Cesta básica nacional

Top PDF Cesta básica nacional:

Análise comparativa do custo da cesta básica em Poços de Caldas

Análise comparativa do custo da cesta básica em Poços de Caldas

A definição inicial da Cesta Básica Nacional, implementada pelo decreto-Lei nº 399 de 30 de abril de 1938 que regulamenta o Salário Mínimo no Brasil (Brasil,1938), foi realizada a partir de amplo estudo censitário e de informações salariais obtidas junto a empresas das várias regiões do país. Sua definição apresenta também uma lista de alimentos, com suas respectivas quantidades, que seriam suficientes para o sustento e bem-estar nutricional de um trabalhador em idade adulta, contendo quantidades balanceadas de proteínas, calorias, ferro, cálcio e fósforo, que garantissem a renovação diária da sua força de trabalho e de reprodução (SANDRONI,2000). Essa definição foi atualizada pelo Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos (DIEESE) em 2009. Uma característica dessa revisão é a divisão em regiões, cada qual com sua respectiva lista de alimentos e suas respectivas quantidades. Nessa revisão, a região I compreendeu os Estados de São Paulo, Minas Gerais, Espírito Santo, Rio de Janeiro, Goiás e Distrito Federal (DIEESE,2009). Esses alimentos e suas respectivas quantidades para a região I, são apresentados na Tabela 1.
Mostrar mais

8 Ler mais

Levantamento, Comparação e Análise dos Preços dos Produtos da Cesta Básica no Município de Arapongas - Paraná

Levantamento, Comparação e Análise dos Preços dos Produtos da Cesta Básica no Município de Arapongas - Paraná

Este trabalho tem como objetivo divulgar os resultados de uma pesquisa sobre o acompanhamento dos preços dos produtos da cesta básica nacional, no município de Arapongas – Paraná. Após a definição dos estabelecimentos comerciais que fariam parte da pesquisa, iniciou-se a coleta das informações. Os dados foram coletados mensalmente, durante os anos de 2004 e 2005. Depois de tabulados serviram para se analisar o comportamento de preços da cesta e de seus itens. As informações foram utilizadas para comparação com o preço de cestas básicas de outras regiões, e também com indicadores do nível de inflação. Os resultados indicam que o preço da cesta básica no município de Arapongas se encontra em um nível intermediário e que sofre influência de fatores exógenos e endógenos.
Mostrar mais

6 Ler mais

Análise da composição nutricional da Cesta Básica brasileira.

Análise da composição nutricional da Cesta Básica brasileira.

Com base na literatura consultada e nos re- sultados obtidos nos cálculos nutricionais da Cesta Básica Nacional, pode-se dizer que esta reflete em grande parte o consumo alimentar dos indivíduos. Porém, diante do quadro nutricional atual da população brasileira, seriam necessárias algumas modificações nesta base alimentar, como por exemplo, a diminuição da quantidade total de gorduras e o aumento de alimentos fontes de cálcio e vitamina A. Para combater o excesso de peso na população, nota-se a importância da redução dos preços de itens alimentares que não fazem parte da Cesta Básica, mas que a comple- mentariam, melhorando seu valor nutricional (frutas, verduras, legumes), diminuindo o valor
Mostrar mais

8 Ler mais

O duelo entre a marca e o preço na cesta básica

O duelo entre a marca e o preço na cesta básica

O objeto de estudo é analisar o consumo de itens da Cesta básica nacional brasileira pelas donas de casa das classes C e D, de acordo com o “Critério de Classificação Econômica Brasil”, elaborado pela ABEP – Associação Brasileira de Empresas de Pesquisa, e buscar acrescentar informações ao pouco conhecimento que se tem em relação aos hábitos de compra neste setor da nossa sociedade. Entretanto, já se observa um movimento, inclusive por parte do mercado produtor no sentido de conhecer melhor os padrões de consumo dos produtos da cesta, bem como dos hábitos gerais de compra das classes sociais C e D, pela conscientização da importância econômica destes estratos sociais, que somadas, atingem cerca de dois terços da população brasileira.
Mostrar mais

65 Ler mais

MEDIÇÃO DO ÍNDICE DA CESTA BÁSICA DO MUNICÍPIO DE DOURADOS

MEDIÇÃO DO ÍNDICE DA CESTA BÁSICA DO MUNICÍPIO DE DOURADOS

A mensuração do custo da cesta básica de Dourados será baseada na pesquisa da Cesta Básica Nacional, realizada pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (DIEESE, 2016) em dezesseis capitais do Brasil. Os produtos e suas quantidades são diferenciados de acordo com a região. A cidade de Dourados, situada no estado de Mato Grosso do Sul, está localizada na região 3, que contempla também os estados do Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Mato Grosso.

6 Ler mais

Cesta básica tem retração em 13 de 20 capitais pesquisadas

Cesta básica tem retração em 13 de 20 capitais pesquisadas

Em fevereiro, o custo do conjunto de alimentos essenciais diminuiu em 13 capitais e aumentou em sete, segundo os dados da Pesquisa Nacional da Cesta Básica de Alimentos realizada pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (DIEESE). As reduções mais expressivas ocorreram em João Pessoa (-3,96%), Natal (-3,20%) e Campo Grande (-2,98%). As maiores taxas positivas foram anotadas nas cidades de Belém (3,37%) e Fortaleza (2,03%).

9 Ler mais

A CONCESSÃO DO BENEFÍCIO EVENTUAL CESTA BÁSICA NO CRAS VALETINA FIGUEIREDO

A CONCESSÃO DO BENEFÍCIO EVENTUAL CESTA BÁSICA NO CRAS VALETINA FIGUEIREDO

Entre os benefícios eventuais, o destinado à situação de vulnerabilidade temporária aparece como um dos mais demandados, e entre suas modalidades, a Cesta Básica representa 91% da cobertura 5 . Tal concessão está profundamente vinculada à realidade de pobreza do país e às formas tradicionais de amparo criadas pelo Estado e pela sociedade, revelando-se, conforme pontifica Bovolenta (2013, p. 282), “um dos legados históricos da prática da assistência social, ocorrendo desde as primeiras formas de prestação de auxílio”.

8 Ler mais

Análise nutricional e complementação alimentar de cesta básica derivada do consumo.

Análise nutricional e complementação alimentar de cesta básica derivada do consumo.

No método Ad Hoc de complementação efetuou- se um acréscimo nas quantidades dos seguintes itens previamente presentes: arroz, batata, macarrão (para um decréscimo percentual da contribuição calórica das gorduras) e feijão (para uma elevação na dispo- nibilidade de ferro da “cesta básica”). A inclusão de novos alimentos, pertencentes aos grupos de produ- tos do IPC/FIPE selecionados, contou com: leite flui- do integral; pão francês; alface e repolho; cenoura; banana nanica e laranja pêra. Os pesos sugeridos (Tabela 3), procuraram ater-se a um porcionamento per capita/dia condizente com um consumo normal -
Mostrar mais

8 Ler mais

O estudo do salário mínimo através do custo da cesta básica em Aracaju-SE

O estudo do salário mínimo através do custo da cesta básica em Aracaju-SE

Este trabalho tem como objetivo analisar o salário mínimo através dos gastos da população com o custo da cesta básica e através da aplicação de modelos lineares generalizados estimar o valor do salário mínimo necessário para suprir todas as necessidades dos aracajuanos além de estudar o impacto do verdadeiro valor do salário mínimo na Previdência Social. O salário mínimo está cada vez menos suprindo as necessidades da população, cerca de 37% das famílias tem o orçamento acima dos ganhos e 55% gastam o salário antes de terminar o mês. As famílias nordestinas gastam em média R$ 1700,00 reais mensais, daí a necessidade de sabermos o quanto comprometemos do nosso salário com gastos como alimentação, moradia, saúde etc. Nacionalmente cresce o número de pessoas inseridas no mercado de trabalho informal seja pela sobrevivência – as pessoas que não tem um emprego formal – ou para complementar a renda visto que o Salário Mínimo não supre às necessidades da população em questão. A valorização do salário mínimo é proposta como forma de reduzir a pobreza e melhorar a distribuição de renda no Brasil e beneficiaria tanto os trabalhadores ativos quanto os aposentados e pensionistas, valorizaria também a região nordeste, onde existe cerca de 2.488 pessoas vivendo com até um Salário Mínimo o maior índice do país. Esse aumento é motivo de preocupação para a Previdência Social uma vez que ela alega que os valores arrecadados não são suficientes para pagar os benefícios concebidos. Os gastos destinados à compra da cesta básica representam em média 37,46% do salário mínimo e para adquiri-la o assalariado precisou trabalhar cerca de 76 horas por mês. Considerando os gastos da família sergipana o salário mínimo necessário sugerido para atender as necessidades básicas dos aracajuanos seria de R$ 1871,28.
Mostrar mais

56 Ler mais

Os tributos na cesta básica de Passo Fundo: uma análise dos impostos indiretos

Os tributos na cesta básica de Passo Fundo: uma análise dos impostos indiretos

A tributação indireta incidente ao longo das cadeias produtivas dos bens da cesta básica é transferida ao preço final, o que onera o consumo. Um agravante do problema é que parte significativa dos recursos das famílias de baixa renda é alocada no consumo de alimentos. Assim, essas famílias contribuem proporcionalmente mais com a tributação sobre os alimentos, evidenciando a regressividade do Sistema Tributário Brasileiro. Esse estudo busca determinar o peso da tributação na cesta básica no município de Passo Fundo (RS) avaliando o impacto no poder de compra dos contribuintes. Para realizar tais análises, calculou-se o peso da tributação no preço dos 42 itens que fazem parte da cesta básica, divididos em grupos de alimentos, higiene pessoal e limpeza doméstica. Verificou-se que, utilizando um cenário em que ocorre a distribuição uniforme do valor adicionado, o ônus tributário incidente sobre o custo da cesta básico de Passo Fundo, diz-se que, para cada R$ 100,00 gastos na compra de produtos, R$ 14,31 terão como destino o pagamento de tributos, para o ano de 2014. Fazendo uma comparação com o ano de 1996, de R$ 100,00 utilizados para pagamento da cesta básica, R$ 17,53 eram tributos, representando uma carga tributária de 17,53%
Mostrar mais

51 Ler mais

Impacto da cesta básica entre regiões de monocultivo e policultivo Estudo de Caso

Impacto da cesta básica entre regiões de monocultivo e policultivo Estudo de Caso

Segundo Monteiro (1995), são pobres aqueles que não suprem permanentemente suas necessidades com comida, lazer, educação, saúde, vestuário, habitação, etc. Já os famintos são os indivíduos que em sua alimentação diária não conseguem suprir as necessidades que o organismo humano necessita para realizar sua manutenção diária normalmente, como estudar, trabalhar, etc. Para os habitantes de Alagoas e das diversas regiões do País, a fome e a desnutrição assumem proporções elevadas, mesmo o Brasil sendo um dos maiores produtores de alimentos do mundo. Uma das conseqüências da pobreza é a desnutrição, que muitas vezes se manifesta pelo retardo nas etapas de crescimento das crianças. De acordo com a Pesquisa Nacional sobre Saúde
Mostrar mais

14 Ler mais

PRINCÍPIO DA ESSENCIALIDADE NO ICMS: INCLUSÃO DA ÁGUA MINERAL NA CESTA BÁSICA

PRINCÍPIO DA ESSENCIALIDADE NO ICMS: INCLUSÃO DA ÁGUA MINERAL NA CESTA BÁSICA

Resumo: O artigo apresenta a possibilidade de tornar acessível a toda população brasileira a água mineral para consumo, por meio da diminuição da carga tributária, em especial redução do ICMS, concedido ao rol de alimentos considerados mínimo existencial (ração-tipo), elencado no Decreto-Lei nº 399, de 1938. O objetivo é analisar a possibilidade de incluir a água mineral no rol de alimentos da cesta básica. Para a realização deste estudo, foi adotado como metodologia de pesquisa o método dedutivo, diante do entendimento de que os produtos da cesta básica deveriam atender as necessidades normais de um cidadão adulto (DL, art. 31, e anexo), e sendo a água um produto indispensável diante da sua essencialidade para o organismo. Os objetivos específicos consistem em analisar a possibilidade de redução da carga tributária, de forma a permitir que o consumidor final adquira o produto, arcando com valor mais baixo, e consequentemente a água mineral se torne acessível a todas as classes sociais. Concluiu- se, ao fim, que é dever do Estado facilitar à sociedade o acesso aos produtos essenciais mínimos para sobrevivência, podendo valer-se da alteração no critério quantitativo da regra matriz de incidência tributária, no que tange à água mineral como mercadoria.
Mostrar mais

29 Ler mais

PESQUISA CESTA BÁSICA ALIMENTAR - LITORAL NORTE/SP

PESQUISA CESTA BÁSICA ALIMENTAR - LITORAL NORTE/SP

A pesquisa da Cesta Básica Alimentar é realizada pelo Centro Universitário Módulo desde janeiro de 2018 nos municípios de Caraguatatuba e Ubatuba. A pesquisa utiliza metodologia similar a estabelecida pelo Dieese – Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos na realização da Pesquisa da Cesta Básica de Alimentos, estabelecida com base no Decreto Lei nº 399, em que são verificados os preços de 13 produtos básicos.

5 Ler mais

ÍNDICE NACIONAL DE PREÇOS AO CONSUMIDOR (INPC) E A CESTA BÁSICA SETEMBRO/2011

ÍNDICE NACIONAL DE PREÇOS AO CONSUMIDOR (INPC) E A CESTA BÁSICA SETEMBRO/2011

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) calculado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) representa às necessidades médias de consumo das famílias com rendimento de 1 a 6 salários mínimos, para nove regiões metropolitanas e duas cidades com 30% da população brasileira (Fortaleza, Belém, Recife, Belo Horizonte, São Paulo, Salvador, Porto Alegre, Rio de Janeiro, Curitiba, Brasília e Goiânia).

12 Ler mais

Índice de preços da cesta básica na tríplice fronteira em Foz do Iguaçu-PR

Índice de preços da cesta básica na tríplice fronteira em Foz do Iguaçu-PR

O IPC-Foz já está consolidado no município de Foz do Iguaçu e todo mês os meios de comunicação utilizam a pesquisa como fonte para reportagens sobre a variação de preços; em especial, destaca-se o período da greve dos caminhoneiros quando as pesquisas tiveram mais visibilidade, sendo inclusive transmitidas em redes de televisão. A segunda etapa do projeto é de extensão para o Paraguai e Argentina e, para tal, se está buscando parcerias para efetivar a ampliação do IPC. Nesse sentido, se ressalta a assinatura do plano de trabalho entre o Cepecon/UNILA e Universidad Nacional del Este/UNE para o projeto IPC-CDE ocorrida no dia 05 de setembro de 2018.
Mostrar mais

5 Ler mais

CESTA BÁSICA DE PASSO FUNDO REGISTRA UMA QUEDA DE 1,00% NO MÊS DE OUTUBRO

CESTA BÁSICA DE PASSO FUNDO REGISTRA UMA QUEDA DE 1,00% NO MÊS DE OUTUBRO

Verificou-se que o custo dos produtos que compõem a cesta básica de uma família típica passo-fundense apresentou uma queda de 1,00% no mês de outubro de 2019, quando comparado com os preços médios praticados no mês de setembro de 2019. No mês de setembro, foram necessários R$ 859,80 para a aquisição da cesta, ao passo que em outubro o custo foi de R$ 851,18, o que representa uma queda de R$ 8,62 por cesta.

9 Ler mais

O comportamento dos consumidores e dos preços da cesta básica em São Miguel do Oeste, Guaraciaba e Maravilha − SC

O comportamento dos consumidores e dos preços da cesta básica em São Miguel do Oeste, Guaraciaba e Maravilha − SC

O objetivo deste estudo é mostrar os hábitos de consumo regional e também o comportamento dos preços dos produtos que atendem a estes hábitos. A pesquisa sobre o comportamento dos consumidores e dos preços da cesta básica foi desenvolvida pelo professor Leandro Tiago Sperotto e pelas acadêmicas Marielli Teixeira e Rosimara Zanella da Unoesc, que acompanharam no período de maio a de- zembro de 2006, os hábitos alimentares das famílias residentes nos municípios de São Miguel do Oeste, Guaraciaba e Maravilha. A primeira etapa da pesquisa consistiu na aplicação de um formu- lário para cem famílias urbanas de classe média, com quatro inte- grantes, com o intuito de identificar os hábitos de consumo. Com os dados das quantidades e variedades de produtos consumidos foi estruturada uma tabela de itens. Com esta tabela, mensalmente, fo- ram visitados supermercados onde foram realizadas as pesquisas de gôndola, com levantamento de preços praticados, que culminaram, mensalmente, no custo total da cesta de consumo (ou cesta bási- ca). Durante o período da pesquisa, o custo da cesta oscilou pouco e permeou entre R$ 600,00, aproximadamente 50% da renda das famílias pesquisadas. Muitas considerações foram discutidas pelos pesquisadores, os quais concluem que cada região pode construir a sua própria cesta básica, específica de acordo com os hábitos dos habitantes do local. Além disso, mantiveram contato com pesqui- sadores de outras universidades, a fim de trocar informações acerca do tema. Com isso, formaram uma rede de contatos, a qual denomi- nou Rede de Cestas Básicas. A pesquisa foi de interesse regional, pois contribuiu para o desenvolvimento educacional-financeiro da comunidade que acompanhou, mensalmente, a pesquisa por meio da divulgação na rádio e jornal.
Mostrar mais

12 Ler mais

Avaliação dos indicadores de aquisição, disponibilidade e adequação nutricional da cesta básica de alimentos brasileira

Avaliação dos indicadores de aquisição, disponibilidade e adequação nutricional da cesta básica de alimentos brasileira

Resumo O objetivo deste estudo foi avaliar a evolução dos custos para aquisição da cesta básica associados ao poder aquisitivo do salário mínimo, além de mensurar a disponibilidade per capita nos domicílios brasileiros dos alimentos que com- põem a cesta básica. Também foram avaliadas a adequação da composição nutricional e a quali- dade da dieta baseada no consumo diário de itens da cesta básica. Os resultados obtidos apontam a existência de períodos de elevação de preços para aquisição dos itens da cesta básica, assim como a incapacidade do salário mínimo para o custeio para tais provisões alimentares. Foi verificado que as dietas baseadas no consumo dos itens da cesta básica apresentam quantidade de energia e sódio superiores às recomendações para indivíduos adul- tos, além de apresentar quantidades insuficientes de cálcio, potássio e vitamina A. A avaliação da qualidade das dietas apontou baixa quantidade de frutas, vegetais, cereais na dieta composta pe- los itens das cestas básicas, sendo constatado ex- cesso energético proveniente de gorduras e açúcar de adição. Diante de tais evidências, recomenda- se revisão da composição das cestas básicas para atendimento de requisitos nutricionais básicos em alimentação para população brasileira.
Mostrar mais

12 Ler mais

ÍNDICE UNIFAFIBE DO CUSTO DA CESTA BÁSICA DE BEBEDOURO BOLETIM ANUAL

ÍNDICE UNIFAFIBE DO CUSTO DA CESTA BÁSICA DE BEBEDOURO BOLETIM ANUAL

O Índice UNIFAFIBE do custo da cesta básica de Bebedouro é um projeto de extensão à comunidade, desenvolvido por docentes e alunos do curso de Ciências Contábeis do Centro Universitário UNIFAFIBE. O Índice mede, mensalmente, a variação dos preços de 41 produtos que compõem uma cesta básica típica consumida pela população de Bebedouro. A cesta básica padrão considerada para o Índice representa o consumo médio de uma família de 4 pessoas, cuja renda mensal varia entre zero e 10 salários mínimos. Os produtos da cesta básica foram determinados a partir de uma Pesquisa de Orçamento Familiar (POF) que identificou os hábitos de consumo da população do Município.
Mostrar mais

5 Ler mais

Custo da cesta básica aumenta na maior parte das capitais do Brasil

Custo da cesta básica aumenta na maior parte das capitais do Brasil

Com base na cesta mais cara, que, em agosto, foi a de São Paulo, e levando em consideração a determinação constitucional que estabelece que o salário mínimo deve ser suficiente para suprir as despesas de um trabalhador e da família dele com alimentação, moradia, saúde, educação, vestuário, higiene, transporte, lazer e previdência, o DIEESE estima mensalmente o valor do salário mínimo necessário. Em agosto de 2016, o salário mínimo necessário para a manutenção de uma família de quatro pessoas deveria equivaler a R$ 3.991,40,
Mostrar mais

7 Ler mais

Show all 10000 documents...