cuidados de enfermagem

Top PDF cuidados de enfermagem:

A Satisfação dos Utentes face aos Cuidados de Enfermagem: o caso de uma USF

A Satisfação dos Utentes face aos Cuidados de Enfermagem: o caso de uma USF

O tema escolhido foi a Satisfação dos Utentes de uma Unidade de Saúde Familiar face aos Cuidados de Enfermagem, por ser uma área de interesse pessoal e por considerar um tema importante para a melhoria dos cuidados de enfermagem. Aprendemos que a prática de enfermagem se baseia no cuidar. Assim, considerou-se este tema pertinente pois nesta base do cuidar está aquilo que consideramos elementar que é, por um lado, conseguir identificar e perceber se os utentes estão ou não satisfeitos com os cuidados prestados e, por outro, produzir material que permita aos enfermeiros reflectirem sobre os cuidados que prestam aos utentes.
Mostrar mais

81 Ler mais

Infecção hospitalar por Staphylococcus Aureus resistente à Meticilina associada aos Cuidados de Enfermagem

Infecção hospitalar por Staphylococcus Aureus resistente à Meticilina associada aos Cuidados de Enfermagem

O confronto com as diversas patologias clínicas e as lacunas de conhecimento acerca das mesmas, assim como dos cuidados de enfermagem específicos a ter, levou a uma procura constante de informação, sendo realizadas diversas pesquisas bibliográficas, consultados diversos documentos e questionados os diversos profissionais de saúde acerca da informação encontrada e a sua concretização na prática. Este debate de ideias e partilha de informação com outro enfermeiro permitiu adquirir novos conhecimentos e desenvolver o juízo clínico, o pensamento crítico e a tomada de decisão acerca da situação clínica do doente, intervindo de acordo com as necessidades específicas de cada doente, porque prestar “[…] bons cuidados significam coisas diferentes para diferentes pessoas […]” (OE, 2001, p. 13). Todo este processo permitiu que as dificuldades sentidas inicialmente se fossem diminuindo, aumentando assim a confiança e a autonomia na prestação de cuidados.
Mostrar mais

123 Ler mais

Produtos dos cuidados de enfermagem.

Produtos dos cuidados de enfermagem.

Essa reflexão dos produtos de Enfermagem novos ou renovados versus população cuidada pela Enfermagem através dos cuidados emerge semanalmente no Grupo de Pesquisa Cuidar / Cuidados de Enfermagem / Núcleo de Pesquisa Enfermagem Hospitalar / Departamento de Enfermagem Médico-Cirúrgica que possui reuniões periódicas, com um banco de dados de textos relacionados ao Cuidar e aos Cuidados de Enfermagem, e aulas para mestres, doutores e alunos especiais da disciplina Seminário Assistencial com ênfase no cuidar e nos cuidados de Enfermagem EEAN/UFRJ, desde 1999. Mas quando emerge, há um discurso recorrente de (in)visibilidade desses cuidados prestados assim como de sua criação.
Mostrar mais

4 Ler mais

HUMANIZAÇÃO DOS CUIDADOS DE ENFERMAGEM

HUMANIZAÇÃO DOS CUIDADOS DE ENFERMAGEM

A filosofia subjacente aos cuidados de enfermagem, idealizada por Anne Casey, reconhece e valoriza a importância da família e respeita o conhecimento que a mesma possui da própria criança, a experiência em cuidar dela e a influência na recuperação que possa vir a ter. Por isso, “o atendimento específico aos pais é indispensável, uma vez que se eles estiverem bem, terão mais condições de participar na recuperação dos filhos, colaborando nos cuidados e oferecendo-lhes suporte emocional” (Batista, 2006, p. 51). Também o envolvimento dos pais nos cuidados ao filho ajuda a manter a relação familiar, através dos hábitos usuais. Podemos mesmo dizer que “incentivar os pais a permanecerem e a ocuparem-se da criança é fazer avançar o processo terapêutico. Não basta dizer aos pais que podem ficar junto dos filhos. É necessário que eles sintam que são de facto bem-vindos, que são úteis e que contamos com eles para tratar o seu filho” (Brito, 2006, p. 34). Este envolvimento contribui para minimizar as consequências negativas do internamento. O total envolvimento dos pais só é possível se ocorrer a negociação de toda a equipa e dos cuidadores formais, respeitando sempre a vontade e o ritmo de aprendizagem de cada um.
Mostrar mais

141 Ler mais

ELENCANDO CUIDADOS DE ENFERMAGEM AO PACIENTE ETILISTA CRÔNICO E PORTADOR DE TUBERCULOSE PULMONAR: Um relato de caso DOI: http://dx.doi.org/10.5892/ruvrd.v13i1. 2218

ELENCANDO CUIDADOS DE ENFERMAGEM AO PACIENTE ETILISTA CRÔNICO E PORTADOR DE TUBERCULOSE PULMONAR: Um relato de caso DOI: http://dx.doi.org/10.5892/ruvrd.v13i1. 2218

RESUMO: A tuberculose é uma doença infecto-contagiosa, causada por um microorganismo denominado Mycobacterium tuberculosis, também denominado de bacilo de Koch (BK). Apresentando evolução em ciclos lentos e de maior incidência nas aglomerações urbanas, transmitida através do ar, por meio de gotículas contendo os bacilos expelidos pelo doente ao tossir, espirrar ou falar em voz alta. É uma doença curável. Este relato tem como objetivo a realização de uma análise comparativa entre as informações disponíveis na literatura acerca da Tuberculose e Etilismo frente aos sinais e sintomas encontrados no paciente em estudo, descrever os cuidados de enfermagem e a evolução clínica esperada do referido paciente. Realizou-se acompanhamento do paciente durante o período de internação, 01 a 15 de setembro de 2014, em um serviço hospitalar de nível terciário da Região Metropolitana do Recife. Os dados foram obtidos por meio de entrevista, resgate histórico da avaliação do serviço social, exame fisco e análise do prontuário contextualizando e agrupando informações a fim de proporcionar lista de cuidados de enfermagem. Os cuidados prestados pela equipe de enfermagem do setor de Tisiologia com a colaboração dos Residentes de Enfermagem em Pneumologia obteve como resultado a melhora substancial promovendo a alta hospitalar do paciente após três meses de internamento.
Mostrar mais

7 Ler mais

Alunos de Enfermagem e a Espiritualidade associada aos cuidados de Enfermagem

Alunos de Enfermagem e a Espiritualidade associada aos cuidados de Enfermagem

Assim sendo, e reconhecendo que a espiritualidade é intrínseca a todo o ser humano, verificável quando surge como necessidade, por isso, encontra-se inerente aos cuidados de enfermagem. Apesar de existir um aumento crescente da investigação neste âmbito, é necessário ter em conta a incerteza e a subjetividade, aquando da definição do conceito de espiritualidade, pelos enfermeiros, na sua prática clínica, desenvolveu-se o seguinte Projeto de Graduação, intitulado “Alunos de Enfermagem e a Espiritualidade Associada aos Cuidados de Enfermagem”.
Mostrar mais

58 Ler mais

Tese   Humanização dos cuidados de enfermagem numa unidade de cuidados intensivos

Tese Humanização dos cuidados de enfermagem numa unidade de cuidados intensivos

A medicina, provida de muito pouca tecnologia e fundada principalmente na relação humana, transformou-se numa “medicina de curar” em que a análise, o exame instrumental, a tecnologia de ponta substituem cada vez mais essa antiga e essencial relação humana. São indiscutíveis os incalculáveis benefícios que este progresso tecnológico conduziu em auxílio do homem, porém não encontrou substituto para a pessoa que cuida. A esse propósito Antunes (2009), expõe “(…) o que me preocupa é que a medicina, empolgada pela ciência, seduzida pela tecnologia e atordoada pela burocracia, perca a sua face humana, que esqueça a individualidade única de cada pessoa que sofre, pois embora se inventem cada vez mais modos de tratar, ainda não se descobriu o modo de aliviar o sofrimento sem empatia ou compaixão” (Antunes, 2009, p.154). Segundo [Osswald cit. por Jorge, (2004)] refere que a humanização dos cuidados de saúde é o problema/questão de maior relevo na ética médica e por isso deve ser discutido e aprofundado.
Mostrar mais

156 Ler mais

Dissertação de Mestrado   Rogério M. Ribeiro

Dissertação de Mestrado Rogério M. Ribeiro

Na dimensão ‘Acesso aos Cuidados de Enfermagem’, os cuidadores manifestaram elevados níveis de satisfação, tal como os utentes. No entanto, verificaram-se cuidadores que se demonstraram insatisfeitos relativamente ao procedimento e tempo de espera para admissão na ECCI, assim como relativamente à prontidão de resposta no atendimento às necessidades do utente a seu cargo. A insatisfação relativamente ao procedimento e tempo de espera pode dever-se aos mesmos fatores apresentados na amostra de utentes, como os atrasos nos procedimentos burocráticos de referenciação para as ECCI e deve ser um aspeto a melhorar, conforme é sugerido no estudo de Pinto e Silva (2013). Por outro lado, a escassez de recursos humanos poderá justificar o baixo nível de satisfação com a prontidão de resposta para atender às necessidades dos utentes a cargo dos cuidadores, uma vez que a satisfação é influenciada pela disponibilidade e quantidade de recursos humanos (Moret et al. 2012).
Mostrar mais

150 Ler mais

Relatório Sónia Isabel Correia Rodrigues

Relatório Sónia Isabel Correia Rodrigues

Os cuidados ao doente terminal consistem essencialmente no seu acompanhamento e conforto, conseguindo aliviar os vários sintomas, proporcionando-lhe o máximo de bem-estar e plenitude. Não podemos aceitar que nada mais há a fazer pelas pessoas em fim de vida, porque ainda existe vida e consequentemente necessidade de cuidados. Neste contexto são imprescindíveis os cuidados de enfermagem, dando a oportunidade de viver o fim de vida da melhor forma, com dignidade, segundo os seus desejos, crenças e valores (Pacheco, 2004). Como referido anteriormente, a situação da pessoa em fim de vida é única, exigindo cuidados específicos que têm de ir ao encontro das suas necessidades, de natureza física, espiritual, social e psicológica, considerando desta forma, como refere Kolcaba, os quatro contextos onde o conforto pode ser experimentado, o contexto físico, o psico- espiritual, o ambiental e o social, satisfazendo-se assim as várias necessidades de cada pessoa. As necessidades físicas estão mais relacionadas com a situação patológica onde a dor e o alívio desta e de outra sintomatologia são importantes. As necessidades psicológicas surgem com a consciência da doença, manifestando a necessidade de exprimir emoções e preocupações. Pacheco (2004) refere que as necessidades espirituais se relacionam com o sentido da vida, surgindo por exemplo a necessidade de falar com alguém da sua religião. Em relação às necessidades sociais, nesta fase a pessoa necessita do apoio afetivo por parte de todos os que a rodeiam, pois há a possibilidade do isolamento, tristeza e solidão. A satisfação de todas estas necessidades permitem ajudar a alcançar um nível de conforto e bem- estar essencial nesta fase da vida (Pacheco, 2004).
Mostrar mais

180 Ler mais

Assistência de enfermagem ao paciente com acidente cerebrovascular: revisão integrativa da literatura brasileira / Nursing assistance to the patient of stroke: integrating review of brazilian literature

Assistência de enfermagem ao paciente com acidente cerebrovascular: revisão integrativa da literatura brasileira / Nursing assistance to the patient of stroke: integrating review of brazilian literature

O objetivo do estudo foi analisar a produção científica da enfermagem brasileira relacionada aos cuidados no adoecimento por acidente vascular cerebral. Tratou-se de um estudo de revisão integrativa da literatura, cujos critérios de elegibilidade foram: corresponder aos descritores “acidente vascular cerebral", "enfermagem" e “cuidados”; artigos publicados no período de 2007 a 2017; estar escrito em português; estar disponível eletronicamente na íntegra e abordar a temática cuidados de enfermagem no acidente vascular cerebral. Foram encontradas treze publicações. Os resultados mostram que os principais cuidados de enfermagem foram: cuidados no preparo de cuidadores/acompanhantes de pacientes com AVC, ações na reabilitação motora e funcional, administração de medicamentos, prevenção de quedas, avaliação da sobrecarga de cuidadores e cuidados na prevenção e enfrentamento da sobrecarga. Conclui-se que tais cuidados são fundamentais na assistência de enfermagem ao paciente com AVC. Ressalta-se, nesse contexto, o preparo do cuidador para continuidade dos cuidados no domicílio.
Mostrar mais

17 Ler mais

A pessoa com doença coronária   intervenção do EEER (Ana Elisa Beato Coelho)

A pessoa com doença coronária intervenção do EEER (Ana Elisa Beato Coelho)

Doran (2011) refere que esta disciplina frequentemente negligencia o seu impacto nos cuidados de saúde, ao qual não dá visibilidade através de indicadores mensuráveis. A autora dedicou-se ao estudo dos outcomes de Enfermagem, ou resultados sensíveis aos cuidados de Enfermagem, que define como as consequências ou efeitos das intervenções levadas a cabo pelo enfermeiro e manifestas por mudanças no estado de saúde/doença, comportamento ou perceção dos clientes e/ou pela resolução do problema pelo qual a intervenção de Enfermagem foi inicialmente solicitada (Amendoeira, 2012), e que enumera em cinco pontos: estado funcional, autocuidado, gestão de sintomas, segurança e satisfação do cliente. Pelo exposto até aqui, parece tornar-se claro que o EEER pode intervir junto da pessoa com doença coronária em todas estas dimensões.
Mostrar mais

92 Ler mais

Manual de Normas de Enfermagem – Procedimentos Técnicos – Normas de Orientação Clínica

Manual de Normas de Enfermagem – Procedimentos Técnicos – Normas de Orientação Clínica

Nesta edição há um aspecto inovador que se deve realçar: a linguagem própria, actualizada e editada pelo Conselho Internacional de Enfermeiras (ICN) e designada por Classificação Internacional para a Prática de Enfermagem (CIPE), que guia os enfermeiros na formulação de diagnósticos de enfermagem, planeamento das intervenções e avaliação dos resultados sensíveis aos cuidados de enfermagem. A introdução da linguagem CIPE tornou mais alongada esta actualização, mas este esforço pretende uma aproximação à actual conjuntura de desenvolvimento das práticas.
Mostrar mais

285 Ler mais

Ana Tavares  MEPO Relatorio estagio

Ana Tavares MEPO Relatorio estagio

19 enfermagem na qualidade dos cuidados de saúde; a visita pós-operatória como cuidado perioperatório; a análise SWOT do contexto e a definição de objetivos. É igualmente apresentado o planeamento do projeto e a sua execução com a respetiva análise e discussão dos resultados. Os resultados obtidos resultaram do tratamento e análise estatística dos dados constantes nas folhas de registo da visita pós-operatória realizadas no primeiro semestre de 2013. Os resultados demonstraram uma elevada satisfação dos utentes com os cuidados perioperatórios de que foram alvo, assim como, evidenciaram algumas áreas que podem beneficiar de algum investimento, nomeadamente a nível do aumento da eficácia no controlo e registo da dor, melhoria do conforto relativo à sensação de frio referida pelos utentes e otimização do instrumento de registo usado na colheita de informação. Estes e outros resultados constam também nas conclusões do estudo efetuado e refletem a qualidade dos cuidados de enfermagem e a importância que a população atribui aos cuidados de enfermagem perioperatórios.
Mostrar mais

124 Ler mais

Parentalidade Positiva e  Infantil

Parentalidade Positiva e Infantil

Quando os mecanismos de coping não são suficientemente eficazes, o risco de desorganização e disfuncionalidade familiares (Relvas, 2003), perante acontecimentos previsíveis ou imprevisíveis, deve constituir um foco de atenção para o profissional de enfermagem. Este deverá promover a adaptação às novas situações, assegurar a mudança e continuidade da família, num contexto co-evolutivo e transformativo e, consequentemente, promover a resiliência familiar, favorecedora da estabilidade do sistema e, por conseguinte, dos seus membros (Figueiredo, 2009). Assumindo a família como um conjunto de indivíduos com a responsabilidade de prestar cuidados à criança, e cuja influência no seu crescimento e desenvolvimento é determinante (OE, 2011a), a intencionalidade terapêutica dos cuidados de enfermagem especializados deve ser igualmente promotora do crescimento e do desenvolvimento infantil. Neste sentido, a transmissão de orientações antecipatórias às famílias para a maximização do potencial de desenvolvimento infantil e juvenil (OE, 2010b, 2011a), numa perspetiva de parentalidade positiva, definida como um comportamento parental único que respeita os interesses da criança e reconhece os seus direitos, que assegura o crescimento, educação, capacitação e orientação infantil, sem violência, e estabelece limites para permitir o seu harmonioso desenvolvimento (Council of Europe, s.d.), é fundamental.
Mostrar mais

121 Ler mais

Rev. Bras. Enferm.  vol.31 número2

Rev. Bras. Enferm. vol.31 número2

Os cuidados de enfermagem variam de paciente para paciente; os proce11- mentos de enfermagem serão baseados no atendimento as necesidades básicas do indivíduo e pelas reações psíqUiCas e físicas do paciente à essa situação.

7 Ler mais

Relatório de Estágio   João Dantas

Relatório de Estágio João Dantas

determinantes para uma prestação de cuidados de enfermagem segura, sendo que um dos aspetos “para a prevenção de reais e potenciais perigos relacionados com os equipamentos tecnológicos é assegurar que estes funcionam de forma correta e precisa” (Idem, p 327). Efetivamente, este manancial de conhecimentos e competências assume uma faceta preponderante no domínio de atuação do enfermeiro, dada a sua extrema importância na gestão de situações inesperadas ou emergentes. Estando a condição de saúde do doente crítico com apoio circulatório e de oxigenação na dependência direta do correto funcionamento deste suporte, a resolução imediata de qualquer intercorrência com ele relacionado é crucial para a sobrevivência do doente. Nestas situações, “respostas instantâneas são imperativas para tratar as complicações e/ou prevenir uma cascata de acontecimentos devastadores e/ou irreversíveis” (Benner et al., 2011, p. 102), apontando as atividades realizadas e as competências adquiridas neste local de estágio para o cumprimento desta exigência. Não só a tecnologia envolvida como também todo o processo de circulação e oxigenação sanguínea extracorporal, nomeadamente as alterações na homeostasia do organismo, na sua resposta inflamatória e no seu processo de coagulação, acrescentam riscos significativos à estabilidade deste doente, já em condições críticas de saúde e de falência orgânica. Neste quadro de elevada instabilidade e passível de súbitas alterações, “as vidas dos doentes dependem da decisão do enfermeiro em tomar as ações clínicas em pré- emergências e emergências em que o tempo é escasso e exige uma ação imediata” (Idem, p. 196). O enfermeiro deve, pois, ser capaz de “interpretar de forma rápida e precisa o funcionamento destes equipamentos (…) o que requer conhecimento clínico, competências práticas e ainda respeito pelo equipamento e pelos riscos potenciais que ele representa” (Idem, p. 327)
Mostrar mais

121 Ler mais

Qualidade dos cuidados domiciliares em enfermagem a idosos dependentes.

Qualidade dos cuidados domiciliares em enfermagem a idosos dependentes.

Os obstáculos que os enfermeiros tendem a iden- tificar como inibidores da qualidade dos cuidados são extrínsecos, focando a falta de enfermeiros e de condições de trabalho. Assim, os enfermeiros assu- mem uma postura de impotência adequada (Sousa e Eusebio, 2007): não podem fazer mais nada, pois não depende deles. Seria importante refletirem so- bre obstáculos intrínsecos para poderem sair desta postura, simultaneamente cômoda e frustrante. Promover a qualidade dos cuidados de enfermagem Os enfermeiros envolvidos neste estudo destacaram que para promover a qualidade de cuidados de enfer- magem a idosos dependentes em cuidado domiciliar é relevante o trabalho e decisão em equipe multidis- ciplinar (inclui o doente, sua família e rede informal). Uma equipe organizada e articulada facilitaria a prestação de cuidados. Destacam que a boa presta- ção de cuidados seria promovida se houvesse mais material, recursos humanos, melhores condições de trabalho, boas condições físicas e formação adequa- da. Sublinham a importância de apoiar a família que cuida e faz parte da unidade de cuidado. As famílias cuidam em diversas circunstâncias: algumas com grandes dificuldades; outras gostariam de poder cuidar mas não sabem, por falta de conhecimentos, medo ou falta de estruturas de apoio. Estas famílias necessitam de apoio, reconhecimento e respeito, pois são quem proporciona a maior parte dos cuidados e apoio diário ao idoso dependente (Stanhope e Lancaster, 1999).
Mostrar mais

13 Ler mais

ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM AO INDIVÍDUO PORTADOR DA SÍNDROME DE GUILLAIN-BARRÉ: UMA REVISÃO DA LITERATURA

ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM AO INDIVÍDUO PORTADOR DA SÍNDROME DE GUILLAIN-BARRÉ: UMA REVISÃO DA LITERATURA

Objetivo: Identificar e analisar as produções científicas sobre a assistência de enfermagem ao paciente com Síndrome de Guillain-Barré (SGB). Método: Trata-se de uma revisão narrativa, desenvolvida por meio das bases de dados eletrônicas Medline, Lilacs e ColecionaSUS. Foram incluídos cinco artigos nacionais e internacionais, publicados no período de 2000 a 2013. Resultados: O período de publicação variou entre 2008 e 2012 e prevaleceram publicações internacionais. Os cuidados de Enfermagem encontrados foram o acolhimento, cuidados com alimentação, mobilidade, ventilação, monitorização, comunicação e educação em saúde ao paciente e à família. Considerações finais: Pouco se tem discutido sobre a assistência de Enfermagem ao paciente com SGB. As pesquisas apresentam discussão e intervenções de Enfermagem escassas. Sugere-se o desenvolvimento de pesquisas sobre a temática que possibilitem maior elucidação dos cuidados de Enfermagem, visando à qualidade da assistência.
Mostrar mais

7 Ler mais

Apêndices do Relatório

Apêndices do Relatório

Pensar em urgência relembra-me Florence Nightinghale, que deu início a uma enfermagem de urgência, onde o cuidar emergiu num contexto de guerra. Mas pensando teoricamente, a enfermagem de urgência inscreve-se na prestação de cuidados a pessoas, com o objetivo de se prevenir uma situação de urgência, que esteja a emergir ou quando é identificado um problema considerado uma emergência. Mas Macphail (2001) acrescenta algo mais a este conceito defendendo que a enfermagem de urgência se enquadra na prestação de cuidados a pessoas de qualquer idade, com alterações do seu estado de saúde, ao nível físico ou psicológico, sendo reais ou não, não diagnosticados ou que necessitem de outras intervenções dos profissionais. Além disso, o mesmo autor refere que a finalidade deste conceito de enfermagem visa a melhoria dos serviços às populações em geral, em que os enfermeiros investem na investigação e no ensino, com intuito de alcançar mais competências profissionais nesta área de atuação. Alguns autores tocam num ponto que considero essencial, em que os cuidados de enfermagem são prestados em episódios, primários e agudos, que reúnem um conjunto único de capacidades por parte do enfermeiro, com as capacidades avaliativas, interventivas e de tratamento, de caráter geral ou especializado. Neste sentido, a filosofia deste contexto encontra-se nas minhas motivações pessoais, ao constituir mais um palco de riqueza experiencial, que me permitirá evoluir neste processo de desenvolvimento.
Mostrar mais

224 Ler mais

Relatório de Estágio   Vanda Ferreira, nº 4044

Relatório de Estágio Vanda Ferreira, nº 4044

As dificuldades e limitações do trabalho prenderam-se com o fato de que ao planear um projeto de intervenção, apesar do trabalho de campo realizado, só se tem noção de como será a sua concretização quando o aplicamos no terreno e na nossa prática de cuidados. É fulcral compreender que as dificuldades fazem parte do nosso processo de evolução e de aprendizagem, nos fortalecem e nos tornam mais atentos no futuro a situações semelhantes. Ao planear o meu projeto de intervenção, apesar das dificuldades que esperava enfrentar, sempre achei que este era importante para melhorar os cuidados de enfermagem à pessoa submetida a TMO e à sua família, e que tal importância seria uma força motora poderosa para a sua concretização. Senti, na globalidade, que desenvolvi as atividades a que me propus com a implementação deste projeto. Mas devo salientar que esta não depende só de mim, envolve uma série de profissionais de saúde, de conjugação de vários fatores que podem ser pequenos obstáculos no grande objetivo final que é a sua implementação. É uma área importante e que merece grande investimento da equipa multidisciplinar da Unidade e acredito que com a correta articulação poderemos ter as Consultas de Enfermagem Pré-TMO desenvolvidas e abranger todas as pessoas submetidas a TMO e as suas famílias.
Mostrar mais

307 Ler mais

Show all 10000 documents...