cirurgia de catarata

Top PDF cirurgia de catarata:

Suspensão de cirurgia de catarata e suas causas.

Suspensão de cirurgia de catarata e suas causas.

Com o objetivo de verificar as causas de suspensão de cirurgia de catarata e sugerir medidas para melhorar a eficiência do serviço prestado à população, foi realizado um estudo transversal no serviço de oftalmologia de um hospital universitário do Estado de São Paulo. A amostra foi composta por 200 indivíduos. A média de idade foi de 68+11,4 anos. As causas de suspensão de cirurgia foram: condição clínica desfavorável (23,1%); horário cirúrgico insuficiente (35,9%); e não comparecimento do paciente (41%). Os fatores causadores foram, majoritariamente, as razões sociais e o funcionamento do hospital.
Mostrar mais

3 Ler mais

Cirurgia de catarata realizada por residentes: avaliação dos riscos.

Cirurgia de catarata realizada por residentes: avaliação dos riscos.

O ensino da técnica cirúrgica exige uma série de condições tais como: centro cirúrgico devidamente equipa- do e disponibilidade de cirurgiões capacitados para super- visionar o treinamento. Estudos mostram que dentre outros fatores, o sucesso da cirurgia de catarata em hospitais onde há residentes em treinamento consiste em uma supervisão feita por cirurgiões experientes (9) . Porém, mesmo em uma

5 Ler mais

Avaliação pré-operatória na cirurgia de catarata.

Avaliação pré-operatória na cirurgia de catarata.

Objetivo: Analisar a relevância da avaliação pré-operatória na prevenção de eventos clínicos adversos per e pós-operatórios na cirurgia de catarata. Métodos: Foram incluídos no estudo 1.254 pacientes submetidos à cirurgia de catarata no Instituto da Catarata do Departamento Oftalmologia UNIFESP-EPM, no período de jan-dez 2004. Dados referentes à avaliação pré-operatória e à ocorrência de eventos clínicos adversos relacionados ao procedimento anestésico/cirúrgico foram retrospectivamente coletados. Resultados: Dezesseis pacientes (1,2%) apresentaram evento clínico adverso. Novecentos e trinta e seis pacientes (74,6%) apresentaram pelo menos um exame alterado, porém este fator não mostrou associação com a ocorrência de evento clínico adverso (p=0,334). Conclusão: Na série estudada a alteração de exames laboratoriais, eletrocardiograma e/ou radiografia de tórax não se correlacionou com a ocorrência de eventos clínicos adversos relacionados ao procedimento anestésico/cirúrgico.
Mostrar mais

5 Ler mais

Estudo comparativo da eficácia de colírios antiinflamatórios não esteróides na manutenção da dilatação pupilar durante a cirurgia de catarata.

Estudo comparativo da eficácia de colírios antiinflamatórios não esteróides na manutenção da dilatação pupilar durante a cirurgia de catarata.

Objetivo: Antiinflamatórios não hormonais, com efeitos antiprostaglandí- nicos, têm sido usados no pré-operatório de cirurgia de catarata para manutenção da midríase per-operatória. Infelizmente, ainda não existe um antiprostaglandínico ideal. Este é um estudo de corte transversal, randomi- zado, grupo-placebo e duplo-mascarado, comparando a eficácia do cetoro- lac de trometamina, flurbiprofeno sódico, diclofenaco sódico e um placebo, hipromelose, quanto à manutenção peroperatória da midríase. Métodos: Cento e dezesseis pacientes, submetidos à extração extracapsular da catarata com implantação de lente intra-ocular, foram separados aleatoriamente em quatro grupos, que receberam a mesma rotina de dilatação e de instilação dos antiprostaglandínicos. O grupo I recebeu cetorolac de trometamina; grupo II, flurbiprofeno sódico; grupo III, diclofenaco sódico e grupo IV, hipromelose, o placebo. Os dados referentes à pupila foram obtidos por meio de questio- nário objetivo proposto aos cirurgiões no início e ao final da cirurgia. Resultados: Os resultados mostraram diferença significativa entre o grupo I e o placebo quanto à manutenção da dilatação peroperatória. Também foi significativa a diferença entre o grupo I e os demais grupos em relação à suficiência da midríase para o início do ato cirúrgico e para a ocorrência de miose intra-operatória. Não se registrou diferença significante entre o uso de flurbiprofeno e de diclofenaco quando comparados ao placebo para os mesmos parâmetros (p<0,05). Conclusões: Os resultados mostraram que o cetorolac foi mais eficiente do que os medicamentos utilizados nos demais grupos em relação aos parâmetros testados. Embora se registrem diferenças percentuais entre os resultados alcançados com flurbiprofeno e diclofenaco as diferenças não são estatisticamente significativas. Estudos feitos sobre amostra maior e/ou estudos multicêntricos poderão definir com clareza o papel definitivo dos antiinflamatórios não hormonais na manutenção da midríase peroperatória.
Mostrar mais

4 Ler mais

Biomecânica da córnea após laser de femtossegundo na cirurgia de catarata.

Biomecânica da córnea após laser de femtossegundo na cirurgia de catarata.

Objetivo: Avaliar as alterações da biomecânica da córnea após laser de femtosegundo na cirurgia de catarata e comparar os parâmetros biomecânicos derivados do Corvis ST (Oculus Corvis ST, Scheimpflug Technology; Wetzlar, Germany) entre as técnicas do laser de femtossegundo e a facoemulsificação convencional após a cirurgia de catarata. Métodos: Estudo observacional, prospectivo envolvendo 151 olhos de 127 pacientes com diagnóstico de catarata nuclear. Setenta olhos de 65 pacientes foram submetidos à técnica do laser de femtossegundo (Alcon LenSx, Aliso Viejo,USA) e 76 olhos de 62 pacientes por meio da facoemulsificação convencional (Alcon Infinit, Fort Worth, USA). O sistema de tonometria de não contato integrado com a câmera ultrarrápida de Scheimpflug (Oculus Corvis ST, Scheimpflug Technology; Wetzlar, Germany) foi utilizado para avaliação da biomecânica da córnea antes e após a cirurgia de catarata pelas técnicas do laser de femtossegundo e a facoemulsificação convencional. Os parâmetros biomecânicos utilizados foram: deformidade de amplitude (DA), pressão intraocular, 1st A time, tempo de concavidade máxima, 2nd A time, 1st A Length, 2nd A Length, raio de curvatura de maior alcance, raio de curvatura normal, velocidade de entrada (Vin) e de saída (Vout). A densitometria do cristalino (scattering) através do PNS (Pentacam Nucleus Staging) foi realizado pela tomografia de córnea e segmento anterior (Pentacam® – Oculus, Wetzlar, Germany) em todos os pacientes para diagnóstico objetivo da opacidade do cristalino. Os critérios de exclusão foram: doença corneana, doenças da retina e/ou nervo óptico e cirurgia ocular prévia. O teste de Kolmogorov-Smirnov foi utilizado para avaliar a distribuição normal. O teste de Wilcoxon e o test-T foram utilizados para avaliação entre o pré-operatório e o primeiro dia de pós-operatório (D1) nos grupos do laser de femtossegundo (LFS) e do faco convencional (FC), respectivamente. O teste de Mann-Whitney foi realizado para avaliar
Mostrar mais

6 Ler mais

Avaliação do equilíbrio e do medo de quedas em homens e mulheres idosos antes e após a cirurgia de catarata senil.

Avaliação do equilíbrio e do medo de quedas em homens e mulheres idosos antes e após a cirurgia de catarata senil.

O presente estudo demonstrou que a cirurgia de catarata senil melhorou o equilíbrio estático e dinâmico, avaliado pela Escala de Equilíbrio de Berg, principalmente entre os homens idosos; aprimorou significativamente o desempenho de membros inferiores, avaliado pelo Short Physical Performance Battery, especialmente entre as mulheres idosas, mas esta cirurgia não teve nenhum efeito em relação ao medo de quedas entre todos os participantes deste estudo, provavelmente devido ao curto período de tempo em que se realizou as avaliações (30 e 60 dias).

12 Ler mais

Profilaxia e tratamento do edema macular cistoide após cirurgia de catarata.

Profilaxia e tratamento do edema macular cistoide após cirurgia de catarata.

O edema macular cistoide (EMC) pseudofácico, também conhecido como síndrome de Irvine Gass, é uma das possíveis causas de baixa acuidade visual após cirurgia de catarata. Apesar dos avanços na cirurgia de catarata, com microincisão e novas técnicas de facoemulsificação, o EMC pode ocorrer mesmo em cirurgias não complicadas (1) .

6 Ler mais

Estudo com OCT Visante® do impacto da cirurgia de catarata no segmento anterior

Estudo com OCT Visante® do impacto da cirurgia de catarata no segmento anterior

Material e Métodos: Estudo prospetivo de setenta doentes que foram submetidos a cirurgia de catarata. Os doentes foram divididos em dois grupos: um grupo constituído por doentes com o diagnóstico de glaucoma (de ângulo aberto e ângulo estreito) e um grupo controlo composto por doentes sem glaucoma. Foram avaliadas a PCA e a AIC com o OCT Visante® e a PIO por tonometria de Goldmann no pré-operatório e após um mês da cirurgia de catarata. Os dados recolhidos foram analisados no SPSS, utilizando-se para o cálculo da significância estatística o teste T de Student e a análise de variância ANOVA.
Mostrar mais

7 Ler mais

Cirurgia de catarata: características e opiniões de pacientes com visão mono versus binocular.

Cirurgia de catarata: características e opiniões de pacientes com visão mono versus binocular.

Assim, torna-se necessária, a rediscussão das indicações da cirurgia, reconhecendo e tratando também os casos em está- gios iniciais, quando já apresentam algum grau de compro- metimento da qualidade de vida do indivíduo. Sabe-se que há poucas décadas, indicava-se cirurgia de catarata quando a AV era de, aproximadamente, 0,10, quando a incapacidade visual já havia prejudicado muito o indivíduo. Nos últimos anos, de- vido aos avanços e aos bons resultados obtidos com o tra- tamento, a cirurgia tem sido indicada a pessoas com AV de 0,50 ou mais, a depender do comprometimento da sua qualidade de vida (21-22) .
Mostrar mais

6 Ler mais

Análise dos custos e complicações da cirurgia de catarata realizada por resident...

Análise dos custos e complicações da cirurgia de catarata realizada por resident...

Você está sendo convidado a participar de uma pesquisa clínica; pacientes que farão a cirurgia de catarata. Leia cuidadosamente este termo de consentimento livre e esclarecido e faça todas as perguntas que quiser antes de decidir se quer participar do estudo. Sua decisão de consentir em participar deste estudo é voluntária e você pode sair do estudo a qualquer momento. Se decidir não participar ou retirar-se do estudo, você não perderá os benefícios a que teria direito de outra forma. Você será informado sobre toda informação nova que possa surgir durante a pesquisa que possa alterar sua disposição em participar deste estudo. Seu médico pode descontinuar sua participação deste estudo, independentemente de seu consentimento, se ele/ela considerar que esta é a melhor conduta no seu caso em particular.
Mostrar mais

156 Ler mais

CIRURGIA DE CATARATA PELA TÉCNICA DE FACOEMULSIFICAÇÃO: um estudo de caso DOI: http://dx.doi.org/10.5892/ruvrd.v14i1.2810

CIRURGIA DE CATARATA PELA TÉCNICA DE FACOEMULSIFICAÇÃO: um estudo de caso DOI: http://dx.doi.org/10.5892/ruvrd.v14i1.2810

De acordo com Lima Filho (2014), a cirurgia de catarata, pelo método de facoemulsificação, é uma cirurgia ambulatorial que dura em média 19 minutos, sendo o procedimento cirúrgico mais feito nos países desenvolvidos. A terapêutica cirúrgica leva a reduções de gastos com a saúde e sociais a longo prazo, além de apresentar melhores resultados de acuidade visual e índices reduzidos de complicações cirúrgicas em comparação com a técnica de extração extracapsular (EEC).

8 Ler mais

Avaliação do equilíbrio e do medo de quedas em idosos antes e após a cirurgia de catarata senil

Avaliação do equilíbrio e do medo de quedas em idosos antes e após a cirurgia de catarata senil

Introdução: A prevalência de desequilíbrios e de quedas em idosos tem persistido nas últimas décadas devido a fatores do envelhecimento populacional. O estudo da capacidade visual é de grande relevância, sobretudo nas manifestações das cataratas senis, e suas implicações sobre o controle estático e dinâmico desses idosos. Objetivo: Avaliar a influência das condições visuais em pacientes que apresentam catarata senil em relação aos seus desequilíbrios corporais. Método: Estudo descritivo e analítico realizado por meio de uma pesquisa quantitativa de coorte longitudinal. O programa de análise estatística empregado foi o teste qui-quadrado, o teste de Student e o teste de Mann-Whitney. Foram considerados significantes valores de p<0,05. Participaram do estudo 30 idosos, os quais foram avaliados antes da cirurgia de catarata senil, 30 e 60 dias após a cirurgia. Utilizou-se para coleta de dados, o Mini Exame do Estado Mental (MEEM), a Escala de Equilíbrio de Berg (EEB), o Short Physical Performance Battery (SPPB), a Escala Internacional de Eficácia de Quedas adaptada ao Brasil (FES-I) e questionário da anamnese. Resultados e Discussão: Das 15 idosas, pelo SPPB, após 60 dias de pós-operatório, observou-se que 13 idosas (87%) conseguiram obter um desempenho moderado e 2 (13%) mantiveram um baixo desempenho de MMII. Avaliando o teste FES-I, observou-se que em 60 dias de pós- cirúrgico, 3 (20%) idosas mantiveram leve preocupação com as quedas. Dos 15 idosos avaliados pela EEB, antes e após 30 e 60 dias de cirurgia, observou-se que 1 (7%), conseguiu manter algum equilíbrio, mas precisa de assistência; e 14 (93%) idosos mantiveram um bom equilíbrio. Avaliando o teste SPPB, observou-se que após 60 dias de cirurgia, 5 idosos (33%) tiveram um desempenho moderado e 9 (67%) um bom resultado do SPPB. Conclusão: A cirurgia de catarata senil oferece melhora no desempenho funcional de MMII, no equilíbrio e no medo de quedas em idosos funcionando como um meio importante para a prevenção de desequilíbrios comuns no processo de envelhecimento.
Mostrar mais

77 Ler mais

Custo social de duas técnicas de cirurgia de catarata no Brasil.

Custo social de duas técnicas de cirurgia de catarata no Brasil.

Foram excluídos pacientes: com restrições físicas ou clínicas capazes de limitar o desempenho do indivíduo para as atividades da vida diária e profi ssional, com alte- rações oculares que contribuíssem para a diminuição da acuidade visual, que sofreram cirurgias oculares prévias, com ambliopia e os que recusaram participar do estudo ou assinar o termo de consentimento. Os pacientes selecionados foram sorteados para compor dois grupos. o grupo Faco, com 101 pacientes subme- tidos à cirurgia de catarata por meio dessa técnica, acrescida de LIO dobrável de câmara posterior; e o grupo EECP, com 104 pacientes submetidos à técnica EECP, com LIO rígida de câmara posterior.
Mostrar mais

6 Ler mais

Cirurgia de catarata: otimização de centro cirúrgico com utilização de pacote cirúrgico pré-montado.

Cirurgia de catarata: otimização de centro cirúrgico com utilização de pacote cirúrgico pré-montado.

Para que esse expressivo aumento do número de cirurgias de catarata realizadas no HCFMUSP se tornasse possível, foi importante a criação, em 1999, do Centro Cirúrgico Ambulato- rial (CCA), onde a Clínica Oftalmológica dispõe, diariamente, de duas salas destinadas à cirurgia de catarata. A otimização do centro cirúrgico, principalmente devido à diminuição do intervalo de tempo entre as cirurgias, possibilita a realização de maior número de procedimentos por sala operatória.

5 Ler mais

Reflexões epistemológicas e bioéticas na cirurgia de catarata

Reflexões epistemológicas e bioéticas na cirurgia de catarata

A história tem demonstrado que as pessoas com maior poder aquisitivo têm acesso mais rápido aos avanços tecnológicos; e o segui- mento mais pobre da população, quando con- segue acesso a esses avanços, descobre que já estão ultrapassados. No início da década de 80, os oftalmologistas brasileiros começaram a realizar a cirurgia de catarata com implante de lentes intraoculares. Por um período, só se implantavam lentes nos pacientes com condi- ções financeiras para pagá-las. O serviço público de saúde demorou alguns anos para cobrir o custo das lentes. Nesse intervalo, para os pacientes que não podiam pagar, só restava a cirurgia sem implante, o que os obri- gava a usar óculos com graus elevados, dimi- nuindo o campo visual e aumentando a depen- dência aos óculos. Com o tempo, a pressão da sociedade e o interesse das empresas em colo- car mais lentes no mercado fizeram com que o serviço público de saúde passasse a cobrir esses custos, mas a falta de verbas destinadas à saúde só permitia a cobertura de lentes de menor valor, com qualidades estruturais e ópticas inferiores às de última geração. Essa defasagem entre as classes ricas e pobres ao benefício tecnológico persiste até hoje e prova- velmente persistirá sempre.
Mostrar mais

11 Ler mais

Cirurgia de catarata: o porquê dos excluídos

Cirurgia de catarata: o porquê dos excluídos

A catarata é a principal causa de cegueira no mundo, embora seja passível de recuperação por intervenção cirúrgica relativamente simples e de baixo custo. O presente estudo, realizado em 1997 e 1998 em cinco municípios do Estado de São Paulo, Brasil, teve o propósito de identifi- car as razões para a falta de acesso ao tratamento cirúrgico por parte dos deficientes visuais por catarata senil. Foram entrevistados pacientes atendidos em um projeto comunitário de reabili- tação da cegueira por catarata, o Projeto Zona Livre de Catarata. Obteve-se uma amostra pron- tamente acessível, composta por 776 sujeitos que procuraram a assistência do projeto e que apresentavam acuidade visual menor do que 0,2 no olho melhor (média de idade = 70 anos). Foi aplicado um questionário por entrevista. Dentre os pacientes, 683 haviam procurado aten- dimento oftalmológico antes do Projeto Catarata; o tipo mais comum de atendimento procu- rado foi o serviço público de saúde (27%). Dificuldades financeiras (69%) e ainda enxergar bem (69%) foram as razões predominantes alegadas pelos pacientes para não terem se subme- tido à cirurgia de catarata. Dentre os que manifestaram receio da cirurgia, a principal alega- ção foi medo de ficar cego. Todos os pacientes que receberam indicação cirúrgica no período do estudo concordaram em se submeter à cirurgia. Aparentemente, existe uma lacuna entre a busca de serviços oftalmológicos e a resolução cirúrgica da catarata. Os fatores predominantes para a não realização da cirurgia foram econômicos e logísticos. É necessário facilitar o acesso da população à cirurgia de catarata por meio de modelos assistenciais descentralizados e de pro- jetos e campanhas comunitárias de prevenção da cegueira por catarata.
Mostrar mais

7 Ler mais

Cirurgia de catarata como tratamento hipotensor

Cirurgia de catarata como tratamento hipotensor

Todavia, a sua magnitude e importância clínica continuam a ser debatidas. Neste artigo, pretende-se fazer uma revisão dos mecanismos que contribuem para este efeito, bem como dos resultados publicado sem diferentes tipos de glaucoma, de forma a melhor integrar a cirurgia de catarata no algo- ritmo terapêutico da hipertensão ocular e do glaucoma.

6 Ler mais

Análise da arquitetura da incisão córnea clara na cirurgia de catarata usando tomografia de coerência óptica domínio espectral

Análise da arquitetura da incisão córnea clara na cirurgia de catarata usando tomografia de coerência óptica domínio espectral

No estudo atual, foi utilizada a Tomografia de Coerência Óptica de segmento anterior (do inglês AS-OCT: Anterior segment optical coherence tomography), que é exame de não contato, não invasivo, usado para analisar as estruturas do segmento anterior, incluindo conjuntiva, córnea, esclera, câmara anterior, íris e face anterior do cristalino. A AS-OCT com baixa resolução, é um método de avaliação da arquitetura da incisão córnea clara (ICC) in vivo após a cirurgia de catarata, na busca de mostrar alterações estruturais como desalinhamento endotelial e epitelial, abertura da incisão pós-cirurgia e descolamento da membrana de Descemet, além de realizar medidas para quantificar o tamanho e o ângulo da incisão, calculando estruturas e formas (TABAN, 2004; CALLADINE, 2007; FUKUDA et al., 2011).
Mostrar mais

65 Ler mais

Avaliação da pressão ocular, pré e pós cirurgia de catarata, pela técnica de facoemulsificação, utilizando a metilcelulose a 2% e 4% como viscoelástico

Avaliação da pressão ocular, pré e pós cirurgia de catarata, pela técnica de facoemulsificação, utilizando a metilcelulose a 2% e 4% como viscoelástico

Em termos específicos, relativamente aos tipos de SVE, a introdução de Healon no final dos anos 70 para uso em cirurgia ocular conduziu à era da visco-cirurgia. Como todos estes agentes visco-cirúrgicos consistem em soluções de biopolímeros de cadeia longa (quase sempre Hidroxipropilmetilcelulose ou Ácido Hialurônico) em baixa concentração, todos eles são pseudoplásticos no comportamento. As propriedades físicas deles tendem a seguir padrões semelhantes (o mais viscoso, o mais elástico e o mais aderente), numa função da distribuição do comprimento da cadeia do polímero constituinte principal e sua concentração. Isto permite classificar os viscoelásticos em: supercoesivos, coesivos médios e dispersivos baixo (KARA JÚNIOR e MILANI, 2003).
Mostrar mais

92 Ler mais

Perfil cardiopulmonar do paciente submetido à cirurgia de catarata

Perfil cardiopulmonar do paciente submetido à cirurgia de catarata

ve um percentual de 37% de re-infarto em pacientes operados cerca de 3 me­ ses após um infarto agudo do mio­ cárdio (IAM), comparados a 4,5% nos que foram à cirurgia 6 meses após o evento cardíaco primário. A elevação da pressão venosa, que ocorre nos por­ tadores de insuficiência cardíaca con­ gestiva (ICC), tende a aumentar a pres­ são intra-ocular, podendo causar gra­ ves complicações no trans-operatório e dificultar a realização de facectomias pela técnica convencional ou por fa­ coemulsificação. Os diuréticos osmóti­ cos, usados comumente no tratamento de hipertensão vítrea, podem oferecer riscos ao exacerbar uma ICC pré-exis­ tente. Agudizações de isquemia coro­ nariana podem ser precipitadas por pe­ quenas quantidades de adrenalina usa­ da em anestésico injetáveis 10• Outras
Mostrar mais

5 Ler mais

Show all 8899 documents...

temas relacionados