Exploração do Trabalho

Top PDF Exploração do Trabalho:

Combate à exploração do trabalho infantil: o escrito e o feito

Combate à exploração do trabalho infantil: o escrito e o feito

Trabalho (IDICT), em articulação com outras estruturas da administração pública central e local e associações de pais, a campanha “Um tempo para crescer”. Em 1996, o governo pede à CNASTI (Confederação Nacional de Acção sobre o Trabalho Infantil) e ao IAC (Instituto de Apoio à Criança) a elaboração de um relatório sobre “O trabalho infantil em Portugal”, do qual decorre a constituição de um grupo de trabalho interministerial para o combate ao trabalho infantil e a criação da Comissão Nacional de Combate ao Trabalho Infantil. Em 1996, o governo e os parceiros sociais inscrevem no Acordo de Concertação Estratégica o combate ao fenómeno como preocupação prioritária. Muito trabalho foi desenvolvido neste período mas defrontar um problema com grande complexidade causal e com características muito diferentes em zonas específicas do país é tarefa que exige rigor no conhecimento da realidade e decisão política para a alterar. Em 1998, é estabelecido um protocolo de colaboração entre a IPEC/OIT (International Program on the Elimination of Child Labour/Organização Internacional do Trabalho) e o Departamento de Estatística do Trabalho, Emprego e Formação Profissional, para a realização do estudo “Trabalho Infantil em Portugal – Caracterização Social dos menores em idade escolar e suas famílias” e é criado o Plano para Eliminação da Exploração do Trabalho Infantil (PEETI) bem como o Conselho Nacional Contra a Exploração do Trabalho Infantil, estrutura independente do poder político que acompanha e supervisiona a actividade do PEETI.
Show more

7 Read more

A capitalização das culturas do trabalho: consciência da exploração do trabalho e estratégias empresariais

A capitalização das culturas do trabalho: consciência da exploração do trabalho e estratégias empresariais

A greve geral metalúrgica de 1980 viveria a grande derrota da classe operária. No entender desse pesquisador, " não seria exclusivamente uma derrota dos metalúrgicos do ABC, mas de toda classe operária em sua luta contra a base de sustentação da política econômica do poder ditatorial, contra o arrocho salarial e contra a superexploração do trabalho" A superexploração era visível na pauta de reivindicações do movimento, que envolvia "ganho de produtividade, além do INPC, um piso salarial aceitável, a estabilidade como contraposição a rotatividade da força de trabalho, bem como a reivindicação pela redução da jornada de trabalho, cujo eixo visava questionar a intensidade da exploração do trabalho (idem 76 e 83).
Show more

18 Read more

Open Trabalhadores migrantes no corte da canadeaçúcar: precarização e exploração do trabalho

Open Trabalhadores migrantes no corte da canadeaçúcar: precarização e exploração do trabalho

Dividido em três partes, o presente trabalho contempla, no primeiro capítulo, algumas considerações que serão fundamentais para a compreensão do objeto e facilitarão o desenvolvimento do nosso estudo. Inicialmente abordamos os elementos fundantes da sociedade de classes, com base na análise marxiana do trabalho, fundamento ontológico do ser social. Tivemos o cuidado de tratar do surgimento e desenvolvimento do modo de produção capitalista, imprescíndivel à apreensão das bases que constituem a luta de classes, relação inerente a esse modo de produção. Para a contextualização do desenvolvimento histórico do capitalismo, fez-se necessário abordar a relação contraditória entre capital e trabalho, desde a sua gênese até os dias atuais. Também analisamos os aspectos da conjuntura econômica vigente, com ênfase para a flexibilização das relações de produção, ocasionada pela reestruturação produtiva e pelo neoliberalismo, os quais agravam a precarização e a exploração do trabalho.
Show more

165 Read more

Exploração do trabalho informacional: o caso dos profissionais da informação da capital cearense

Exploração do trabalho informacional: o caso dos profissionais da informação da capital cearense

Pelo exposto, este trabalho tem como objetivo discutir as dissonâncias existentes entre o trabalho informacional e o capitalismo contemporâneo com o fim de identificar seus impasses no que tange as formas de exploração do trabalho. Para tanto, a metodologia utilizada foi a revisão bibliográfica e pesquisa documental, para coletar informações sobre a temática pesquisada, utilizamos também como mecanismo de coleta de dados o método da observação, para registro do caso e de toda a sua significação, a partir de um estudo sobre os profissionais da informação – bibliotecários – na capital cearense.
Show more

7 Read more

Exploração do trabalho de crianças e adolescentes: o desafio da efetividade dos direitos humanos na tríplice fronteira entre Brasil, Paraguai e Argentina

Exploração do trabalho de crianças e adolescentes: o desafio da efetividade dos direitos humanos na tríplice fronteira entre Brasil, Paraguai e Argentina

Puerto Iguazú integra a provincia Argentina de Misiones. Sua população é de aproximadamente 28 mil habitantes. (PUERTO IGUAZÚ, 2009). Os três países padecem do problema da exploração do trabalho de crianças e adolescentes apesar de serem diferentes em tamanho, população, características étnico-culturais, políticas, econômicas e sociais. Detendo nossa atenção nas crianças e adolescentes da tríplice fronteira, observa-se empiricamente que, além dos contextos heterogêneos que os rodeiam, muitos vivem situações de violação de direitos humanos, sujeitos à alta vulnerabilidade, desproteção, pobreza e desigualdade. Tal situação social merece estudo científico mais aprofundado, visando pesquisar os pontos nevrálgicos que geram a perpetuação e permanência do problema da exploração do trabalho de crianças e adolescentes na região da Tríplice Fronteira.
Show more

18 Read more

A ATUAÇÃO DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO NO COMBATE À EXPLORAÇÃO DO TRABALHO INFANTIL

A ATUAÇÃO DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO NO COMBATE À EXPLORAÇÃO DO TRABALHO INFANTIL

A Coordenadoria Nacional de Combate à Exploração do Trabalho de Crianças e Adolescentes (COORDINFÂNCIA) foi criada pela Portaria PGT 299, de 10 de novembro de 2000, com o objetivo de promover, supervisionar e coordenar ações contra as variadas formas de exploração do trabalho de crianças e adolescentes, dando tratamento uniforme e coordenado ao referido tema no âmbito do Parquet trabalhista. As principais áreas de atuação são a promoção de políticas públicas para a prevenção e a erradicação do trabalho infantil informal, a efetivação da aprendizagem, a proteção de atletas mirins, o trabalho infantil artístico, a exploração sexual comercial, as autorizações judiciais para o trabalho antes da idade mínima, o trabalho infantil doméstico, o trabalho em lixões, dentre outras.
Show more

13 Read more

Tráfico de Pessoas para fins de exploração do trabalho na cidade de São Paulo.

Tráfico de Pessoas para fins de exploração do trabalho na cidade de São Paulo.

Estima-se que 46% dos imigrantes latino-americanos na cidade de São Paulo sejam mulheres, a maioria é jovem, dedica- se ao trabalho nas oficinas de costura – em uma jornada que pode durar, em média, 14 horas por dia – e ao cuidado com os filhos. A experiência no atendimento a imigrantes no CAMI tem demonstrado que as mulheres acabam demorando mais para pedir e conseguir permanência, porque, em razão dos custos do processo de regularização, o primeiro membro da família a fazer o pedido de documentação é o homem.

19 Read more

As medidas de enfrentamento à exploração do trabalho infantil no Brasil: forças em luta.

As medidas de enfrentamento à exploração do trabalho infantil no Brasil: forças em luta.

A proposta de diminuição da idade mínima representa uma tentativa de avanço das forças mais conservadoras do liberalismo nacional que visam diminuir, tanto quanto possível, a instrução pública estatal desses adolescentes, inserindo-os logo no trabalho produtivo, algo altamente vantajoso aos con- tratantes, além de concorrente desleal do desemprego adulto, tendo em vista o salário e os incentivos fiscais. A PEC em discussão tem como pressuposto que a educação desses ado- lescentes será voltada para as práticas efetivas de trabalho e de suas necessidades reais. Por isso é importante garantir que frequentem a educação básica, assim como Adam Smith (1989) já admitia no século 18, preparando-os para uma ma- turidade capaz de suportar a jornada de trabalho.
Show more

7 Read more

A materialidade do trabalho e o “trabalho imaterial” — Outubro Revista

A materialidade do trabalho e o “trabalho imaterial” — Outubro Revista

O que temos na “Terceira Itália”, em suma, é uma forma mais intensa da exploração do trabalho pelo capital. Ela repõe algumas relações que relembram as formas da manufatura pré-industrial, mas com outra função social, pois integradas a um circuito de valorização do capital historicamen- te distinto daquele do século XVII ou XVIII. O “novo território produtivo” possibilita uma extração de mais-valia tão intensa que compensa com sobras o fato de o montante a ser retirado de cada unidade produtiva doméstica ser relativamente baixo. Tal como antes, também na “Terceira Itália” o capi- tal mantém o controle da produção, com a agravante que, nas novas condi- ções, sindicatos e greves não são mais instrumentos com os quais os operá- rios, no passado, se protegiam pontualmente da exploração. A afirmação de que na Terceira Itália o capital teria cedido o controle da produção para o trabalhador social não passa, portanto, de uma fábula.
Show more

20 Read more

Gianfranco Pampalon ASPECTOS LEGAIS DAS NORMAS REGULAMENTADORAS

Gianfranco Pampalon ASPECTOS LEGAIS DAS NORMAS REGULAMENTADORAS

18.15.30. Os sistemas de fixação e sustentação e as estruturas de apoio dos andaimes suspensos, deverão ser precedidos de projeto elaborado e acompanhado por profissional legalmente habilitado. 18.15.30.1. Os andaimes suspensos deverão ser dotados de placa de identificação, colocada em local visível, onde conste a carga máxima de trabalho permitida.

24 Read more

Cartilha de Proteção Respiratória contra Agentes Biológicos para Trabalhadores de Saúde

Cartilha de Proteção Respiratória contra Agentes Biológicos para Trabalhadores de Saúde

Esta cartilha enfoca a proteção respiratória dos Trabalhadores de Saúde contra agentes biológicos. Foi elaborada pela Anvisa, Comissão de Estudos de Equipamentos de Proteção Respiratória do CB-32/ABNT, FUNDACENTRO e especialistas na área, para subsidiar consultas rápidas por Trabalhadores de Saúde. Também pode constituir material de apoio para treinamentos. Deve ser considerada, no entanto, como um recurso complementar e não um substituto do Programa de Proteção Respiratória (PPR), o qual é exigido legalmente pelo Ministério do Trabalho e Emprego. Seu conteúdo não abrange informações sobre a proteção contra agentes químicos presentes nos serviços de saúde. A proteção respiratória contra a inalação desses agentes deverá seguir as recomendações contidas no Programa de Proteção Respiratória da FUNDACENTRO.
Show more

77 Read more

PROCESSO DE TRABALHO NA RESIDÊNCIA MÉDICA: A SUBORDINAÇÃO DO ENSINO-APRENDIZAGEM À EXPLORAÇÃO DA FORÇA DE TRABALHO DOS RESIDENTES.

PROCESSO DE TRABALHO NA RESIDÊNCIA MÉDICA: A SUBORDINAÇÃO DO ENSINO-APRENDIZAGEM À EXPLORAÇÃO DA FORÇA DE TRABALHO DOS RESIDENTES.

Os resultados obtidos contribuem para a compreensão dos processos de deter- minação da saúde-doença dos sujeitos da pesquisa. Evidencia-se a elevada jornada de trabalho semanal, o elevado número de horas contínuas no plantão, a falta de supervisão e o trabalho realizado sob estresse como manifestações do processo de trabalho do médico residente (nível particular). Tal processo de trabalho constitui, antes e acima de tudo, um processo de exploração máxima da força de trabalho do residente – destrutivo para a saúde –, cuja expressão, em cada indivíduo (nível singular), se dá pela percepção de responsabilidade e trabalho em excesso, sentimentos de sofrimento e culpa, adoção de um es- tilo de vida não saudável e elevado rastreamento positivo para transtornos mentais não psicóticos dos médicos residentes. No entanto, esse processo de trabalho constitui, ao mesmo tempo, um processo de ensino-aprendizagem – protetor da saúde –, mesmo que subordinado e prejudicado pela predomi- nância da necessidade de exploração máxima da força de trabalho.
Show more

21 Read more

A eficácia da formação em contexto de trabalho: exploração do efeito no desenvolvimento de competências

A eficácia da formação em contexto de trabalho: exploração do efeito no desenvolvimento de competências

instituída, formalizada, organizada e sistematizada – onde reconhecemos (o poder da formação é partilhado) e a hetero-formação (o poder da formação está nos outros) –, podemos encontrar processos formativos que privilegiam o desenvolvimento das competências técnicas. Dependendo das finalidades da formação – implícitas ou explícitas – , e dos processos postos em prática, assim se podem adquirir e desenvolver este tipo de competências – as situações formais de formação não são mais do que processos de socialização reconstruídos. Para tal recorre-se a estratégias de formação concebidas como metáfora da vida real, psicológica ou física (a formação "outdoor"), fazendo apelo a metodologias activas de trabalho. As abordagens centradas na vida dos grupos, a sua exploração como situação de formação (dinâmica de grupos), também são metodologias adequadas para esta finalidade. Ao nível da auto-formação, as estratégias privilegiadas poderão ser as histórias de vida, as abordagens biográficas (biografias educativas), que dão um lugar de destaque a reflexão sobre as experiências formadoras que influenciaram o desenvolvimento da pessoa, nos vários contextos da sua vida Pode-se analisar as situações formadoras da sua existência, a partir de uma diversidade de contextos, ou apenas de um só. Referimos como exemplo a formação experiencial que o indivíduo realizou em contextos de trabalho, num determinado percurso profissional, que pode ter sido mais ou menos enriquecedora em função do tipo de organização de trabalho em que o indivíduo esteve inserido, em função do papel desempenhado, das situações que constituíram o seu percurso, etc. A tónica é posta no processo de formação do indivíduo, na capacidade que o homem tem de adquirir capacidades e de se desenvolver, numa perspectiva pessoal de construção da sua autonomia e constituição da sua identidade – pessoal, profissional e social.
Show more

170 Read more

Trabalho no capitalismo contemporâneo: pelo fim das teorias do fim do trabalho — Outubro Revista

Trabalho no capitalismo contemporâneo: pelo fim das teorias do fim do trabalho — Outubro Revista

Por um lado, o alto grau de mecanização não implica neces- sariamente redução absoluta do trabalho (número de horas e/ou pes- soas ocupadas), ainda que represente uma significativa dimin[r]

27 Read more

Organização e funcionamento do Serviço de Saúde Ocupacional/Saúde e  Segurança do Trabalho dos Centros Hospitalares/ Hospitais – Normas de Orientação Clínica

Organização e funcionamento do Serviço de Saúde Ocupacional/Saúde e Segurança do Trabalho dos Centros Hospitalares/ Hospitais – Normas de Orientação Clínica

De salientar que, as recomendações para “melhoria contínua” (alínea “h”) resultam de juízos de valor da apreciação dos elementos (entradas/“inputs”) referidos anteriormente (alíneas “a” a “g”), que deverão conduzir a decisões (saídas/“outputs”) e ao estabelecimento de medidas preventivas, corretivas e de melhoria. Estas medidas poderão ter impacto ao nível do desempenho em saúde e segurança do trabalho, da política de Saúde Ocupacional, dos objetivos e/ou dos recursos do SSO, entre outros aspetos. Deverá ser estabelecida uma ordem de prioridade das medidas, tendo em consideração aspetos como a relevância e o impacto na saúde e segurança dos trabalhadores, assim como o custo associado.
Show more

15 Read more

Ambiência e condições de trabalho na indústria do petróleo em regime de embarque e confinamento: um estudo de caso da Província Petrolífera do Urucu

Ambiência e condições de trabalho na indústria do petróleo em regime de embarque e confinamento: um estudo de caso da Província Petrolífera do Urucu

Na história da exploração do petróleo no Brasil há o registro de catástrofes como os acidentes ocorridos na Plataforma de Enchova em 1984 e 1988. O primeiro resultou em 37 óbitos imediatos; o segundo, na destruição total do convés e da torre, totalizando um prejuízo de 500 milhões de dólares (SINDIPETRONF, 1997), e afundamento da P-36 em 2001, resultou em 11 óbitos. A memória de acidentes como o da Plataforma de Enchova em 1984, a de P-36 em 2001, bem como o da Plataforma de Piper Alpha (no Mar do Norte, em 1988), o qual resultou no óbito de 165 dos 228 trabalhadores presentes no dia do acidente (72% do contingente) simbolizam o grande potencial de perigo que existe nas plataformas de petróleo e exigem que instituições públicas de pesquisa, junto com instituições dos poderes executivo, legislativo e judiciário relacionadas à saúde do trabalhador, permanentemente, levem em consideração o que vem ocorrendo tanto na Bacia de Campos como em outros estados onde há exploração marítima de petróleo, não cabendo omissões quando o que se encontra em jogo é a saúde e a vida de milhares de trabalhadores, tanto como o bem estar de suas famílias.
Show more

51 Read more

Camapuã no período do ocaso das monções: população, trabalho, lavoura, exploração e resistências

Camapuã no período do ocaso das monções: população, trabalho, lavoura, exploração e resistências

Com tantas funções a serem desenvolvidas e poderes que lhes eram atribuídos, é compreensível que comandantes procurassem tirar proveito da autoridade que possuíam e explorassem a população local para satisfazerem suas necessidades do dia-a-dia. Assim aconteceu nos primeiros anos da década de 1820 em Camapuã. O Alferes 4 João Cardoso de Carvalho, Comandante daquela povoação, foi acusado de despotismo, violências, injustiças e exploração da população local. As denúncias chegaram até a pessoa do Major Miguel Teotônio de Toledo Ribas, Comandante Geral da Fronteira com o Paraguai e responsável por todo o território do Sul de Mato Grosso, que mandou proceder a uma devassa naquela localidade para apurar as denúncias de que havia recebido contra a pessoa do Comandante de Camapuã.
Show more

22 Read more

A PRODUÇÃO ORGÂNICA GARANTINDO A PROMOÇÃO DA SAÚDE DOS TRABALHADORES DO CAMPO

A PRODUÇÃO ORGÂNICA GARANTINDO A PROMOÇÃO DA SAÚDE DOS TRABALHADORES DO CAMPO

Abrindo o espaço e alinhando homem-trabalho discussões são feitas sobre a produção orgânica, saudável e ecologicamente correta dos alimentos, se produz com segurança, há segurança para o produtor. Já que há pouco interesse no estudo de aspectos da saúde e segurança na agricultura. Há um interesse maior em desenvolver tecnologias para aumento da produção na agropecuária, geralmente sem levar em consideração os impactos à saúde e à segurança do trabalhador (FRANK et al., 2004).

5 Read more

Organização do trabalho e financeirização das empresas: a experiência européia — Outubro Revista

Organização do trabalho e financeirização das empresas: a experiência européia — Outubro Revista

A autonomia concedida aos assalariados na atividade de trabalho é, no mesmo movimento, compensada pelo desenvolvimento de dispositivos de controle de sua situação de trabalho: o contro[r]

11 Read more

Marx e os escafandristas. A pré-história do conceito de subsunção do trabalho ao capital — Outubro Revista

Marx e os escafandristas. A pré-história do conceito de subsunção do trabalho ao capital — Outubro Revista

Este não é o ponto de chegada de Marx, mas seu ponto de partida, reformulando (ou revolucionando) esta concepção quando desenvolve a noção de mais-valia e, portanto, compreendendo que [r]

19 Read more

Show all 10000 documents...