Concentração de mercado

Top PDF Concentração de mercado:

Efeitos da reforma europeia de auditoria: qualidade, independência e concentração de mercado no contexto português

Efeitos da reforma europeia de auditoria: qualidade, independência e concentração de mercado no contexto português

44 Quanto ao reforço da Independência, analisou-se através dos honorários, as consequências da limitação de serviços de não auditoria prestados aos clientes por parte dos auditores, bem como a limitação dos fees desses serviços por comparação aos fees de auditoria. De acordo com o nosso estudo, foi possível verificar que de 2010 para 2016, os honorários das Auditoras com Outros serviços cobrados aos seus clientes de auditoria sofreram uma diminuição de aproximadamente 50%. Contudo, concluiu-se também que essa diminuição foi maioritariamente justificada pelas diminuições das necessidades dos seus clientes, não podendo ser um resultado atribuído à Reforma. Desta forma, este estudo permite concluir que, apesar das novas limitações à prestação de serviços non-audit aos clientes de auditoria, as SROC portuguesas não apresentaram durante os anos de preparação para a implementação da Reforma preocupações em reduzir o número de serviços de consultoria e tax prestados aos seus clientes. Relativamente à redução da concentração de mercado, a medida posta em marcha de obrigatoriedade de Rotação veio como forma de abrir o mercado para as empresas non-big 4. Em Portugal, e de acordo com a amostra do PSI 20 analisada, a situação encontrada é semelhante à da maioria dos países desenvolvidos, em que os mercados são dominados pelas Big 4.
Mostrar mais

64 Ler mais

Concentração de mercado: uma análise para a oferta de crédito pelo setor bancário brasileiro

Concentração de mercado: uma análise para a oferta de crédito pelo setor bancário brasileiro

O presente artigo propõe-se a avaliar o comportamento da concentração de mercado para a oferta de crédito pelo setor bancário brasileiro. Parte-se de 1995, ano em que se con- solidou o Plano Real até o ano de 2011. Com base em dados secundários, mensurou-se o índice de concentração de Herfindahl-Hirschman (HHI) e as razões de concentração (CR) para os 4, 8 e 18 maiores bancos do Sistema Financeiro Nacional (SFN). As profundas mudanças que ocorreram no setor na última década, destacando-se as mudanças no foco da atividade bancária, o aumento da participação estrangeira e as fusões e aquisições de grande porte, justificam a presente análise. Os resultados indicaram que a concentração é relativamente baixa, apresentado elevação no grau de concentração para a oferta de crédito nos últimos anos.
Mostrar mais

23 Ler mais

Concentração de mercado no Equador : uma análise da intervenção por parte da entidade de regulação superintendência de controlo do poder de mercado, a partir da sua criação

Concentração de mercado no Equador : uma análise da intervenção por parte da entidade de regulação superintendência de controlo do poder de mercado, a partir da sua criação

Uma das operações de concentração negadas acontece na indústria de manufatura entre Swissgas del Ecuador S.A. e a Indura Equador S.A 11 . Ambas empresas dedicadas à produção e distribuição de gases industriais, entre estes, gases para uso médico. O mercado de gases industriais e medicinais, é um mercado com alto grau de concentração. Portanto, a operação de concentração tem o potencial de gerar efeitos anticoncorrenciais adicionais à aqueles que já há, resultando na existência de barreiras à entrada de novas empresas, oferta limitada e preços distorcidos. Portanto, é provável que a operação de concentração adquira poder de mercado suficiente para tomar decisões sobre preços acima do preço de equilíbrio. Por conseguinte, os operadores foram solicitados a documentar as eficiências da concentração de mercado. No entanto, as empresas não apresentaram informações que apoiassem a sua posição. (Superintendencia de Control de Poder de Mercado, 2014, pp. 1-8)
Mostrar mais

59 Ler mais

Concentração de mercado e volatilidade de preços: uma análise de duas agroindústrias utilizando o filtro Hodrick-Prescott

Concentração de mercado e volatilidade de preços: uma análise de duas agroindústrias utilizando o filtro Hodrick-Prescott

A desregulamentação dos preços é fundamental, pois permite que os mecanismos de mercado funcionem livremente, durante esse período o país passava por mudanças estruturais que causariam um impacto no setor do leite. A indústria teve papel importante para essas mudanças, sendo um dos segmentos mais dinâmico e indutor de evolução do complexo, capaz de agregar valor aos produtos. Segundo Carvalho (2001) o cenário macroeconômico vivido pelo Brasil nos momentos pré desregulamentação era muito difícil, pois enfrentava problemas como inflação, surtos de importações de produtos lácteos devido ao câmbio, entre outros problemas. Porém quando essas dificuldades acabaram houve aceleração do consumo interno, aumento de investimento no setor, e ganhos na produção e nos processos logísticos, o que de uma maneira geral trouxe ganhos para o setor.
Mostrar mais

87 Ler mais

CONCENTRAÇÃO DE MERCADO DE MOLDURAS (FRAME) IMPORTADAS PELOS ESTADOS UNIDOS, PERÍODO DE 2005 A 2009.

CONCENTRAÇÃO DE MERCADO DE MOLDURAS (FRAME) IMPORTADAS PELOS ESTADOS UNIDOS, PERÍODO DE 2005 A 2009.

De acordo com Pindyck e Rubinfeld (2005), monopólio é um mercado em que há apenas um vendedor e muitos compradores, condição completamente oposta à concorrência perfeita, em que há muitos vendedores e também muitos compradores. Os autores ainda afirmam que uma condição de monopólio puro é bastante rara, porém existem mercados em que apenas algumas empresas encontram-se concorrendo entre si, essas empresas podem se unir e, assim, cobrar preços mais elevados por seus produtos, obtendo o poder de monopólio.

7 Ler mais

Dinâmica da concentração de mercado na indústria Brasileira, 1996-2003.

Dinâmica da concentração de mercado na indústria Brasileira, 1996-2003.

O paradigma estrutura-conduta-desempenho (ECD) considera a concentração como aspecto central na definição das estruturas de mercado, representando um papel importante na definição do desempenho alocativo dos mercados. Os fatores estruturais são aqueles associados aos aspectos menos mutantes nas indústrias: concentração, barreiras à entrada, diversificação e verticalização das empresas, diferenciação de produto, concorrência internacional. A maior parte desses elementos apresenta interdependência e, de fato, a concentração parece estar relacionada com a maior parte dos fatores. Por exemplo, economias de escala devem definir concentração e barreiras à entrada em simultâneo; barreiras à entrada controlam o número de empresas afetando a concentração; verticalização pode servir como forma de controle de parcelas de mercado, entre outros. Assim, concentração passou, muitas vezes, a ser usada como uma medida objetiva que resume as características estruturais da indústria. Contudo, concentração é apenas uma entre inúmeras características que representam a estrutura de um determinado mercado (Scherer; Ross, 1990; Curry; George, 1983).
Mostrar mais

22 Ler mais

Evolução da estrutura de mercado bancário e de crédito do Brasil no período de 2001...

Evolução da estrutura de mercado bancário e de crédito do Brasil no período de 2001...

Com a implantação do Plano Real em julho de 1994, o setor bancário brasileiro se deparou com o fim das receitas de floating que eram obtidas através de um ambiente inflacionário. Apesar das adaptações operacionais na busca por novas fontes de receitas, a redução no número de bancos no país foi uma das conseqüências mais notáveis, sendo que este processo teve incentivo até mesmo do governo (federal e estadual) através de programas como Proer e Proes. Aliado a isso, as altas taxas de juros cobradas sobre empréstimos, os elevados spreads, os significativos reajustes das tarifas de serviços, o escasso crédito e os altos lucros do setor, fizeram surgir conjecturas sobre o grau de concentração e poder de mercado dos bancos no Brasil. Contudo, a maioria dos estudos sobre a estrutura de mercado do setor bancário no país não indicaram estruturas extremas (oligopólio ou concorrência perfeita), sendo que em vários trabalhos o mercado de crédito se tornou menos concentrado de 1995 até começo da década seguinte, mas não se chegando ao consenso sobre a situação do mercado bancário no país. Além do que, os trabalhos apresentados na revisão bibliográfica utilizaram em sua maioria variáveis como ativo, patrimônio líquido, crédito e depósito para o cálculo do grau de concentração de mercado, sendo que dessa forma os bancos possuiriam o mesmos focos de atuação. A partir disso, o presente trabalho visa atualizar essa temática, tendo como referência o período de 2001 a 2007. Utilizando-se das divisões e subdivisões das contas do Plano Contábil das Instituições do Sistema Financeiro Nacional – Cosif, procurou-se mensurar o grau de concentração e desigualdade das rendas obtidas por cada instituição, agrupadas em contas do mercado bancário e de crédito, através dos Índices Herfindahl-Hirschmann - HHI e T de Theil respectivamente. Adotando essa abordagem, procurou-se considerar que nem todas as instituições financeiras atuam com a mesma intensidade em todos os segmentos de mercado e são concorrentes entre si. Os resultados obtidos por este estudo mostraram que o mercado bancário brasileiro, quando considerado separadamente por contas, apresentou diferentes graus e distintas evoluções de concentração e desigualdade das rendas. Destacando-se o mercado de crédito, que quando subdividido, além de já apresentar-se concentrado no ano de 2001 na grande maioria de suas contas, mostrou crescimento do grau de concentração e de desigualdade no período 2001-2007. Palavras-chave: Estrutura de mercado; Mercado bancário; Mercado de crédito; Índice
Mostrar mais

146 Ler mais

Dinâmica das Exportações de Mel Natural Brasileiro no Período de 2000 a 2011.

Dinâmica das Exportações de Mel Natural Brasileiro no Período de 2000 a 2011.

Este trabalho teve como objetivo descrever a dinâmica das exportações do mel natural brasileiro no período de 2000 a 2011. Para o desenvolvimento deste artigo foi realizado o levantamento bibliográfico sobre as exportações de mel natural utilizando fontes de consulta como: Sebrae, IBGE, sistema Aliceweb, dados do UNcomtrade. Também foi aplicada a metodologia Razão de concentração para definir o grau de concentração; para esse cálculo utilizou-se a participação dos quatro e oito maiores mercados internacionais brasileiros. Os resultados demonstraram que o Brasil saiu de um volume baixo de exportações para chegar no ano de 2011 ocupando o quinto lugar nas exportações mundiais, tendo como principais países de destino, nomeadamente, os Estados Unidos, Alemanha, Reino Unido, Canadá, Espanha e Bélgica. Estados Unidos e Alemanha participaram com mais de 80% do total exportado pelo país no período estudado, evidenciando uma alta concentração de mercado, comprovada pela metodologia aplicada.
Mostrar mais

8 Ler mais

Competição bancária e estabilidade financeira: há trade-off no caso brasileiro?

Competição bancária e estabilidade financeira: há trade-off no caso brasileiro?

A análise sobre hipótese de efeito fixos leva a crer que, para o período analisado, o setor bancário brasileiro não parece seguir a teoria competição-fragilidade. Os coeficientes mostram que, para os riscos ponderados dos ativos, uma maior concentração de mercado, via maior margem operacional, piora a qualidade dos ativos e, consequentemente, a estabilidade financeira. Esses resultados também devem ser considerados pelo tempo e contexto em que se inserem. Uma análise do componente temporal dessas regressões mostra que, embora o coeficiente para a margem operacional seja, no geral, negativo, as dummies temporais têm um coeficiente positivo na maioria dos períodos. Portanto, pode-se dizer que a variação do ambiente econômico interfere nas decisões de riscos das agências bancárias, assim como também interfere a decisão de risco quando considerada a interação entre tempo e aumento da margem operacional.
Mostrar mais

91 Ler mais

Análise de mercado e nível de concentração da indústria de papel tissue no Brasil

Análise de mercado e nível de concentração da indústria de papel tissue no Brasil

O objetivo desse artigo é apresentar uma análise da estrutura do setor, o desempenho e as características do mercado de papel tissue, os principais fabricantes e o grau de concentração desse segmento de mercado no Brasil. Para tanto, o trabalho apoia-se nos aspectos teóricos da organização industrial e de mercados, com aplicação do modelo ECD. O trabalho está dividido da seguinte forma: O item 2 apresenta um panorama do segmento de papéis tissue no Brasil. O tópico 3 apresenta o modelo ECD, seus fundamentos e variáveis consideradas, incluindo os métodos adotados como medidas do nível de concentração de mercado. O item 4 descreve a metodologia utilizada para realização do trabalho, enquanto o tópico 5 mostra os resultados da aplicação do modelo ECD no segmento tissue no Brasil. Por fim, no item 6, são apresentadas as conclusões, com as considerações mais relevantes, seguido das referências utilizadas.
Mostrar mais

24 Ler mais

Gestão estratégica para pequenas empresas em estágio crítico de desenvolvimento : uma proposta de modelo sistematizando as informações e os recursos humanos

Gestão estratégica para pequenas empresas em estágio crítico de desenvolvimento : uma proposta de modelo sistematizando as informações e os recursos humanos

A segunda parte do trabalho compreende o trabalho de “campo” ou pesquisa empírica, nas pequenas empresas estudadas, com uma prévia avaliação dos objetivos estratégicos corporativos e prioridades competitivas, os projetos de Recursos Humanos e Sistemas de Informação, análise externa que compreenda as tendências de mercado, a situação das empresas em relação aos seus principais concorrentes, breve análise interna compreendendo níveis de produtividade, leque de produtos ofertados, flexibilidade, fase do ciclo de vida dos produtos, etc.. O Capítulo 7 apresenta os detalhes dos projetos infraestruturais de RH e SI, que marcaram a transição do primeiro estágio do ciclo de vidas das empresas, para o qual não havia sistematização nessas áreas, para um segundo nível de maturidade. O Capítulo 8 apresenta a proposta de modelo de Gestão Estratégica com integração dessas áreas, já que foi observada a necessidade dessa sistematização para continuidade da aplicação dos passos da Gestão Estratégica. O Capítulo 9 descreve o diagnóstico inicial da Estratégia Empresarial e a análise das prioridades competitivas da produção nas empresas estudadas. O Capítulo 10 abrange as Análises Internas e Externas com análise de concentração de mercado. Essa análise poderia ser realizada a priori do diagnóstico inicial da Estratégia, mas esse diagnóstico inicial serve como contraponto de análise no momento de avaliar as forças e fraquezas, ameaças e oportunidades, pois auxilia no esclarecimento da posição dos gerentes e da Diretoria, e por essa razão foi realizada posteriormente. Por fim, o Capítulo 11 descreve os resultados obtidos nas duas empresas com a aplicação do modelo de Gestão Estratégica, fornecendo um panorama sobre o feedback estratégico para o ciclo de gestão seguinte. Seguem então as conclusões principais desta pesquisa e as oportunidades de continuação dos trabalhos em pesquisas futuras.
Mostrar mais

166 Ler mais

A concentração do mercado siderúrgico: uma análise dos indicadores CR4 e HHI no períiodo 1990-2010

A concentração do mercado siderúrgico: uma análise dos indicadores CR4 e HHI no períiodo 1990-2010

A Figura 2 demonstra determinada queda no percentual de mercado controlado pelas 4 primeiras empresas da amostra. Como já escrito anteriormente, tal fato pode ser explicado pelo surgimento de dois novos importantes grupos siderúrgico: a CORUS e a ThyssenKrupp. Esta empresa ocupava na data em questão a sétima colocação em termos de parcela de mercado. É notável que houve maior concentração de mercado quando se analisam respectivamente 6ª, 7ª e 8ª empresa para o ano de 1997, sendo que a 7ª empresa é exatamente a ThyssenKrupp, fato que comprova a capacidade das F&A em alterar a concentração dos mercados. Dessa maneira, analisando o resultado, não apenas do CR 4 ,
Mostrar mais

15 Ler mais

CONCENTRAÇÃO, RIVALIDADE E IMPACTOS SOBRE O RISCO NO MERCADO BANCÁRIO BRASILEIRO

CONCENTRAÇÃO, RIVALIDADE E IMPACTOS SOBRE O RISCO NO MERCADO BANCÁRIO BRASILEIRO

O artigo de Tabak et al (2012) se propõe a examinar o comportamento competitivo da indústria bancária brasileira conduzindo uma análise individualizada, a fim de entender como o comportamento de risco do banco pode ser afetado pelo seu poder de mercado. Para isso, foi computado o poder de mercado de cada banco, através do cálculo da estatística H de Panzar e Rosse (1987) e essa variável foi incorporada no modelo de risco. Os resultados mostram que a indústria bancária brasileira possui uma heterogeneidade muito grande em termos de poder de mercado dos bancos individualmente e, ainda, é caracterizada pela competição monopolística. Outro resultado importante encontrado foi que o poder de mercado está positivamente relacionado com o comportamento de risco, ou seja, bancos com maior poder de mercado vão assumir mais risco para obter maiores rendas. Entretanto, essa relação está intimamente ligada à quantidade de capital do banco, já que, um aumento de capital nos bancos com maior poder de mercado faz com que eles ajam de maneira mais conservadora. Também encontraram que a crise econômica de 2008 aumentou o poder de mercado dos bancos.
Mostrar mais

142 Ler mais

Mudança estrutural no setor supermercadista brasileiro

Mudança estrutural no setor supermercadista brasileiro

A tendência é que, quanto mais ampla a delimitação do mercado, seja em termos de produtos e, ou, espaço geográfico, menores sejam os valores da CRk e do HHI, mas esta relação não se dá sempre desta forma. Dependendo da extensão geográfica de um país, as empresas decidem se inserir em um ou em vários mercados regionais ou locais (por exemplo, estados, cidades, bairros etc.), podendo ter diferentes rivais, assim como diferentes parcelas em cada “micromercado”. Assim, a maior parcela de mercado de uma empresa em nível regional e, ou, local, pode estar subestimada quando se usam dados nacionais e, no caso contrário, resultados de maior concentração de uma empresa para o agregado nacional, podem estar tanto subestimados quanto superestimados, dependendo do micromercado que esteja sendo analisado. Embora seja importante reconhecer essas limitações, nem sempre é possível se obter dados com o nível de agregação desejável. O que se faz, normalmente, é calcular os índices por meio dos dados que estiverem disponíveis, tomando-se cuidado especial na interpretação dos resultados.
Mostrar mais

109 Ler mais

Concentração de propriedade e a relação com desempenho financeiro e valor de mercado de empresas brasileiras

Concentração de propriedade e a relação com desempenho financeiro e valor de mercado de empresas brasileiras

La Porta et al. (1998) definem as leis comerciais como sendo derivadas de duas grandes vertentes de leis, a lei comum e a lei civil. Sendo a lei comum, originária da Inglaterra, moldada por decisões judiciais. E a lei civil, baseada na lei romana, definida por estudiosos em direito. Segundo os autores, os países cujas leis se originam da lei comum protegem de forma mais eficiente os direitos dos investidores do que os países cujas leis têm origem na lei civil. Ainda segundo os autores, os países que possuem um baixo grau de proteção aos investidores desenvolveram mecanismos alternativos a fim de amenizar e mitigar este problema, sendo o principal mecanismo o processo de concentração de propriedade nas empresas. Uma vez que a lei não pode garantir proteção suficiente aos acionistas, estes passam a ter o incentivo de serem grandes o suficiente de forma que possam influenciar a gestão dos administradores (VALADARES; LEAL, 2000).
Mostrar mais

52 Ler mais

Órgãos Reguladores e Fiscalizadores Conselho Monetário Nacional (CMN) é um órgão exclusivamente normativo com a finalidade

Órgãos Reguladores e Fiscalizadores Conselho Monetário Nacional (CMN) é um órgão exclusivamente normativo com a finalidade

A regra para negociar usando suportes e resistências parece simples: comprar no suporte e vender na resistência. Essa regra sem sofisticação, mas objetiva pode tornar um investidor extremamente bem sucedido se ele conhecer o mercado e tiver uma boa metodologia de operação. Para isso o investidor deve saber que, muitas vezes ocorre o rompimento dos níveis de suporte e resistência, sendo importante contar com estratégias para proteção do capital e também para aproveitar esses acontecimentos. Nesse contexto um ponto relevante é a força do suporte e resistência. Quanto mais vezes o mercado "bater e voltar" na linha, mais forte é a confiabilidade da barreira de preços. O Princípio da Inversão (também chamado de Princípio da Mudança de Polaridade) pode ser aplicado em suportes, resistências e linhas de tendência (tema do próximo capítulo). Como o nome sugere, o princípio está relacionado com a inversão de papéis, ou seja, uma resistência passa a funcionar como suporte e vice-versa.
Mostrar mais

70 Ler mais

EFEITOS DISTRIBUTIVOS DO SALÁRIO MÍNIMO NO MERCADO DE TRABALHO DA REGIÃO NORDESTE.

EFEITOS DISTRIBUTIVOS DO SALÁRIO MÍNIMO NO MERCADO DE TRABALHO DA REGIÃO NORDESTE.

Os valores do fator SM são obtidos a partir da diferença entre o valor do indicador de desigualdade correspondente à função densidade efetiva em 2002 e o valor do indi‑ cador de desigualdade correspondente à função densidade contrafactual do SM e o va‑ lor real de 2012 no ano de 2002. A linha do mercado formal corresponde à diferença entre o valor do indicador de concentração de rendimentos correspondente à função densidade contrafactual do SM e o valor do indicador de desigualdade para a função densidade contrafactual do grau de formalização. Caso o valor dessa diferença seja ne‑ gativo, resulta que o efeito sobreposto das condições de formalização do mercado de trabalho é redistributivo. Já na última linha, atributos, encontram‑se os valores das di‑ ferenças entre o indicador de desigualdade correspondente à função densidade contra‑ factual do grau de formalização e o indicador de concentração dos rendimentos, corres‑ pondente à função densidade contrafactual dos atributos individuais dos trabalhadores. Os valores positivos da coluna dif devem ser interpretados como efeitos descon‑ centradores, enquanto os valores negativos referem‑se a efeitos concentradores dos fatores. Ou seja, caso se verifique que o resultado dessa diferença tenha valor negativo, observa‑se a elevação do SM real quando sobreposta à distribuição de salários de 2002, causando efeito equalizador sobre essa distribuição de rendimentos.
Mostrar mais

27 Ler mais

Da homogeneização da paisagem à reprodução ampliada do capital: uma análise da expansão da cana-de-açúcar no Estado do Mato Grosso do Sul

Da homogeneização da paisagem à reprodução ampliada do capital: uma análise da expansão da cana-de-açúcar no Estado do Mato Grosso do Sul

As configurações que estão se delineando no cenário nacional indicam que nesta década o setor agroindustrial da cana-de-açúcar continuará se consolidando não somente em escala nacional, mas estará atendendo as imposições internacionais como garantia de mercado. Com a realização deste estudo, percebemos que a entrada deste setor vem atingindo outros ramos de atividade que, lentamente, alteram seu curso na ordem da produção, como a plantação da soja e a criação de gado. No entanto, inicialmente, o que se mostra mais em evidencia nesse processo é a renda da terra, ocorrendo assim, muita oferta da mesma para a entrada da plantação da cana-de-açúcar e, pouca terra para arrendamento para a plantação de outros produtos. Verifica-se um poder de pagamento pela renda da terra muito maior pelo capitalista que está buscando plantar cana-de-açúcar.
Mostrar mais

12 Ler mais

Ensaios em economia industrial e comportamental

Ensaios em economia industrial e comportamental

Um dos resultados apontados no presente trabalho é que, quando a rede esta bem desenhada, ou seja, quando não apresenta restrições de capacidade, a firma é indiferente quanto ao modelo con- tratual de cobrança. Uma evidência empírica deste resultado, como apontado na seção anterior, é o fato das operadoras não demonstrarem interesse em ofertar contratos com franquias de consumo nas redes de transmissão baseadas em fibras óticas. Estas redes são adequadas ao atual perfil de consumo demandado pelo mercado, de modo que, como demonstrado neste trabalho, o modelo contratual não deve afetar o payoff das firmas. Em contrapartida, a disposição a implementar este modelo contratual nas redes obsoletas demonstra que restringir o nível de consumo nestas redes coloca as firmas em melhor posição. Apesar da redução do nível de consumo associada a estes contratos prejudicar parte dos usuários, de maneira agregada espera-se que a situação dos consu- midores atendidos por estas redes permaneça a mesma ou melhore com a permissão da oferta de contratos com franquias, uma vez que deve haver redução das tarifas e crescimento do número de usuários. Como a política pública deve ser norteada pelo efeito agregado das suas ações, permitir o uso destes contratos em redes obsoletas parece ser a melhor decisão regulatória a curto-prazo. Evidentemente, esta é uma decisão paliativa ao problema de restrição de capacidade, que deve ser corrigido com a promoção de investimentos nas redes de transmissão e indução de competição no setor, de modo que a pressão por melhorias na qualidade do serviço e elevação da capacidade de oferta cresçam.
Mostrar mais

117 Ler mais

O Papel da Agricultura nas Relações Internacionais e a Construção do Conceito de Agronegócio.

O Papel da Agricultura nas Relações Internacionais e a Construção do Conceito de Agronegócio.

Na década de 1970, a indústria de fertilizantes estava entre as quatro maiores do mundo, atrás somente dos setores de petróleo, aço e ci- mento. Segundo declaração do economista-chefe da Agência do De- partamento de Estado dos EUA para o Desenvolvimento Internacio- nal, John W. Mellor, “no geral, a Revolução Verde é principalmente um esquema de fertilizantes” (PERELMAN, 1979, p. 169-171). Da- dos do Banco Mundial na época mostram que pelo menos metade da exportação de fertilizantes dos Estados Unidos era subsidiada pelo governo. Tal política se tornou essencial para a manutenção do con- trole sobre o mercado mundial de grãos e para garantir a dependência de outros países através de programas de “ajuda alimentar”. Assim como em outros setores do agronegócio, as empresas produ- toras de sementes passaram por processos de fusões e aquisições nos anos 1970, quando o mercado mundial veio a ser controlado princi- palmente por transnacionais petroquímicas e farmacêuticas como Monsanto, Pfizer, Shell e ARCO. Desta forma, as sementes adqui- rem um duplo papel, como meios de produção e como mercadorias, já que podem ser comparadas ao “mito da Fênix” porque reaparecem das cinzas no processo produtivo em que são consumidas. Por essa razão, a produção de sementes híbridas, que não possuem a caracte- rística de reprodução natural, constitui-se como fator determinante no sentido de “abrir novas fronteiras para a acumulação do capital”, inclusive através de mecanismos jurídicos de propriedade intelectual (KLOPPENBURG, 1988, p. 10-11).
Mostrar mais

28 Ler mais

Show all 10000 documents...

temas relacionados