelhecimento ativo. OBJETIVO: Analisar quais são os fatores associados à qualidade de vida em idosos que frequentam um centro de referência, em Belo Horizonte, Minas Gerais. METODOLOGIA: Estudo transversal, com uma amostra de 257 idosos com 60 anos ou mais de um centro de referência, em Belo Horizonte. Na coleta de dados, foi utilizado o instrumento WHOQOL-bref para avaliação da qualidade de vida e um questionário contendo aspectos sociodemográficos, econômicos, clínicos e comportamentais. Os dados foram inseridos, digitados e analisados utilizando-se o programa SPSS 20.0. A análise estatística constou de análise descritiva incluindo todas as variáveis do estudo, regressão logística univariada e multivariada Forward , com o nível de significância (p) estabelecido em 0,05. A análise foi racionalizada por meio da definição de dois grupos: qualidade de vida boa, para aqueles que estão satisfeitos ou muito satisfeitos e consideram sua qualidade de vida boa ou muito boa (G1); qualidade de vida ruim, para aqueles que não estão nem satisfeitos, nem insatisfeitos, insatisfeitos ou muito insatisfeitos e consideram sua qualidade de vida nem ruim nem boa, ruim ou muito ruim (G2). RESULTADOS: A maioria dos idosos da amostra pertence ao sexo feminino (82,5%), é proveniente do interior de Minas Gerais (60,9%), não tem cônjuge (63,8%), é católica (72,4%) e alfabetizada (89,9%). Encontrou-se a mesma proporção de pessoas entre 60 a 69 anos e entre 70 a 79 anos de idade (44,7%). Trabalhavam atualmente 22,6%, 80,2
Mostrar mais

116 Ler mais

Levantamento epidemiológico dos pacientes portadores de fissura de lábio e/ou palato de um centro especializado de Belo Horizonte.

Levantamento epidemiológico dos pacientes portadores de fissura de lábio e/ou palato de um centro especializado de Belo Horizonte.

Objetivo: traçar o peril epidemiológico dos pacientes com issura de lábio e/ou palato de um centro especializado de Belo Horizonte. Método: os dados referentes ao ano de entrada no centro, tipo de issura, gênero, cidade de origem e idade foram obtidos de planilha do Excel contendo o cadastro dos pacientes. A análise estatística foi realizada por meio do teste qui-quadrado, com nível de sig- niicância de 5%. Resultados: a amostra foi composta por 1.219 pacientes, sendo 593 pacientes cadastrados em 2005, 273 em 2006, 222 em 2007 e 131 em 2008. Da amostra total, 49% apresen- tavam issura transforame incisivo, 26% pós-forame, 19% pré-forame, 2% pré e pós-forame e 3% outros tipos de má formação craniofacial. Quanto ao gênero, 54% eram do gênero masculino e 46% do feminino. Quanto à origem, 33% eram moradores de Belo Horizonte, 28% de outras cidades da Região Metropolitana de Belo Horizonte, 38,5% do interior de Minas Gerais e 0,5% de outros Estados. Quanto à idade, esta variou de zero a 64 anos (mediana=6,0), com 40% chegando até três anos, 45,5% entre três e 18 anos e 14,5% acima de 18 anos. Segundo o ano de entrada, em 2005 prevale- ceu a faixa de seis a 12 anos (29%) e nos anos seguintes a faixa de até um ano (38%, 36% e 43%). Conclusão: neste centro, a maior parte dos casos apresenta issura do tipo transforame, é do gênero masculino, oriunda do interior do estado de Minas Gerais e formada por bebês e crianças.
Mostrar mais

7 Ler mais

"O Acaba Mundo já era": o ocultamento dos cursos d'água no centro de Belo Horizonte (1893-1973)

"O Acaba Mundo já era": o ocultamento dos cursos d'água no centro de Belo Horizonte (1893-1973)

Concebido e concretizado no final do século XIX, o surgimento de Belo Horizonte estava inserido historicamente na República recém-instaurada, embora, independente do regime, fica evidente que no contexto predominavam os ideais iluministas, o pensamento positivista científico e a racionalidade moderna. Ou seja, o plano para a cidade surgiu encerrado dentro de um contexto de ideário de modernidade e da racionalidade técnica, que segundo seus executores seria essencial, seja para uma República ou uma Monarquia. O avanço científico-tecnológico, por sua vez, colocou à disposição do planejador uma tecnologia urbanística que favorecia fortes ideais do século XIX, como a higiene, o tráfego livre e a salubridade. A questão sanitária foi um grande desafio no século XIX. Nas dinâmicas cidades europeias ou nas principais cidades brasileiras (principalmente na capital imperial) a sujeira se acumulava e, nas primeiras, uma série de soluções era apresentada numa corrida tecnológica sofisticada, pois pretendia lidar com a complexidade do ambiente na montagem da infraestrutura urbana oitocentista.
Mostrar mais

127 Ler mais

PRÁTICAS DE CONTROLE  FÍSICO E SIMBÓLICO NO CENTRO DE BELO HORIZONTE

PRÁTICAS DE CONTROLE FÍSICO E SIMBÓLICO NO CENTRO DE BELO HORIZONTE

El objetivo de en este registro fotográfico es presentar las prácticas organizativas de controlar, en especial el control sobre personas en situación de calle, en la ciudad de Belo Horizonte. Como metodología, utilizo el análisis de contenido propuesto por Bardin (2009). Este trabajo contribuye a reflexiones sobre las prácticas de control y los estudios sobre ciudades en los estudios organizacionales. Entendiendo que el pensamiento y la acción de prácticas organizativas en la ciudad, son construidos no sólo por el poder público, sino por diversos actores sociales que van a guiarse por reglas morales, negociaciones, intereses, límites de lo formal e informal, que por sí, Un cuadro generalizado de juegos de poder. Los resultados encontrados nos llevan a concluir que la región central de la ciudad de Belo Horizonte presenta innumerables formas de control, sean físicas, simbólicas y morales.
Mostrar mais

49 Ler mais

Av. João Pinheiro, 164, 1º. Andar - Belo Horizonte Centro- Minas Gerais

Av. João Pinheiro, 164, 1º. Andar - Belo Horizonte Centro- Minas Gerais

Além destas oito questões escolhidas o candidato deverá responder a (2) duas perguntas obrigatórias de caráter interdisciplinar em inglês, da área escolhida valendo[r]

10 Ler mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE BELO HORIZONTE EMPRÉSTIMO ENTRE BIBLIOTECAS - REGULAMENTO - FORMULÁRIO DE CADASTRO

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE BELO HORIZONTE EMPRÉSTIMO ENTRE BIBLIOTECAS - REGULAMENTO - FORMULÁRIO DE CADASTRO

Art. 1º - O empréstimo entre bibliotecas é facultado às bibliotecas de instituições públicas e privadas pertencentes à Região Metropolitana de Belo Horizonte, conveniadas com o Sistema de Bibliotecas do UniBH, que também ofereçam essa modalidade de empréstimo aos usuários do sistema.

7 Ler mais

Acesso dos idosos aos serviços de saúde bucal no Centro de Saúde Guarani, Belo Horizonte

Acesso dos idosos aos serviços de saúde bucal no Centro de Saúde Guarani, Belo Horizonte

Métodos: Participaram 70 indivíduos com 60 ou mais anos de idade, residentes na área de abrangência do CS Guarani, região Norte de Belo Horizonte. O estudo é de corte transversal e o cálculo amostral considerou idosos cadastrados em uma das Equipes de Saúde da Família (ESF) desta unidade. Por meio de um questionário estruturado, buscou-se encontrar a associação entre variáveis sóciodemográficas, autoavaliação e percepção da condição bucal (GOHAI), tendo como variável resposta, o acesso aos serviços de saúde bucal. Foi criado um escore para indicar acesso a partir da soma de respostas a cinco perguntas - tempo da última visita ao dentista, ter realizado tratamento odontológico no CS Guarani, saber da existência do serviço de saúde bucal nesta unidade, poder deslocar-se até o CS ou poder contar com alguém para levar o idoso ao dentista. Os dados foram analisados pela regressão logística, tendo como referência a categoria acesso positivo aos serviços de saúde bucal (mediana da soma das respostas).
Mostrar mais

48 Ler mais

Avaliação do Programa "Criança que chia, do Centro de Saúde Nazaré - Belo Horizonte/MG

Avaliação do Programa "Criança que chia, do Centro de Saúde Nazaré - Belo Horizonte/MG

Como forma de melhorar ainda mais a assistência prestada à criança asmática, propomos realizar reuniões com as mães ou responsáveis pelas crianças; inserir os demais membros da família[r]

36 Ler mais

Show all 10000 documents...