Estabilidade de suspensões

Top PDF Estabilidade de suspensões:

Influência das características ácido-básicas da superfície dos óxidos na estabilidade de suspensões cerâmicas de Al2O3 ou SnO2 com dispersantes comerciais.

Influência das características ácido-básicas da superfície dos óxidos na estabilidade de suspensões cerâmicas de Al2O3 ou SnO2 com dispersantes comerciais.

Dispersantes são necessários para evitar a sedimentação rápida das partículas cerâmicas no solvente e para possibilitar a prepara- ção de suspensões com uma alta concentração de sólido. A nature- za e a quantidade otimizada de dispersante pode ser determinada em função da viscosidade e do comportamento com relação à sedi- mentação. Dois mecanismos principais podem agir para gerar for- ças para a repulsão entre as partículas: eletrostático e/ou estérico [1]. No mecanismo eletrostático, as forças de repulsão são originadas basicamente pelo desenvolvimento de cargas elétricas na partícula, em decorrência da interação entre sua superfície e o meio líquido, formando a dupla camada elétrica. Já no mecanismo estérico, ocorre a adsorção superficial de polímeros que dificultam a aproximação das partículas por impedimento mecânico.
Mostrar mais

6 Ler mais

Aspectos da Reologia e da Estabilidade de Suspensões Cerâmicas. Parte III: Mecanismo de Estabilização Eletroestérica de Suspensões com Alumina.

Aspectos da Reologia e da Estabilidade de Suspensões Cerâmicas. Parte III: Mecanismo de Estabilização Eletroestérica de Suspensões com Alumina.

Após ter sido atingido o patamar da estabilidade, que signifi- ca o recobrimento total da superfície das partículas, qualquer ex- cesso de polímero adicionado irá permanecer em solução. Sabe-se que a solubilização de um polímero em um líquido provoca au- mento em sua viscosidade, sendo esse aumento tanto maior quanto maior o seu peso molecular. Isso é verificado no caso da amostra com peso molecular de 50.000, cujo excesso provocou drástico aumento na viscosidade da suspensão. Além disso, moléculas com alto peso molecular favorecem mecanismos de desestabilização como a floculação por depleção (8) , que consiste basicamente em
Mostrar mais

7 Ler mais

Artigo revisão: estabilização de suspensões aquosas contendo grafite.

Artigo revisão: estabilização de suspensões aquosas contendo grafite.

A principal consequência do tipo de estrutura cristalina do grafite é sua baixa molhabilidade, o que dificulta o processamento desses materiais por meio de suspensões. Em virtude disso, diversos agentes ativos têm sido utilizados para melhorar a molhabilidade e favorecer a estabilidade de suspensões aquosas contendo grafite. Surfactantes não-iônicos permitem a compatibilização entre a superfície hidrofóbica do grafite e o meio hidrofílico como a água. Os surfactantes iônicos somam a vantagem de proporcionar repulsão eletrostática entre as partículas de grafite decorrente dos seus grupos hidrofílicos ionizáveis. Já a utilização dos copolímeros soma o efeito estérico proporcionado pelas cadeias longas das moléculas poliméricas. Além disso, a mistura surfactante-polímero permite associar a superior afinidade entre os grupos hidrofóbicos dos surfactantes e a superfície do grafite, com o efeito estérico de estabilização proporcionado pelo polímero. No entanto, é preciso ressaltar que em suspensões concentradas aditivos com cadeia molecular longa podem prejudicar a reologia.
Mostrar mais

10 Ler mais

Tensoativos não iônicos na estabilidade das suspensões de estearato e palmitato de...

Tensoativos não iônicos na estabilidade das suspensões de estearato e palmitato de...

Verificar a influência de agentes tensoativos do tipo não iônico, de forma isolada ou associada, sobre a estabilidade de suspensões farmacêuticas para uso oral contendo cada uma os segui[r]

122 Ler mais

REOLOGIA E MICROESTRUTURA NA ESTABILIZAÇÃO DE SUSPENSÕES CONCENTRADAS DE Al2O3

REOLOGIA E MICROESTRUTURA NA ESTABILIZAÇÃO DE SUSPENSÕES CONCENTRADAS DE Al2O3

As lâminas preparadas com as suspensões, para serem usadas na microscopia óptica, foram deixadas em repouso por certo tempo, aguardando os ensaios. Daí observou-se que em algumas existia um grande número de canalículos, em outras, canalículos e “lagunas”, em outras, somente “lagunas” e em outras ainda, simplesmente a camada sólida de alumina. Isto nos levou a concluir que suspensões cuja lâmina não apresentava nem canalículos, nem “lagunas”, possivelmente eram altamente floculadas, aquelas cuja lâmina possuía apenas “lagunas” eram bastante floculadas, aquelas cuja lâmina possuía canalículos e “lagunas” eram medianamente floculadas e finalmente, aquelas cuja lâmina era rica em canalículos eram as mais dispersas. Assim, nasceu a idéia de digitalizar imagens das lâminas e comparar os resultados com aqueles obtidos a partir de outros parâmetros. Estava caracterizado um novo parâmetro para a avaliação da estabilidade de suspensões concentradas de Al 2 O 3 , as Estruturas Milimétricas.
Mostrar mais

134 Ler mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE ENGENHARIA QUÍMICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE ENGENHARIA QUÍMICA

Bürger et al. (2004) desenvolveram um modelo matemático utilizando a teoria fenomenológica do espessador contínuo com suspensões floculentas em um espessador cilíndrico ideal estendida para sedimentadores com variação de seção transversal, incluindo divergentes ou convergentes. Para suspensões ideais (não floculadas), que não formam sedimentos compressíveis, o modelo matemático reduz à abordagem cinemática por Anestis (1981), que desenvolveu um método de construção de soluções exatas pelo método das características. A dificuldade encontrava-se no fato de que as características das linhas da mesma concentração, ao contrário do modelo convencional de Kynch para sedimentadores cilíndricos, não coincidirem, e se teve que recorrer aos métodos numéricos para simular o processo da sedimentação. Um algoritmo numérico foi apresentado e empregado para simulações de sedimentação contínua. As implicações do modelo matemático são demonstradas igualmente pelos cálculos de estado estacionário, que conduzem às possibilidades novas no projeto do espessador.
Mostrar mais

101 Ler mais

Estudo de suspensões de bentonitas sob diferentes condições térmicas.

Estudo de suspensões de bentonitas sob diferentes condições térmicas.

são obtidos com o aumento na concentração de argila de 8,75 g/350 mL a 22,4 g/350 mL, bem como com o aumento da temperatura de 38 °C a 176 °C. Este aumento decorre da maior intensidade das interações elétricas e de massa entre partículas, que se tornam predominantes com o aumento da concentração de argila e também da temperatura; suspensões com menores e, portanto, melhores valores de VF são obtidos com maiores concentrações de argila e menores temperaturas de envelhecimento; o aumento na temperatura de envelhecimento confere às suspensões maiores perdas por fi ltração, pois a temperatura afeta o equilíbrio eletroquímico que regula o grau de fl oculação e agregação das suspensões, conduzindo o fl uido ao estado fl oculado-gel, com separação de fases apresentando água livre no sistema; as suspensões submetidas ao envelhecimento dinâmico apresentaram maiores valores de viscosidades aparente e plástica do que as suspensões submetidas ao envelhecimento estático, provavelmente devido a um maior grau de dispersão das particulas decorrente da taxa de cisalhamento aplicada; e nos dois tipos de envelhecimento (estático e dinâmico), o volume de fi ltrado comportou-se de maneira similar.
Mostrar mais

9 Ler mais

Estabilização de suspensões aquosas de alumina pela adição de taninos e quitosana...

Estabilização de suspensões aquosas de alumina pela adição de taninos e quitosana...

Conforme já mencionado, a estabilidade de um sistema coloidal pode ser vista como resultante de uma competição entre as forças atrativas de van der Waals e as repulsivas de origem eletrostática (dupla camada elétrica), podendo ser explicada pela teoria denominada DLVO, proposta independentemente pelos pesquisadores russos Derjaguin e Landau e pelos holandeses Verwey e Overbeek. [Oliveira, 2000; Evanko,1996] Nesta teoria, é considerado que para uma suspensão ter estabilidade é necessário que haja algum tipo de força repulsiva entre suas partículas. Em curtas distâncias, as forças de van der Waals são mais efetivas e as partículas se atraem levando o sistema à aglomeração ou agregação. Neste ponto, as partículas se encontram num potencial denominado potencial mínimo secundário, ilustrado na figura 5, em que a agitação térmica, por exemplo, pode afastar novamente as partículas. A partir deste ponto, se as forças atrativas continuam atuando, as partículas alcançam o chamado potencial mínimo primário (Figura 5) em que a agregação do sistema torna-se irreversível. Por outro lado, em distâncias em que as forças de van der Waals não são mais atuantes, a interpenetração das duplas camadas elétricas das partículas causa repulsão entre as mesmas, via interação eletrostática. A ação destas forças resulta em um sistema estável.[Williams, 1994; Jyh-Ping,1999; Lemaire, 2001]
Mostrar mais

96 Ler mais

Avaliação do comportamento reológico de suspensões de ossos bovinos calcinados.

Avaliação do comportamento reológico de suspensões de ossos bovinos calcinados.

O pó de ossos calcinados, quando adicionado à barbotina, difi culta o controle das propriedades reológicas das suspensões. Apesar de aumentar a complexidade do controle de processo, as propriedades obtidas da porcelana de ossos compensam devido ao maior valor agregado dos produtos. Este se deve, principalmente, à maior resistência mecânica e maior alvura, proporcionada, por meio da formação de fases cristalinas diferenciadas, em relação à porcelana comum. A ausência de contaminantes como óxidos de ferro e titânio também contribuem para este produto ser um dos mais atrativos e caros do mercado [1, 4].
Mostrar mais

6 Ler mais

Suspensões de Poisson, ergodicidade e o teorema central do limite

Suspensões de Poisson, ergodicidade e o teorema central do limite

Por fim, ´e enunciado o primeiro teorema exposto nesta disserta¸c˜ao que nos d´a algumas informa¸c˜oes sobre o valor esperado e uma primeira vers˜ao do teorema central do limite para alg[r]

58 Ler mais

Análise numérica e experimental da reologia e microestrutura de suspensões magnéticas

Análise numérica e experimental da reologia e microestrutura de suspensões magnéticas

Simulações numéricas de uidos magnéticos constituem outra fonte importante para o entendimento do comportamento dessas suspensões. Simulações de partículas magnéti- cas, como as desenvolvidas neste trabalho, podem fornecer informações que são de difícil obtenção ou mesmo inacessíveis através de experimentos, como a estrutura das partículas. Leeuw et al. [30, 31, 32] e Adams [33] apresentaram no início dos anos 1980 as bases teóri- cas para a simulação de partículas dipolares. Como as interações são de longo alcance o somatório da energia potencial de cada partícula não converge facilmente, sendo necessárias técnicas especícas para que essa convergência seja obtida. Os trabalhos de Wang et al. [34] e de Ilg et al. [35] destacam-se na simulação de partículas. Esses trabalhos apresentam resultados da magnetização, viscosidade, microestrutura e diferenças de tensões normais de uidos magnéticos, mostrando a formação de agregados de partículas e como esses agre- gados levam a uma resposta não-linear do uido. Ivanov et al. [36] comparam modelos analíticos de magnetização com simulações numéricas e resultados experimentais, obtendo ótima concordância entre os mesmos.
Mostrar mais

175 Ler mais

ESTUDO DA SEDIMENTAÇÃO EM SUSPENSÕES DE FLUIDOS COM CARACTERÍSTICAS REOLÓGICAS PSEUDOPLÁSTICAS

ESTUDO DA SEDIMENTAÇÃO EM SUSPENSÕES DE FLUIDOS COM CARACTERÍSTICAS REOLÓGICAS PSEUDOPLÁSTICAS

fluidos de perfuração. As relações constitutivas propostas visam auxiliar na modelagem e simulação dos fenômenos associados a filtração com formação de reboco para as condições de estática. Os resultados obtidos neste trabalho, mostraram que os efeitos de memória quando presentes nos fluidos pseudoplásticos influenciam de forma significativa nas taxas de sedimentação dos materiais sólidos, diferenciando-se consideravelmente do comportamento de suspensões sedimentando em fluidos newtonianos. Para o fluido pseudoplástico, verificou-se que a formação do sedimento ocorreu inicialmente mais rápida, quando comparado com o fluido newtoniano de viscosidade aparente similar. No entanto, a compactação final do sedimento no fluido não-newtoniano demandou um tempo maior. De maneira geral, este estudo forneceu informações relevantes sobre a sedimentação em campo gravitacional com fluidos não- newtonianos, abordando, desta forma, um assunto na literatura em que diversas questões ainda precisam ser exploradas e melhor compreendidas.
Mostrar mais

194 Ler mais

Análise das concessões de lavra quanto às suspensões temporárias de operação.

Análise das concessões de lavra quanto às suspensões temporárias de operação.

vra seja superior ao verificado no levan- tamento das concessões de lavra. Adici- onalmente, a análise dos processos pos- sibilita verificar a prática, de algumas empresas, de protocolizar o pedido de suspensão temporária de lavra e, siste- maticamente, renová-lo ao longo dos anos. Isso explica a existência de minas com suspensão de longa duração, algu- mas sem perspectiva de reabertura, e, muito provavelmente, sem nenhuma ati- vidade de manutenção e monitoramento. Suspensões temporárias de lavra podem possuir relação direta com o mer- cado. Esse fato é evidente para os miné- rios de ouro e manganês. No caso do ouro, 44% das concessões de lavra exis- tentes no Estado estão com suspensão temporária de lavra. A queda acentuada no preço de venda do ouro a partir do ano de 1997, de US$ 384,00 para US$ 270,00/onça no início do ano 2000, contribuiu para essas suspensões nes- se período.
Mostrar mais

6 Ler mais

Preparação de suspensões aquosas de nanopartículas de carbono para deposição em superfícies

Preparação de suspensões aquosas de nanopartículas de carbono para deposição em superfícies

84 Na primeira parte deste estudo, em que o objetivo foi obter a melhor dispersão para cada tipo de grafite estudada, verificou-se que o tempo de ultrassons foi relevante para a preparação das suspensões, sendo que quanto maior o tempo, melhor a dispersão da grafite. No entanto, para a GnP C não são necessários longos tempos, dado que apresenta dimensões menores podendo estar suspensa durante mais tempo na solução, sendo que 2 horas de ultrassons são suficientes. Para o caso das GNB, graphexel e GNB-O, 2 horas não são suficientes, pois estas grafites são de maior dimensão, levando à deposição mais rapidamente, tendo-se por esta razão testado 4 horas e tendo-se verificado que há uma maior dispersão e estabilidade durante mais tempo. Relativamente, ao tensioativo, o PY apresenta melhor comportamento para dispersar a grafite, quando se compara aos dois tipos de perilenos modificados estudados. Quanto à maior concentração de PY estudada, verificou-se, no geral, que ocorre uma melhor dispersão.
Mostrar mais

123 Ler mais

Avaliação sensorial de formulações extemporâneas de medicamentos  preparadas com o veículo “gute” e utilizadas em pacientes pediátricos

Avaliação sensorial de formulações extemporâneas de medicamentos preparadas com o veículo “gute” e utilizadas em pacientes pediátricos

Muitos medicamentos necessários a pacientes pediátricos não são disponíveis em formulações apropriadas à idade, principalmente aqueles que tratam doenças cardiovasculares. Captopril e Furosemida, de modo geral, são produzidos na forma sólida em doses para adultos, e necessitam ser fracionados e transformados em suspensões para uso em crianças. O uso de um veículo adequado é crítico para o preparo de formulações extemporâneas homogêneas, palatáveis e estáveis, que possam garantir o efeito esperado. Neste trabalho foi avaliada a aceitabilidade de um veículo com nome fantasia Gute, desenvolvido por um grupo de pesquisa da Universidade Federal do Ceará, tendo em vista que a palatabilidade é essencial para a adesão ao tratamento em crianças. Analisou-se o veículo em diferentes sabores em relação à capacidade de mascarar o gosto amargo de Captopril e Furosemida, sua aceitação e preferência sem ativos por crianças sadias e seus responsáveis, bem como a aceitação de formulações extemporâneas dos medicamentos citados, administradas a pacientes pediátricos, conforme prescrição. Em laboratório, oito provadores avaliaram a capacidade de mascaramento do veículo flavorizado nos sabores menta, cereja, morango e neutro, utilizando uma escala linear. A anova dos valores de intensidade do sabor amargo, para Captopril e Furosemida, mostrou que a capacidade dos sabores flavorizados de mascarar o sabor amargo foi significativamente maior do que a do veículo sem sabor, contudo, os sabores não diferiram entre si. Participaram da avaliação do veículo sem ativos, nos sabores menta, morango e cereja, 62 crianças de 4 a 12 anos e 21 responsáveis, usando uma escala hedônica facial- verbal de sete graus. Os três sabores foram aceitos e igualmente preferidos pelas crianças e pelos responsáveis. Com os pacientes internados que receberam suspensões de Captopril (34) e Furosemida (36), nos sabores menta, neutro e morango, a aceitação foi avaliada através dos responsáveis com uso da escala hedônica e comparada com a observação da pesquisadora. As suspensões nos sabores neutro e morango foram consideradas aceitas para ambos os medicamentos. A correlação entre os resultados provenientes dos dois métodos de avaliação da aceitação foi moderada para Captopril, e para Furosemida, não houve correlação. Os resultados relativos ao sabor neutro mostraram que a adição de flavorizantes não influenciou na aceitação das suspensões, podendo ser evitada nesses casos, uma vantagem em termos de segurança para bebês e neonatos.
Mostrar mais

144 Ler mais

Avaliação in vivo do potencial de redução de colesterol, da capacidade antioxidante e anti-inflamatória de farelo de arroz

Avaliação in vivo do potencial de redução de colesterol, da capacidade antioxidante e anti-inflamatória de farelo de arroz

Durante o período do ensaio, não foram observadas modificações de comportamento dos animais pertencentes aos vários grupos, aos quais foram administrados suspensões de f[r]

95 Ler mais

AJUSTE DE MODELO REOLÓGICO PARA ESMALTE CERÂMICO FORMULADO COM FRITA CERÂMICA DE DIFERENTE GRANULOMETRIA

AJUSTE DE MODELO REOLÓGICO PARA ESMALTE CERÂMICO FORMULADO COM FRITA CERÂMICA DE DIFERENTE GRANULOMETRIA

As curvas da Figura 4 mostram o comportamento reológico característicos das suspensões A e B, segundo o modelo reológico de Herschel-Bulkley. Segundo BRAGANÇA (2008) esse comportamento é explicado pela existência de uma estrutura interna, ocasionada pela formação de uma rede de ligação entre as partículas através de forças polares e ou de Van der Waals. Além disso, a presença da Carboximetilcelulose em dissolução modifica as características das suspensões, promovendo ainda mais o comportamento plástico causando também um aumento na viscosidade dos esmaltes.
Mostrar mais

10 Ler mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO NÚCLEO DE PESQUISAS EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS

UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO NÚCLEO DE PESQUISAS EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS

Procedimentos de purificação por diálise direta foram efetuados e as nanoestruturas foram testadas contra suspensões celulares de Candida albicans e Candida parapsilosis e [r]

156 Ler mais

Cultura de tecidos e transformação genética de espécies da família Poaceae

Cultura de tecidos e transformação genética de espécies da família Poaceae

Brachiaria brizantha cv. Marandu é uma importante gramínea forrageira apomítica, que se reproduz quase que exclusivamente por aposporia. Assim sendo, os embriões de suas sementes são clones da planta-mãe. A transformação genética é uma opção para introdução de características agronômicas nesta cultivar. Oryza sativa é uma planta modelo para estudos funcionais em monocotiledôneas, sendo a cultivar Primavera um genótipo elite comercial. A transformação genética mediada por Agrobacterium tem sido preferida para gramíneas e cereais depois que as primeiras plantas de arroz e milho foram transformadas por esta técnica. Culturas embriogênicas continuam sendo os alvos mais utilizados para a transformação de cereais e gramíneas. No presente trabalho, suspensões celulares embriogênicas de B. brizantha e unidades embriogênicas de arroz foram usadas com os objetivos de caracterizar a embriogênese somática na cultivar Primavera, identificar a suscetibilidade das espécies a Agrobacterium, e obter plantas transgênicas dessas cultivares. Para isto, as linhagens de Agrobacterium tumefaciens EHA105 e LBA4404 foram transformadas com pGPro1pUbi1 e experimentos de agroinfiltração para testar parâmetros como sonicação/infiltração, uso de silwet L-77, período de co-cultura e dois meios de indução foram realizados. Além disso, foram testados diversos fatores da co-cultura que afetam diretamente a suscetibilidade das células vegetais, assim como, fatores para ativar os genes de virulência (vir) da Agrobacterium. O sistema de embriogênese somática da cv. Primavera via UE foi caracterizado, e demonstrou ser ineficiente. A linhagem EHA105 é capaz de transformar células de unidades embriogênicas da cultivar Primavera. A agroinfiltração é um sistema eficiente e simples para expressão transiente do gene repórter gus nas cultivares Primavera de arroz e Marandu de B. brizantha. Suspensões celulares de B. brizantha são suscetíveis à transformação genética por Agrobacterium tumefaciens.
Mostrar mais

158 Ler mais

Show all 7469 documents...