Currículo - Curso de Enfermagem

Top PDF Currículo - Curso de Enfermagem:

Avaliação do currículo por alunos do Curso de Enfermagem de uma Universidade Federal

Avaliação do currículo por alunos do Curso de Enfermagem de uma Universidade Federal

Foi solicitado aos alunos que escrevessem dois de- poimentos de 15 linhas: o primeiro, sobre o que lhe agrada no Currículo do Curso de Enfermagem e o segundo, sobre o que lhe desagrada no Currículo do Curso de Enferma- gem. Em seguida, os depoimentos foram submetidos à análise de conteúdo de Bardin (1977), seguindo as regras básicas: homogeneidade, exclusão mútua, pertinência e objetividade.

8 Ler mais

Alunos como avaliadores do currículo de um Curso de Enfermagem do Nordeste do Brasil

Alunos como avaliadores do currículo de um Curso de Enfermagem do Nordeste do Brasil

A partir dos resultados parciais conclui-se que o conhecimento dos alunos do curso de graduação em En- fermagem da UFC sobre a história do curso e dos mar- cos, bem como do currículo vigente, ainda é incipiente, portanto faz-se necessário a participação efetiva dos do- centes do Departamento de Enfermagem, dos discentes, e dos integrantes do Centro Acadêmico durante a reali- zação da oficina pedagógica, realizada a cada semestre, pela coordenação do curso de Enfermagem, oportunida- de em que estão presentes também os profissionais dos serviços, cujas práticas são desenvolvidas.
Mostrar mais

10 Ler mais

Articulação teórico-prática em um currículo de um curso de Enfermagem

Articulação teórico-prática em um currículo de um curso de Enfermagem

Objetivo: Compreender como a articulação teórico-prática se efetiva num currículo de um curso de graduação em Enfermagem. Método: Trata-se de um estudo de caso único, com abordagem qualitativa, desenvolvido por meio de análise documental e por entrevistas individuais com roteiro semiestruturado com dez docentes e 14 discentes entrevistados no período de fevereiro a maio de 2015. A análise dos dados foi realizada segundo os pressupostos da Análise Crítica do Discurso. Resultados: Os dados revelaram a existência de tensões e ambivalências entre duas formas de relação entre teoria e prática. A primeira, relacionada à teoria-prática como unidade indissolúvel e a segunda à visão da teoria e prática como instâncias dicotômicas e predomínio da teoria precedendo a prática. Conclusões e implicações para a prática: Há fragilidades na efetivação da articulação teórico-prática no currículo do curso de Enfermagem investigado, evidenciando a supremacia do paradigma cartesiano no ensino superior de Enfermagem. Dessa forma, torna-se premente instituir estratégias que viabilizem a indissociabilidade teórico-prática no currículo. Palavras-chave: Enfermagem; Curso de Enfermagem; Currículo; Ensino.
Mostrar mais

8 Ler mais

Recontextualização do currículo do Curso de Enfermagem da UFPel: do texto à prática.

Recontextualização do currículo do Curso de Enfermagem da UFPel: do texto à prática.

Nessa trajetória de ressignificar o seu currículo, a comunidade acadêmica do Curso de Enfermagem da UFPel recontextualizou o discurso pedagógico oficial, buscando implementar um modelo curricular com uma visão de mundo, de educação e de saúde, para além da concepção vigente até então. Desse modo, o Curso de Enfermagem direciona-se para encontrar formas de organização do conhecimento que deem conta das orientações contidas nas resoluções oficiais sobre a formação do enfermeiro, como também no que tange aos seus próprios princípios e concepções, quais sejam, formar enfermeiros generalistas, críticos, reflexivos, competentes quanto à sua práxis. Esse movimento de recontextualização do currículo do curso, no qual a pesquisadora teve intensa participação, levou-a a entender que era necessário percorrer novos caminhos para que eu pudesse continuar ativa na construção/reconstrução desse novo currículo, tendo em vista o seu dinamismo.
Mostrar mais

211 Ler mais

Metodologia ativa e currículo: uma avaliação dos egressos de um curso de Enfermagem

Metodologia ativa e currículo: uma avaliação dos egressos de um curso de Enfermagem

Desde que passou por mudanças curriculares, o Curso de Enfermagem desenvolve um currículo integrado, orientado por competência na abordagem dialógica, organizado por Unidade Educacionais, visando a prática profissional da enfermagem, buscando a integralidade, no cuidado as necessidades individuais e coletivas de saúde e a gestão e a organização do trabalho em saúde, de acordo com os princípios do Sistema Único de Saúde (SUS). O processo ensino-aprendizagem ocorre a partir de situações do mundo do trabalho, articulando a prática a teoria, onde o estudante pode identificar e mobilizar suas capacidades, incorporando ética e valores para resolver com pertinência uma situação problema. Para Sacristán (2000), a orientação curricular que centra sua perspectiva na dialética entre teoria e prática torna-se um eixo integrador modelando a própria prática, incluindo a crítica e o entendimento do currículo como objeto social. Os depoimentos dos egressos, apontaram positivamente que o currículo possibilitou a formação de um profissional generalista, ético, empático, com capacidade de liderança e de trabalhar em equipe, com domínio, segurança e conhecimento, com visão ampliada, humanizada (E19) e integral às necessidades de saúde das pessoas, nas diferentes fases do ciclo da vida e contextos.
Mostrar mais

10 Ler mais

Custos educacionais totais de currículo integrado de enfermagem.

Custos educacionais totais de currículo integrado de enfermagem.

Analisando-se os dados históricos da Universidade para o curso de Enfermagem * , constata-se que o custo/médio/aluno/ano diminuiu em 2005. Porém, deve-se considerar, além das variações cambiais, outros fatores que podem ter gerado a diminuição desses custos como a política de contenção de despesas do governo estadual, entre outros. A realização concomitante do currículo integrado e do currículo clássico pode também ter ocasionado aumento de custos em 2000 e 2001. Os custos apresentados até essa etapa relacionaram- se às HCDs (custos diretos), na graduação, e aos respectivos custos indiretos. Foram consideradas nesta pesquisa, exclusivamente, as atividades docentes relacionadas à graduação, passíveis de mensuração.
Mostrar mais

7 Ler mais

Enfermagem: o currículo integrado na avaliação e percepção dos docentes.

Enfermagem: o currículo integrado na avaliação e percepção dos docentes.

(Professor4, 5, 6, 7, 8,), a ... dedcação, compromisso e cooperação dos professores entre SI; na elaboração e na implementação do Módulo I (Professor 2, 5, 6 e 10), ... o empenho do Colegiado de Curso (Professor 2, 5, 1 0 e 12), ... o apoio da o do CCS(Professor 2, 1 0 e 1 2 ) , ... o desejo de inovar e cnor, tendo a responsaade de formar um profissional mais consiente de suas responsabIdades. (Professor 12), o .. . estimulo do grupo para connuar avançando (Professor 4). a . .. união do grupo durante o processo de construção do Módulo " e, mais ainda, durante sua implementação ( P rofessor 5), o . . . apo io do Projeto UN, patrocinando eventos e estimulando a busca de atenativas de ensino mais adequadas â ormação do profissional que e deseja ter atuando no setorde saúde (Professor 9), a . . . adesão ds docente,
Mostrar mais

8 Ler mais

Currículo por competência e metodologia ativa: percepção de estudantes de enfermagem.

Currículo por competência e metodologia ativa: percepção de estudantes de enfermagem.

Apresenta-se, a seguir, os elementos estruturais da avaliação escrita, instituída com destaque às disciplinas nos dois primeiros anos do curso, e ilustrações de dados empíricos dos sujeitos investigados. Evidenciou- se que as turmas de estudantes diferiram na opinião em relação ao aprendizado obtido em SI e ICI e II. As primeiras airmam terem desenvolvido habilidades de comunicação, observação e escrita, e de iniciativa, além de aprender a coletar dados, conforme as falas: aprendemos a ver, ouvir, sentir (SI:06/17); fomos aprendendo o que eram necessidades de saúde, realmente, com a coleta de dados (SI:06/1).
Mostrar mais

7 Ler mais

Avaliação da implantação do currículo integrado no programa de graduação em enfermagem.

Avaliação da implantação do currículo integrado no programa de graduação em enfermagem.

O estudo fundamentou-se nas seguintes estra- tégias: reuniões com docentes da comissão de en- sino para análise, reformulação e aprovação final da proposta e do instrumento da coleta de dados; análise documental dos diferentes registros (projeto pedagógico do curso, atas de reunião, cadernos do tutor e aluno, instrumentos de avaliação, portfólio do aluno, provas realizadas, dentre outros); e aplica- ção do instrumento Avaliação Pluridimensional da Dinâmica Curricular.

8 Ler mais

Avaliação da implantação do currículo integrado no programa de graduação em enfermagem

Avaliação da implantação do currículo integrado no programa de graduação em enfermagem

Objetivo: Avaliar a dinâmica de implantação do currículo integrado no programa de graduação em enfermagem. Métodos: Estudo transversal sobre a mudança do currículo integrado de curso de graduação em enfermagem, com a utilização de um instrumento de avaliação da dinâmica curricular que permitia atingir docentes e alunos. Resultados: Dos 89 participantes, 22 eram docentes e 67 discentes. Na distribuição do conjunto, segundo os níveis de adequação da dinâmica curricular, 61% consideraram como Muito Adequado, 18% apontaram como Plenamente Adequado; 9% afirmaram ser Adequado e apenas 1% registrou ser Pouco Adequado.
Mostrar mais

8 Ler mais

O currículo na e da enfermagem: por onde começar e recomeçar.

O currículo na e da enfermagem: por onde começar e recomeçar.

Projetando a realidade curricular. Os rumos de uma reorientação para a política de saúde a partir dos anos 80 e 90 amparados pelos princípios de uma nova política nacional de saúde e de formação de recursos humanos nesta área apontam para a necessidade de revermos as questões as que norteiam a prática profissional e a orientação do ensino da enfermagem (ALMEIDA et al. 1986; PINTO, 1986). O currículo mínimo do curso de graduação em enfermagem, aprovado pelo Parecer CFE n° 314/94, homologado pela Portaria n° 1.721, de 15 de dezembro de 1994 do Ministério da Educação e do Desporto, tem como referencial uma visão crítica das condições de vida, do perfil epidemológico da população, das diretrizes das políticas de saúde voltada para a descentralização e regionalização dos serviços e a municipalização da saúde.
Mostrar mais

16 Ler mais

CURRÍCULO DO CURSO ENGENHARIA MECANICA

CURRÍCULO DO CURSO ENGENHARIA MECANICA

Considerar como carga horária Optatativa para efeito de integralização Curricular, a disciplina EMC5436 Laboratório de Ciências Térmicas -36h/a cursada com aproveitamento ,ate 96.1, inclusive pelos alunos do curso de graduação em Engenharia Mecânica. A disciplina EMC5522- tem como pre-requisito 1300H/a de disciplina de código EMC cursadas e todas as disciplinas de outros códigos que compõem o curiculo até a 8. Fase, inclusive - EMC5403 + EMC 5404 equivalem a EMC1403. EMC5261 + EMC 5262 equivalem a EMC1242. O aluno deve cumprir, para integralizacao curricular, 540h/a em optativas de livre escolha dentre as cinco áreas especificas e bloco especial do rol oferecido no currículo. Ressalte-se que, do bloco especial, serao consideradas para integralizacao curricular ate no máximo 120h/a. Dispensar o aluno de Engenharia Mecânica, do cumprimento da disciplina obrigatória: EMC 5522, que cursar com aproveitamento o conjunto de disciplinas optativas EMC5606, EMC 5605, EMC5607, EMC5614 e EMC5612. As disciplinas da área de Mecânica de Precisao que possuem equivalentes considerados obrigatórias tem para efeito de integralização Curricicular ,carga horá ria computada com obrig exceto quando o aluno tiver cursado a equivalente. A carga horária minima obrigatória de disciplina Optatativa do curso(540 h/a, exigida para integralização Curricular, deve ser cumprida integralmente,independente das optativas utilizadas para dispensa das obrigatorias. Dispensar do cumprimento da disciplina EMC5445, o aluno do curso de Engenharia Mecânica que cursou com aproveitamento até 96/2, inclusive, a disciplina EMC5402. Estabelecer para efeito de
Mostrar mais

12 Ler mais

Discursos sobre pesquisa no currículo do curso de Pedagogia

Discursos sobre pesquisa no currículo do curso de Pedagogia

Esta investigação sinaliza os discursos sobre pesquisa no currículo vivido da formação inicial do/a pedagogo/a e está vinculada ao Núcleo de Formação de Professores e Processos de Ensino Aprendizagem do Programa de Pós-Graduação em Educação Contemporânea da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) – Centro Acadêmico do Agreste (CAA). A pesquisa se insere no âmbito das discussões nacionais acerca da formação inicial de professores, com ênfase no currículo, e se propõe a compreender como os discursos em torno da pesquisa vêm sendo tecidos no currículo vivido do curso de Pedagogia. Elencamos como objetivos específicos: 1) Identificar os formatos discursivos atribuídos à pesquisa no currículo vivido do curso de Pedagogia, e, 2) Identificar como os estudantes integrantes e não integrantes de grupos de pesquisa percebem a pesquisa no currículo vivido do curso. Salientamos que o currículo vivido é apresentado nessa pesquisa como expressão dos discursos dos sujeitos colaboradores, nesse caso os 6 (seis) estudantes do 9º (nono) período do curso de Pedagogia da UFPE/CAA. Quanto ao instrumento teórico-metodológico, foi utilizada a abordagem qualitativa de pesquisa, e como instrumento de coleta de dados a entrevista semiestruturada. Logo, à medida que buscamos a compreensão dos discursos que envolvem a pesquisa na formação inicial, tomamos a Análise de Discurso na perspectiva francesa trabalhada por Orlandi (2010, 2012) para o tratamento dos dados, à medida que o discurso se inscreve num movimento, num percurso, num curso de ideias que relaciona língua e sujeito, homem e mundo. Nesse sentido, para dialogar com essa perspectiva teórica, ancoramo-nos em Macedo (2001); Almeida (2011); Almeida e Guimarães (2010); André (2009); Calazans (2002); Charlot (2000); Damasceno (2002); Demo (2006); Gatti (2010) e outros pensadores
Mostrar mais

121 Ler mais

Currículo, identidade e formação do pedagogo: trajetórias de um curso

Currículo, identidade e formação do pedagogo: trajetórias de um curso

Os professores precisavam de uma formação superior. A formação Pedagógica era dada pelas Escolas Normais, que respondiam pela formação dos profissionais do magistério primário. Sentiam a necessidade de um aprimoramento de conhecimento mais teórico e prático, que somente um curso de nível superior poderia conferir. Mas, para que isso pudesse acontecer, era preciso primeiro a criação da universidade. Conforme Brezezinski (apud Campos 1940, PP. 220-247) desde a colônia até o advento da República, houve 24 (vinte e quatro) tentativas de criação de universidades no Brasil. O problema da formação de professores vem de longa data.
Mostrar mais

10 Ler mais

O currículo do PROEJA no curso de Habilidades básicas em panificação

O currículo do PROEJA no curso de Habilidades básicas em panificação

Assim, o currículo escolar deve ser construído a partir do conjunto das relações sociais estabelecidas pelos trabalhadores, setor produtivo e sociedade. Nessa con- strução, precisa-se levar em consideração os conhecimentos, as experiências dos sujeitos, bem como suas diversidades. Dessa forma, o currículo precisa expressar claramente essas relações com seus princípios, programas, metodologias e não se constituir apenas como uma série ordenada de conteúdos (BRASIL, 2007). Para se pensar currículo é preciso perguntar-se quais são os valores e os conhecimentos da cultura pública atual que merecem ser trabalhados na instituição de ensino, como identificá-los e quem os define (RIBEIRO, 2008).
Mostrar mais

12 Ler mais

CURRÍCULO E FORMAÇÃO DE ALFABETIZADORES NO CURSO DE PEDAGOGIA DA UESB

CURRÍCULO E FORMAÇÃO DE ALFABETIZADORES NO CURSO DE PEDAGOGIA DA UESB

Transparece nas falas das entrevistadas que apenas uma disciplina direcionada ao estudo da alfabetização no curso de Pedagogia é insuficiente para formar professores para atuarem nas classes dos anos iniciais de escolarização. Além disso, é importante mais en- volvimento com a prática em sala de aula. Toda teoria oferecida nas escolas de formação “só é importante na medida em que é transposta didaticamente no contexto da prática escolar e reconstruída de acordo com as necessidades que vão surgindo no percurso do trabalho do professor” (SILVA & MAGALHÃES, 2011, p. 1367).
Mostrar mais

18 Ler mais

SENTIDOS ATRIBUÍDOS AO CURRÍCULO DO CURSO DE LETRAS-INGLÊS

SENTIDOS ATRIBUÍDOS AO CURRÍCULO DO CURSO DE LETRAS-INGLÊS

Em sua asserção, a professora salienta que é na prática que os alunos se constituem e constroem essa consciência, como apontam as discussões de Vygotsky sobre a atividade que está representada nas palavras de Marx e Engels (1845-46/2008: 25) sobre a constituição da consciência. Para esses pesquisadores, “não é a consciência que determina a vida, mas a vida é que determina a consciência.‖ Segundo a professora ( a) 13., o objetivo dos professores (nosso) é educar, o que parece contrapor à transmitir conhecimento, como revelam suas palavras:. O objetivo nosso é formar esse professor que saiba que ele está ali para educar. E ele vai dar aula... O foco é o Ensino Fundamental e Médio: ele vai lidar com crianças e adolescentes de diversos tipos. Então, ele tem que entender que ele, como professor, é o educador e que o papel da língua inglesa é importante para que o aluno se torne um cidadão do mundo ). Essas asserções estão muitos próximas das proposições do Parecer CNE CP09/2001, que salienta a proposta ―de uma escola voltada para a construção de uma cidadania consciente e ativa, que ofereça aos alunos as bases culturais que lhes permitam identificar e posicionar-se frente às transformações em curso e incorporar-se na vida produtiva e sócio-política .‖ (BRASIL, 2001:9). Tanto a asserção da professora quanto a proposta do parecer vão ao encontro do objetivo de que o professor necessita formar profissionais de educação, que estejam preparados para atender à demanda da formação de alunos, que entendam seu papel político, questão amplamente discutida na compreensão sócio-histórico- culturalmente e de currículo crítico.
Mostrar mais

135 Ler mais

O CURRÍCULO DE ENFERMAGEM DA UFBA E O SUS

O CURRÍCULO DE ENFERMAGEM DA UFBA E O SUS

De acordo com as diretrizes curriculares para os cursos de enfermagem (BRASIL, 2001, p. 7), os conteúdos essenciais “[...] devem estar relacionados com todo processo saúde-doença do cidadão, da família e da comunidade, inte- grado à realidade epidemiológica e profissional, proporcionando a integralidade das ações do cuidar em enfermagem”. Os conteúdos devem contemplar as seguintes áreas: ciências bioló- gicas e da saúde, ciências humanas e sociais, ciências da enfermagem, administração de en- fermagem e ensino de enfermagem. Além dos conteúdos, a forma de organização da maioria dos currículos de formação de profissionais de saúde dispensa uma carga horária para as aulas teóricas, depois uma carga horária para as aulas práticas e, por fim, uma carga horária para os es- tágios. Desse modo, muitos professores acabam tratando os conteúdos das disciplinas de forma fragmentada (PINHEIRO et al., 2003).
Mostrar mais

10 Ler mais

Relações de poder e controle no currículo do Curso de Direito da FURG

Relações de poder e controle no currículo do Curso de Direito da FURG

. No mesmo viés, para as práticas pedagógicas docentes e para os planos de atividades, embora ambos possam tentar reproduzir o que está expresso no Projeto Político Pedagógico, esta reprodução nunca será total. Isso significa dizer que o currículo do Curso de Direito da FURG pode se constituir num potencial espaço de mudança, na medida em que se verificar a alteração no sentido e no grau das propostas apresentadas nas Diretrizes Curriculares Nacionais, especialmente quando se analisar as mensagens recontextualizadas pelos Projetos Políticos Pedagógicos 2006 e 2012. Para esta investigação utilizou-se uma metodologia de abordagem qualitativa de inspiração bernsteiniana, a qual se articulou estudos do campo das imagens e da fotografia, percebendo-os como relevantes aportes para entender a recontextualização curricular e as orientações de codificação dos alunos para os conceitos de justiça e de justiça social. Para esta finalidade realizou-se análise documental, observação de práticas pedagógicas docentes e, particularmente com estudantes, entrevista com imagens. Pensa-se que esses estudos podem contribuir para as leituras do sistema de organização educacional no qual está inserido o Curso de Direito da FURG. Defende-se, a partir de Basil Bernstein , que as arenas de conflito existentes nas relações de poder e de controle podem potencializar uma mudança no currículo do Curso de Direito da FURG.
Mostrar mais

349 Ler mais

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO CURRÍCULO DO CURSO DE DOUTORADO

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO CURRÍCULO DO CURSO DE DOUTORADO

Depósito da Versão Definitiva da Tese O doutorando aprovado terá um máximo de trinta dias se a tese for aprovada sem exigências de alterações ou de noventa dias se a tese for aprovada com exigências de alterações, a contar da data da defesa e arguição pública da Tese, para depositar, junto à Secretaria do Curso, os exemplares exigidos da versão definitiva do trabalho aprovado (art. 87, inc. I e II, e §§ 2º e 3º do

5 Ler mais

Show all 10000 documents...