Futebol de Formação

Top PDF Futebol de Formação:

diScout: aplicação móvel distribuída para avaliação e recrutamento de jogadores de futebol de formação

diScout: aplicação móvel distribuída para avaliação e recrutamento de jogadores de futebol de formação

2 das modalidades com maior investimento (Collignon, Sultan & Santander, 2011). Na China, estes investimentos são direcionados para o futebol de formação, com o intuito de incentivar as crianças à prática do futebol (Barros, 2017) e é nesta área do futebol que este trabalho se irá focar, na área da formação dos clubes. Concretamente, este trabalho tenciona auxilar os clubes amadores/formação nos seus processos de deteção e captação. Contudo, o funcionamento dos clubes em Portugal é ainda retrógrado, já que apesar dos métodos científicos e tecnológicos bastante avançados o método mais usual é a intuição dos olheiros, baseando-se nas suas experiências para analisar e diagnosticar o atleta observado (Martins, 2015), por exemplo, no processo de recrutamento do FC Porto, este adota um modelo de aquisição de jogadores que corresponde a uma política interna de recolha de informação, observação direta e, consequentemente, elaboração de relatórios (Martins, 2015). A observação de jogadores é feita consoante o estilo de jogo da equipa, já que é implementado no clube uma determinada forma de jogar, e deste modo o jogador observado tem de ir ao encontro desse mesmo estilo de jogo. Caso o jogador encaixe-se no perfil da equipa é enviado um relatório ao departamento de scouting interno e ao treinador dessa mesma equipa para que possam fazer uma observação direta (Martins, 2015).
Mostrar mais

111 Ler mais

O impacto da liderança do treinador  na fase  de  transição do futebol de formação  para futebol profissional  : visão dos jogadores de sucesso

O impacto da liderança do treinador na fase de transição do futebol de formação para futebol profissional : visão dos jogadores de sucesso

Com recurso à escala de Coté, “The Coaching Behavior Scale for Sport”, Souza et al. (2009) analisaram a forma como jogadores de futebol, entre os quinze e os vinte anos, viam o perfil do seu treinador e a percepção sobre o comportamento ideal do mesmo. A avaliação destes atletas foi positiva mas o comportamento percepcionado revelou-se abaixo da percepção do comportamento ideal. Não foram verificadas diferenças significativas entre as faixas etárias em análise, tendo um aspecto curioso consistido no facto de, no que se refere ao reforço pessoal negativo, a percepção dos atletas face à dimensão ideal deste item no comportamento do treinador tenha sido superior ao percepcionado pelo líder, i.e, este auto-avaliava o seu feedback negativo de forma mais rigorosa do que era percebido pelos atletas.
Mostrar mais

76 Ler mais

A importância da criatividade no futebol actual : ideias, conceitos e consequências para a formação de jogadores

A importância da criatividade no futebol actual : ideias, conceitos e consequências para a formação de jogadores

Há que devolver qualidade técnica ao jogo pois a alma do futebol reside essencialmente no talento criador e não na indústria muscular que hoje o domina (Lobo, 2004). Segundo Cruyff (2002) a única solução para este deficit técnico está na formação dos futebolistas, daí o importante papel do Futebol de Formação. Até porque, como nos dizem Gréhaigne et al. (2005) e Bjurwill (1993), qualquer decisão tendo em conta o contexto e teoria de jogo, só se torna válida se puder ser transformada duma forma eficiente em acção, o que implica que o jogador tenha ao seu dispor o leque de respostas correspondentes (técnicas individuais ou colectivas). Torna-se também importante para a evolução futura do jovem jogador, segundo Pacheco (2001), não só saber como executar uma determinada técnica, mas fundamentalmente saber quando, onde e porquê executá-la. Daí que na aprendizagem do jogo, o ensino da técnica e da táctica deverão ser articulados (Gréhaigne et al., 2005; Bjurwill, 1993), e não apontar para a simples aquisição mecânica de automatismos técnicos (Araújo, 2005). Porque, ou se faz um ditado ou se dão as ferramentas conceptuais aos jogadores para que estes saibam ler um desafio e se dêem ao trabalho de pensar (Valdano, 2001).
Mostrar mais

98 Ler mais

Caracterização dos treinadores de futebol no distrito de Setúbal

Caracterização dos treinadores de futebol no distrito de Setúbal

O objetivo deste estudo foi aferir o perfil de treinadores de formação de futebol e sua linha de pensamento sobre fatores com influência no seu desempenho, nomea- damente a formação. Participaram no estudo 30 treinadores no ativo em escalões de formação de clubes do distrito de Setúbal, 29 do género masculino e 1 feminino. A totalidade preencheu um questionário relacionado com a formação dos treinado- res em Portugal. No distrito de Setúbal, observou-se pelo presente estudo que a mai- oria dos treinadores de futebol de formação são jovens e com poucos anos de expe- riência profissional. A maioria foi previamente praticante e valoriza predominante- mente a formação profissional comparativamente à académica, fatores que, no nosso ponto de vista, são um desafio ao desempenho profissional. É fundamental ser caracterizada a função de treinador de futebol, atividade nobre fundamental- mente ligada à formação de jovens e seus valores, e também modalidade desportiva futebol, que tem prestigiado Portugal em todo o Mundo.
Mostrar mais

11 Ler mais

Necessidades de formação para o exercício profissional na perspectiva do treinador de Futebol em função da sua experiência e nível de formação.

Necessidades de formação para o exercício profissional na perspectiva do treinador de Futebol em função da sua experiência e nível de formação.

Participaram, no presente estudo, 81 treinadores, quase todos do sexo masculino (Masculino = 80; Feminino = 1), de Futebol, sendo 20 da região centro de Portugal (Aveiro e Viseu) e os restantes da região norte (Porto e Braga). Os treinadores são dominantemente jovens, apresentando uma média de idade de 27,9 anos (DP=5,25). São treinadores de escalões de formação, possuindo, na sua maioria (60,4%), o curso de nível I da Federação Portuguesa de Futebol. Um dos grupos é constituído por treinadores sem formação federativa (19,8%) e outro por treinadores com formação federativa de níveis II e III (19,8%). Estes dois últimos grupos foram agrupados uma vez que a diferença na formação federativa entre estes dois níveis é, em Portugal, muito ténue, não se distinguindo, substantivamente, no que se refere aos conteúdos da formação. Ainda sobre a formação dos treinadores, a maioria apresenta licenciatura em Educação Física e Desporto (80,3%). A experiência dos treinadores como atletas é muito diversificada, indo desde a quase ausência de experiência até 22 anos de prática desportiva (M=9,65; DP =5,01), acontecendo o mesmo com a experiência como treinador que se situa entre 1 e 20 anos (M=4,79; DP =3,78).
Mostrar mais

11 Ler mais

Perfil educacional de atletas em formação no futebol no Estado do Rio de Janeiro.

Perfil educacional de atletas em formação no futebol no Estado do Rio de Janeiro.

Flexibilização das normas escolares A exigência, dedicação, disciplina e competição presente no processo de formação no futebol, talvez, incida no foco que o atleta tenha no processo de escola- rização. O progresso no processo de profi ssionalização condiciona de certa forma a escolha do turno escolar. Se tomarmos o consumo cultural dos atletas, obser- varemos que a leitura não foi efetivamente socializada entre eles e o hábito de estudar se faz presente num baixo percentual. Entre o contingente da nossa amos- tra, 63,3% indicaram que raramente ou nunca leem livros e apenas 13,9% declararam que estudam para as provas ou fazem as tarefas escolares passadas para casa. Tais proporções sugerem um baixo investimento na incorporação de capital cultural e na dedicação aos estudos e tarefas escolares. Em contraposição, quando o assunto é consumo do futebol, 88,2% afi rmaram que sempre assistem partidas de futebol na televisão.
Mostrar mais

12 Ler mais

A utopia de um "Cego": A formação de atletas como meio de sustentabilidade dos clubes de futebol

A utopia de um "Cego": A formação de atletas como meio de sustentabilidade dos clubes de futebol

exorbitantes de dinheiro nas suas camadas jovens e mesmo assim não têm rentabilidade nem sucesso? À cabeça aparece o nome do Real Madrid, que investe milhões na formação e tem infra-estruturas de excelência mas o seu sucesso desportivo é baseado na aquisição por valores astronómicos dos melhores jogadores a nível mundial. Não existe a fórmula perfeita, mas uma análise mais cuidada daquilo que é a realidade do futebol mundial e dos clubes que são formadores e têm sucesso encontra-se logo um padrão entre todos eles. Apresentamos novamente os 3 exemplos mais paradigmáticos o Barcelona, Atlético de Bilbao e o Ajax. Poderemos acrescentar aqui ao nível de países a Alemanha e a Bélgica. A semelhança entre todos estes clubes e selecções é que existe uma identidade e filosofia de trabalho. Existe um plano bem definido de desenvolvimento o que faz com que estejam sempre no topo dos resultados. Para quem anda no mundo do futebol todos já ouvimos falar do método holandês de desenvolvimento de jogadores, da filosofia do Barcelona e de La Masia e da política desportiva do Atlético de Bilbao. A Alemanha e a Bélgica também implementaram projectos de desenvolvimento do futebol que têm trazido resultados de excelência a estas duas selecções. Se olharmos para os seus quadros técnicos, cada vez mais, vemos que surgem sempre novos atletas talentosos. A realidade diz-nos que não há uma forma mágica, mas que a formação pode ser viável com uma política e plano de desenvolvimento bem definidos implementados para que se obtenham resultados a médio/longo prazo.
Mostrar mais

154 Ler mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ INSTITUTO DE EDUCAÇÃO FÍSICA E ESPORTES CURSO DE LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO FÍSICA O SIFNIFICADO DO ESPORTE EM UM PROJETO DE ESPORTE EDUCACIONAL DA PERIFERIA DE FORTALEZA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ INSTITUTO DE EDUCAÇÃO FÍSICA E ESPORTES CURSO DE LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO FÍSICA O SIFNIFICADO DO ESPORTE EM UM PROJETO DE ESPORTE EDUCACIONAL DA PERIFERIA DE FORTALEZA

Oliveira (2017) relata que o fato de a mídia supervalorizar grandes jogadores do futebol nacional, muitos jovens vislumbram uma carreira de sucesso como jogador profissional. Isso tudo acoplado as baixas condições econômicas são tidos uma esperança para tantos e tantos jovens com dificuldades financeiras que buscam ajudar sua família em termos financeiros. Da Silva (2015) reitera ainda que o futebol pode desenvolver valores como solidariedade, trabalho coletivo, respeito, mas também diante do grande mercado que o futebol atrai, o esporte acaba sendo muito capitalista e assim na maioria das vezes é tratado não só como difusão de valores, mas também como forma de ascensão social, onde jovens podem acabar deixando de lado o lazer e se focar no esporte como forma de ascensão social e econômica. Isso se torna ainda mais evidente quando os praticantes apresentam baixas condições econômicas. Durante as entrevistas pode-se perceber o desejo muito evidente em ser jogador profissional, seja para ajudar a família e mesmo por gostar.
Mostrar mais

63 Ler mais

UNIPAC LAFAIETE APOSTILA DE FUTEBOL

UNIPAC LAFAIETE APOSTILA DE FUTEBOL

3 – Flexionamento dinâmico, este tipo de flexionamento atua sobre o fuso muscular estimulando o reflexo miotático que provoca a contração da musculatura que está sendo estirada (McARDLE, 1998). Esta informação leva-nos a crer que este tipo de flexionamento pode ser o mais indicado para atividades esportivas, pois acontece exatamente isso durante a execução de um movimento esportivo. Primeiramente um alongamento, acompanhado de uma contração concêntrica da musculatura alongada. Um exemplo é o chute no futebol, onde ocorre uma flexão de joelho provocando um alongamento do quadríceps femoral seguido de uma contração concêntrica do mesmo para acertar a bola com força e velocidade gerando um chute altamente potente.
Mostrar mais

21 Ler mais

Jogadores de futebol no Brasil: mercado, formação de atletas e escola.

Jogadores de futebol no Brasil: mercado, formação de atletas e escola.

Nessa direção, a popularização desse esporte na América Latina se deu no cenário dos embates de classes e dos interesses de grupos em dominar politicamente as instituições esportivas. Desde cedo, o futebol anunciava-se como local estratégico para acumular capital político, como ocupação remunerada para as camadas popu- lares e como indústria do espetáculo, na medida em que atraía multidões nas duas primeiras décadas do Séc. XX (PEREIRA, 2000). Não se pode esquecer que todo esse movimento estava ancorado nas diferentes interpretações culturais sobre os valores civilizatórios e educacionais do esporte. Esportes como o futebol em países como Argentina e Brasil e o beisebol em Cuba, além de estarem atrelados ao projeto de modernização dessas sociedades, foram percebidos como “juego[s] moderno[s] y democrático[s] que posibilitaba[n] a los jugadores jóvenes de orígenes modestos, la experiencia de la mobilidade social” (ARCHETTI, 2003, p. 260).
Mostrar mais

17 Ler mais

Rev. adm. empres.  vol.50 número2

Rev. adm. empres. vol.50 número2

O livro analisa as principais etapas do processo de implantação, difusão e consolidação do futebol no Rio de Janeiro. Conferindo especial atenção aos campos de várzea, clubes de fábrica e torneios subur- banos, o autor coloca em relevo espaços onde a atividade lúdica foi sendo pouco a pouco reconotada, perdendo a marca elitista que lhe atribuía o sportman, adquirindo a imagem popular associada ao boleiro, mudança emblemática do momento em que o futebol se converte na “força motriz da nacionalidade”.

1 Ler mais

Fonte: Site da FIFA

Fonte: Site da FIFA

• A categoria de "Futebol Massivo", sem limitação de numero de participantes e sem regras (segundo um antigo manual de Workington, Inglaterra, tudo estava permitido para levar a bola até a meta contrária, com excessao de assassinato e homicidio), pertence, por exemplo, a "Shrovetide Football", que se praticava em alguns centros tradicionais como Ashbourne e Derbyshire, em forma muito menos brusca.

27 Ler mais

Análise comparativa de clubes de futebol com escalões de formação de diferentes contextos.

Análise comparativa de clubes de futebol com escalões de formação de diferentes contextos.

A ADP demonstra uma maior dependência i nanceira externa, recorrendo aos apoios mone- tários Municipais para despesas correntes (e.g., transportes, água, luz, gás) e a patrocínios de outras entidades. O próprio clube não demonstra uma estratégia e planii cação para o seu desenvolvimento a longo prazo, apresentando algumas linhas orien- tadoras dei nidas de forma informal para o período de um mandato no clube (dois anos). Esta falta de planii cação também é rel etida pela falta de articu- lação com a autarquia no que respeita aos apoios e protocolos com o Município, uma vez que os apoios são cedidos irregularmente ao longo do tempo e não existem protocolos para utilização de espaços desportivos ou com vista à promoção da atividade física. Neste sentido, o Clube Amador de contexto Rural está limitado, em termos de infraestruturas, ao seu campo de futebol, sem no entanto poder proceder à utilização e/ou exploração de outros restrições existentes. Estas demonstram fraca estabili- dade, principalmente i nanceira, devido às exigências econômicas atuais, necessidades de investimento para potenciar a oferta desportiva e falta de planejamento a longo prazo. Os Clubes Amadores referem inl uências externas sociais (e.g., envolvimento da comunidade no clube e nas suas atividades), políticas (e.g., apoios Municipais em infraestruturas ou monetários), culturais (e.g., a cultura da comunidade local e os interesses divergentes da população) e econômicas (e.g., situação i nanceira de patrocinadores, famílias).
Mostrar mais

12 Ler mais

Proposta de treinamento de formação no Futebol baseado em conceitos do jogo de Futsal

Proposta de treinamento de formação no Futebol baseado em conceitos do jogo de Futsal

O estudo teve como temática central incluir conceitos do jogo de futsal no treino de atletas em formação no futebol. Poucos clubes de futebol utilizam o futsal na preparação de seus atletas, e quando o time se utiliza, o trabalho não é sistemático, objetivando aproveitar os princípios do futsal na qualificação dos atletas de futebol. Objetivou-se apresentar uma proposta de integrar conceitos do futsal nos treinamentos formativos de atletas de futebol. Trata-se de um estudo bibliográfico exploratório, que se utilizou dos pressupostos da literatura que propõem o futsal como uma ferramenta de treinamento no futebol. Foram apresentados 30 conceitos específicos utilizados no futsal, para serem treinados no futebol, divididos em 5 categorias, dos 10 aos 17 anos de idade. O futsal treinado de forma organizada e integrada ao futebol de campo pode ser uma excelente ferramenta na formação desportiva do atleta de futebol.
Mostrar mais

11 Ler mais

Futebol profissional: o mercado e as práticas de liberdade.

Futebol profissional: o mercado e as práticas de liberdade.

No futebol moderno, onde se procura fabricar o jogador-disciplinar, normalizado, tornado útil e produtivo, sobretudo dócil às práticas de poder, a rebeldia constitui-se no mal que ameaça o sonho polí- tico da comunidade pura composta pelos corpos dis- ciplinares, expostos ao contágio de uma doença que atinge o corpo e toma de assalto a alma. A rebeldia, transformada em mais uma das figuras da loucura, requer a vigilância atenta, o controle minucioso do corpo-máquina, resguardando-o do contágio de uma doença que se expressa pelo descontrole emocional, e, nos casos-limite, como violência selvagem (p.210). O que não se pode perder de vista é que as exigências de disciplinar os corpos via o esporte datam de sua criação e a convenção do Esporte Moderno. Desde o momento de sua organização e sistematização foram feitas tentativas, por meio da implementação de regras, de proibir a violência no esporte. Portanto, a ideia de disciplinar os corpos não é privilégio do futebol e tampouco do futebol atual, ela vem desde a criação do esporte, passando pela universalização das regras cujo argumento central residia na igualdade de oportunidades na competição, argumento pertinente ao espírito do liberalismo e do capitalismo. Nesse sentido E LIAS 18 ,
Mostrar mais

14 Ler mais

Futebol Tudo sobre futebol  Vizente Besteirol Futebol

Futebol Tudo sobre futebol Vizente Besteirol Futebol

Seu pai chegou bravo e perguntou por que tinha feito isso e o Luquinhas respondeu correndo: "É que agora para ouvir jogo do São Paulo não usa mais radinho, usa-se calculadora"?[r]

4 Ler mais

Futebol Tudo sobre futebol  Vizente Besteirol Futebol

Futebol Tudo sobre futebol Vizente Besteirol Futebol

Eu só ligo para essa frase se for uma mulher gostosa me pedindo para passar bronzeador em suas costas. Marcação homem-a-homem Eu só marco mulher, cara[r]

2 Ler mais

Homenagem aos Palmeirenses

Homenagem aos Palmeirenses

"O Palmeiras é igual ao gnomo, se veste de verde, só aparece no final do arco íris com um pote de ouro, tem gente que acredita nele!". “Traga uma camisa do palmeiras e ganhe 30% [r]

1 Ler mais

Recorde de expulsões

Recorde de expulsões

O juiz da partida, Carlos de Oliveira Monteiro, ficou assistindo à briga, esperou a coisa acalmar e, no final da confusão, expulsou todo mundo: Lindolfo, Nena, Valter, Herminio, Clóvi[r]

1 Ler mais

Sexo e Futebol Tudo sobre futebol  Vizente Besteirol Sexo e Futebol

Sexo e Futebol Tudo sobre futebol Vizente Besteirol Sexo e Futebol

Mas a camisinha, como a camiseta, também não distingue; ela tanto pode vestir um craque como um medíocre.. No sexo, como no futebol, você amacia no peito, bota no colo, cadencia e tem qu[r]

1 Ler mais

Show all 10000 documents...

temas relacionados