Difusão científica

Top PDF Difusão científica:

Difusão científica, comunicação e saúde.

Difusão científica, comunicação e saúde.

O conhecimento científico pode ser formaliza- do e objetivado para a comunicação, uma for- ma de difusão científica (Targino, 1997) que pode se dar na educação em saúde em institui- ções de cuidados à saúde, na escola (por exem- plo, no ensino de ciências) ou por outros ca- nais. Embora o conteúdo da comunicação para difusão científica em saúde demande precisão, profundidade, explanação de mecanismos de doença e metabólicos, clareza, estilo conversa- cional e atualidade científica, quase como via de regra esse conjunto de requisitos está pouco presente (Boyd, 1987). Ganha realce a necessi- dade de se darem a conhecer os mecanismos de prevenção, instalação, atuação e tratamento das doenças. Fourez (1995) denomina isto de “caixa preta”, ou seja, defende a necessidade de se desvendarem, na educação e comunicação científicas, os mecanismos pelos quais os even- tos de saúde e doença ocorrem. Saber o como e o porquê, exemplificados através de modelos, seria essencial para a alfabetização em ciência. Donaldson (1976) explica que, numa situa- ção que demande uma compreensão normal, pode-se utilizar o conhecimento do mundo à nossa volta, mas quando é necessário pensar logicamente, é preciso uma compreensão ana- lítica que requer a formação de suposições. A prescrição de “receitas” não favorece a comu- nicação; obstaculiza o diálogo, a reflexão e a negociação que um processo comunicacional genuíno poderia compreender (Fourez, 1997). Nesse sentido, as tentativas de educação para a saúde baseiam-se em métodos transmissionais (Sampaio, 2000) e exógenos ao sujeito (Don- neys, 1991). A educação pode pontificar-se por ações tecnocráticas, ou, ao contrário, por mo- delos de comunicação favorecedores do inter- câmbio e da auto-gestão (Saviani, 1988), refle- xão que pode ser extrapolada para a difusão científica em saúde, seja sob a ótica do ensino de ciências nas escolas, seja na atenção primá- ria em instituições de saúde. Essa educação veio se caracterizando por ênfases que passam do foco quase exclusivo nos processos biológi- cos das doenças ao foco no comportamento in- dividual, marcado por recomendações de con- dutas apropriadas e desvinculado do contexto sócio-econômico e de outras intrincadas inter- relações, que muitas vezes são a causa direta ou indireta da doença (Lima, 2000). A reflexão sobre essa realidade auxilia na tomada de consciência das condições e no engajamento em transformá-la.
Mostrar mais

8 Ler mais

Web 2.0 como estruturante dos processos de produção e difusão científica em um grupo de pesquisa: o TWIKI e o GEC.

Web 2.0 como estruturante dos processos de produção e difusão científica em um grupo de pesquisa: o TWIKI e o GEC.

Ilhéus: já foi considerada a capital do cacau e hoje é uma das seis cidades mais importantes da Bahia (sul do estado, 530 quilômetros da capital). Palmas: menor capital do Brasil, no e[r]

14 Ler mais

A Produção Científica em Saúde Coletiva (1994-1995).

A Produção Científica em Saúde Coletiva (1994-1995).

A difusão dessa produção é mais restri- ta (é preciso, aliás, não identificar produção e difusão científica, para evitar distorções na avaliação objetiva da produção docente): re- lató[r]

25 Ler mais

Produção científica dos cursos de pós-graduação em Saúde Coletiva no período 1998-2006.

Produção científica dos cursos de pós-graduação em Saúde Coletiva no período 1998-2006.

Resumo O grande crescimento da pós-graduação no Brasil, também observado na grande área de Saúde e na Saúde Coletiva, torna necessário equa- cionar como se processa a difusão científica. Aná- lises qualitativas sobre as principais temáticas têm sido feitas a partir das revistas científicas e do di- retório de grupos de pesquisa. O acordo feito entre a Abrasco e a CAPES abriu a possibilidade de ex- ploração de um banco de dados construído e usado para a avaliação dos programas de pós-graduação, sob outras perspectivas. Nesse trabalho, foram ana- lisados os artigos completos registrados na base nos três triênios do período 1998 – 2006. Para tanto, fez-se uma padronização dos títulos dos periódicos e dos títulos dos artigos completos publicados em periódicos, já que havia duplicações, em grande parte devidas à coautoria de docentes de diferentes program as. Com isso, foi possível construir um banco de dados no qual cada artigo é registrado uma única vez, a partir do qual foi possível anali- sar a evolução ao longo dos triênios dos periódicos mais frequentemente usados, número de autores, idioma, nacionalidade das revistas e cooperação interregional. Os dados aqui apresentados pode- rão subsidiar as discussões sobre a produção cien- tífica e difusão do conhecimento na área. Palavras-chave Produção científica, Saúde Cole- tiva, Pós-graduação
Mostrar mais

12 Ler mais

DIVULGAÇÃO CIENTÍFICA PARA O ENSINO DE CIÊNCIAS / Scientific Disclosure for Science Teaching

DIVULGAÇÃO CIENTÍFICA PARA O ENSINO DE CIÊNCIAS / Scientific Disclosure for Science Teaching

A difusão da ciência seria “todo e qualquer processo ou recurso utilizado para veiculação de informações científicas e tecnológicas” (BUENO, 1985b, p. 1421). Isto é, a difusão científica é a ação ou procedimento utilizado para transmitir os saberes científicos e tecnológicos, desenvolvidos pelos pesquisadores, pelos diversos meios de comunicação disponíveis, como: jornais, revistas, eventos, etc., para outros pesquisadores ou para o público leigo. Sendo que nessa concepção a difusão da ciência dividi-se em três subcategorias: a disseminação, a divulgação e o jornalismo. A disseminação científica seria o processo que pressupõe a transferência de informações, transcritas em códigos especializados, a um público seleto de especialistas. Pode ser resumida como a comunicação que se estabelece dentro da comunidade científica, a fim de difundir os resultados científicos, sendo realizada em dois níveis: 1) Intrapares: dirigida ao público especializado de uma mesma área do conhecimento e 2) Extrapares: as informações circulam para especialistas de outras áreas de conhecimento.
Mostrar mais

16 Ler mais

Estud. av.  vol.25 número73

Estud. av. vol.25 número73

Sob a coordenação do Prof. José Galizia Tundisi, professor titular aposen- tado da EESC e diretor do Instituto Internacional de Ecologia, pesquisador bra- sileiro de renome internacional e que tem grande interesse na área educacional. Em sua interação com o IEA, salientamos que realizou não apenas atividades de pesquisa e inovação na área, mas também cooperou ativamente no programa de Bacia. Este ano colaborou com o GT de Difusão Científica como Apoio à Edu- cação proferindo palestra no programa de comemorações “CienciaWeb no Ano Internacional da Química” subordinada ao tema “A química e a vida no Planeta Terra: implicações da contaminação dos recursos hídricos na qualidade da água e na biodiversidade”.
Mostrar mais

12 Ler mais

A avaliação dos achados de imagem na ressonância magnética convencional e o desenvolvimento da técnica de difusão por ressonância magnética para caracterização de lesões císticas pancreáticas

A avaliação dos achados de imagem na ressonância magnética convencional e o desenvolvimento da técnica de difusão por ressonância magnética para caracterização de lesões císticas pancreáticas

Recentemente, Inan N. et cols. publicaram estudo com 39 pacientes com lesões císticas do pâncreas e dRM nos valores b 500 e 1000. Identificaram que o valor b 1000 tem significativamente maior acurácia em relação ao b 500, pois refere persistência, neste gradiente, de alto sinal em lesões císticas benignas. Nossos resultados foram semelhantes a este trabalho, referindo que as neoplasias císticas mucinosas, adenocarcinoma e abscessos apresentaram maior sinal na seqüência de difusão. Neste estudo poucas lesões mucinosas foram avaliadas não sendo possível a sua comparação com cistos serosos (43).
Mostrar mais

101 Ler mais

Universidade Federal de Ouro Preto - UFOP, Ouro Preto, MG 35400-000 sabioniiceb.ufop.br

Universidade Federal de Ouro Preto - UFOP, Ouro Preto, MG 35400-000 sabioniiceb.ufop.br

traçadores radioativos do gadolínio, porque suas meias-vidas de 18 h 56 min e 3 min 36 s, respectivamente, são curtas para estudos de difusão. Devido a isso, utilizou-se neste trabalho isótopos naturais do gadolínio como traçadores estáveis (não- radioativos). Os perfis de difusão dos isótopos do gadolínio foram determinados por espectrometria de massa de íons secundários (secondary ion mass spectrometry - SIMS). Essa técnica, que já foi utilizada pelos autores para medir, de modo pioneiro, coeficientes de autodifusão do urânio e do oxigênio no UO 2 [6, 7], apresenta desempenho comparável ao de técnicas radioativas [8, 9].
Mostrar mais

6 Ler mais

Cartas de pedido de informação técnica: análise das relações interdiscursivas entre universidade e sociedade

Cartas de pedido de informação técnica: análise das relações interdiscursivas entre universidade e sociedade

A definição difusionista de tecnologia concebe o mundo rural distribuído em cinco categorias: inovadores, adotantes, adiantados, maioria adiantada, maioria atrasada e retardatários, dividindo, assim, os indivíduos entre modernos ou adiantados, tradicionais ou atrasados (ROGERS e SHOEMAKER, 1971). É a representação do mundo rural sem classes sociais, no qual o único conflito está na oposição moderno versus tradicional, que, aos poucos, é superada pelos meios de comunicação através da difusão do modernismo. A ideologia da modernização, elaborada para mudar a mentalidade das populações rurais do chamado Terceiro Mundo, promove valores e atitudes positivas em relação à mudança, à tecnologia, à ciência, à racionalidade, ao cosmopolitismo e à empatia. De acordo com essa teoria, tem-se a representação do homem do campo, difundida entre os agentes de modernização (extensionistas, assistentes sociais e comunicadores), fortemente estereotipada e centrada nos preconceitos da classe média urbana. Tal ideologia acompanha as práticas capitalistas no campo, segundo as quais a difusão de técnicas modernas é comercialmente pressionada pelos interesses de grandes empresas industriais, exercidas por intermédio dos meios de comunicação e de diversas formas de assistência técnica (THIOLLENT, 1984).
Mostrar mais

180 Ler mais

Revisitando o Ciclo da Inteligência Competitiva com o Conceito de “2.0” :: Brapci ::

Revisitando o Ciclo da Inteligência Competitiva com o Conceito de “2.0” :: Brapci ::

Many to Many: áà pote iaà dosà asà edia à a ess elà pa aà todosà te à u à i pa toà informacional em nível mundial. A consequência direta é uma difusão da informação cada vez mais rápida (comentários de blogs, twitter...) e mais larga e intensiva a cada vez com a ati idadeà doà “EOà .Oà “ea hà E gi eà Opti isatio .à Estaà is oà doà a à toà a à fazà aparecer a comunicação stigmergica (Elliott, 2007).

7 Ler mais

Análise exploratória da adesão ao Sistema de Seleção Unificada (SiSU) pelas universidades federais por meio da Análise de Redes Sociais mapeadas a partir de dados abertos

Análise exploratória da adesão ao Sistema de Seleção Unificada (SiSU) pelas universidades federais por meio da Análise de Redes Sociais mapeadas a partir de dados abertos

Investiga a difusão da adesão ao SiSU entre universidades federais brasileiras utilizando Análise de Redes Sociais para estudo de redes mapeadas a partir do Diário Oficial da União. Propõe um método alternativo para coleta de dados para modelagem de redes sociais para estudos do fluxo de informação na Administração pública federal e apresenta uma metodologia de identificação de relacionamento entre órgãos baseada no processamento de texto. Utilizando as teorias da difusão de inovação em redes sociais, analisa o processo de adesão ao SiSU pelas universidades federais e mostra que a rede social das universidades e o fluxo de informações nela trafegado compõem a decisão de adesão ao novo sistema de seleção.
Mostrar mais

20 Ler mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ CENTRO DE HUMANIDADES DEPARTAMENTO DE HISTÓRIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM HISTÓRIA SOCIAL JORGE LUIZ FERREIRA LIMA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ CENTRO DE HUMANIDADES DEPARTAMENTO DE HISTÓRIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM HISTÓRIA SOCIAL JORGE LUIZ FERREIRA LIMA

O presente trabalho busca analisar os conflitos presentes na construção de uma memória organizadora para as cidades da zona norte do Ceará. Interessa-nos desta memória sua ênfase na ação dos intelectuais e o desejo de atribuir às cidades em questão o estatuto de “cidade intelectual”. Obviamente, tal memória não conseguiu impor o silêncio às memórias divergentes, que lhe desafiaram a hegemonia. A principal cisão interna dessa memória surgiu junto com uma nova categoria no interior do campo intelectual: os jornalistas. Tal processo pode ser percebido a partir da análise das trajetórias profissionais e sociais de Vicente Loyola e Deolindo Barreto Lima, dois jornalistas cujas memórias constituíram um desafio àquela memória intelectual organizadora em Sobral. O recorte espacial contempla a porção noroeste do Ceará, tendo como epicentro a cidade de Sobral, onde essa memória voltada para os intelectuais se fez sentir de maneira mais intensa, podendo ser percebida nos jornais, na literatura e, mais recentemente, no processo de patrimonialização. Para tanto, analisamos dois processos anteriores: a difusão do livro e da leitura, ancorada a um projeto de difusão da instrução representado pelos gabinetes de leitura, quando nos reportamos aos anos de 1870 a 1900; a consolidação da imprensa enquanto espaço de profissionalização do trabalho intelectual e os conflitos surgidos nesse processo, que abarcou discursos e trajetórias diversas, compreendendo o intervalo entre os anos 1907 e 1932; e, por fim, o período de 1984 a 2015, quando se deu o processo de patrimonalização, iniciado com a comemoração do centenário de nascimento do jornalista Deolindo Barreto Lima, passando pelos tombamentos dos sítios históricos de Sobral e Viçosa do Ceará e chegando aos dias atuais, quando as ditas cidades —
Mostrar mais

262 Ler mais

Formar bem as mães para criar e educar boas crianças: as revistas portuguesas de educação familiar e a difusão da maternidade científica (1945-1958).

Formar bem as mães para criar e educar boas crianças: as revistas portuguesas de educação familiar e a difusão da maternidade científica (1945-1958).

É de salientar que as estratégias utilizadas no âmbito da educação para a maternidade, cujo principal objectivo é tornar todas as mães, como afirma Maria Manuela Ferreira (2000, p. 132) “mais esclarecidas e conscientes dos seus deveres maternos”, possuem um elemento de classe. Enquanto as mulheres das classes populares são alvo de intervenções mais directas, por meio de procedimentos como o inquérito social ou a visitação domiciliária (Apple, 2006; Boltanski, 1977; Ferreira, M. M. 2000), as mulheres oriundas das classes média e média alta vêem os seus comportamentos regulados de uma forma mais indirecta, pela utilização de veículos como os manuais de puericultura, as revistas femininas ou de educação familiar, em que são divulgadas as normas a seguir na criação e educação das crianças, acompanhadas da sua justificação científica, assim como das consequências da sua não aplicação para o desenvolvimento presente e futuro da criança (Apple, 2006; Cahan, 2006; Grant, 1998; Hulbert, 2004; Martins, 2011; Moura; Boarini, 2012; Rose, 1999; Stearns, 2003).
Mostrar mais

19 Ler mais

Difusão do gadolínio no combustível nuclear UO2.

Difusão do gadolínio no combustível nuclear UO2.

A Fig. 6 mostra que a difusão do gadolínio nos contornos de grãos do UO 2 é cerca de 4 ordens de grandeza maior do que a difusão em volume, nas mesmas condições experimentais. Esse resultado está de acordo com estudo prévio da difusão do urânio no UO 2 [7], e mostra que os contornos de grão são vias rápidas para a difusão de cátions no UO 2 .

6 Ler mais

Projeto de um sistema de aplicação de carga cíclica para soldadura por difusão sob pressão

Projeto de um sistema de aplicação de carga cíclica para soldadura por difusão sob pressão

Embora a soldadura por difusão sob pressão seja um ramo pouco estudada, a metodologia da Soldadura por Difusão é conhecida a mais de mil anos, tendo despertado especial interesse nos últimos tempos. Este tipo de soldadura, ao contrário dos metodos mais tradicionais em que na soldadura por fusão aparecem fissurações devido à solidificação do material de base, bem como o aparecimento de tensões residuais devido ao aquecimento extremo do metal, oferece uma solução para os problemas das juntas que têm aparecido. Como o caso da redução da sensibilidade à corrosão (ex. titânio e zircónio), melhoria da tenacidade à fratura (ex. Titânio), melhoria das juntas entre materiais dissimilares (ex. entre metal-metal e metal não metal) e o fabrico de formas complexas (Myothitsan, 2012), (Mahoney, M. W. , Bampton, C.C., 1993).
Mostrar mais

167 Ler mais

Equações de difusão e o cálculo fracionário

Equações de difusão e o cálculo fracionário

Os fenômenos de difusão ou de transporte são um dos exemplos de fenômenos naturais que foram estudados obedecendo à descrição do método científico comentado. Diversos pesquisa- dores, como Jean Baptiste Joseph Fourier (1768-1830), Thomas Graham (1805-1869), Adolph Eugen Fick (1852-1937), observam fenômenos de transporte em sistemas diversos e formulam teorias que cabem no contexto de pensamento das discussões feitas até aqui: eles observam fenômenos distintos em sistemas distintos e chegam em resultados que concordam entre si. A riqueza e a vantagem de se ter mais de uma vertente teórica explicando um mesmo fenômeno é que, na maioria das vezes, tais vertentes conseguem predizer os mesmos resultados fundamen- tais e, por vezes, chegar a determinadas particularidades. Tal diversidade abre novos caminhos para que ideias possam ser estendidas para outros tipos de fenômenos e, em alguns casos, para outras áreas de pesquisa.
Mostrar mais

187 Ler mais

Difusão da informação na administração pública.

Difusão da informação na administração pública.

rando o período de 2000 a 2010. Foram utilizadas como fonte de dados para este estudo as informações que os municípios disponibilizaram na Internet. Devido à sua complexidade, esta investigação científica considerou inicialmente apenas as capitais brasileiras e o Distrito Federal. Mais especificamente, almejou-se: 1) definir os critérios para análise da difusão da informação dos muni- cípios; 2) elaborar questionários para avaliar a quantidade e qualidade das informações na Internet (site) disponibili- zadas pelos municípios; 3) avaliar os sítios dos municípios, de acordo com os preceitos das políticas de governo eletrônico; e 4) traçar um perfil dos municípios, de acordo com os dados apurados na pesquisa.
Mostrar mais

13 Ler mais

Sobre tendências de moda e sua difusão

Sobre tendências de moda e sua difusão

Para explicar a nova dinâmica de difusão da moda surgiu o modelo da epidemia ou viru- lência, proposto por G. Wiswede (apud Squic- ciarino, 1996), que consiste no contágio das tendências como aquele de um vírus, definido como mimetismo horizontalmente induzido por contágio mediante sua difusão capilar atra- vés das superfícies de contato entre os grupos de pares ou iguais, e que compartilham o mes- mo estrato social (BARREIRO, 2006). A partir de Lipovetsky (1991), podem-se enumerar as mu- danças significativas que abriram espaço para essa nova dinâmica e que justificam a vigência do modelo da epidemia: (a) maior autonomia dos consumidores com relação às tendências e emancipação da rua com relação à fascinação exercida pelos líderes de moda; (b) liberdade para filtrar as tendências de maneira individu- al; (c) curiosidade relaxada e diversificada, inte- resse pelo cool; (d) os símbolos de luxo deram lugar àqueles do prazer, da comodidade e da liberdade – o símbolo de status foi substituído pelo símbolo de estilo (BARREIRO, 2006).
Mostrar mais

7 Ler mais

Difusão da música portuguesa em Portugal

Difusão da música portuguesa em Portugal

«A posição estratégica dos intermediários é também especialmente enfatizada pela perspectiva organizacional de análise das indústrias culturais, proposta na década de 1970 por autores como Richard Peterson, Paul Hirsch ou Paul DiMaggio. Festa óptica, a intermediação, entendida como o processo de transformação das criações (matéria-prima) em produtos culturais de consumo, confunde-se com o (ou subsume-se no) próprio sistema de produção característico das indústrias culturais. Fa linguagem deste registo de análise, a intermediação cultural corresponde às funções desempenhadas pelos sub-sistemas administrativo (organizações de produção e distribuição) e institucional (meios de comunicação social actuando como gatekeepers), bem como pelos contact men que operam nas fronteiras do sistema das indústrias culturais, quer monitorizando e caçando talentos, quer agilizando as relações com as agências de divulgação em grande escala (cf. os ensaios clássicos de Hirsch, 1972; Peterson, 1976; DiMaggio e Hirsch, 1976). Em Portugal, para lá dos trabalhos de Alexandre Melo (1999) sobre o mercado das artes plásticas, de Maria de Lourdes Lima dos Santos (1998a) sobre o mecenato cultural e de Vítor Sérgio Ferreira (1995 e 1998) e Rui Telmo Gomes (1999) sobre a crítica, que oferecem aproximações sectoriais à acção dos sistemas e dos agentes de intermediação, deve salientar-se o estudo de Cláudia Madeira (1999) sobre os programadores teatrais, que constitui porventura o ensaio mais sistematicamente centrado da análise e discussão do estatuto e do papel dos intermediários culturais.» in Ferreira, Claudino, 2002, “Intermediação Cultural e Grandes Eventos. Fotas Para um Programa de Investigação Sobre a Difusão das Culturas Urbanas, Centro de Estudos Sociais”, Ob.Cit., p.5
Mostrar mais

224 Ler mais

Remoção de corantes utilizando tensoativos: extração por ponto de nuvem e floculação iônica

Remoção de corantes utilizando tensoativos: extração por ponto de nuvem e floculação iônica

ser linear em toda faixa de tempo avaliada, apresentando multi-linearidade (HAMEED et al., 2008; ABRAMIAN & EL-RASSY, 2009; TANG et al., 2012; ZHOU et al., 2014). Nas Figuras 7.6 a 7.8 foram observadas duas etapas que controlam o mecanismo de adsorção: a difusão externa e a intra-partícula. Além disso, nenhuma das retas obtidas passa através da origem, caracterizando um processo em várias etapas (KIRAN et al., 2006; HAMEED et al., 2008; ABRAMIAN & EL-RASSY, 2009). DOTTO & PINTO (2011) mostraram que a difusividade da camada externa e a difusividade intra- partícula podem ser determinadas usando as Equações 7.1 e 7.2 nos pontos experimentais que correspondem a primeira e segunda etapa, respectivamente. A Equação 7.2 é utilizada apenas com o primeiro termo da série, pois em tempos muito longos os demais termos tornam-se desprezíveis.
Mostrar mais

186 Ler mais

Show all 6160 documents...