Espaço livre

Top PDF Espaço livre:

Espaço Livre: Rede de Educação Ambiental (REA)

Espaço Livre: Rede de Educação Ambiental (REA)

Introdução: A reflexão crítica diante dos padrões de consumo e da geração de resíduos está intimamente ligada à qualidade de vida da população, diferindo em aspectos econômicos, educacionais, motivacionais e socioambientais. Independente do contraste social, essa problemática requer o conhecimento de suas causas e efeitos, para nortear ações efetivas de toda a sociedade.mFundamentado na educação ambiental, o projeto “Espaço Livre” – Rede de Educação Ambiental, da Unesp Sorocaba, está comprometido em orientar as suas atividades e estratégias. O intuito é estimular a valorização desse entendimento, promovendo a mudança de visões sobre quando o “lixo” é “lixo” e quando precisar é diferente de querer.
Mostrar mais

1 Ler mais

: conceito, causas de justificação e a doutrina do espaço livre de direito  Marcela Siqueira Miguens

: conceito, causas de justificação e a doutrina do espaço livre de direito Marcela Siqueira Miguens

Uma das questões sempre presente na dogmática penal é a busca de um conceito de ação. Chegar-se a um conceito jurídico penal de ação representa fundar o direito punitivo a partir da atuação de uma pessoa (nullum crimen sine conducta). A conceituação da ação na teoria do delito cumpre a função de delimitar e direcionar o poder punitivo em direção aos fatos que são perigosos ou lesivos a bens jurídicos. Partindo desta premissa, pretende-se abordar no presente artigo, a partir da conceituação da antijuridicidade, as diferentes posições concernentes às suas funções e à sua relação com o tipo penal. Apresenta-se também a doutrina do espaço livre de direito, como construção que se propõe à exclusão de determinadas condutas da própria valoração jurídica, antecedendo o juízo de antijuridicidade. Palavras-chave: Antijuridicidade; causas de justificação; doutrina do espaço livre de direito Abstract/Resumen/Résumé
Mostrar mais

25 Ler mais

Apropriação do espaço livre público na metrópole contemporânea: o caso da Praça Tiradentes em Curitiba/PR.

Apropriação do espaço livre público na metrópole contemporânea: o caso da Praça Tiradentes em Curitiba/PR.

Curitiba, capital do Estado do Paraná, não é exceção. Não são poucas as críticas ao uso que comumente é imaginado às suas praças centrais, a ponto de carregarem certa conotação de abandono e de degradação; basta observar os recentes projetos de “revitalização” na área central e nas suas praças, por exemplo, as recentes intervenções nas Ruas São Francisco, Riachuelo e Barão do Rio Branco. A proposta da presente análise é compreender as relações entre o espaço físico e os grupos sociais que frequentam a Praça Tiradentes, escolhida como estudo de caso por representar o espaço livre público mais antigo da cidade, incrustado de modo patente no centro, e por se tratar de um “lugar”, no sentido de estar consolidado no imaginário popular.
Mostrar mais

16 Ler mais

Caracterização do Espaço Livre Público do Terminal Barra Funda, Município de São Paulo, SP:

Caracterização do Espaço Livre Público do Terminal Barra Funda, Município de São Paulo, SP:

De acordo com Tuan (2012), a percepção do ser humano é vista de forma individual, podendo este reagir, perceber ou responder diferentemente em relação às ações sobre o meio. Segundo De Angelis e De Angelis Neto (2000), as praças de Maringá são classificadas como: de igreja, de descanso e/ou recreação, de circulação e de significação visual. Baseando-se nesse critério, o espaço livre público do Terminal Barra Funda pode ser classificado como de circulação, pois há tráfego de pedestres e automóveis em seu entorno.

17 Ler mais

Espaço livre: rede de educação ambiental (REA)

Espaço livre: rede de educação ambiental (REA)

Introdução: A reflexão crítica diante dos padrões de consumo e da geração de resíduos está intimamente ligada à qualidade de vida da população, diferindo em aspectos econômicos, educacionais, motivacionais e socioambientais. Independente do contraste social, essa problemática requer o conhecimento de suas causas e efeitos, para nortear ações efetivas de toda a sociedade.mFundamentado na educação ambiental, o projeto “Espaço Livre” – Rede de Educação Ambiental, da Unesp Sorocaba, está comprometido em orientar as suas atividades e estratégias. O intuito é estimular a valorização desse entendimento, promovendo a mudança de visões sobre quando o “lixo” é “lixo” e quando precisar é diferente de querer.
Mostrar mais

1 Ler mais

Medição das propriedades constitutivas eletromagnéticas de materiais na faixa de 1 a 6 GHz pelo método do espaço livre

Medição das propriedades constitutivas eletromagnéticas de materiais na faixa de 1 a 6 GHz pelo método do espaço livre

6.31 Fun¸c˜ao Densidade de Probabilidade da permissividade el´etrica do acr´ılico para m´etodos de extra¸c˜ao diferentes na distˆancia de 48 cm, com calibra¸c˜ao pela folha de papel alum[r]

163 Ler mais

Avaliação da resistência nasal total e do espaço livre bucofaringeano e nasofaringeano em pacientes com má oclusão de classe II divisão 1ª de Angle, submetidos ao tratamento ortopédico com bionator de Balters

Avaliação da resistência nasal total e do espaço livre bucofaringeano e nasofaringeano em pacientes com má oclusão de classe II divisão 1ª de Angle, submetidos ao tratamento ortopédico com bionator de Balters

diferentes observações e conclusões entre os pesquisadores. No entanto, existem pesquisadores que acreditam que a diminuição do espaço aéreo nasal possa produzir desenvolvimento craniofacial desfavorável e má oclusão. E que esta diminuição da capacidade respiratória nasal resultaria em mudança de postura da cabeça e pescoço, mudança na posição da língua e mandíbula, e pressões bucal e nasal anormais. Já outros acreditavam que esta obstrução nasal não fosse interferir no crescimento dentofacial, e que respiradores bucais tenderiam a ter o mesmo índice de má oclusão do que os respiradores nasais. Assim, os autores desenvolveram um estudo com 164 pacientes com mais de 15 anos, com e sem comprometimento da capacidade respiratória nasal, para avaliar a relação entre a área de secção transversal nasal e o volume de ar nasal, para determinar até que ponto o tamanho da via aérea superior controlaria a passagem de ar durante a respiração. Os resultados demonstraram que o tamanho da via aérea altera o volume de ar quando a área de secção transversal nasal é menor do que 0,4 cm 2 . A relação entre a diminuição do volume de ar e a área seccional da cavidade nasal é quase linear em pacientes com área de secção transversal nasal menor do que 0,4 cm 2 . De acordo com esse modelo de estudo, concluíram que um tamanho de via aérea nasal de aproximadamente 0,4 cm 2 proporcionaria uma resistência nasal de 0,5 a 4,7 cmH 2 O/l/seg., nível de resistência este igual àquele da
Mostrar mais

335 Ler mais

Análise de imagens para avaliação de variações na estrutura e no potencial fisiológico...

Análise de imagens para avaliação de variações na estrutura e no potencial fisiológico...

Por outro lado, observou-se tendência do maior espaço livre favorecer o desenvolvimento de plântulas anormais e sementes mortas, pois em alguns lotes, foi possível verificar o desempenho inferior das sementes da categoria 3 (espaço livre > 9,6%) em relação ao das demais categorias. Este fato foi observado para as sementes dos lotes 1 e 3, no início do armazenamento (Figuras 10 e 11); já aos quatro meses, apenas as sementes do lote 2, armazenadas em câmara fria e seca (A1), apresentaram esse desempenho (Figura 10). Contudo, ao final do período de armazenamento (8 meses), a maioria dos lotes manifestou esse comportamento, tanto em sementes armazenadas em câmara fria e seca (lotes 1, 3 e 4) (Figura 10), como em sementes armazenadas em ambiente natural (lotes 1, 2, 3 e 4) (Figura 11). Em pesquisa conduzida com sementes de pimentão, foi observado que o decréscimo da área ocupada pelo embrião + endosperma na cavidade interna das sementes estava diretamente relacionado à incidência de plântulas anormais e sementes não germinadas (GAGLIARDI; MARCOS-FILHO, 2011).
Mostrar mais

90 Ler mais

Disseminação do ódio nas mídias sociais: análise da atuação do social media DisseminaƟ on of hate on social media: analysis of social medias’s performance

Disseminação do ódio nas mídias sociais: análise da atuação do social media DisseminaƟ on of hate on social media: analysis of social medias’s performance

Ou seja, temas que são sensíveis no mundo offl ine, tornam-se assim ainda mais quando tratados na web. Nesse sen ndo, Castells (2013) aponta que “embora os movimentos tenham em geral sua base no espaço urbano, mediante ocupações e manifestações de rua, sua existência con nua tem lugar no espaço livre da internet”. Também nesse sen do, Wolton (2010, p. 34) afi rma que a internet dá voz aos usuários que, por sua vez, mobilizam-se e reivindicam sempre que necessário. O autor ainda declara que a internet está adaptada à globalização caso não tenha de ser a única ferramenta das lutas pela emancipação. Além disso, a repressão, a desinformação e a manipulação podem ser acentuadas caso os poderes autoritários e ditatoriais sirvam-se da internet (WOLTON, 2010). Malini e Antoun (2013) tratam também, de forma discreta, a respeito do discurso de ódio na internet, iden fi cando-os como usuários que perpassam os limites da liberdade de expressão.
Mostrar mais

18 Ler mais

Estudos sobre a nutrição mineral do sorgo granífero: VII absorção de sulfato marcado por raizes destacadas.

Estudos sobre a nutrição mineral do sorgo granífero: VII absorção de sulfato marcado por raizes destacadas.

Os fatores estudados foram: tempo de absorção, concentração iônica externa, aeração, temperatura e pH na absorção iônica, deter- minação do espaço livre aparente (ELA) e efeito de inibi[r]

18 Ler mais

Velhices urbanas: seguras - sustentáveis - saudáveis

Velhices urbanas: seguras - sustentáveis - saudáveis

“Originalmente, os edifícios eram integrados pelo espaço do térreo em comum, incluindo ai uma boa porção de espaço livre entre os edifícios mais altos, no quarteirão central. Com o tempo, o espaço comum que havia entre os prédios foi loteado e murado. O espaço livre no quartei- rão central foi cercado e transformado em área privativa dos moradores do conjunto. O espaço público, dessa maneira, passou a ser constitu- ído apenas das ruas e calcadas que acessam o conjunto. Não há espaços para abrigar vagas de estacionamento. Também se constituem em es- paço semiprivado a circulação vertical de cada bloco, que se dá por caixas de escada que aces- sam dois apartamentos por andar. O espaço pri- vado constitui-se nas unidades habitacionais.” (BRUNA, 2010. p.190.)
Mostrar mais

266 Ler mais

Avaliação dos modelos de predição de propagação para telefonia móvel celular na cidade do Natal

Avaliação dos modelos de predição de propagação para telefonia móvel celular na cidade do Natal

A aplicação do Método de Regressão Linear, a partir da diferença para Atenuação no Espaço Livre, concebida no presente trabalho conduziu à obtenção de resultados ligeiramente melhores [r]

123 Ler mais

A favela que se vê e que se vende: reflexões e polêmicas em torno de um destino turístico.

A favela que se vê e que se vende: reflexões e polêmicas em torno de um destino turístico.

Entre a esfera pública como espaço de críti- ca livre dos constrangimentos da igreja e da corte, descrita por Habermas (2003), e a opressão com- pleta e brutal da voz subalterna, há as “zona de contato” de que nos fala Mary Louise Pratt (1992). As “zonas de contato” são “espaços sociais onde culturas díspares se encontram, se chocam, se entrelaçam uma com a outra, freqüentemente em relações extremamente assimétricas de domina- ção e subordinação”, de onde paradoxalmente emergem possibilidades outras de representação de si e do outro. Pensar a favela que o turismo inventa como uma zona de contato permite-nos entendê-la como território físico e simbólico no qual camadas discursivas se acomodam em múlti- plas representações: representações sobre a fave- la e seus habitantes formuladas pelos turistas, representações dos turistas formuladas pelos moradores, representações da favela formuladas pelos moradores para os turistas – numa espiral contínua de representações.
Mostrar mais

13 Ler mais

2 SOBRE A DIGNIDADE DO SER HUMANO

2 SOBRE A DIGNIDADE DO SER HUMANO

Nas bibliotecas, as ações de mediação dos bibliotecários precisam ser de livre arbítrio, e os atores envolvidos nesse espaço devem, de acordo com Habermas (2010), ser capazes de form[r]

16 Ler mais

Vera Helena Moro Bins Ely

Vera Helena Moro Bins Ely

N este trabalho, discutimos a acessibilidade, parte integrante das condições especiais a que essas pessoas têm direit o, tanto no espaço físico como no espaço d igital. O estudo está focado nos aspectos relacionados à informação. C onsiderando a complexidade do tema, procurou-se fazer um recorte metodológico que, mesmo assim, mantivesse a variedade de aspectos envolvidos, tendo a escolha recaído sobre o ambiente de uma biblioteca universitária de grande porte. O estudo foi realizado em uma biblioteca universitária em particular, mas através dele podemos assinalar e discutir o que é comum também em outras bibliotecas universitárias brasileiras.
Mostrar mais

6 Ler mais

Qualidade ambiental urbana do Distrito do Brás, município de São Paulo (SP)

Qualidade ambiental urbana do Distrito do Brás, município de São Paulo (SP)

O presente trabalho teve por objetivo analisar os atributos ambientais: uso do solo, usos potencialmente poluidores, verticalidade das edificações, densidade populacional, deserto florístico, espaços livres públicos e áreas de inundações e pontos de alagamentos, espacializando-os para a definição da qualidade ambiental urbana do distrito do Brás, município de São Paulo (SP). O embasamento teórico da pesquisa foi fundamentada no conceito de paisagem e a metodologia aplicada para atender aos objetivos pretendidos fundamentou-se na metodologia desenvolvida por Nucci (2001), que diagnostica e espacializa de forma integrada os atributos selecionados, considerando os diferentes usos do solo e as condições do meio físico urbano, contribuindo para identificarmos as áreas mais sensíveis do distrito. Houve predomínio de lotes com média de dois a três atributos ambientais negativos. Apesar disso, o distrito obteve bons resultados no total de atributos negativos, com áreas de ausência de atributo negativo. Os índices de cobertura vegetal e de espaços livres públicos foram os fatores de maior relevância na definição da qualidade ambiental urbana do distrito. Diante disso, efetuou-se a análise conjunta dos mapas dos atributos selecionados, gerando o mapa de qualidade ambiental do distrito do Brás. Em seguida, foram propostas formas de melhoria para a qualidade ambiental do distrito do Brás e sua aplicabilidade no planejamento urbano e na elaboração de políticas ambientais que estimulem e orientem uma melhor ocupação do espaço urbano do local.
Mostrar mais

175 Ler mais

Algumas contribuições da linguística aplicada para o ensino de escrita em aulas de língua materna no Brasil

Algumas contribuições da linguística aplicada para o ensino de escrita em aulas de língua materna no Brasil

Dentre as inúmeras atividades que caracterizam as práticas de letramento escolar, a produção de textos denominados de dissertação, narração e descrição identificam as denominadas práticas escolares de produção escrita. São textos produzidos apenas na escola, cujas funções estão restritas à avaliação do conhecimento ortográfico e gramatical dos alunos, como se tais saberes linguísticos fossem suficientes para o exercício da produção textual escrita. Outras funções também podem exercer esses textos no espaço escolar, como o comando de tema livre para produção de dissertação com propósito de preenchimento do horário da aula, que poderia ser mais planejada pelos professores, os quais, infelizmente, no cenário brasileiro, são submetidos a exaustivas jornadas de trabalho, envolvendo, por exemplo, carga horária excessiva, formação deficitária, alunos indisciplinados, infra-estrutura inadequada e baixa remuneração.
Mostrar mais

26 Ler mais

AVISO AO USUÁRIO A digitalização e submissão deste trabalho monográfico ao DUCERE: Repositório Institucional da

AVISO AO USUÁRIO A digitalização e submissão deste trabalho monográfico ao DUCERE: Repositório Institucional da

não haveria espaço para o migrante fazer mendicância na cidade, pois segundo a autora "os migrantes são vistos pela sociedade como um.. objeto do qual se quer ver livre e [r]

45 Ler mais

Open Permanências e transformações no espaço comercial da pequena cidade de JuazeirinhoPB: da feira livre às redes de negócios

Open Permanências e transformações no espaço comercial da pequena cidade de JuazeirinhoPB: da feira livre às redes de negócios

Sendo assim, não se pretende tentar construir um conceito exato sobre o que seria espaço comercial. Aliás, isso pouco contribuiria com a discussão, uma vez que as repercussões de uma mesma atividade são diferenciadas em cada lugar, havendo, entretanto, algumas regularidades. A ressalva, referente a recorrentes e consecutivas adjetivações, foi apenas para lembrar que o espaço com suas categorias, forma, função, processo e estrutura (SANTOS, 1985), e sendo considerado como “lócus da reprodução das relações sociais de produção” (LEFEBVRE, 1976 apud CORRÊA, 2008, p. 25), permite, nessa perspectiva, a análise através de pontos de partidas diferenciados e oriundos de quaisquer práticas sociais, pois sociedade e espaço são duas faces da mesma moeda. O que sustenta essa relação intrínseca é o trabalho humano, que, mediante a difusão do meio técnico-científico- informacional, inaugura relações cada vez mais fundidas entre o que um dia foi denominada de primeira natureza e o que se constitui como segunda natureza.
Mostrar mais

171 Ler mais

A Cidadania e a Construção dos Espaços Públicos

A Cidadania e a Construção dos Espaços Públicos

Como falar em cidadania no século XXI? Como falar em acesso aos espaços públicos quando a maior parte da população planetária carece de condições mínimas de dignidade humana? Muitos dos que defendem o rumo atual do processo de globalização esquecem que ela tem duas pontas: uma, a dos locais, presos às contingências do espaço territorial, no qual se concen- tram as necessidades imediatas dos segmentos excluídos da sociedade; por- tanto a ponta pobre, excluída da tão decantada mobilidade transnacional. Outra, a das elites globais, estas sim desvinculadas dos compromissos sociais de solidariedade territorial. Por elites globais entenda-se os segmentos sociais privilegiados, as poucas e poderosas corporações transnacionais que, em termos econômicos, sobrepõem-se aos interesses nacionais e às políticas públicas responsáveis pelo atendimento das demandas sociais de maior premência. A elite da mobilidade isola-se da comunidade local, embora seja a conformadora de sua realidade. Como já afirmado em outra oportuni- dade,
Mostrar mais

18 Ler mais

Show all 10000 documents...