Demonstrações Financeiras Padronizadas

Top PDF Demonstrações Financeiras Padronizadas:

A DIVULGAÇÃO DAS INFORMAÇÕES SOBRE A SUBVENÇÃO ECONÔMICA PELAS COMPANHIAS ABERTAS: UMA ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS PADRONIZADAS (DFPs) DOS ANOS DE 2008 E 2009

A DIVULGAÇÃO DAS INFORMAÇÕES SOBRE A SUBVENÇÃO ECONÔMICA PELAS COMPANHIAS ABERTAS: UMA ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS PADRONIZADAS (DFPs) DOS ANOS DE 2008 E 2009

O presente trabalho tem como objetivo verificar se as companhias de capital aberto estão evidenciando de forma apropriada em suas demonstrações contábeis a subvenção governamental, conforme Pronunciamento Técnico CPC 07 do Comitê de Pronunciamentos Contábeis, aprovado pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) através da deliberação CVM n.º 555. Para a consecução do objetivo foi realizada uma análise documental das Demonstrações Financeiras Padronizadas (DFPs) e suas respectivas Notas Explicativas (NEs) dos anos de 2008 e 2009 das empresas listadas no Ibovespa, que informaram possuir subvenção governamental no ano de 2008. Deste modo a pesquisa caracteriza-se por ser quantitativa e qualitativa. A pesquisa caracteriza-se ainda como exploratória, no que diz respeito aos objetivos. Verificou-se com essa pesquisa que a maioria das empresas pesquisadas não apresentaram de forma apropriada as informações referente a subvenção governamental nos anos de 2008 e 2009 conforme determina o CPC 07.
Mostrar mais

74 Ler mais

O valor agregado das informações do relatório anual das companhias de capital aberto: uma avaliação sob a ótica de analistas de fundos de pensão

O valor agregado das informações do relatório anual das companhias de capital aberto: uma avaliação sob a ótica de analistas de fundos de pensão

Formulário DFP - Demonstrações financeiras padronizadas Melhorias propostas para O Sl.. As informações financeiras, contidas no relatório anual das Companhias de capital aberto, foram av[r]

177 Ler mais

A comparabilidade das demonstrações financeiras na Europa

A comparabilidade das demonstrações financeiras na Europa

No aspeto de jure, de acordo com Tay e Parker (1990), a regulamentação contabilística pode ser expressa de diversas maneiras – lei estatutária e/ou normas profissionais, através de um organismo regulamentar ou através de normas geradas espontaneamente de prática aceitável (GAAP). Em muitos países a regulamentação contabilística é originada de uma combinação destas fontes. O incumprimento da regulamentação contabilística de diferentes fontes tem consequências diferentes. O cumprimento da regulamentação legal é compulsória e o incumprimento tem repercussões legalmente definidas, como, por exemplo, a aplicação de multas ou prisão aos responsáveis da companhia. O incumprimento de normas contabilísticas profissionais exatamente com as mesmas exigências pode não ter as mesmas consequências legais, pois têm uma natureza mais voluntária no seu cumprimento. As normas contabilísticas profissionais estão dotadas de graus variáveis de autoridade nos diferentes países. Mesmo quando o cumprimento para com as normas é legalmente exigido, as companhias poderão não as cumprir se for percebido que as consequências do incumprimento não são sérias. Por exemplo, na Austrália existem comissões em cada estado (Corporate Affairs Commission) que devem monitorizar o cumprimento das normas aprovadas pelo Accounting Standards Review Board, mas não é claro o que estas comissões podem fazer às companhias incumpridoras. Nos EUA, a SEC tem o poder de recusar o registo das demonstrações financeiras. Para mais, tanto as regulamentações legais como profissionais podem aplicar-se a todas as empresas ou apenas a um subgrupo especificado de companhias, como as cotadas em bolsa. Nesse sentido, Tay e Parker (1990) salientam que quando se procura mensurar o cumprimento das normas, deve atender-se aos diferentes tipos de regulamentação e aos diferentes tipos de companhias a que se destinam.
Mostrar mais

183 Ler mais

O impacto da adoção das IPSAS em três autarquias portuguesas: Valpaços, Albufeira e Sintra

O impacto da adoção das IPSAS em três autarquias portuguesas: Valpaços, Albufeira e Sintra

A contabilidade no setor público difere da contabilidade do setor privado. Vários autores defendem que as normas para o sector público não devem ser uma cópia das normas do sector privado uma vez que os objetivos e as metas dos dois setores diferem (Newberry, 2001 ; Wynne, 2004 ; Anessi-Pessina et al., 2008 ; Oulasvirta, 2014) . O privado está direcionado para o lucro enquanto o setor público está direcionado para a satisfação dos cidadãos e das suas necessidades. De acordo com Mc Gregor (1999), o setor privado fornece bens e serviços com o objetivo de obter o lucro enquanto o setor público, fornece bens e presta serviços mas de acordo com os objetivos propostos, que necessariamente não têm de ser obter lucro. Outra diferença apontada por estudiosos é a complexidade do setor público devido à grande variedade de serviços que este presta, o que também dificulta a medição da performance do mesmo e que muitas vezes nem pode ser medida através das Demonstrações Financeiras, pois na maioria dos casos essa performance e os objetivos são observados pelos impactos que têm sobre as populações (Grossi e Steccolini, 2014).
Mostrar mais

102 Ler mais

UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO, CONTABILIDADE E CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO E DOCUMENTAÇÃO (FACE) PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO (PPGA) CURSO DE MESTRADO EM ADMINISTRAÇÃO (CMA)

UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO, CONTABILIDADE E CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO E DOCUMENTAÇÃO (FACE) PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO (PPGA) CURSO DE MESTRADO EM ADMINISTRAÇÃO (CMA)

majoritariamente por instituições financeiras, além de consultorias, outras empresas não-financeiras e fundos de previdência complementar. As estatísticas produzidas pelo sistema e divulgadas pelo Banco Central incluem a mediana, a média, o desvio-padrão e o intervalo máximo/mínimo. A mediana das expectativas é a estatística monitorada com maior atenção e divulgada no "Relatório de Mercado" Todos os relatórios divulgados e as séries históricas disponíveis na internet compreendem apenas estatísticas consolidadas. O sistema de expectativas de mercado coleta projeções anuais e mensais para os principais índices de preço (IPCA, IPCA-15, INPC, IPC-Fipe, IGP-DI, IGP-M, IPA-DI e IPA-M), crescimento do PIB (total e por setores de atividade), produção industrial, taxa de câmbio, taxa Selic, variáveis do Balanço de Pagamentos (comércio exterior, saldo em conta corrente e investimento estrangeiro direto) e resultados fiscais (superávit primário e nominal harmonizado e relação dívida/PIB).
Mostrar mais

176 Ler mais

IMPLEMENTAÇÃO DA GOVERNANÇA CORPORATIVA NAS EMPRESAS DE CAPITAL ABERTO: UM ESTUDO COM ÊNFASE NA AUDITORIA

IMPLEMENTAÇÃO DA GOVERNANÇA CORPORATIVA NAS EMPRESAS DE CAPITAL ABERTO: UM ESTUDO COM ÊNFASE NA AUDITORIA

para analisar as demonstrações financeiras, promover a supervisdo e a responsabilização da Area financeira, garantir que a Diretoria desenvolva controles internos confiáveis, [r]

117 Ler mais

Dissertacao   Jackson Sebastião   final

Dissertacao Jackson Sebastião final

Tentou-se encontrar alguma relação entre o nível de utilização da informação contida nas demonstrações financeiras e a rendibilidade das entidades; verificar se os valores alcançados eram típicos dos setores de atividades; ou, ainda, constatar se existiam fatores intrínsecos que afetassem quer a utilidade das demonstrações quer as rendibilidades das mesmas obtidas pelas entidades. Por se tratar de um estudo meramente descritivo não foi possível comprovar qualquer das relações acima identificadas. Ou seja, não se pode afirmar que exista qualquer relação entre o nível de utilização da informação contida nas demonstrações financeiras e a rendibilidade das entidades, apesar de se notar que aquelas entidades que apresentavam maiores rendibilidades eram, também, as que mais utilizavam as informações contidas nas demonstrações financeiras. Também, não foi possível verificar se os valores alcançados são típicos dos setores de atividades. Portanto, há que investigar de forma mais profunda as informações financeiras e não financeiras para se comprovar os fatores intrínsecos que afetam quer a utilidade das demonstrações quer a rendibilidade das mesmas.
Mostrar mais

73 Ler mais

MPACTO DA APLICAÇÃO DAS NORMAS INTERNACIONAIS DE CONTABILIDADE NAS EMPRESAS DO PSI

MPACTO DA APLICAÇÃO DAS NORMAS INTERNACIONAIS DE CONTABILIDADE NAS EMPRESAS DO PSI

Decreto-lei nº35/2005 de 17 de Fevereiro, transpôs a Directiva nº2003/51/CE do Parlamento europeu e do Conselho de 18 de Junho, relativa à modernização das directivas contabilísticas. Esta alterou as Directivas nºs 78/660/CEE, 83/349/CEE, 86/365/CEE e 91/674/CEE, relativas às contas anuais e às contas consolidadas de certas formas de sociedades, bancos e outras instituições financeiras e empresas de seguros visando assegurar a coerência entre a legislação contabilística comunitária e as normas internacionais de contabilidade (NIC), em vigor desde 1 de Maio de 2002. Passando, Portugal, a cumprir com o estipulado no artigo 5º do Regulamento (CE) nº1606/2002 do Parlamento Europeu e do Conselho de 19 de Julho, no que diz respeito à aplicação das NIC
Mostrar mais

70 Ler mais

Justo valor como método de mensuração: opção das empresas cotadas na Euronext Lisboa

Justo valor como método de mensuração: opção das empresas cotadas na Euronext Lisboa

No entendimento de alguns especialistas, os ativos e passivos terão de ser mensurados ao justo valor em detrimento do custo histórico, uma vez que este revela pouca utilidade para as decisões económicas. Segundo Bastos (2009) o critério do justo valor, assente normalmente, em valores correntes de mercado, produz uma informação mais atualizada, pode ser encarado como uma forma de complementar as insuficiências do critério do custo histórico em termos de relevância, mas a elevada subjetividade inerente à ausência de mercado ativo, leva a que o critério do justo valor deixe de constituir verdadeiramente uma alternativa para a mensuração de todos os elementos das demonstrações financeiras. Neste contexto, a mensuração é um dos problemas com que a contabilidade se confronta.
Mostrar mais

91 Ler mais

O impacto da adoção do SNC nas empresas portuguesas de construção e de comércio por grosso

O impacto da adoção do SNC nas empresas portuguesas de construção e de comércio por grosso

Neste contexto, como referimos, uma das características primárias são a compreensibilidade e a comparabilidade. A comparabilidade é assegurada pelo balanço à data de 01/01/2010 em SNC, na medida em que as primeiras demonstrações financeiras de acordo com as NCRF de uma entidade devem incluir, pelo menos, um ano de informação comparativa segundo as NCRF. A compreensibilidade dos ajustamentos relativos à transição é assegurada pelas divulgações exigidas pela NCRF 3. Assim, uma entidade deve explicar de que forma a transição do referencial contabilístico anterior para NCRF afetou a posição financeira, os resultados e os fluxos de caixa. Nesse sentido, a NCRF 3 requer as seguintes divulgações nas demonstrações financeiras elaboradas pela primeira vez em NCRF:
Mostrar mais

73 Ler mais

ANÁLISE FINANCEIRA DA EMPRESA FLEURY S.A.: desafios e oportunidades no mercado de medicina diagnóstica

ANÁLISE FINANCEIRA DA EMPRESA FLEURY S.A.: desafios e oportunidades no mercado de medicina diagnóstica

As demonstrações financeiras são importantes para visualizar a posição passada, presente e futura da empresa. Não existe uma forma criteriosa de como se fazer anál[r]

17 Ler mais

Efeitos contábeis da variação cambial na remuneração dos investimentos estrangeiros no Brasil

Efeitos contábeis da variação cambial na remuneração dos investimentos estrangeiros no Brasil

Dessa forma, acabamos o investidor acaba sendo prejudicado, pois às vezes, os administradores optavam em atender interesses próprios, e não dos acionistas, quando do disclosure dessas informações nas Demonstrações Contábeis. Em suma, isso acabava distorcendo a análise de desempenho da empresa e o retorno do capital aplicado pelo investidor.

8 Ler mais

Critérios utilizados pelos escritórios contábeis na adoção inicial do pronunciamento CPC PME

Critérios utilizados pelos escritórios contábeis na adoção inicial do pronunciamento CPC PME

A adoção da IFRS pelas PME segundo o Banco Mundial possui como principal benefício a facilitação do acesso dessas empresas a diversas fontes de financiamento, o que provavelmente não seria possível de outro modo ou outras vias, sendo ainda um modelo de prestação de contas interessante para esta categoria de empresas, face ao seu porte e estrutura societária (DELOITTE, 2010). Neste sentido, segundo o IFAC, os principais benefícios e vantagens trazidas pela aplicação do IFRS pelas PME estão relacionados principalmente a melhoria na qualidade e comparabilidade das Demonstrações Financeiras (DELOITTE, 2010). Assim, verifica-se que o conjunto destes aspectos promove maior confiabilidade das informações produzidas pelas PME, podendo suportar melhor as decisões sobre crédito, financiamento e investimento. No Brasil, tendo em vista a não existência de diversas fontes de financiamento para as PME, esta fica restrita praticamente ao BNDES.
Mostrar mais

87 Ler mais

Padrão Contábil Orientado Para Mercado e Desempenho de Analistas: Evidências no Brasil

Padrão Contábil Orientado Para Mercado e Desempenho de Analistas: Evidências no Brasil

Este estudo mostra evidências no Brasil de que as demonstrações financeiras no padrão IFRS ainda não proporcionaram para os analistas, como usuários externos da informação, os benefícios esperados para os relatórios no novo padrão contábil; pelo contrário, as propriedades de previsão de analistas apresentaram desempenho divergente do esperado, gerando a discussão sobre a relevância do padrão IFRS na produção de relatórios financeiros, dado que sua utilização por analistas de mercado não contribuiu, no período estudado, para incremento de seu desempenho.
Mostrar mais

20 Ler mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO PUC-SP

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO PUC-SP

Como o sistema de custeio por absorção surgiu para atender às necessidades das empresas para fins de avaliação de estoque (elaboração de demonstrações fiscais e financeiras) e para produzir informações que auxiliem na decisão de estabelecer os preços dos produtos ou serviços, e por ser um sistema derivado da aplicação dos princípios de contabilidade geralmente aceitos, pois considera todos os gastos industriais como relacionados ao produto, é o mais adotado pela contabilidade financeira e aceito pelo fisco e pelas auditorias contábeis.

122 Ler mais

Controladoria de gestão na PREVI: modelos, apoio à governança e Lei complementar 108

Controladoria de gestão na PREVI: modelos, apoio à governança e Lei complementar 108

Examinamos as demonstrações financeiras da PREVI - Caixa de Previdência dos Funcionários do Banco do Brasil (“Entidade”), que compreendem o balanço patrimonial consolidado (representado pelo somatório de todos os planos de benefícios administrados pela Entidade, aqui denominados de consolidado, por definição da Resolução CNPC 8) em 31 de dezembro de 2012 e as respectivas demonstrações consolidadas da mutação do patrimônio social e do plano de gestão administrativa, e as demonstrações individuais por plano de benefício que compreendem a demonstração ativo líquido, da mutação do ativo líquido e das obrigações atuariais para o exercício findo naquela data, assim como o resumo das principais práticas contábeis e demais notas explicativas.
Mostrar mais

171 Ler mais

PauloCosta  Dissertacao MCF

PauloCosta Dissertacao MCF

Para o goodwill negativo o POC proponha duas alternativas: “a diferença pode ser repartida pelos ativos não monetários individuais adquiridos, na proporção dos justos valores destes. Alternativamente, esta diferença pode ser tratada como proveito diferido e imputada a resultados numa base sistemática, durante um período que não ultrapasse cinco anos, a menos que a vida útil mais extensa possa ser justificada nas demonstrações financeiras, não excedendo, porém 20 anos 33 ”.

76 Ler mais

Estudo da liquidez e solvência empresarial: uma avaliação do comportamento das taxas de recuperação de caixa das companhias industriais nacionais

Estudo da liquidez e solvência empresarial: uma avaliação do comportamento das taxas de recuperação de caixa das companhias industriais nacionais

A informação provida na demonstração de fluxos de caixa, se utilizada com a divulgação e informação relacionada das outras demonstrações financeiras, deveria auxiliar investid[r]

186 Ler mais

INDICADORES DE SUCESSO E SEUS REFLEXOS NA GESTÃO

INDICADORES DE SUCESSO E SEUS REFLEXOS NA GESTÃO

A principal observação que se deve fazer sobre essas sub-contas se refere à sub-conta Estoques. Contabilizados a preço de custo, como determina a lei, não se pode garantir que venham a ser vendidos por preço superior aos respectivos custos, podendo, inclusive, se constituírem em produtos não vendáveis. É necessário um acompanhamento cuidadoso do saldo em elevação ao longo do tempo, uma vez que um saldo em elevação nessa conta poderá significar que a empresa está sendo conduzida a uma situação de iliquidez real. Deve-se notar que é prática comum, em períodos de inflação elevada coincidente com taxas de juros baixas e crédito abundante, as empresas aumentarem seus níveis de estoques, financiando-os com empréstimos bancários para se apropriar no futuro de ganhos adicionais resultantes dessa política. Ao contrário, em períodos de vendas fracas e taxas de juros elevadas e crédito restrito, a política empresarial correta é manter reduzidos os estoques, para evitar problemas de liquidez e de despesas financeiras elevadas.
Mostrar mais

200 Ler mais

Show all 1055 documents...