Copa do Mundo de 2014

Top PDF Copa do Mundo de 2014:

A copa do mundo é nossa: uma análise da marca da copa de 2014

A copa do mundo é nossa: uma análise da marca da copa de 2014

Outra análise, que exprime novamente a opinião de brasileiros sobre a marca da Copa, foi feita no website Guia sobre Design. O blogueiro Reinaldo Azevedo faz a seguinte análise sobre a logo: “Símbolo põe as mãos na taça antes da hora: simplista e prepotente: O símbolo da Copa do Mundo de 2014 é ruim. No seu simplismo, reproduz nacionalismo arrogante. Três mãos, duas verdes e uma amarela, compõem e agarram, a um só tempo, a cobiçada taça. Ora, ela fica, temporariamente, com quem ganha à competição. Na condição de anfitrião, não cabe ao Brasil botar, literalmente, as mãos na taça antes da hora. Em vez de o desenho abrir as portas do país para os visitantes, fecha-se em si mesmo, como um caracol, e anuncia: “A taça já é nossa”. Como predominam o verde e o amarelo, fica evidente que a ideia era usar as cores pátrias. Então o que faz aquele “2014” em vermelho? Desde quando essa é uma cor nacional? Pode até ser a de um partido; do Brasil, não é. O que se fez do azul que está em nossos hinos?”.
Mostrar mais

76 Ler mais

Uma infraestrutura de dados espaciais sensível ao contexto para a copa do mundo de 2014.

Uma infraestrutura de dados espaciais sensível ao contexto para a copa do mundo de 2014.

No dia 20 de outubro de 2007 o Brasil foi escolhido pela FIFA para sediar a Copa do Mundo de 2014 (PORTAL DA COPA, 2012). De lá para cá o governo brasileiro, em parceria com a iniciativa privada, tem criado planos e estratégias para atender e dar suporte aos milhões de turistas e profissionais, brasileiros e estrangeiros. A lista de itens desta infraestrutura não é pequena. Ela inclui a construção e modernização de estádios de futebol, meios de transporte, segurança pública, acomodação, alimentação, tecnologias de informação e comunicação dentre outros. Os investimentos previstos com esta infraestrutura estão girando em torno de US$ 14,8 bilhões com a previsão de uma injeção de US$ 71,19 bilhões na economia brasileira entre os anos de 2010 e 2014, de acordo com a pesquisa da Ernst & Young em parceria com a Fundação Getúlio Vargas (PORTAL DA COPA, 2010).
Mostrar mais

75 Ler mais

Uma Infraestrutura de Dados Espaciais sensível ao contexto para a Copa do Mundo de 2014

Uma Infraestrutura de Dados Espaciais sensível ao contexto para a Copa do Mundo de 2014

Em grandes eventos esportivos como a Copa do Mundo de 2014, há uma demanda eminente por sistemas de informação que sejam capazes de entregar ao usuário, informações úteis, como a localização de jogos, coletivas, treinos ou de uma determinada estrutura física para sua acomodação, alimentação ou locomoção. Porém, o enorme volume de informações, referentes aos eventos e à própria infraestrutura das cidades sede da Copa, dificultam a busca por informações que estejam diretamente relacionadas com um determinado usuário em particular. As Infraestruturas de Dados Espaciais se apresentam como uma abordagem sugestiva para garantir um maior acesso, disponibilidade e intercâmbio de informações geográficas, que em conjunto com o mapeamento de conceitos ontológicos do ambiente em que o usuário se encontra, permite oferecer informações pertinentes ao seu contexto. O presente trabalho apresenta uma proposta de união entre estas duas abordagens visando oferecer ao usuário uma infraestrutura que não somente considere os simples dados de entrada de uma consulta, mas também seja capaz de refiná-la e até antecipar informações, respeitando seu ambiente, interesse, individualidade e que utiliza o seu conhecimento geográfico como fonte de novas informações.
Mostrar mais

77 Ler mais

Copa do Mundo 2014: um Brasil carioca para gringo ver

Copa do Mundo 2014: um Brasil carioca para gringo ver

Resumo: Nos últimos anos, a cidade do Rio de Janeiro tem sido centro de uma série de eventos internacionais, tendo-se tornado a principal sede da Copa do Mundo 2014. Com base nisso, no presente estudo, investigamos como o papel do Rio de Janeiro enquanto cidade-sede da Copa do Mundo de 2014 foi significado por atores sociais da cidade. Para essa finalidade, acessamos as opiniões e os posicionamentos de cidadãos cariocas comuns e os de associações civis locais organizadas para monitorar a realização da Copa do Mundo. Como dados informativos, realizamos entrevistas e levantamos documentos que escrutinamos por meio de uma Análise de Discurso Foucaultiana. A noção foucaultiana de estética da existência serviu, assim, de lente teórica para a interpretação dos resultados que revelaram o entendimento da busca do Rio de Janeiro para inserir-se num contexto cultural e econômico globalizado, sem perder de vista traços que lhe são particulares e entendidos como valorizados mundialmente. Por outro lado, a cidade é vista como representativa do Brasil nessas duas frentes.
Mostrar mais

17 Ler mais

Processos de agendamento da imprensa : a copa do mundo de 2014 para além do esporte

Processos de agendamento da imprensa : a copa do mundo de 2014 para além do esporte

início das obras de recuperação do Túnel da Conceição foram implementadas no sábado pela EPTC. Relata que, pela manhã, o Prefeito José Fortunati, acompanhado do Diretor-presidente da EPTC, Vanderlei Capellari, e do Secretário da Smov, Adriano Gularte, realizou um roteiro, a bordo do ônibus Linha Turismo, pelas principais vias modificadas e as rotas alternativas. O texto diz que, de acordo com Fortunati, estudos demonstraram que o túnel está em condições precárias, colocando em risco a segurança dos usuários. Segundo ele, a reforma estrutural, que se inicia em 9 de outubro, é imprescindível. Informa que as obras terão duração de 18 meses, com investimento superior a R$ 2 milhões. Destaca a fala do Prefeito: “Além do forte contato com a comunidade mais afetada, contamos com o apoio da Imprensa. Acredito que as mudanças serão assimiladas e incorporadas rapidamente ao cotidiano da população”. Além dessa abordagem, aponta o argumento do Prefeito de que a recuperação de pontos vitais demonstra a capacidade de transformação da capital, seguido de outra fala: "A qualificação visando à Copa do Mundo de 2014, emblemática para o futuro de Porto Alegre, deixará a cidade mais moderna, com melhor qualidade de vida”. O material relata, ainda, que os dias que antecedem o início da reforma serão fundamentais para se observar todos os pontos alterados. Registra a questão do monitoramento que será realizado permanentemente pela EPTC, e que mapas com indicações das rotas alternativas estão sendo distribuídos aos condutores. Finaliza informando todas as ações da Prefeitura para organizar o tráfego de veículos e pedestres nas vias próximas ao túnel. Na mesma página, é publicada a matéria com o título 100 agentes nas ruas para orientar os motoristas, que relata o trabalho para ajudar os motoristas quanto às modificações implementadas no trânsito. Informa como funcionará as vias do entorno do túnel e o transporte coletivo.
Mostrar mais

216 Ler mais

Análise dos movimentos sociais contra a Copa do Mundo no Brasil em 2014 e suas dimensões políticas

Análise dos movimentos sociais contra a Copa do Mundo no Brasil em 2014 e suas dimensões políticas

A análise que se segue incidirá sobre os corpus dados disponível na internet. Após a codificação foram criadas as matrizes compostas pelo cruzamento das categorias inseridas nos nós de árvore e nos descritores codificados referentes às notícias inseridas dos sites jornalísticos, bem como os comentários correspondentes das notícias sobre os movimentos sociais contra a realização da copa do mundo no Brasil. De acordo com o site Brasilpost (2014), cinco movimentos assinam o manifesto. O mais conhecido deles talvez seja o Movimento Passe Livre (MPL), um dos principais catalisadores dos protestos políticos em junho com a pauta do modelo de transporte público. Os outros são o Fórum Popular de Saúde do Estado de São Paulo, articulação que reúne diversos coletivos em defesa das melhorias na saúde pública; o Coletivo Autônomo dos Trabalhadores Sociais, que reúne, principalmente, assistentes sociais que atuam em São Paulo; o Periferia Ativa, fundado por comunidades da zona sul e da região metropolitana da capital paulista; e o Comitê Contra o Genocídio da População Preta, Pobre e Periférica, que combate a violência da polícia e dos grupos de extermínio ligados a ela que atuam nas periferias. De acordo com o site Terra(2014), os protestos dos MS ocorreram principalmente nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba, Salvador, Fortaleza, Porto Alegre e Brasília. Os protestos mobilizaram categorias profissionais diversificadas em todo o país, convocados pelas redes sociais no sentido de sensibilizar a opinião pública, dialogar e promover debates levantando um amálgama de questionamentos sobre objetivos, rumos, pautas e significados de um movimento popular singular na história brasileira desde a restauração do regime democrático em 1985. Denunciavam o aumento de passagens, seguidos de redução da jornada de trabalho, melhorias e reajustes, bem como, a realização da Copa do Mundo de 2014. De acordo com a notícia do site Terra (2014), quatro categorias se posicionaram, tais como: a polícia federal, os aeroviários e aeronautas e os vigilantes no sentido de exigirem melhores condições de trabalho e salários maiores. A tabela nº 1 de acordo os dados, mostra que o estado de São Paulo foi campeão em mobilizações, seguido do Rio de Janeiro, embora as ondas de mobilizações tenham se alastrado por todo o país.
Mostrar mais

15 Ler mais

A metrópole e os megaeventos. Implicações  da copa do mundo de 2014 em Fortaleza

A metrópole e os megaeventos. Implicações da copa do mundo de 2014 em Fortaleza

Os megaeventos esportivos vêm crescendo nos últimos anos no mundo e agilizam projetos urbanos que viabilizarão a realização dos jogos e que posteriormente ficarão como legado do evento. Tudo isto com o intuito de gerar emprego, renda, exposição da imagem do lugar a nível internacional, atração de recursos públicos e privados. Neste sentido, a atração de megaeventos tem sido vista por planejadores, governantes (estes com um posicionamento de empreendedor) e iniciativa privada como estratégia de aquecimento da economia, catalisador de melhorias sociais e inserção da cidade na economia globalizada. Esta dissertação tem, pois, como objetivo geral compreender as implicações socioespaciais dos projetos e investimentos em infraestrutura e equipamentos em Fortaleza associadas à este evento esportivo. Estruturas governamentais foram criadas nas esferas federais, estaduais e municipais no intuito de viabilizar a realização da Copa do Mundo de 2014. No Ceará temos como exemplo a Secretaria Especial da Copa – SECOPA vinculada ao governo estadual e responsável por articular as ações entre outros órgãos governamentais. Os projetos relacionados ao megaevento promovem transformações profundas na produção espacial de Fortaleza. De maior magnitude, as obras de mobilidade urbana, que envolvem melhorias de vias, Veículo Leve sobre Trilhos – VLT e Bus Rapid Trasit – BRT, se destacam no contexto deste Megaevento na capital cearense. Na esteira destas transformações entram em cena dois atores: o setor imobiliário, aproveitando a oportunidade para lançar seus produtos próximos as áreas beneficiadas pelas obras da Copa; as comunidades e os movimentos sociais que lutam contra a remoções e violações do seus direitos. Com base neste cenário que se consolida a pesquisa busca compreender: 1- como os projetos da Copa se relacionam com planejamento urbano de Fortaleza e os possíveis conflitos territoriais gerados pelas suas singularidades; 2 - o comportamento do mercado imobiliário diante das obras do megaevento e a relação com as áreas alvos de remoções e as possíveis substituições de uso. O quadro que se constitui suscitam mudanças na configuração espacial da capital cearense.
Mostrar mais

181 Ler mais

COPA DO MUNDO DE 2014: A OFENSIVA DO CAPITAL E A VIOLAÇÃO DE DIREITOS HUMANOS E SOCIAIS NO BRASIL

COPA DO MUNDO DE 2014: A OFENSIVA DO CAPITAL E A VIOLAÇÃO DE DIREITOS HUMANOS E SOCIAIS NO BRASIL

Primeiro, sob o pretexto da Copa e supostamente para melhorar a presta- ção do serviço aos turistas que virão ao Brasil, a Presidente Dilma (PT) privatizou diversos aeroportos no ano de 2012: Guarulhos, em São Paulo; Viracopos, em Campinas; Juscelino Kubitschek, em Brasília; Galeão, no Rio de Janeiro; Confins, em Belo Horizonte. Através do “Programa de Investimentos em Logística”, o Governo privatizou rodovias e ferrovias sob a forma de concessões para as empresas cons- truírem e explorarem através de pedágios e outras formas de lucro. As privatizações vêm dando sequência desde o governo de Fernando Henrique Cardoso (PSDB), atravessam o governo Lula (PT) e permanece durante o governo Dilma (PT), onde podemos perceber que em nada se justificam as privatizações em virtude da reali- zação da Copa do Mundo de 2014, tornando-se apenas pretexto para tal processo de entrega do patrimônio público para domínio privado do capital. Para ilustrar esta afirmação, podemos utilizar como exemplo a privatização dos hospitais públicos universitários federais através da criação da Empresa Brasileira de Serviços Hospi- talares (EBSERH), também é exemplo a privatização da previdência social através da criação da Fundação de Previdência Complementar do Servidor Público Federal (FUNPRESP), além da “promessa” de privatização do setor de telecomunicações, todas estas privatizações feitas durante o Governo Dilma (PT).
Mostrar mais

14 Ler mais

Fortaleza na Copa do Mundo de Futebol de 2014: a expectativa dos fortalezenses na condição de cidadesede

Fortaleza na Copa do Mundo de Futebol de 2014: a expectativa dos fortalezenses na condição de cidadesede

- “ Fantástico! Sempre acreditamos que a Copa do Mundo Brasil 2014 seria um momento especial e único para apresentar Fortaleza para mais de 200 países. Por isso que nos dedicamos a esse projeto antes mesmo da definição do país sede da Copa de 2014, em 2007, quando o Brasil lutava para receber o Mundial, e ajudamos o Governo Federal no planejamento e na campanha. Entendemos que a oportunidade de ser sede do maior e mais midiático evento do planeta é uma oportunidade única de exposição das nossas belezas naturais, gastronomia, cultura e hospitalidade. Até mesmo antes do evento já podemos perceber que Fortaleza tornou-se conhecida pelo mundo e consequentemente temos constatado o fortalecimento do turismo, a geração de empregos e uma economia que cresce em ritmo acelerado. Imagine depois que o Brasil, Alemanha e Uruguai jogarem a primeira fase do torneio aqui. Sempre mostramos compromisso, respeitamos prazos e orçamentos, tanto que a Arena Castelão foi o primeiro estádio a ser concluído para a Copa do Mundo de 2014, com quatro meses de antecedência, e sem um centavo sequer de aumento no orçamento. O nosso evidente compromisso nos rendeu excelentes jogos na Copa das Confederações e agora na Copa do Mundo ” .
Mostrar mais

101 Ler mais

Meninos em jogo: a infância e a adolescência no contexto da Copa do Mundo de 2014 em Fortaleza

Meninos em jogo: a infância e a adolescência no contexto da Copa do Mundo de 2014 em Fortaleza

A ideia que orientou a produção deste documentário radiofônico surgiu durante um congresso realizado no início de julho de 2013, em Fortaleza. A fim de debater os impactos dos chamados megaeventos na violação dos direitos das crianças e adolescentes, o evento reuniu o Sistema de Justiça, o Sistema de Garantia de Direitos (SGD), organizações não governamentais que militam a favor dos direitos da criança e do adolescente, além das secretarias locais e federal dos Direitos Humanos. Com o foco especial na Copa do Mundo de 2014, essas entidades apresentaram planos estratégicos para proteção integral das crianças e adolescentes e fizeram avaliações da Agenda de Convergência, realizada durante a Copa das Confederações, em junho daquele ano.
Mostrar mais

44 Ler mais

COMPARATIVO DE GESTÃO DE RISCO E CONTROLE INTERNO ENTRE A COPA DO MUNDO DE 2014 NO BRASIL E A COPA DO MUNDO DE 2010 NA ÁFRICA DO SUL Mestrado em Ciências Contábeis

COMPARATIVO DE GESTÃO DE RISCO E CONTROLE INTERNO ENTRE A COPA DO MUNDO DE 2014 NO BRASIL E A COPA DO MUNDO DE 2010 NA ÁFRICA DO SUL Mestrado em Ciências Contábeis

A função do controle interno e da gestão de risco operacional em atuação integrada reside na capacidade de mitigar perdas em razão de falha, deficiência ou ina- dequação de processos internos, pessoas e sistemas, ou de eventos externos. Com base nesse conceito, este estudo procura analisar o papel do controle interno e da gestão de risco na Administração Pública num comparativo entre as metas propos- tas pela organização da Copa do Mundo de Futebol de 2014, no Brasil, e pela Copa do Mundo de 2010, na África do Sul. A partir da literatura produzida sobre o tema, in- cluindo o framework do COSO I, II e III, estudos do Tribunal de Contas da União (TCU) e da Secretária de Gestão Pública (GesPública), autores brasileiros e estran- geiros que discutem o assunto, o Portal Transparência Copa 2014 entre outras fon- tes primárias e secundárias no caso do Brasil; bem como o site da Federação Sul- Africana de Futebol e outros documentos oficiais daquele país; bem como de relatórios divulgados pela Fifa, artigos acadêmicos e publicações da mídia especializada, procura-se compor um panorama sobre metas de controle e riscos sobre os investimentos do Mundial de Futebol realizado nos dois países. Entre os resultados, observa-se que ambos os megaeventos foram cumpridos na maioria dos quesitos apresentados e analisados, de acordo com as prioridades dos países, ainda que os valores iniciais previstos tenha sido subestimados, chegando a triplicar no caso do Brasil. Em razão de gestão de risco e controle interno ineficientes, especialmente no quesito recursos humanos, em ambas as nações, cerca de metade dos estádios construídos para o Mundial tornaram-se deficitários e subutilizados, e, da mesma forma, muitas obras, principalmente de mobilidade urbana, não foram finalizadas, acarretando prejuízos adicionais aos cofres públicos.
Mostrar mais

185 Ler mais

Os Impactos da Copa do Mundo da FIFA 2014 em Fortaleza

Os Impactos da Copa do Mundo da FIFA 2014 em Fortaleza

Mesmo que os governantes insistam em afi rmar que a realização des- ses eventos já indica um novo patamar para a atividade turística de Fortale- za, não é possível pressupor a continuidade e a abrangência dessas ações. Os investimentos para a realização da Copa do Mundo de 2014 têm como prin- cipal justifi cativa o reforço a esta almejada internacionalização do turismo no estado, contribuindo para a promoção da imagem turística da cidade. Este efeito positivo esperado vai sendo reforçado com o passar do tempo, tendo em vista que a discussão sobre o legado pós-copa das obras para be- nefício da população local vem minguando, restando como argumento, já bastante contestado, a difusão internacional de imagens positivas sobre a cidade e o estado. A próxima seção desenvolve este argumento dos limita- dos efeitos das obras de infraestrutura para a população local, particular- mente no que diz respeito ao tema da mobilidade e moradia.
Mostrar mais

23 Ler mais

ANÁLISE DE VIABILIDADE ECONÔMICA DOS ESTÁDIOS DA COPA DO MUNDO FIFA 2014

ANÁLISE DE VIABILIDADE ECONÔMICA DOS ESTÁDIOS DA COPA DO MUNDO FIFA 2014

As estimativas de receitas assumidas como ano base (2014) para os 12 estádios da Copa do Mundo seguiram o seguinte processo: daqueles 3 estádios que possuem administradoras e já divulgam seus Demonstrativos Financeiros, caso das Arenas Fonte Nova, Pernambuco e Mineirão, foram utilizadas a partir dos valores divulgados nos balanços, relacionados ao exercício contábil de 2013. Sendo que as outras arenas possuem administradores, mas ainda não tinham divulgado suas demonstrações (um total de 9 estádios), foram assumidos pressupostos básicos para estimar a receita a partir dos jogos de futebol dos times mandantes no respectivo estado, além de outros jogos realizados no local, levando em consideração a média de jogos no ano de 2013 e 2014 de todas as competições nacionais, regionais e estaduais em cada arena. Para isso foram utilizados dados relativos à renda média de cada time como mandante e público médio como mandante, sendo esses dados extraídos da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e das Federações Estaduais de Futebol.
Mostrar mais

24 Ler mais

Os Simpsons e a Copa do Mundo de Futebol de 2014: imagens e problemas do Brasil contemporâneo

Os Simpsons e a Copa do Mundo de Futebol de 2014: imagens e problemas do Brasil contemporâneo

Apesar do tom agressivo do ponto de vista do colunista, estima‐se que mais de dois  milhões  de  brasileiros,  inconformados  com  os  problemas  sociais  brasileiros  e  os  gastos  com as obras para a Copa do Mundo de 2014, tenham ganhado as ruas do País em mais de  438 cidades 2 . O slogan “Vem que a rua é a maior arquibancada do Brasil”, motivado por  uma  campanha  publicitária  da  empresa  automobilística  FIAT,  tornou‐se,  também  um  símbolo das manifestações em 2013, com a visibilidade midiática propiciada pela Copa das  Confederações e pela articulação dos manifestantes por meio das redes sociais, fazendo  do evento um dos maiores da história. Apesar do âmbito global alcançado pelo “Acorda  Brasil” de 2013 e a confirmação da nova “visita” da família Simpson ao Brasil, o episódio  da  24a  temporada,  intitulado  “Você  não  precisa  viver  como  um  árbitro”  (2014),  não  se  associou  diretamente  às  manifestações,  conforme  expectativa  dos  internautas.  Apesar  dessa  pequena  frustração,  os  produtores  de  Os  Simpsons,  mais  uma  vez,  retrataram  satiricamente  problemas    importantes  relacionados  ao  evento  e  à  realidade  vivenciada  pelos brasileiros às vésperas da copa.  
Mostrar mais

19 Ler mais

A cobertura da mídia impressa na Copa das Confederações 2013 e Copa do Mundo 2014: a liberdade de expressão nas manifestações sociais

A cobertura da mídia impressa na Copa das Confederações 2013 e Copa do Mundo 2014: a liberdade de expressão nas manifestações sociais

do Mundo seriam 32 países na disputa. Com o aumento de seleções, aumentaria também a visibilidade para assuntos políticos ideológicos que aconteciam no país, e os protestos iriam ganhar ainda mais adeptos. Não foi o que aconteceu. Com o banco de dados, foi possível perceber que, no período da Copa das Confederações, foram recolhidas 314 matérias que trataram do tema das manifestações sociais nos jornais Folha de S. Paulo e O Globo, enquanto, em 2014, foram apenas 126. A partir desse dado, é possível fazer duas inferências. Primeiramente, assume-se que, diferentemente do que se havia imaginado no início da pesquisa, houve mais manifestações em 2013, inicialmente por conta do aumento da tarifa de transporte coletivo em várias cidades do Brasil, e depois com a profusão de pautas reivindicatórias, por mais hospitais, melhor qualidade do ensino, dentre tantas outras, enquanto que no período da Copa do Mundo o foco das manifestações estava centrado nos gastos efetuados para a realização do evento. Uma segunda chave explicativa para a diminuição das notícias pode apontar que, conforme visto no Capítulo 3, apesar de tanto a Copa das Confederações quanto a Copa do Mundo serem considerados eventos de grande porte, para Almeida, Mezzadri e Marchi (2009, p. 180), apenas ―a Copa do Mundo e as Olimpíadas possuem mercado e mídia globais ‖, por isso apenas estes poderiam ser considerados megaeventos. Dessa forma, somente em 2014 ocorreu o impacto econômico, ambiental, político, midiático, e principalmente global, dos megaeventos. Na Copa do Mundo, os olhares globais estavam voltados ao país do futebol - e deixar transparecer, através da mídia, os problemas internos pelos quais o Brasil passava, não era interessante: poderia demonstrar fraqueza e falta de organização.
Mostrar mais

136 Ler mais

Mineração de textos: análise de sentimentos utilizando Tweets referentes à Copa do Mundo 2014

Mineração de textos: análise de sentimentos utilizando Tweets referentes à Copa do Mundo 2014

O aumento das redes sociais nos últimos anos permitiu aos usuários se conectarem e compartilharem informações em tempo real, enviando-as a milhares de outros usuários em um curto espaço de tempo. Além disso, a maneira como os usuários interagem mudou. Os usuários de redes sociais costumam postar suas opiniões sobre os grandes eventos, lançamentos de produtos, catástrofes, epidemias, entre outros acontecimentos. Para acompanhar o que eles estão falando nas redes sociais pode ser um diferencial para as organizações que desejam elaborar melhores estratégias de marketing, obter feedback sobre algum produto ou determinado evento. No entanto, essa grande quantidade de dados ainda continua crescendo, e a análise desses dados de forma não automatizada pode ser um problema não trivial. Neste contexto, este trabalho mostra como o processo de mineração de textos foi usado para coletar, estruturar o texto extraído do Twitter e como criar um modelo de classificação de texto que permita mapear a opinião da rede social dos usuários do Twitter sobre Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014. As postagens dos usuários, popularmente conhecido como tweets , são categorizadas neste trabalho como um sentimento: positivo, negativo, ambíguo ou neutro.
Mostrar mais

46 Ler mais

Fuleco: Um Estudo Semiótico da Mascote da Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014

Fuleco: Um Estudo Semiótico da Mascote da Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014

O presente trabalho é resultado de um estudo semiótico da mascote da Copa da Fédération Internationale de Football Association (FIFA) a realizar-se no Brasil em 2014, inspirado no animal Tatu- bola, visando um entendimento do mesmo em seus aspectos semânticos. A escolha de tal personagem se deve a sua grande evidência atual na mídia, por ter sido escolhido o representante brasileiro na próxima Copa do Mundo e pela polêmica que se criou em torno do fato. A metodologia utilizada compreende as etapas de identificação dos elementos-chave no personagem e a análise dos mesmos de acordo com a bibliografia especializada apresentada no decorrer do artigo. Por fim, objetiva-se um esclarecimento se a imagem da mascote Tatu-bola fornece informações gráfico-visuais e semióticas suficientes para que o público a compreenda como tal.
Mostrar mais

13 Ler mais

Metropolização e megaeventos: impactos da Copa do Mundo 2014 em Natal-RN

Metropolização e megaeventos: impactos da Copa do Mundo 2014 em Natal-RN

acesso (norte e sul), sendo finalizado um dos trechos do acesso Norte poucas semanas antes da realização da Copa do Mundo 2014. Tais acessos viários ao novo Aeroporto Internacional em São Gonçalo do Amarante estão sob a responsabilidade do Governo do Estado. As intervenções alterarão o fluxo viário no sentido longitudinal atuando em uma escala local-global através de acessos tanto ao eixo norte quanto ao sul, vindo a totalizar 33,27km de pista dupla. O trecho norte compreende 15km a partir da entrada do aeroporto, seguindo até a BR-406; apesar de concluído conjuntamente com a primeira etapa dos terminais de cargas e passageiros, o trajeto passou por alterações de projeto, pois na primeira proposta a via estava sobreposta a uma área de Mata Atlântica, sendo motivo de embate entre o Instituto de Desenvolvimento Econômico e Meio Ambiente (IDEMA) e o Departamento Estadual de Estradas de Rodagem (DER). Já o trecho sul, que se encontra em fase de execução, irá interligar o terminal à BR-304 e terá cerca de 18 km.
Mostrar mais

182 Ler mais

Copa do mundo FIFA 2014: implicações para o destino turístico Natal/RN - Brasil

Copa do mundo FIFA 2014: implicações para o destino turístico Natal/RN - Brasil

O presente estudo objetivou analisaras contribuições proporcionadas pela realização da Copa do Mundo FIFA 2014 para o destino turístico Natal/RN. Para isso, fez-se a análise da efetividade das ações do poder público para dotar o destino de infraestrutura adequada ao porte do evento; foi avaliado de que forma as intervenções do Estado contribuíram para a reestruturação dos espaços urbanos com fins turísticos; identificou-se quais foram os investimentos realizados pelo trade turístico em função do megaevento da FIFA; e quais ações de qualificação profissional na área de turismo foram promovidas para atender à demanda da Copa. Dessa forma, a pesquisa é justificada por preencher uma lacuna na pesquisa em turismo no que se refere à investigação de como ocorreram os investimentos empreendidos pelo Estado e pela iniciativa privada para realização do megaevento esportivo da FIFA em Natal, mostrando quais as implicações para a cidade, sua população e o turismo. Para tanto, o estudo teve uma abordagem qualitativa, sendo de caráter descritivo-exploratório. Como instrumento de coleta utilizou-se a aplicação de roteiros de entrevistas semiestruturados, tendo como população do estudo atores da iniciativa privada e representantes de órgãos públicos, além da apreciação de dados secundários. Para a apreciação dos dados, fez-se uso do método de análise de conteúdo e documental baseando-se na categorização dos mesmos. Ao fim, foi possível perceber que a Copa do Mundo da FIFA 2014 levou o Estado a investir recursos públicos em mobilidade, transportes e turismo que ultrapassaram o valor de um bilhão de reis, no entanto, todas as intervenções tinham como objetivo a realização dos jogos, independente do bem que esses investimentos poderiam trazer para a população. Ocorreu uma concentração espacial das ações planejadas. No que se refere ao turismo, entendeu-se que o megaevento esportivo proporcionou a reorganização da atividade na capital potiguar, principalmente na melhoria da infraestrutura de sua orla; ampliou o número de leitos com a implantação de novos hotéis e contribuiu para o aumento da mão de obra qualificada, na medida em que cursos de capacitação profissional em turismo foram ofertados. Apesar da melhoria dos espaços para fins turísticos, até então não é possível dimensionar se os investimentos realizados em função do evento proporcionarão o retorno que os justifique.
Mostrar mais

161 Ler mais

O Efeito da Idade Relativa: Análise da Copa do Mundo FIFA 2014

O Efeito da Idade Relativa: Análise da Copa do Mundo FIFA 2014

Foi observada maior proporção de futebolistas nascidos nos primeiros meses do ano entre os jogadores que participaram da Copa do Mundo FIFA 2014, confirmando o EIR. Os dados mostraram ainda que esta tendência é marcante nos goleiros e meias, no continente Europeu e Asiático, e nos países Argentina, Japão, Gana e Nigéria. Novos estudos devem ser realizados sobre o EIR no futebol procurando identificar outras possíveis variáveis moderadoras assim como estratégias para redução deste fenômeno.

7 Ler mais

Show all 10000 documents...