Implantes dentários

Top PDF Implantes dentários:

UMA METODOLOGIA PARA AVALIAÇÃO DO PARAFUSO PILAR EM IMPLANTES DENTÁRIOS USANDO FOTOELASTICIDADE AUTOMATIZADA

UMA METODOLOGIA PARA AVALIAÇÃO DO PARAFUSO PILAR EM IMPLANTES DENTÁRIOS USANDO FOTOELASTICIDADE AUTOMATIZADA

O parafuso pilar é um importante elemento constituinte de implantes dentários convencionais. Ele é utilizado para fixar o pilar ou intermediário ao implante. Em implantes dentários convencionais, o nível de torque aplicado é da ordem de 20 Ncm, porém sabe-se que o parafuso pilar resiste a maiores níveis de torque, e que uma maior pré-carga aplicada poderia melhorar sua fixação. Muitos problemas relacionados às fraturas e desapertos do parafuso são relacionados na literatura. A melhoria das condições de osseointegração e do projeto dos implantes dentários poderia proporcionar a aplicação de maiores torques aos parafusos pilar, minimizando os problemas de desaperto. Para isso, é importante o conhecimento do comportamento físico destes elementos quanto ao campo de tensão e deformação, quando um certo nível de torque e pré-carga são aplicados. Neste trabalho, o gradiente de tensões no parafuso de pilar foi estudado com um nível de pré-carga aplicado. Foi utilizada a técnica da fotoelasticidade de transmissão plana em um modelo fotoelástico de um implante dentário convencional da empresa Conexão Sistemas de Prótese Ltda. Um programa em ambiente Matlab foi desenvolvido para adquirir e processar as imagens das franjas, para a obtenção dos parâmetros fotoelásticos. Foi utilizada uma barra prismática fotoelástica submetida à flexão em quatro pontos, instalada em um polariscópio de transmissão, ajustado para luz polarizada elíptica para a obtenção das ordens de franja. As direções das tensões principais foram obtidas através da solução de uma equação não linear. Para melhorar a precisão dos valores das direções das tensões principais foi utilizado um disco sob compressão axial para calibrar os valores RGB das imagens adquiridas. Para o torque padrão de 20 Ncm, a pré-carga estimada foi de 111 N (GARCIA, 2006). Estima-se que valores de torque na ordem de 40 a 50 Ncm poderiam ser aplicados no parafuso de pilar, se o nível de osseointegração aliado ao projeto do implante dentário suportar tais níveis de torque. Um número maior de experimentos devem ser realizados para que se possa concluir sobre os máximos valores de torque da pré-carga. O programa computacional “Fringes”, mostrou-se eficiente na determinação dos parâmetros óticos em modelos solicitados até a 4ª ordem de franja.
Mostrar mais

102 Ler mais

Avaliação do comportamento de higiene bucal de pacientes periodontais reabilitados com implantes dentários / Assessment of oral hygiene behavior of periodontal patients rehabilitated with dental implants

Avaliação do comportamento de higiene bucal de pacientes periodontais reabilitados com implantes dentários / Assessment of oral hygiene behavior of periodontal patients rehabilitated with dental implants

A sobrecarga oclusal também é um fator que influencia no processo de osseointegração 19 . Segundo Oh et al. 20 , a carga oclusal excessiva, pode ser a maior responsável pelo insucesso no tratamento reabilitador com implantes dentários, influenciando de forma negativa na osseointegração. Naert et al. 21 , também avaliaram o efeito biológico do excesso de carga oclusal sobre implantes dentários osseointegrados, concluindo que a sobrecarga oclusal em tecidos peri- implantares sadios não teve o processo de osseointegração afetado de forma negativa. No entanto, quando esta sobrecarga oclusal incide sobre tecidos peri-implantares inflamados, a reabsorção óssea é aumentada, levando ao desencadeamento da peri-implantite. Quando os entrevistados deste estudo foram questionados quanto aos hábitos que apresentavam, 48% responderam ranger/apertar os dentes durante os períodos de sono, sendo este o hábito mais citado dentre as alternativas.
Mostrar mais

18 Ler mais

Avaliação da formação óssea em implantes dentários de ratos não diabéticos, diabéticos não controlados e controlados com insulina

Avaliação da formação óssea em implantes dentários de ratos não diabéticos, diabéticos não controlados e controlados com insulina

Avaliar a formação óssea ao redor de implantes dentários em ratos diabéticos aloxânicos controlados com insulina, em relação a ratos não diabéticos e diabéticos não controlados, atravé[r]

92 Ler mais

Avaliação das superfícies de implantes dentários com tratamento a laser

Avaliação das superfícies de implantes dentários com tratamento a laser

economicamente viável para fabricação de implantes dentários. Os implantes utilizados no experimento apresentavam tratamento de superfície extremamente irregular, com profundidade média de 100µm, estreitas fendas intercomunicantes, depressões rasas e profundos poços arredondados, de forma e tamanho variáveis, mostrando uma ampla margem para intertravamento com o osso hospedeiro. Os autores, além de fabricarem implantes com essa técnica, sinterizaram discos de titânio com as mesmas características dos implantes, para avaliar a biocompatibilidade dessa superfície com osteoblastos originados da calvária de ratos. Após um período de cultura de nove dias, as células estavam espalhadas e aderidas às superfícies dos discos de titânio, abrangendo todas as fendas e espaços vazios da superfície tratada. Os autores concluíram ainda que, após o tratamento ácido da superfície sinterizada a Laser, havia o aumento de microrrugosidade, e consequentemente, da adesão celular à superfície.
Mostrar mais

65 Ler mais

Desenvolvimento de implantes dentários por técnicas de metalurgia do pó

Desenvolvimento de implantes dentários por técnicas de metalurgia do pó

O interesse crescente no desenvolvimento de biomateriais com superfície porosa para aplicações dentárias decorre do suporte propici o ao crescimento do tecido ósseo, aumentando a adesão entre o tecido e material, favorecendo a osteointegração. O tit ânio pode ser considerado um ótimo material para implantes dentários, pela sua excelente biocompatibilidade, elevada resistência à corrosão e combinação de alta resistência com baixa densidade. Contudo, a alta reatividade do metal no estado líquido acaba dificultando a fabricação de implantes por fundição, sendo a metalurgia do pó composta por técnicas que permitem a obtenção de peças em temperaturas menores de processamento (estado sólido) e com módulo elástico próximo ao do tecido ósseo. O objetivo deste trabalho foi avaliar amostras porosas obtidas pela Metalurgia do Pó (MP) convencional. Inicialmente o pó de titânio comercialmente puro (Ti-cp) obtido pelo processo de hidretação-dehidretação (HDH), foi compactado em matriz uniaxial e sinterizado a vácuo em duas temperaturas,1100 e 1150°C/1h. As amostras sinterizadas foram caracterizadas quanto à densidade, porosidade, microestrutura ( microscopia óptica - MO e microscopia eletrônica de varredura - MEV), fases cristalinas (difração de raios - X - DRX), propriedades mecânicas (microdureza e ensaio de flexão em três pontos), comportamento eletroquímico (potencial de circuito aberto, espectroscopia de impedância eletroquímica e polarização anódica) e o ensaio de imersão foram empregados nas amostras obtidas por (MP) e no titânio fundido. Os resultados indicaram morfologia angular, distribuição granulométrica com média de 45 µm, além de densidade aparente e escoabilidade baixas. Foram obtidas amostras com porosidade de aproximadamente 33% e poros interligados dentro de uma faixa de tamanho de 110 – 140 µm. As análises por MEV e DRX das amostras sinterizadas indicaram a presença de fase α e poros. As amostras sinterizadas a 1150°C revelaram melhor comportamento mecânico em relação as amsotras sinterizadas a 1100°C. As análises eletroquímicas indicaram a elevada resistência a corrosão do titânio fundido, seguida pela amostra sinterizada 1100°C e finalmente das sinterizadas a 1150°C, quando imersas em solução da saliva artificial. O EDS foi executado para verificar a deposição de elementos na superfície. Testes de citotoxicidade demonstraram que o pó e as amostras sinterizadas não apresenta ram qualquer efeito tóxico em culturas celulares. As amostras sinterizadas à 1100°C possu iam grau de porosidade e tamanho de poros que favorec eram o crescimento do tecido ósseo, além do módulo de elasticidade próximo ao tecido ósseo e foram mais resistentes a corrosão na solução simuladora.
Mostrar mais

117 Ler mais

Morforlogia, Molhabilidade e Osseointegração de Superfícies de Implantes Dentários: Uma Revisão Sistemática

Morforlogia, Molhabilidade e Osseointegração de Superfícies de Implantes Dentários: Uma Revisão Sistemática

A reabilitação com implantes dentários deve garantir a osseointegração, processo definido como um contacto direto entre o implante e o osso, sem qualquer tipo de interferência de tecido conjuntivo fibroso (Schwarz et al., 2009; Galli et al., 2013; Murphy et al., 2017). Para melhorar a osseointegração, a morfologia da superfície dos implantes, têm sido foco de desenvolvimento nos últimos anos (Hong et al., 2014). Vários estudos prévios têm reportado aspectos físico-químicos das superfícies e sua interação com o tecido ósseo (An et al., 2012). De fato, o sucesso clínico dos implantes dentários é alto, tendo em consideração o processo de osseointegração; no entanto falhas precoces ou tardias podem ocorrer, principalmente nos casos dos implantes submetidos a carga imediata (Zhang et al., 2011; Wennerberg et al., 2012). A aceleração do processo de remodelação e integração óssea dos implantes dentários diminui o risco de falhas precoces (Zhang et al., 2011; Wennerberg et al., 2012; Herrero-Climent et al., 2013; Ferraris et al., 2016)
Mostrar mais

39 Ler mais

Complicações em reabilitações individuais sobre implantes dentários: uma revisão sistemática

Complicações em reabilitações individuais sobre implantes dentários: uma revisão sistemática

A reabilitação fixa implanto-suportada constitui o tratamento de escolha nestas situações, permitindo a substituição de próteses removíveis e possibilitando uma opção terapêutica que preserva a estrutura dentária dos dentes remanescentes (Zembic et al., 2014). A reabilitação de pequenas áreas edêntulas ou substituição de peças dentárias unitárias através da colocação de implantes endósseos proporciona resultados estéticos e funcionais considerados óptimos e com boa previsibilidade (Mezzomo et al., 2014). Uma vez que a maior parte dos pacientes que são reabilitados com implantes dentários têm entre 40 a 50 anos de idade, deverão ser consideradas taxas de sobrevivência a longo prazo tanto para os próprios implantes como para as próteses que estes suportam (Zembic et al., 2014).
Mostrar mais

65 Ler mais

Efeitos biológicos indiretos disparados por implantes dentários comerciais em osteoblastos: estudo in vitro

Efeitos biológicos indiretos disparados por implantes dentários comerciais em osteoblastos: estudo in vitro

5. RESULTADOS E DISCUSSÃO: Inicialmente, decidimos verificar se os meios condicionados de implantes dentários comerciais exerciam alguma citotoxicidade. O teste de citotoxicidade tem como objetivo detectar o potencial de um material ou dispositivo em produzir efeitos letais ou subletais em sistemas biológicos ao nível celular. Este teste deve ser aplicado a todas as categorias de biomateriais. A liberação de substâncias tóxicas pelo material pode lesar as células ou reduzir a taxa de crescimento celular da cultura. Assim, incubamos estes implantes em meio de cultivo celular por 24h (0,1g/mL), como instruído pela ISO 10993-5. Após este período, tratamos osteoblastos que foram plaqueados em placas de cultivo de 24 poços, na densidade de 50.000 células/mL. Após tratamento, aplicamos a metodologia de redução do MTT (Mossman, 1983) para verificar o potencial citotóxico do meio condicionado dos implantes. A técnica de MTT é um ensaio quantitativo para determinar a interrupção de uma função bioquímica crítica. Este ensaio quantifica a atividade mitocondrial, medindo-se a formação de cristais de formazam, produto formado pela redução de tetrazolium MTT (Mossman, 1983). A redução de MTT ocorre principalmente na mitocôndria através da ação da succinato desidrogenase fornecendo então uma medida de função mitocondrial.
Mostrar mais

20 Ler mais

QUANTIFICAÇÃO DO PROCESSO DE OSTEOGÊNESE EM IMPLANTES DENTÁRIOS

QUANTIFICAÇÃO DO PROCESSO DE OSTEOGÊNESE EM IMPLANTES DENTÁRIOS

A implantodontia surgiu como uma alternativa para substituir um elemento dental perdido. Os primeiros implantes odontológicos baseavam-se no empirismo e fracassaram devido à falta de estudos clínicos e científicos controlados. Na década de 60, Brånemark e colaboradores, fundamentados em pesquisas clínicas, desenvolveram um novo sistema de implantes baseado em uma ancoragem direta no tecido ósseo, sem a interposição de tecido mole, denominada osseointegração. O processo de osseointegração envolve aspectos biomecânicos e ainda não foi completamente esclarecido. Em vários estudos tem-se verificado que o tratamento da superfície do implante, por exemplo, superfícies tratadas com jateamento e condicionadas com ataque ácido, vem sendo um dos principais fatores que influenciam na osteogênese e, consequentemente, na osseointegração. Tais superfícies apresentariam condições apropriadas para uma aposição óssea de forma mais rápida possibilitando uma aplicação de carga em um menor período de tempo. Assim, a proposta deste trabalho foi avaliar o fenômeno da osteogênese em implantes dentários, considerando diferentes superfícies obtidas por diferentes condições de jateamento e ataque ácido. A avaliação foi feita utilizando ensaios “in vitro” de cultura de células osteoblásticas, sendo definido um índice para medir a intensidade da osteogênese baseado nas medidas da proliferação e viabilidade celular, fosfatase alcalina e nódulos de mineralização. Os ensaios foram conduzidos, de tal forma que, a sensibilidade das variáveis medidas fosse analisada e através de métodos de similitude em engenharia definiu-se uma equação de predição para o fenômeno. A vantagem deste procedimento é a possibilidade de previsão do nível da osteogênese, sem utilizar ensaios “in vitro” e “in vivo” que em geral são demorados e de alto custo, permitindo avaliar um produto, quanto às condições da superfície, antes de ser lançado no mercado, servindo como uma “ferramenta” do controle de qualidade.
Mostrar mais

195 Ler mais

Efeitos do ranelato de estrôncio sobre o tempo de osseointegração de implantes dentários de titânio instalados em tíbia e em fêmur de coelhos”

Efeitos do ranelato de estrôncio sobre o tempo de osseointegração de implantes dentários de titânio instalados em tíbia e em fêmur de coelhos”

A diminuição da massa óssea leva a uma redução do possível contato entre um implante e o osso, diminuindo o suporte ósseo necessário para garantir estabilidade suficiente para suportar carga (VON WOWERN, 2001). A manutenção da função satisfatória dos implantes dentários depende de uma firme e contínua osseointegração dos mesmos com tecido ósseo abundante nos maxilares. Portanto, qualquer fator que tenha impacto negativo sobre esse processo seja em qualidade ou quantidade óssea, provavelmente reduzirá o sucesso a longo prazo dos implantes dentários. Estudos prévios em animais descrevem uma inter-relação entre osteoporose e implantes dentários, e mostram que a osteoporose pode impedir a osseointegração dos implantes dentários e, portanto, afetar seu sucesso clínico a longo prazo ( PAN et al ., 2000; QI et al ., 2004). A osteoporose é conhecida por prejudicar o processo de osseointegração dos implantes (KELLER et al ., 2004). Embora, isso ainda seja muito controverso (SHIBLI et al ., 2008).
Mostrar mais

68 Ler mais

Planejamento radiográfico e tomográfico para instalação de implantes dentários

Planejamento radiográfico e tomográfico para instalação de implantes dentários

RESUMO: O sucesso do tratamento com implantes dentários está relacio- nado diretamente com o planejamento correto para instalação do mesmo. Inserido neste contexto de planejamento para instalação de implantes den- tários, a avaliação radiográfica e tomográfica se mostram como uma das mais importantes etapas. As radiografias e tomografias possibilitam o estu- do das áreas anatômicas que precisam ser respeitadas no ato cirúrgico e oferecem subsídios para se estudar os sítios teciduais que receberão os di- versos tipos de implantes dentários. Este trabalho tem como objetivo reali- zar uma revisão de literatura sobre planejamento radiográfico e tomográfi- co para instalação de implantes dentários, buscando mostrar a modalidade de imagem ideal para tal procedimento.
Mostrar mais

6 Ler mais

Análise de sistemas de implantes dentários em mandíbulas edêntulas com aplicação de carregamento imediato

Análise de sistemas de implantes dentários em mandíbulas edêntulas com aplicação de carregamento imediato

Um dos estudos pioneiros de biomecânica em implantes dentários foi o de Skalak (1983), que analisou as tensões envolvendo os implantes osseointegrados e o tecido ósseo. Em seu trabalho, o autor descreve ser um aspecto crítico para o sucesso ou fracasso de um implante a maneira no qual o tensão mecânica é transferida do implante para o tecido ósseo. É essencial que o implante e o tecido ósseo não sejam carregados além de sua capacidade de fadiga, é também necessário evitar qualquer movimentação que possa produzir reabsorção do tecido ósseo e perda progressiva do implante. A conexão firme de uma prótese sobre implantes osseointegrados resulta em uma estrutura única na qual a prótese, os parafusos e o tecido ósseo agem como uma unidade e qualquer desalinhamento que haja da prótese fixa com os implantes, resultará em uma tensão interna da prótese, implantes e osso. O mesmo autor ainda enfatiza que muito embora essas tensões não possam ser detectadas por análise visual, podem ocasionar falhas mesmo sem a presença de forças externas.
Mostrar mais

98 Ler mais

Efeito do tratamento de superfície na osseointegração de implantes dentários da liga TI-7,5Mo

Efeito do tratamento de superfície na osseointegração de implantes dentários da liga TI-7,5Mo

Os Biomateriais Metálicos são utilizados para reforçar ou para restaurar a forma e função de tecidos duros. Os implantes e próteses são utilizados para substituir ombros, joelhos, quadris e dentes perdidos entre outros. Nos últimos anos, varias ligas de titânio para aplicações biomédicas foram avaliadas. Neste trabalho, a influência do tratamento de superfície biomimético na osseointegração de implantes dentários da liga Ti-7,5Mo foi avaliada. Os lingotes foram obtidos a partir de titânio e molibdênio utilizando um forno a arco voltaico. Eles foram submetidos a tratamento térmico e conformados a frio em prensa rotativa. Posteriormente foram confeccionados implantes (2,0 mm de diâmetro e 2,5 mm de comprimento) sob medida os quais submetidos ao tratamento de superfície biomimético. Os implantes foram inseridos e analisados histológica realizada após 28 dias. A caracterização microestrutural e mecânica da liga Ti-7,5Mo também foi realizada. Aliga Ti-7,5Mo exibiu baixo modulo de elasticidade e elevada relação resistência/modulo. O uso do tratamento de superfície biomimético promoveu um aumento da osseointegração sobre a superfície dos implantes.
Mostrar mais

73 Ler mais

Avaliação radiográfica dos efeitos da carga oclusal excessiva sobre implantes dentários...

Avaliação radiográfica dos efeitos da carga oclusal excessiva sobre implantes dentários...

marginal ao redor de implantes dentários (Lindhe et al., 1992; Grunder et al., 1993; Schou et al., 2003; Schwarz et al., 2007a,b; Amarante et al., 2008; Serino; Ström, 2009). No presente estudo, a associação entre controle de placa realizado 3 vezes por semana e SO, não levou à perda óssea radiográfica peri-implantar significativa. A quantidade de “altura óssea” perdida esteve provavelmente associada à áreas de saucerização que podem ocorrer naturalmente em torno de implantes dentários (Zechner et al., 2004; Bolind et al., 2005). Dentre os estudos prévios avaliando os efeitos da carga oclusal excessiva, o único estudo que avaliou a associação entre placa dental e SO, mostrou uma correlação positiva entre acúmulo de placa e SO, em termos de perda óssea peri-implantar clínica e histológica (Kozlovsky et al., 2007). Esta associação placa-trauma está de acordo com o modelo de interação que ocorre ao redor de dentes naturais. Estudos anteriores em modelos animais, avaliando o efeito de forças oclusais traumáticas em dentes naturais e sua contribuição para o desenvolvimento de perda de inserção periodontal (Lindhe; Svanberg, 1974; Polson et al., 1976; Waerhaug, 1979; Budtz-jøgensen, 1980), observaram que na ausência de acúmulo de biofilme dental, o forças de oclusão traumáticas não contribuiram para a perda de estruturas periodontais ou para o desenvolvimento de defeitos infra-ósseos. Por outro lado, o efeito de interação entre biofilme dental e forças de oclusão traumáticas, levaram a uma degradação das estruturas periodontais, isto é a um trauma de oclusão (Lindhe; Svanberg, 1974; Polson et al., 1976; Waerhaug, 1979).
Mostrar mais

83 Ler mais

Repercussão da periodontite na reabilitação oral de implantes dentários

Repercussão da periodontite na reabilitação oral de implantes dentários

Dentre as doenças sistêmicas tidas como as mais associadas ao risco de falhas de implantes tem-se: osteoporose, HIV+, diabetes mellitus (DM), artrite reumatóide, líquen plano oral, doentes transplantados imunossuprimidos, displasia ectodermal e doenças cardiovasculares. Frente a elas e considerando pacientes controlados, não houve influência no sucesso do implante. Porém, na síndrome de Sjögren pode apresentar, a longo prazo, mais sinais de peri-implantite mucosite, o que pode levar ao aumento no risco de peri-implantite. (Goubis et al., 2016; Naujokat, et al., 2016).
Mostrar mais

27 Ler mais

DISTRIBUIÇÃO DE TENSÕES EM IMPLANTES DENTÁRIOS DE DIFERENTES DESENHOS UTILIZANDO FOTOELASTICIDADE

DISTRIBUIÇÃO DE TENSÕES EM IMPLANTES DENTÁRIOS DE DIFERENTES DESENHOS UTILIZANDO FOTOELASTICIDADE

Figura 14: Ordens de franja isocromáticas inteiras 22 Figura 15: Desenho esquemático de polariscópio plano e modelo fotoelástico 22 Figura 16: Desenho esquemático de polariscópio c[r]

70 Ler mais

Influência do biótipo gengival na sobrevivência dos implantes dentários

Influência do biótipo gengival na sobrevivência dos implantes dentários

Com o intuito de avaliar os resultados clínicos, radiográficos e estéticos dos implantes imediatos, com um colar micro-texturizado a laser, colocados na região anterior da ma- xila e restaurados com carga não funcional. 46 pacientes (24 homens e 22 mulheres) que cumpriram com os critérios de inclusão: cujo o dente comprometido precisava ter 4 mm de osso além do ápice radicular e pelo menos 10 mm de altura e 4,5 mm de largura do osso disponível. ausência de lesões periapicais/ periodontais ativas com um biótipo gengival espesso, nível/ contorno gengival ideal e paredes intactas após extração do elemento dentário comprometido. Os implantes foram colocados sem retalho e com es- pecial atenção ao posicionamento tridimensional e no ajuste oclusal da coroa provisória, para que permanecesse em infra oclusão durante o período de osteointegração. Os paci- entes, foram acompanhados e o índice de placa, profundidade de sondagem, sangramen- to a sondagem, índice da estética rosa e branco avaliados em 6, 12 e 24 meses. A taxa de sobrevivência foi de 95,6%, pois ocorreram a perda de 2 implantes nos primeiros 6 me- ses. E a média da perda óssea marginal (mesial e distal), foi de 0.41 mm (de 0.10–0.97 mm) e 0.47 mm (de 0.08–0.85 mm), em 6 meses, de 0.51 mm (de 0.17–1.05 mm) e 0.53 mm ( de 0.32–1.00 mm), em 1 ano, de 0,58 mm (de 0,17-1,15 mm) e 0,57 (de 0,42-1,10 mm), em 2 anos respectivamente. O nível da margem gengival não demons- trou alterações significativas ao final de 2 anos. A perda da papila mesial foi > 1 mm em 1/44 (2,7%) dos casos e da papila distal foi > 1 mm em 1/44 (2,7%) casos. Em 36/44 (81,8%) e 34/44 (77,2%) dos pacientes, as papilas mesiais e distais respectivamente, estavam com a sua altura original. Quanto ao quesito estético vermelho e branco, 68% dos casos foram considerados bem sucedidos e 32% aceitável.
Mostrar mais

32 Ler mais

TRATAMENTO DE SUPERFÍCIE DE IMPLANTES DENTÁRIOS

TRATAMENTO DE SUPERFÍCIE DE IMPLANTES DENTÁRIOS

(2003) onde analisaram a resposta do tecido ósseo frente a 3 diferentes superfícies de implante, um total de 24 implantes de superfície usinada, 24 implantes de superfície tratad[r]

27 Ler mais

Ligas metálicas utilizadas em implantes dentários

Ligas metálicas utilizadas em implantes dentários

Entre as muitas ligas de titânio no mercado, Ti-6Al-4V, contendo 6% em peso de Alumínio e 4% em peso de Vanádio, 0,25% (máximo) de ferro, 0,2% (máximo) de oxigênio e o restante de titânio; está entre as mais utilizadas na fabricação de implantes e próteses dentarias. Este material empresta-se particularmente a tais aplicações devido ao seu baixo módulo de elasticidade, bem como alta resistência à fadiga e boa resistência mecânica, melhor que o do titânio comercialmente puro. O Ti-6Al-4V possui alta resistência à corrosão e biocompatibilidade. (Menghini e Battaini, 1997).
Mostrar mais

32 Ler mais

MANIPULAÇÃO TECIDUAL PRÉVIO A INSTALAÇÃO DE IMPLANTES DENTÁRIOS

MANIPULAÇÃO TECIDUAL PRÉVIO A INSTALAÇÃO DE IMPLANTES DENTÁRIOS

Para Kois (2001) de maneira geral os dentes possuem três formas: quadrada, ovóide e triangular. Na área coronal essa forma influencia no volume e forma do tecido gengival, já na re[r]

57 Ler mais

Show all 715 documents...