Direito das sucessões

Top PDF Direito das sucessões:

A importância do Direito Romano na configuração do Direito das Sucessões do ordenamento jurídico brasileiro  Izabela Cristina de Oliveira

A importância do Direito Romano na configuração do Direito das Sucessões do ordenamento jurídico brasileiro Izabela Cristina de Oliveira

O presente artigo pretende identificar a origem e a evolução, no direito romano, do direito das sucessões, e avaliar, posteriormente, a influência romana para o ordenamento jurídico brasileiro. Para isso, foi necessário demonstrar as causas e o contexto do nascimento de tal direito. O direito de sucessão é algo intrínseco à sociedade, já que ele é visto como a continuidade do culto e, consequentemente, da propriedade familiar. A sucessão era aberta pela morte do de cujus. Oferecia-se, então, a possibilidade ao sucessor de adquirir a herança. Duas eram as formas de sucessão civil: sucessão legítima (ab intestato, baseada na lei) e testamentária (baseada na última vontade do de cujus). Por fim, através de detida análise conclui-se que o ordenamento jurídico teve grande contribuição dos romanos, tanto que até perpetuou várias de suas instituições.
Mostrar mais

20 Ler mais

O abuso do direito no direito das sucessões

O abuso do direito no direito das sucessões

Neste caso, o sucessível, devido a factos culposos, foi privado do exercício dos poderes-deveres inerentes à qualidade de pai ou de mãe. Ora se o progenitor, por um lado, perde as responsabilidades parentais, porque incumpriu, gravemente, os seus deveres, ou porque cometeu determinado crime, a hipótese de manter, por outro lado, os direitos correspondentes à condição de pai ou mãe parece manifestamente contrária aos bons costumes e ao fim social e económico destes direitos, na medida em que tal implicaria que a sua atuação culposa o inibiria dos encargos, sem o privar das vantagens, o que não cabe, de todo, na configuração que a nossa sociedade e a nossa ordem jurídica fazem da relação entre pais e filhos. Constitui, ainda, violação manifesta da boa fé invocar o direito de suceder nestas circunstâncias, na medida em que essa atuação é contrária ao princípio do honeste agere, isto é, ao agir honesto que deve caraterizar «as relações entre pessoas de bem» 222 .
Mostrar mais

95 Ler mais

2. FUNDAMENTOS DO DIREITO DAS SUCESSÕES - Direito Civil 1 Bimestre   Chris Bacon

2. FUNDAMENTOS DO DIREITO DAS SUCESSÕES - Direito Civil 1 Bimestre Chris Bacon

A morte natural é o cerne de todo o direito sucessório, pois só ela determina a abertura da sucessão, uma vez que não se compreende sucessão hereditária sem o óbito do de cujus, dado que não há herança de pessoa viva. No momento do falecimento do de cujus abre-se a sucessão, transmitindo-se, sem solução de continuidade, a propriedade e a posse dos bens do de cujus aos seus herdeiros sucessíveis, legítimos ou testamentários, que estejam viços naquele momento, independentemente de qualquer ato. Essa transmissão é, portanto, automática, operando-se ipso iure.

18 Ler mais

Tempos de subversões: a iminência de um terrorismo poético. O ativismo artístico e sua influência no cenário político das décadas de 1960 e 1970

Tempos de subversões: a iminência de um terrorismo poético. O ativismo artístico e sua influência no cenário político das décadas de 1960 e 1970

A emancipação da arte no campo ordinário permitem aos coletivos artís- ticos, artistas e ativistas constituírem guerrilhas artísticas, estabelecendo uma rede de associação de ideias e de compartilhamento de informações, articulando mobilizações políticas, so- ciais e culturais na cidade em constan- te diálogo com movimentos sociais, lutando pelas causas dos trabalhadores contestando a desigualdade social, a fome, trabalho escravo e intoxicação midiática promovida pelo capital do- minante, direito de igualdade das mu- lheres, contra os preconceitos raciais e homofóbicos, em favor do movimento negro e LGBT, dando visibilidade a problemas latentes, presentes no que se apresenta de modo despercebido no campo social, e nas influentes mídias, porém irreconhecível e invisível na es- fera pública.
Mostrar mais

10 Ler mais

Sustentabilidade de sistemas de rotação e sucessão de culturas em solos de várzea no Sul do Brasil.

Sustentabilidade de sistemas de rotação e sucessão de culturas em solos de várzea no Sul do Brasil.

A avaliação quantitativa com diferentes tipos de indicadores é fundamental na determinação da sustentabilidade dos sistemas de rotação e sucessão de culturas. Este estudo teve como objetivo avaliar a sustentabilidade de algumas sucessões de culturas em solo de várzea, nos sistemas de plantio direto (PD) e convencional (SC). O trabalho foi conduzido em Pelotas, Rio Grande do Sul (RS), em área experimental da Embrapa Clima Temperado. Os tratamentos foram constituídos por cinco anos de implantação de sistemas de rotação e sucessão de culturas de inverno e de primavera-verão, seguidos de dois anos de pousio e três anos da cultura do arroz irrigado. As culturas de primavera-verão foram o milho e a soja, além do arroz; enquanto que as de inverno foram gramíneas, leguminosas, consórcios, nabo forrageiro e campo natural. O delineamento experimental foi o de blocos ao acaso com parcelas subdivididas, com três repetições. As culturas de verão ocuparam as parcelas, enquanto as espécies de inverno foram alocadas nas subparcelas. Os parâmetros observados foram transformados em índices para padronizar as diversas variáveis, cada uma em relação àquela de melhor comportamento mensurado, e dispostos em quatro categorias de análise: (a) indicadores agronômicos (matéria seca e rendimento de grãos); (b) indicadores ambientais (fertilidade do solo); (c) indicadores energéticos (produção e eficiência energética); d) indicadores econômicos (valor bruto da produção e rentabilidade). Pela média harmônica obtida entre os índices dos indicadores, foram comparados os diferentes sistemas de rotação e sucessão de culturas, inferindo-se daí sua sustentabilidade e suas diferenças (Teste t P≤0,05). Concluiu-se que: (a) todos os sistemas de rotação e sucessão de culturas dos quais o milho faz parte apresentam maior índice de sustentabilidade; (b) os sistemas de rotação e sucessão de culturas S 1 [gramínea x soja x arroz (PD)] e S 4 [nabo x soja x arroz (PD)] apresentam, respectivamente, a maior e a menor sustentabilidade entre aqueles sistemas em que a cultura da soja participa; (c) o sistema S 5 [campo nativo x soja x arroz
Mostrar mais

7 Ler mais

A DANÇA DO FUTURO

A DANÇA DO FUTURO

A dança do futuro não produz obras, ela gera processos contínuos. Ela vai para além do dispositivo de representação, do já autorizado ou do espaço já identificado da arte legitimada pelo valor de mercado. A compreensão é de que vida e mundo traçam um diálogo permanente a partir de circunstâncias concretas. Isso ressoa na ideia de investigação que se desenvolve no tempo e assume a incerteza como caminho para a produção de conhecimento. Assim, ela se transforma constantemente: é uma rede de sucessões, questões, experiências e contextos interconectados e isso pode se dar da mesma forma na cadeia clássica/tradicional da dança ou em organizações que façam parte da cadeia econômica que a circunda. Porque, mesmo que se apresente como uma “obra acabada”, ela é parte de uma dimensão maior que conecta fenômenos muito distintos entre si.
Mostrar mais

6 Ler mais

Sistemas de cultivo, sucessões de culturas, densidade do solo e sobrevivência de patógenos de solo.

Sistemas de cultivo, sucessões de culturas, densidade do solo e sobrevivência de patógenos de solo.

População de Fusarium spp., em solos cultivados com feijão ( Phaseolus vulgaris ), correspondentes aos cultivos prévios nos sistemas plantio direto e plantio convencional, nas safra[r]

8 Ler mais

Distribuição do fósforo inorgânico em sistemas de manejo de solo.

Distribuição do fósforo inorgânico em sistemas de manejo de solo.

Resumo – A intensidade das reações dos fertilizantes fosfatados no solo deve variar em razão dos diferentes sistemas de manejo do solo. Este trabalho teve o objetivo de avaliar as modificações nas frações de P inorgânico provocadas por diferentes preparos do solo e sucessões de cultura. Coleta- ram-se, em maio de 1997, amostras de solo (Latossolo Vermelho distroférrico típico, Latossolo Verme- lho distrófico típico e Argissolo Vermelho distrófico típico), em três camadas (0-2,5, 2,5-7,5 e 7,5-17,5 cm), de quatro experimentos instalados a partir de 1979, envolvendo os sistemas plantio dire- to e cultivo convencional com diferentes sucessões de cultura. Foram determinados o P total e seis frações de P inorgânico, em ordem decrescente de labilidade. O conteúdo médio de P total foi bem superior ao do seu estado natural, e no sistema plantio direto ocorreu um grande acúmulo na camada superficial. Neste sistema, recuperaram-se maiores teores de P inorgânico lábil (resina e NaHCO 3
Mostrar mais

10 Ler mais

Análise faciológica e estratigráfica da planície costeira de Soure (margem leste da ilha de Marajó-PA), no trecho compreendido entre o canal do Cajuúna e o estuário Paracauari.

Análise faciológica e estratigráfica da planície costeira de Soure (margem leste da ilha de Marajó-PA), no trecho compreendido entre o canal do Cajuúna e o estuário Paracauari.

A estratigrafia holocênica, da planície costeira de Soure, é representada pelas sucessões progradacional e retrogradacional. A sucessão progradacional foi depositada sob condições de mar alto ou regressivo, que acarretou o avanço da linha de costa em direção à baía de Marajó. É constituída por facies heterolíticas lenticular, wave e flaser, por facies lamosas cinzas-escuro a negra, com estratificação paralela e stripe lamination, abundância de fragmentos orgânicos. Refletem processos controlados pela variação de velocidade das correntes de maré, resultando em depósitos de planície de maré e manguezal.
Mostrar mais

8 Ler mais

Biomassa microbiana e sua atividade em solos sob diferentes sistemas de preparo e sucessão de culturas.

Biomassa microbiana e sua atividade em solos sob diferentes sistemas de preparo e sucessão de culturas.

Foi avaliada a biomassa microbiana e sua atividade, em solo submetido às sucessões de culturas trigo/soja e trigo/milho, preparado pelo sistema convencional e em plantio direto. A avaliação foi realizada em um experimento realizado em um Latossolo Roxo desde 1976 na Estação Experimental do Instituto Agronômico do Paraná-IAPAR, em Londrina (PR). Foram coletadas amostras na profundidade de 0-15 cm, dez dias após o plantio e sete dias antes da colheita da cultura de verão e de inverno dos anos de 1992, 1993 e 1994. Avaliaram-se a respiracão basal do solo e o carbono da biomassa microbiana pelo método de fumigação-incubação; o nitrogênio da biomassa microbiana, pelo método da fumigação-extração, o quociente metabólico e a relação C mic /C org dos solos. Houve
Mostrar mais

9 Ler mais

Estado nutricional, vigor e produção em videiras cultivadas com plantas de cobertura.

Estado nutricional, vigor e produção em videiras cultivadas com plantas de cobertura.

O teor de Ca nas folhas coletadas no pleno lorescimento e na mudança da cor das bagas, na safra de 2009/2010, foi menor quando consorciada com a espécie perene de planta de cobertura do que com as sucessões de espécies anuais e também do que no tratamento- testemunha (Tabela 1). Já na safra de 2010/2011, os teores de Ca observados nas folhas coletadas na mudança da cor das bagas reforçam o ocorrido na safra anterior. O teor de Mg, na safra de 2010/2011, nas folhas completas coletadas no pleno lorescimento, foi maior nas plantas consorciadas com sucessões de plantas de cobertura anuais, comparativamente àquelas com a planta de cobertura perene e no tratamento- testemunha (Tabela 1). O menor teor total de Ca e Mg nas folhas das videiras consorciadas com a planta perene concorda, especialmente, com os teores de N e K nas folhas e reforça a possibilidade de que o Ca e o Mg se aproximaram das raízes, provavelmente em maior quantidade pelo luxo de massa, sendo absorvidos pelas raízes e acumulados na parte aérea, uma vez que, comparativamente às espécies anuais, produziram maior quantidade de matéria seca e, provavelmente, raízes, o que implica maior luxo transpiratório (CELETTE et al., 2009).
Mostrar mais

11 Ler mais

EMISSÃO DE GASES DE EFEITO ESTUFA EM ÁREAS DE SISTEMA SEMEADURA DIRETA COM APORTES DIFERENCIADOS DE CARBONO E NITROGÊNIO

EMISSÃO DE GASES DE EFEITO ESTUFA EM ÁREAS DE SISTEMA SEMEADURA DIRETA COM APORTES DIFERENCIADOS DE CARBONO E NITROGÊNIO

observaram diferença na macroporosidade entre 0,14 e 0,08 m 3 m -3 em áreas sob SSD escarificada e sem intervenção mecânica, respectivamente. Em experimento realizado em Latossolo Vermelho, conduzido em Cruz Alta – RS, sob SSD, observou-se menor macroporosidade na camada de 7-14 cm em relação a área escarificada ou em sistema convencional. Em experimento conduzido na mesma área e sucessões, observou-se que a escarificação de primavera proporcionou no primeiro ano do cultivo, aumento da porosidade total e macroporosidade da camada 7,5-12,5 de profundidade, enquanto que as demais espécies não diferiram entre si, porém a utilização de plantas de cobertura no terceiro ano proporcionou resultados semelhantes (CALONEGO, 2007) à escarificação nessa camada. Este fato pode explicar o motivo do efeito verificado somente na camada de 20-40, pois a escarificação foi realizada em 2009*, a partir de então, este prática não tenha proporcionado efeito nas camadas superficiais, resultando na macroporosidade reduzida.
Mostrar mais

109 Ler mais

Quimioestratigrafia das rochas ediacarianas do extremo norte da faixa Paraguai, Mato...

Quimioestratigrafia das rochas ediacarianas do extremo norte da faixa Paraguai, Mato...

Não poderia deixar de lembrar todos os amigos que tornaram este período longe da família mais agradável, em especial a Cyntia Simon, meu braço direito nos trabalhos de laboratório e que agora também trabalhará na mesma região que eu. Cyntia, se não fosse você, muito estaria pela metade, obrigada. Ao pessoal do GPP (Grupo de Partilha de Profissionais) e do Grupo Ética e Transparência, muito obrigada pelo enriquecimento intelectual, companhia e baladas. Maria, Marcelo, Rafael e Luciana, amigos três-lagoenses que seguram a barra da amiga aqui. Márcia e Sérgio (Bebeto), pelo cuzcuz nordestino. Hélcio, pelo incentivo a pedir bolsa FAPESP. Ivanete, Denise e Daniele pela fundamental acolhida logo que cheguei a São Paulo. Frederico, William (Ricota) e Ramiro, companheiros de sala que muito me ensinaram. Simone e Veridiana, filhas da mesma orientadora e pessoas extremamente sensatas. Alejandro, Marta e Ariana (a geofamília), Augustin, Lígia, Sérgio (cara divertido), Juli, Rogério, Gaston, Paula (Pi), Kleber, Sílvia e Aline, obrigada pelos bons momentos de festas, risadas no horário de almoço, discussões acadêmicas, etc.
Mostrar mais

119 Ler mais

Qualidade física de um Latossolo sob plantio direto e preparo convencional no semiárido.

Qualidade física de um Latossolo sob plantio direto e preparo convencional no semiárido.

O maior conteúdo de COT no SPD em relação ao SPC está relacionado ao não revolvimento do solo, associado ao pousio com capim colonião nos quatro anos anteriores à implantação, à braquiária no primeiro ano, a presença de plantas espontâneas durante o pousio dos tratamentos, à cobertura morta produzida pelas sucessões e ao possível aumento na densidade radicular, favorecendo maior alocação de carbono nas camadas superficiais do solo (SÁ et al., 2014). Além disso, o acúmulo de carbono é proporcional ao tempo de implantação do SPD, levando a um efeito superficial dos sistemas de manejo em relação à mata, enquanto no SPC, a rápida oxidação da matéria orgânica, pelo revolvimento do solo, reduziu o conteúdo de carbono (ASSIS; LANÇAS, 2010; MUÑOZ; LÓPEZ- PIÑEIRO; RAMÍREZ, 2007).
Mostrar mais

10 Ler mais

Organizações, representações e sincretismo: a experiência de uma empresa familiar que enfrenta mudanças e sucessões de gestão.

Organizações, representações e sincretismo: a experiência de uma empresa familiar que enfrenta mudanças e sucessões de gestão.

Desse modo, quatro repercussões emergem deste sincretismo: a representação como fonte de recurso discursivo para os atores, na medida em que eles lidam com seus interesses ou objetivos o[r]

26 Ler mais

Teoria de Ramsey em progressões e recorrências de ordem superior, planificação de subunidade relativa ao tema III - sucessões reais

Teoria de Ramsey em progressões e recorrências de ordem superior, planificação de subunidade relativa ao tema III - sucessões reais

comecei por escolher qual dos temas relativos ao currículo desse ano iria estudar. Depois de reetir, juntamente com o orientador cientíco, o Prof. Doutor Helder Vilarinho, chegámos à conclusão de que seria mais proveitoso escolher um subtema do tema "Sucessões". Sendo assim, procurámos alguma bibliograa e tentámos pensar num conteúdo a desenvolver, que numa fase inicial estivesse bem conectado ao que é lecionado no 11 ◦ ano, sendo estendido, numa segunda fase, para algo mais

92 Ler mais

Representação matemática da correlação entre acidez total no “vinho” e acidez volátil na cachaça

Representação matemática da correlação entre acidez total no “vinho” e acidez volátil na cachaça

Analisando os resultados de acidez obtidos nas três repetições durante as cinco fermentações sucessivas, percebe-se um au- mento gradativo ocorrido nas sucessões, sen- do os valores en[r]

10 Ler mais

Efeito da revegetação e da adubação de área degradada na fertilidade do solo e nas características da palhada.

Efeito da revegetação e da adubação de área degradada na fertilidade do solo e nas características da palhada.

Os resultados das Figs. 2 e 3 mostram efeitos se- melhantes entre a permanência e exportação da parte aérea, com exceção do Ca no Sistema II, caracterizan- do uma pequena contribuição das plantas na reciclagem de Ca e Mg, provavelmente devido ao curto período de avaliação. Tais resultados contra- riam os obtidos por Testa et al. (1992), em que as sucessões de culturas alteraram os teores de Ca e Mg na mesma proporção da produção de biomassa. Na profundidade de 3-9 cm, não se verificaram diferenças no teor de Ca e Mg entre os tratamentos, caracterizando, assim, a contribuição superficial des- ses tratamentos. Os teores de Ca e Mg também não foram alterados pelas seqüências de culturas na pro- fundidade de 0-20 cm, em trabalho desenvolvido por Santos et al. (1995).
Mostrar mais

9 Ler mais

Show all 10000 documents...