Douro--Portugal

Top PDF Douro--Portugal:

IMPLICAÇÕES NA DINÂMICA DAS VERTENTES A PARTIR DA EVOLUÇÃO DOS SOCALCOS VITIVINÍCOLAS DA REGIÃO DEMARCADA DO DOURO (PORTUGAL).

IMPLICAÇÕES NA DINÂMICA DAS VERTENTES A PARTIR DA EVOLUÇÃO DOS SOCALCOS VITIVINÍCOLAS DA REGIÃO DEMARCADA DO DOURO (PORTUGAL).

Ao longo de várias gerações de viticultores, existiu sempre uma preocupação especial com a pro- teção dos solos á erosão numa relação direta com os declives dos terrenos escolhidos para a plantação da vinha. Exemplos disto foram a construção dos socal- cos pré-iloxera e os ditos tradicionais nas encostas do Douro. Nas décadas mais recentes, a necessidade da mecanização de diversas tarefas vitícolas, ou até apenas o simples desejo de conseguir aumentar a produção á custa de conquista de outros terrenos em vertentes de declive muito forte, sobrepôs-se á preo- cupação na defesa da erosão. As consequências deste fato foram desastrosas para os solos e para a viticul- tura na RDD veriicando-se inúmeros exemplos de investimentos relacionados com a reestruturação das vinhas que foram completamente destruídos pela ação de diversos processos erosivos dos quais se destaca os ravinamentos e movimentos em massa (PEDROSA, 1991, 1993, 1994ª 1994 b ; SANTOS, 2000; PEDROSA
Mostrar mais

12 Ler mais

A Pesca Lúdica e Desportiva no Nordeste Transmontano (Bacia do Douro, Portugal)

A Pesca Lúdica e Desportiva no Nordeste Transmontano (Bacia do Douro, Portugal)

Complementarily, fish inventories were conducted to update the distribution of fish species in the water network, and evolution of the ratio between native and exotic species, whose expansion has been evident in recent decades. We selected 28 sampling sites in the basins of Sabor and Tua who showed good biological quality in superior sectors, considering the presence of native fish (e.g. brown trout, and Iberian endemic cyprinid fishes, like northern barbel, chub, calandino and Douro nase). On the other hand, different impacts of anthropogenic nature, contributed to facilitate the invasion and establishment of alien species (e.g. pumpkinseed, black bass, pike, pikeperch) in the lower and middle sectors. In the near future, the hydroelectric plants located in the Sabor (AHBS) and Tua (AHFT) rivers, will create new opportunities for sport fishing, with the creation of large reservoirs, justifying the definition of a strategic plan for the efficient management of resources in the region. However, contention measures and mitigation of impacts are fundamental to preserve the ecological integrity areas, most of them located in the headwaters of both rivers where not only trout and endemic cyprinids are a valuable resource in terms of sport and recreational fishing but mainly in terms of conservation. Stocking, as a management technique fish commonly used in the region, was also implemented in a mountain watercourse, S. Cibrão stream, where native populations had disappeared, with low success results.
Mostrar mais

100 Ler mais

Análise da sobrevivência e reprodução de Perinereis aibuhitensis (Grube,1878) no Estuário do Douro, Portugal

Análise da sobrevivência e reprodução de Perinereis aibuhitensis (Grube,1878) no Estuário do Douro, Portugal

A Península Ibérica pela sua posição geográfica intermédia entre a Europa e a África e pela sua complexa e dinâmica história geológica (Le Pichon & Sibuet, 1971) constitui um palco privilegiado para o aparecimento e manutenção de uma biodiversidade muito significativa (Lobo et al., 2006, Cunha et al., 2011). As cadeias montanhosas que isolam a Península Ibérica do resto do continente impedem a circulação de muitas espécies. Assim, esta região funcionou como um foco importante de diversificação e especiação constituindo uma importante área de endemismos a nível europeu (Hewitt, 1999). Portugal, em consequência da sua localização geográfica e propriedades geofísicas (Grimaud et al., 1982), detém uma grande diversidade biológica, incluindo um elevado número de endemismos e de espécies- relíquia (Lobo et al., 2006).
Mostrar mais

61 Ler mais

O Alto Douro na obra de Orlando Ribeiro

O Alto Douro na obra de Orlando Ribeiro

“A Terra Quente é formada pelos vales que afluem ao Douro, providos às vezes de largas bacias, encaixados alguns centos de metros no planalto. O clima é, por isso, muito diferente: com poucas chuvas, inverno moderado pelo abrigo das altas vertentes e verão com dias tórridos que sucedem a noites abafadas. O manto vegetal toma, pela primeira vez, uma feição francamente mediterrânea: belas matas de sobreiros, olivais, plantações de figueiras, amendoeira, laranjeiras e outras árvores de fruto. Mas a originalidade da região está na cultura da vinha. Calcada exactamente sobre um afloramento de xisto que o Douro atravessa no sentido da maior dimensão, a «região demarcada dos vinhos do «Pôrto» é a mais admirável obra humana que pode ver-se em Portugal. As vertentes declivosas ainda no século XVII davam apenas mato espontâneo. Hoje a vinha cobre-as até 300 ou 400 metros, numa imensa escadaria de geios ou socalcos destinados a reter o solo: mas este, houve que criá-lo esmagando a rocha e misturando-a com terra e estrume. A reverberação muito forte dos raios solares nos xistos luzentes faz subir a temperatura, durante o verão, a mais de 40º. Conta-se que se assam sardinhas pousando-as nas linhas de caminho de ferro! As uvas ganham, por este tempo, grande riqueza em álcool e açúcar. Em longas filas, no
Mostrar mais

183 Ler mais

Reconstruir lugares: Da Bacia Carbonífera do Douro

Reconstruir lugares: Da Bacia Carbonífera do Douro

Enquanto infraestrutura de abastecimento, toda esta linha de produção de energia delineada ao longo do território e a partir do que foi o único combustível nacional, vai moldan- do uma nova paisagem – agora tecnológica (Macedo, 2012). Estende-se desde os pontos de extração sobre a faixa car- bonífera do Douro até aos sistemas domésticos de calefa- ção, termoelétricas e estruturas industrias, maioritaria- mente no Porto, e constitui-se o que designamos Sistema Carbonífero do Douro.

13 Ler mais

UNIVERSIDADE DE TRÁS-OS-MONTES E ALTO DOURO

UNIVERSIDADE DE TRÁS-OS-MONTES E ALTO DOURO

superior não terem objectivos específicos bem definidos pelos quais a organização se possa guiar contribui para o facto da dimensão política de eficácia surgir como aquela que melhor s[r]

334 Ler mais

A evolução da Terra de Miranda: Um estudo com base nos Sistemas de Informação Geográfica

A evolução da Terra de Miranda: Um estudo com base nos Sistemas de Informação Geográfica

Como se formou uma língua particular nesse recanto do País e não existindo em áreas próximas? A resposta é também dada pelo filólogo: “a Terra de Miranda estava em belas condições para criar uma fala especial” (Vasconcellos J. L., 1993, p. 11). A Geografia física e humana confirma que a Terra de Miranda está na confluência entre o Reino de Leão e o vale encaixado do Douro, num constante isolamento e afastamento em relação aos centros do poder político de Portugal. Um fator que não pode ser esquecido foi o sempre elevado grau de analfabetismo existente na região, que não favoreceu o desenvolvimento do português como Língua do quotidiano. Por um largo período da História, as populações falaram como os seus antepassados e assim o idioma foi resistindo até finais do séc. XIX. No entanto, o português como idioma do poder e do Estado foi avançando e o mirandês recuando, até este ficar bastante circunscrito. O mirandês em 1900 era apenas falado numa pequena área do extremo Nordeste transmontano, delimitada a Norte pela raia seca, a sul pela fronteira administrativa entre os concelhos de Miranda do Douro e Mogadouro, a Este pelo encaixe do Douro internacional e a Oeste pelo vale do rio Angueira (Anexo 40). Neste espaço podemos localizar a generalidade das localidades do concelho de Miranda, excluindo-se apenas as aldeias de Teixeira e Atenor e, particularmente, a própria cidade de Miranda do Douro onde o mirandês, por questões sociais, sempre se falou pouco. Em relação às duas aldeias, Leite refere “que se falla lá português, embora creio, português de transição” (Vasconcellos J. L., 1993, p. 60). Tendo em conta que as aldeias se localizam no extremo sul do concelho de Miranda e que antes dos meados do século XIX pertenciam ao concelho de Mogadouro, é crível que em 1900 a sua população não utilizasse o mirandês.
Mostrar mais

141 Ler mais

Rev. Soc. Bras. Med. Trop.  vol.49 número3

Rev. Soc. Bras. Med. Trop. vol.49 número3

Serviço de Medicina Interna, Centro Hospitalar de Trás-os-Montes e Alto Douro, Vila Real, Portugal.. Abstract.[r]

3 Ler mais

Arquitectura Popular de Entre-Douro-e-Vouga

Arquitectura Popular de Entre-Douro-e-Vouga

ousar encarar as circunstâncias que o rodeavam como desafios a serem superados, que contribui para o repensamento de um modo de habitação. As características próprias desenvolvidas deflectem do que o meio oferece ao homem e do modo como o homem se procura integrar nele. Portugal, embora seja um país de reduzida dimensão, à escala dos outros países, como se tem esclarecido é um território com uma variedade de condicionantes, quer climatéricas, como geológicas, orográficas, sociais e culturais, entre outras. O norte português encabeça uma heterogeneidade e aspereza geomorfológica aliada a um clima pouco clemente, com tendências frias e chuvosas. Em contrapartida as terras são de uma fertilidade invejável e, devido a tal caso, a agricultura é parte da família nortenha que convive de muito perto com a realidade rotineira do campo. As suas casas ergueram-se também para abraçarem esta realidade de exploração agrícola intensiva que a natureza lhes proporciona. Por todos estes factores, em regiões nortenhas as técnicas construtivas assemelham-se bastante e as influências captadas entre territórios vizinhos é empregue não pelo ‘querer’ mas pelo ‘dever’.
Mostrar mais

163 Ler mais

A Herança do Património Cultural da Paisagem fluvial entre o rio Douro e Oliveira do Douro | Uma oportunidade de Requalificação

A Herança do Património Cultural da Paisagem fluvial entre o rio Douro e Oliveira do Douro | Uma oportunidade de Requalificação

“O percurso entre Quintas diz respeito a uma área natural ribeirinha xistosa composta maioritariamente por Antrossolos Cumúlicos resultado da intensa modificação pelo homem que edificou múltiplas quintas de produção e recreio ao longo da margem do Douro, onde se encontram também vários cais, rampas e pesqueiras. Esta área é predominantemente voltada para Oeste e de carácter florestal onde surgem associadas à margem, as espécies ripícolas como os Amieiros, Salgueiros, Freixos e ainda Ulmeiros, Carvalhos, Sobreiros, Acácias e Robinias. Praticamente toda a área é ameaçada pelas cheias e sujeito a risco de erosão da margem e está integrada na sua totalidade na REN. Onde o carácter da paisagem é denominado por quintas privadas, onde a multiciplidade e funções entre quais as de recreio e produção; paisagem florestal, inverter as espécies exóticas e os areinhos de aptidão agrícola.”
Mostrar mais

68 Ler mais

Análise físico-química de vinhos: um comparativo entre os vinhos do vale do São Francisco no Brasil e os vinhos do douro em Portugal / Physicochemical analysis of wines: a comparison between Brazilian wines of the valley of São Francisco and the douro win

Análise físico-química de vinhos: um comparativo entre os vinhos do vale do São Francisco no Brasil e os vinhos do douro em Portugal / Physicochemical analysis of wines: a comparison between Brazilian wines of the valley of São Francisco and the douro wines in Portugal

Wines are drinks obtained through alcoholic fermentation of simple grape must. It can be classified as table wine, sparkling, liqueur and noble. The aim of this work was to carry out a research on the history of wines in Brazil and Portugal, their components, health benefits and compare its quality parameters. 60 articles were selected on the Scielo, Ebsco and ScienceDirect platforms, of which 43 were used for this review. The first wineries arrived in Brazil with the arrival of Martin Afonso de Souza at the captaincy of São Vicente and today one of the main wine production places in the country is at the São Francisco Valley, in the Northeast region, considered the best place for the wine production. In Portugal, since the treaty of Methuen, between Portugal and England, port wine was a preference for export. To regulate the quality of the drink in the country, the Marquis of Pombal created a company that led to the emergence of the Douro demarcated region, to limit the cultivation of grapes and preserve the characteristics of the wine. Brazil and Portugal have specific laws and standards used to ensure the quality of wines. It is concluded that the wines of both countries have practically the same quality standards, since they are inserted in the OIV and characteristics such as the climate and geographical region contribute to differentiate their characteristics.
Mostrar mais

18 Ler mais

Mercados a norte do Douro : algumas considerações sobre a história dos preços em Portugal e a impotência dos mercados regionais (séculos XVII-XVIII)

Mercados a norte do Douro : algumas considerações sobre a história dos preços em Portugal e a impotência dos mercados regionais (séculos XVII-XVIII)

rior como Braga e Guimarães, Barcelos e Ponte de Lima sem dúvida os mais importantes dentro desta zona. Ora na verdade, salvo novamente casos muitos esporádicos e ocasionais raramente assim acontece. Poderíamos lembrar para Braga a gravíssima situação de 1769-70 em que D. José de Bragança tem que mandar vir expressamente para fazer face ã crise, carre- gamentos de pão do estrangeiro I67 . Há rebates de crise e crises efec- tivas, sem dúvida, tendo inclusive em Braga e Guimarães algumas dado origem a motins e alvorotos, que em outra circunstância nos hão-de merecer tratamento especial. Todavia, em algumas delas, continua sendo verificada a fuga e saída de cereais. Dai os problemas. Podería- mos juntar ainda outros testemunhos como o verificado na linha do Minho em cima de nova crise grave como foi a dos fins do século XVII (1699) em que o cereal, não obstante as assinaláveis dificuldades subs- tituía clandestinamente o vinho nos tonéis para poder sair até ao mar! 168 . O respigar destas situações só na zona do Entre Douro e Minho daria um acervo considerável destes dados. Descessário para já e na presente circunstância, proceder a tal tarefa. O que fica nos basta para adiantar- mos que, na verdade, toda esta situação requer um estudo mais apro- fundado das micro-regiões sejam do Norte ou outras e dos caminhos e sentidos percorridos pelo seu cereal, isto é dos pequenos mercados. Na verdade, a imagem que mais frequentemente se é levado a reter pode não ser a mais correta. Há seguramente no Norte um movimento contraditório de cereal que se cruza frequentemente nos portos da região. Na barra do Douro, mas algumas vezes também na de Viana, juntando ainda Soares Franco ao referir-se a esta situação pelos fins do século XVIII, a de Aveiro e a da Figueira que servia as Beiras. Seria necessário ainda juntar, como sublinha o mesmo autor o que entrava, às vezes em abundância, peias terras fronteiriças l69 .
Mostrar mais

65 Ler mais

Soraya Coelho Gonçalves Machado “ Avaliação da Sobrecarga do Cuidador informal no desempenho de suas funções à pessoa idosa dependente, no Concelho de Santana ”

Soraya Coelho Gonçalves Machado “ Avaliação da Sobrecarga do Cuidador informal no desempenho de suas funções à pessoa idosa dependente, no Concelho de Santana ”

realizados por Brody, Litvne & Hoffman (1994), Martin, Paúl & Roncon (2000), Neno (2004) e Sequeira, 2010²)., onde em geral as esposas são referidas como principais cuidadoras, seguidas pelas filhas. No mesmo sentido Mendes (1995), citado por Caldas (2000), refere que em geral a maior frequência dos cuidadores são os cônjuges seguindo-se os filhos que cuidam dos pais. Os filhos apenas surgem como cuidadores quando não existe possível cuidador do género feminino (Brody, Litvne & Hoffman, 1994; Neno, 2004), embora não possamos afirmar que os filhos são cuidadores por faltar mulheres para cuidar, eles surgem com mais baixo percentual. No presente estudo existe um elevado percentual de pessoas cuidadoras sem ligação parental com o ser cuidado que é uma situação distinta da encontrada no estudo de Neno (2004). Imaginário (2008) seus as sobrinhas com o maior percentual dos cuidadores. Sequeira, 2010²)., constata que os cuidadores informais apresentam um grau de parentesco com o idoso dependente o que reforça a ideia que a responsabilidade pelo cuidar recai em geral sobre os parentes mais próximos (p.257). No âmbito da preparação/discussão do Plano Nacional de Saúde 2012- 2016 pelo Alto Comissariado da Saúde, do Ministério da Saúde de Portugal, o item IV releva nos objetivos para o Sistema de Saúde a importância de promover um contexto favorável à saúde, ao longo do ciclo de vida dando relevância a intervenção integrada e continuada onde inclui o papel dos cuidadores primários colaborando com os profissionais de saúde na promoção à saúde, prevenção de riscos e melhoria das condições de saúde em todas as fases da vida, desde o nascimento até a morte.
Mostrar mais

246 Ler mais

ASSOCIAÇÃO DE POLITÉCNICOS DO NORTE (APNOR) INSTITUTO POLITÉCNICO DE BRAGANÇA

ASSOCIAÇÃO DE POLITÉCNICOS DO NORTE (APNOR) INSTITUTO POLITÉCNICO DE BRAGANÇA

A principal limitação deste trabalho foi a dificuldade na obtenção de dados estatísticos e económico – financeiros, para se calcular os indicadores necessários à análise da evolução dos mesmos ao longo do período em estudo, e com isso aferir-se o impacto que a classificação do Alto Douro Vinhateiro como Património Mundial da Humanidade por parte da UNESCO, teve no turismo e na actividade económica da região. Registou-se ausência e alguma incoerência na contabilização dos dados estatísticos e económico – financeiros referentes a algumas variáveis o que obrigou à reformulação do cálculo de alguns indicadores. Para ultrapassar esta situação, procurou-se trabalhar só com dados coerentes, recorrendo-se essencialmente aos dados mais recentes, disponíveis e publicados pelo Instituto Nacional de Estatística Português, do site do Turismo do Douro e dados disponibilizados e validados por algumas unidades hoteleiras da região. Mas a maior dificuldade foi, a falta de colaboração das unidades hoteleira contactadas para o fornecimento de dados estatísticos e económico – financeiros que, simplesmente não forneceram e recusaram-se a fornecer. É, por isso muito difícil efectuar um estudo desta natureza que vá à análise por NUT III e por municípios, uma vez que existe uma escassez colossal de dados.
Mostrar mais

83 Ler mais

Avaliação da sustentabilidade ao nível da exploração agrícola. Aplicação do modelo RISE na Região Demarcada do Douro

Avaliação da sustentabilidade ao nível da exploração agrícola. Aplicação do modelo RISE na Região Demarcada do Douro

Na introdução deste trabalho, levantou-se a questão do “carácter coevolucionário” entre os ecossistemas agrários e as relações socioambientais que os conduzem (Gauthier e Woodgate, 2001) e referiu-se que, rumo à maior sustentabilidade destes sistemas, as necessárias transformações a nível ambiental estão muito dependentes da ocorrência de transformações da mesma dimensão a nível social, político, cultural e económico (Altieri e Nicholls, 2005). A história das explorações agrícolas e da própria Região Demarcada do Douro confirmam estes factos: a paisagem agrícola, com a sua diversidade (ex: diversos modelos de sistematização da vinha), é marcada por uma evolução secular, em que os limites do ecossistema cultivado condicionam o sistema social produtivo, enquanto este, simultaneamente, os ultrapassa, descobrindo novos limites; os limites do meio e tecnológicos impõem custos de produção muito elevados, que se traduzem em reduzidas eficiências económicas no contexto actual de um mercado globalizado; o êxodo e o envelhecimento populacional, a desqualificação e os baixos rendimentos dos assalariados agrícolas têm repercussões negativas, a vários níveis, na sustentabilidade destes ecossistemas; e, entre todos estes factores, certamente, não se pode excluir o peso das escolhas políticas, à escala regional e nacional, e suas repercussões.
Mostrar mais

91 Ler mais

A economia das experiências em destinos Património Mundial: o Porto e o Alto Douro Vinhateiro

A economia das experiências em destinos Património Mundial: o Porto e o Alto Douro Vinhateiro

Resumo | O crescimento do turismo internacional gera competitividade acrescida entre os destinos turísticos que sentem a necessidade de se diferenciarem, e de apostar na criatividade e na inovação, de forma a tornarem-se mais atrativos, competitivos e sustentáveis, e assim serem capazes de aumentar a respetiva quota de mercado. Novos desafios se impõem, pelo que é necessário criar produtos e serviços que reflitam o caráter único e diferenciador dos destinos e que sejam capazes de induzir a oferta de experiências memoráveis dirigidas a um público exigente, cada vez mais interessado na personalização da sua viagem. Por estas razões, a realização de eventos culturais e criativos ancorados na autenti- cidade do lugar e dos seus costumes, constituem ferramentas estratégicas na gestão e promoção dos destinos. Neste enquadramento, os destinos classificados pela UNESCO como Património da Humani- dade, em concreto a Festa do S. João, que tem o seu epicentro na zona histórica do Porto, e a Festa das Vindimas no Alto Douro Vinhateiro, são tidos como instrumentos estratégicos que asseguram não só o crescimento dos fluxos turísticos e a dinamização da economia local, mas também o reforço da imagem e notoriedade do destino, a par da particular relevância que o grande envolvimento da comuni- dade local nestes dois eventos induz no desenvolvimento das experiências turísticas a oferecer no destino.
Mostrar mais

13 Ler mais

Rev. Bras. Hist.  vol.35 número69

Rev. Bras. Hist. vol.35 número69

Um pouco. Eu realmente não participei tanto assim. Eu era velho demais a essa altura. A verdadeira linha de frente eram os alunos de graduação. Nós, alunos de pós-graduação, fizemos algumas coisas, mas éramos muito mode- rados em comparação com os jovens alunos de graduação. Mas essa foi uma época muito movimentada para estudar história porque, como disse, a socie- dade toda estava em tumulto. Isso também influenciou meu interesse dura- douro por movimentos sociais, movimentos radicais. Meu segundo livro, após minha tese, foi sobre Thomas Paine e a Revolução Americana (Foner, 1976). Interessei-me por isso por causa de toda a sublevação social que ocorria na sociedade.
Mostrar mais

19 Ler mais

Algumas reflexões sobre as acessibilidades no Alto Douro

Algumas reflexões sobre as acessibilidades no Alto Douro

Acrescente-se que as paragens técnicas a que estes veículos se encontravam sujeitos, bem como os abrandamentos de velocidade a que o declive da via obrigava, eram aproveitados por bandos de malfeitores para concretizarem assaltos, particularmente se transportavam cereais provenientes do NE transmontano, ou outros víveres, dadas as carências existentes, agravadas ainda mais pela interioridade. No entanto, raramente se interromperam as ligações diárias de transportes públicos de passageiros entre Vila Real e o Porto - apesar de ser necessário reservar um lugar com 8 dias de antecedência!... - , ou com o Peso da Régua e o Pinhão. Com os restantes núcleos populacionais, particularmente no Douro Superior, as li- gações eram esporádicas. (Informações gentilmente prestadas pelo Sr. António Fernandes da Silva de Vila Real, mecânico, motorista, etc, um técnico polivalente particularmente no perío- do do segundo conflito mundial)
Mostrar mais

52 Ler mais

Quinta do Paço do Monsul - Uma proposta de classificação

Quinta do Paço do Monsul - Uma proposta de classificação

Esta conjuntura justificou a intervenção do Estado e do governo de Sebastião José de Carvalho e Melo, futuro Marquês de Pombal. Em 1756 foi criada a Companhia da Agricultura das Vinhas do Alto Douro, com o objectivo de fomentar a cultura da vinha do Alto Douro, proteger a pureza dos produtos e controlar os preços 20 . À Companhia foram atribuídos enormes poderes em termos de jurisdição, fiscalização, privilégios e monopólios, detendo também a venda dos vinhos durienses no Porto. Coube-lhe ainda instituir a demarcação dos limites físicos da região produtora, elaborando cadastros e sistemas de classificação de parcelas e de vinhos. Através da colocação de marcos de granito, com a inscrição “Feitoria”, assinalaram-se os vinhedos que produziriam o vinho a ser exportado para Inglaterra, considerado de melhor qualidade. À Companhia cabia, também, o papel da fixação de preços, quer dos vinhos de feitoria, quer dos restantes, denominados na altura, “de ramo”, destinados ao consumo das tabernas do Douro e Porto 21 . Foi assim constituída a primeira região produtora de vinhos demarcada e regulamentada no mundo.
Mostrar mais

120 Ler mais

Caracterização da construção em tabique de Lamego e Alto Douro

Caracterização da construção em tabique de Lamego e Alto Douro

Em 2001, o Programa Ibero-Americano de Ciência e Tecnologia para o Desenvolvimento - CYTED criou o projeto de investigação PROTERRA. Este projeto fundamentou-se na necessidade de promover a terra como material de construção, atuando como um projeto internacional e multilateral de cooperação técnica que promove a transferência da tecnologia da construção de terra aos setores produtivos e às políticas sociais dos países Ibero- Americanos. Em 2006, o projeto PROTERRA do CYTED finaliza e cria-se a rede Ibero- Americana PROTERRA, da qual fazem parte Portugal e Espanha, mantendo as mesmas linhas de ação do projeto inicial. Atualmente, o PROTERRA coordenada discussões sobre procedimentos de ensaios e de parâmetros para a qualificação de produtos como o adobe e o BTC. As atividades são desenvolvidas por especialistas provenientes de diversas universidades, centros de investigação, e empresas públicas e privadas dedicadas ao estudo e à aplicação da terra como material de construção, à elaboração de normas e manuais de construção de terra, à publicação especializada sobre o tema e à informação e à difusão da tecnologia de construção de terra [Delgado & Guerrero, 2006, Neves, 2006 e Neves et al., 2009].
Mostrar mais

64 Ler mais

Show all 7637 documents...