Fibras elásticas

Top PDF Fibras elásticas:

Alterações no Sistema de Fibras Elásticas da Fáscia Endopélvica de Paciente Jovem com Prolapso Uterino.

Alterações no Sistema de Fibras Elásticas da Fáscia Endopélvica de Paciente Jovem com Prolapso Uterino.

A elasticidade, e portanto a complacência dos tecidos é dada pelo sistema de fibras elásti- cas, que está constituído por arcabouço microfibrilar que contém elastina, as fibras ma- duras e as elaunínicas, responsáveis pela elas- ticidade, e por fibras oxitalânicas, que contêm apenas microfibrilas, sendo responsáveis pela resistência. Estas fibras estão interligadas pelo fenômeno da elastogênese, no qual primeiro são lançadas as microfibrilas no meio extracelular, que recebem deposição de elastina. Dependen- do da função do tecido, elasticidade ou resistên- cia, varia a quantidade e o tipo de fibra elástica. Além disso, alterações estruturais e arquiteturais do sistema de fibras elásticas promovem redu- ção da elasticidade e conseqüente enfraqueci- mento dos tecidos, como ocorre com o envelhe- cimento da fáscia transversal, que favorece o aparecimento de hérnia inguinal direta 7 , e da
Mostrar mais

3 Ler mais

Desnutrição materna durante a lactação em ratos Wistar: efeitos sobre as fibras elásticas da matriz extracelular na traqueia dos filhotes.

Desnutrição materna durante a lactação em ratos Wistar: efeitos sobre as fibras elásticas da matriz extracelular na traqueia dos filhotes.

Objetivo: Investigar os efeitos da desnutrição proteica materna durante a lactação sobre as fibras elásticas da traqueia de filhotes de ratos Wistar. Métodos: Ao nascimento, 12 filhotes machos de duas ratas Wistar foram igualmente divididos em dois grupos: grupo controle, cuja mãe recebeu água e dieta padrão de laboratório ad libitum durante a lactação, e grupo restrição proteica (RP), cuja mãe recebeu água ad libitum e dieta isoenergética com RP (8% de proteína). Aos 21 dias de vida, os filhotes foram sacrificados, e suas traqueias foram ressecadas. As fibras elásticas foram coradas pelo método de resorcina-fucsina de Weigert (precedido de oxidação) e avaliadas sob microscopia óptica. As determinações morfométricas foram feitas por estereologia, utilizando o método de contagem de pontos, e expressas em densidade volumétrica. Resultados: As fibras elásticas foram identificadas abaixo da mucosa traqueal, sendo a maioria em distribuição longitudinal. Além disso, camadas circulares bem definidas de fibras elásticas envolviam as superfícies interna e externa do anel cartilaginoso.
Mostrar mais

7 Ler mais

Imunohistoquímica como método de estudo das fibras elásticas em prega vocal humana.

Imunohistoquímica como método de estudo das fibras elásticas em prega vocal humana.

tecidos humanos, demonstra que o oxitalan localiza-se em áreas submetidas a stress mecânico: periodonto, junção dermo-epidérmica, endoneuro, corpo ciliar do olho etc. Na pele humana, as fibras oxitalânicas estão dispostas de forma perpendicular à junção dermo-epidérmica, juntas à mem- brana basal e conectadas a um plexo de fibras elaunínicas, que também encontram-se unidas a fibras elásticas maduras mais profundas. Os três tipos de fibras elásticas pertenceri- am a um continuum em que o oxitalan, o elaunin e a fibra elástica madura conteriam coleções de microfibrilas com in- tensidades crescentes de substância amorfa. Embora esta seqüência corresponda às sucessivas fases da formação da fibra elástica, o autor acredita que a presença de fibras oxitalânicas e elaunínicas em tecidos que, mesmo plena- mente maduros, não contêm fibras elásticas completamen- te formadas sugere que essas fibras tenham um papel estru- tural específico.
Mostrar mais

6 Ler mais

Avaliação quantitativa das fibras elásticas na doença pulmonar obstrutiva crônica.

Avaliação quantitativa das fibras elásticas na doença pulmonar obstrutiva crônica.

grupos de DPOC e não tabagista, utilizando a desmo­ sina e a isodesmosina urinária, que são produtos da degradação da elastina. Os elevados valores dos metabólitos das fibras elásticas encontradas na urina e no sangue do tabagista e do paciente com DPOC podem significar o processo de regeneração do conteúdo elástico. (23) Não se pode esquecer que

8 Ler mais

Dinâmica de degradação e reparação de fibras elásticas sob tensão

Dinâmica de degradação e reparação de fibras elásticas sob tensão

As simula¸c˜oes computacionais em conjunto com c´alculos anal´ıticos permitiram iden- tificar o alcance e as limita¸c˜oes do modelo em representar fibras el´asticas reais. O fato de a rigidez da fibra ser dada pela m´edia harmˆonica das constantes el´asticas das mo- las e de os processos de degrada¸c˜ao e enrijecimento serem multiplicativos faz com que a degrada¸c˜ao da fibra seja claramente favorecida em detrimento do enrijecimento. N˜ao existe uma rela¸c˜ao entre n´ umero de agentes degradadores e enrijecedores que garanta a estabilidade da constante el´astica da fibra.
Mostrar mais

72 Ler mais

Imunohistoquímica como método de estudo das fibras elásticas em prega vocal humana

Imunohistoquímica como método de estudo das fibras elásticas em prega vocal humana

Analyzing the values obtained in the Verhoeff and resorcin-fuchsin of Weighert staining we could see that the intermediate and deep layers of the vocal fold present very higher values th[r]

6 Ler mais

Efeito da criopreservação e/ou da descelularização na matriz extracelular de condutos valvados porcinos.

Efeito da criopreservação e/ou da descelularização na matriz extracelular de condutos valvados porcinos.

Revisão bibliográfica sugere que nosso estudo é o primeiro a analisar as alterações nas fibras colágenas e elásticas por morfometria da MEC. Os resultados demonstraram que a descelularização com SDS 0,1% não alterou a quantidade de fibras elásticas e colágenas das cúspides e do conduto pulmonar quando comparadas ao tecido fresco. Entretanto, a descelularização com SDS 0,3% ou DOA 1% esteve associada a menores concentrações dessas fibras, sendo essas perdas acentuadas de forma significativa pela associação da criopreservação. Os resultados aqui obtidos são inéditos, uma vez que não há referência de análise quantitativa por análise morfométrica de componentes da MEC em valvas submetidas a processos de descelularização, e podem servir de referência em futuras investigações.
Mostrar mais

7 Ler mais

A elasticidade do ligamento colateral medial da articulação do cotovelo de cão não advém de elastina.

A elasticidade do ligamento colateral medial da articulação do cotovelo de cão não advém de elastina.

A coloração do ligamento apresentou-se homogênea, sem formações lineares mais escurecidas, que ilustrariam as fibras elásticas (Figura 1). O corante Weigert é um corante relativamente barato, recomendado para localização, em microscopia de luz, das fibras elásticas (TOLOSA et al., 2003). Na contraprova de artéria carótida de rato, observaram-se fibras elásticas (Figura 1), conforme descrito por VIEGAS et al. (2002a,b), que confirma a especificidade do corante.

4 Ler mais

Pseudoxantoma elástico perfurante periumbilical e periareolar.

Pseudoxantoma elástico perfurante periumbilical e periareolar.

irregularmente aglomeradas nos terços médio e inferior da derme, que se coraram como fibras elás- ticas com orceína (Figura 3). A coloração de HE mostrou as fibras elásticas alteradas fracamente basófilas, por estarem cheias de cálcio, e a colora- ção para cálcio com o método de von Kossa as evi- denciou bem (Figura 4). Foi detectado também um esboço de pertuito da derme para a área externa da epiderme, repleto de fibras elásticas degradadas (Figura 5), o que caracterizou a forma perfurante do pseudoxantoma elástico ou elastose cálcica per- furante.
Mostrar mais

3 Ler mais

Aneurisma de artéria esplênica associado a uma variação anatômica na origem.

Aneurisma de artéria esplênica associado a uma variação anatômica na origem.

Os aneurismas de artéria esplênica são mais comu- mente causados por um defeito na túnica média e pela per- da de fibras elásticas e musculares, e podem ter como etiologia processos diretamente relacionados à parede da artéria, a processos facilitadores, lesões traumáticas exter- nas ou internas e a enfermidades genéticas. Os processos que têm relação direta ao aparecimento do aneurisma são: aterosclerose (o mais comum), defeitos congênitos e peri- Figura 3 - Angiorressonância de abdome: presença de aneurisma

5 Ler mais

Morphological aspects study of spermatic cord in Pêga donkey

Morphological aspects study of spermatic cord in Pêga donkey

Estudando aspectos morfológicos de 38 pares de funículos espermáticos de jumentos da raça Pêga, observamos histologicamente que seus componentes encontram-se envolvidos por delgada cápsula de tecido conjuntivo denso, revestido pelo mesotélio, sob a qual se encontra o músculo cremáster interno, apresentando camadas distintas ou septado por tecido conjuntivo denso. Cápsula funicular e tecido muscular formam inúmeras pregas e algumas expansões, por vezes acompanhadas pelo tecido conjuntivo frouxo intervascular. Envol- vendo a artéria e as veias funiculares, identificamos tecido conjuntivo frouxo rico em fibras elásticas e reticulares, com arteríolas, vênulas, nervos e linfáticos. O segmento da artéria testicular estudado possui trajeto sinuoso, túnica interna formada pelo endotélio e tecido conjuntivo, com destacada lâmina limitante elástica interna. A túnica média é formada por espessa camada de musculatura lisa, sustentada por rica e ordenada rede de fibras reticulares e escassas fibras elásticas, e a túnica externa, constituída por tecido conjuntivo denso, contendo fibras colágenas e elásticas, apresenta continuidade com tecido conjuntivo frouxo intervascular. Veias testiculares que envolvem a artéria testicular para formar o plexo venoso pampiniforme mostram calibre variável, túnica média desenvolvida, constituída por fibras musculares lisas, sustentadas por irregular rede de fibras reticulares e poucas fibras elásticas. Os segmentos das artérias testiculares dos funículos espermáticos possuem como comprimento médio, máximo e mínimo, respectivamente, 71,34 , 108,9 e 41,6 cm à direita e 68,78, 110,4 e 41,6 cm à esquerda, não apresentando diferenças estatisticamente significantes ao nível de 5%. O fun ículo espermático possui forma cônica, achatado látero-lateralmente, com base assentada sobre a margem epididimária do testículo.
Mostrar mais

5 Ler mais

Componentes da matriz extracelular e seus reguladores no músculo liso brônquico na...

Componentes da matriz extracelular e seus reguladores no músculo liso brônquico na...

A contração do músculo pode ser influenciada pelo tecido conectivo externo a camada do MLB e dentro da própria camada. Enquanto o tecido conectivo externo ao músculo pode atuar como um componente paralelo elástico, limitando a broncoconstrição, o aumento das fibras elásticas entre os feixes de MLB pode representar uma maior carga contrátil as células, ou mesmo dificultar a transmissão de forças, representando um possível efeito “protetor” contra a broncoconstrição excessiva. Pode-se hipotetizar ainda, que alterações quantitativas nas fibras elásticas reflitam uma desorganização estrutural e funcional. Sabemos que o reparo das fibras elásticas é um processo bastante difícil em adultos, pois requer a formação ordenada de microfibrilas e elastina (Shifren e Mecham, 2006). Dessa maneira, o próprio relaxamento muscular pós-contrátil pode estar danificado na asma fatal por alteração quantitativa e possivelmente qualitativa das fibras elásticas intermusculares.
Mostrar mais

94 Ler mais

Alterações morfológicas na parede de artéria muscular em pacientes hipertensas.

Alterações morfológicas na parede de artéria muscular em pacientes hipertensas.

das na íntima permitiram uma avaliação indireta do conteúdo de elastina na parede arterial uterina. O grupo 2 apresentou uma acentuada tendência para um número elevado de fi- bras elásticas na região intimal. A diferença com o grupo 1 não foi considerada estatisticamente significativa (p=0,0813), mas o pequeno número de casos não permite desprezar este resultado. Entre as hipertensas, a distribuição das fibras elásticas na íntima foi significativamente mais homogênea do que no grupo das normotensas, que apresentaram dis- tribuição predominantemente heterogênea (p=0,0484). Es- tes achados podem sugerir que a HA determina modifica- ções específicas sobre a elastina, como aumento do número e distribuição mais homogênea das fibras elásticas na re- gião da íntima.
Mostrar mais

5 Ler mais

Efeitos da remoção da túnica adventícia da aorta descendente em suínos.

Efeitos da remoção da túnica adventícia da aorta descendente em suínos.

Em nosso estudo, foi possível demonstrar, pela primeira vez, as alterações histológicas que ocorrem na parede aórtica com tempo mais longo de isquemia. Ne- nhum outro estudo avaliou as alterações isquêmicas da parede aórtica além de duas semanas de isquemia. Pude- mos evidenciar que, com a interrupção do fluxo sanguíneo através dos VV na parede aórtica, ocorreu um desarranjo estrutural com perda das fibras elásticas da camada média que se iniciaram nas porções mais externas (duas sema- nas) e que, com um maior tempo de lesão (quatro, seis e oito semanas), levaram a um progressivo desarranjo das camadas mais internas da camada média arterial, até ha- ver laceração completa da lâmina elástica interna e uma fibrose de toda a parede da aorta com destruição quase completa das fibras elásticas. Provavelmente o papel dos VV internae (da superfície luminal) na irrigação do terço interno da camada média seja menos importante do que se esperava.
Mostrar mais

6 Ler mais

Composição da matriz extracelular na doença pulmonar obstrutiva crônica

Composição da matriz extracelular na doença pulmonar obstrutiva crônica

A doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC) é caracterizada por inflamação crônica e alterações estruturais que levam a obstrução das pequenas vias aéreas e destruição do parênquima alveolar. A composição da matriz extracelular (MEC) nos pulmões tem um importante papel em prover e sustentar a arquitetura pulmonar. No entanto, não há uma descrição abrangente da composição da matriz extracelular no trato respiratório de indivíduos portadores de DPOC. No presente estudo investigou-se a composição da MEC das vias aéreas grandes (VAG), pequenas (VAP) e do parênquima pulmonar de pacientes com DPOC. Utilizando imunohistoquímica e análise de imagem analisou-se a área fracionada de fibras elásticas, colágenos I, III e IV, versicam, decorina, biglicano, lumicam, fibronectina e tenascina nas VAG, VAP e no parênquima peribrônquico e distal de 26 indivíduos com DPOC e comparou-se à área fracionada nos pulmões de 26 fumantes sem DPOC e 16 indivíduos não fumantes. A área fracionada de fibras elásticas foi significante maior no grupo de fumantes não obstruídos em comparação com os demais grupos, em todos os compartimentos analisados. Houve menor expressão de colágeno I na camada interna das VAG e nas camadas interna, muscular e externa das VAP dos indivíduos com DPOC e na camada externa das VAP dos fumantes não obstruídos quando comparados ao grupo controle. A área fracionada de versicam mostrou-se menor apenas no parênquima distal do grupo DPOC comparado ao grupo controle. O estudo da matriz de glicoproteínas mostrou maior área fracionada de fibronectina nas camadas interna, muscular e externa das VAP dos indivíduos com DPOC comparados aos demais grupos, assim como maior área fracionada de tenascina foi observado na membrana basal das VAG e na camada interna das VAP do grupo DPOC comparados aos controles. Além disso, a composição da MEC correlacionou-se com valores funcionais, como o VEF 1 (% predito). A partir
Mostrar mais

126 Ler mais

Granuloma anular elastolítico gigantocelular: relato de caso.

Granuloma anular elastolítico gigantocelular: relato de caso.

Resumo: O granuloma anular elastolítico gigantocelular é dermatose granulomatosa rara, caracterizada, histologicamente, por fagocitose das fibras elásticas por células gigantes multinucleadas e, clinicamente, por placas anulares com bordas elevadas e centro atrófico, com preferência por áreas expostas. A patogênese é controversa. Descreve-se um caso de mulher de 44 anos, com achados clínicos e histológicos clássicos, que apresentou boa resposta à hidroxicloroquina, após o período de 1 mês.

3 Ler mais

Morte súbita causada por ruptura de aneurisma em aorta em ruminantes

Morte súbita causada por ruptura de aneurisma em aorta em ruminantes

O ovino foi visto pelo proprietário aparentemente hígido pela manhã e foi encontrado morto no início da tarde, não sendo observados sinais clínicos. Na necropsia, verificou-se ruptura de aproximadamente 5 cm de comprimento na bifurcação da aorta com a artéria carótida e presença de grande coágulo de sangue preenchendo o antímero esquerdo da cavidade torácica. Microscopicamente, observou-se perda da íntima e, na camada média, notou-se degeneração e necrose de fibras elásticas, além de severa hemorragia formando grandes cavitações preenchidas de sangue. Em algumas áreas, havia fibrose entre as fibras musculares.
Mostrar mais

7 Ler mais

Efeito da exposição à fumaça de cigarro e ao resíduo de óleo diesel (ROFA) em pulmões...

Efeito da exposição à fumaça de cigarro e ao resíduo de óleo diesel (ROFA) em pulmões...

Vários mecanismos que participam do desenvolvimento da DPOC (Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica) não são ainda bem esclarecidos. Neste estudo, expusemos camundongos C57/Bl6, por 2 meses, à fumaça de cigarro e/ou à ROFA (resíduo de óleo diesel). Os animais expostos à fumaça de cigarro desenvolveram aumento da resistência de grandes vias aéreas, provavelmente por espessamento da sua parede, resultante de alterações nas células epiteliais. Estes animais também desenvolveram enfisema inicial, com distensão de espaços aéreos em algumas regiões pulmonares. Não houve recrutamento de células inflamatórias, alteração de fibras elásticas ou colágenas ou aumento do estresse oxidativo, medido pelo Isoprostano 8. Este trabalho sugere que há uma lesão pulmonar inicial que se caracteriza por alterações nas células epiteliais e algum grau de enfisema, que pode ser mediado pelas próprias células epiteliais.
Mostrar mais

101 Ler mais

Estudo da distribuição diferencial das fibras do sistema elástico no ventrículo esquerdo...

Estudo da distribuição diferencial das fibras do sistema elástico no ventrículo esquerdo...

De acordo com os nossos resultados esta dupla função mecânica destes compartimentos (limitação de volume e reconformação elástica) é possível pela atuação sinérgica das fibras dos sistemas elástico e colagênico. Especificamente as fibras elásticas contribuiriam para a reconformação de toda a matriz à sua configuração inicial quando as forças contráteis desaparecem momentaneamente na diástole. Na sístole, ocorre o estiramento passivo do epicárdio e do endocárdio pela ação muscular, enquanto que, imediatamente antes da diástole, ocorre o seu retorno à configuração original devido às propriedades físicas das fibras elásticas, sem gasto de energia, o contrário do que ocorre na fibra muscular, cujo relaxamento é um processo ativo. Por outro lado, durante o enchimento ventricular rápido ocorre novamente o estiramento do epicárdio (JÖBSIS et al., 2007) e novamente as suas fibras elásticas seriam responsáveis pelo recolhimento elástico ventricular que precede a sístole.
Mostrar mais

105 Ler mais

Efeitos da exposição pré-natal e pós-natal ao etanol no córtex cerebral de ratos: um estudo do neurópilo.

Efeitos da exposição pré-natal e pós-natal ao etanol no córtex cerebral de ratos: um estudo do neurópilo.

Os fragmentos de cérebro selecionados foram fixados num período mínimo de 48 horas em formalina a 10% tamponada e, em seguida, emblocados em parafina. A partir deles foram obtidos cortes histológicos com 4 µm de espessura por meio de micrótomo horizontal Yamato Koki (Japão) e montados em lâminas histológicas albumi- nizadas. Os cortes obtidos foram previamente expostos à rotina histológica e submetidos a diferentes técnicas de coloração: hematoxilina-eosina (HE), para observação das características histológicas gerais; e tricrômico de Masson (TM), ácido periódico de Schiff (PAS) e Van Gienson (VG) para evidenciar, respectivamente, a deposição de colágeno, a expressão de GAGs e de fibras elásticas. Todos os protoco- los experimentais foram desenvolvidos segundo Spicer (27) .
Mostrar mais

6 Ler mais

Show all 1263 documents...