Compras de Supermercado Online

Top PDF Compras de Supermercado Online:

A S ATITUDES DO CONSUMIDOR FACE ÀS COMPRAS DE

A S ATITUDES DO CONSUMIDOR FACE ÀS COMPRAS DE

existem sempre, umas maiores que outras, mas encontrar obstáculos ao longo de uma investigação é normal, nomeadamente, quando se está a aperfeiçoar, neste caso, as competências necessárias para se realizar uma investigação que se deseja coerente, consistente e com pertinência científica e social, pois o processo de investigação é complexo. No entanto, é importante referir que uma das limitações deste estudo prendeu- se com a dificuldade em encontrar indivíduos que realizassem as suas compras de supermercado via online, pelo que os resultados obtidos refletem a opinião de pessoas que pouco ou nunca fizeram compras de supermercado online, mas que têm uma opinião/perceção sobre as mesmas. Neste sentido, uma das sugestões a lançar para futuras investigações é a realização de estudos que se foquem nas atitudes dos consumidores face às compras de supermercado online onde participem, exclusivamente, indivíduos que fazem as suas compras de supermercado online, ou que já fizeram (Shoppers). Deste modo, será possível conhecer as necessidades dos reais consumidores que usam este serviço, quais os aspetos que mais valorizam e que contribuem para a sua satisfação enquanto clientes contribuindo para a melhoria da qualidade do serviço e para o aumento da confiança por parte dos Shoppers e consequentemente dos Nonshoppers.
Mostrar mais

56 Ler mais

Um estudo sobre a atratividade da compra online e do serviço drive-hipermercado Jumbo de Portimão

Um estudo sobre a atratividade da compra online e do serviço drive-hipermercado Jumbo de Portimão

Robinson et al. (2007) identificaram alguns motivos que levam os consumidores a fazer compras de supermercado online, bem como a deixar de as fazer. Estes motivos prendem- se essencialmente com variáveis situacionais, tais como a mudança de estilo de vida (e.g., mudança de casa ou de emprego, ser despedido, ter filhos, ter animais de estimação), a mudança de casa para uma zona onde o supermercado habitual não está presente, impossibilidade de sair de casa, e/ou devido à influência da publicidade. Estes autores salientam que as variáveis situacionais foram importantes para os consumidores iniciarem as compras online, mas também para deixarem de as fazer, principalmente quando a situação voltou ao normal. Alguns fatores que levam os consumidores a efetuarem a compra online são: a conveniência, variedade, poupança de tempo (Robinson et al., 2007). Para Ramus e Nielsen, 2005, existem ainda outros motivos, como: a falta de tempo, falta de prazer em fazer compras no supermercado, a loja online estar sempre aberta, a pessoa não ter que sair de casa para comprar, as compras serem mais organizadas, a facilidade para as pessoas incapacitadas ou que não possuem carro, a experiência de compra é mais calma.
Mostrar mais

128 Ler mais

P ROJETO CARATERIZAÇÃO DOS CONSUMIDORES DO COMÉRCIO DE SUPERMERCADO ONLINE ANA LUÍSA FERREIRA MAROTE

P ROJETO CARATERIZAÇÃO DOS CONSUMIDORES DO COMÉRCIO DE SUPERMERCADO ONLINE ANA LUÍSA FERREIRA MAROTE

Dos consumidores portugueses que compram online, a maioria compra vestuário (cerca de 56%) e viagens (Anexo 4.11). Cerca de um quarto dos inquiridos deste grupo indicou que compra livros, bilhetes para espetáculos e cosmética e, por fim, apenas 13% compra produtos de supermercado online. Embora estes resultados sigam um padrão semelhante aos do estudo (Nielsen, 2017), é de referir que neste estudo, “viagens” é a categoria de produtos mais comprada online com 57%, seguindo-se o vestuário e livros/música com 51% e 48% respetivamente. Uma das possíveis razões para esta diferença, pode ser o facto de a amostra ser composta maioritariamente por indivíduos do sexo feminino. Ainda relativamente à compra de produtos online, mais de metade dos consumidores utilizam maioritariamente o computador para fazer compras online, seguindo-se o telemóvel (Anexo 4.12).
Mostrar mais

50 Ler mais

M OTIVAÇÃO PARA A COMPRA ONLINE EM SUPERMERCADOS:E STUDOE

M OTIVAÇÃO PARA A COMPRA ONLINE EM SUPERMERCADOS:E STUDOE

Quanto aos motivos que levam os consumidores a continuarem a comprar produtos de supermercado online, os resultados obtidos neste estudo sugerem que o não ter de carregar as compras, poupança de tempo, comodidade, conforto de não sair de casa, não ter carro, não ter que estacionar o carro, evitar filas de espera, não ter que andar com o carrinho de um lado para o outro, evitar a influência de demonstradoras, poder comparar os preços, poupança de dinheiro através redução de compras supérfluas e não ter de levar as crianças ao supermercado foram os motivos mais apontados, indo de encontro à revisão da literatura. No entanto, motivos como facilidade no processo, poder realizar uma lista de compras atempadamente, evitar compras supérfluas, descontos online e falta de paciência para fazer compras foram entendidas por alguns dos entrevistados como motivos para continuarem a fazer compras de supermercado pela Internet, mas não foram referidos em estudos anteriores.
Mostrar mais

56 Ler mais

Os Golpes de Compras e Como Evitá-los

Os Golpes de Compras e Como Evitá-los

Outro motivo para que os golpes aconteçam é que eles têm permissão para acontecer. Embora eu me refira ao longo deste livro a golpes de com­ pra, em muitos aspectos, eles seriam descritos de melhor forma como golpes de pagamento. Muitas vezes, eles não acontecem por causa da função de compras, mas porque outras pessoas não seguem as orientações que o pessoal de compras estabeleceu. Um exemplo é o pagamento antecipado. Não é boa prática empresarial pagar antecipadamente. Com raras exceções (por exemplo, cursos de treinamento, em que querem ter certeza que você vai retornar), você só deve comprar de empresas confiáveis, preparadas para operar em condições normais de crédito. Se as empresas adotassem a norma da empresa de pagar somente após ter recebido mercadorias ou serviços satisfatórios, nenhuma das fraudes descritas nos capítulos a seguir aconteceria.
Mostrar mais

26 Ler mais

E-commerce com site de conteúdo original sobre maquilhagem e dicas de beleza

E-commerce com site de conteúdo original sobre maquilhagem e dicas de beleza

Apesar disto, as compras online de cosméticos ainda é feita, maioritariamente, no canal offline, (tal como indicado na Tabela 1: “Distribuição Mercado da Maquilhagem em Portugal”) o que pode representar uma ameaça para a marca principalmente a curto prazo. Outro factor que tem um impacto elevado no negócio mas que se manterá constante ao longo do tempo, é as barreiras à entrada de concorrentes serem muito fracas podendo, por isso, surgir mais concorrência neste negócio. Outra ameaça que também apresenta um elevado impacto e cuja tendência será aumentar no decorrer do tempo, é o facto de já muitas marcas próprias terem os seus sites de e- commerce e a forte possibilidade dos que ainda não têm, poderem fazê-lo brevemente. Por último, há uma forte influência de modas na compra de produtos de beleza pelo que é essencial que a oferta do site esteja actualizada e siga as tendências do momento.
Mostrar mais

130 Ler mais

A Escolha do Canal online e Offline nas Compras de Supermercado dos Portugueses.

A Escolha do Canal online e Offline nas Compras de Supermercado dos Portugueses.

49 Conclui-se também que, dados os resultados, as diferenças das médias não foram consideradas relevantes nas variáveis Confiança e Fonte de Informação. Todavia, nestas duas variáveis, existiram diferenças estatisticamente significativas em dois itens de cada uma. Os consumidores offline apresentaram maior média no que respeita à confiança em geral, em relação ao prestador do serviço. Apesar disso, os consumidores do canal online têm níveis de confiança superiores (dada a média mais elevada no item em questão), quando questionados sobre a possibilidade de serem enganados pela loja onde fazem as suas compras de supermercado. A teoria revista ressalva a importância do fator confiança quando se trata de compras online (Benassi, 1999; Gefen, 2000; Mishra et al., 1996). Em relação às fontes de informação, dois itens apresentaram, no canal online, médias superiores de confiança e importância, como recurso pré-compra, face ao canal offline. As fontes de informação Família e Amigos e Blogs Pessoais são as mais valorizadas aquando das compras de supermercado nas plataformas online, indo ao encontro dos resultados apresentados por Gligorijevic (2011) que sugerem as mesmas fontes relativamente à sua importância de consulta antes da realização da compra.
Mostrar mais

73 Ler mais

O PEDAÇO SITIADO: CIDADE, CULTURA E LAZER EM TEMPOS DE GLOBALIZAÇÃO

O PEDAÇO SITIADO: CIDADE, CULTURA E LAZER EM TEMPOS DE GLOBALIZAÇÃO

Da mesma maneira como as leis da dinâmica dos fluidos são invariantes em todo rio do mundo, assim também as leis de circulação do capital não variam de supermercado para supermercado, de[r]

23 Ler mais

VIABILIDADE DE IMPLANTAO DE MARKETING 
    DE RELACIONAMENTO PARA UMA PEQUENA EMPRESA DO RAMO DE VAREJO: SUPERMERCADO

VIABILIDADE DE IMPLANTAO DE MARKETING DE RELACIONAMENTO PARA UMA PEQUENA EMPRESA DO RAMO DE VAREJO: SUPERMERCADO

ENCICLOPÉDIA BIOSFERA, Centro Científico Conhecer - Goiânia, v.10, n.19; p. 2014 549 nomes, dos clientes mais antigos e assíduos, e também onde são registradas as vendas “fiadas”. Mais uma vez se nota a importância de uma maior profissionalização por parte dos gerentes, onde deveria existir um cadastro de cobrança para a venda via boleto, para clientes que efetuassem compras de valor mais elevadas, facilitando o gerenciamento de cobrança e de clientes inadimplentes. Em relação à concorrência, como se observa, ocorre às vezes que por um estabelecimento estar mais próximo da residência do consumidor, este escolhe ir até este estabelecimento e efetuar suas compras, além da concorrência também bastante ser bastante ativa através de estilos de negócios parecidos com supermercado, a saber, mercearias, padarias, açougues e etc., sendo que estes têm muitas promoções específicas referentes a seus produtos.
Mostrar mais

8 Ler mais

Marcas de supermercado.

Marcas de supermercado.

A comercialização de MSs implica uma nova relação entre o varejo e os seus forne- cedores. Em função de uma série de modifi- cações nele ocorridas, o supermercado deixa de caracterizar-se somente como um distri- buidor e assume funções tradicionalmente de- sempenhadas pela indústria, como o desen- volvimento de produtos. Tal fenômeno pode- ria ser examinado em estudos futuros à luz da teoria sobre conflito e cooperação em ca- nais de distribuição ou ainda sobre marketing de relacionamento. Por outro lado, os resul- tados da pesquisa levam a algumas outras in- dagações: como as marcas em geral são ava- liadas pelos consumidores, por suas caracte- rísticas intrínsecas ou extrínsecas? Até que ponto existe, de fato, uma correspondência entre preço e qualidade dos produtos? Em virtude da metodologia adotada, aspectos que se referem às especificidades das MSs foram abordados apenas incidentalmente no presen- te estudo, constituindo, provavelmente, na sua principal limitação. Sugere-se, portanto, que tais aspectos sejam abordados com maior profundidade em futuras pesquisas e espera-se, enfim, que as conclusões apresentadas possam servir de base para a formulação e o teste de hipóteses sobre o tema, de forma a permitir al- guma generalização dos resultados. m
Mostrar mais

12 Ler mais

Lealdade em compras online versus offline: reflexões sobre os fatores relevantes.

Lealdade em compras online versus offline: reflexões sobre os fatores relevantes.

Ainda sobre os fat ores apreciados pelos ent revist ados, verifi cam - se sem elhanças ent r e am bos os canais. Ent r e os aspect os não coincident es, not a- se, para o canal físi- co, um a t endência de se enalt ecer em as vant agens desse m eio, com o a Possibilidade de cont at o com o pr odut o ant es de com prar e o At endim ent o dos vendedor es, com algum as m enções às suas “ lim it ações”, com o hor ár ios de funcionam ent o e localização das loj as, e r efer ências a out r os aspect os m ais r elacionados à t ransação em si ( pos- sibilidade de t r ocas, pr om oções et c.) . Já no canal online, os aspect os r elevant es não coincident es com o canal offl ine são, essencialm ent e, os que supr ir iam a inexist ência de cont at o físico, o que t raz ao consum idor cer t o grau de incer t eza pela r edução de cont r ole sobr e a t ransação: I nfor m ações sobr e pr odut os e r epr esent ação na página, Navegação e desem penho, Possibilidade de saber com o anda o pedido, Prazo de en- t r ega, Segurança da t ransação/ Polít icas de pr ivacidade, Exist ência de elem ent os de segurança que m inim izem os r iscos, Facilidade de com unicação com a loj a, Tradição no m er cado.
Mostrar mais

18 Ler mais

LA GESTIÓN DEL SUPERMERCADO VIRTUAL: TIPIFICACIÓN DEL COMPORTAMIENTO DEL CLIENTE ONLINE

LA GESTIÓN DEL SUPERMERCADO VIRTUAL: TIPIFICACIÓN DEL COMPORTAMIENTO DEL CLIENTE ONLINE

Para finalizar este apartado querríamos destacar las principales limitaciones y posibles líneas de investigación futura a partir de este trabajo. Como principal limitación de este estudio está el hecho de que únicamente se han estudiado las respuestas de los clientes de un supermercado virtual. Esto ha sido así por el grado de colaboración conseguido con la dirección de la cadena de supermercados Plusfresc que nos ha facilitado el trabajo de campo. Sería interesante para futuros trabajos ampliar el campo de estudio a otras cadenas de establecimientos con presencia en Internet que a su vez nos facilitaría un aumento en el número de respuesta que nos aseguraría un grado de validez de los resultados superior. A su vez tenemos previsto, no solo analizar la distribución alimentaria, sino también introducirnos en otros sectores con una fuerte presencia online como puede ser las agencias de viajes, ya que el producto que comercializan acostumbra a estar en las primeras posiciones dentro del volumen de negocios del comercio electrónico en nuestro país.
Mostrar mais

20 Ler mais

A IMPORTÂNCIA DO PONTO DE VENDA NA INFLUÊNCIA DOS CONSUMIDORES DA GERAÇÃO Z NA COMPRA DE PRODUTOS DE TECNOLOGIA

A IMPORTÂNCIA DO PONTO DE VENDA NA INFLUÊNCIA DOS CONSUMIDORES DA GERAÇÃO Z NA COMPRA DE PRODUTOS DE TECNOLOGIA

Como imperativo desta demanda crescente por disponibilidade de produtos e com o advento da economia no Brasil é que surge o modelo de autosserviço, imitando os grandes centros comerciais norte-americanos. Lojas como Sears, Garbo, Colombo e Lojas Tavares começam a influenciar o modo de vida dos brasileiros. Na sequência e ainda acompanhando fortemente o modelo americano de consumo, aniquilado pela Guerra Mundial – cujos imperativos giravam em torno da redução de custo e emprego de mão de obra, o Brasil segue firme na adoção deste modelo de autosserviço que culmina com o surgimento do supermercado. O pós-guerra foi o período mais concreto do desenvolvimento do varejo brasileiro, onde existiu constante crescimento dos negócios do varejo (LAS CASAS, 1992).
Mostrar mais

108 Ler mais

Incentivos não-monetários num supermercado

Incentivos não-monetários num supermercado

No que concerne à primeira categoria da entrevista, a satisfação com as recompensas extrínsecas, verificou-se que a opinião dos colaboradores está dividida, ou seja, metade dos colaboradores considera que não é justo o salário que recebe, que este não está de acordo com os seus esforços e que há discrepâncias salariais, tanto internamente como relativamente a outros supermercados. Por outro lado, há colaboradores que consideram que o seu salário está de acordo com as tarefas que desempenham e com o mercado de trabalho, sendo o seu salário idêntico ao dos seus colegas de trabalho e ao de outros supermercados. Ainda nas recompensas extrínsecas, nomeadamente nos benefícios, sabe- se que, atualmente, estes não existem na empresa e que é do interesse de todos a sua existência. São referidos alguns benefícios que gostariam de auferir, tais como: o apoio em deslocações, apoio nas despesas de supermercado, apoio no material escolar, no caso de quem tem filhos menores, e seguros de saúde. Alguns destes benefícios, nomeadamente, o apoio escolar e o apoio nas despesas de supermercado são já uma realidade noutros supermercados. Quando confrontados com a questão se ponderavam mudar de supermercado caso lhes concedessem benefícios, de uma forma geral, responderam negativamente, sublinhando que os colegas de trabalho, o gosto pelo trabalho que desempenham e a existência de alguma flexibilidade de horário superam esta regalia, sendo preferível a estabilidade ao invés, da mudança pela oportunidade de terem benefícios. Os fatores que poderiam ser preponderantes para esta mudança seriam a localização do outro supermercado e a possibilidade de progressão de carreira.
Mostrar mais

112 Ler mais

Marcas de supermercado

Marcas de supermercado

Schutte e Cook argumentam que os grandes varejistas requerem níveis relativamente altos de qualidade para as MOs, e que a maior parte dos fabricantes fornece produtos, para comercializaç[r]

218 Ler mais

A utilização do conceito de custos de transação na seleção de fornecedores de insumos...

A utilização do conceito de custos de transação na seleção de fornecedores de insumos...

a) O papel estratégico de compras na empresa – as empresas estão reconhecendo o papel estratégico de compras na elaboração das estratégias competitivas da empresa, através da crescente participação e contribuição da Área de Suprimentos. Na empresa pública esta participação está condicionada aos limites impostos pela Lei 8.666. Nas demais empresas esta participação se verifica através da utilização das estratégias de compras como diferencial competitivo de negócios da empresa.. Contratos de fornecimento de longo prazo, “lead times”reduzidos e redução de custos, são adotados como diferenciais competitivos para lançamento de novos produtos e aumento da penetração de mercado.
Mostrar mais

178 Ler mais

Melhoria na gestão de compras em uma indústria do Pólo Industrial de Manaus (PIM)

Melhoria na gestão de compras em uma indústria do Pólo Industrial de Manaus (PIM)

Convidamos o (a) Senhor (a), a para participar do Projeto de Pesquisa “MELHORIA NA GESTÃO DE COMPRAS EM UMA INDÚSTRIA DO PÓLO INDUSTRIAL DE MANAUS (PIM)”, com objetivo, verificar o aprimoramento dos processos de compras de materiais usados na fabricação de Televisores, dentro do setor de Compras, um estudo de caso numa indústria do Pólo Industrial de Manaus (PIM), levantar procedimentos e dados para a realização de um diagnóstico do setor de compras de TV, caracterizar dificuldades e testar os procedimentos na empresa objeto de estudo, relacionar necessidades e realizar procedimentos para registro e correção de falhas neste setor de compras de TV, discriminar recursos disponíveis, estabelecerem metas do setor de compras de TV, propor soluções de melhoria no setor de compras de TV e destacar, de forma clara, os processos analisados no setor de compras, principalmente do setor compras de TV da indústria em estudo, com vista à resolução dos problemas encontrados no setor de compras da indústria no PIM na busca de solução dos problemas encontrados. A pesquisadora Luciene Maria Sena Kapisch, sob a Orientação do Drª, Maria Leonilde Rocha Varela, pede a sua participação na entrevista/questionário, pois a sua colaboração ajudará o pesquisador e a comunidade, permitindo que seja conduzida com clareza a pesquisa, bem como, o conhecimento da realidade local. O (a) Senhor (a) poderá a se recusar a participar, ou retirar seu consentimento em qualquer fase da pesquisa, não havendo quaisquer danos para o mesmo. Sendo que as entrevistas, questionários, registros fotográficos e as observações, serão feitas na empresa no PIM em Manaus Estado do Amazonas e os resultados da pesquisa serão analisados e publicados, "sua identidade não será divulgada, sendo guardada em sigilo". Qualquer dúvida ou solicitação de esclarecimentos, o participante poderá contatar a pesquisadora no telefone +55 92 9494-9740 e e-mail: lucys.kapisch@gmail.com, em Manaus- AM. Estou ciente e informado sobre o que a pesquisadora quer, e porque precisa da minha colaboração, entendi a explicação, e por este motivo, eu concordo em participar do Projeto de pesquisa, sabendo que não vou ganhar nada, e que posso sair quando quiser. Estou recebendo uma cópia deste documento, vai assinado por mim que vou guardar e outra cópia ficando com a pesquisadora responsável.
Mostrar mais

91 Ler mais

Comércio eletrônico: uma análise da qualidade, satisfação e intenções comportamentais dos consumidores de supermercados virtuais de Minas Gerais

Comércio eletrônico: uma análise da qualidade, satisfação e intenções comportamentais dos consumidores de supermercados virtuais de Minas Gerais

Por último, temos os recursos cognitivos dos consumidores, ou seja, sua capacidade de processar informações. Quando se trata do ambiente virtual ,é preciso estar atento a esse elemento, pois a relação do consumidor com o estabelecimento não é tão rica quanto a interação pessoal. Num supermercado virtual, não é possível tocar os produtos (tato), cheirar um desodorante ou xampu (olfato), degustar uma nova marca de café (paladar), enfim, apenas o sentidos da visão e audição podem ser utilizados. Dessa forma, os designers de sites de supermercados virtuais devem estar atentos à capacidade de cognição das pessoas, levando- se em consideração que elas terão três sentidos a menos na orientação de suas decisões de compra. O design terá de ser funcional e inteligível, facilitando a navegação, a compra dos produtos, a solução de dúvidas a respeito de produtos, o conhecimento sobre as promoções etc.
Mostrar mais

139 Ler mais

O desafio de implementar a gestão estratégica de suprimentos no setor público: o caso do estado do Rio de Janeiro

O desafio de implementar a gestão estratégica de suprimentos no setor público: o caso do estado do Rio de Janeiro

Em julho de 2013, o governo do Estado do Rio de Janeiro iniciou um projeto chamado Gestão Estratégica de Suprimentos (GES) com a finalidade de aplicar, com o apoio de uma consultoria contratada, uma metodologia com maior foco no planejamento e no direcionamento estratégico das compras. Inicialmente, foram selecionadas sete categorias de compras: medicamentos, suprimentos hospitalares, serviços de alimentação, locação de computadores, link de comunicação, locação de veículos e serviços de asseio e higiene. Posteriormente, surgiu a necessidade de ampliação do escopo do projeto GES com a inclusão das categorias de locação de equipamentos de refrigeração de ar e materiais de escritório. De acordo com o projeto básico utilizado na contratação da consultoria para a aplicação da metodologia, o objetivo do projeto GES era realizar o diagnóstico, o desenvolvimento e o acompanhamento da implantação de um modelo de gestão estratégica de suprimentos, contemplando:
Mostrar mais

77 Ler mais

LOGÍSTICA DE ARMAZENAMENTO: ESTUDO DE CASO DE UM SUPERMERCADO

LOGÍSTICA DE ARMAZENAMENTO: ESTUDO DE CASO DE UM SUPERMERCADO

Resumo: Este estudo tem por objetivo discorrer sobre o tema logística de armazenamento, analisando os aspectos básicos no desenvolvimento de uma gestão de armazenagem de uma empresa a fim de entender a importância que isso representa em sua cultura corporativa na busca pela excelência e vantagem competitiva. O problema de pesquisa identifica-se na forma da seguinte pergunta: quais melhorias podem ser adotadas para aprimorar o sistema logístico do supermercado analisado? Para o desenvolvimento do trabalho, apresentou-se o estudo de caso de um supermercado de pequeno porte. Foram averiguados, no âmbito da área de gestão de operação, o espaço físico e a movimentação interna da área de estocagem. Sugeriu-se o esboço de um novo layout e estruturas de armazenagem. Esse rol de medidas serve como ponto de partida para proposição de sistemas de gestão de estoque, visando a melhoria do fluxo de produtos, racionalização dos espaços e melhor acondicionamento de produtos. As formas costumeiras de se aplicar as atividades logísticas mostram-se inadequados. Assim, os gestores devem procurar inovar suas atividades de forma continuada e a organização deve reagir com o objetivo de evitar perdas de fatias de mercado.
Mostrar mais

18 Ler mais

Show all 7934 documents...