Design de superfícies

Top PDF Design de superfícies:

Aspectos socioculturais no design de superfícies têxteis

Aspectos socioculturais no design de superfícies têxteis

Este artigo relata a experiência de uma prática pedagógica com foco no Design de superfícies têxteis. A prática compreendeu a criação de padronagens têxteis e teve como base a transposição de aspectos socioculturais de determinados países para a materialização de amostras têxteis. Realizada no primeiro semestre do ano letivo de 2019, a prática envolveu estudantes da disciplina de Padronagens têxteis, ministrada pela Professora Doutora Dulce Maria Holanda Maciel. Metodologicamente, este relato enquadra-se como pesquisa descritiva, qualitativa, bibliográfica e de campo, uma vez que sua coleta de dados envolveu levantamento bibliográfico e recortes dos trabalhos produzidos pelos estudantes, seguida de análise narrativa e interpretativa. Infere-se que a hipótese traçada pela professora sobre os futuros designers poderem articular aspectos socioculturais como fonte de pesquisa e de inspiração para a criação de novas padronagens têxteis foi corroborada mediante a literatura investigada e a experiência relatada.
Mostrar mais

19 Ler mais

Design Generativo de Superfícies: uma análise do uso de programação para o desenvolvimento de estamparia

Design Generativo de Superfícies: uma análise do uso de programação para o desenvolvimento de estamparia

O uso de linguagem de programação no processo de desenvolvimento de design traz uma nova perspectiva aos métodos ao possibilitar que o designer, ao invés de criar e desenhar, informe parâmetros à um sistema computacional para que o mesmo atenda às necessidades do projeto. Em adição a isso, os princípios dos sistemas generativos podem ser expressivos, suscitando em ferramentas de criação que extravasam a limitação da imaginação e fornecem soluções dinâmicas e customizadas. A modelagem generativa considera para a concepção da forma o uso dos princípios de geometria alinhados com a programação de dados e as características de sistemas complexos que apresentam emergência e auto- organização. Nesse cenário, o presente artigo apresenta e discute as relações do design paramétrico e generativo com o design de superfícies estampadas. Como resultado, é apresentado como essa área pode se beneficiar dos novos métodos e evoluir suas práticas projetuais na criação do design de moda.
Mostrar mais

17 Ler mais

Design para superfícies sensíveis : desenvolvimento de superfícies para uma caldeira industrial

Design para superfícies sensíveis : desenvolvimento de superfícies para uma caldeira industrial

Tudo se desenvolve quando, também em 2012, um novo edifício é construído em frente ao Hospital, levantando complexas questões ao nível do design de superfícies (o que separa estes dois não é nada mais do que um pequeno corredor, um beco). Trata-se de uma planificação urbana atual de um novo edifício que partilha um espaço muito próximo de um edifício histórico sem grandes soluções para as questões técnicas que possam apresentar, nomeadamente as respetivas problemáticas estéticas. A fachada do novo edifício foi pensada e desenhada como um espaço aberto dando prioridade a uma futura restruturação espacial de onde se encontra inserido (é importante salientar que o Hospital será demolido passados quinze anos), contendo assim umas janelas enormes com vista, diretamente, para as tubagens, drenagens e ligações vitais que estão instaladas no exterior do Hospital.
Mostrar mais

145 Ler mais

Reabilitação de superfícies de betão aparente

Reabilitação de superfícies de betão aparente

Assumindo os pressupostos apresentados relativos ao estado de deterioração do elemento e às suas causas e considerando [5, 26, 32, 33], após o tratamento das superfícies surge, em primeiro lugar a aplicação de produtos que conferem protecção contra a corrosão das armaduras, aplicados tanto em situações em que a corrosão é provocada pela acção da carbonatação como pela acção dos cloretos. Nomeadamente revestimentos activos ou revestimentos barreira. Os revestimentos barreira impõem um maior cuidado no tratamento das armaduras antes da aplicação e durante a sua própria aplicação [26]. Se tal não for conseguido o desempenho do revestimento ficará desde logo comprometido. A característica de desempenho destes produtos obrigatória para todas as utilizações, segundo a NP 1504-7[30], é a “Protecção contra a corrosão”, definida pelo método de ensaio presente na EN 15183[49]. Aceitar-se-ão todos os produtos que satisfaçam, de acordo com o método de ensaio referido, o seguinte requisito: as zonas revestidas não exibem corrosão e se a ferrugem, sob o revestimento após a remoção deste, é inferior a 1mm.
Mostrar mais

181 Ler mais

Um estudo sobre superfícies em R3

Um estudo sobre superfícies em R3

Como temos um produto interno numa superfície abstrata. M, podemos definir em M uma primeira forma fundamental.[r]

183 Ler mais

E03 - Medidas de superfícies equipotenciais

E03 - Medidas de superfícies equipotenciais

O trabalho W realizado por forças conservativas dois pontos não depende da trajetória e pode ser facilmente calculado a partir da diferença de valores de um campo escalar[r]

8 Ler mais

A fibração de Hopf e superfícies de Willmore

A fibração de Hopf e superfícies de Willmore

Uma imersão X : M 2 → R 3 é dita uma Superfície de Willmore se é ponto crítico do funcional W(X) = R M H 2 da. Até 1986, os únicos exemplos conhecidos de tais superfícies eram obtidas a partir de projeções estereográficas de superfícies mínimas e compactas mergulhadas em S 3 . Neste trabalho mostramos a existência de uma infinidade de superfícies de Willmore que não provém de superfícies mínimas em S 3 , usando os

8 Ler mais

Tratamento de superfícies metálicas por nanotecnologia

Tratamento de superfícies metálicas por nanotecnologia

fosfatos sendo de futuro necessário avaliar qual o impacto e qual a melhor forma de avaliar as consequências da emissão de nanopartículas para o meio ambiente. A atual dissertação focou-se no estudo do tratamento de conversão no aço comum, sendo relevante mencionar que estas tecnologias poderão ser aplicadas em outro tipo de metais, nomeadamente alumínio, onde já existem numerosos estudos e testes industriais com bons resultados com este tipo de tecnologia. Também relativamente à aderência da tinta existem recentemente desenvolvimentos para a aplicação de produtos promotores de aderência de pintura sobre superfícies metálicas, que se enquadram na designação de tratamento nanotecnológico dada a ordem de magnitude da capa produzida (nanómetros). Este tipo de produtos também aumenta a resistência à corrosão do conjunto substrato + pintura e são igualmente úteis como inibidores de corrosão em processos de tratamento anteriores à pintura.
Mostrar mais

143 Ler mais

Anéis quânticos em superfícies não-orientáveis

Anéis quânticos em superfícies não-orientáveis

bidimensionais, com um enfoque especial em variantes do problema mais tradicional, em que tais anéis se apresentam sob a forma de superfícies não-orientáveis, como, por exemplo, a faixa de Möbius. Na primeira parte, com uma abordagem em que percorremos desde a construção dos tais anéis quânticos até a apresentação de algumas de suas características, estabelecemos as bases necessárias para a introdução da variação desejada na topologia do anel. Apresentamos, inicialmente, duas formas distintas de produzir o confinamento dos elétrons em anéis, sendo eles orientáveis ou não. Logo em seguida, introduzimos o fluxo Aharonov-Bohm na configuração e, ao longo de praticamente todo o capítulo, procuramos responder, dentre outras questões, sobre como esse fluxo afeta, especialmente, a função de onda, as condições de contorno e, consequentemente, as energias. Anteriormente a isso, no entanto, é realizada uma breve discussão a respeito de algumas peculiaridades relativas a essa introdução, em particular.
Mostrar mais

59 Ler mais

Publicações do PESC Reconstrução de Superfícies Baseada em Conceitos de Multi-Resolução e o Modelo de T-Superfícies

Publicações do PESC Reconstrução de Superfícies Baseada em Conceitos de Multi-Resolução e o Modelo de T-Superfícies

Como já mencionado anteriormente, o sistema oferece diversas fosmas de inicialização do modelo de T-Superfícies: (1) usando-se um objeto de topologia esférica totalmente inter[r]

72 Ler mais

Fungos em piscinas: Água e Superfícies

Fungos em piscinas: Água e Superfícies

Terapêuticas Municipais Outras Água à superfície contaminação superior piscinas terapêuticas. Água a 30 cm contaminação superior piscinas terapêuticas[r]

8 Ler mais

Superfícies quádricas. Transformação das coordenadas

Superfícies quádricas. Transformação das coordenadas

Para isso, nosso objetivo é confeccionar um texto didático para alunos de graduação na área de Ciências Exatas e da Terra, concernente ao estudo das superfícies quádricas, objetivando classificar estas superfícies, isto é, obter todas as possíveis quádricas do espaço tridimensional.

85 Ler mais

Geometria diferencial de superfícies

Geometria diferencial de superfícies

N˜ao vamos ver nesta folha de conclus˜ao resultados significativos sobre a geometria diferencial de superf´ıcies (esses est˜ao na se¸c˜ao 5.5), mas podemos dizer que para definir curvatu[r]

121 Ler mais

Superfícies e sólidos esféricos

Superfícies e sólidos esféricos

Por fim, no século XIX, surge o período das matemáticas contemporâneas com a re- consideração crítica do sistema de axiomas, dos métodos lógicos e demonstrações matemáticas. Por volta de 1820, Carl Friedrich Gauss (1777-1855), na tentativa de entender a geometria de superfícies curvas, verificou a necessidade de uma geometria distinta da Euclidiana. Contudo, nunca publicou suas ideias. Em 1829, o matemático Nicolai Lobachevsky (1792-1856) publi- cou seu trabalho sobre uma nova geometria, considerado o marco do nascimento oficial das geometrias não Euclidianas.

128 Ler mais

Superfícies midiáticas urbanas

Superfícies midiáticas urbanas

155 As “coberturas culturais” consistiriam de quatro corredores metálicos vazados ligando o anel exterior da praça à sua área central. O interior dessas coberturas seria equipado com projetores que exibiriam, nas laterais da estrutura, conteúdo cultural de livre acesso por meio de dispositivos pessoais com acesso à internet (FIGURA 23). Já as “lixeiras interativas” atuariam em conjunto com tótens; um sensor conectando ambos os aparatos faria com que, a cada uso de uma lixeira, o totem correspondente emitisse uma mensagem audiovisual de agradecimento pelo gesto de civilidade (FIGURA 24). Por último, as “calçadas de LEDs” seriam obtidas pela aplicação de LEDs vermelhos sobre todos os grafismos da praça; estes seriam iluminados pela pisada das pessoas e apagados quando cessada a pressão. Percebe-se que as soluções descritas acima, a exemplo de outros trabalhos aqui apresentados, mesclam diferentes domínios tecnológicos procurando superar os conflitos espaciais e melhorar a habitabilidade da praça Raul Soares. Em todo caso, interessa-nos, sobretudo, avaliar como os recursos de T.I. foram aplicados nos projetos, e o papel desempenhado tanto pelas superfícies da cidade quanto pelas superfícies comunicativas e midiáticas – como telas, projeções e interfaces.
Mostrar mais

181 Ler mais

Interacção por toque em múltiplas superfícies

Interacção por toque em múltiplas superfícies

Bezerianos e Balakrishnan (2005) apresentam e discutem uma técnica para ecrãs de grande dimensão a que chamam “Vacuum”, que estende a ideia básica das técnicas “Drag-and-pop/pick”. Em primeiro lugar, identificam os princípios base que a concepção e design da técnica deve seguir: minimizar o movimento físico, ser previsível, coerente, transparente e flexível. O “Vacuum” é muito semelhante à técnica “Drag-and-pop/pick” no que diz respeito à criação de cópias, mas implementa algumas extensões, que tentam colmatar as lacunas previamente mencionadas. O “Vacuum” redimensiona o tamanho das cópias e as suas posições para que o espaço à volta do cursor seja menos confuso e as sobreposições sejam mínimas. É importante observar, que apesar de serem mínimas, as alterações propostas por esta técnica, em relação às já existentes “Drag-and-pop/pick”, representam melhorias significativas na sua usabilidade.
Mostrar mais

97 Ler mais

Interacção gestual sem superfícies de apoio

Interacção gestual sem superfícies de apoio

Para tal v´arios factores foram avaliados: tempo m´edio de reflex˜ao para cada acc¸˜ao foi contabilizado; n´umero de vezes que os participantes se socorreram da folha; de que modo utiliz[r]

95 Ler mais

Estratégias promocionais em superfícies retalhistas

Estratégias promocionais em superfícies retalhistas

A análise entre os momentos de definição de preços promocionais permitiu também concluir que os retalhistas não demonstram uma preocupação significativa em gerir a imagem que[r]

62 Ler mais

Superfícies de Weingarten no Espaço Hiperbólico

Superfícies de Weingarten no Espaço Hiperbólico

Agora vamos estudar a teoria de imersões isométricas em uma variedade com uma dimensão maior que a usual. Vamos generalizar as expressões das curvaturas média e gaussiana e também os coe…cientes da primeira e segunda formas fundamentais. Apresentaremos todos os operadores adaptados para o R 4 e as expressões das curvaturas das superfícies imersas. Finalizaremos com o exemplo de superfícies que são grá…cos de alguma função.

118 Ler mais

Skew Loops e Superfícies Quádricas.

Skew Loops e Superfícies Quádricas.

A prova deste teorema será feita com o auxílio de diversos resultados intermediários, por exemplo, iremos usar o conceito de homotopia regular para mostrar que superfícies positivamente curvadas não admitem guras-oito que sejam skews (Proposição 4.1.1), e aplicando esse resultado, provaremos que superfícies quádricas convexas não admitem skew loops.

76 Ler mais

Show all 6987 documents...