Estratégias de ensino

Top PDF Estratégias de ensino:

Construir/adaptar estratégias de ensino e recursos pedagógicos para o ensino da modalidade do tênis adaptado ás pessoas com deficiências intelectuais.

Construir/adaptar estratégias de ensino e recursos pedagógicos para o ensino da modalidade do tênis adaptado ás pessoas com deficiências intelectuais.

Introdução: Pessoas com Deficiência Intelectual vivenciam uma vida social limitada o que prejudica o desenvolvimento e o aspecto psicológico dos alunos,que se limitam a viver isolados em escolas especiais ou dentro de casa com pouco ou nenhum contato com o mundo externo.A Educação Física esta diretamente ligada a prática dos movimentos corporais,seja ela por meio da dança, de esportes, de brincadeiras ou jogos infantis, trazem todos os benefícios da prática regular de atividade física que são conhecidas por todos. Além disso, existem vários estudos que apontam o esporte como fator de inclusão. O esporte adaptado é uma proposta que visa oferecer estímulos motivacionais para auxiliar no desenvolvimento de alunos com deficiência, a partir de qualquer modalidade esportiva é possível perceber melhoras no sistema motor dos alunos, na auto-estima, na autonomia, nas atividades diárias, na agilidade, e também na saúde do indivíduo, como condicionamento cardiorrespiratório. A modalidade do tênis foi escolhida por englobar um conjunto de aspectos importantes no desenvolvimento do indivíduo, como motricidade ampla, motricidade fina, deslocamento, e benefícios relacionados a saúde,porém é necessário que existam profissionais capacitados que possam aplicar um plano de aula adequado para alcançar todos os objetivos propostos na pratica esportiva. Objetivos: Construir/Adaptar estratégias de ensino e recursos pedagógicos para facilitar o ensino do tênis adaptado para pessoas com deficiências intelectuais por meio das habilidades motoras fundamentais da modalidade do tênis. Métodos: Nesse projeto foram convidados onze alunos, os quais estão sendo atendidos na APAE de Presidente Prudente.A bolsista trabalhou inicialmente uma pequena apresentação teórica para os alunos e então iniciou-se o trabalho com as habilidades motoras básicas do tênis. As habilidades são consideradas adequadas quando observado a compreensão e execução motora da mesma, sem, portanto, considerar a performance.O registro são feitos em duas tabelas, uma global com todas habilidades e adaptações, e uma especifica de cada habilidade, ambas com o registro do feedback dos alunos. Resultados: s habilidades trabalhadas até o presente momento foram: Empunhadura, Equilíbrio, e Deslocamento. Quanto à empunhadura foi constatado que 72.7% dos alunos precisaram das adaptações. Quanto ao equilíbrio 70% dos alunos necessitaram de adaptações. E quanto ao Deslocamento 84.6% necessitaram de adaptações.As adaptações têm sido construídas à medida que os alunos não realizam o movimento a partir da explicação padrão. As adaptações são registradas como efetivas quando os mesmos realizam sem dificuldades de execução ou compreensão.
Mostrar mais

1 Ler mais

Construir/adaptar estratégias de ensino e recurso pedagógicos para o ensino da modalidade do tênis adaptado a pessoas com deficiências intelectuais

Construir/adaptar estratégias de ensino e recurso pedagógicos para o ensino da modalidade do tênis adaptado a pessoas com deficiências intelectuais

Introdução: Pessoas com Deficiência Intelectual vivenciam uma vida social limitada o que prejudica o desenvolvimento e o aspecto psicológico dos alunos, que se limitam a viver isolados em escolas especiais ou dentro de casa com pouco ou nenhum contato com o mundo externo. A Educação Física esta diretamente ligada a prática dos movimentos corporais,seja ela por meio da dança, de esportes, de brincadeiras ou jogos infantis, trazem todos os benefícios da prática regular de atividade física que são conhecidas por todos. Além disso, existem vários estudos que apontam o esporte como fator de inclusão. O esporte adaptado é uma proposta que visa oferecer estímulos motivacionais para auxiliar no desenvolvimento de alunos com deficiência, a partir de qualquer modalidade esportiva é possível perceber melhoras no sistema motor dos alunos, na autoestima, na autonomia, nas atividades diárias, na agilidade, e também na saúde do indivíduo, como condicionamento cardiorrespiratório. A modalidade do tênis foi escolhida por englobar um conjunto de aspectos importantes no desenvolvimento do indivíduo, como motricidade ampla, motricidade fina, deslocamento, e benefícios relacionados a saúde,porém é necessário que existam profissionais capacitados que possam aplicar um plano de aula adequado para alcançar todos os objetivos propostos na pratica esportiva. Objetivos: Construir/Adaptar estratégias de ensino e recursos pedagógicos para facilitar o ensino do tênis adaptado para pessoas com deficiências intelectuais por meio das habilidades motoras fundamentais da modalidade do tênis. Métodos: Nesse projeto foram convidados onze alunos, os quais estão sendo atendidos na APAE de Presidente Prudente. A bolsista trabalhou inicialmente uma pequena apresentação teórica para os alunos e então iniciou-se o trabalho com as habilidades motoras básicas do tênis. As habilidades são consideradas adequadas quando observado a compreensão e execução motora da mesma, sem, portanto, considerar a performance. O registro são feitos em duas tabelas, uma global com todas habilidades e adaptações, e uma especifica de cada habilidade, ambas com o registro do feedback dos alunos. Resultados: s habilidades trabalhadas até o presente momento foram: Empunhadura, Equilíbrio, e Deslocamento. Quanto à empunhadura foi constatado que 72.7% dos alunos precisaram das adaptações. Quanto ao equilíbrio 70% dos alunos necessitaram de adaptações. E quanto ao Deslocamento 84.6% necessitaram de adaptações. As adaptações têm sido construídas à medida que os alunos não realizam o movimento a partir da explicação padrão. As adaptações são registradas como efetivas quando os mesmos realizam sem dificuldades de execução ou compreensão.
Mostrar mais

1 Ler mais

Estratégias de ensino e recursos pedagógicos utilizados no ensino da modalidade badminton à pessoa com deficiência intelectual

Estratégias de ensino e recursos pedagógicos utilizados no ensino da modalidade badminton à pessoa com deficiência intelectual

Para isso, deve-se seguir um processo de identificação das necessidades do alunos, instrumentos a serem utilizados e seu acompanhamento, de modo a reconhecer a maneira mais eficaz de se trabalhar com os recursos pedagógicos e as estratégias de ensino adaptados, propiciando aos alunos estímulos e suporte necessários para seu desenvolvimento, bem como para sua inclusão educacional e social.

11 Ler mais

Estratégias de ensino para alunos deficientes visuais: a Proposta Curricular do Estado de São Paulo.

Estratégias de ensino para alunos deficientes visuais: a Proposta Curricular do Estado de São Paulo.

Resumo: As estratégias e recursos são primordiais para a participação do aluno com deficiência visual nas aulas de educação física. Assim, objetivou-se planejar estratégias de ensino e adaptações de recursos com foco na inclusão educacional do aluno com deficiência visual fundamentando-se nas atividades contidas na Proposta Curricular do Estado de São Paulo. Três etapas foram delineadas a partir da análise da Proposta Curricular: 1) identificar os temas propostos para cada bimestre; 2) analisar o “caderno do professor” em termos de situações de aprendizagem e o desenvolvimento de cada uma delas e, 3) planejar estratégias de ensino e adaptações de recursos. Dez estratégias de ensino foram planejadas, quatro novos recursos foram indicados e duas adaptações de recursos pedagógicos foram sugeridas para as aulas. As atividades da Proposta Curricular permitiram um planejamento de estratégias voltado à participação do aluno com deficiência visual juntamente com alunos sem deficiência.
Mostrar mais

12 Ler mais

O ensino de chinês a crianças: dificuldades e estratégias de ensino

O ensino de chinês a crianças: dificuldades e estratégias de ensino

Em pleno século XXI, a Globalização é já uma realidade do quotidiano com a qual todos nós estamos habituados a lidar. Nos dias de hoje, é impossível viver em sociedade sem ter conhecimento de culturas diferentes e das suas linguagens. Surge então naturalmente uma necessidade de comunicar com povos de diferentes nações, e portanto falantes de outras línguas. Como consequência, o ensino de línguas estrangeiras populariza-se e torna-se indispensável nas escolas. Ao longo do tempo, várias metodologias foram-se desenvolvendo com base em estudos da Psicologia e Sociologia, metodologias essas que mais tarde foram adaptadas às necessidades de cada época dando origem a ligeiras variações assim como a métodos inteiramente novos. De seguida, os métodos de ensino de línguas estrangeiras mais prevalentes serão explicados.
Mostrar mais

54 Ler mais

Educação a distância no cenário da enfermagem neonatal: revisão sistemática.

Educação a distância no cenário da enfermagem neonatal: revisão sistemática.

Estudos originais que tratassem de estratégias de EaD no contexto da enfermagem neonatal foram incluídos. Fo- ram consideradas descrições de estratégias de ensino desen- volvidas para a área da enfermagem neonatal, assim como publicações que abordassem a avaliação destas estratégias, seja sob a ótica de especialistas, seja sob a ótica dos usuários. As exclusões ocorreram no caso de artigos que tratassem de estratégias presenciais de educação, o que inclui aulas, workshops, seminários, simulação realística ou em laborató- rio, entre outros. Foram excluídas também publicações sobre estratégias de ensino voltadas a pais e familiares, estratégias de ensino não relacionadas à neonatologia, descrições e rele- xões sobre currículos de ensino da enfermagem, descrições e relexões qualitativas sobre educação em enfermagem, além de estudos que não tratavam da temática da presente revisão.
Mostrar mais

7 Ler mais

Necessidades de formação de professores do 3º Ciclo e Secundário de uma escola do Funchal para a implementação da Teleaula

Necessidades de formação de professores do 3º Ciclo e Secundário de uma escola do Funchal para a implementação da Teleaula

Compreendendo o conceito de aprendizagem cooperativa, a sua aplicação em estratégias de ensino para a aprendizagem no ensino à distância, nomeadamente pelo recurso pedagógico teleaula, poderá ser considerado um desafio para o docente e para o aluno que aprende, uma vez que, o recurso pedagógico teleaula é muitas vezes entendido como algo solitário para o aluno, que se sente privado da convivência direta com os colegas de turma. Cabe ao docente a aplicação de estratégias de aprendizagem que tornem o ensino à distância não num processo de interação binária docente-aluno, mas numa estratégia de ensino e aprendizagem síncrona, dinâmica e que envolva a participação ativa de um grupo de alunos. O fomento, pelo docente, de episódios de aprendizagem através de aprendizagem cooperativa, entre alunos na sala de aula, dispostos em pequenos grupos, e o aluno que se encontra em espaço físico diferente, sincronamente, através do recurso teleaula, poderá potenciar ganhos superiores à aprendizagem solitária. Assim, poderá atribuir-se um papel ativo aos alunos, em espaços geograficamente diferentes, na construção do conhecimento individual e coletivo, potenciando uma aprendizagem de conteúdos e aptidões que os preparam também para o mundo contemporâneo do trabalho.
Mostrar mais

88 Ler mais

A proposta curricular de ciências em Minas Gerais e as práticas docentes

A proposta curricular de ciências em Minas Gerais e as práticas docentes

Os documentos produzidos pela equipe contratada pela SEE/MG, que propôs o projeto de (re)estruturação para a disciplina de Ciências do ensino fundamental, consideram que o ensino e o planejamento pedagógico precisam ser concebidos de modo a potencializar a ação dos estudantes enquanto sujeitos da aprendizagem (MARTINS et al., 2008). Nessa perspectiva, em que ensinar é “assinalar caminhos para a aprendizagem” (SEE/MG, 2005b, p.8), deve-se pensar não apenas na seleção dos conteúdos, mas, sobretudo, nas estratégias de ensino que favoreçam a interação dos alunos com os objetos do conhecimento. Estudos de psicologia da aprendizagem nos informam que aprender implica agir mental ou materialmente sobre os objetos do conhecimento, ou seja, não há aprendizagem passiva. O que é aprendido é o resultado de um diálogo interno entre a nova informação e outras que já compunham o repertório de crenças, conceitos, experiências e valores daquele estudante. As preocupações direcionadas ao planejamento de ensino, nesse caso, levam o professor a considerar outras questões, tais como: romper a passividade dos alunos em sala de aula; problemáticas iniciais que motivem o aluno a estudar o tema; recursos a serem utilizados para tornar uma aula mais interessante, entre outras (SEE/MG, 2005b, p.8), de forma que é fundamental o papel do professor frente a esta proposição.
Mostrar mais

145 Ler mais

ANÁLISE DAS PRODUÇÕES CIENTÍFICAS VOLTADA PARA EDUCAÇÃO ESPECIAL EM UMA PERSPECTIVA INCLUSIVA DE ESTUDANTES COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL

ANÁLISE DAS PRODUÇÕES CIENTÍFICAS VOLTADA PARA EDUCAÇÃO ESPECIAL EM UMA PERSPECTIVA INCLUSIVA DE ESTUDANTES COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL

A partir da criação de leis, decretos e normas verificaram-se um discurso favorável à inclusão, que se apresenta como um processo para incluir e tornar participante do ambiente social todos os grupos que, por algum motivo, estão excluídos. Uma das dimensões deste processo é a inclusão escolar que tem por finalidade oportunizar a todos os indivíduos da sociedade o acesso ao sistema de ensino regular. Porém, este acesso não deve privilegiar somente a socialização em detrimento dos aspectos cognitivos. Neste contexto, um dos grupos que recebem atenção no processo de inclusão escolar é o público-alvo da educação especial.
Mostrar mais

13 Ler mais

Aulas de streaming: recurso e estratégia didática no ensino à distância de matemática

Aulas de streaming: recurso e estratégia didática no ensino à distância de matemática

Resumo: Este estudo teve como objetivo investigar de que maneira as aulas de streaming podem ser utilizadas como recurso e estratégia didática no ensino à distância de matemática. Através do streaming torna-se possível e viável a transmissão rápida e ininterrupta de qualquer mídia eletrônica, representando um importante recurso a ser utilizado em aulas de matemática na modalidade à distância. Nessa modalidade de aulas de matemática podem ser transmitidas mídias no formato de vídeo e áudio. Assim, é possível que alunos, professores e tutores assistirem e escutarem mídias neste formato através da Internet e até mesmo participarem de eventos à distância ou de videoconferências ao vivo. Palavras-chave: Streaming. Tecnologia. Aulas de Matemática. Educação a Dis- tância.
Mostrar mais

8 Ler mais

DOCÊNCIA NO ENSINO PROFISSIONAL DE NÍVEL MÉDIO EM ENFERMAGEM E ESTRATÉGIAS PEDAGÓGICAS QUE INFLUENCIAM NA PRÁXIS DO PROFESSOR ENFERMEIRO: REVISÃO NARRATIVAa práxis do professor enfermeiro: revisão narrativa

DOCÊNCIA NO ENSINO PROFISSIONAL DE NÍVEL MÉDIO EM ENFERMAGEM E ESTRATÉGIAS PEDAGÓGICAS QUE INFLUENCIAM NA PRÁXIS DO PROFESSOR ENFERMEIRO: REVISÃO NARRATIVAa práxis do professor enfermeiro: revisão narrativa

Portanto, considera-se que a formação docente estimula, no enfermeiro professor da educação profissional, uma conduta que requer a reflexão, tanto dos docentes quanto dos discentes por ele formados. Isso porque a prática que é dispensada aos usuários dos serviços de saúde deve estar presente a fim de satisfazer as necessidades de cuidado e atenção para com a vida. Corrobora-se que esta proximidade, entre educador e educando, torna-se mais efetiva na relação pedagógica. Nesse horizonte, compreende-se que o docente deve buscar estratégias que melhor atendam às necessidades dos diferentes momentos, contextos e sujeitos envolvidos no processo formativo.
Mostrar mais

16 Ler mais

DESAFIOS DA COMUNICAÇÃO INSTITUCIONAL NA IMPLEMENTAÇÃO DA REFORMA CURRICULAR DO ENSINO MÉDIO NA JURISDIÇÃO DA SUPERINTENDÊNCIA REGIONAL DE ENSINO DE PASSOS

DESAFIOS DA COMUNICAÇÃO INSTITUCIONAL NA IMPLEMENTAÇÃO DA REFORMA CURRICULAR DO ENSINO MÉDIO NA JURISDIÇÃO DA SUPERINTENDÊNCIA REGIONAL DE ENSINO DE PASSOS

No outro extremo, ao filtrar os dados, a escola que encabeça essa listagem é o Colégio Tiradentes da Polícia Militar de Minas Gerais. Esses Colégios Militares têm suas especificidades, dentro da rede, diferindo dos demais estabelecimentos, uma vez que têm seu quadro definido por concurso público específico e provimento por servidores civis da Polícia Militar de Minas Gerais, com vencimentos acima dos praticados pela Secretaria de Estado de Educação. As vagas no estabelecimento são destinadas, primeiramente, aos filhos dos Militares e as demais vagas, sorteadas a pleiteantes. Têm autorização administrativa para a adoção de sistema de ensino privado, atualmente conveniado ao Sistema COC de Ensino. Adotam as Resoluções da SEE-MG apenas no que lhes couber, entre outras tantas diferenças. Portanto, por não compartilharem a realidade vivida pelas escolas estaduais, a escolha não recaiu nessa instituição.
Mostrar mais

152 Ler mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA CENTRO DE POLÍTICAS PÚBLICAS E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO PROFISSIONAL EM GESTÃO E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PÚBLICA MARÍLIA ROMEIRO VITT

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA CENTRO DE POLÍTICAS PÚBLICAS E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO PROFISSIONAL EM GESTÃO E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PÚBLICA MARÍLIA ROMEIRO VITT

O presente estudo, desenvolvido no âmbito do Programa de Pós-graduação Profissional em Gestão e Educação da Educação Pública, pretendeu analisar o processo de implementação da Diretoria de Pessoal na Regional de Ensino de Governador Valadares. O Governo de Minas Gerais realizou uma reorganização da estrutura orgânica da Administração Pública do Poder Executivo, por meio do Decreto nº 45.536, de 28/01/2011, modificando a estrutura organizacional da Secretaria Estadual de Educação criando a Subsecretaria de Recursos Humanos, e nas Superintendências Regionais de Ensino, a Diretoria de Pessoal (DIPE). A partir desse novo cenário, chegamos à pergunta norteadora deste estudo: Quais são os desafios da Diretoria de Pessoal da SRE de Governador Valadares na Gestão de pessoas e atualização da vida funcional dos servidores? A metodologia para desenvolvimento desta pesquisa envolve um Estudo de Caso, a pesquisa de campo realizada é exploratória, descritiva e de cunho qualitativo, sendo utilizados questionários, entrevistas e análise documental, além desses instrumentos foi realizada uma pesquisa bibliográfica e consultados autores como Chiavenato (1999; 2004; 2010), Bergue (2010), Tachizawa, Ferreira e Fortuna (2006), Lück (2010), Mintzberg (2006; 2008; 2010). Os resultados da pesquisa demonstraram que o impacto da nova diretoria proporcionou maior eficiência na execução dos trabalhos, bem como melhoria no atendimento ao público. Foi visto que os gestores não utilizam adequadamente os instrumentos e ferramentas de gestão de pessoas colocadas à sua disposição, o que se aliou à falta de planejamento integrado. O desafio que influencia a atualização da vida funcional dos servidores é dar instrumentos às escolas para que tenham autonomia para gerenciar o processo funcional do servidor, para que seja atualizado corretamente, durante sua vida laboral até o momento da sua aposentadoria. Portanto, é necessário proporcionar qualificação continuada aos gestores e servidores para que possam estar sempre motivados, preparados e direcionados para o atendimento às pessoas, às demandas internas e externas.
Mostrar mais

126 Ler mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA CAEd- CENTRO DE POLÍTICAS PÚBLICAS E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO PROFISSIONAL EM GESTÃO E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PÚBLICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA CAEd- CENTRO DE POLÍTICAS PÚBLICAS E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO PROFISSIONAL EM GESTÃO E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PÚBLICA

A pretensão de se analisar, a partir dos dados obtidos junto ao Instituto Avaliar, de documentos diversos da escola e da SRE, das entrevistas feitas junto aos gestores e aplicação de questionários aos professores do 1º ano do ensino médio, como é a utilização do PAAE nas seis escolas pesquisadas fez com que se apresentasse, após a explanação da metodologia de pesquisa, o seguinte percurso neste capítulo: conceituação de gestão do currículo na atualidade levantando, paralelamente, dados que contextualizam a situação das escolas pesquisadas e o uso do PAAE nesta contextualização a fim de que se perceba como é a gestão curricular das seis escolas e se o PAAE fortalece ou não o currículo; reflexão sobre qual é o real significado dado ao PAAE pelo gestor e professores; verificação, a partir do uso concreto do PAAE, de quais ações se aproximam, se distanciam ou acontecem em conformidade com as proposições do programa, buscando estabelecer elementos que talvez justifiquem estes tipos de usos; levantamento de fatores que interferem na implementação do programa relacionados ao contexto da prática. Neste aspecto ressaltou-se a importância do papel do gestor e do professor na efetivação das ações do programa como atores que têm atribuições distintas mas correlacionadas.
Mostrar mais

146 Ler mais

UMA NOVA PROPOSTA DE ENSINO-APRENDIZAGEM: PROJETO REINVENTANDO O ENSINO MÉDIO – Mestrado em Gestão e Avaliação da Educação Pública

UMA NOVA PROPOSTA DE ENSINO-APRENDIZAGEM: PROJETO REINVENTANDO O ENSINO MÉDIO – Mestrado em Gestão e Avaliação da Educação Pública

Diferente da ideia de um curso técnico, cada área escolhida atende ao requisito nuclear da noção de empregabilidade, ou seja, leva em consideração a possibilidade de ocupação de postos de trabalho múltiplos e inespecíficos, conforme apresenta o manual do Reinventando o Ensino Médio. Esse manual estabelece uma proposta de estrutura curricular para o projeto, apresentando inclusive os conteúdos da fase inicial, ou seja, do 1º ano e, também, dos demais anos até a conclusão do ensino médio do aluno. A carga horária está dividida em um momento teórico/instrumental, denominado “Conteúdos da Área”, ocupando 60% da carga horária, contendo 3 módulos-aula semanais, distribuídos em 3 ou 4 disciplinas, e outro denominado “Conteúdos Práticos”, correspondendo a 40% da carga horária, em 2 módulos-aula, com 1 ou 2 disciplinas, onde estão previstas visitas técnicas extrapolando os muros da escola. Para o conteúdo curricular de cada área de empregabilidade foram criados Currículos Básicos Comuns de Empregabilidade (CBCEs), similares aos CBCs já existentes, englobando os assuntos da formação geral e da área específica.
Mostrar mais

71 Ler mais

ESTRATÉGIAS ARGUMENTATIVAS PARA O ENSINO DA FILOSOFIA

ESTRATÉGIAS ARGUMENTATIVAS PARA O ENSINO DA FILOSOFIA

Os alunos que, antes de entrar na escola, costumavam ser vistos como autênticos peritos na arte de questionar, muitas vezes até de forma embaraçante para os adultos, quando começam a frequentá-la, passam a ser limitados ou, melhor, a ser desencorajados das suas intenções de questionamento, e convidados a aprender aquilo que, a partir de então, passou a ser-lhes revelado e, por vezes, impingido pela escola. Este processo é bastante complicado, e uma análise mais profunda que intente fazer dele objecto de reflexão não se enquadraria no âmbito deste relatório, no entanto, e de forma a proteger a imparcialidade que lhe é devida, assumimos a seguinte consideração acerca do papel da educação 65 : “Antes de ser educada não existe na criança nenhuma personalidade própria que o ensino avassale (...); através da aprendizagem (não apenas submetendo-se a ela, mas também rebelando-se contra ela e inovando a partir dela) forjar-se-á a sua identidade pessoal irrepetível. Certamente que se trata de uma forma de condicionamento mas que não põe fim a qualquer primitiva liberdade originária e que possibilita precisamente a eclosão eficaz do que humanamente chamamos liberdade. A pior das educações potencia a humanidade do sujeito com o seu condicionamento, enquanto um ilusório limbo silvestre incondicionado mais não faria do que
Mostrar mais

221 Ler mais

GOVERNO DO PARANÁ SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DO PARANÁ DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO BÁSICA

GOVERNO DO PARANÁ SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DO PARANÁ DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO BÁSICA

Por serem históricos, os conteúdos estruturantes são frutos de uma construção que tem sentido social como conhecimento, ou seja, existe uma porção de conhecimento que é produto da cultura e que deve ser disponibilizado como conteúdo, ao estudante, para que seja apropriado, dominado e usado. Esse é o conhecimento instituído. Além desse saber instituído, pronto, entretanto, deve existir, no processo de ensino/aprendizagem, uma preocupação com o devir do conhecimento, ou seja, existem fenômenos e relações que a inteligência humana ainda não explorou na natureza. Portanto, de posse de alguns conhecimentos herdados culturalmente, o sujeito deve entender que isso não é todo o conhecimento possível que a inteligência tem e é capaz de ter do mundo, e que existe uma consciência, uma necessidade intrínseca e natural de continuar explorando o “não saber” (CHAUÍ, 1997), a natureza (VASQUEZ, 1997).
Mostrar mais

98 Ler mais

ESTUDO SOBRE O PROCESSO DE ESCOLHA DE LIVROS DIDÁTICOS ORGANIZADO EM ESCOLAS DE EDUCAÇÃO BÁSICA

ESTUDO SOBRE O PROCESSO DE ESCOLHA DE LIVROS DIDÁTICOS ORGANIZADO EM ESCOLAS DE EDUCAÇÃO BÁSICA

Resumo: Investigamos, neste trabalho, os processos de escolha de Livros Didáticos (LD), no âmbito do PNLD, e buscamos responder a seguinte questão de pesquisa: Como EEB organizam e desenvolvem ações para a escolha de LD? Para tanto, realizamos entrevistas com membros das equipes gestoras de 15 EEB. Pelas análises realizadas, podemos afirmar que: A organização do processo de escolha de LD nas escolas tem sido desencadeada muito mais a partir de ações desenvolvidas por editoras do que propriamente a partir de orientações do FNDE; É bastante comum no processo de escolha de livros a realização de encontros breves na sala de professores, durante o intervalo das aulas, onde os professores trocam informações e tomam decisões acerca dos LD; As ações desenvolvidas nas escolas mobilizam, em geral, todos os professores mediante a realização de ao menos uma reunião, mas essas ações restringem-se à escolha dos LD em cada área disciplinar, não havendo discussões mais amplas acerca das finalidades esperadas para o ensino médio nas escolas e do papel do LD para tanto.
Mostrar mais

12 Ler mais

O modelo do conhecimento especializado do professor de Biologia (btsk)

O modelo do conhecimento especializado do professor de Biologia (btsk)

O desenho de investigação corresponde a um estudo de casos do tipo instrumental (STAKE, 2005) pois pretendeu-se conhecer o conhecimento evidenciado durante o ensino de um tema das ciências naturais. Assim, estudaram-se dois casos. Foram duas realidades diferentes, em dois contextos diferentes que nos permitiram conhecer em profundidade um aspeto particular. Neste trabalho de investigação, a particularidade é aplicada não a uma realidade, mas a duas, em dois ciclos de ensino diferentes. A realidade do ensino do tema reprodução das plantas a alunos, do 2º ano do 1º CEB, não é a mesma quando o tema é ensinado a alunos de 6º, do segundo ciclo do ensino básico. Diferem pelos conteúdos, pela maturidade emocional e psicológica dos alunos, pelo ambiente escolar, ..., por isso se acrescenta que o desenho de investigação é um estudo de casos. Mais especificamente, de dois casos.
Mostrar mais

18 Ler mais

UFRGS - UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL EE - ESCOLA DE ENGENHARIA DELET - DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA PLANO DE ENSINO

UFRGS - UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL EE - ESCOLA DE ENGENHARIA DELET - DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA PLANO DE ENSINO

2.1 Energia e Transferência de Energia; Carga, Força Elétrica e Campos Elétricos; Condutores e Isolantes Elétricos; Corrente Elétrica; Energia, Trabalho e Potência; Diferença de [r]

5 Ler mais

Show all 10000 documents...