Coleta de Consumo de Energia

Top PDF Coleta de Consumo de Energia:

A taxa pela coleta de "lixo": Um estudo entre o consumo de água e o consumo de energia elétrica com a produção de resíduos sólidos domiciliares

A taxa pela coleta de "lixo": Um estudo entre o consumo de água e o consumo de energia elétrica com a produção de resíduos sólidos domiciliares

As crescentes preocupações com o aumento da produção dos Resíduos Sólidos vão além do simples encaminhamento correto dos mesmos. Para garantir a sustentabilidade, devem ser analisadas além das variáveis ambientais, variáveis econômicas, as quais conferem a qualidade e regularidade nos serviços prestados de limpeza urbana. Cabendo às administrações municipais gerenciar seus resíduos, é fundamental que existam mecanismos eficientes para se captar os recursos necessários para o funcionamento de tais serviços. Neste prisma, o presente trabalho tem como objetivo maior, avaliar a existência de relações entre as variáveis “consumo de água” e “consumo de energia elétrica” com a produção de resíduos sólidos domiciliares, com o intuito de verificar a hipótese de poder usar estas variáveis como possível base de cálculo na determinação do valor da “taxa de coleta de lixo”. Para se buscar tal objetivo, a metodologia consistiu na leitura diária dos medidores de luz e do hidrômetro de um edifício residencial localizado no centro de Florianópolis, bem como, na pesagem diária dos resíduos sólidos gerados. Foi analisado o comportamento de todas as variáveis buscando uma descrição efetiva da realidade estudada. Após esta etapa, verificou-se uma acentuada assimetria na distribuição de freqüência dos dados, fato que encaminhou o estudo para o melhor método de obtenção do coeficiente de correlação entre as variáveis. Desse modo, com o auxilio do software Statistica 6.0 foi possível utilizar métodos precisos para obtenção dos referidos coeficientes. Os resultados apontaram uma forte relação entre o consumo de água com a geração de resíduos sólidos domiciliares. A relação também ficou evidenciada com o consumo de energia elétrica, porém, em menor escala. Os resultados obtidos foram apontados como estatisticamente muito significantes, conferindo alto grau de confiabilidade para os mesmos. Assim, conclui-se que estudos nesta área devem ser valorizados, pois um método de cobrança com as variáveis propostas seria de fácil aplicação e não se exigiria grandes investimentos, conferindo maior justiça na definição da “cota” de quanto cada cidadão beneficiado pelos serviços de coleta de “lixo” deva pagar. Com isto se conseguiria maiores benefícios para a sustentação da qualidade e regularidade nos serviços de coleta, transporte e destinação final do “lixo”. Entretanto, salienta-se que, se não for realizado em conjunto com esta cobrança uma política de minimização de resíduos, a taxa pela coleta de “lixo” nada mais será do que outro tributo para o cidadão pagar.
Mostrar mais

108 Ler mais

Estudo da relação entre a geração de resíduos sólidos domiciliares e o consumo de água e energia elétrica: alternativas de tarifação da coleta de resíduos sólidos

Estudo da relação entre a geração de resíduos sólidos domiciliares e o consumo de água e energia elétrica: alternativas de tarifação da coleta de resíduos sólidos

O município de Florianópolis, assim como vários municípios brasileiros, enfrenta dificuldades relacionadas ao financiamento dos custos decorrentes do gerenciamento dos resíduos sólidos, uma vez que a arrecadação através da taxa de coleta de lixo, cobrada junto ao IPTU, é insuficiente para financiar todas as despesas do sistema. Este trabalho tem como objetivo avaliar as relações existentes entre o consumo de água e o consumo de energia elétrica com a geração de resíduos sólidos domiciliares visando uma nova base de cálculo para a determinação do valor da "tarifa de resíduos sólidos domiciliares" para o município de Florianópolis. A metodologia utilizada consistiu na pesagem diária de RSD, leitura do consumo de água e de energia elétrica em dois edifícios residenciais multifamiliares, além da obtenção de dados mensais da geração de RSD e consumo de água e energia elétrica de duas regiões do município. Os resultados encontrados indicam uma taxa de geração per capita de RSD de 0,9 kg/habitante/dia para as regiões estudadas e de 0,6 kg/habitante/dia para os condomínios multifamiliares. Os resultados também mostraram fortes relações entre o consumo de água e o consumo de energia elétrica com a geração de RSD, quando os dados foram tratados de forma agrupada, por faixas de consumo, mostrando ser possível estimar a quantidade de RSD gerada por uma edificação a partir do seu consumo de água ou de energia elétrica.
Mostrar mais

140 Ler mais

Consumo de energia no transporte da coleta seletiva de resíduo sólido domiciliar no Município de Campinas (SP)

Consumo de energia no transporte da coleta seletiva de resíduo sólido domiciliar no Município de Campinas (SP)

Nesta dissertação foi estudado a coleta seletiva de resíduo sólido na cidade de Campinas (SP), classificada como terceiro município do Estado de São Paulo em população, com 1.039.297 habitantes, e também, em geração de resíduo sólido domiciliar. O objetivo consiste em quantificar o consumo de energia no transporte da coleta seletiva executada pelo setor público e pelo sistema cooperativo. Diariamente, o poder público coleta em média 655 toneladas das quais 99% tem como destino o aterro sanitário. Em 2005, a prefeitura e duas cooperativas, juntas recolheram seletivamente uma média de 329 toneladas/mês de resíduo sólido reciclável. Na coleta foram utilizados 14 caminhões que percorreram a distância de 31.200 km/mês e o consumo estimado de 10.900 litros de óleo diesel. No balanço energético correspondente à quantidade de energia gasta no transporte e a evitada com a reciclagem, estima-se que, com o reaproveitamento na indústria do montante de reciclável coletado para produção de novos produtos foi possível evitar o uso de cerca de 12.552 GJ de energia. Essa quantidade de energia evitada representa cerca de 32,5 vezes superior a energia consumida no transporte da coleta seletiva. Com relação ao CO 2, a queima de óleo diesel no transporte dos recicláveis emitiu na
Mostrar mais

154 Ler mais

Desenvolvimento de sistema para coleta de energia vibracional utilizando dispositivos piezoelétricos

Desenvolvimento de sistema para coleta de energia vibracional utilizando dispositivos piezoelétricos

A origem do termo Energy Harvesting (EH) se deu à necessidade de coletar-se pequenas quantias de energia presente no ambiente e aplicar em sistemas de baixo consumo de energia. Esses sistemas podem ser aplicados em implantes médicos, monitoramento e instrumentação de estruturas, sensores sem fios, relógios, dentre outros mostrados em Harb (2011), Vullers et al. (2010) e Elvin; Erturk (2015). Uma das vertentes de pesquisa que se utiliza dos princípios de EH é o Structural Health Monitoring (SHM), ou o monitoramento da estrutura. São utilizados sensores para monitorar a estrutura a fim de detectar e/ou caracterizar possíveis danos causados a ela. Esse tipo de estudo é feito em trens, pontes, tubulações, edificações, aviões, dentre outros. Como o processo de SHM demanda um certo período de tempo, um número de análises e uma certa distribuição de sensores por toda a região a ser estudada, existe um gasto realizado com fios para alimentação, comunicação e com baterias. Ao longo do tempo, essas baterias precisam ser trocadas, o que resulta em um aumento dos gastos com material e de lixo eletrônico para o planeta (Guan; Liao (2007)). Existem lugares em que o difícil acesso para a troca de baterias e colocação de cabos torna o sistema SHM inviável devido ao custo da manutenção. Nesse caso, para viabilizar a implantação do sistema, é possível utilizar sistemas coleta de energias alternativas presentes no ambiente.
Mostrar mais

110 Ler mais

Estimativa de desempenho de software e consumo de energia em MPSoCs

Estimativa de desempenho de software e consumo de energia em MPSoCs

A principal idéia por trás da metodologia aplicada nesse trabalho, é utilizar eventos VHDL para detectar a atividade de dispositivos lógicos. Durante a simulação, um dispositivo lógico pode ser estimulado pela mudança do nível lógico de suas portas de entrada. O dispositivo reage com a execução de um processo RTL comportamental, e escalona, então, uma transação nos sinais conectados em suas portas de saída. Esse fato é conhecido como escalonamento de uma transação naquele sinal. Se o novo valor for diferente do valor anterior, um evento ocorre, e outros dispositivos lógicos com portas de entrada conectadas àquele sinal podem ser ativados. Com o uso de processos em VHDL, é possivel a coleta de todas as transições em um circuito e, consequentemente, é possível estimar o consumo de energia.
Mostrar mais

81 Ler mais

ESTUDO DO CONSUMO DE ENERGIA POR ÓRGÃOS ATIVOS DE ROÇADORA.

ESTUDO DO CONSUMO DE ENERGIA POR ÓRGÃOS ATIVOS DE ROÇADORA.

Na determinação empregou-se um retângulo amostrador, jogando-o ao acaso na área roçada; cole- tou-se o material triturado em dois locais distintos. Dos mesmos locais, cortou-se rente ao solo o material remanescente. A amostra foi acondicionada em sacos de papel e identificada. Após a coleta, para determi- nação da matéria seca, foi pesada e colocada para secar em estufa a 60 °C por 72 h e, novamente pesada. 2.2.5. Determinação do teor de água do vegetal

8 Ler mais

Métodos de coleta de energia para equipamentos médicos portáteis

Métodos de coleta de energia para equipamentos médicos portáteis

Usando uma película fina termo - elétrica, pode-se gerar mais de 100 W de energia com apenas uma pequena diferença de temperatura, de 0,3 a 1,7ºC [21]. Os marca-passos são dis- positivos de baixo consumo de energia, não requerendo o carregamento contí- nuo da bateria como um coração total- mente artificial. Con tudo, conforme já mencionado, a bateria tem um tempo de operação limitado. Sendo assim, foi proposto um método eletromagnético para carregar a bateria atra vés de um campo magnético rotativo de baixa fre- qüência [22]. Este sistema consiste num microgerador com engrenagens, um ímã e excitação de duas fases de uma bobina, instalada fora do corpo humano (figura 8).
Mostrar mais

10 Ler mais

Redução energética : Optimização e Redução do Consumo de Energia

Redução energética : Optimização e Redução do Consumo de Energia

Actualmente a empresa não possui nenhum sistema de monitorização de consumos, a única maneira de conhecer os consumos é através da factura de energia que chega uma vez por mês, não possuindo acesso aos valores consumidos ao longo do mês. A instalação de um sistema de gestão de energia na empresa irá trazer muitas vantagens, como: conhecimento dos consumos de cada secção instantaneamente, a monitorização dos consumos ao longo do mês e o consumo energético de cada um dos produtos. Esse sistema prevê a instalação de medidores no quadro geral de baixa tensão e, através de uma ligação à rede de informações, esses dados são transferidos para um sistema onde podem ser analisados momentaneamente e armazenadas para efeito de estudo dos consumos. Está previsto também a instalação de um pequeno ecrã, na área fabril que irá usar os dados de utilização de energia e da produção para demonstrar, instantaneamente, o consumo energético por unidades de produção. Através dessa medida, todos os colaboradores terão conhecimento das informações de consumo sendo assim mais fácil de se obter um engajamento e comprometimento de todos colaboradores nas acções de redução de energia e no alcance dos objectivos do programa.
Mostrar mais

85 Ler mais

ENERGIA ELÉTRICA DENTRO DA UNICAMP - CONSUMO INTELIGENTE

ENERGIA ELÉTRICA DENTRO DA UNICAMP - CONSUMO INTELIGENTE

Em muitas instituições, centros, universidades, empresas, indústrias e residências no Brasil e em todo o mundo, a conscientização do consumo de energia tem sido pauta constante em seus respectivos contextos. Dentre as diversas matrizes que compõem o quadro energético do planeta, destaca-se no Brasil a hidroeletricidade com 16% embora no planeta a mesma represente aproximadamente 2% (ANEEL, 2010). Não existe uma política forte sobre o consumo consciente da energia elétrica em nosso país. E isto pode ser comprovado com
Mostrar mais

6 Ler mais

Previsão de curto prazo do consumo de energia elétrica

Previsão de curto prazo do consumo de energia elétrica

Para assegurar o fornecimento de energia elétrica, deve-se ter em conta as características das centrais disponíveis. Assim sendo, as centrais térmicas são geralmente pouco flexíveis, devendo operar de forma contínua por longos períodos de tempo, pelo que estão vocacionadas para assegurar a produção base. Para esta produção base contribuem também os produtores em regime especial (eólicos e fotovoltaicos), uma vez que a respetiva produção não está sujeita a “despacho”, mas sim sujeita à disponibilidade do recurso renovável utilizado.
Mostrar mais

135 Ler mais

Análise crítica do consumo de energia na indústria de faiança

Análise crítica do consumo de energia na indústria de faiança

Verificou-se que os equipamentos de combustão trabalham com elevados níveis de excesso de ar, face aos valores recomendados para instalações a gás natural. Foram avaliadas as perdas de calor através dos gases de exaustão dos sectores da conformação, forno e pintura e das paredes laterais do forno. Estas representam 6% do gás natural facturado em 2014. Em particular, os efluentes do sector da conformação são os que contribuem mais para as perdas na instalação – 3% do consumo total. Embora a potência térmica seja elevada, para recuperar o calor perdido seria necessário um caudal adicional de ar de secagem e, como tal, maiores custos para aquisição de ventiladores e de operação.
Mostrar mais

113 Ler mais

EDIFICAÇÕES DE ENERGIA ZERO: USO DAS CORES COMO ESTRATÉGIA PARA A REDUÇÃO DO CONSUMO DE ENERGIA

EDIFICAÇÕES DE ENERGIA ZERO: USO DAS CORES COMO ESTRATÉGIA PARA A REDUÇÃO DO CONSUMO DE ENERGIA

Em termos gerais, as EEZ são edificações com consu- mos de energia minimizadas através da implementação de estratégias de eficiência energética e têm geração local por fonte renovável de tanta ou mais energia do que aquela consumida no período de um ano (TORCELLINI et al., 2006). Dessa forma, no projeto de uma EEZ, existem dois fundamentos básicos: aplicação de medidas de eficiência energética e o uso de energia de fontes renováveis. A pri- meira questão está relacionada diretamente à envoltória da edificação, suas técnicas construtivas, soluções arqui- tetônicas ou pela inclusão de sistemas eficientes (BELUSSI
Mostrar mais

12 Ler mais

Coleta e Geração de Dados de Medição de Energia para o Novo Modelo Elétrico Brasileiro

Coleta e Geração de Dados de Medição de Energia para o Novo Modelo Elétrico Brasileiro

No módulo Banco de Dados, além de possuir o histórico da geração de arquivos de coleta, são armazenadas as Stored procedures que permitem a manipulação de informações tanto para Aplic[r]

76 Ler mais

Uma avaliação do consumo de energia com transportes em cidades do estado de São ...

Uma avaliação do consumo de energia com transportes em cidades do estado de São ...

Baseados em estudos teóricos ou observações empíricas, alguns pesquisadores de várias partes do mundo concluíram que cidades espalhadas não seriam as mais eficientes com relação ao consumo de energia com transportes, embora outros afirmem que não exista qualquer relação entre o espalhamento urbano e o gasto de energia, atribuindo neste caso toda a responsabilidade a fatores econômicos, como renda e preço de combustível, por exemplo. Nestas pesquisas, o caso dos países em desenvolvimento raramente tem sido considerado, embora o consumo de energia com transportes tenha crescido consideravelmente nestes países e apresente hoje patamares de consumo relativamente elevados. Este trabalho procurou acrescentar novos resultados acerca deste tema, analisando o impacto de variáveis relativas à forma urbana e sócio-econômicas no consumo de energia com transportes. Para isto foram analisadas as cidades do estado de São Paulo com população superior a 50 mil habitantes, excetuando-se a região conurbada da capital.
Mostrar mais

115 Ler mais

Consumo e exigências de energia de bezerros da raça Holandesa

Consumo e exigências de energia de bezerros da raça Holandesa

Resumo - Objetivou-se avaliar as exigências nutricionais de energia para mantença e ganho de bezerros lactentes. Foram utilizados 42 bezerros machos da raça Holandesa com idade inicial de 3 dias e peso corporal médio inicial de 35,56 ± 5,86 kg. Dez animais foram abatidos para compor o grupo referência e os demais foram distribuídos aleatoriamente aos tratamentos, constituídos de diferentes quantidades de leite. Os tratamentos foram: 2,0; 4,0; 6,0 e 8,0 litros de leite/dia, fornecidos em duas refeições ao dia e ração concentrada oferecida ad libitum comum aos animais de todos os tratamentos. Cada tratamento foi avaliado em 8 animais, os quais foram desaleitados aos 58 dias de vida, sendo que 4 foram abatidos aos 59 dias e 4 passaram a receber feno de Coast cross (Cynodon dactylon) ad libitum, mais ração concentrada e, posteriormente, abatidos aos 87 dias de vida. Após os abates, foram obtidas duas amostras compostas para cada animal, denominadas carcaça e não- carcaça, que foram analisadas quanto aos teores de matéria seca (MS), proteína bruta (PB), extrato etéreo (EE), cinzas (CZ) e carboidratos totais (CHOT), para estimar o conteúdo energético de cada animal. As exigências de energia líquida (EL m ) e
Mostrar mais

55 Ler mais

Convergência; consumo de energia elétrica; modelo TAR

Convergência; consumo de energia elétrica; modelo TAR

Posto isso, torna-se interessante utilizar outras variáveis, que não a renda ou o PIB per capita, para analisar a trajetória de longo prazo do bem- -estar ou do consumo entre regiões. Dentre uma série de variáveis que po- deriam ser elencadas, o consumo de energia elétrica residencial parece ser uma boa proxy para análises com este propósito por três motivos. Primeiro, por ser um bom representante do padrão de consumo de uma sociedade; segundo, por manter uma forte correlação com a renda, e; terceiro, porque, devido à energia elétrica ser a principal fonte de energia das famílias brasi- leiras, o aumento do nível de renda implica em aumento do consumo de energia elétrica residencial. Além disso, fazendo-se uso dessa variável na análise, descartam-se preocupações adicionais como as apontadas por Penna et al. (2013) e Ferreira Neto (2015).
Mostrar mais

24 Ler mais

Análise de programas de cálculo de consumo de energia em edifícios

Análise de programas de cálculo de consumo de energia em edifícios

Um edifício que na sua concepção tenha em conta o factor de forma exterior, pode vir a obter melhores resultados do ponto de vista de consumo energético do que outro que não o tenha. A construção de uma determinada área de edifício pode ser baseada em várias geometrias distintas, por exemplo, quadrada, alongada, cruzada, rés-do-chão, entre outras (ver figura seguinte). A escolha do tipo de sistema base para a construção tem efeito na área das respectivas paredes, o que pode representar uma maior ou menor quantidade de calor trocada com a envolvente. O aumento da área da envolvente tem impacto na quantidade de energia que se gasta para climatizar um espaço, ou seja, vão existir mais perdas de calor mas pode-se tirar maior proveito dos recursos naturais disponíveis, nomeadamente, luz e ventilação natural.
Mostrar mais

86 Ler mais

O efeito de factores climáticos no consumo de energia eléctrica

O efeito de factores climáticos no consumo de energia eléctrica

Durante a modelação, verificou-se com alguma frequência o aparecimento de valores de desvio anómalos, os quais, após algum esforço de pesquisa foram identificados como sendo devidos a valores atípicos das potências em situações de ocorrência de “disparo geral” ou outras semelhantes. Para corrigir estes valores foi necessário recuar à fase de tratamento dos dados. Foi ainda possível concluir que variáveis como a Velocidade do Vento, Direcção do Vento e Condições (identifica acontecimentos climatológicos especiais como tempestades), não são adequadas para explicar o comportamento do consumo de energia eléctrica na ilha de São Miguel.
Mostrar mais

19 Ler mais

Ferramenta de simulação do consumo de energia na iluminação pública

Ferramenta de simulação do consumo de energia na iluminação pública

sistema), e que provavelmente terá de comunicar os seus resultados obtidos a pessoas.. com maior poder de decisão, possivelmente com cargos políticos.[r]

130 Ler mais

Show all 10000 documents...