Futebol - Ataque

Top PDF Futebol - Ataque:

Associação entre os princípios táticos fundamentais ofensivos e a eficácia das ações de ataque em equipes de futebol profissional

Associação entre os princípios táticos fundamentais ofensivos e a eficácia das ações de ataque em equipes de futebol profissional

O presente estudo teve como objetivo verificar se houve associações entre os princípios táticos ofensivos e os métodos de ataque das ações eficazes, isto é, resultantes em gols das equipes de futebol participantes do Campeonato Brasileiro profissional do ano de 2017, comparando os melhores desempenhos atingidos pelas quatro primeiras colocadas na classificação com as quatro últimas, de pior performance . A pesquisa adota como amostra todas as ações de ataque das 20 equipes que disputaram o campeonato que resultaram em gol, coletadas com as seguintes variáveis: quais e quantos princípios táticos fundamentais ofensivos na ação, variabilidade de presença delas (quantos tipos de princípio ocorreram), método de ataque utilizado. O contexto de jogos também foi verificado, como resultado final e local das partidas. Utilizou-se o Protocolo de Análise de Desempenho Tático Individual (PADTI), validado por Denis (2017) para a quantificação dos princípios fundamentais das ações e registro dos métodos ofensivos. A análise descritiva foi aplicada para o registro dos dados, através do método observacional, e o teste do quiquadrado foi empregado para verificar associações entre os grupos, e a correlação de pearson para p<0,05, sendo estas geradas no programa estatístico SPSS versão 20.0. Como resultados, as equipes de melhor classificação apresentaram associação significativa na quantidade total de princípios táticos realizados, e nos princípios da mobilidade e do espaço. Verificou-se a presença mais predominante do método ataque posicional nos times de melhor performance, e do contra-ataque nas equipes de pior desempenho. O ataque posicional e a cobertura ofensiva foram os mais prevalentes na competição. Conclui-se que, embora não se tenha investigado o desempenho defensivo, as equipes com melhores campanhas apresentaram maior eficácia ofensiva na ocorrência tanto dos princípios táticos fundamentais (em quantidade e variabilidade), como na utilização de ataques mais longos e elaborados (método ataque posicional).
Mostrar mais

76 Ler mais

Características de ataque das equipes finalistas da Copa do Mundo de futebol de 2014

Características de ataque das equipes finalistas da Copa do Mundo de futebol de 2014

Quanto ao setor de início, as duas seleções analisadas apontaram divergência em qual setor de início se mostrou mais promissor. A seleção da Alemanha utilizou o setor defensivo com maior eficiência para iniciar seus ataques, concordando com Saes, Jesus, Souza (2007) que encontraram a maior frequência de ataques de sucesso iniciados pelo setor defensivo por parte da seleção do Brasil durante a Copa do Mundo de Futebol de 2002. Da mesma forma, Barreira, Garganta, Guimaraes et al. (2014), acerca das equipas semifinalistas do Copa do Mundo de Futebol de 2010, indicam que a recuperação da posse de bola no setor defensivo indicia maior eficácia nos ataques subsequentes. Em contrapartida, a seleção da Argentina se fez mais eficiente recuperando a posse de bola no setor ofensivo, assim como Leitão (2004) observou que o setor ofensivo foi a região do campo mais vantajosa para a recuperação da posse de bola se transformar em finalização à meta adversária, sinalizando o fato de que quanto mais perto do gol se recupera a bola, maiores são as chances de criar situações de gol (ANDRADE, 2011). Tais resultados sugerem que a eficácia do resultado em dependência da zona de início deve estar relacionada também com o desenvolvimento da sequência ofensiva por parte de cada equipe, e não somente à zona em que se iniciou o ataque.
Mostrar mais

45 Ler mais

Análise dos métodos de ataque da seleção brasileira de futebol na Copa do Mundo FIFA de 2018

Análise dos métodos de ataque da seleção brasileira de futebol na Copa do Mundo FIFA de 2018

Esta pesquisa descritiva de análise de desempenho da Seleção Brasileira de futebol na Copa do Mundo de 2018, destaca em seus principais achados que, o ataque posicional foi o método mais utilizado pela Seleção Brasileira, porém o método mais eficiente utilizado por essa equipe foi o ataque rápido. Os princípios não apresentaram relevância quanto ao êxito da movimentação ofensiva, demonstrando a necessidade de uma visão sistêmica para a modalidade, onde a imprevisibilidade, aliada ao grande número de variáveis envolvidas em uma partida, podem definir entre o sucesso ou o fracasso de uma equipe no campo de jogo. Deve-se ressaltar também, a importância das tecnologias utilizadas para estas análises, sem as quais não seria possível o levantamento dos dados de forma rápida e precisa.
Mostrar mais

42 Ler mais

Modelo para análise do ataque no futebol = A model to analyze soccer offensive phase

Modelo para análise do ataque no futebol = A model to analyze soccer offensive phase

progressão da bola ao gol. Caso contrário, terá ocorrido afastamento. Foram considerados na análise apenas os casos de progressão ao gol. Os resultados para 10 jogos foram apresentados por média e desvio padrão dos valores de 𝐕𝐏𝐆 . As equipes 5, 13, 17 e 19 obtiveram valores de 𝐕𝐏𝐆 significativamente maiores na faixa 1 (próxima ao gol) em comparação com a faixa 2 (longe do gol) da mesma equipe. Equipes que venceram obtiveram valores de 𝐕𝐏𝐆 significativamente maiores na faixa 2 do que equipes que perderam. Além disso, os vetores VPG foram apresentados graficamente para 17 gols analisados e para todas as sequências ofensivas terminadas em finalização de cada equipe. Concluiu-se que, além de ter sido possível caracterizar o ataque das equipes com base na velocidade de progressão da bola ao gol, a análise das sequências ofensivas no futebol por meio do modelo proposto apresentou particularidades das sequências ofensivas das equipes que não foram encontrados em outros estudos na literatura e que podem auxiliar na análise de desempenho no futebol.
Mostrar mais

60 Ler mais

Duelos individuais no "ataque posicional" em futebol, a respectiva relação com as situações de finalização : estudo de caso em jogos do Chelsea FC, na Liga dos Campeões 2004/2005

Duelos individuais no "ataque posicional" em futebol, a respectiva relação com as situações de finalização : estudo de caso em jogos do Chelsea FC, na Liga dos Campeões 2004/2005

Castelo (1994:106),” é a fase do processo ofensivo, que visa fundamentalmente assegurar nas zonas predominantes de finalização, a desorganização do método defensivo adversário criando-se os pressupostos mais vantajosos, através de acções técnico - tácticas individuais e colectivas, para a concretização imediata do objectivo de jogo”. Desta forma é neste espaço do ataque, nas zonas mais quentes do jogo(zonas de finalização), onde se colocam um maior numero de jogadores, e é nesta fase da tentativa de criação de situações de finalização, onde as combinações entre os jogadores se tornam mais “ricas” quer do ponto de vista táctico como do ponto de vista técnico, uma vez que o tempo e espaço de execução se tornam substancialmente menores.
Mostrar mais

63 Ler mais

Importância, comportamentos e operacionalização da transição ataque-defesa no futebol inserida num contexto de jogo colectivo: a perspectiva de treinadores da primeira liga

Importância, comportamentos e operacionalização da transição ataque-defesa no futebol inserida num contexto de jogo colectivo: a perspectiva de treinadores da primeira liga

JM – É mais difícil, porque correr sem bola é sempre mais difícil do que correr com bola. Eu já tive vários casos, posso dizer que tenho um jogador agora, que ainda no último jogo, com o Guimarães aqui em casa, que aos 78 minutos pediu para sair a dizer que estava no limite, que já não conseguia mais...só que ele estava a ser um jogador importante e eu não acreditei nele! Porque não acredito nos jogadores, acredito apenas no que eu estou a ver durante o jogo e apercebi-me que depois há uma situação (é um jogador avançado) de contra- ataque em que a bola surge e ele consegue fazer 50 metros a uma velocidade enorme e até envia uma bola ao poste. Eu estive a pensar nisso e no primeiro treino da semana referi isso em relação ao jogador, porque esse jogador não pode estar cansado, porque se estivesse cansado não fazia isso! Porquê? Porque é a tal questão de ter a bola, se fosse sem bola, se calhar ele não o faria. Mas há muitos casos destes, porque isto do cansaço é preciso conhecer quem é o atleta, sobretudo em termos mentais é, na minha opinião, fundamental.
Mostrar mais

213 Ler mais

Caracterização da transição defesa-ataque de uma equipa de futebol

Caracterização da transição defesa-ataque de uma equipa de futebol

Para Castelo (2004), o Futebol é um jogo desportivo coletivo no qual a sua dinâmica resulta da competição entre duas equipas pela conquista da posse da bola, com o objetivo de a introduzir o maior número de vezes possível na baliza adversária e evitá-los na sua própria baliza. Face aos constantes ajustes no comportamento dos 22 jogadores para potenciar a ação da sua equipa em confronto com o adversário, o jogo de futebol encerra uma grande complexidade de relações que lhe permitem ter uma dinâmica própria mas de resultado sempre imprevisível. Ao longo dos anos tem existido uma tentativa de tornar a fronteira do desconhecido cada vez menor, já que uma decisão errada pode significar a derrota (Oliveira, 1993). Neste sentido, o esforço para entender os fatores que permitem aos atletas e às equipas alcançar melhores níveis de performance, tem sido um dos focos da investigação da Análise da performance, Psicologia do desporto, fisiologia e biomecânica (Glazier, 2010). No Futebol, a Análise do Jogo é uma tarefa que ganha preponderância para o planeamento e preparação das equipas. Os treinadores têm aumentado a informação sobre o desempenho individual, ou coletivo, através de vários métodos, que vão desde a análise notacional utilizando lápis e papel (Hughes & Franks, 2004) até à tecnologia de vídeo-computorização, ou à captura em tempo real de variáveis posicionais ao longo do tempo (Carling, Williams & Reilly, 2005). A análise de Jogo é atualmente considerada pelos especialistas, um momento imprescindível e fundamental do processo de preparação nos jogos desportivos coletivos (Moutinho, 1991), bem como um processo de vital importância para o fornecimento de feedback no decorrer do treino e também do jogo (Franks, 1997). Desta forma, tanto a observação e análise de Jogo da própria equipa como do adversário, parecem constituir aspetos importantes para a preparação das equipas e dos jogadores.
Mostrar mais

31 Ler mais

Jogos Reduzidos em Futebol: Comportamento Técnico-Táctico e Variabilidade da Frequência Cardíaca em Jogos de Ataque e Defesa, com Igualdade e Superioridade Numérica, em Jogadores Sub-13

Jogos Reduzidos em Futebol: Comportamento Técnico-Táctico e Variabilidade da Frequência Cardíaca em Jogos de Ataque e Defesa, com Igualdade e Superioridade Numérica, em Jogadores Sub-13

Por outro lado, é geralmente aceite como guia de orientação para o futebol que o processo ofensivo deverá estar baseado num bom processo defensivo (Xu et al., 2007), no entanto, a natureza dinâmica do futebol assenta, por um lado, num progressivo aumento e variação do ritmo do jogo na procura da concretização do golo, e por outro, na crescente diminuição do tempo e do espaço à disposição do jogador na posse da bola, na tentativa de contrariar o sucesso adversário. É neste sentido que a finalização se desenrola numa zona restrita do terreno, onde a pressão dos adversários é elevada e o espaço de realização cada vez mais diminuto. Consciente do papel de destaque que as situações de finalização assumem no quadro do futebol actual, torna-se importante que o processo ofensivo seja objectivo e concretizador, na tentativa de criar um elevado número de oportunidades de golo e ser eficaz na sua realização.
Mostrar mais

49 Ler mais

A modernização pela metade do futebol brasileiro: gentrificação e ataque à cultura torcedora

A modernização pela metade do futebol brasileiro: gentrificação e ataque à cultura torcedora

Significativo por apresentar o Estado brasileiro em papel proativo na busca por mudanças no futebol nacional, muitas delas extremamente necessárias, o relatório final da Comissão, assim como ocorrera com o Estatuto do Torcedor, de maio de 2003, viu a maioria das suas recomendações se tornar letra morta. Como será mostrado nos capítulos seguintes, é a adoção parcial das sugestões do documento, como a remodelação dos estádios sem alterações no modelo de policiamento, na logística de trânsito e transporte nos dias de jogos e nos serviços prestados ao torcedor, que faz com que o processo de mudanças do esporte no país se apresente hoje como uma “modernização pela metade”. A manutenção de velhas práticas ao lado de medidas modernizadoras fora de lugar acabaram impedindo a criação das tais “condições básicas de conforto e segurança” previstas pela Comissão Paz no Esporte e tiveram efeitos nocivos sobre a cultura torcedora do país e a presença de público nos estádios, deixando a taxa de ocupação do Campeonato Brasileiro muito abaixo da média mundial e atrás de países com pouca ou nenhuma tradição em futebol.
Mostrar mais

51 Ler mais

Agrotóxicos: a ciência e o ataque aos mensageiros

Agrotóxicos: a ciência e o ataque aos mensageiros

O filme Um homem entre gigantes (1), apresenta a saga real de um neuropatologista forense que investiga e denuncia traumas cerebrais em atletas de futebol americano. A poderosa NFL, dona do esporte mais popular dos Estados Unidos, com faturamento de bilhões, empenha-se em varrer as evidências para baixo do tapete. A poderosa organização adota a estratégia padrão: ameaçar, desacreditar e perseguir o cientista.

6 Ler mais

Universidades sob ataque.

Universidades sob ataque.

tenha sido inicialmente um estímulo, teve efeitos terríveis no longo prazo. Ela gerou um grande volume de publicações prematuras e um volume ainda maior de publicações desnecessárias por aqueles que não tinham nada de novo a dizer naquele determinado momento, mas foram forçados a botar ovos, mesmo que podres. Nas Ciências Sociais, desesti- mulou a produção de livros, em prol de artigos de especialistas, e ao usar a arbitragem por pares como método de avaliação, muito provavelmente consagrou ortodoxias e atuou como um freio na assunção de risco inte- lectual e inovação. Em toda a parte, levou a uma indesejada mudança nas prioridades acadêmicas, pois os professores mais jovens foram in- centivados a fazer tudo o que pudessem para garantir verbas externas para pesquisas que lhes permitissem escapar de dar aulas, o que agora consideram uma atividade muito inferior; e induziu vice-reitores a imitar clubes de futebol comprando “astros” de fora mediante termos e condi- ções especiais. O RAE também foi absurdamente rígido em seus requi- sitos. Há alguns anos, um colega de outra universidade publicou um livro enorme, baseado em um grande volume de pesquisas de arquivos, documentadas com meticulosidade, belamente redigidas, trazendo rein- terpretações de um importante evento histórico, novas e argumentadas de modo competente. Observei a um amigo daquela universidade que uma grande obra certamente ajudaria as perspectivas de todos no RAE. “Ah não”, disse ele. “Não podemos computá-lo [o professor]. Ele precisa de quatro itens e aquele livro é tudo o que ele tem”. Em uma reunião do conselho editorial de um projeto histórico de múltiplos volumes, surgiu a questão sobre o que deveria ser feito se, por acaso, alguns dos capítu- los submetidos acabassem sendo considerados insatisfatórios. A respos- ta óbvia seria adiar a publicação até que estes fossem adequadamente revisados. Mas prontamente se colocou que isto seria muito difícil para os outros colaboradores, que contavam com que seus trabalhos fossem publicados a tempo para serem incluídos no REF. Então, se o pior ocor- rer, vamos nos defrontar com uma escolha dificílima: devemos atender aos prazos do REF a qualquer preço? Ou é nossa principal obrigação garantir a qualidade do trabalho finalizado? Deve haver centenas de acadêmicos se defrontando com este mesmo dilema.
Mostrar mais

8 Ler mais

Frases do futebol Tudo sobre futebol  Vizente Besteirol Frases do futebol

Frases do futebol Tudo sobre futebol Vizente Besteirol Frases do futebol

"Jogador é o Didi que joga como quem chupa laranja..." (Neném Prancha, ex-roupeiro do Botafogo, ex-técnico de futebol de praia e filósofo da bola) Estavam na concentração do Flamengo Jamir e Fábio Baiano, quando o segundo lendo a revista CARAS, falou:- Porra Jamir , este cara é muito rico mesmo, olhe a casa dele - Você não conhece? Este é o Abílio Diniz, dono do Pão de Açúcar. Então o Fábio Baiano arremata: Não sabia que estes bondinhos davam tanto dinheiro !!!!"

1 Ler mais

Sexo e Futebol Tudo sobre futebol  Vizente Besteirol Sexo e Futebol

Sexo e Futebol Tudo sobre futebol Vizente Besteirol Sexo e Futebol

Mas a camisinha, como a camiseta, também não distingue; ela tanto pode vestir um craque como um medíocre.. No sexo, como no futebol, você amacia no peito, bota no colo, cadencia e tem qu[r]

1 Ler mais

A “linguagem do futebol” segundo Pasolini: “futebol de prosa” e “futebol de poesia”

A “linguagem do futebol” segundo Pasolini: “futebol de prosa” e “futebol de poesia”

Não é por acaso que o gol aparece como sinônimo de "subversão do código": "Cada gol é sempre uma invenção, uma subversão do código: cada gol é fatalidade, fulguração espanto,[r]

29 Ler mais

O futebol que se aprende e o futebol que se ensina

O futebol que se aprende e o futebol que se ensina

Nossos entrevistados não vacilam em dizer que encontravam na rua e nos campinhos um adequado ambiente "pedagógico" que os possibilitou, além de satisfazer [r]

255 Ler mais

Futebol de Areia II (Futebol de Praia)

Futebol de Areia II (Futebol de Praia)

Com o patrocínio do jornal O Fluminense, Niterói sediou o Campeonato Brasileiro deste ano. Participaram as equipes do Grêmio Icaraí e Veloarte (Niterói), Lagoa e Copaleme (Rio), Fluminensinho e Estrela (Vitória), Democrático e Campos Mello (Santos). O certame foi disputado no então campo oficial, na Praia de Icaraí, entre as ruas Belizário Augusto e Otávio Carneiro. A coordenação geral foi feita pelo jornalista Ephrem Amora, um dos maiores abnegados do futebol de praia, contando ainda com o apoio de um outro apaixonado pelo esporte, o empresário Miguel Noronha, das lojas A Samaritana. Numa empolgante decisão, a qual levou milhares de torcedores para a Praia de Icaraí, o Lagoa, integrado por um combinado carioca, derrotou o Veloarte por 1x0, gol assinalado por Nena, a um minuto da etapa final, ficando com o título de campeão, enquanto que o Veloarte sagrou-se vice. Após essas competições, o futebol de praia passou por mais uma reformulação, com a extinção de algumas e a formação de outras equipes. Plavim, Mug, Praia das Flechas, Nevada, Ondas, Delfim Verde, Grêmio Icaraí e Veloarte passaram a disputar os certames oficiais da categoria principal (adulto), enquanto que Canarinho, Ingá, Veloarte e Cinco de Julho integravam as categorias de base.
Mostrar mais

6 Ler mais

Futebol abobrinhas  Vizente Besteirol Futebol

Futebol abobrinhas Vizente Besteirol Futebol

Eu só ligo para essa frase se for uma mulher gostosa me pedindo para passar bronzeador em suas costas. Marcação homem-a-homem Eu só marco mulher, cara[r]

2 Ler mais

Chikungunya: unos meses después del ataque

Chikungunya: unos meses después del ataque

En mayo del 2014 se anunció en el editorial de la Rev.MVZ Córdoba la advertencia de la inevitable llegada del virus de chikungunya a Colombia y especialmente en el Caribe por sus con[r]

3 Ler mais

Direitos, terra e autonomia indígena sob ataque

Direitos, terra e autonomia indígena sob ataque

A exemplo de ações implementadas pela ideologia do progresso e do desenvolvimento, a retomada das obras de infraestrutura nas carteiras de investimentos de programas como [r]

18 Ler mais

Fatores que influenciam o ataque de mosca-branca em jiloeiro.

Fatores que influenciam o ataque de mosca-branca em jiloeiro.

Resumo – Este trabalho objetivou determinar os efeitos de pluviosidade e temperatura, predadores e parasitóides, dossel e idade das plantas, tipos e densidades de tricomas foliares, compostos químicos foliares, níveis de N e de K foliares, sobre a intensidade de ataque de mosca- branca Bemisia tabaci (Hemiptera: Aleyrodidae) em jiloeiro Solanum gilo var. ‘Gigante Portuguesa’. As densidades de ninfas e de adultos de B. tabaci foram maiores nas folhas baixeiras do que nas apicais das plantas de jiloeiro. Com o aumento da temperatura do ar, observou-se incremento na densidade de adultos de B. tabaci nas folhas de jiloeiro. Termos para indexação: Solanum gilo, Bemisia tabaci, aleloquímicos, efeito climático, nitrogênio, potássio.
Mostrar mais

5 Ler mais

Show all 3067 documents...