Fruta - Armazenamento

Top PDF Fruta - Armazenamento:

Laranja minimamente processada acondicionada em diferentes embalagens

Laranja minimamente processada acondicionada em diferentes embalagens

A Laranja Pera (Citrus sinensis L. Osbeck) é uma das mais importantes variedades citrícolas brasileira e uma das mais cultivadas do país, por ser doce e levemente ácida. É uma fruta não climatérica, necessitando ser colhida no ponto ideal de maturação, o que diminui sua vida útil, carecendo cuidados no armazenamento. O objetivo deste trabalho foi determinar o efeito de diferentes embalagens na conservação pós-colheita da laranja pera em ambiente refrigerado. Para isso foram realizadas avaliações de sólidos solúveis totais (SST), acidez total titulável (ATT), % de perda de massa e pH. As laranjas foram cortadas em seis partes semelhantes e armazenadas em embalagens (bandeja de isopor, bandejas de plástico descartável e saco zip) em temperatura constante de ±0,9 ºC por 21 dias. O uso da embalagem saco zip apresentou os melhores resultados nas avaliações, ATT, pH e % de perda de massa quando comparados à bandeja de plástico descartável e bandeja de isopor, porem na avaliação de sólidos solúveis totais (SST), não obteve resultado significativo na comparação, desta forma explica-se que embalagens perdem maior % de massa pois transpiram mais, no entanto conseguem manter os graus brix próximas do padrão colheita. Palavras-chave:; Armazenamento; Avaliação; Graus brix.
Mostrar mais

8 Ler mais

Atmosfera modificada na embalagem de fruta, vegetais inteiros e minimamente processados

Atmosfera modificada na embalagem de fruta, vegetais inteiros e minimamente processados

armazenados a 5 ° C durante 20 dias. Foram determinadas durante o armazenamento, a composição da atmosfera, a taxa de respiração cogumelo, perda de peso, contagem microbiológica e qualidade sensorial. Os ensaios de risco também foram realizadas. Sob as condições estudadas, a deterioração cogumelo shiitake não foi devido ao crescimento de microrganismos, e, por conseguinte, a vida útil do produto pode ser definida por alterações nas suas características sensoriais. A análise sensorial mostrou que os cogumelos armazenados sob atmosfera modificada (ativa e passiva) tiveram uma maior taxa de deterioração do que aqueles armazenados em filmes de PP
Mostrar mais

68 Ler mais

Qualidade e degradação de fruta minimamente processada comercializada no Algarve

Qualidade e degradação de fruta minimamente processada comercializada no Algarve

Os passos de pós-colheita incluem o armazenamento, a lavagem, seguido do embalamento e transporte. No caso de frutas ou vegetais minimamente processados ou na produção de sumos são necessárias operações de descasque e corte. Durante esses passos, pode existir uma introdução de microrganismos provenientes dos materiais (utensílios de corte, superfícies contaminadas e outros alimentos) ou por parte dos manipuladores. Por outro lado, os microrganismos que se encontram no solo e/ou em contacto com a fruta durante a colheita permanecem à superfície enquanto a fruta se encontra intacta e saudável, mas se durante as operações de processamento pós-colheita existir algum corte ou degradação, esses microrganismos vão instalar-se na parte interna dos tecidos, ricos em nutrientes e mais sensíveis (Corbo et al., 2010).
Mostrar mais

82 Ler mais

Co-digestão como solução para a valorização energética de resíduos de fruta e legumes

Co-digestão como solução para a valorização energética de resíduos de fruta e legumes

Este estudo demonstrou a viabilidade da produção de metano através de co-digestão de licor de pera com chorume utilizando uma unidade de DA. A fase III (75% LP + 25% Chorume) permitiu obter uma produção específica de metano elevada (472,0 ± 1,3 mL g- 1SV) e a uma remoção de sólidos voláteis de 60%. Além disso, os resultados obtidos demonstraram que o armazenamento de resíduos de pera por longos períodos não comprometeu o desempenho do processo de DA. Tal facto é importante pois a produção de pera é sazonal e a gestão deste co-substrato será simplificada. Em resumo, pode-se dizer que a co-digestão de chorume e resíduos de pera parece ser uma abordagem interessante quer como forma de produção descentralizada de energia, ao nível de uma exploração agrícola, quer como uma solução de tratamento de resíduos a nível regional, contribuindo assim para a valorização energética e agronómica, através da redução da deposição em aterro resultando em enormes benefícios ambientais.
Mostrar mais

63 Ler mais

CUPUAÇU: A FRUTA GLOBALIZADA

CUPUAÇU: A FRUTA GLOBALIZADA

Com o objetivo de difundir esses frutos para os demais estados e até países, é necessária técnica mais elaborada e adequada que mantenha a qualidade dos produtos e aumente a vida-de-prateleira. Um dos grandes problemas no comércio do cupuaçu é que são frutos altamente perecíveis, mesmo sob refrigeração. Para contornar esse problema, o cupuaçu esta sendo submetido a um processo de secagem, obtendo-se produtos desidratados, em condições adequadas de armazenamento.

14 Ler mais

Desenvolvimento de um sumo 100 % fruta a partir de variedades de maçã e pera

Desenvolvimento de um sumo 100 % fruta a partir de variedades de maçã e pera

Os pré-tratamentos são uma forma comum de melhorar a qualidade dos produtos, a estabilidade durante o armazenamento e a eficiência dos processos em geral. Em frutos e vegetais minimamente processados os pré-tratamentos consistem muitas vezes apenas na lavagem e limpeza dos resíduos à superfície dos produtos com recurso a água ou água com cloro e por fim armazenamento com refrigeração (Alzamora et al., 2003). No entanto estes métodos mais básicos não inativam as enzimas naturalmente presentes nos frutos como a PPO, peroxidase (POD), lipoxygenase (LOX), catalase (CAT) e pectinmetilesterase (PME) que estão profundamente envolvidas na deterioração rápida dos produtos após a colheita e durante o processamento. Se estas enzimas não forem inativadas originam o desenvolvimento de odores e sabores desagradáveis, alterações da textura e da cor nomeadamente com o desenvolvimento de pigmentos castanhos e perda de vitamina C durante o armazenamento (Ancos, Cano, Pascual-Teresa & Sánchez-Moreno, 2006). Um dos pré-tratamentos mais comuns na indústria alimentar é o branqueamento que consiste basicamente no aquecimento dos frutos e vegetais. O principal objetivo deste tratamento térmico é inativar as enzimas responsáveis pelas alterações da qualidade do produto, no entanto favorece também a remoção de bolhas de ar dentro dos tecidos vegetais, reduz a carga microbiana à superfície e efetua uma limpeza dos produtos (Perera & Rahman, 2007). De uma forma geral o branqueamento é efetuado usando água ou vapor quente podendo-se distinguir o branqueamento por imersão em água quente, por vapor aquecido, por vapor a vácuo e também por micro-ondas (Indira & Sudheer, 2007).
Mostrar mais

150 Ler mais

Caracterização de frutos do tangor TMxLP 290 para mercado de fruta fresca.

Caracterização de frutos do tangor TMxLP 290 para mercado de fruta fresca.

Vale et al. (2006), ao estudarem os aspectos físico-químicos da tangerina Ponkan durante o armazenamento refrigerado, relataram a grande aceitação por parte do consumidor de tal variedade devido a vários aspectos, tais como coloração acentuada, sabor doce, fácil descascamento e tamanho de fruto mais expressivo que o das demais normalmente encontradas no mercado. Esse fato também foi observado neste trabalho, no qual cor, irmeza, tamanho e sabor foram as características que receberam as notas mais elevadas, variando de “gostei moderadamente” a “gostei muito”, na escala hedônica de nove pontos. O mesmo intervalo de notas foi observado para o suco, no qual cor e textura/ corpo foram os caracteres que obtiveram as notas mais altas, variando de 7 para 8, na escala hedônica de nove pontos (Figura 4).
Mostrar mais

8 Ler mais

Alimentação alternativa de frangos tipo colonial com resíduo agroindustrial de fruta

Alimentação alternativa de frangos tipo colonial com resíduo agroindustrial de fruta

Porém, não foram identificadas diferenças significativas (p>0,05) entre os tratamentos para as três variáveis (PSP, CCP e CSP), o que torna a farinha de acerola, do ponto de vista n[r]

86 Ler mais

Produção e qualidade da fruta do morangueiro sob influência da aplicação de boro.

Produção e qualidade da fruta do morangueiro sob influência da aplicação de boro.

os tratamentos foliares de boro propiciaram aumento linear do número de frutas desta classe (Figura 1B). Tendo em vista que a aplicação de boro no solo elevou o teor do nutriente na folha (Figura 1A) e na fruta como constatado por ENSRINGU et al. (2011), o mesmo resultado pode ter ocorrido nas fl ores, infl uenciando positivamente a germinação do grão de pólen e o crescimento do tubo polínico (LEE et al., 2009), resultando em frutas com maiores diâmetros. No entanto, verifi ca-se que somente o fornecimento de boro via solo não foi sufi ciente para suprir as fl ores e frutas, uma vez que houve incremento linear no número de frutas da classe >35mm com a aplicação foliar (Figura 1B). Na maioria das plantas cultivadas, o boro é imóvel, acumulando-se nas folhas mais velhas (MARSCHNER, 2012). Isso ocorre porque elas transpiram mais que as fl ores e os frutos, logo as aplicações foliares supriram de forma complementar esses órgãos, inclusive o grão de pólen, resultando em aumento do diâmetro das frutas.
Mostrar mais

7 Ler mais

Determinação da topografia de uma fruta pela técnica de moiré de sombra com multiplicação de franjas.

Determinação da topografia de uma fruta pela técnica de moiré de sombra com multiplicação de franjas.

Com o que concorda Valeriano (1999), que afirma que, pa- ra mapas topográficos, o erro da altura é diretamente pro- porcional à tangente da declividade. F- Franjas de moiré digitalizadas[r]

7 Ler mais

Fatores comportamentais determinantes no consumo de fruta nos adolescentes e características das campanhas publicitárias para um possível aumento de consumo

Fatores comportamentais determinantes no consumo de fruta nos adolescentes e características das campanhas publicitárias para um possível aumento de consumo

A obesidade tem-se tornado num grande problema de saúde pública que acarreta enormes gastos neste sector, considerando que a nível estratégico tem-se apostado mais no tratamento, e menos na prevenção. Nos últimos anos tem vindo a verificar-se um ligeiro aumento das campanhas de prevenção a nível nacional, mas lamentavelmente são escassas ou pouco duradouras não conseguindo, por isso, atingir os seus objetivos delineados. Atualmente, os jovens levam uma vida sedentária, ligada a um frenético acesso à tecnologia, normalmente aliado a maus hábitos alimentares e, consequentemente a pouca atividade física. Apesar desta geração de jovens ter acesso a todo o tipo de informação, verifica-se ironicamente que, esta não tem sido suficiente, nem eficaz, para colmatar os danos que a obesidade tem vindo a causar. É indiscutível a importância de um melhor conhecimento no combate desta doença, através de maior investigação sobre o comportamento do consumo alimentar nos jovens, fornecendo ferramentas para que as instituições ou organizações possam regular e apoiar as suas práticas. Concretamente propõe-se a abordagem deste problema do ponto de vista do marketing social, visto ser uma estratégia bastante interessante e pertinente que pode trazer soluções benéficas para esta problemática. Como a abrangência do combate à obesidade é vasta, optou-se por, neste estudo, analisar o comportamento do consumo alimentar dos adolescentes relativamente à fruta, visto ser um alimento que deve ser privilegiado num plano alimentar equilibrado, em detrimento de outros alimentos menos saudáveis.
Mostrar mais

171 Ler mais

Desenvolvimento de um sistema de monitorização da produção de preparados de fruta para a indústria alimentar

Desenvolvimento de um sistema de monitorização da produção de preparados de fruta para a indústria alimentar

No final foi obtido um sistema de monitorização da produção, que além da monitorização dos processos produtivos em tempo real inicialmente previsto, também possui [r]

120 Ler mais

Desenvolvimento e caracterização de brownie elaborado com a biomassa da fruta-pão (Artocarpus Altilis) com adição da farinha de linhaça marrom (Linun Usitatissimun L.) / Development and characterization of brownie designed with the fruit bread (Artocarpus

Desenvolvimento e caracterização de brownie elaborado com a biomassa da fruta-pão (Artocarpus Altilis) com adição da farinha de linhaça marrom (Linun Usitatissimun L.) / Development and characterization of brownie designed with the fruit bread (Artocarpus Altilis) biomass with added brown lina (Linun Usitatissimun L.) Flour

Popularmente no Brasil chamado de fruta-pão, conhecido por ser amiláceo, rico em cálcio, fósforo, minerais, vitaminas (B1, B2, C), aminoácidos essenciais, sacarose, flavonóides, fenóis, esteróides, fitoesteróis e glicosídeos, sua polpa é vista com interesse por ser rica em carboidratos, água, baixo teor de gorduras possui quantidades significativas de fibras podendo ser aproveitada como fruta seca, farinha panificável e fonte para extração de amido (RAVICHANDRAN et al., 2016).

13 Ler mais

QUALIDADE DO SOLO E DA UVA: SUAS RELAÇÕES ATRAVÉS DA ANÁLISE MULTIVARIADA

QUALIDADE DO SOLO E DA UVA: SUAS RELAÇÕES ATRAVÉS DA ANÁLISE MULTIVARIADA

RESUMO: A viticultura na região de Pelotas vem ganhando espaço, principalmente entre os agricultores familiares que objetivam diversificar a produção de área. Um dos entraves para a produção de uvas e a qualidade do solo o qual influencia na disponibilidade de nutrientes e no fornecimento de água a videira. O objetivo deste trabalho foi avaliar as relações existentes entre as variáveis da qualidade do solo e a da uva em vinhedos localizados no município de Pelotas/RS, por meio da análise de correlação canônica. Foram avaliadas quatro áreas de vinhedos familiares. As coletas de solo foram realizadas em duas camadas, para a realização das análises: densidade do solo, porosidade total, diâmetro médio ponderado, carbono da biomassa microbiana, pH, capacidade de troca de cátions, saturação por bases, matéria orgânica e boro.Também foram coletadas amostras de uva para a realização da análise do pH do mosto da fruta e sólidos solúveis totais. Os resultados indicaram que a matéria orgânica e a porosidade total apresentaram maior correlação com as variáveis da uva. O pH do mosto da uva foi o que mais se correlacionou com as variáveis da qualidade do solo.
Mostrar mais

17 Ler mais

Desenvolvimento de bebida a base de leite de soja acrescida de suco de graviola

Desenvolvimento de bebida a base de leite de soja acrescida de suco de graviola

Para outros minerais, a contribuição na dieta, embora seja a níveis marginais, não é desprezível, do que se tem que a consumação de sucos de frutas tanto por crianças como por adultos é importante coadjuvante na dieta e torna-se ainda mais interessante e recomendável, se combinados com o “leite” de soja (SOARES et al., 2004). Contudo, a composição química e nutricional dos sucos de frutas, pode variar de acordo como o cultivar, grau de maturação, procedência da fruta, bem como durante o processamento, principalmente na etapa de concentração e outros tipos de exposição ao calor (SOARES et al., 2004).
Mostrar mais

61 Ler mais

Caracterização de alguns parâmetros de qualidade da polpa de fruta por FTIR-ATR

Caracterização de alguns parâmetros de qualidade da polpa de fruta por FTIR-ATR

As frutas apresentam-se como um elemento essencial da alimentação dos portugueses que são aconselhados a comer mais de uma peça de fruta por dia. No entanto este alimento não se encontra apenas sob a forma de fruta fresca na nossa alimentação, mas sim numa panóplia de produtos transformados e derivados da fruta que são apreciados por um público-alvo muito vasto e diferenciado. Existem várias empresas que lidam com produtos hortofrutícolas diariamente em Portugal, estas empresas estão sujeitas a um controlo cada vez mais rigoroso por parte das entidades reguladoras nacionais e internacionais como por exemplo: a Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) e a European Food Safety Authority (EFSA). Estas entidades são responsáveis pela avaliação e comunicação dos riscos na cadeia alimentar, fiscalização destas atividades e ainda emitir pareceres científicos independentes sobre a segurança alimentar.
Mostrar mais

90 Ler mais

Amoras e jabuticabas: raízes e frutos de uma Pedagogia Profunda para todos

Amoras e jabuticabas: raízes e frutos de uma Pedagogia Profunda para todos

Eu queria ver minha professora subindo por entre os galhos e pensar que um dia também conseguiria fazer aquilo; eu queria a fruta daquela árvore que eu encontrava todos o[r]

193 Ler mais

Open Protocolo de crioconservação de sementes de algodão (Gossypium hirsutum L.raça latifolium Hutch.) cultivares BRS 200 Marrom r BRS de

Open Protocolo de crioconservação de sementes de algodão (Gossypium hirsutum L.raça latifolium Hutch.) cultivares BRS 200 Marrom r BRS de

A deterioração das sementes envolve uma série de alterações fisiológicas, bioquímicas e físicas que, eventualmente, causam a perda de viabilidade e até a morte das sementes. Dentre as principais alterações envolvidas, destacam-se, o esgotamento das reservas alimentares, a alteração da composição química, como a oxidação dos lipídios e a quebra parcial das proteínas. Por outro lado, a longevidade das sementes é bastante influenciada pelas condições de armazenamento, sobretudo pelo teor de água e pela temperatura do armazenamento. Assim buscou-se com o presente trabalho, avaliar o efeito da crioconservação por um período de doze meses na composição química centesimal de sementes de duas cultivares de algodão colorido (BRS 200 Marrom e BRS Verde), congeladas a -25, -170 e -196 o C e descongeladas por três métodos (temperatura ambiente, banho-maria termostatizado a 40 o C e microondas regulado a 20% da potência máxima). Os resultados obtidos permitem concluir que as sementes das duas cultivares tem composição química similares e que de maneira geral houve uma diminuição das concentrações dos componentes químicos de reserva no decorrer do armazenamento, com exceção dos minerais.
Mostrar mais

104 Ler mais

DETERMINAÇÃO DE AÇÚCARES EM SUCOS DE FRUTAS UTILIZANDO ELETROFORESE CAPILAR

DETERMINAÇÃO DE AÇÚCARES EM SUCOS DE FRUTAS UTILIZANDO ELETROFORESE CAPILAR

A legislação brasileira define suco como a bebida não fermentada, não concentrada e não diluída destinada ao consumo, obtida da fruta madura e sã, ou parte do vegetal de origem, por processamento tecnológico adequado, submetida a tratamento que assegure a sua apresentação e conservação até o momento de consumo. Ao suco pode ser adicionado açúcar na quantidade máxima de 10% (g açúcar/100 g de suco) e neste caso deve ser indicado na embalagem que se trata de um suco adoçado. Não é permitida a adição de aromas e corantes artificiais e não é permitida a associação de açúcares e edulcorantes (BRASIL, 1994).
Mostrar mais

6 Ler mais

Análise do efeito combinado da irradiação e do tratamento hidrotérmico nas características...

Análise do efeito combinado da irradiação e do tratamento hidrotérmico nas características...

Pode-se também concluir que a combinação 1B (52ºC por 5 min e 0,3kGy) foi a mais satisfatória, pois os resultados apresentaram boas tendências para todos os parâmetros, sendo que a acidez e os sólidos solúveis totais (Brix) foram bastante próximos aos resultados do controle, indicando uma fruta mais preservada mas ao mesmo tempo com características de uma fruta própria ao consumo. Esse mesmo grupo apresentou boa integridade física com valores mais robustos de resistência à penetração, coloração da polpa e casca mais preservados e a segunda menor perda de peso.
Mostrar mais

61 Ler mais

Show all 1794 documents...

temas relacionados