Engenharia mecânica

Top PDF Engenharia mecânica:

A DISCIPLINA INICIAÇÃO À ENGENHARIA MECÂNICA E O PROJETO “CARRINHO DE RATOEIRA”

A DISCIPLINA INICIAÇÃO À ENGENHARIA MECÂNICA E O PROJETO “CARRINHO DE RATOEIRA”

Resumo: No presente trabalho são apresentados os procedimentos básicos de projeto de um “Carrinho de Ratoeira”, utilizando princípios de física e projeto mecânico para a construção e teste de um veículo propulsionado por uma ratoeira convencional de mola de torção. O projeto foi adotado na disciplina “Iniciação à Engenharia Mecânica”, ministrada em 2012 para os estudantes ingressantes no curso da Universidade Federal de São Carlos - UFSCar. A referida disciplina integra um elenco de “disciplinas integradoras” que buscam tornar o processo de construção do conhecimento mais dinâmico e interessante para os estudantes, evidenciando por meio de situações problema a importância para os futuros engenheiros do incremento de competências, habilidades, valores e atitudes relacionadas às atividades de comunicação, planejamento, criatividade, modelagem, simulação, ensaio e trabalho em equipe.
Mostrar mais

12 Ler mais

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA MECÂNICA A INFLUÊNCIA DO AMORTECIMENTO

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA MECÂNICA A INFLUÊNCIA DO AMORTECIMENTO

Além disso, este trabalho é o resultado de uma parceria em pesquisa entre o Laboratório de Mecânica de Estruturas (LMEst), da Faculdade de Engenharia Mecânica (FEMEC-UFU), e o[r]

107 Ler mais

Câmpus Sapucaia do Sul | Engenharia Mecânica (358 Downloads)

Câmpus Sapucaia do Sul | Engenharia Mecânica (358 Downloads)

CURSO SUPERIOR DE ENGENHARIA MECÂNICA MECHANICAL ENGINEERING.. SF2B1 Calculus I[r]

2 Ler mais

MÉTODOS COMPUTACIONAIS EM ENGENHARIA MECÂNICA

MÉTODOS COMPUTACIONAIS EM ENGENHARIA MECÂNICA

Esta dissertação pretende mostrar alguns exemplos de aplicação de métodos computacionais em engenharia mecânica. Os exemplos utilizam o método dos elementos finitos aplicado à resolução de problemas de mecânica dos sólidos e de mecânica dos fluidos, e os algoritmos genéticos aplicados à optimização estrutural. Considerou-se que a diversidade das metodologias empregues aconselhava uma delimitação precisa do tema a tratar no capítulo inicial dedicado a apresentar os princípios teóricos do estudo realizado. Assim, porque a contribuição mais significativa deste estudo consiste na metodologia desenvolvida para a interligação entre os programas ANSYS e MATLAB com o objectivo de realizar optimização estrutural, optou-se por circunscrever os princípios teóricos apresentados neste capítulo ao âmbito dos algoritmos genéticos.
Mostrar mais

99 Ler mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE ENGENHARIA MECÂNICA PROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA MECÂNICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE ENGENHARIA MECÂNICA PROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA MECÂNICA

Serão abordados neste capítulo assuntos que proporcionarão fundamentos teóricos no que diz respeito as forças de usinagem no torneamento do aço ABNT 1045, do alumínio s[r]

126 Ler mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE ENGENHARIA MECÂNICA CURSO DE PÓS GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA MECÂNICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE ENGENHARIA MECÂNICA CURSO DE PÓS GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA MECÂNICA

O crescente interesse na aplicação da tecnologia dos materiais piezelétricos para os problemas de controle de vibrações e acústica levou, nos últimos trinta anos, um grande número de pesquisadores a propor métodos matemáticos que permitissem descrever, de uma forma precisa, o mecanismo de atuação e sensoriamento destes materiais. De todas as técnicas de modelagem matemática hoje conhecidas, o método de elementos finitos é, sem dúvida, um dos procedimentos mais eficientes e largamente divulgados (Zienkiewicz e Taylor, 1989). Com este método é possível obter soluções para muitos problemas complexos na Engenharia, sendo a ferramenta de projeto e análise utilizada por muitos pesquisadores, especialmente na área de vibrações (Tzou e Tseng, 1991). Um dos primeiros relatos sobre o emprego do método de elementos finitos para descrever o comportamento dos materiais piezelétricos foi apresentado por Allik e Hughes (1970) que propuseram um método geral de análise estática e dinâmica de estruturas piezelétricas. Com este trabalho foi possível obter o sistema de equações diferenciais dinâmicas da piezeletricidade. Detwiler et al (1995) e Wang et al (1997) aplicaram e validaram, através de dados fornecidos por outros pesquisadores, o método de elementos finitos na modelagem de estruturas tipo placa contendo atuadores e sensores piezelétricos distribuídos. Hansen (1998) e Ray et al (1998) desenvolveram equações exatas para análise dinâmica de placas com materiais piezelétricos distribuídos. Chen et al (1996) e Lin e Huang (1999) apresentaram uma metodologia de formulação do problema de controle de vibrações de uma viga elástica usando atuadores e sensores piezelétricos pelo método de elementos finitos. Reddy (1999) descreveu em detalhes a formulação por elementos finitos aplicada na análise dinâmica de placas compostas por sensores e atuadores piezelétricos. Uma metodologia completa para a modelagem analítica e numérica de estruturas tipo placa e viga com elementos piezelétricos incorporados é apresentada por Lima Jr. (1999).
Mostrar mais

290 Ler mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE ENGENHARIA MECÂNICA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA MECÂNICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE ENGENHARIA MECÂNICA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA MECÂNICA

Nesse sentido, propõe-se o uso de técnicas de problemas inversos em condução de calor para a obtenção do fluxo de calor que flui da interface de corte para a ferramenta e a partir dest[r]

195 Ler mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE ENGENHARIA MECÂNICA PROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA MECÂNICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE ENGENHARIA MECÂNICA PROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA MECÂNICA

Este trabalho pretende estudar o processo básico de formação do cavaco bem como a influência dos principais parâmetros de corte, tais como veloc[r]

83 Ler mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE ENGENHARIA MECÂNICA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA MECÂNICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE ENGENHARIA MECÂNICA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA MECÂNICA

na identificação da força de atrito em ensaios tribológicos, sendo que para aplicação desta técnica são utilizados conceitos desenvolvidos por Coulomb e Hertz para a mecânica do contato. Basenado-se na teôria de análise de sinais não lineares, na mecânica do contato e na dinâmica de sistemas é apresentada uma metodologia para a formulação do problema de identificação de forças não lineares atuantes em sistemas lineares. Finalmente a metodologia desenvolvida para a identificação da força de atrito é aplicada a ensaios tribológicos controlados, o comportamento da força de atrito estimada é então comparada aos fenômenos tribológicos observados, por meio de observações das superfícies dos corpos e do campo de tensões atuante nos corpos calculado para as condições do ensaio.
Mostrar mais

89 Ler mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE ENGENHARIA MECÂNICA CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA MECÂNICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE ENGENHARIA MECÂNICA CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA MECÂNICA

Os Absorvedores Dinâmicos de Vibrações (ADVs) vêm sendo largamente utilizados para a atenuação de vibrações estruturais, com aplicações nas engenharias mecânica, civil, naval e aeroespacial. Os ADVs mais comumente usados são os passivos, compostos por elementos de parâmetros concentrados de inércia, rigidez e amortecimento. Classicamente, os ADVs passivos são projetados de forma que sua freqüência natural seja sintonizada para a freqüência de excitação, admitida fixa. Entretanto, a banda de operação dos ADVs passivos é relativamente estreita, o que inviabiliza a sua aplicação para casos em que a freqüência de excitação passa a variar. Como forma de contornar esta limitação, recentemente foram desenvolvidas as concepções de ADVs ativos e adaptativos, que têm capacidade de sintonização em bandas freqüenciais mais largas. Os ADVs ativos são aqueles em que um atuador, colocado paralelamente aos elementos passivos do ADV, exerce uma força de controle que permite modificar sua sintonização. Por ADVs adaptativos entendem-se aqueles cujos parâmetros físicos de inércia, rigidez e amortecimento podem ser variados, de forma controlada proporcionando a sintonização desejada. Neste trabalho são estudadas três configurações de ADVs ativos e outras três de ADVs adaptativos. São elas: a) o ADV ativo com realimentação do sinal de deslocamento da massa do ADV, defasado no tempo (ressonador defasado); b) uma nova configuração proposta de ADV ativo com realimentação dos sinais de deslocamento, velocidade e aceleração relativos; c) o ADV ativo com controle ótimo; d) o ADV adaptativo tipo corda vibrante; e) o ADV adaptativo pendular; f) o ADV adaptativo tipo viga com atuadores piezelétricos. Neste estudo se incluem o desenvolvimento teórico e as simulações numéricas no domínio da freqüência e do tempo, realizadas com o objetivo de avaliar as características operacionais e o desempenho das configurações estudadas.
Mostrar mais

120 Ler mais

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA MECÂNICA E INDUSTRIAL

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA MECÂNICA E INDUSTRIAL

Indique para cada uma das seguintes áreas da FCT/UNL, ou para as que considerar relevantes, quais acções de melhoria que devem ser realizadas de maneira a melhorar o dese[r]

129 Ler mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE ENGENHARIA MECÂNICA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA MECÂNICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE ENGENHARIA MECÂNICA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA MECÂNICA

• Velocidade de rotação: Segundo Vill (1962), existe uma velocidade ótima para cada par de materiais utilizados. Elevadas velocidades de rotação levam à ocorrência de uma “lapidação” das superfícies das peças, deixando-as mais planas, fato que aumenta o tempo de aquecimento das superfícies. Maiores tempos de aquecimento provocam um aumento de temperatura em um volume maior da peça, que, por conseqüência, diminui a velocidade de resfriamento das partes unidas. Dessa forma, a utilização de uma elevada velocidade de rotação pode vir a aumentar a zona afetada pelo calor (ZAC), como também prejudicar as propriedades mecânicas da região da solda. Por outro lado, a utilização de baixas velocidades de rotação pode exigir que se tenha maiores forças axiais e exigir um maior torque do sistema, o que em termos de equipamento significa maior robustez. Além da questão mecânica, a utilização de baixas velocidades de rotação também pode levar a uma velocidade de resfriamento extremamente rápida, que apesar de diminuir o tamanho da ZAC, deixaria essa região potencialmente com dureza elevada e com tenacidade extremamente baixa.
Mostrar mais

32 Ler mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE ENGENHARIA MECÂNICA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA MECÂNICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE ENGENHARIA MECÂNICA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA MECÂNICA

O efeito piezoelétrico foi descoberto pelos irmãos Curie em 1880, sendo uma propriedade existente em diversos materiais tanto naturais (quartzo, pele e osso humanos) quanto sintéticos (cerâmicas e polímeros). Tais materiais, quando solicitados externamente, de modo a sofrerem deformação mecânica, produzem polarização elétrica (distribuição de cargas elétricas) proporcional à deformação sofrida. Este efeito é o chamado efeito piezoelétrico direto. Inversamente, quando estes materiais são submetidos a um campo elétrico ao longo de sua direção de polarização, são produzidas deformações mecânicas em resposta. É o efeito piezoelétrico inverso. Estes dois efeitos são explorados na confecção de sensores de deformação e atuadores. Os sensores trabalham segundo o efeito piezoelétrico direto, e os atuadores trabalham segundo o efeito piezoelétrico inverso.
Mostrar mais

220 Ler mais

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA MECÂNICA E INDÚSTRIAL

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA MECÂNICA E INDÚSTRIAL

Actualmente, as normas Europeias e Internacionais estão mais exigentes com a qualidade de construção. A capacidade de um edifício de se manter intacto quando sujeito a forças externas (como movimento das placas tectónicas) ou mesmo de aguentar as vibrações naturais que uma cidade moderna “provoca” a um edifício (por exemplo as vibrações provocadas pelo metro), são factores muito importantes para o bem estar da população. A engenharia civil tem evoluído muito rapidamente, utilizando mecanismos de contrabalanço ou amortecedores nos edifícios. Contudo, mesmo as técnicas referidas anteriormente não são suficientes para evitar o colapso das estruturas.
Mostrar mais

116 Ler mais

Departamento de Engenharia Mecânica e Industrial

Departamento de Engenharia Mecânica e Industrial

No Capítulo IV, designado de Desenvolvimento da FCSCE, expõe-se todas as fases do procedimento utilizado para o desenvolvimento, em Matlab, dos vários algoritmos referentes a esta ferramenta computacional. Este capítulo inicia-se com uma breve introdução à engenharia de software e Matlab, sendo de seguida apresentadas de forma sequencial as várias fases do procedimento, que visam demonstrar a forma como foram desenvolvidos os algoritmos que constituem a Ferramenta Computacional de Suporte ao Controlo Estatístico (FCSCE). Esta ferramenta computacional permite obter um conjunto de tabelas e ábacos, que representam os resultados finais desta dissertação, estando a estes expostos no final deste mesmo capítulo para melhor compreensão de todo o processo de desenvolvimento da ferramenta.
Mostrar mais

220 Ler mais

Departamento de Engenharia Mecânica e Industrial

Departamento de Engenharia Mecânica e Industrial

The IDEAS framework describes that interoperability must be achieved on different levels (business, knowledge and ICT) between two co-operating enterprises. The origi[r]

98 Ler mais

Licenciado em Ciências de Engenharia Mecânica

Licenciado em Ciências de Engenharia Mecânica

A válvula é responsável pela principal perda de carga na instalação, no entanto a diferença entre o valor da superfície livre dos reservatórios e a sua cota piezométrica co[r]

82 Ler mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE ENGENHARIA MECÂNICA 2013

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE ENGENHARIA MECÂNICA 2013

densidade energética, poder calorífico, densidade aparente, análise imediata e resistência mecânica à compressão paralela às fibras. Após o tratamento térmico, verificou-se que T2 não causou mudanças expressivas na madeira. T3, por sua vez, produziu modificações importantes nas propriedades analisadas. A densidade energética, o rendimento energético e o poder calorífico superior aumentaram quando comparado ao produto in natura. Houve uma melhor relação entre a diminuição da densidade aparente (ocasionada principalmente pela perda de massa) e o aumento do poder calorífico superior. T4 causou mudanças mais significativas nos parâmetros analisados, proporcionando ao poder calorífico um aumento percentual de 15,74%. No entanto, considerando que T3 produziu um combustível lignocelulósico com melhores propriedades energéticas, em menos tempo e com menor dispêndio energético, o autor afirma que T3 seria o tratamento térmico mais eficaz dentre os analisados. Ainda em relação ao poder calorífico, o autor comenta que obteve aumentos percentuais de 3,93% e 9,56% para os tratamentos T2 e T3, respectivamente.
Mostrar mais

110 Ler mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA MECÂNICA E DE PRODUÇÃO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE PRODUÇÃO MECÂNICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA MECÂNICA E DE PRODUÇÃO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE PRODUÇÃO MECÂNICA

Neste sentido, pode-se afirmar que a metodologia utilizada neste trabalho é qualitativa e descritiva, tendo em vista que foram realizadas pesquisas através da observação e descrição das atividades do setor de engenharia renováveis da empresa. Foram realizados procedimentos metodológicos de pesquisa com o engenheiro responsável pelo setor, técnico especialista em elaboração de pré- layout, técnico responsável pela manutenção das estações anemométricas, técnico especializado em regularização de terrenos, meteorologista, engenheiro de prospecção, engenheiro ambiental, advogados e outros colaboradores.
Mostrar mais

69 Ler mais

Estimativa das máximas pistas de vento no reservatório da barragem de Ilha Solteira, Estado de São Paulo

Estimativa das máximas pistas de vento no reservatório da barragem de Ilha Solteira, Estado de São Paulo

Centro de Tecnologia, Campus Regional de Umuarama, Universidade Estadual de Maringá, PR 489, 1400, 87508-210, Umuarama, Paraná, Brasil. 2 Departamento de Engenharia Mecânica, Faculdade de Engenharia de Ilha Solteira, Universidade Estadual Paulista, Ilha Solteria, São Paulo, Brasil. 3 Departamento de Engenharia Civil, Faculdade de Engenharia de Ilha Solteira. Universidade Estadual Paulista, Ilha Solteria, São Paulo, Brasil. *Autor para correspondência. E-mail: mmarques@uem.br

6 Ler mais

Show all 7566 documents...