Fugas de gases

Top PDF Fugas de gases:

Qualificação de Detectores de Fugas de Gases Halogenados

Qualificação de Detectores de Fugas de Gases Halogenados

O objectivo inicial era requalificar o sistema de ensaios de qualificação de detetores de fugas de gases halogenados realizados no laboratório do METROVAC, de modo a que este passasse a ter a capacidade de fazer ensaios nas velocidades 0,2 cm/s e 2,0 cm/s, correspondentes às versões da norma de 2005 e 2012 respectivamente. Como se vai ver mais adiante, acabámos por requalificar a bancada com a capacidade de fazer ensaios em várias velocidades (entre 0,2 cm/s e 2,4 cm/s com passos de 0,2 cm/s). Para isso, foi necessário alterar todo o sistema electrónico e de controlo pois o motor existente só era capaz da fazer a bancada andar a uma velocidade. Esta alteração teve sempre como base a não alteração da parte mecânica (plataforma) do sistema.
Mostrar mais

52 Ler mais

Construção e Caracterização de fugas de referência de gases frigorigéneos

Construção e Caracterização de fugas de referência de gases frigorigéneos

6 gases frigorigéneos. Como até recentemente não se encontravam disponíveis padrões primários, os fabricantes de fugas de gases frigorigéneos recorreram ao método gravimétrico para realizar a calibração das fugas de acordo com as suas condições de trabalho (à pressão atmosférica). Este método, embora simples de executar, apresenta as suas restrições. Na escolha da balança é necessário ter em conta a ordem de grandeza dos fluxos a determinar, directamente relacionada com a resolução da balança, e o peso do recipiente do qual se pretende determinar o fluxo, relacionado com a massa máxima que a balança mede. Estas duas características, resolução e massa máxima são normalmente inversamente proporcionais. Balanças com resoluções consideráveis têm preços reduzidos, no entanto, para que se veja alguma alteração na massa é necessário que passem dias ou mesmo meses. Outra restrição é a incerteza associada a esta metodologia, superior a 26%[19], ultrapassando os 15% estabelecidos pela norma EN 14624. Contudo, recentemente foram publicados resultados sobre o desenvolvimento de um método gravimétrico para calibração de fugas de freón. As medições são realizadas com pelo menos com 30 horas de intervalo e têm disponíveis dois instrumentos que podem utilizar na calibração que, em conjunto, permitem calibrar fugas entre 1 e 50 g/ano com uma incerteza máxima de 15% [20], [21].
Mostrar mais

76 Ler mais

Sistematização de Metodologias de Projeto e Fabrico de Moldes de Injeção de Peças para a Indústria Aeronáutica

Sistematização de Metodologias de Projeto e Fabrico de Moldes de Injeção de Peças para a Indústria Aeronáutica

Foram testados diversos aspetos do projeto, podendo verificar a sua contribuição para o sucesso do projeto, levando à alteração de alguns desses aspetos a fim de reduzir o número de testes até à aprovação do molde, evitando assim correções feitas por intuição e/ou experiência. O aspeto de maior relevância neste estudo foi o contributo das fugas de gases, não só por ser o aspeto com mais falhas em projetos anteriores, como também por ser aquele em que durante o projeto do molde da dissertação, melhor se pode comparar a simulação com a realidade e mais evidentes foram os resultados obtidos e maior a contribuição do Moldex3D para a sua correção.
Mostrar mais

139 Ler mais

(Infr)atores juvenis: artesãos da análise.

(Infr)atores juvenis: artesãos da análise.

Depois passamos a trabalhar a noção de tempo como intensidade para si, como experimentação dos jovens, mas tam- bém pensávamos em fugas desse tempo-intensida- de-urgência para um outro t[r]

10 Ler mais

Lillias Fraser. Fugas. Guerra e Exílio. (De uma menina escocesa na Europa de setecentos)

Lillias Fraser. Fugas. Guerra e Exílio. (De uma menina escocesa na Europa de setecentos)

Ao longo de séculos e séculos, a literatura tem representado histórias de des- -terros. Exodus de todo o tipo, é bem possível que tão antigos como a história da humanidade, contos, é bem possível que tão antigos como a história da palavra escrita. Muitos, a maior parte deles, para fugir à fome, às guerras, às ditaduras. Ou a um terramoto. Desde aqueles tempos tão antigos até hoje. Claudio Guillén, no seu livro El Sol de los desterrados: literatura y exílio (1995) começa em Dióge- nes, em tempos de Alexandre Magno, em Corinto, e acaba com os desterrados em tempos de Franco, na Península Ibérica. De Atenas a Madrid, passando pela China, conta-nos ele e comenta inúmeros exílios. Se é certa a notícia, “el primer libro o tratado en Occidente consagrado al tema del exílio, del que tengamos notícia, fue obra de Arístipo de Cirene”, fundador da Escola cirenaica, nascido cerca de 425 e falecido em 355 a. C., que terá escrito o diálogo “A los exiliados” e a quem foi atribuído o tratado Fiugadás (Guillén, 1995, p. 18) Note-se que Hélia Correia, a helenista apaixonada pela Grécia, não usa nunca a palavras “exodus”, preferindo, claramente, a de raiz grega, “fugas”.
Mostrar mais

7 Ler mais

"Entre vidas e mortes, entre máscaras e fugas": um estudo sobre a prática médica hospitalar.

"Entre vidas e mortes, entre máscaras e fugas": um estudo sobre a prática médica hospitalar.

448 de que o médico lança mão, na tentativa de se proteger face ao perigo de um envolvimento mais forte com o doente. Ou ainda, isolamento para disfarçar a sensação de impotência diante do que mais combateu: a impossibilidade de cura e a morte. Tais “fugas evasivas” servem para balizar sua sensibilidade. Interligado a essa ideia, Taylor (1997) destaca que as ações humanas são orientadas por um pensamento moral, relacionado intrinsecamente à noção de “bem” - usado no sentido mais geral, como sendo algo digno e admirável - e do self ou pessoa. Tais noções estão vinculadas, no sentido de que todo ser humano (que, por extensão, é uma “pessoa”) é sensível aos problemas dos outros. A sensibilidade, nesse aspecto, vem “de fora”, provocada também pela sociedade.
Mostrar mais

19 Ler mais

Justiça juvenil: teoria e prática no sistema socioeducativo

Justiça juvenil: teoria e prática no sistema socioeducativo

Em Mossoró, os profissionais relataram que tanto os adolescen- tes quanto os seus familiares ficaram inconformados com a mudança forçada da cidade em que os adolescentes cumprem a medida de inter- nação, o que aumentou significativamente as fugas e os atos considera- dos indisciplinados dos jovens. No grupo, as famílias expressaram a sua revolta e tristeza diante dessa situação, e comentaram as dificuldades da viagem entre Natal e Mossoró para a visita aos adolescentes, como expressou o pai “A”: “o que acontece dentro do carro é crítico, o povo vai apertado, vomitando. Da última vez teve uma mãe que defecou dentro do ônibus por medo e vergonha de pedir ao motorista para parar”. A senhora “G” completou: “porque o certo era o CEDUC daqui abrir. Todo dia eu peço a Deus por isso”. Ele contou ainda que as famílias levam os mate- riais de limpeza para a higienização dos alojamentos dos filhos, como vassouras, sabão em pó e rodo, revelando que as visitas das famílias são estimuladas pelas unidades não pela importância da relação, mas por- que são as famílias que levam os gêneros alimentícios e os produtos de higiene, que deveriam ser providos pelo Estado.
Mostrar mais

274 Ler mais

O jogo de esconde-esconde: trabalho perigoso e ação social defensiva entre motoboys de Salvador.

O jogo de esconde-esconde: trabalho perigoso e ação social defensiva entre motoboys de Salvador.

Ao levar em conta as referências espaciais que influenciam nas oportunidades atrativas para os cri- mes, classificamos essas defesas informais múltiplas em táticas socioespaciais restritivas e táticas socioes- paciais expansivas. Primando pela sensibilidade, potencial de cobertura e complementaridade, essas táticas dependem da ação criativa dos sujeitos para responder às (des)vantagens ecológicas, dos espa- ços urbanos, em suas atividades. É assim que, as defesas socioespaciais restritivas são apropriadas para áreas onde, a exemplo de locais de passagem e lugares com rotas de fugas, o outro – o infrator está lá – não domina por completo a situação ou pode ser neutralizado pelas artimanhas dos traba- lhadores. Por sua vez, as táticas socioespaciais ex- pansivas são empregadas em dois outros tipos de espaços: áreas onde o outro – o infrator está aqui – é capaz de administrar, pelo domínio territorial, o acesso e circulação (Brito e Fonseca, 2008) de pes- soas, bens e serviços e, em terceiro lugar, em áreas onde o infrator também está aqui, mas disputa o domínio territorial com outros infratores ou com as forças policiais.
Mostrar mais

17 Ler mais

Ana Catarina Ramos Salvado

Ana Catarina Ramos Salvado

Da totalidade dos gases existentes nos equipamentos em 2010, verifica-se pela figura 5.8 que existem equipamentos mais antigos na organização que ainda possuem fluido refrigerante R22 (12%). A utilização deste gás, de acordo com a legislação, será proibida (R22 reciclado) a partir de 1 de Janeiro de 2015 (a recarga com R22 novo está proibida desde 1 de Janeiro de 2010). A indicação da prática aplicada na Logica é que sempre que existam intervenções a este nível, o fluido é substituído por outro equivalente. Ainda com base no registo fornecido, em 2010 a Logica possuía dez equipamentos com uma quantidade de gás superior a 3 kg e dois com mais de 30 kg, o que faz que tenha que cumprir a legislação aplicável (por exemplo: registos de verificação de fugas; certificados dos técnicos; fichas de intervenção). Ao longo do trabalho os registos anteriores não foram evidenciados e como tal não foram confirmados.
Mostrar mais

148 Ler mais

Rev. esc. enferm. USP  vol.13 número2

Rev. esc. enferm. USP vol.13 número2

Ao cuidar do paciente com comportamento decorrente do uso de drogas, em uma unidade psiquiátrica de internação, a enfermeira enfrenta uma série de pro- blemas. Um dos maiores é a não-aceitação da farmacodependência em si e, prin- cipalmente, como entidade clínica devido à sua atitude negativa em relação a ela. Conseguir respeitá-lo como ser humano, sem julgar seu comportamento, e estabe- lecer limites, sem demonstrar irritação ou agredí-Io, são outros aspectos importan- tes no cuidado desse paciente. A tentativa de manipulação e de sedução, por parte do paciente, e o envolvimento emocional, que em geral ocorre, podem constituir um obstáculo na assistência de enfermagem. Conseguir evitar que formem grupos com outros pacientes com as mesmas manifestações de comportamento ou com diagnós- tico de personalidade psicopática é, também, dificuldade no cuidado de farmacode- pendentes. Outros problemas são: conseguir evitar que provoquem motins, planejem fugas, cometam homicídios, suicídio e que tenham acesso à droga; controlar visi- tantes e funcionários para evitar que tragam a droga para o paciente, distinguir dentre as queixas somáticas, as reais e as simuladas para obter qualquer medica- mento; e levar o farmacodependente de drogas a cuidar de sua higiene e aparência pessoal.
Mostrar mais

8 Ler mais

Apontamentos acerca da presença do artista afro-descendente na história da arte brasileira

Apontamentos acerca da presença do artista afro-descendente na história da arte brasileira

As séries “Boa Aparência” e “Objetização do corpo” podem ser vistas como alegorias calcadas no Real, onde o passado colonial é denunciado como estando fortemente pulsante. Na primeira série, Neves agrupa documentos e artigos de jornais que notificavam fugas de escravos a anúncios de ofertas de emprego que exigem “boa aparência”, em uma clara alusão á exclusão dos negros no mercado de trabalho, junto à problemática e “bela” aparência branca (SEALY, 2005, p. 86). O corpo negro continua presente na série “Objetização do corpo”, assim como continua presente a “coisificação” e exploração do corpo negro, noções que o fotógrafo interfere e desconstrói, do mesmo modo que interfere e constrói suas imagens. Algumas fotografias das séries citadas constituíram a instalação sonora “Outros Navios” exposta na “Mostra Pan-Africana de Arte Contemporânea”. Esse vídeo-instalação demonstra o desenvolvimento da linguagem fotográfica de Neves, que extrapolando a narrativa fotográfica vêem experimentando a linguagem videográfica.
Mostrar mais

10 Ler mais

Alguns aspectos sobre o calórico e o diâmetro dos átomos no trabalho de John Dalton DOUTORADO EM HISTÓRIA DA CIÊNCIA

Alguns aspectos sobre o calórico e o diâmetro dos átomos no trabalho de John Dalton DOUTORADO EM HISTÓRIA DA CIÊNCIA

solubilidades dos gases em água, cf. W. V. Farrar; K. R. Farrar; E. L. Scott, “The Henrys of Manchester – Part 3. William Henry and John Dalton”, pp. 211-5; e também H. E. B. Viana, A construção da teoria atômica de Dalton como estudo de caso – e algumas reflexões para o ensino de química, pp. 39-40. Além da quantificação da solubilidade dos gases na água, neste artigo de 1803, mais adiante, Dalton retorna a essa questão escrevendo uma carta a Thomson, em 22 de junho de 1816. Esta carta foi publicada no Nicholson’s Journal sob a forma de artigo, e traz uma interessante comparação das solubilidades teóricas (obtidas por meio de fórmula matemática) com as solubilidades dos gases em água obtidas pelo experimento, cf. Dalton, “Vindication of Mr. Dalton’s theory of the absorption of gases by water, against the conclusions of Saussure ”, pp. 215-18.
Mostrar mais

144 Ler mais

Desenvolvimento e avaliação de uma fornalha metálica para combustão dos gases da carbonização da madeira

Desenvolvimento e avaliação de uma fornalha metálica para combustão dos gases da carbonização da madeira

Os gases coletados foram tratados por um sistema de pré-lavagem, constituído por quatro frascos de kitassato em linha, dentro de uma caixa de isopor. Os frascos foram parcialmente submersos em gelo, para diminuição da temperatura, a fim de reter a fração condensável dos gases. O gás percorria uma mangueira que transpassava centralmente a tampa de silicone de cada frasco e submergia no fluido no seu interior. Sua saída se dava pelo bico de abertura lateral do kitassato (que funcionaram como frascos do tipo drechsel), seguindo assim para o próximo frasco e por último para o analisador de gás (Figura 10). O primeiro kitassato vazio foi utilizado somente para condensação dos gases, o segundo para lavagem dos gases em álcool a 80%, o terceiro para lavagem em água e o quarto para lavagem em álcool 80%, novamente.
Mostrar mais

69 Ler mais

Cinética de fermentação ruminal in vitro da forrageira Brachiaria brizantha cv. Marandu em sistema silvipastoril.

Cinética de fermentação ruminal in vitro da forrageira Brachiaria brizantha cv. Marandu em sistema silvipastoril.

e diminuição do conteúdo celular na célula vegetal. Concomitantemente, a parede celular apresenta alterações significativas quanto à composição e à estrutura química de seus polímeros, com o envelhecimento da forragem (Hobson e Stewart, 1997), ou seja, os resultados dos parâmetros de fermentação acompanham os dados de constituintes da parede celular (Sousa, 2009). Essas interações resultariam em um processo de fermentação mais lento da forrageira com o avançar da estação das chuvas e a proximidade dos períodos mais secos do ano. Na Tab. 4, são apresentados os dados de tempo de colonização (TC) obtido pela técnica in vitro semiautomática de produção de gases. O TC do processo de fermentação da forrageira estudada não variou entre os sistemas (P>0,05), em todos os períodos de estudo.
Mostrar mais

10 Ler mais

Câmara automatizada para teste de detetores de gases

Câmara automatizada para teste de detetores de gases

A sonda de velocidade do ar escolhida para monitorizar a velocidade do ar dentro da câmara e próximo do sensor foi a EE671-V2XCKD da marca E+E Elektonik®, Figura 20. É uma sonda utilizada em sistemas de aquecimento, ventilação e ar condicionado (HVAC). Tem como princípio de funcionamento os anemómetros de filme quente, que permitem uma alta precisão, reprodutibilidade e estabilidade a agentes poluentes, caraterística importante uma vez que é usada num ambiente com gases. A saída da sonda é linear de 0 -5 V, o que corresponde a uma faixa de medição 0 – 5 m/s com uma precisão de 3% entre 0.5 e 5m/s. A fonte de alimentação pode variar na gama 10 e 29V DC, opera num intervalo de temperatura -20º a 60°C e uma humidade relativa de 5-95%, não condensada. Para esta sonda é necessário reservar alimentação de 24V, entrada analógica e massa (GND).
Mostrar mais

217 Ler mais

CARBONIZAÇÃO DE RESÍDUOS DO PROCESSAMENTO MECÂNICO DA MADEIRA DE EUCALIPTO

CARBONIZAÇÃO DE RESÍDUOS DO PROCESSAMENTO MECÂNICO DA MADEIRA DE EUCALIPTO

se amostras de, aproximadamente, 200 g de resíduos de serraria ou de cavacos de Eucalyptus urophylla, secos em estufa à temperatura de 105 ± 3 o C, durante 48 horas. As amostras foram acondicionadas num cadinho metálico (Figura 1), adaptado para liberar os gases e os vapores gerados durante o processo de pirólise. O cadinho metálico foi colocado no interior de uma mufla elétrica, para a efetivação da carbonização (Figura 1).

7 Ler mais

Gases bosônicos armadilhados.

Gases bosônicos armadilhados.

Em baixas temperaturas, o condensado Bose-Einstein de gases atômicos confinados é bem descrito pela equação de Gross-Pitaevskii [1-3]. Em equilíbrio, o estado conden- sado corresponde à solução do estado fundamental desta equação. A estrutura matemática da equação de Gross- Pitaevskii é idêntica à equação de Schrödinger não linear. Na presença de um potencial de confinamento, ela possuirá um conjunto discreto de estados estacionários.Tais estados podem ser interpretados como modos coerentes não linea- res de átomos confinados [4] correspondendo ao conden- sado de Bose no estado não fundamental. As excitações destes modos podem ser realizadas por meio da modulação ressonante de um potencial externo [4-6]. Tais modos têm sido estudados em Refs. [7-9] e o modo dipolo tem sido observado experimentalmente [10].
Mostrar mais

5 Ler mais

Espectro dos gases: emiss˜

Espectro dos gases: emiss˜

Modelo Thomson (1910) Os ´atomos seriam compostos por el´etrons pontuais, distribu´ıdos numa massa de carga positiva uniforme.. Previa uma deflex˜ao pequena das part´ıculas α.[r]

34 Ler mais

KIT DE DETECÇÃO MULTIGÁS EM AMBIENTE DE ESPAÇO CONFINADO PARA ATENDIMENTO DA NR-33 1ª Edição

KIT DE DETECÇÃO MULTIGÁS EM AMBIENTE DE ESPAÇO CONFINADO PARA ATENDIMENTO DA NR-33 1ª Edição

O detector multigás deverá possuir display digital, conforme a NBR 16577/2017, que contenha informações indicando estado de bateria, calibração com gás, valores de pico, com leitura mínima e máxima dos gases em português, com iluminação de fundo para tornar a leitura fácil, em condições de baixa luminosidade e ângulos diferentes.

11 Ler mais

UMA ANÁLISE DAS FUGAS PARA PIANO DE BRUNO KIEFER: PADRÕES ESTILÍSTICOS NA SUA ESCRITA CONTRAPONTÍSTICA

UMA ANÁLISE DAS FUGAS PARA PIANO DE BRUNO KIEFER: PADRÕES ESTILÍSTICOS NA SUA ESCRITA CONTRAPONTÍSTICA

O presente trabalho analisa os elementos da linguagem musical empregada em cada fuga tais como melodia, ambiente harmônico, organização rítmica e estrutura. Cada elemento composicional foi analisado com relação ao seu aspecto estrutural e funcional, considerando as diferenças estilísticas existentes entre o período barroco e a primeira metade do século XX. A próxima etapa tratou da análise dos procedimentos contrapontísticos de cada fuga para verificar e caracterizar seu distanciamento das obras escritas na linguagem fugal tradicional do período barroco. Por último, com os dados obtidos, procurou-se reconhecer padrões que configurem um estilo para a escrita contrapontística nas duas fugas para piano do compositor.
Mostrar mais

23 Ler mais

Show all 6047 documents...

temas relacionados