Estrutura urbana

Top PDF Estrutura urbana:

O processo de urbanização de Mossorò: dos processos históricos à estrutura urbana atual

O processo de urbanização de Mossorò: dos processos históricos à estrutura urbana atual

partir do momento em que o sistema pretendia resolver o problema de habitação no Brasil através do estímulo à construção de habitações de interesse social, e do financiamento da casa própria especialmente para a população de menor renda. Seguindo esses propósitos, essa mesma lei também criou o BNH (Banco Nacional de Habitação) e o SERFHAU (Serviço Federal de Habitação e Urbanismo). Enquanto o primeiro seria responsável pelo financiamento da construção habitacional de baixa renda no país, através da gestão do FGTS 27 , o segundo seria responsável pela orientação técnica aos municípios para a elaboração de seus planos diretores e políticas habitacionais, sem os quais esses não estariam qualificados a receber as verbas federais. Vale salientar que a ação do BNH não se limitou apenas à habitação, pois incentivou a educação e a cultura, e financiou obras de infra-estrutura urbana, como rede de energia elétrica, de transportes e de comunicação. Enfim, atuou como um dos mais expressivos agentes financeiros do processo de desenvolvimento urbano.
Mostrar mais

247 Ler mais

Determinantes do acesso à infra-estrutura urbana no município de são Paulo.

Determinantes do acesso à infra-estrutura urbana no município de são Paulo.

órgãos, o que os estimularia a expandir as políticas de infra-estrutura urbana para novas fronteiras. Contudo, para além das motivações das burocracias, é importante considerar uma segunda dinâmica, denominada por Marques (2000) de “seletividade hierárquica das políticas”. De acordo com essa abordagem, a cultura técnica da burocracia de certos setores da administração pública tem conseqüências para a implementação das políticas, fazendo com que estas sejam expandidas prioritariamente – e com melhor qualidade – para as áreas mais ricas das cida- des, sendo implantadas posteriormente nas áreas mais periféricas (Marques, 2000). Também é possível pensar nas relações entre as burocracias responsáveis pela provisão de serviços urbanos com as empre- sas privadas contratadas para a realização dos mes- mos, o que certamente tem impacto sobre as áreas da cidade que são privilegiadas (Marques, 2003). Entretanto, essas dimensões não puderam ser ex- ploradas com os dados aqui disponíveis, sendo ne- cessárias análises qualitativas mais aprofundadas para a compreensão dos mecanismos envolvidos no caso da atuação das burocracias, seguindo a linha das pesquisas desenvolvidas por Marques (2000, 2003). Também no plano da macrossegregação, verifi- cou-se a relevância das distâncias às áreas socioeco- nomicamente bem inseridas da RMSP, reforçando a hipótese da importância das áreas centrais como pólos de concentração de empregos, serviços e oportunidades em geral, como apontado por di- versos autores (Villaça, 2000; Sabatini, 2004).
Mostrar mais

16 Ler mais

Urbanismo e humanismo: a SAGMACS e o estudo da "estrutura urbana da aglomeração ...

Urbanismo e humanismo: a SAGMACS e o estudo da "estrutura urbana da aglomeração ...

Percebendo a diferença de enfoque dada pela SAGMACS em comparação com os demais urbanistas da época, delimitamos o estudo da “Estrutura Urbana da Aglomeração Paulistana” na tentativa de elucidar as condições para o trabalho urbano na cidade de São Paulo no final dos anos 1950, quando esta já era considerada a principal metrópole industrial do país. E assim, sendo uma metrópole, apresentava também problemas de uma típica aglomeração, e no caso de São Paulo, a existência significativa de um cinturão periférico bastante consolidado neste período. Notamos que a historiografia do urbanismo no Brasil tem dado pouca importância à atuação da SAGMACS e de Lebret à frente de estudos, planos e projetos para nossas cidades, o que justifica a escolha de nosso objeto de investigação. Por isso, mantivemos a delimitação sobre o urbanismo paulistano e constituímos como objetivo de nosso trabalho pesquisar, a partir do estudo “Estrutura Urbana da Aglomeração Paulistana”, o quadro urbanístico e sóciopolítico de um momento ainda pouco
Mostrar mais

337 Ler mais

Análise da estrutura urbana da cidade do Porto a partir de quatro obras literárias

Análise da estrutura urbana da cidade do Porto a partir de quatro obras literárias

Este olhar sobre o passado, através das obras literárias, revelou-se não só como um estudo da estrutura urbana da cidade do Porto, mas também como como suporte de reflexão e interpretaçã[r]

127 Ler mais

Estrutura urbana e mobilidade populacional: implicações para o distanciamento social e disseminação da Covid-19

Estrutura urbana e mobilidade populacional: implicações para o distanciamento social e disseminação da Covid-19

O mundo vem testemunhando a rápida disseminação dos casos confirmados da síndrome respiratória aguda por meio do coronavírus (Sars-CoV-2 Covid-19). Nos primeiros meses de pandemia, as estatísticas indicam que as grandes cidades tornaram-se palcos destacados de contágio e disseminação da Covid-19. Diante desse cenário, o presente estudo oferece argumentos que auxiliam na construção e aferição preliminar de três hipóteses: a estrutura urbana e a organização das cidades interferem na taxa de distanciamento social e, portanto, no ritmo de contágio da doença; na cidade, a forma com que o sistema de transporte de pessoas está estruturado desempenha papel relevante no ritmo de disseminação da Covid-19; e a pandemia e as práticas de distanciamento físico e social alteram os padrões de mobilidade intraurbana. Analisam-se dados nacionais e regionais disponíveis em órgãos oficiais e outros trabalhos empíricos sobre a Covid-19 à luz de estudos teóricos sobre mobilidade urbana. Em seguida, por método indutivo, é feita uma associação destes dados aos diferentes modelos de cidades (compacta x espraiada), considerando, em especial, aspectos de mobilidade urbana. Os argumentos desenvolvidos nesse estudo parecem corroborar o teor central das hipóteses apresentadas. É preciso desenvolver modelos que incorporem estes elementos para avançarmos na compreensão da pandemia e, também, de elementos que auxiliem na construção de cidades mais resilientes a fenômenos como a Covid-19.
Mostrar mais

22 Ler mais

A estrutura urbana de Castro Marim

A estrutura urbana de Castro Marim

isto, a sua reestruturação, tendo em vista a adaptação à evolução do armamento, impôs de imediato uma diminuição da volumetria das muralhas, de forma a oferecer um alvo menor; o derrube das ameias para evitar o efeito de metralha quando atingidas em cheio por um projétil; e a implantação de três canhoneiras. Uma no vértice sul da cerca medieval, a bateria de N.ª Sra. dos Mártires; outra a este, o baluarte de Malpique, que foi edificado após ter sido entaipada a porta de Mar; e a poente, a entrada atual que também foi reforçada com o baluarte da “porta da Vila”. No interior da cerca medieval foram edificados a residência do governador, os quartéis para a guarnição, as cavalariças e o paiol – armazém de pólvora à prova de bomba, uma estrutura essencial ao novo tipo de armamento. O castelo velho passou a albergar um armazém de munição. Em Portugal, o burgo medieval assume essencialmente, no novo sistema defensivo, uma função de carácter militar, com instalações de armazéns e outros edifícios militares, transformando-se na cidadela do recinto fortificado. Serviria desta feita como último local de defesa e refúgio no caso de ataque à povoação.
Mostrar mais

22 Ler mais

Atualização e aprofundamento do mapa de análises climáticas do município de João Pessoa - Paraíba

Atualização e aprofundamento do mapa de análises climáticas do município de João Pessoa - Paraíba

Apesar das limitações relacionadas ao adensamento, não é apenas o diferencial de alturas das edificações que pode acarretar comprometimento das condições térmicas do local, critérios urbanísticos como a taxa de ocupação (relacionados a recuos e espaçamentos entre as edificações) também são importantes. Observa-se que parte da ZANP nos bairros Bessa, Jardim Oceania, Cruz das Armas, Bancários, Mandacaru e Mangabeira apresentam características diversificadas com intensidade de ocupação média ou baixa. Apesar disso, a confrontação com o Mapa de análises climáticas demonstra um predomínio das classes climáticas 5 e 6, (classificadas como carga térmica baixa e carga térmica relevante). O adensamento nessas classes, principalmente na classe 5, é marcado por um misto de casas e blocos residenciais de até quatro pavimentos, com poucos espaços verdes. Pontualmente, é possível identificar áreas com volume construído mais acentuado (classe 6), indicando que a pouca permeabilidade (porosidade) da estrutura urbana obstrui a circulação dos ventos locais. (Figura 49).
Mostrar mais

159 Ler mais

Ambiente construído e bem-estar subjetivo: análise das diferenças entre os usuários dos diferentes modos de transporte

Ambiente construído e bem-estar subjetivo: análise das diferenças entre os usuários dos diferentes modos de transporte

Embora alguns estudos tenham surgido na literatura internacional, a relação entre estrutura urbana e BES tem sido objeto de estudo recente e a relação ainda não está estabelecida. Adicio- nalmente, os estudos existentes não examinaram como os efeitos do ambiente construı́do po- dem diferir entre os usuários de diferentes modos de transporte. O bem-estar varia com carac- terı́sticas dos indivı́duos tais como gênero (Elias et al., 2015; Basarić et al., 2016), renda (Wang e Cao, 2017; Lin et al., 2017), caracterı́sticas culturais (Hu, 2017), percepções (González et al., 2015) e posição familiar (Yang et al., 2017). Assim, o efeito do ambiente construı́do no bem- estar também pode variar. O poder de polı́ticas urbanas que visem melhorar o bem-estar da população pode ser desigual e até ine0iciente para alguns grupos de usuários. A distinção entre os tipos de usuários pode ser especialmente importante em paı́ses como o Brasil, onde caracte- rı́sticas socioeconômicas estão fortemente ligadas com a escolha modal (Larranaga et al., 2009; Larranaga e Cybis, 2014).
Mostrar mais

13 Ler mais

rodrigues helder dissertacao

rodrigues helder dissertacao

A vegetação é um factor preponderante na imagem da Vila. Do “canteiro à árvore, ao jardim de bairro ou ao grande parque urbano, as estruturas verdes constituem também elementos identificáveis na estrutura urbana. Caracterizam a imagem da cidade; tem individualidade própria; desempenham funções precisas: são elementos de composição e do desenho urbano; servem para organizar, definir e conter espaços. Certamente que a estrutura verde não tem a mesma «dureza» ou permanência que as partes edificadas da cidade. Mas situa-se ao mesmo nível da hierarquia morfológica e visual. Uma rua sem árvores mudaria completamente de forma e de imagem; um jardim ou um parque sem a sua vegetação transformar-se-ia apenas num terreiro. As simples árvores e vegetação existentes em logradouros privados são de grande importância na forma urbana, no controlo do clima e qualificação da cidade, e como tal deveriam ser entendidas no urbanismo e gestão urban a.” (Lamas, 2010; p.106).
Mostrar mais

414 Ler mais

Estud. av.  vol.17 número48

Estud. av. vol.17 número48

Esse é o nosso ponto de partida. H á dez anos trabalhamos na melhoria da infra- estrutura urbana e da legalização de áreas das favelas. Concomitante a isso, em- penhamo-nos na construção de equipa- mentos comunitários: creches, escolas pa- ra a educação infantil, postos de saúde, pequenas agências que facilitam a inser- ção dos pais no mercado de trabalho etc. Desde 1994 começamos esses progra- mas de integração urbana. H á uma grande diferença entre pensar um programa de le- galização de favelas e de melhoria da infra- estrutura urbana e realizar um programa de integração urbana de uma favela onde vivem, em palafitas, mais de quarenta mil famílias, num subúrbio de Salvador.
Mostrar mais

6 Ler mais

PRAGMATISIVIQ E UTGPISIVIG N A CRIAÇÃO URBANÍSTICA DE RAIZ PORTUGUESA N O SÉCULO XVIII

PRAGMATISIVIQ E UTGPISIVIG N A CRIAÇÃO URBANÍSTICA DE RAIZ PORTUGUESA N O SÉCULO XVIII

Afasta-se também, num certo sentido, e por estrarüio que pareça, da estrutura urbana da nova Lisboa pombalina, embora lógica e metodolôgicamente tal se apresente como imediato termo de[r]

10 Ler mais

Wendie A Piccinini RequenaARQ2006 05

Wendie A Piccinini RequenaARQ2006 05

Righi (1983) em seu artigo sobre o processo de urbanização industrial do Estado de São Paulo, observa que a predominância da estrutura urbana neste estado, num primeiro momento, seria resultado do processo de crescimento decorrente da expansão cafeeira até 1930, devido às suas características locacionais muito concentradoras, traço que foi marcante na evolução urbana do município de Limeira, assim como o papel que a agricultura, juntamente com o setor terciário assumiu, na economia nos centros urbanos pequenos, médios e grandes do interior paulista.

10 Ler mais

Estud. av.  vol.17 número47

Estud. av. vol.17 número47

A década de 1970 produziu ainda a lei de parcelamento do solo urbano (6766/ 77) , a lei de zoneamento industrial (1817/ 78) e o projeto de lei 775/ 83 , que tratava do desenvolvimento urbano. Este último encontrou dificuldade de aprovação pelo fato de introduzir vários instrumentos urbanísticos, como o con- trole da especulação imobiliária. No início da década de 1980 , a necessidade de introduzir instrumentos urbanísticos e uma legislação que fosse capaz de estabe- lecer um mínimo de ordenamento ao crescimento das cidades – dado principal- mente em função dos altos custos da infra-estrutura urbana como saneamento, abastecimento de água, transportes públicos e habitação –, ainda se fazia presen- te. O projeto de lei 775/ 83 não foi aprovado, ficando praticamente arquivado até a convocação da Assembléia Constituinte em 1987 . Aqui cabe mencionar o significado destas leis, pois, por um lado, abriram espaço para uma atualização da legislação urbanística, e, por outro, não enfrentaram a questão da regulação so- cial e da habitação popular e social.
Mostrar mais

10 Ler mais

Padrões de morbidade em assistência primária na região de Ribeirão Preto, SP (Brasil).

Padrões de morbidade em assistência primária na região de Ribeirão Preto, SP (Brasil).

A despeito da assistência oferecida e das mudanças na infra-estrutura urbana no bairro de Vila Lobato, observa-se que o padrão nosológico dos casos atendidos não se alterou, predominando[r]

10 Ler mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CENTRO DE LETRAS E ARTES MESTRADO EM LETRAS — ESTUDOS LITERÁRIOS JOSÉ MOURÃO DE ARAÚJO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CENTRO DE LETRAS E ARTES MESTRADO EM LETRAS — ESTUDOS LITERÁRIOS JOSÉ MOURÃO DE ARAÚJO

bando talvez um dos mais importantes de todos. SOUSA, Inglês de. “O Rebelde” In: Contos Amazônicos.. diz respeito aos serviços de infra-estrutura urbana. Ao mesmo te[r]

153 Ler mais

Os agentes imobiliários e as transformações intra-urbanas: o caso dos condomínios horizontais fechados em Uberlândia - MGTHE REAL STATE AGENTS AND INTRA-URBAN TRANSFORMATION: THE CASE OF CLOSED HORIZONTAL CONDOMINIUMS IN UBERLÂNDIA - MG

Os agentes imobiliários e as transformações intra-urbanas: o caso dos condomínios horizontais fechados em Uberlândia - MGTHE REAL STATE AGENTS AND INTRA-URBAN TRANSFORMATION: THE CASE OF CLOSED HORIZONTAL CONDOMINIUMS IN UBERLÂNDIA - MG

Uma atitude inovadora, na medida em que possibilita ganhos excepcionais, tende a ser imitada pelos agentes econômicos. No mercado imobiliário, é comum uma inovação ser introduzida em determinada área, mas essa mesma inovação pode ser re-utilizada em outras áreas a fim de distinguir a oferta imobiliária do estoque local e dar início a um novo processo de transição no ciclo de vida da região. A utilização seqüenciada de uma mesma inovação, que vem operando mudanças nos “ciclos de vida” das várias áreas da estrutura urbana da cidade, é o processo de difusão desta inovação. É o que poderíamos chamar de inovação fictícia (grifo do autor), pois, na realidade, é reprodução (imitação) de uma inovação que já foi utilizada em outra área da cidade. (ABRAMO, 1988 p.161)
Mostrar mais

16 Ler mais

Qualidade dos parques de vizinhança e parques de bairro: uma proposta de índices de avaliação

Qualidade dos parques de vizinhança e parques de bairro: uma proposta de índices de avaliação

O autor ainda enfatiza que a partir da valorização da salubridade urbana, as áreas verdes públicas, as praças e jardins passaram a serem considerados elementos importantes na estrutura urbana. Dentro do princípio urbanístico “sanear, embelezar, modernizar”, as áreas livres e verdes tiveram importância fundamental. Em uma segunda fase, buscou-se criar áreas de lazer urbano, inserindo-as nas unidades de vizinhança e de bairro, mediante as proposições estruturais urbanísticas modernistas. Nos princípios modernistas de “habitar, trabalhar, circular e recriar”, estabeleceu-se a importância desses espaços como solução para os problemas de saúde pública. Inserindo-se também nesta segunda fase a saúde psicofísica, inaugura-se a função primordial de importante espaço a serviço do tempo livre.
Mostrar mais

178 Ler mais

História urbana e transformações da periferia na cidade de Salvador – Bahia – Brasil: processo, estrutura, função e formas no cabula /  Urban history and periphery transformations in the city of Salvador - Bahia - Brazil: process, structure, function and

História urbana e transformações da periferia na cidade de Salvador – Bahia – Brasil: processo, estrutura, função e formas no cabula / Urban history and periphery transformations in the city of Salvador - Bahia - Brazil: process, structure, function and forms in cabula

Desde as remotas e imprecisas origens, a área distante e de difícil acesso abrigou quilombos e candomblés. No século XVIII já se encontra registros cartográficos do Cabula no distrito mais rural da Freguesia de Santo Antônio. Pelas investigações é possível afirmar que até a década de 1940 o Cabula seguia sendo uma área semirrural, que, além dos já referidos quilombos e candomblés, tinha grandes fazendas frutíferas, produtoras de excelentes laranjas. Na mesma década, uma praga exterminou o laranjal. Isto, somado ao início do processo de expansão horizontal da cidade de Salvador (década de 1950), iniciou a conversão do Cabula para a estrutura urbana e respectivas alterações nas funções e nas formas locais.
Mostrar mais

15 Ler mais

MINERAÇÃO E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL – ESTUDO DE CASO: O GARIMPO DE OURO DE MONSENHOR HORTA EM MARIANA, MINAS GERAIS

MINERAÇÃO E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL – ESTUDO DE CASO: O GARIMPO DE OURO DE MONSENHOR HORTA EM MARIANA, MINAS GERAIS

Imagine-se uma base urbana simples, onde moram cerca de 5.000 pessoas (aproximadamente 1.000 famílias), servida pela estrutura urbana mínima: saúde, educação, lazer, abastec[r]

99 Ler mais

O DIREITO À MORADIA E O DISCURSO DE IMPLANTAÇÃO DE POLÍTICAS PÚBLICAS HABITACIONAIS NA PERSPECTIVA DE CONSTRUÇÃO DE CIDADES SAUDÁVEIS E DEMOCRÁTICAS: REFLEXÕES SOBRE ARAGUAÍNA - TO

O DIREITO À MORADIA E O DISCURSO DE IMPLANTAÇÃO DE POLÍTICAS PÚBLICAS HABITACIONAIS NA PERSPECTIVA DE CONSTRUÇÃO DE CIDADES SAUDÁVEIS E DEMOCRÁTICAS: REFLEXÕES SOBRE ARAGUAÍNA - TO

O objetivo desta pesquisa é compreender o direito à moradia na cidade de Araguaína. Entretanto, entendemos que essa compreensão só foi possível quando esse direito foi contextualizado com o direito à cidade. Nesse ínterim criamos as condições necessárias para suscitar um debate e reflexões que tornasse público essa temática. Assim buscamos a fundamentação teórica necessária à compreensão da cidade e do seu espaço urbano. Em outro momento percorremos sob a perspectiva espaço-tempo às políticas públicas no âmbito do território brasileiro, enfatizando o momento da ditadura militar e a retomada da democracia para compreendermos melhor as novas configurações das políticas de moradia social neste país. Adentramos ainda na discussão do direito á moradia adequada, projeto estabelecido pela ONU que acompanha em escala global como vem sendo tratado o problema da moradia para os mais pobres. Somou-se a isto a inserção dos princípios norteadores das cidades saudáveis. Evidenciando mais uma vez a necessidade de refletir em conjunto a moradia e a cidade. Posteriormente tratamos de entender as particularidades das áreas de moradia social em Araguaína. Percorremos para isto todos os setores da cidade que abrigam essas políticas públicas. Ao fazer esta incursão no urbano pudemos compreender melhor a cidade e sua realidade urbana. Isto possibilitou ainda a aplicação de formulários de pesquisa no Residencial Jardim das Flores, uma vez que das áreas de política pública, é o que apresenta a melhor infraestrutura, mas que também apresenta muitos problemas. Finalizamos esse estudo com um exemplo que se tornou proposta a partir da realidade investigada na cidade de Lisboa em Portugal, que participa do movimento cidades saudáveis. Assim, refletimos sobre o direito à moradia e a cidade sob diferentes aspectos e escalas, resultando em uma crítica necessária ao descumprimento das leis por parte do Estado brasileiro e do mercado.
Mostrar mais

220 Ler mais

Show all 10000 documents...