complexos de Ru(II)

Top PDF complexos de Ru(II):

Complexos de Ru e Pd com bases de Schiff de ditiocarbazatos com interesse bioinorgânico e quimioterápico

Complexos de Ru e Pd com bases de Schiff de ditiocarbazatos com interesse bioinorgânico e quimioterápico

. A presença de um ligante quelante, X-Y, parece fornecer estabilidade adicional à estrutura como um todo e o ligante Z é o grupo lábil, que permite a ativação da molécula, podendo fornecer um sítio de coordenação livre para biomoléculas (FIGURA 1.31). Pequenas variações no areno podem dar versatilidade à molécula e aperfeiçoar suas propriedades farmacológicas. Em geral complexos de Ru-areno mostram atividade citotóxica promissora contra as linhagens de células de câncer de ovário. Alguns arenos- complexos são tão potentes como a cisplatina e carboplatina e a relação da estrutura- atividade foram estabelecidas [71]. Por exemplo, quando o agente quelante é etilenodiamina e o grupo lábil é o cloreto, a citotoxidade contra células de câncer de ovário humano (A2780) aumenta com o aumento do tamanho do areno coordenado. No entanto, a substituição de cloreto por outros haletos não apresenta citotoxidade significativa. Porem, quando se substitui o ligante quelante por ligantes lábeis como cloretos, acetonitrila ou isonicotinamida, diminui a atividade dos complexos, talvez devido à sua inativação antes de atingir o alvo [14].
Mostrar mais

144 Ler mais

Complexos de Ru(II): síntese, caracterização e reatividade de potenciais

Complexos de Ru(II): síntese, caracterização e reatividade de potenciais

Uma vez que derivados de indazóis e azaindóis têm sido usados como potenciais vasodilatadores (a exemplo da YC-1, BAY 41-2272, BAY 63-2521 e BAY 41-8543) e estes podem atuar como bases de Lewis frente a rutênio(II), buscou-se obter compostos de Ru(II) contendo tais ligantes na composição. Além disto, como 2,2 ’-bipiridina e 1,10-fenantrolina apresentam baixa reatividade em complexos metálicos podem produzir complexos robustos e estáveis, bem como conferir moderada hidrofobicidade (Togniolo, Santana da Silva et al. 2001). Desta forma, objetivou-se sintetizar uma serie de complexos do tipo cis- [RuCl(L)(X-X) 2 ]PF 6 , em que L é um ligante azaindólico ou indazólico e X-X é a
Mostrar mais

208 Ler mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS INSTITUTO DE CIÊNCIAS EXATAS DEPARTAMENTO DE QUÍMICA PREPARO DE NOVOS COMPLEXOS DE Ru(II) COM LIGANTES MISTOS COMO AGENTES FOTOCITOTÓXICOS

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS INSTITUTO DE CIÊNCIAS EXATAS DEPARTAMENTO DE QUÍMICA PREPARO DE NOVOS COMPLEXOS DE Ru(II) COM LIGANTES MISTOS COMO AGENTES FOTOCITOTÓXICOS

difração de raios X de monocristal. Em todos os complexos a geometria em torno do íon metálico é octaédrica distorcida. Nos complexos de spd, smz, smx e smp, o Ru(II) está coordenado às sulfas através do nitrogênio sulfonamídico desprotonado e do nitrogênio do anel heterocíclico; nos complexos de ssz o rutênio está coordenado aos oxigênios docarboxilato bidentado; e no complexo da shyd, ao oxigênio da amida e ao nitrogênio da amina. A esfera de coordenação é completada por dois nitrogênios heterocíclicos das α,α-diiminas. Os complexos ligam-se à BSA por mecanismo estático com constantes de ligação variando de 10 4 a 10 6 . O efeito dos complexos no crescimento de células de
Mostrar mais

176 Ler mais

Complexos de Ru (II) com ligantes de interesse biológico: síntese, caracterização e citotoxicidade

Complexos de Ru (II) com ligantes de interesse biológico: síntese, caracterização e citotoxicidade

(KEPPLER, 1993), que já finalizou estudos em testes clínicos fase I, iniciando a fase II (BERGAMO et al, 2010). Por outro lado, o grupo do Prof. Enzo Alessio, em Trieste, Itália, tem estudado uma série de compostos de Ru (III) possuindo DMSO como ligante. O composto conhecido por NAMI (acrônimo para New Anti-tumor Metastasis Inhibitor), é ativo contra carcinoma de Lewis de pulmão, melanoma B16 e carcinoma mamário (Mca) e possui um efeito anti- metastático, não apresentado pela cisplatina (BERGAMO et al, 2002; SAVA et al, 1999; SAVA & BERGAMO, 2000). O NAMI-A é derivado do NAMI, pela substituição do Na + por ImH + , sendo que foi o primeiro complexo de rutênio a entrar em testes clínicos. Estes complexos apresentam uma baixa toxicidade, não afetando o crescimento de tumores primários e não exibindo citotoxicidade contra células tumorais in vitro (BERGAMO et al, 2002). NAMI-A é um composto que in vitro apresenta efeitos pró-adesivos que completou a fase I (clinical trial) no Instituto de Câncer da Holanda (RADEMAKER-LAKHAI et al, 2004) e está em fase II de testes clínicos (BERGAMO et al, 2010) . É interessante observar que o NAMI-A não exibe citotoxicidade contra células tumorais in vitro, mas sim in vivo. Na FIGURA 15 mostram-se as estruturas dos complexos previamente mencionados.
Mostrar mais

148 Ler mais

Síntese, caracterização e estudo da liberação fotoquímica de óxido nítrico por nitrosilo complexos de Ru e Fe e pelo composto [cyclam(NO)4]. tes Al Holanda

Síntese, caracterização e estudo da liberação fotoquímica de óxido nítrico por nitrosilo complexos de Ru e Fe e pelo composto [cyclam(NO)4]. tes Al Holanda

ntado alguma ação farmacológica, geralmente esses compostos somente liberam NO fotoquimicamente após irradiação com luz na região do ultravioleta. Considerável esforço tem sido direcionado para síntese de compostos que possam liberar NO após irradiação com luz visível, para posterior utilização em TFD. Sendo assim, passou-se a se estudar sistemas binucleares, pensando na possibilidade de combinar um fragmento que absorvesse luz na região do visível e outro contendo o ligante NO na mesma molécula [64] . O composto [Ru II (NH 3 ) 5 (pz)Ru II (bpy) 2 (H 2 O)] 5+ foi sintetizado e o estudo fotoquímico desse
Mostrar mais

144 Ler mais

Reatividade de complexos do tipo [RuCl2(S-dmso)2(NIII)2 para ROMP de norborneno

Reatividade de complexos do tipo [RuCl2(S-dmso)2(NIII)2 para ROMP de norborneno

moléculas de sulfóxido no complexo citado, confere a este características extremamente importantes para a sua escolha como precursor na obtenção de novos complexos de Ru(II). Uma destas características é a existência de dois pontos lábeis no complexo. O ponto que apresenta maior labilidade neste complexo é o dmso coordenado pelo átomo de oxigênio no eixo axial trans a uma molécula de dmso coordenada pelo enxofre. O íon Ru(II) é mole e não tem afinidade com oxigênio que tem características duras, ocorrendo a rápida dissociação em solução 1 . O segundo ponto de maior labilidade é uma das moléculas de dmso que encontra-se no plano equatorial do complexo, devido a uma competição eletrônica dos orbitais que estão envolvidos na ligação de retrodoação- do Ru(II) S -dmso 1 .
Mostrar mais

108 Ler mais

Síntese de complexos semi-sanduíche n6-p-cimeno- Ru(II) contendo ligantes binitrogenados, interação com o DNA e potenciais atividades farmacológicas / Legna Andreina Colina Vegas

Síntese de complexos semi-sanduíche n6-p-cimeno- Ru(II) contendo ligantes binitrogenados, interação com o DNA e potenciais atividades farmacológicas / Legna Andreina Colina Vegas

Figura 1.1: Diagrama de Bertrand, mostrando os efeitos fisiológicos em função da dose e funções biológicas mais importantes de alguns elementos inorgânicos [3] .......................................................................................................................... 3 Figura 1.2: Exemplo de complexos metálicos com propriedades farmacológicas .............................................................................................................................. .4 Figura 1.3: Representação da mutação celular que da origem ao Câncer ........... 5 Figura 1.4: Distribuição proporcional dos dez tipos de câncer mais incidentes, no Brasil, estimados para 2012, por sexo, exceto pele não melanoma. ................ 6 Figura 1.5: Estrutura química de agentes anticancerígenos de Pt; a esquerda para direita: carboplatina, oxaliplatina e satraplatina ................................................... 7 Figura 1.6: Estrutura química de complexos metálicos pesquisados por seu potencial como agentes anticancerígenos: tetrafenilporfirina de ouro(III), diclorotitanoceno(IV) e maltonato de gálio (III) ................................................... 7 Figura 1.7: Estrutura dos complexos de Ru(III), KP1019 e NAMI-A com propriedades antimetastática ................................................................................. 8 Figura 1.8: Estrutura geral dos complexos Ru(II)-areno do tipo semi-sanduíche, onde X e Y podem ser ligantes monodentados, XY representa um ligante quelato; Z é um grupo lábil. .................................................................................. 9 Figura 1.9: (A) Estrutura cristalina de raios x do complexo catiônico, anticancerígeno, [RuCl(η 6 -bifenil)(en)]PF
Mostrar mais

98 Ler mais

CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DE TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE QUÍMICA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM QUÍMICA Novos Complexos de Ru(II) e Mg(II) com flavonóides: atividade tóxica, sítios ativos e mecanismos de ação

CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DE TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE QUÍMICA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM QUÍMICA Novos Complexos de Ru(II) e Mg(II) com flavonóides: atividade tóxica, sítios ativos e mecanismos de ação

Vários elementos metálicos são essenciais no meio biológico, já que muitos compostos orgânicos utilizados em sistemas biológicos requerem íons metálicos para a ativação ou a biotransformação a fim de alcançar o seu modo de ação. Por exemplo, a hemoglobina, que se liga e proporciona oxigênio para os tecidos do corpo requer um átomo de ferro para a função. Centros metálicos deficientes em elétrons atraem biomoléculas ricas em elétrons, tais como as proteínas ou o DNA, levando os íons metálicos se ligarem e interagirem com alvos biológicos importantes. Assim, podemos afirmar que a presença de íons metálicos nos sistemas naturais motivam os químicos inorgânicos a investigar o potencial uso de compostos de coordenação em aplicações biológicas. 58 Uma abordagem com sucessos notáveis e cresecnte nos últimos anos vem sendo o desenvolvimento de complexos metálicos que incorporam ligantes biologicamente ativos. Tais compostos oferecem a possibilidade de desenvolvimento de moléculas bioativas, cuja atividade frente a um determinado alvo é melhorada pela combinação de uma especificidade do ligante ao interagir com um determinado sítio molecular com as propriedades inerentes ao centro metálico.
Mostrar mais

187 Ler mais

Mar Ru Man Master in I

Mar Ru Man Master in I

 თეზისი შეიქმნა იმისთვის , რომ ხელი შეუწყოს ამდაგვარი დისციპლინის. წარმატებას ,  ცდილობს გაზარდოს მოტივაცია და ავტონომიურობა სტუდენტებს შორის[r]

53 Ler mais

Diversificação Eficiente de Carteiras de Investimento de Longo Prazo: o Estudo de Caso do FEFSS

Diversificação Eficiente de Carteiras de Investimento de Longo Prazo: o Estudo de Caso do FEFSS

Div. Púb. Portuguesa Imobiliário Div. Púb. Euro Div. Corporate Euro Acções Euro BT EUA Div. Púb. EUA Div. Corporate EUA Div. Mortgage EUA Acções EUA BT RU Div. Púb. RU Div. Corporate RU Acções RU BT Japão Div. Púb. Japão Div. Corporate Japão Acções Japão

119 Ler mais

Desenvolvimento de catalisadores sem platina: estudos comparativos da oxidação de metanol em 'PD''RU'/'C' e 'PT''RU'/'C' em meio alcalino

Desenvolvimento de catalisadores sem platina: estudos comparativos da oxidação de metanol em 'PD''RU'/'C' e 'PT''RU'/'C' em meio alcalino

In this work, we present a study of the activity of carbon-supported PdRu catalysts for the methanol oxidation reaction in alkaline medium, as well as the comparison with similar materials based on Pt (PtRu/C). The catalysts were synthesized by a modified poliol method with nominal atomic composition Pd:Ru and Pt: Ru of 1:1. The studies were carried out in a comparative fashion for the as-prepared materials and those thermally treated at 200 ° C and 400 ° C in an argon atmosphere. X-ray diffraction (XDR) showed incorporation of Ru into the Pd lattice, which increased with heat treatment. In contrast, Ru incorporation in Pt network was observed only after treatment at 400 °C. Transmission electronic microscopy showed average particle sizes near 3 nm for Pd and near 2 nm for Pt-based materials. Measurements of X-ray absorption spectroscopy (XAS) showed that for all materials the addition of Ru increases the vacancy of the Pd 4d band or Pt 5d band. Methanol oxidation on PdRu catalysts showed a relation with the Pd 4d band vacancy, at the time that the material with the highest vacancy was the one that showed the largest current density. The infrared spectra showed that, for both Pd and Pt materials, formate and CO 3 2- / CO 2
Mostrar mais

74 Ler mais

A INSTITUTO DE TECNOLOGIA PROGRAMA DE P ´ OS-GRADUAC ¸ ˜ AO EM ENGENHARIA EL ´ ETRICA Dissertac¸˜ao de Mestrado

A INSTITUTO DE TECNOLOGIA PROGRAMA DE P ´ OS-GRADUAC ¸ ˜ AO EM ENGENHARIA EL ´ ETRICA Dissertac¸˜ao de Mestrado

Al´em disso este trabalho propˆos o desenvolvimento de um front-end de digitalizac¸˜ao da linha telefˆonica para medic¸˜ao e posterior modelagem de ru´ıdo impulsivo. Este sistema foi com- posto de um m´odulo anal´ogico e um conversor anal´ogico/digital. O primeiro foi implementado atrav´es de um filtro Butterworth passa-alta de quarta ordem que tinha como principal carac- ter´ıstica alta impedˆancia, de modo a n˜ao interferir na comunicac¸˜ao entre a CO e o modem DSL, e cuja principal func¸˜ao era eliminar as baixas frequˆencias na linha como o nivel DC e o sinal de toque do telefone. O sistema inclui tamb´em uma placa digitalizadora USRP, respons´avel pela convers˜ao anal´ogico/digital e envio dos sinais ao PC atrav´es de uma interface USB, desenvol- vida utilizando componentes SMD, embora n˜ao houvessem equipamentos especializados para isso. Scripts de controle desenvolvidos na linguagem Python gerenciam a coleta de dados e possibilitam a an´alise dos mesmos em softwares de tratamento espec´ıficos como o MATLAB.
Mostrar mais

87 Ler mais

 MSc João Rodrigues

MSc João Rodrigues

Para a introdução de um sistema tarifário do tipo PAYT é necessário em primeiro lugar ter presente uma caracterização dos resíduos urbanos na zona do tarifário. A implementação de um tarifário PAYT pode ser feita em diferentes etapas e uma estratégia possível será começar por um determinado sector. Assim este trabalho focou o sector dos resíduos urbanos biodegradáveis, mais especificamente os gerados na restauração. Os dados anteriores sobre este sector (Machado, et al., 2009) indicam em termos gerais as quantidades produzidas por estabelecimento e massa volúmica aparente, obtida com base numa única medição. Contudo, existe ainda a necessidade de obter dados adicionais e mais concretos sobre a caracterização física dos RU indiferenciados e selectivos produzidos no sector da restauração nomeadamente, quanto à quantidade e tipo de RU produzidos, a relação entre a quantidade de resíduos indiferenciados e selectivos e o número de refeições produzidas diariamente por cada restaurante. Estes dados são essenciais na definição de uma estratégia de implementação do tarifário PAYT especifica para o sector da restauração.
Mostrar mais

142 Ler mais

Tecnologias de Informação e Comunicação Aplicadas aos Sistemas de Recolha de Resíduos Urbanos: Situação Atual e Perspetivas Futuras em Portugal

Tecnologias de Informação e Comunicação Aplicadas aos Sistemas de Recolha de Resíduos Urbanos: Situação Atual e Perspetivas Futuras em Portugal

Para as entidades que ainda não têm TIC, perguntou-se, caso tivessem oportunidade de adquirir algum tipo de equipamento/tecnologia ou programa para melhorar a recolha dos RU, “O que exigiria ao(s) seu(s) fornecedor(es)?” (questão D31). As respostas obtidas para esta questão, à qual responderam 100 entidades (81% do total), apresentam-se na Figura 4.21. Consta-se que para estas entidades as principais exigências seriam o poder testar primeiro o serviço antes de o adquirir (30%), para se assegurarem que será vantajosa ou não a sua implementação para o caso em particular; a garantia dada pelo fornecedor de que o produto resolve ou corresponde ao objetivo pretendido (27%); e uma demonstração do período de retorno do investimento (22%). As restantes categorias de resposta foram selecionadas por um menor número de entidades, designadamente, a inclusão de um caso piloto ou período de teste (13%) e uma análise comparativa entre vários fornecedores deste tipo de equipamentos/tecnologias (8%).
Mostrar mais

132 Ler mais

CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DE TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE QUÍMICA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM QUÍMICA INFLUÊNCIA DO HALETOPSEUDOHALETO NA CATÁLISE DE HIDROGENAÇÃO POR COMPLEXOS DO TIPO CIS- [RU(A)2 (DPPB)(N-N)]

CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DE TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE QUÍMICA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM QUÍMICA INFLUÊNCIA DO HALETOPSEUDOHALETO NA CATÁLISE DE HIDROGENAÇÃO POR COMPLEXOS DO TIPO CIS- [RU(A)2 (DPPB)(N-N)]

resultados mostraram-se dependentes do solvente utilizado no processo. Para subsidiar informações para uma possível sugestão do ciclo mecanístico envolvido no processo catalítico os complexos com pseudo-haletos foram também testados nas mesmas condições. O fato destes compostos não terem apresentado atividades catalíticas são coerentes com a inércia dos pseudo-haletos, quanto à dissociação dos mesmos do Ru(II), visto serem estes bons π receptores, capazes de formarem ligações fortes com o centro metálico, como também mostraram que durante o ciclo catalítico os ligantes bidentados (dppb e N-N) não tem suas ligações quebradas, o que permitiria a criação de um possível centro de coordenação do metal, capaz de ligar-se ao substrato, conduzindo assim a um processo catalítico, o que não foi observado nestes casos. Os resultados dos estudos catalíticos realizados com os complexos cis-[RuCl 2 (dppb)(N-N)] permitiram sugerir que a conversão do substrato
Mostrar mais

98 Ler mais

(Não) São números complexos

(Não) São números complexos

A introdu¸c˜ ao dos N´ umeros Complexos com abordagem hist´ orica manteve- se, mas passou a ser mais formal com o corpo dos n´ umeros complexos. Se- gundo os autores, a constru¸c˜ ao alg´ ebrica dos n´ umeros complexos visa “evi- tar algumas das reticˆ encias evidenciadas geralmente pelos alunos quanto ` a “verdadeira existˆ encia” dos n´ umeros imagin´ arios” [3, p. 22]. Em particular, trata-se de encontrar um n´ umero cujo quadrado ´ e igual a -1.

7 Ler mais

AO-LOCAL DO RU´IDO SPECKLE EM IMAGENS SAR COM MODELAGEM ESTAT´ISTICA DOS COEFICIENTES DA WAVELET DE HAAR E DIST ˆ ANCIAS ESTOC ´ ASTICAS

AO-LOCAL DO RU´IDO SPECKLE EM IMAGENS SAR COM MODELAGEM ESTAT´ISTICA DOS COEFICIENTES DA WAVELET DE HAAR E DIST ˆ ANCIAS ESTOC ´ ASTICAS

importˆancia estudar alternativas para mitigar o ru´ıdo “speckle” (ARGENTI et al., 2013). O filtro “Probabilistic Patch-Based” (PPB) (DELEDALLE; DENIS; TUPIN, 2009) funci- ona com ru´ıdo aditivo e multiplicativo. Al´em disso, ´e poss´ıvel aplicar diferentes medidas de similaridade que substituem a distˆancia Euclidiana do algoritmo NLM como em (TEUBER; LANG, 2012). Na literatura de processamento de imagens, algumas t´ecnicas, por exemplo, transformac¸˜ao homom´orfica (ARSENAULT; APRIL, 1976), tornam os filtros AWGN capazes de filtrar o “speckle”, um ru´ıdo presente n˜ao s´o nas imagens SAR, mas tamb´em em imagens m´edicas de ultrassom, sonares e laser. Com relac¸˜ao `a imagem SAR, SAR-BM3D (PARRILLI et al., 2012) e FANS (COZZOLINO et al., 2013) s˜ao considerados o estado da arte com excelentes resultados (PENNA; MASCARENHAS, 2018).
Mostrar mais

123 Ler mais

Complexos organometálicos de Tc(I)/Re(I) para imagiologia molecular de tecidos neoplásicos

Complexos organometálicos de Tc(I)/Re(I) para imagiologia molecular de tecidos neoplásicos

também apresenta afinidade para a melanina, tendo sido verificado que competia com o complexo na ligação ao pigmento. A ligação dos complexos à melanina apresenta uma cinética muito rápida, observando-se a mesma percentagem de ligação após 1 e 24 h de incubação. Assim, os ensaios in vitro da ligação de Tc2-Tc9 à melanina sintética envolveram a incubação a 37 ºC dos compostos com o pigmento durante 1 h. Ao fim deste tempo e após tratamento adequado, foram retiradas alíquotas do sobrenadante que contém a fracção de complexo que não se liga à melanina. A diferença de actividade entre estas alíquotas e alíquotas de tubos de controlo aos quais foi adicionado cada complexo em estudo, nas mesmas condições experimentais mas sem melanina, permitiu calcular a percentagem que se ligou à melanina, como descrito com mais detalhe na parte experimental. Na tabela 2.7 apresentam-se os valores de percentagem de ligação à melanina determinados para os complexos Tc2-Tc9 e também para os complexos modelo fac-[ 99m Tc(CO)
Mostrar mais

324 Ler mais

Open Sistema Modular para Detecção e  de Disparos de Armas de Fogo

Open Sistema Modular para Detecção e de Disparos de Armas de Fogo

Caso isto se mostre verdadeiro, a baixa sensibilidade do m´etodo SVM pode vir a ser uma vantagem, dando ao sistema uma menor sensibilidade em prol de uma maior precis˜ao, identificando como positivos apenas disparos que possuam caracter´ısticas inconfund´ıveis. Novos estudos que possam contar com uma base sonora mais consistente, gravada sob condi¸c˜oes e parˆametros conhecidos, que n˜ao tenha sofrido compacta¸c˜ao de ´audio MP3 e com taxas de amostragem maiores que 44100, podem permitir uma melhor caracteriza¸c˜ao das frequˆencias pr´oprias de um disparo, identifica¸c˜ao de quais frequˆencias s˜ao absorvidas em fun¸c˜ao da distˆancia, qual a influˆencia do ambiente e da posi¸c˜ao do transdutor em rela¸c˜ao `a fonte face aos resultados de reconhecimento e identifica¸c˜ao filtros mais adequados `a remo¸c˜ao de ru´ıdos, ecos e reverbera¸c˜oes.
Mostrar mais

110 Ler mais

Síntese, caracterização e avaliação da atividade antimicrobiana de complexos derivados de ligantes (N, S, O) ambidentados

Síntese, caracterização e avaliação da atividade antimicrobiana de complexos derivados de ligantes (N, S, O) ambidentados

Os complexos de cobre mostraram maior efeito contra bactérias comparado ao efeito contra fungos, Rosu e colaboradores (2010), publicaram um trabalho com resultados semelhantes no qual complexos de cobre são inativos contra C. albicans, mas apresentam alta atividade contra E. coli e S. aureus. Além do maior efeito bactericida, os complexos de cobre foram mais ativos contra a bactéria E. coli (gram- negativa) do que a bactéria S. aureus (gram-positiva), indicando que a dupla membrana de bactérias gram-negativas pode diminuir a atividade de um fármaco. Trabalhos de complexos de cobre(II) relacionados mostraram o mesmo efeito e sugerem que a eficácia dos complexos de cobre pode estar relacionada a sítios lábeis disponíveis ou grupos funcionais não coordenados (Singh et al., 2009). O maior efeito inibitório dos compostos em relação aos ligantes sugere que, sob complexação, o caráter lipofílico dos ligantes aumenta, favorecendo a ação na membrana lipídica das bactérias e afetando o crescimento e o desenvolvimento dos microrganismos (Onawumi et al., 2011; Yusnita et al., 2009; Lima et al., 2011). A atividade dos complexos mostrou que o tamanho da cadeia carbônica do ligante não interfere na ação contra os patógenos.
Mostrar mais

117 Ler mais

Show all 7118 documents...