durante o seu período de formação inicial

Top PDF durante o seu período de formação inicial:

A formação inicial de professores do 1º CEB no período revolucionário e de normalização: as dinâmicas de envolvimento/participação na formação

A formação inicial de professores do 1º CEB no período revolucionário e de normalização: as dinâmicas de envolvimento/participação na formação

Da análise das biografias dos sujeitos, no que se refere à “Visão de si como profissional” denota-se que as culturas organizacionais (a de participação e a de resistência) lhes proporcionaram a construção de um ideal de educação, que lhes permitiu perseguir um “sonho”. Este consistia na construção de um projecto de ensino-aprendizagem que tivesse no seu núcleo as crianças, todas as crianças, independentemente da sua classe social de origem. O seu projecto profissional é simultaneamente um projecto social. As culturas organizacionais desenvolvidas correspondem às aprendizagens realizadas - currículo oculto (vivência da formação), durante o período revolucionário e de normalização; são possivelmente o cerne do tipo de identidade hipoteticamente caracterizado para os indivíduos que se formaram nesta segunda metade da década de 1970. A identidade de base centra-se no profissional, no trabalho directo com a criança, sendo a sua dimensão pedagógica baseada no afecto desenvolvido pelas crianças e a dimensão social de tipo transformador.
Mostrar mais

15 Ler mais

A formação inicial de professores do 1º CEB no período revolucionário: o envolvimento como analisador da formação

A formação inicial de professores do 1º CEB no período revolucionário: o envolvimento como analisador da formação

Durante este período são patentes “as importantes diferenças que separam um adolescente aluno da escola secundária de um jovem estudante do ensino superior. Fundamentalmente, constata-se, no plano das relações com os adultos, uma deslocação do eixo dos conflitos [...] Já não está em causa apenas a autonomia na esfera familiar, mas a estrutura identitária na sua expressão social. O problema maior é, agora, conciliar a integração na sociedade com a defesa da integridade pessoal; e se há aqui uma ambivalência nova, novas são também, segundo Keniston, as modalidades de opção: o investimento militante, a indiferença deliberada, a recusa activa da aculturação ou mesmo o alinhamento com a contra-cultura” (Ribeiro, 2004: 2).
Mostrar mais

12 Ler mais

O ESTÁGIO SUPERVISIONADO NA FORMAÇÃO INICIAL DOS LICENCIANDOS EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ – UNIFAP (CAMPUS OIAPOQUE)

O ESTÁGIO SUPERVISIONADO NA FORMAÇÃO INICIAL DOS LICENCIANDOS EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ – UNIFAP (CAMPUS OIAPOQUE)

o estágio supervisionado o futuro professor de Ciências e Biologia tem o ensejo para ensinar para os alunos saberes adquiridos durante a formação inicial. O presente estudo tem por objetivo analisar os relatos de experiência presentes nos relatórios de Estágio Supervisionado I (séries finais do Ensino Fundamental) dos alunos da primeira turma do curso superior em Ciências Biológicas da Universidade Federal do Amapá - UNIFAP – Campus Oiapoque. Foram analisados 17 relatórios oriundos de um período de observação e regência equivalente a 100 horas de um total de 210 horas. O estágio ocorreu em duas das quatro escolas que oferecem a modalidade Ensino Fundamental, no município de Oiapoque, no horários matutino, vespertino e noturno. Os acadêmicos encontravam-se no sétimo semestre de um total de oito necessários para a integralização da graduação. As experiências e práticas observadas pelos acadêmicos foram registradas em diários de campo para que ao final do período pudessem servir como base para formulação dos relatórios. Tendo em vista a utilização apenas do material escrito (relatórios) este estudo teve caráter documental e para inferências utilizou-se o método de análise de conteúdo de Bardin. Após a análise das unidades identificou-se no texto o reconhecimento dos
Mostrar mais

16 Ler mais

A formação inicial de professores do 1º CEB no período revolucionário: o envolvimento como analisador da formação

A formação inicial de professores do 1º CEB no período revolucionário: o envolvimento como analisador da formação

Durante este período são patentes “as importantes diferenças que separam um adolescente aluno da escola secundária de um jovem estudante do ensino superior. Fundamentalmente, constata-se, no plano das relações com os adultos, uma deslocação do eixo dos conflitos [...] Já não está em causa apenas a autonomia na esfera familiar, mas a estrutura identitária na sua expressão social. O problema maior é, agora, conciliar a integração na sociedade com a defesa da integridade pessoal; e se há aqui uma ambivalência nova, novas são também, segundo Keniston, as modalidades de opção: o investimento militante, a indiferença deliberada, a recusa activa da aculturação ou mesmo o alinhamento com a contra-cultura” (Ribeiro, 2004: 2).
Mostrar mais

15 Ler mais

DISCURSOS SOBRE A PROFISSÃO PROFESSOR E SUA RELAÇÃO COM A (RE)CONSTRUÇÃO DA IDENTIDADE PROFISSIONAL

DISCURSOS SOBRE A PROFISSÃO PROFESSOR E SUA RELAÇÃO COM A (RE)CONSTRUÇÃO DA IDENTIDADE PROFISSIONAL

A pesquisa de Souza (2008) que analisou memoriais de mestrandos de uma universidade da Bahia no período de 2001 a 2008 destacou que a narrativa como investigação contribui para o autoconhecimento dos percursos de formação dos sujeitos e também para o levantamento das aspirações que os mestrandos tinham em relação à profissão. Na perspectiva de Souza (2008), “[...] as idéias de biografia, trabalho biográfico, biografização e aprendizagem biográfica emergem e se enraízam no curso da vida, como uma maneira que representamos a nossa existência e como contamos para nós mesmos e para os outros, em estreita relação com a história e a cultura” (SOUZA, 2008, p. 39). Por essa razão, propor momentos de sistematização de memórias de vida e escolares durante o processo de formação inicial ou continuada de professores pode favorecer na identificação dos percursos formativos dos professores incluindo a relação com os professores, as expectativas com a escola, os discursos sobre a profissão professor, a identificação ou não com as matérias escolares entre outros aspectos que compõem gradativamente as identidades profissionais.
Mostrar mais

14 Ler mais

O uso de imagens como possibilidade de reflexão para licenciandos sobre a prática docente.

O uso de imagens como possibilidade de reflexão para licenciandos sobre a prática docente.

Para tal, tendo em vista a importância que as imagens vêm desempenhando em nossa sociedade, parece fundamental investir, durante o período de formação inicial, na sensibilização dos licenciandos para a leitura imagética, pois quanto mais códigos eles dominarem e compreenderem, mais poderão interferir na rede de significação cultural de seus futuros alunos. Diante do exposto, o problema norteador dessa pesquisa é: como o uso de imagens na formação inicial de licenciandos de Ciências Biológicas contribui para a reflexão e a elaboração de estratégias pedagógicas que se distanciem da metodologia tradicional de ensino? Nosso interesse neste artigo é ampliar discussões existentes sobre o uso de imagens no contexto educativo, mais especificamente, apresentar como o trabalho com imagens pode tornar-se uma importante via para pensar o ensino de Ciências e Biologia nas escolas nos dias atuais.
Mostrar mais

17 Ler mais

Avaliação do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência da Unisidade Federal do Ceará na perspectiva dos egressos

Avaliação do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência da Unisidade Federal do Ceará na perspectiva dos egressos

desenvolvimento de ferramentas que auxiliam na dinamização de práticas pedagógicas centradas na exposição de conteúdos; a melhoria da oralidade dos licenciandos; a melhoria da compreensão dos conteúdos por parte dos alunos do ensino médio, bem como a motivação desses estudantes em participar das atividades propostas. O desenvolvimento de subprojetos interdisciplinares também foi inexorável para o enriquecimento da formação docente e do currículo das escolas de educação básica, haja vista proporcionarem olhar mais crítico e reflexivo relacionados ao meio ambiente, ao preconceito, às exclusões e violências diversas. Constatou-se maior interação entre os professores coordenadores atuantes nos subprojetos do PIBID, fortalecendo vínculos entre as licenciaturas; além de se possibilitar maior contextualização dos referenciais teóricos por meio do contato com as escolas participantes do projeto.
Mostrar mais

98 Ler mais

O uso de modelos no ensino de química: uma investigação acerca dos saberes construídos durante a formação inicial de professores de Química da UFRN

O uso de modelos no ensino de química: uma investigação acerca dos saberes construídos durante a formação inicial de professores de Química da UFRN

A partir da análise dos quadros 49 e 50, pudemos observar algumas dificuldades e/ou avanços dos licenciandos no planejamento de atividades que envolvessem o uso de modelos no ensino de Química. A definição dos objetivos que, no plano inicial, não estava direcionada a atividades de construção de modelos foi indicada no plano 2 por todos os licenciandos nesse sentido. Os conteúdos de ensino que foram mobilizados permitem a construção de modelos, embora seja necessária uma adequação do tempo à quantidade de conteúdos selecionados e até uma especificação de que conteúdos dentro de um tema devem ser abordados no decorrer da aula. As seqüências didáticas, por não indicarem com detalhes como o licenciando concebe a vivência da aula, são apresentadas de uma maneira geral, limitando a análise dos elementos relativos ao CPC. A descrição dos recursos a serem mobilizados pelo professor não foi indicada por grande parte dos licenciandos (9) restringindo uma organização prévia do que será necessário para a aula. Estratégias relacionadas à avaliação formativa, que entendemos como importante à construção de modelos por levar em consideração todo o processo de ensino-aprendizagem, também não foi contemplada pela maioria dos licenciandos no plano 2 (12 licenciandos).
Mostrar mais

264 Ler mais

A formação prática de professores no estágio curricular.

A formação prática de professores no estágio curricular.

Sendo assim, o presente trabalho tem por objetivo apresentar algumas reflexões sobre a importância e o papel do Estágio Curricular na formação prá- tica dos educadores, a partir de questionamentos e avaliações no momento de conclusão do curso de uma turma, no segundo semestre de 2005, na disciplina Orientação e Planejamento de Estágio, quando propusemos que cada aluna re- vistasse o percurso realizado no estágio durante o curso, com olhares múltiplos e diversos, a fim de detectarmos a real contribuição do estágio nos processos práticos de formação.

18 Ler mais

CRENÇAS, MEMÓRIAS E INTUIÇÕES NA NARRATIVA DE UM PROFESSOR DE INGLÊS - LÍNGUA ESTRANGEIRA - EM CONSTRUÇÃO

CRENÇAS, MEMÓRIAS E INTUIÇÕES NA NARRATIVA DE UM PROFESSOR DE INGLÊS - LÍNGUA ESTRANGEIRA - EM CONSTRUÇÃO

Assim, na perspectiva sociocultural, o desenvolvimento profissional do professor em formação inicial estará diretamente ligado à interação com seu meio, mediado por pessoas e artefatos culturais. Dessa forma, são fundamentais as oportunidades oferecidas por seu contexto e as experiências vivenciadas em seu meio. Temos, neste processo, a interação entre alunos, alunos e professores, alunos e artefatos simbólicos, alunos-professores e seus alunos das experiências de prática de ensino como estratégias fundamentais potencializadoras do desenvolvimento e, neste processo, “as crenças dos aprendizes são parte das construções e reconstruções de suas experiências” (HOSENFELD, 2003, p. 39). A mediação, segundo a perspectiva sociocultural, exerce papel fundamental, já que, para Vigotski, o homem apreende o mundo não de forma direta, mas sim de forma mediada, por intermédio de instrumentos, signos e do “outro”. Neste sentido, Dufva (2003) apresenta as crenças como meios de mediação usados para regular a aprendizagem e propiciar a solução de problemas (SOUZA, 2014, p. 95).
Mostrar mais

21 Ler mais

FATORES ASSOCIADOS A SINTOMAS DEPRESSIVOS EM MÃES DE RECÉM- NASCIDOS PRÉ-TERMOS DE MUITO BAIXO PESO

FATORES ASSOCIADOS A SINTOMAS DEPRESSIVOS EM MÃES DE RECÉM- NASCIDOS PRÉ-TERMOS DE MUITO BAIXO PESO

A ocorrência de maior intensidade de sintomas depressivos em mães de RNPT durante os primeiros dias após o parto com redução destes sintomas ao longo do primeiro ano mostra que estas mães estão especialmente vulneráveis logo após o parto prematuro e internação dos seus filhos. Assim, a abordagem da equipe multidisciplinar na maternidade e UTIN deve ter início precoce para evitar o agravamento de possíveis transtornos emocionais, já que a persistência de sintomas depressivos maternos pode prejudicar a formação do vínculo da mãe- filho, além de acarretar prejuízos no desenvolvimento neuropsicomotor da criança. Estudo longitudinal verificou que a presença de depressão materna quatro meses após o parto foi associada à pior função cognitiva da criança aos 16 meses (MCMANUS; POEHLMANN, 2012). Outro estudo verificou associação entre a pior percepção de bem-estar psicológico dos pais de RNPT e problemas emocionais e de comportamento dos filhos aos três anos de vida (HUHTALA et al., 2012). A presença sintomas maternos de ansiedade e depressão também já foi associada ao atraso no desenvolvimento da linguagem de RNPT com nove a onze meses de vida (FRAGA et al., 2008).
Mostrar mais

67 Ler mais

CONTRIBUIÇÃO DA DIVULGAÇÃO E POPULARIZAÇÃO CIENTÍFICA DURANTE A FORMAÇÃO INICIAL DE PEDAGOGOS NO ENSINO DE CIÊNCIAS

CONTRIBUIÇÃO DA DIVULGAÇÃO E POPULARIZAÇÃO CIENTÍFICA DURANTE A FORMAÇÃO INICIAL DE PEDAGOGOS NO ENSINO DE CIÊNCIAS

ZHNPLpqH IH rHNMLSGRXL WGJMXYZGWH IJsJ GMWHNQHNLN tPL QJNRQJWXGsL WNYXGWL uCvc... 0HMRXNtXGsGRPH8 WHM€JWGPJMXH WGJMXYZGWH J €LƒGSGILIJ IGI‘XGWL MH JMRGMH IJ WGmMWGLR .>=C?D`:g`:0`Ehcg`g>[r]

13 Ler mais

Ciênc. educ. (Bauru)  vol.23 número1

Ciênc. educ. (Bauru) vol.23 número1

Ou seja, as primeiras aulas possibilitaram um nível mais alto de investigação devido as questões levantadas estarem relacionadas aos conceitos e ao cotidiano dos estudantes. Já as abordagens realizadas na aula 4 icaram restritas somente a explicações, pelos alunos, de seus desenhos elaborados, não sendo feitas relações com o primeiro desenho proposto por eles ou com as aulas anteriores, embora essa ação tenha sido proposta pela licencianda em seu plano. No entanto, ainda é importante salientar que, nessa última aula, a professora em formação inicial pretendia realizar uma sistematização das ideias, e seu interesse estava em possibilitar que os estudantes elaborassem suas próprias conclusões.
Mostrar mais

20 Ler mais

A fim de fazer um teste de matemática sexual

A fim de fazer um teste de matemática sexual

Muito bem, no primeiro dos algarismos deve aparecer o número de vezes que. você deseja fazer sexo na semana[r]

2 Ler mais

Esse é um teste bem legal

Esse é um teste bem legal

O segredo é: o resultado final vai ser o número que você pediu para a pessoa somar no 3º passo.. Ex: some 4 (o resultado final..[r]

1 Ler mais

Desvende o Crime Muitos teste para o seu QI  Vizente Besteirol Desvende o Crime

Desvende o Crime Muitos teste para o seu QI Vizente Besteirol Desvende o Crime

Após um mês da prisão, ainda sem vislumbrar a autoria do homicídio, um dos dois irmãos engordou quase quinze. quilos, e o outro permaneceu com o mesmo peso de quando fora preso.[r]

1 Ler mais

Conflito no cérebro Muitos teste para o seu QI  Vizente Besteirol Conflito no cérebro

Conflito no cérebro Muitos teste para o seu QI Vizente Besteirol Conflito no cérebro

O lado direito do cérebro tenta ler a cor, mas o lado esquerdo insiste em ler a palavra.[r]

1 Ler mais

Como saber se um homem é machista

Como saber se um homem é machista

b) ( ) Dá-lhe outra bolacha porque quando ela falou em fazer tabelinha você pensou que ela estivesse dando pro Romário. c) ( ) Dá-lhe mais uma bolacha simplesmente porque você gostou de[r]

1 Ler mais

Chifre foi feito para os humanos, o touro usa de atrevido.

Chifre foi feito para os humanos, o touro usa de atrevido.

z) ( ) Pega no pescoço dele e diz que se não disser o nome da vagaba, arruma uma quizumba no ponto de ônibus que ele nunca mais vai se esquecer, nem na próxima encarnação!...;. ..[r]

1 Ler mais

Até que ponto você é ambicioso

Até que ponto você é ambicioso

quando as coisas não saem do jeito que esperava, você se culpa.. Seja mais amável consigo próprio(a).[r]

4 Ler mais

Show all 10000 documents...