Condicionamento - adaptação

Top PDF Condicionamento - adaptação:

Estudo e atendimento a pacientes especiais com proposta diferenciada de adaptação e condicionamento em consultório odontológico

Estudo e atendimento a pacientes especiais com proposta diferenciada de adaptação e condicionamento em consultório odontológico

Os dados dos atendimentos odontológicos foram coletados a partir das agendas, prontuários e fichas clinicas, e complementados pelos registros da Assistente Social, a fim de obter o perfil sócio- econômico, perfil de diagnostico, procedimentos clínicos realizados e números das adaptações. Com isto, além de investigar os estímulos e condicionamento dos pacientes, torna-se possível auxiliar a avaliação de risco social das famílias e obter prognóstico referente a ações complementares para os casos mais difíceis. O ambiente odontológico é muito rico em estímulos físicos e mecânicos, como por exemplo, a água e ar da seringa tríplice, luzes dos refletores e do fotopolimerizador, motores de alta e baixa rotação, instrumentais, entre outros. O condicionamento permite um atendimento livre de contenções, sedações e anestesia geral. Contudo a adaptação dos pacientes a este se faz necessária, requer um número maior de consultas, além da necessidade de utilizar recursos lúdicos, linguagem alternativa, PECS (Picture Exchange Cards System - Sistema de Comunicação por Troca de Figuras) e uma readaptação do ambiente odontológico para o atendimento.
Mostrar mais

7 Ler mais

A arte como recurso de adaptação e condicionamento para pacientes portadores de necessidades especiais na odontologia

A arte como recurso de adaptação e condicionamento para pacientes portadores de necessidades especiais na odontologia

A implantação e o desenvolvimento de projetos e trabalhos que utilizam e analisam a arte de maneira global, com ou sem finalidade terapêutica, em instituições e/ou órgãos pertencentes às diversas áreas da saúde pública ou privada, como este trabalho desenvolvido no Centrinho da UNESP, permitem explorar e ampliar os horizontes da atuação profissional odontológica e abordar o tema artístico, como um recurso efetivo na motivação, adaptação e condicionamento da população assistida, tal qual os trabalhos descritos por Bustillo 8 ; Costa 12 , Santos Miele 33 , Silva 35 e Zuanon 40,41 .
Mostrar mais

98 Ler mais

Desenvolvimento de ferramenta áudio-visual para condicionamento de comportamento...

Desenvolvimento de ferramenta áudio-visual para condicionamento de comportamento...

Os programas de preparação psicológica que antecedem de imediato a execução de procedimentos médicos invasivos são largamente pesquisados e envolvem grande variedade de métodos dentre os quais três modalidades são destacadas em função dos objetivos: (a) fornecimento de informações orais e ou escritas, familiarizando o paciente com a situação a ser enfrentada; (b) distração por meio de jogos, brincadeiras e atividades afins com o procedimento médico a ser realizado desviando a atenção do paciente; (c) simulação da situação real usando jogos, recursos áudiovisuais como vídeo, slides, áudio em conjunto com painéis e representação de papéis, facilitando assim a adaptação do comportamento da criança à situação.(CAVENDER, GOFF, HOLLON & GUZZEDDA, 2004).
Mostrar mais

57 Ler mais

Condicionamento térmico e irradiação de ameixas ‘Gulfblaze’ frigorificadas

Condicionamento térmico e irradiação de ameixas ‘Gulfblaze’ frigorificadas

Segundo Barbosa (2006), dentre as cultivares de ameixeira, introduzidas e plantadas atualmente no Estado de São Paulo, destacam-se a ‘Reubennel’ e a ‘Harry Pickestone’, sendo as mais cultivadas na década passada. Como apresentaram excelente adaptação ao clima paulista, tais cultivares alcançaram estrondoso sucesso em toda a cadeia produtiva frutícola. Nos moldes das décadas de 60 e 70, em continuidade ao projeto de melhoramento e obtenção de novas cultivares de frutas de caroço, o IAC introduziu outra série de ameixas, que foram incorporadas ao Banco Ativo de Germoplasma (BAG) e pesquisadas quanto às potencialidades genéticas e culturais. Dessas introduções, destacou-se pela precocidade de maturação e tipo de fruto a ameixa Fla 87-7, conhecida como ‘Gulfblaze’.
Mostrar mais

83 Ler mais

Condicionamento osmótico de sementes de beterraba.

Condicionamento osmótico de sementes de beterraba.

RESUMO - O estabelecimento rápido e uniforme de plântulas no campo é pré-requisito fundamental para se alcançar bom estande e garantir produtividade e qualidade do produto colhido, notadamente no caso de espécies olerícolas. Várias técnicas têm sido desenvolvidas visando o aumento da velocidade e uniformidade da germinação e emergência das plântulas, sendo o condicionamento osmótico das sementes uma das mais promissoras. O objetivo do presente trabalho foi avaliar a possibilidade de ganhos na velocidade de germinação e emergência de plântulas de beterraba em resposta ao condicionamento osmótico das sementes. Três lotes de sementes de beterraba foram submetidos a sete condições de condicionamento: pré-hidratação em água destilada por zero (controle), 16 e 24h; pré-hidratação em solução de PEG 6000 por 24, 48 e 72h e pré-hidratação em solução de MgSO 4 por 24h. Avaliaram-se a germinação aos oito e quatorze dias a 15°C e a 20°C, o índice de velocidade de germinação e emergência, o tempo médio de germinação e a emergência de plântulas em casa de vegetação. Embora o condicionamento osmótico de sementes de beterraba de média e alta qualidade fisiológica tenha proporcionado benefícios ao desempenho das sementes relativamente à velocidade de germinação e de emergência das plântulas em casa de vegetação, a técnica necessita aprimoramento para a espécie, dada à necessidade de adaptação da metodologia de condicionamento aos diferentes lotes produzidos pela indústria de sementes.
Mostrar mais

9 Ler mais

Modelo videolaparoscópico de condicionamento isquêmico do estômago em ratos.

Modelo videolaparoscópico de condicionamento isquêmico do estômago em ratos.

Foram utilizados 23 ratos machos (Rattus norvegicus albinus) da linhagem EPM-1 Wistar, com peso médio de 358 gramas, idade entre quatro e cinco meses, provenientes do Centro de Desenvolvimento de Modelos Experimentais para a Medicina e Biologia da UNIFESP-EPM. Os animais foram mantidos no Biotério Setorial da Disciplina de Técnica Operatória e Cirurgia Experimental da UNIFESP-EPM, por um período de sete dias para adaptação, recebendo água e ração apropriada, à vontade. No pré-operatório, os animais foram submetidos a jejum para alimentos sólidos por 12 horas, recebendo água à vontade.
Mostrar mais

6 Ler mais

Reabilitação e condicionamento físico após transplante cardíaco.

Reabilitação e condicionamento físico após transplante cardíaco.

Na experiência do Instituto do Coração (InCor), o progra- ma supervisionado de condicionamento físico pós-transplan- te cardíaco em adultos e crianças, pós-período de adaptação, englobava exercícios de alongamento, mobilidade articular, de resistência, exercícios aeróbios e de relaxamento. A dura- ção do programa foi de 64 semanas, com sessões de 60 minu- tos três vezes por semana. A intensidade da atividade aeróbia foi prescrita entre o limiar anaeróbio e o ponto de compensa- ção respiratório obtidos no teste ergoespirométrico. O aumento de intensidade durante o programa foi feito de forma progres- siva, levando-se em conta a freqüência cardíaca, pressão arte- rial, escala de Borg e os episódios de rejeição. A sessão foi dividida em cinco minutos de aquecimento, com exercícios gerais e de alongamento, 30 minutos de exercício aeróbio, bicicleta estacionária ou caminhada/corrida em sessões alter- nadas, cinco minutos de recuperação ativa, 15 minutos de exer-
Mostrar mais

3 Ler mais

Condicionamento fisiológico e vigor de sementes de maxixe.

Condicionamento fisiológico e vigor de sementes de maxixe.

Os tratamentos utilizados interferiram signiicativamente na massa seca de plântulas da cultivar Nordestino. O hidrocondicionamento teve efeito positivo no acúmulo de massa seca das plântulas, a testemunha apresentou menores médias. Já na cultivar Do Norte, o hidrocondicionamento também favoreceu o acúmulo de massa seca de plântulas, porém o hidrocondicionamento seguido de secagem não diferiu estatisticamente da testemunha (Tabela 2). O fato de sementes condicionadas apresentarem plântulas com maior acúmulo de matéria seca pode ser devido aos processos metabólicos que ocorrem durante o condicionamento em níveis que não permitem, para a maioria das espécies, o início da divisão e expansão celular, mas que induzem uma prolongada capacidade de síntese de proteínas o que proporciona um balanço metabólico mais favorável, gerando incrementos não na germinação, mas também no crescimento das plântulas e no acúmulo de biomassa (Trigo et al., 1999). De acordo com Nery et al. (2005), plântulas que apresentam menor teor de matéria seca apresentam-se como menos vigorosas sendo, portanto, menos tolerante ou resistente às condições adversas do campo.
Mostrar mais

8 Ler mais

Soluções de condicionamento em pós-colheita de inflorescências de antúrio.

Soluções de condicionamento em pós-colheita de inflorescências de antúrio.

to foi realizado por meio da imersão das inflorescências em 0,5 L de solução, por 24 horas, e posteriormente, sua manutenção em igual volume de água destilada, renovada a cada quatro dias. A cada renovação da água, avaliaram-se a massa da matéria fresca, a durabilidade comercial e a longevidade total, segundo o critério de notas. Os resultados foram submetidos à análise de variância e ao teste F, e, quando significativos, as médias foram comparadas pelo teste de Tukey (p<0,05). Com os dados obtidos, conclui-se que não houve diferenças entre as soluções de condicionamento para os diferentes cultivares, sendo que o ‘IAC Juréia’ apresentou maior durabilidade comercial (21 dias) e longevidade total (48 dias), independentemente da solução de condicionamento.
Mostrar mais

7 Ler mais

CONDICIONAMENTO ESTRUTURAL DO RELEVO NO NORDESTE SETENTRIONAL BRASILEIRO.

CONDICIONAMENTO ESTRUTURAL DO RELEVO NO NORDESTE SETENTRIONAL BRASILEIRO.

O presente trabalho fará uma análise acerca do condicionamento morfoestrutural do relevo no Nordeste setentrional brasileiro com ênfase no papel exercido pelas estruturas de deformação rúpteis e dúcteis do embasamento cristalino pré-cambriano. Para tanto, o enfoque analítico proposto abordará a relação entre estruturas tectônicas e relevo e como os processos de denudação continental tem evidenciado essas estruturas por meio da erosão diferencial e tectônica. Nesse aspecto, a exumação em zonas de deformação de direção NE-SW e E-W origina trends de lineamentos que confinam os canais de drenagem orientando a dissecação e por vezes a agradação fluvial. Isso resulta em sequencias de cristas e vales que confinam os canais de escoamento, passando esses a serem indicadores dos planos de deformação. Esse contexto estende-se para os ambientes sedimentares na forma de controle sobre a dissecação que passa a ocorrer orientada segundo os planos de falhas, formando vales encaixados que constituem a expressão geomorfológica da reativação frágil de zonas de cisalhamento transcorrentes nas unidades paleozoicas, mesozoicas e cenozoicas.
Mostrar mais

15 Ler mais

Pré-condicionamento em sementes de Cassia excelsa Schrad.

Pré-condicionamento em sementes de Cassia excelsa Schrad.

O presente trabalho teve por objetivo avaliar os efeitos do potencial osmótico sobre a curva de absorção de água de sementes de Cassia excelsa e, a partir desta, o melhor tempo de embebição, para então, verificar o efeito do condicionamento osmótico seguido de secagem e armazenamento sobre o seu desempenho germinativo. No primeiro, as sementes foram submetidas a embebição em água destilada e em soluções osmóticas com PEG 6000 a -0,2; -0,4 e -0,6 MPa, a 20º C, avaliando-se a emergência da radícula e o grau de umidade das sementes a cada 6 horas, até um total de 240 horas. Para o condicionamento as sementes foram colocadas para embeber em água destilada e em soluções de PEG a -0,2; -0,4; -0,6 MPa por 48, 72, 96 e 168 horas a 20º C, posteriormente foram submetidas ou não à secagem até atingirem o peso inicial anterior à embebição, seguidos ou não por armazenamento a 5º C por 15 dias. A análise dos resultados obtidos permitiu concluir que a redução do potencial osmótico aumenta o tempo necessário para o condicionamento osmótico. As sementes de Cassia excelsa respondem positivamente ao condicionamento quando for utilizada água
Mostrar mais

94 Ler mais

Efeitos do condicionamento na qualidade de pêssegos Maciel.

Efeitos do condicionamento na qualidade de pêssegos Maciel.

A ocorrência de podridões foi baixa considerando que a produção de pêssegos das principais regiões produtoras do Estado do Rio Grande do Sul ocorre em condições de alta pluviosidade favorecendo o surgimento e estabelecimento da podridão parda (Monilinia fructicola) tanto em pré-colheita como em pós-colheita. No entanto, não foram determinadas diferenças significativas entre os tratamentos. Nos pêssegos colhidos no estádio de vez foi determinada uma ocorrência de 2,7% nos pêssegos que receberam tratamento de condicionamento e 3,2% nos pêssegos não-condicionados. Os pêssegos do estádio maduro condicionados apresentaram uma ocorrência de podridões de 9,1%, comparado aos 6,4% dos pêssegos maduros sem o tratamento.
Mostrar mais

7 Ler mais

Efeitos do condicionamento físico sobre pacientes com fibromialgia.

Efeitos do condicionamento físico sobre pacientes com fibromialgia.

Introdução: Fibromialgia é uma síndrome crônica, caracteriza- da por dor músculo-esquelética generalizada. A possibilidade de atenuação dos sintomas com a atividade física abriu novas pers- pectivas para o tratamento desta doença. Objetivo: Avaliar o efei- to de um programa de condicionamento físico sobre a capacidade funcional, dor e qualidade de vida de pacientes com fibromialgia. M étodos: Adotado o desenho de coorte para avaliar 18 mulheres, média de 46,4 ± 5,8 anos de idade, com a síndrome em média de 10,6 ± 5,7 anos, submetidas a um ano de condicionamento físico supervisionado, predominantemente aeróbio. No início do estudo e trimestralmente foram realizados: teste de esforço cardiopul- monar para determinação da capacidade funcional; avaliação da intensidade de dor empregando a escala analógica visual; conta- gem dos pontos dolorosos e determinação do limiar de dor à pres- são com o uso do algômetro de pressão; aplicação do questioná- rio de qualidade de vida M edical Outcomes Study 36-Item Short-Form Health Survey (SF-36) traduzido e adaptado para a po- pulação brasileira. Resultados: A capacidade funcional melhorou a partir do terceiro mês (p < 0,05), o limiar de dor aumentou a partir do sexto mês (p < 0,05), houve diminuição da dor pós-esfor- ço (p < 0,05) e do número de pontos sensíveis (p < 0,05) no nono mês. A intensidade de dor diminuiu no 12º mês (p < 0,05). Com exceção do item “ estado geral de saúde” (p > 0,05), os demais domínios do questionário de qualidade de vida melhoraram em diferentes períodos do estudo (p < 0,05). Conclusão: As pacien- tes com fibromialgia submetidas ao programa de condicionamen- to físico supervisionado apresentaram melhora da capacidade fun- cional, da dor e da qualidade de vida.
Mostrar mais

5 Ler mais

Modelo videolaparoscópico de condicionamento isquêmico do estômago em ratos

Modelo videolaparoscópico de condicionamento isquêmico do estômago em ratos

OBJETIVO: Avaliar a exeqüibilidade do condicionamento isquêmico por videolaparoscopia e o seu efeito funcional, na parede gástrica de ratos. Métodos: Vinte ratos machos, EPM-1 Wistar foram submetidos a desvascularização gástrica proximal, por videolaparoscopia, com pressão intra-abdominal de pneumoperitônio de 4mmHg através da colocação de três trocartes na parede abdominal. Os animais foram distribuídos em dois grupos de 10 animais cada de acordo com a data de sacrifício, ou seja, 7 (G7) e 14 (G14) dias para avaliação da perfusão da parede gástrica com fluxometria por laser-Doppler antes da desvascularização, 10 minutos após e 7 ou 14 dias de acordo com o grupo a que pertenciam.
Mostrar mais

6 Ler mais

Qualidade fisiológica de sementes de beterraba (Beta vulgaris L.) sob condicionamento osmótico e tratamentos fungicidas.

Qualidade fisiológica de sementes de beterraba (Beta vulgaris L.) sob condicionamento osmótico e tratamentos fungicidas.

O condicionamento osmótico e o tratamento com fungicidas em sementes de beterraba, especialmente com o fungicida metalaxil, foram determinantes para o estabelecimento das plantas em condições de solo, incrementando o índice de velocidade de emergência em solo e reduzindo o percentual de plântulas tombadas no décimo quarto dia (Tabela 3). De acordo Nascimento (2005), um rápido estabelecimento da cultura em campo pode reduzir os prejuízos ocasionados pela ação de microrganismos, especialmente de fungos dos gêneros Pythium, Phytophthora, Rhizoctonia e Fusarium. Conforme Osburn e Schroth (1989) e Rush (1991), para beterraba, sementes condicionadas vem sendo utilizadas como técnica para minimizar o efeito desses microrganismos, reduzindo assim a incidência de damping off.
Mostrar mais

7 Ler mais

Efeitos do condicionamento ácido na descontaminação da superfície radicular e no...

Efeitos do condicionamento ácido na descontaminação da superfície radicular e no...

sensibilidade radicular segundo escala de dor variável de 0 (ausente) a 10 (máximo de dor) no exame inicial, aos 7 e 14 dias, 1, 3, 6 e 12 meses pós-operatórios. O grupo controle apresentou os maiores índices de rugosidade superficial (2,0 ± 1,02) e remoção da smear layer (3,83 ± 1,19), enquanto que o grupo EDTA180 apresentou os menores índices de cálculo residual (1,33 ± 0,63), IPSD (1,0 ± 0,0), IPRT (1,08 ± 0,28) e IRSL (1,08 ± 0,28). Não houve diferença estatisticamente significante (p> 0.05) entre os grupos EDTA180, EDTA 90, AC90, AC180, ACT90 e ACT180 em todos os índices investigados. No estudo clínico, observou-se ganho significante (p< 0.0001) de inserção clínica, redução da altura da recessão e aumento da faixa de gengiva ceratinizada em todos os grupos, sem alteração significante da profundidade de sondagem (p> 0.05). O percentual médio de recobrimento radicular foi maior no G180 (59,58% ± 34,76%), porém sem diferenças significantes (p= 0.31) em relação aos grupos G90 (52,12% ± 30,98%) e G0 (40,87% ± 36,96%). Houve maior redução média da recessão no G90 (1,95 ± 1,27) do que no grupo controle (0,95 ± 1,05), porém sem diferenças significantes (p> 0.05) em relação ao G180 (1,20 ± 0,69). Observou-se maior quantidade de GC nos grupos G90 (3,50 ± 1,90) e G180 (4,05 ± 0,44) após 12 meses, com diferenças estatisticamente significantes (p=0.0018) em relação ao G0 (2,0 ± 1,41). Houve redução significante da sensibilidade radicular em todos os grupos (p< 0.0001), sem diferenças entre os grupos (p> 0.05). Esses achados sugerem que o uso de condicionamento da superfície radicular favorece o aumento da faixa de gengiva ceratinizada e a redução da recessão, com diminuição da sensibilidade radicular. Dentre os diferentes tipos de agentes condicionantes investigados, os melhores resultados foram observados com EDTA a 24%, AC pH 1,0 e ACT, podendo ser empregados pelos períodos de 90 segundos ou 3 minutos.
Mostrar mais

182 Ler mais

Pré-condicionamento das sementes de mamoneira para o teste de tetrazólio.

Pré-condicionamento das sementes de mamoneira para o teste de tetrazólio.

RESUMO. O objetivo do trabalho foi padronizar a metodologia de pré-condicionamento das sementes de mamoneira (Ricinus communis L.) para a avaliação do potencial fisiológico pelo teste de tetrazólio. Testaram-se os seguintes métodos de pré-condicionamento: sementes com tegumento entre papel umedecido a 30, 35 e 40ºC por 6, 8, 10, 12, 14, 16 e 18h; sementes sem tegumento entre papel umedecido e sementes com tegumento imersas em água a 25, 30, 35 e 40º C por 1, 2, 3, 4, 5 e 6h. Após o pré-condicionamento, removeu-se o tegumento das sementes, que foram cortadas no sentido do comprimento e imersas na solução de tetrazólio a 0,2%, por 120 min., a 35ºC. Avaliaram-se a porcentagem de germinação das sementes, o teor de água, antes e após a embebição, e a uniformidade na coloração das sementes após o teste de tetrazólio. O delineamento experimental foi inteiramente casualizado, e a comparação de médias realizada pelo teste de Tukey a 5% de probabilidade. Concluiu-se que o pré-condicionamento para o teste de tetrazólio deve ser realizado nas sementes de mamoneira com tegumento, entre papel toalha umedecido, a 35ºC por 12h para que os resultados desse teste assemelhem-se aos obtidos no teste de germinação.
Mostrar mais

9 Ler mais

Novos Eco-Adsorventes para o Pré- Condicionamento do Biogás

Novos Eco-Adsorventes para o Pré- Condicionamento do Biogás

O objetivo principal desta dissertação foi o de se avaliar o potencial de utilização de dois resíduos/subprodutos de biomassa, de origem renovável, com importância nacion[r]

92 Ler mais

Avaliação da vulnerabilidade da biodiversidade terrestre às alterações climáticas e proposta de medidas de adaptação para o Arquipélago da Madeira

Avaliação da vulnerabilidade da biodiversidade terrestre às alterações climáticas e proposta de medidas de adaptação para o Arquipélago da Madeira

Húmidas, a Convenção sobre a Vida Selvagem e os Habitats Naturais na Europa, o Plano de Ação da União Europeia “Até 2010 — e mais além” e mais recentemente, a Estratégia Nacional de Conservação da Natureza e da Biodiversidade da União Europeia para 2020. Porém, ao nível do contexto político na União Europeia os principais instrumentos de conservação da biodiversidade a longo prazo são as Diretivas Aves e Habitats da Rede Natura 2000, que não consideram a adaptação às alterações climáticas, o que seria imperativo para uma melhor eficácia em termos de conservação (Trouwborst, 2014). Neste contexto várias recomendações e diretrizes foram feitas para inclusão da adaptação às alterações climáticas nos instrumentos de conservação da natureza (e.g., aplicação da lei de requisitos de conectividade e implementação de planos de gestão adaptativa para cada Zona Especial de Conservação (SAC) da Rede Natura 2000 (European Commission, 2009).
Mostrar mais

125 Ler mais

Controle da hidratação para o condicionamento osmótico de sementes de aspargo.

Controle da hidratação para o condicionamento osmótico de sementes de aspargo.

Já com o uso de PEG a –1,2MPa e água do mar, é possível indicar períodos de condicionamento de até 672 horas (28 dias), sem que ocorra emissão da raiz primária em sementes de aspargo, o que é importante de se considerar quando se extrapola a prática de condicionamento à empresa de sementes. Se o período de condicionamento ideal permitisse emissão da raiz primária em parte das sementes, isso já representaria uma porcentagem de perda, uma vez que após a protrusão da raiz primária a semente não poderia mais ser submetida à secagem (Akers & Holley, 1986).
Mostrar mais

7 Ler mais

Show all 2909 documents...