Equipes no local de trabalho

Top PDF Equipes no local de trabalho:

Caracterização das equipes do Programa Academia da Saúde e do seu processo de trabalho

Caracterização das equipes do Programa Academia da Saúde e do seu processo de trabalho

Além disso, a descrição dos processos de trabalho revela a ausência de pro- tocolos de ação e avaliação das tarefas, pouca articulação com as demais ações e serviços da Atenção Primária e distanciamento da coordenação do programa no que se refere ao planejamento, execução e avaliação do trabalho nos polos e no território. Embora essas características tenham se apresentado no contexto da RMR, apontam a necessidade do estabelecimento de estratégias que auxi- liem os demais municípios brasileiros a implantar o PAS de forma integrada e efetiva na APS e facilitem os processos de monitoramento e avaliação das ações, tanto no nível local, quanto nas demais esferas de gestão do programa.
Mostrar mais

12 Ler mais

Um método e um programa para a formação e logística de equipes de trabalho

Um método e um programa para a formação e logística de equipes de trabalho

Os custos do vale-transporte (em reais R$) entre os endereços dos agentes e dos locais de trabalho constituem o critério sobre o qual é tomada a decisão. A Tabela 1 apresenta os valores do vale-transporte entre os 26 agentes (Agente 1, Agente 2, ..., Agente 26) e as seis concessio- nárias de automóveis (Local 1, Local 2, ..., Local 6). Estes valores foram obtidos diretamente do Google Maps, e inseridos numa planilha do Excel, por meio da combinação das cinco di- ferentes tarifas existentes no transporte público urbano de Belo Horizonte, MG. A interface do GoogleMaps permite obter a tarifa, bem como o tempo de deslocamento entre quaisquer pontos de origem e destino.
Mostrar mais

16 Ler mais

Coordenar ou gerenciar equipes? O processo grupal como possibilidade para o trabalho coletivo nas equipes de saúde da família

Coordenar ou gerenciar equipes? O processo grupal como possibilidade para o trabalho coletivo nas equipes de saúde da família

ion are limit ed t o management aspect s present in unit rout ines and are under a cont rol perspect ive. By cont rast , t he professionals w ho did not have any format ion w ork t o act uat e as t eam coordinat ors, seen t he development of t hese ones for collect ive/ int erdisciplinary w ork. The municipal management policy show s it self in t he cent ral coordinat or speech back t o t he part icipat ive management . Therefore, t he focus of healt h pract ice priorit izes t he fulfillment of goals and t he individual/ curat ive service t o t he det riment of t ot al care product ion, t hen t he managem ent emphasis back t o t he cont rol. Thus, t he w ork perspect ive of cent ral coordinat or, t he same w ay t he local coordinat or´s, conduct s for t he w ork process. Then, w e ident ified how t his is harmful for t he w ork const ruct ion in t eam in a collect ive w ork perspect ive and how t he group process show s it self as an import ant t heoret ical reference of Social Psychology for t his t hemat ic discussion.
Mostrar mais

239 Ler mais

Gestão do trabalho de equipes da saúde da família

Gestão do trabalho de equipes da saúde da família

In that municipality there was a progressive investment in the coverage of PHC by joining the Mais Médicos Program (PMM), which propelled the quantitative increase of professionals and resulted in increased access. Data from the Ministry of Health’s Secretariat of Primary Care show that, in 2013, the municipality had 47.61% coverage of PHC and that, after joining the PMM, it increased coverage to 71.9% in 2014, 82.2% in 2015 and 98.3% in 2016, making this year the apex of PHC services for the local reality, in just three years.

8 Ler mais

A dimensão do trabalho coletivo para equipes  multidisciplinares de CAPS

A dimensão do trabalho coletivo para equipes multidisciplinares de CAPS

Com o fechamento desse hospital, bem como, o conhecimento da sociedade paraibana através da mídia local sobre a realidade da instituição em questão, começam a surgir às primeiras intervenções e propostas no fazer em saúde mental na cidade, baseando-se também nas transformações nacionais que aconteciam no mesmo período. Cirilo (2006) ainda afirma que algumas medidas foram adotadas para conhecer os pacientes, entre estes: colher dados da história de cada um e identificar possíveis candidatos para residências terapêuticas, bem como garantir a reintegração social dessas pessoas. Além disso, a comissão técnica de acompanhamento da intervenção passou a se reunir frequentemente, sendo algumas estratégias propostas, entre elas o fortalecimento dos serviços substitutivos já existentes.
Mostrar mais

38 Ler mais

Riscos psicossociais relacionados ao estresse no trabalho das equipes de saúde da...

Riscos psicossociais relacionados ao estresse no trabalho das equipes de saúde da...

famílias pelas quais são responsáveis, com ênfase nas suas características sociais, demográficas e epidemiológicas; identificar os problemas de saúde mais comuns e situações de risco aos quais a população está exposta; elaborar com a participação da comunidade um plano local para o enfrentamento dos fatores que colocam em risco a saúde; programar as atividades e reestruturar o processo de trabalho; prestar assistência integral; utilizar os sistemas de referência e contra-referência de forma contínua e racionalizada para resolver os principais problemas detectados; desenvolver processos educativos para a saúde e promover ações intersetoriais para o enfrentamento dos problemas identificados; realizar as atividades de visita domiciliar e internação domiciliar e participar de grupos comunitários; valorizar a relação com o usuário e com a família para criação de vínculo de confiança; promover a qualidade de vida e contribuir para que o meio ambiente torne-se mais saudável além de muitas outras atividades ( BRASIL, 1998).
Mostrar mais

161 Ler mais

O efeito da interdependência na satisfação de equipes de trabalho: um estudo multinível.

O efeito da interdependência na satisfação de equipes de trabalho: um estudo multinível.

As crenças constituem convicções individuais sobre fatos e eventos. Autores como Fishbein e Azjen (1975) as colocam ao lado das opiniões e afirmam tratar- se de fenômenos diferentes dos afetos e dos comportamentos. Esses autores especificam que as crenças associam um objeto a um atributo determinado. No caso das crenças na efetividade das equipes de trabalho, a crença cumpre a função de ligar o objeto, equipe, a um atributo, efetividade. Pesquisas que focalizam os resultados do desempenho das equipes de trabalho não têm investigado a participação desta variável; contudo o efeito de construtos próximos está presente em estudos desse campo. No modelo proposto por Guzzo e Shea (1992), expectativas positivas sobre a efetividade da equipe, denominadas potência, são vistas como elementos que influenciam os resultados da equipe. Segundo os autores, o efeito das expectativas de efetividade da equipe deve ser investigado de maneira associada ao da interdependência, pois estas variáveis atuam de maneira conjunta sobre os resultados do desempenho.
Mostrar mais

22 Ler mais

O Desenvolvimento das Equipes de Trabalho no Cenário Atual

O Desenvolvimento das Equipes de Trabalho no Cenário Atual

As equipes precisam de recursos de todos os tipos para aumentar suas chances de sucesso e, principalmente, ter em mente que a empresa está comprometida com o trabalho em equipe. O objetivo deste trabalho é propor reflexões sobre o desenvolvimento das equipes no cenário atual. Analisou-se que cabe ao gestor de pessoas o forte compromisso de derrubar as barreiras, eliminando, onde for possível, a disputa interna, evitando assim, discriminações no que tange ao reconhecimento pessoal e às realizações dos indivíduos, sendo assim, qualquer projeto ambicioso requer que as pessoas trabalhem em um esforço conjunto, assim, o termo “times de trabalho” vem se tornando um importante conceito nas organizações. As velhas estruturas estão sendo reformuladas e as empresas buscam ser mais flexíveis, em face às rápidas mudanças, são mais sensíveis às necessidades dos clientes e estão experimentando uma nova estrutura baseada em times de trabalho.
Mostrar mais

6 Ler mais

Gestão por processo e autonomia das equipes de trabalho: o caso da EMBRAPA

Gestão por processo e autonomia das equipes de trabalho: o caso da EMBRAPA

Este estudo teve por objetivo avaliar a autonomia de ação das equipes de processo para o atendimento das demandas dos clientes, com base na abordagem da organização orientada para processos. O alcance desse objetivo geral impôs o desenvolvimento de três outros específicos: 1) caracterização da organização e descrição do seu modelo de gestão; 2) descrição da autonomia de ação das equipes de processo necessária à tomada de decisão, ao relacionamento dos seus integrantes e à integração de esforços para a geração dos produtos e serviços sob sua responsabilidade; e 3) avaliação da satisfação dos clientes em relação aos produtos e serviços a eles ofertados, uma vez que, na abordagem de processos, o atendimento de suas expectativas é a principal preocupação da organização. Como estratégia de pesquisa adotou-se o estudo de caso por meio do qual se teve acesso a dados da realidade organizacional da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), mais especificamente do seu Departamento de Organização e Desenvolvimento (DOD), envolvendo cinco equipes de macroprocessos. Os resultados revelados pelo estudo evidenciaram que o modelo de gestão adotado pelo DOD aproxima-se mais da abordagem da melhoria contínua de processos, conforme dispõe a Total Quality Management (TQM), e menos da abordagem da melhoria radical preconizada pela reengenharia. A autonomia de ação das equipes estudadas caracterizou-se como um processo evolucionário cuja propriedade foi se consolidando à medida que as equipes gradativamente adquiriram conhecimento e autoconfiança para gerir o respectivo processo de trabalho. Quanto à satisfação dos clientes, a pesquisa revelou que 85% dos usuários dos serviços ofertados pelo DOD estão “satisfeitos” e 15% manifestaram que estão “insatisfeitos” com tais serviços. Como conclusão, o estudo evidenciou que a organização em torno de equipes dotadas de autonomia pode representar uma relevante ruptura em relação aos paradigmas clássicos de organização. Ao final, são feitas recomendações visando ao aprimoramento do processo de mudança do DOD, como também a realização de pesquisas complementares.
Mostrar mais

146 Ler mais

Criatividade nas equipes de trabalho  : um estudo de caso Praiatur Hotel

Criatividade nas equipes de trabalho : um estudo de caso Praiatur Hotel

colaboradores é a caracterização destas, vistas como criativas. Nas *quais a estrutura é descentralizada e as novas idéias podem vir da base para o topo, além disso,[r]

92 Ler mais

Condicionantes da eficácia do trabalho em equipes de gestão de projetos virtuais.

Condicionantes da eficácia do trabalho em equipes de gestão de projetos virtuais.

2 – Encontrar novas maneiras de focar a atenção na tarefa. Em equipes presenciais, os líderes, quando percebem que os integrantes estão dispersos, tomam atitudes e imediatamente trazem-nos de volta aos trilhos, o que é mais difícil ocorrer em equipes virtuais. Diversos recursos e ferramentas podem ser utilizados na área de trabalho compartilhada, proporcionando um foco para realização do trabalho. Só que a mesma tecnologia que ajuda a manter o foco oferece distrações para seus os integrantes, como navegadores da Web, e-mail, mensagens instantâneas que não estão relacionadas com o trabalho, entre outros contratempos. Uma solução para esse problema é o uso de janelas compartilhadas, onde o líder pode acompanhar o que acontece a distância ou compartilhamento de arquivos combinados a voice link (ligação de voz). Outro método utilizado é um protocolo de resposta nominal, em que cada integrante da equipe é convidado a dar uma resposta verbal a uma dúvida ou problema. Isso motiva os integrantes a ficarem atentos porque serão convidados a emitir publicamente suas opiniões e percepções.
Mostrar mais

92 Ler mais

Conflitos intragrupos : preditores e consequentes no cenário de equipes de trabalho

Conflitos intragrupos : preditores e consequentes no cenário de equipes de trabalho

Apesar de haver uma relação positiva e significativa entre as interdependências e os conflitos propostos pelo modelo, constatou-se existir baixos níveis de conflito de tarefas e relacionamento na amostra investigada. Estes resultados remetem ao estudo de Deutsch (1973), em que o pesquisador ao promover situações de interdependência nas equipes pesquisadas, percebeu ocorrer um aumento das interações sociais, trocas de idéias e divergências voltadas para o trabalho. O autor enfatiza que nestas situações, ao existir divergências ou conflitos nas equipes, estes não necessariamente atingiram níveis elevados a ponto de causar danos à efetividade. Isto porque a percepção positiva de obtenção de gratificações pelos resultados atingidos em conjunto, tornou os membros mais suscetíveis ao partilhamento de recursos e procedimentos de trabalho e mais confiantes que as equipes poderiam ser efetivas. Assim, as eventuais divergências de trabalho que surgiram, não atingiram níveis elevados a ponto de comprometer a execução das atividades ou acarretar divergências interpessoais capazes de comprometer os vínculos dos indivíduos com o trabalho e com a equipe. Logo, os interesses e competições individuais se tornaram menores que os interesses do grupo, sendo administrados por meio de práticas cooperativas de trabalho.
Mostrar mais

108 Ler mais

Local de realização do trabalho

Local de realização do trabalho

da elevação do pH por ação da fotossíntese dependerá, entre outros fatores, da alcalinidade da água. Em águas de baixa alcalinidade, espera-se maior elevação do pH (BOYD, 2000). Embora o efeito da fotossíntese sobre o pH da água já esteja bem demonstrado pela literatura especializada, há ausência de estudos sobre o efeito da fotossíntese sobre a alcalinidade da água de cultivo de peixes. Deste modo, o presente trabalho de pesquisa teve como objetivo avaliar o efeito da fotossíntese sobre a alcalinidade total da água de cultivo de alevinos de tilápia do Nilo, Oreochromis niloticus, mantidos em laboratório. Além da alcalinidade, observou-se ainda os efeitos da fotossíntese na densidade algal e no pH da água.
Mostrar mais

6 Ler mais

PARA AS EQUIPES DE TRABALHO NAS OBRAS DE MONTAGEM DE TUBULAÇÕES DA EMPRESA BUTTING

PARA AS EQUIPES DE TRABALHO NAS OBRAS DE MONTAGEM DE TUBULAÇÕES DA EMPRESA BUTTING

Cada vez mais as organizações percebem a importância de fazer uso de sistemas de remuneração como catalisadores dos esforços -dos trabalhadores e da organização- para atingir metas [r]

90 Ler mais

O Efeito da Interdependência na Satisfação de Equipes de Trabalho: um Estudo Multinível

O Efeito da Interdependência na Satisfação de Equipes de Trabalho: um Estudo Multinível

O efeito da interdependência nos resultados do desempenho das equipes de trabalho foi defendido no modelo teórico, proposto por Guzzo e Shea (1992). No presente estudo, a pertinência dessa proposta foi explorada, adotando-se um modelo multinível. Investigou-se o efeito da interdependência de tarefas, de resultados e crenças na efetividade das equipes. O aspecto considerado indicador da efetividade foi a satisfação dos membros. A amostra de dados coletados foi composta por 113 indivíduos, agrupados em 28 equipes. Os resultados apontaram a adequação do modelo proposto, pois permitiu compreender as diferenças entre indivíduos e equipes. De maneira específica, observou-se que existe relação direta entre interdependência de resultados e satisfação. A interdependência de tarefas interveio modificando, em alguns casos, essa relação. Adicionalmente, identificou-se maior satisfação de indivíduos que relataram depender dos seus colegas para atingir seus resultados; contudo isto foi verdadeiro apenas para aqueles que acreditam que as equipes de trabalho são efetivas. Pelo contrário, no caso daqueles que não acreditam na efetividade das equipes, a elevada dependência de resultados esteve relacionada a níveis mais baixos de satisfação.
Mostrar mais

22 Ler mais

Desenvolvimento de uma medida de qualidade da comunicação entre os membros das equipes de trabalho

Desenvolvimento de uma medida de qualidade da comunicação entre os membros das equipes de trabalho

Contudo, pesquisas adicionais devem ser realizadas para avaliar as propriedades psicométricas da escala em outros contextos e para contri- buir com o desenvolvimento do conhecimento na área. Uma das sugestões de pesquisas futuras ocorre devido ao fato de que uma das características da amostra deste estudo é a alta escolaridade, sendo que 37,7% dos parti- cipantes da primeira coleta e 61,7% dos indivíduos da segunda coleta possuíam pós-graduação. Diante disso, é indicado que outros estudos apliquem o instrumento em amostras de menor escolaridade para veri- ficar se esses participantes apresentam a mesma compreensão dos itens do questionário. Cabe ressaltar ainda que a escala avaliou a qualidade da comunicação nas equipes no nível individual, a partir da percepção do indivíduo a respeito da qualidade da comunicação em sua equipe. Assim, pesquisas adicionais que queiram agregar as respostas dos indivíduos e obter uma medida de qualidade da comunicação no nível grupal devem planejar a coleta de dados de modo a obter três ou mais respostas por equipe e, posteriormente, avaliar a concordância das respostas entre os membros da mesma equipe, como sugerido por Lanz, Sorgente e Tagliabue (2018).
Mostrar mais

28 Ler mais

Relações de trabalho em equipes interdisciplinares: contribuições para a constituição de novas formas de organização do trabalho em saúde.

Relações de trabalho em equipes interdisciplinares: contribuições para a constituição de novas formas de organização do trabalho em saúde.

Na atuação das equipes interdisciplinares estudadas confirma- se o potencial para a realização de mudanças que beneficiam os usuários e os/as trabalhadores/as, bem como reorganização no modo de fazer assistência à saúde, a partir dos micro espaços de trabalho. O trabalho nas equipes interdisciplinares estudadas conjuga vários destes fatores: vínculo, acolhimento, humanização da assistência e melhora no acesso dos usuários aos profissionais e aos serviços de saúde. Possibilitam também uma maior participação do usuário nas decisões que envolvem sua vida e o processo saúde- doença favorecendo deste modo a criação de condições para que os usuários se coloquem como sujeitos e exerçam sua autonomia. Relativamente à construção de vínculos profissional/usuário, na maioria das vezes as equipes estudadas desenvolvem uma noção de forte responsabilidade para com os usuários e famílias, demonstrando preocupação e envolvimento que ultrapassam o tratamento da doença. Neste sentido, questões que na prática tradicional do cuidar, predominante nos serviços de saúde, não se constituem em preocupação dos/as profissionais como, por exemplo, transporte, alimentação adequada à condição física do doente, intervalos entre consultas de modo a não paralisar o tratamento por falta de receitas médica, e outros, passam a fazer parte do repertório profissional em uma abordagem focada no usuário enquanto sujeito social. Essa abordagem consegue cuidar dos indivíduos aproximando-se o olhar para a sua multidimensio-nalidade enquanto ser individual, cultural, histórico e social, além de utilizar melhor os recursos existentes nas instituições e na comunidade.
Mostrar mais

7 Ler mais

A representação dos trabalhadores no local de trabalho

A representação dos trabalhadores no local de trabalho

Na presente monografia, pretende-se analisar a representação dos trabalhadores no local de trabalho a partir da evolução da liberdade sindical no Brasil apresentada através de um panorama histórico compreendido entre a fase pré-corporativista, iniciada em 1888, com a abolição da escravidão, e a Constituição Federal de 1988. Para melhor compreensão do tema serão abordadas experiências internacionais a respeito da representação dos trabalhadores em seu local de trabalho. Na primeira parte, faz-se uma análise da influência corporativista no direito sindical brasileiro e da liberdade sindical do direito internacional, reservando-se a segunda parte para as principais características da representação dos trabalhadores no direito estrangeiro. Com o exame destes tópicos, passa-se, então, ao estudo específico do tema apresentado, objetivando, deste modo, a demonstração das diversas formas de representação do trabalhador no local de trabalho no Brasil. No decorrer do trabalho aqui desenvolvido, verificar-se-á que no Brasil ainda existem resquícios da influência do corporativismo e que não se vivenciou, ainda, o amadurecimento dos ideais de liberdade sindical.
Mostrar mais

73 Ler mais

ATUAÇÃO PROFISSIONAL E LOCAL DE TRABALHO

ATUAÇÃO PROFISSIONAL E LOCAL DE TRABALHO

Declaro ainda que o pesquisador proponente ( nome do proponente ), vinculado a esta instituição, terá todo apoio institucional necessário para a realização do referido projeto, com garan[r]

17 Ler mais

MOBBING ASSÉDIO NO LOCAL DE TRABALHO

MOBBING ASSÉDIO NO LOCAL DE TRABALHO

É uma “conspiração” desencadeada por um(uns) lider(es) – superior hierárquico, colegas ou subordinados – que incentivam outros a praticar comportamentos assediantes sistemáticos e frequentes ... O resultado é, invariavelmente o dano – físico ou mental, doença e sofrimento social (social misery) e, o mais frequente, expulsão do local de trabalho.

23 Ler mais

Show all 10000 documents...